You are on page 1of 93

GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 9

Teses Doutorais de Titulados pela Faculdade de Medicina da Bahia, de 1840 a 1928

Doctoral Theses at the School of Medicine, Federal University of Bahia, 1840-1928


Nevolanda Sampaio Meirelles1, Francisca da Cunha Santos1, Vilma Lima Nonato de Oliveira1,
Laudenor P. Lemos-Junior1, José Tavares-Neto1
Faculdade de Medicina da Bahia (FAMEB) da Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Foram levantadas as 2.502 Teses Doutorais, do período de 1840 a 1928, dos médicos graduados e
titulados pela Faculdade de Medicina da Bahia (FAMEB), após a Reforma do Ensino da Medicina de
1832. No Brasil, apenas após aquela reforma as duas Faculdades de Medicina, então existentes
(Bahia e Rio de Janeiro), graduaram médicos e não mais cirrurgiões-formados, inclusive com a
possibilidade da titulação como Doutor em Medicina caso defendesse Tese Doutoral. Desse modo,
e com a maior divulgação do acervo da FAMEB, espera-se ampliar as fontes de pesquisa sobre a
história do alvorecer dos princípios científicos aplicados no ensino médico brasileiro.
Palavras-chaves: Teses doutorais, doutor em Medicina, Faculdade de Medicina da Bahia, UFBA.

A total of 2,502 doctoral theses, elaborated during the period 1840-1928 by doctors who had
graduated and received their diplomas from the School of Medicine, Federal University of
Bahia (FAMED) following the Reform of Medical Teaching in 1832, were selected for this
study. It was only following this reform that the two schools of medicine in existence in Brazil
at that time (in Bahia and Rio de Janeiro) began to award degrees in medicine instead of
degrees as “qualified surgeons”. This reform also included the possibility of awarding the title
of Doctor in Medicine if the candidate defended a doctoral thesis. By increasing public awareness
of the collection of work that has emanated from FAMED, the objective of this study is to
improve the sources of research on the history of the dawn of the scientific principles applied to
the teaching of medicine in Brazil.
Key Words: Doctoral theses, Doctor in Medicine, Bahia School of Medicine, UFBA.

O levantamento das Teses (ou Theses) Doutorais Até a Reforma do Ensino Superior do Primeiro
de graduados pela Faculdade de Medicina da Bahia Período Republicano10, o médico recebia também o
(FAMEB) e com o título de Doutor em Medicina foi título de Doutor em Medicina caso defendesse These
iniciado pela bibliotecária Zilda Cerqueira Brito, à época Doutoral, no último ano do curso de Medicina, ou,
funcionária do Memorial da Medicina, a partir da do contrário, era considerado apenas bacharel em
sistematização dos trabalhos pela bibliotecária e Medicina. Antes da Reforma do Ensino Médico de
documentalista Profa. Maria José Rabello de Freitas. 1832, da Regência Trina Permanente2, e que também
Recebido em 16/08/2004 Aceito em 17/09/2004 ampliou o curso de Medicina para 6 anos, o Colégio
Endereço para correspondência: Dr. Prof. José Tavares-Neto. Médico-cirúrgico da Bahia graduava “cirurgiões
Faculdade de Medicina da Bahia da Universidade Federal da formados” e não médicos. A diplomação de “médico
Bahia. Largo do Terreiro de Jesus (Pelourinho), 40025-010 formado” era reservada àqueles graduados em
Salvador, Bahia, Brasil. E-mail: tavaneto@ufba.br
Fontes de financiamento: PET-Medicina, CNPq, FAPESB. Faculdade de Medicina de Portugal ou de outros
países europeus4, sendo reservado o título de Doutor
Gazeta Médica da Bahia 2004;74(1):Jan-Jun:9-101. em Medicina ao diplomado que defendesse a These
© 2004 Gazeta Médica da Bahia (ISSN 0016-545X). Doutoral, escrita na língua portuguesa ou latina4.
Todos os direitos reservados.
10 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

O título de “Doutor” foi primariamente outorgado e Almeida, a Congregação da FAMEB reclamou ao


