You are on page 1of 11

Universidade Federal de Uberlândia

Instituto de Ciências Agrárias - ICIAG
Curso de Engenharia Ambiental
Laboratório de Física Experimental II
Prof. Ingrid Martins

Circuitos Elétricos
Amanda Salazar

11511EAB022

Franciely Munis Santana

11511EAB027

Letícia Leão

11011EAB038

Matheus Castro Oliveira

11011EAB036

Paula Menegaz

11211EAB037

Renato Pereira

11011EAB029

Uberlândia – MG
Junho de 2015

resistores. linhas de transmissão. Nessa associação a tensão é a mesma em todos os pontos do circuito. capacitores. Introdução A tecnologia avançada presente nos dias de hoje se deve ao fato do grande desenvolvimento dos estudos dos circuitos elétricos.1. fontes de tensão. Figura 1 – Resistores associados em série A associação em série é representada por uma resistência equivalente. De fato. No circuito em série a corrente elétrica é igual em todos os pontos do circuito e a tensão é dividida proporcionalmente. conforme a expressão: Associação em Paralelo: No circuito elétrico paralelo todos os elementos se encontram em paralelo com a fonte de energia e apresenta vários caminhos para a corrente. Existem basicamente duas maneiras de conectar dois ou mais componentes eletrônicos: Associação em Série e a Associação em Paralelo. para a constituição de um dado circuito elétrico é importante ter conhecimento de como os componentes eletrônicos podem ser conectados. Associação em Série: É o circuito onde todos os elementos encontram interligados em série com a fonte de energia. . Esses elementos possuem funções diferentes a fim de se obter a finalidade desejada. fontes de corrente e interruptores. porém a corrente varia de acordo com a resistência. Um circuito elétrico nada mais é do que o conjunto de vários elementos. tais como indutores.

Materiais e Método EQUIPAMENTOS:      Fonte de tensão Multímetro Resistores de 1KΩ. 4. basta fazermos uma análise por partes do problema.Figura 2 . quanto em série. Esses circuitos recebem o nome de circuito misto. Embora esse tipo de circuito nos pareça complexo.7KΩ e 15KΩ Fios Painel para associação de resistores MÉTODO: . Para isso. Objetivo Aprender os métodos de associar resistores em série. 3.Associação em paralelos de Resistores A associação em Paralelo poder ser representada conforme a expressão: Circuitos Mistos Em diversas circunstâncias podemos dispor de um circuito elétrico composto por resistores ligados tanto em paralelo. paralelo e misto e calcular o valor da resistência equivalente e potência elétrica e da fonte. podemos encontrar o resistor equivalente. 2.

Desligou-se a fonte de alimentação e a desconectou-se do circuito.Montou-se o circuito misto série paralelo ilustrado na Figura 5.Repetiram-se os passos de 2 a 4 feitos para o primeiro circuito para o circuito da Figura 4. correntes e potência elétrica em cada um dos elementos do circuito.1 . 3 . Ajustou-se a fonte de tensão para 5V. 6 . 4 . 7 . 5 . Com base nos valores de resistências fornecidas pelo fabricante calcularam-se teoricamente as tensões.Desmontou-se o circuito anterior e montou-se o circuito da Figura 4. .Mediu-se a tensão e corrente. Ajustou-se a fonte de tensão para 5 V.Calculou-se a potência elétrica em cada um dos resistores do circuito (propagação de erro). Figura 4-Circuito com três resistores em paralelo ligados a uma fonte de alimentação ajustada para cinco volts contínuos. 2 . Mediu-se também a corrente total que passa por este circuito. em cada resistor deste circuito. Mediu-se a resistência total deste circuito. Ajustou-se a fonte de tensão para 5 V. Figura 3-Circuito com três resistores em série ligados a fonte de alimentação ajustada para fornecer cinco volts contínuos.Primeiramente montou-se o circuito em série como o ilustrado na figura 3. com o auxilio do multímetro.

242 V V4.140 V V15kΩ= 3. .58 V Para um circuito em série a tensão varia em cada resistor como pode-se observar acima. 4.Figura 5 – Circuito com associação mista série e paralelo. na função Voltímetro: V1kΩ= 0.7kΩ= 1. 8 . obtendo os resultados a seguir: Tensão medida com uso do multímetro.Repetiu-se o procedimento realizado no passo 6 para o circuito da Figura 5. Resultados e Discussão Experimento 1 – Circuito em Série Foi feita a medição de tensão e corrente para cada resistor de um circuito em série.

acarretando em uma porcentagem de diferença equivalente a 0.242 A . A resistência esperada era de 20.140 3.8 Nota-se uma diferença pouco significativa para a última corrente. Resistência medida com o uso do multímetro. resultando em: Req=1+4.8 kΩ A resistência total de um circuito em série e dado pela seguinte fórmula: Sendo assim tem-se a soma das resistências de cada resistor. Calculamos também a Potência Elétrica em cada resistor. tendo porcentagem de 0.7kΩ= 4.242 1. sendo igual para todos os resistores.58 =0.7 14.96% de diferença no resultado final da Resistência equivalente.5Ω. Para conferir o valor da corrente podemos utilizar a equação: V =Ri . onde V temos a seguinte plotagem da fórmula : i= R i= 0.i= =0. 1 4. na função Amperímetro: i = 0. na função Ohmímetro: R1kΩ= 1 kΩ R4. i= =0. a partir da formula . porém quando fizemos a medição da resistência do resistor de 15kΩ houve uma pequena diferença.241 A .8 = 20. interferindo de forma pouco significativa.7 kΩ R15kΩ= 14.7+14.Corrente medida com o uso do multímetro.7Ω.242 A . que pode ser explicada pelo valor da medição da última resistência que também apresentou diferença pouco significativa.044%.242A Para um circuito em série tem-se apenas uma corrente.