aos filósofos (Doctores sapientiae) e depois aos Ministro do Império sobre a lentidão para a implantação
advogados e juristas (respectivamente, Doctor legum das medidas determinadas pela Lei de 1832, da
e Doctor és Loix), pelo jus respondendi, ou mais Regência Trina Permanente2. Talvez também por isso,
genericamente de Doctor utruisque juris8. só a partir de 1840 foi crescente o número de Theses
Aquela reforma de 1832 também alterou a Doutorais defendidas (ou sustentadas), e assim foi na
denominação de Colégio Médico-cirúrgico da Bahia Bahia até 1928, quando passou a vigorar a Reforma
para Faculdade de Medicina da Bahia (FAMEB)2, Rocha Vaz pelo Decreto de 19253 e, provavelmente,
tradição esta retomada a partir da reunião da nas outras Escolas Médicas fundadas posteriormente
Congregação da FAMEB de novembro de 2003. ao curso da Bahia (em 18 de fevereiro de 1808), e
À época do I e II Reinados, ainda prevalecia no existentes no Brasil até antes da Revolução de 30:
ensino superior brasileiro o “gosto acentuado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro (atual
palavra”, mas que “limita as possibilidades de Faculdade de Medicina da Universidade Federal do
concretização das idéias” e essas características, segundo Rio de Janeiro), Faculdade de Medicina e Farmácia
Ribeiro10, nortearam o seguinte comentário do Prof. Luiz de Porto Alegre (atual Faculdade de Medicina da
Agassiz “Nenhum país tem mais oradores nem melhores Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Escola
programas; a prática, entretanto, é o que falta de Medicina e Cirurgia (FEFIEG), Faculdade de
completamente”10. Portanto, essa outra mazela do Medicina do Paraná (UFPR), Faculdade de Medicina
ensino brasileiro não é nova e até nos dias atuais, como da Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina
bem descrevem as Diretrizes Curriculares do MEC de de Minas Gerais (UFMG), Faculdade de Medicina
2002, há necessidade de valorização da inserção precoce do Pará (UFPA), Faculdade de Medicina de
dos estudantes de Medicina em atividades práticas e Pernambuco (UFPE) e Faculdade de Medicina de
evitando o vezo do ensino enciclopédico, também dos Niterói (UFF)12, essa última fundada em 1926 e com
tempos do Brasil Império, ou de fazer transformação a primeira turma em curso por ocasião da Reforma
curricular, supondo-a de boa qualidade, pelo acréscimo Rocha Vaz3.
de mais disciplinas ou conteúdos. Naquele modelo de Do período de 99 anos (1840-1928) já foram
ensino médico, reinante no século XIX, e que catalogadas 2.502 Teses Doutorais (excluindo aquelas
desprestigiava o saber científico, teve como única em duplicata), mas, por certo, muitas foram perdidas
exceção10 o ensino praticado na Faculdade de Medicina ou extraviadas ao longo do tempo e outras ainda não
da Bahia entre 1891 a 1905, sobretudo pela influencia localizadas. Uma perda lastimável é a These Doutoral
do Prof. Raymundo Nina Rodrigues10, graduado e do Prof. Alfredo Thomé de Britto, um dos mais
doutorado na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro eminentes Diretores da FAMEB, de 1901 a 1908,
e, depois, um dos mais eminentes docentes e responsável pela grande reforma do ensino e da
pesquisadores da Faculdade de Medicina da Bahia9. estrutura física da FAMEB e o introdutor no Brasil do
Após a reforma de 18322, a primeira These radiadiagnóstico9 11. Por isso, se logo não for realizado
Doutoral da Faculdade de Medicina da Bahia foi o restauro, aliado à digitalização desses documentos,
defendida em 1836, por Dr. Manuel Ezequiel de outras perdas serão prováveis, sendo urgente a
Almeida, com o título Asfixia por submersão no obtenção de recursos, de agências de fomento ou de
afogamento, mas desse precioso documento não se empresas particulares, para a reprodução e a
tem notícia, exceto pelo registro do título de Doutor e divulgação desse rico acervo da Medicina brasileira,
na Ata da Congregação da FAMEB daquele ano. o qual foi esquecido e alvo de muitas omissões nas
Coerentemente, do interstício de 1832 a 1840 há últimas três décadas13.
poucas informações sobre as Theses Doutorais. Em Na atual FAMEB, de duas até 16 Theses Doutorais
1839, sendo Diretor o Prof. Francisco de Paula Araújo (1840 - 1928) foram encadernadas no mesmo volume,
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 11

as quais, nas citações seguintes, estão distribuídas pelo localização do lavabo e outras dependências correlatas.
ano da titulação de cada Doutor e para cada referência Felizmente, a estudante gaúcha, de São Pedro do Rio
são citados: número seqüencial (cit. n°), nome do autor, Grande (RS), Rita Lobato Velho Lopes, quando
título da Tese, e a referência na Faculdade de Medicina chegou à Bahia, trasferida da Faculdade de Medicina
da Bahia (FAMEB), seguido do código localizador. do Rio Janeiro, para continuar o curso de Medicina, já
As Theses Doutorais daquele período, já levantadas e encontrou algum conforto e muita curiosidade quanto à
registradas, são 2.502, mas ainda não se sabe qual o sua pessoa. A quebra desse tabu mereceu notícias nos
número exato de Theses defendidas nesses 99 anos. diários populares da cidade do Salvador e inflamadas
Em 1902, por exemplo, há 70 Theses catologadas e o discussões no meio intelectual e até nos encontros sociais
número de matriculados no 6° ano daquele ano e de da pequena aristrocracia baiana. Mas, Rita Lobato
diplomados foi, respectivamente, 36 e 15, sobre os Velho Lopes, demonstrando enorme tenacidade para
quais coincidem duas fontes - Livros de registros da uma jovem mulher daqueles tempos e longe da sua terra
FAMEB e as Memórias do Cinquentenário dos natal, seguiu adiante e concluiu o curso de Medicina em
Doutores em Medicina de 190214. Portanto, é provável 1887 e no mesmo ano foi Doutorada em Medicina “com
que concluintes de outros anos pudessem defender ou distinção”, deixando a seguinte dedicatória a “bico-de-
sustentar a These Doutoral após a conclusão do curso pena” na sua These Doutoral: “Ao distincto Lente Dr.
médico, mas isso ainda carece de outra investigação. Antonio Pacifico Pereira e á sua Exma. Familia
Desse total de 2.502, só 15 (sendo 14 recuperadas) offerece Rita Lobato”.
ou 0,6% das Theses Doutorais foram defendidas por Posteriormente, considerando a catalogação até
mulheres, sendo, portanto, as Doutoras pioneiras do 1928, as 14 médicas que defenderam o título de Doutor
Brasil. A primeira, em 10 de dezembro de 1887, foi a em Medicina, foram (ano da titulação, cit. n°): Anna
da Dra. Rita Lobato Velho Lopes, com a These Machado Marinho Falcão (1890, cit. n° 1025),
Doutoral denominada PARALELOS ENTRE OS Ephigenia Veiga (1890, cit. n° 1036), Glafira
MÉTODOS PRECONIZADOS NA OPERAÇÃO Corina de Araújo (1892, cit. n° 1115), Francisca
CESARIANA (1887, cit. n° 892). Ou seja, só 79 anos Barretto Praguer (1893, cit. n° 1147), Laura
após sua fundação a Faculdade de Medicina da Bahia Amalia de Souza Bahiense (1898, cit. n° 1269),
diplomou e doutorou a primeira médica, em decorrência Maria Odilia Teixeira (1909, cit. n° 1739),
da autorização expressa no Artigo 24 do Decreto do Agricola Guerra (1913, cit. n° 1860), Isaura Leitão
Império n° 7.247 de 19 de abril de 1879, que concedia de Carvalho (1916, cit. n° 2015), Nise Magalhães
às mulheres o direito de inscrição nos cursos de da Silveira (1926, cit. n° 2359), Cacilda Vieira dos
Medicina de Salvador (Bahia) e do Rio de Janeiro, os Reis (1927, cit. n° 2386), Itala Silva de Oliveira
únicos existentes no Brasil àquela época. Também, no (1927, cit. n° 2399), Maria Barbosa Gomes (1928,
mesmo Decreto ficou determinado que as estudantes cit. n° 2476) e Maria de Carvalho Fontes (1928,
tivessem assentos reservados nas salas de aula e cit. n° 2477). A These Doutoral de Amélia Pedrosa
laboratórios. Além dos ditames culturais e costumes Benebaim, graduada e diplomada em 1890, foi
daquela época, na organização escolar brasileira do provavelmente extraviada e só há o registro do título:
Brasil-colônia e até da República Velha sempre CLINICA CIRÚRGICA. DISPOSIÇÕES -
prevaleceu o conceito machista que a educação ANOMALIAS DO CORDÃO UMBILICAL. SUA
feminina “restringia-se a boas maneiras e prendas INFLUENCIA SOBRE A GRAVIDEZ E O PARTO.
domésticas”10. Daí porque, após a promulgação do Entre essas pioneiras, a Dra. Nise Magalhães da
Decreto n° 7.247 de 1879, foram acaloradas as Silveira (1926, cit. n° 2359) contribuiu, decisivamente,
discussões, na Congregação da FAMEB, sobre a na formulação da moderna Psiquiatria, com o
hipótese de admissão de alguma estudante e os seus desenvolvimento de novas estratégias de tratamento e
aspectos práticos, a exemplo de como e onde seria a também no pioneirisno da luta anti-nosocomial6.
12 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