2422 0.7kΩ= 4.2422 0. resultando em 1.97 V Para um circuito em paralelo a tensão é a mesma em cada resistor.8667472 W A potência total do circuito é dada pela soma de todas as potências calculadas acima.P=R i 2 P1kΩ= 1* 0.727538W. P=i E A potência da fonte é dada por: Resultando em: P= 0.8 0.2752508 W P15kΩ= 14.7 *0. Para conferir o valor da tensão podemos utilizar a equação: V =Ri . obtendo os resultados a seguir: Tensão medida com uso do multímetro.2422 0.058564 W P4. .242*5 1.Circuito em Paralelo Foi feita a medição de tensão e corrente para cada resistor de um circuito em paralelo. na função Voltímetro: V= 4.21W Experimento 2 .

34=4. Corrente medida com o uso do multímetro.34A Para um circuito em paralelo tem-se a variação da corrente.7kΩ = 1.7∗1.98V V =14.8 kΩ A resistência equivalente de um circuito em paralelo é dado pela seguinte fórmula: 1 1 1 1 = + + …+ Req R 1 R 2 Rn Sendo assim tem-se a resistência equivalente.7kΩ= 4. sendo aceitável dentro das margens de erro.86=4.V =1∗4. sendo diferente para cada resistor. Calculamos também a Potência Elétrica em cada resistor.7 kΩ R15kΩ= 14. Resistência medida com o uso do multímetro.21%.06=4. na função Ohmímetro: R1kΩ= 1 kΩ R4.61% a 2.06A i 15kΩ = 0. na função Amperímetro: i 1kΩ = 4. acarretando em uma porcentagem de diferença entre -2.99 V Nota-se uma diferença pouco significativa na variação das tensões.78kΩ.8∗0. resultando em: Req=0.86A i 4. a partir da formula .86 V V =4.

342 1. resultando em 30.062 5.P=R i 2 P1kΩ= 1* 4.89 V (paralelo) .28W P15kΩ= 14.71 W A potência total do circuito é dada pela soma de todas as potências calculadas acima.6W.087 V (série) V4.34) *5 31.Circuito Misto Foi feita a medição de tensão e corrente para cada resistor do circuito misto obtendo os resultados a seguir: Tensão medida com uso do multímetro. na função Voltímetro: V1kΩ= 1.61 W P4. A potência da fonte é dada por: P=i E Resultando em: P= (4.06+0.862 23.86+ 1. Experimento 3 .7kΩ= 4.3W.8 *0.7 *1.7kΩ e V15kΩ= 3.

09A i 4.8 kΩ Então foi medida a resistência equivalente da parte do circuito em paralelo. Quando é calculada a resistência da parte do circuito em paralelo.8302 3.262 A Para o circuito em paralelo a tensão medida é a mesma em cada resistor.90 V V =15∗0. na função Ohmímetro: R1kΩ= 1 kΩ R4. sendo aceitável dentro das margens de erro. Resistência medida com o uso do multímetro. o circuito misto se torna um circuito em série. 7kΩ= 4. na função Amperímetro: i 1kΩ = 1.7kΩ = 0. V =4.56 kΩ.56 = 4. Para conferir o valor da tensão podemos utilizar a equação: V =Ri .8 *0.7 kΩ R15kΩ= 14.262=3.830=3.7kΩ= 4.2622 . 7kΩ e R15kΩ.Corrente medida com o uso do multímetro. e sua resistência equivalente é calculada: Req= 1 + 3.7∗0.56 kΩ Calculou-se também a Potência Elétrica em cada resistor. utilizando R4.24 W P15kΩ= 14.93 V Nota-se uma diferença pouco significativa na variação das tensões.7 *0.830 A i 15kΩ = 0. para a parte do circuito em paralelo a partir da formula: P=R i 2 P4. resultando em Req= 3.

para isso calculou também P1kΩ: P1kΩ= 1* 1. A resistência equivalente da associação em série é sempre maior que qualquer uma das resistências da associação. Conclusão Nas associações em série a corrente que passa em cada resistor é sempre igual. e na ligação em paralelo a resistência equivalente é sempre menor que qualquer uma das resistências da associação. .092 1.02 W Assim. o circuito se torna de associação em série e calcula-se novamente a Potência Elétrica. resultando em 5.19 W A potência total do circuito é dada pela soma de todas as potências calculadas acima. 5. Quanto aos erros de medida das grandezas calculadas. se deve ao fato de prováveis erros de medição devido a possíveis imprecisões nos aparelhos utilizados.45 W.1.