Da lista acima, não faz parte a primeira Professora Chagas. Outras Theses evidenciam o lado poético da vida
da FAMEB1, a Dra. Carmem Mesquita, porque foi ou as preocupações humanísticas dos jovens Doutores,
graduada em 1930, sendo a primeira aluna laureada de como o Dr. Hypólito Gomes Ferreira de Azevedo ao
uma turma de Medicina, pelo seu desempenho escolar, defender a PSICOPATOLOGIA DO OLHAR (1921, cit.
com a Medalha Professor Alfredo Thomé de Britto. n° 2130), ou o Dr. Alcides Lopes de Siqueira (1927,
Mesmo não sendo objeto desse levantamento a análise cit. n° 2374) ao estudar O AMOR COMO DIRIMENTE
dos conteúdos das Theses Doutorais, os quais ainda PENAL.
carecem de muitos estudos, inclusive de natureza Já o descobridor, em 1909, das diferenças entre o
antropológica, etnográfica e/ou histórica, são nítidas as Schistosoma mansoni e o S. haematobium7, Dr.
preocupações mais holísticas dos médicos de antanho. Manuel Augusto Pirajá da Silva defendeu em 1896
Nos dias atuais, pode parecer folclórico o título da These a These Doutoral (cit. n° 1215) sobre a
de 1903 (cit. n° 1459) do Dr. João Sabino de Lima CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DE UMA
Pinho Filho, O ESPARTILHO E A MULHER, mas, MOLESTIA QUE ULTIMAMENTE AQUI TEM
àquela época, esse adereço feminino era causa de múltiplos REINADO COM OS CARACTERES DA
transtornos à saúde da mulher vivendo no trópico. Em MENIGITE CEREBRO-ESPINHAL-EPIDEMICA.
1915, sobre tema agora avaliado como de maior Deixando de lado qualquer outra análise ou
cientificidade, o Dr. Augusto de Araujo Aragão Bulcão curiosidade sobre o conteúdo das Theses Doutorais,
(cit. n° 1988) defendeu a These Doutoral sobre a defendidas na primeira Escola Médica do Brasil, cabe
MOLESTIA DE CARLOS CHAGAS, isso seis anos após ao leitor, agora, fazer o “seu passeio histórico” em
a publicação original de Chagas5, quando ainda persistia quase 100 anos da Medicina brasileira e esperamos,
a infamante campanha de descrédito das descobertas de proximamente, outra publicação com o término do
um dos principais pesquisadores brasileiros, o Prof. Carlos levantamento do acervo bibliográfico da FAMEB.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 13

Theses Doutorais por Ano

1840 1846

1. Ignácio Moreira do Passo. A SYPHILIS E 11. José Rodrigues Nunes Filho. ALGUMAS
UMA ENFERMIDADE CONTAGIOSA E CONSIDERAÇÕES SOBRE O HOMEM
ESPECIFICA. FAMEB: 0002-B. SPECIALMENTE SUAS RELAÇÕES
ENTRE O PHYSICO E MORAL. FAMEB:
1841 0012-A.

2. Felippe Martins de Sá Vieira. PROPOSIÇÕES 1847


SOBRE DIVERSOS RAMOS DA
SCIENCIA MEDICA. FAMEB: 0004-B. 12. Demetrio Cyriaco Tourinho. DO
3. José Lucas da Silva Dias. CONSIDERAÇÕES ANTAGONISMO ENTRE AS FEBRES
GERAES SOBRE AS MOLESTIAS PALUDOSOS E A PHTHYSICA
HEREDITARIAS. FAMEB: 0003-A. PULMONAR. FAMEB: 0013-A.
13. Ludgero Rodrigues Ferreira. PROPOSIÇÕES
1843 SOBRE DIVERSOS RAMOS DAS
SCIENCIAS. FAMEB: 0014-B.
4. Thomas Didacus Leopoldus Castagneto. DE
SCIENTIS MEDICIS NONNULLAE 1849
PROPOSITIONES. FAMEB: 0005.
14. Rozendo Aprigio Pereira Guimarães. MEDICO
1844 – PHILOSOPHICAS. FAMEB: 0015-A.

5. Gaudêncio de Araújo Sá. SEM TÍTULO. 1850


FAMEB: 0006-A.
6. JoãoFlorindoRibeirodeBulhões.AUSCULTAÇÃO, 15. Emygdius Josephus Barbosa. PROPO-
E PERCUSSÃO. FAMEB: 0008-C. SITIONES DE MEDICINA CIRURGICA.
7. Joaquim José de Oliveira. OS RUIDOS FAMEB: 0017-B.
NORMAES E PATHOLOGICOS DO 16. Francisco José da Costa e Abreo. A FEBRE
CORAÇÃOEDASARTERIAS.FAMEB:0007-B. AMARELLA OU EPIDEMIA REINANTE
8. Lucio Casimiro D’Oliveira Bahia. SEM EM 1849 E 1850. FAMEB: 0017-B.
TITULO. FAMEB: 0009-D. 17. Henrique Alvares dos Santos. A
9. Pedro de Athaide Lobo Moscoso. ALGUMAS EPIDEMIA QUE REINOU DE 1949 A
PROPOSIÇÕES SOBRE FERIDAS DE 1850 NA CIDADE DA BAHIA. FAMEB:
ARMAS DE FOGO. FAMEB: 0010-E. 0017-B.
18. Ignacio Firmo Xavier. REFLEXÕES SOBRE
1845 O MEDICO. FAMEB: 0016-A.
19. Nicolao Cobentino de Gouvêa Portugal.
10. Polycarpo Cesario de Barros. AS BREVES CONSIDERAÇÕES GERAES
PROPOSIÇÕES SOBRE A INFLUENCIA DA SOBRE AS SYMPATHIAS ORGANICAS.
MUSICA NA MEDICINA. FAMEB: 0011-A. FAMEB: 0019-D.
14 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

20. Severino José da Rocha Pitta. BREVES 31. José Maximo do Espírito Santo. O SYSTEMA
REFLEXÕES SOBRE AS MOLESTIAS NERVOSO. FAMEB: 0025-A.
HEREDITARIAS. FAMEB: 0018-C. 32. Manoel Alvares Moreira Villaboim. AS
VANTAGENS QUE DAS VIAGENS
1851 MARITIMAS PODE TIRAR A MEDICINA.
FAMEB: 0032.
21. Fiel José de Carvalho e Oliveira. BREVES 33. Manoel José de Freitas. BREVES
CONSIDERAÇÕES, À CERCA DAS CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
PROPRIEDADES ANESTHESICAS DO POLICIA MEDICA NA CIDADE DA
ETHER E DO CHLOROFORMIO. BAHIA. FAMEB: 0033-I.
FAMEB: SR. 34. Pedro Manoel Alvares Moreira Villaboim.
22. Francisco Tavares da Cunha Mello. AS VANTAGENS QUE DAS VIAGENS
ALGUMAS CONSIDERAÇÕES PSYCHO- MARITIMAS PODE TIRAR A
PHYSIOLOGICAS À CERCA DO MEDICINA NO CURATIVO DE
HOMEM. FAMEB: 0020-A. ALGUMAS MOLESTIAS E
23. João Pinheiro de Lemos. BREVES PRINCIPALMENTE NA PHTHISICA
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO PULMONAR. FAMEB: 0032-H.
CELIBATO PROFESSADO PELAS 35. Thomé Affonso Paraiso de Moura. ALGUMAS
MULHERES. FAMEB: 0022-C. CONSIDERAÇÕES ACERCA DOS
24. José Muniz Cordeiro Gitahy. DA MEDICINA HOSPITAES. FAMEB: 0030-F.
E DO CRISTIANISMO E SUAS
RELAÇÕES ENTRE SI. FAMEB: 0023-C. 1853
25. José Paes de Sousa. PROPOSIÇÕES. AS
LESÕES QUE RECLAMÃO A 36. Amancio da Silva Vianna. REVE
EXTIRPAÇÃO DO UTERO. FAMEB: CONSIDERAÇÕES SOBRE OS
0024-D. CALCULOS OU DAS CONCREÇÕES
INORGANICAS. FAMEB: 039.
1852 37. Antonio Agripino Xavier de Britto.
PROPOSIÇÕES ACERCA DO
26. Americo Brazilio de Souza. BREVES INFANTICIDIO. FAMEB: 0044-J.
CONSIDERAÇÕES SOBRE O 38. Antonio Dias Coelho. ALGUMAS
ECLECTISMO EM MEDICINA. FAMEB: PROPOSIÇÕES SOBRE
0034-J. TEMPERAMENTOS. FAMEB: 0041 G.
27. Aprigio Ramos Proença. ENSAIO DE 39. Aprigio Amancio Gonsalves. BREVES
ESTATISTICA MEDICA DA CIDADE DE REFLEXÕES SOBRE O EMPIRISMO.
S. SALVADOR. FAMEB: 0028-D. FAMEB: 0040.
28. Joaquim Joze Velloso. ALGUMAS 40. Augusto José Ferrari. THESE SOBRE A
CONSIDERAÇÕES SOBRE A MOLESTIA MISSÃO QUE PRESENTEMENTE CABE
ESCROPHULOSA. FAMEB: 0026-B. AOS MEDICOS NA PROVINCIA DA
29. Joaquim Marcellino de Britto Junior. A BAHIA. FAMEB: 037.
HYPOCHONDRIA. FAMEB: 0031-G. 41. Constantino Teixeira Machado. ALGUMAS
30. Joaquim Pedro Corrêa de Freitas. ALGUMAS PROPOSIÇÕES SOBRE OS ALIMENTOS,
MOLESTIAS MAIS FREQUENTES NA QUE DEVERÃO SER SUSTENTADAS.
PROVINCIA DO PARÁ. FAMEB: 027-C. FAMEB: 035.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 15

42. Joaquim José de Araújo Junior. 1854


PROPOSIÇÕES SOBRE LARYNGITE.
FAMEB: 0040-F. 55. Joaquim Ignacio de Aragão Bulcão. BREVE
43. José Antonio de Freitas Junior. HISTORIA DA CHINICA, E UTILIDADE
PROPOSIÇÕES SOBRE A INFLUENCIA QUE PRESTA A PHYSIOLOGIA E A
NO ESTADO SOCIAL NA PRODUCÇÃO PATHOLOGIA. FAMEB: 0046.
DAS MOLESTIAS. FAMEB: SR.
44. José Freire Maia Bittencourt. PROPOSIÇÕES 1855
DAS CADEIRAS. FAMEB: 0045-I.
45. Manoel Bernardino Bolívar. BREVES 56. Francisco Mendes de Amorim. QUAL O
CONSIDERAÇÕES CONSERNENTES DIAGNOSTICO, PROGNOSTICO E
À LEI DA PRANXA, - OU DA CHIBATA TRATAMENTO DAS FRACTURAS?
PERANTE A MEDICINA. FAMEB: FAMEB: 0047-A.
0035-A. 57. Francisco Petronilho Alves de Oliveira.
46. Manoel Martins Alves. BREVES ACCESSORIAS, SCIENCIAS MEDICAS,
REFLEXÕES SOBRE A PHILOSOPHIA SCIENCIAS CIRURGICAS. FAMEB:
MORAL DO MEDICO. FAMEB: 0046-M. 0047-A.
47. Manuel Joaquim Rodrigues de Macedo. A 58. Francisco Pinto da Cunha Castro.
HEMOPTYSIS. FAMEB: 036. SCIENCIAS CIRURGICAS. FAMEB:
48. Marinonio de Freitas Britto. A 0047-A.
LIBERTINAGEM E SEOS PERIGOS 59. Ignacio Alcibiades Velloso. SCIENCIAS
RELATIVAMENTE AO PHYSICO E MEDICAS. FAMEB: 0047-A.
MORAL DO HOMEM. FAMEB: 0036-B. 60. Ignacio José da Cunha. SE CONFORME A
49. Nuno Freire Maia Bittencourt. DIVISÃO DOS ALLIMENTOS PELO
ALGUMAS PROPOSIÇÕES SOBRE PROFESSOR LIEBIG EM ALLIMENTOS
A H E R E D I TA R I E D A D E DAS PLASTICOS E EM ALLIMENTOS
MOLESTIAS. FAMEB: 0043-I. RESPIRATORIOS, ESTES DE PER SI SÓS
50. Polycarpo Antonio Araponga do Amaral. ALLIMENTARÃO QUALQUER ANIMAL
BREVES DESCRIPÇÃO DO ESTADO E MESMO O HOMEM? FAMEB: 0047-A
ACTUAL DOS PRINCIPAES HOSPITAES 61. Joanne Petro A Cunha Valle. JUDICIUM
D’ESTA CIDADE. FAMEB: 0037-C. DIFFICILE. FAMEB: 0047-B.
51. Sinfronio Cesar Coutinho, (de Nazareth). 62. Joaquim Telesphoro Ferreira Lopes Vianna.
ALGUMAS PROPOSIÇÕES SOBRE A BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE O
FEBRE AMARELLA. FAMEB: 0042-H. ALEITAMENTO. FAMEB: 0047-G.
52. Sulpicio Geminiano Barroso. BREVES
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO 1856
ONANISMO OU MASTURBAÇÃO.
FAMEB: 0038-D. 63. Alexandre José de Barros Bittencourt. DO
53. Symphronio Olympio Alvares Coelho. CONTAGIO DA INFECÇÃO, E SUA
PROPOSIÇÕES SOBRE MEDICINA EM DIFFERENÇA. FAMEB: 0048.
GERAL. FAMEB: 0039-E. 64. Antonio da Cruz Cordeiro.
54. Thomaz de Aquino Gaspar. DA CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE A
ESSENCIALIDADE D’ASTHMA. FAMEB: ANEURISMA E SUAS DIVISÕES. FAMEB:
0029-E. 0048.
16 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

65. Augusto Cezar de Sampaio Vianna. 75. Feliciano Antonio da Rocha. QUAL O
SECÇÃO MÉDICA, SECÇÃO DIAGNOSTICO DIFFERENCIAL DA
CIRURGICA, SECÇÃO ACCESSORIA. CARIE E DA NECROSE, SUAS
FAMEB: 0048. CAUSAS E O PROGNOSTICO. FAMEB:
66. Daniel Frederico Júlio da Silva. O QUE SE 0049.
DEVERÁ ENTENDER POR MOLESTIA? 76. José Ignácio de Barros Pimentel. ACÇÃO
FAMEB: 0048. DOS EFFLUVIOS PANTANOSOS.
67. Francisco Bernardino Fiúza. O QUE SE DEVE FAMEB: 0049.
ENTENDER POR ABORTO EM NOSSO 77. José Joaquim Gonçalves. HERANÇA.
DIREITO CRIMINAL? FAMEB: 0048. FAMEB: 0049.
68. Francisco da Silva Moraes. QUAL A CAUSA 78. José Luiz D´Almeida Couto. QUAL A
DA FREQUENCIA DE ASCITES NA ORIGEM DOS VERMES QUE SE
BAHIA ? FAMEB: 0048. ENCONTRÃO NOS INTESTINOS DOS
69. Francisco José Teixeira. PROPOSIÇÕES RECEM NASCIDOS? FAMEB: 0049.
SOBRE O PONTO DE SCIENCIA 79. Luiz José da Costa. ACÇÃO
ACCESSORIAS. FAMEB: 0048. PHYSIOLOGICA E THERAPEUTICA DO
70. Galdino de Carvalho e Andrade. QUE ÓPIO. FAMEB: 0049.
SOCORRO PRESTA A PHYSICA À 80. Manoel Enedino do Rego Valença.
MEDICINA? FAMEB: 0048. UTILIDADE DOS SYSTEMAS EM
71. João Antonio Saraiva. A OPERAÇÃO MEDICINA. FAMEB: 0049.
CEZARIANA DEVE SER, OU NÃO 81. Manoel João dos Reis. SCIENCIAS
BANIDA DOS RECURSOS D’ARTE? MEDICAS – CONVALESCENÇA. FAMEB:
FAMEB: 0048. 0049.
72. José Augusto Barbosa D´Oliveira. NAS 82. Pedro Ribeiro de Araújo. COMO SE
LESÕES TRAUMATICAS, AS PODE EXPLICAR HOJE A
AMPUTAÇÕES DEVEM SER PRODUCÇÃO DA DIABETES?
PRATICADAS ENTES DO TERMINAÇÕES DAS INFLAMAÇÕES.
DESENVOLVIMENTO DOS QUAL A RESPONSABILIDADE
PHENOMENOS DE REAÇÃO OU DEPOIS MÉDICA? FAMEB: 0049.
QUE TIVEREM CESSADOS. FAMEB: 83. Socrates de Carvalho Moreira Guimarães.
0048. HYGIENE DENTARIA. FAMEB: 0049.
73. Luiz Victor homem de Carvalho. QUAES AS
ENFERMIDADES EM QUE DEVE-SE 1858
APPLICAR E COM PROVEITO E
HYDROTHERAPIA A SYPHILISAÇÃO 84. Aristides Cezar Spínola Zama. SCIENCIAS
PRESERVARÁ DAS MOLESTIAS MEDICAS – BEBIDAS AROMATICAS.
SYPHILITICAS? FAMEB: 0048. FAMEB: 0050.
85. Augusto Calmon de Siqueira. DESCRIPÇÃO,
1857 ACÇÃO PHYSIOLOGICA E
THERAPEUTICA DE NECOTINA
74. Emiliano de Olinda Cardozo. INFLUENCIA TABACUM. FAMEB: 0050.
DA CIVILISAÇÃO SOBRE O 86. Aurelio Diniz Gonsalves. QUAL O MELHOR
DESENVOLVIMENTO DAS AFFECÇÕES MEIO DE CURA NA PHTYHISICA
NERVOSAS. FAMEB: 0049. PULMONAR. FAMEB: 0050.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 17

87. Ernestino Onofre do Valle. BRONCHITE 99. João Francisco Regis. APRECIAÇÃO DOS
CAPILAR. FAMEB: 0050. MEIOS OPERATORIOS EMPREGADOS
88. Felix Moreno Brandão. APRECIAÇÃO NA CURA DOS ANEURISMAS.
DOS MEIOS OPERATORIOS FAMEB: 052.
EMPREGADOS NA CURA DOS 100. Joaquim Augusto Muniz Barreto. REGRAS
POLYPOS DOS ORGÃOS SEXUAES DA PRATICAS ACERCA DA ANESTHESIA
MULHER. FAMEB: 050-B. NA THERAPEUTICA CIRURGICA.
89. Francisco Júlio de Freitas e Alburquerque. A FAMEB: 052.
MONOMANIA. FAMEB: 0050. 101. José Dias de Andrade. APRECIAÇÃO DOS
90. Gustavo Adôlfo de Sá. DISSERTAÇÃO MEIOS OPERATORIOS EMPREGADOS,
SOBRE SAUDE. FAMEB: 0050. NA CURA DOS POLYPOS DOS ORGÃOS
91. Ildefonso A. de Azevedo. A APRECIAÇÃO SEXUAES DA MULHER. FAMEB: 052.
DOS MEIOS OPERATORIOS 102. José Ferraz de Oliveira. TRATAMENTO DA
EMPREGADOS NA CURA DOS POLYPOS HYDROCELE. FAMEB: 052.
DOS ORGÃO SEXUAES DA MULHER. 103. José Justiniano de Moura Costa.
FAMEB: 0050. APRECIAÇÃO DOS MEIOS
92. Manoel Francisco Teixeira. DA MEDICAÇÃO OPERATORIOS EMPREGADOS NA
HYDROTHERAPICA. FAMEB: 0050. CURA DOS POLYPOS DOS ORGÃOS
93. Manoel Nunes Affonso de Britto. REGRAS GENITAES DA MULHER. FAMEB: 052.
PRATICAS SOBRE O EMPREGO DA 104. Livinio de Bastos Varella. A SUBSTANCIA
ANESTHESIA NA THERAPEUTICA ASSUCARADA DA GENCOSURIA EM
CIRURGICA. FAMEB: 0050. QUE CONSISTE? O QUE HE? E EM QUE
PROPORÇÕES RELATIVAMENTE SE
1859 ACHA NO SANGUE? FAMEB: 052.
105. Manoel da Silva Romão. TARTARO
94. Alfredo da Rocha Bastos. QUAL O EMETICO, EMPREGO, EFFEITOS
TRATAMENTO QUE MELHOR CONVEM PHYSIOLOGICOS E THERAPEUTICOS.
NAS MOLESTIAS SYPHILITICAS FAMEB: 052.
TERCIARIAS? FAMEB: 052. 106. Vicente Ignacio Pereira. DAS AFFECÇÕES DO
95. Álvaro Moreira Sampaio. EM QUE CORAÇÃO E PULMÃO RELATIVAMENTE
CONSISTE O VITALISMO E SEUS RUIDOS. FAMEB: 052.
HIPPOCRATICO? FAMEB: 052. 107. Virgilio Climaco Damazio. EMPREGO
96. Augusto Pedro de Alcântara. APREAÇÃO THERAPEUTICO DA ELECTRICIDADE E
DOS METHODOS OPERATORIOS NA DO GALVANISMO. FAMEB: 0051.
CURA DOS ANEURYSMAS.
TRATAMENTO DO HYDROCELE. 1860
FAMEB: 052.
97. Domingos Carlos da Silva. OS MEIOS 108. José Ribeiro do Val. ABORTO.
CIRURGICOS EMPREGADOS NO QUEIMADURAS. HERANÇA. FAMEB:
TRATAMENTO DO CANCRO DO SEIO. 0053.
FAMEB: 052. 109. Manoel Cardoso da Costa Lobo. TARTARO
98. Francisco Jacintho Pereira da Motta. EMETICO, EMPREGO, EFFEITOS
DEFINIÇÃO DA PALAVRA MOLESTIA. PHYSIOLOGICOS E THERAPEUTICOS.
FAMEB: 052. FAMEB: 0053.
18 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1861 120. Eufrosino Pantaleão Francisco Nery. A


CHOLERA-MORBUS SERÁ PROVENIENTE
110. Gustavo Baldoino de Moura e Câmara. DE UM ENVENENAMENTO MIASMATICO?
SOBRE AS CAUSAS E A NATUREZA FAMEB: 0055.
DA PHTHISICA PULMONAR. FAMEB: 121. Fabio Augusto Bayma. CONSIDERAÇÕES
054-A. GERAES ACERCA DA HISTORIA,
111. José Antonio da Silva Serva. QUAL A CAUZAS E CLASSIFICAÇÃO DAS
NATURESA E CAUSAS DA PHTHISICA HYDROPESIAS. FAMEB: 0055.
PULMONAR? FAMEB: 054-A 122. João Teixeira Palha. AS FRACTURAS DO
112. José Antonio Lopes. HYDROPESIAS. HUMERO E SEU TRACTAMENTO.
FAMEB: 054-A. FAMEB: 0055.
113. José Bernardino de Sousa Leão. DA 123. Torquato Augusto Pereira Rego. ECLAMPSIA
CONVENIENCIA OU DESCONVENIENCIA DURANTE A PRENHEZ E SEO
DA SANGRIA NAS PNEUMONIAS. TRATAMENTO. FAMEB: 0055.
FAMEB: 054-A.
1865
1862
124. Augusto José da Silva Reis. HYPERTROPHIA
114. Cornélio José Fernandes. A ESCUTAÇÃO DO BAÇO E SEUS RESULTADOS PARA
FARÁ PRECISAMENTE CONHECER A AS DIVERSAS FUNCÇÕES DA
EXISTENCIA D’UMA PRENHEZ A ECONOMIA. FAMEB: 0056-A.
APRESENTAÇÃO E A POSIÇÃO DO 125. Francisco de Lima Nobre. QUAL O MODO
FETO? FAMEB: 0054. DE OBRAR DAS PREPARAÇÕES
115. P e d r o Ribeiro da Tr i n d a d e . FERRUGINOSAS, NO TRATAMENTO DA
CONTRIBUIÇÕES CHINICA DOS CHLOROSE E ANEMIA? FAMEB: 0056-A
SAES – ANESTHESICOS – FUNÇÕES 126. Francisco José de Mattos. FERIDAS
INTELLECTUAES. FAMEB: 0054. PENETRANTES DAS ARTICULAÇÕES,
SEU DIAGNOSTICO E TRATAMENTO.
1863 FAMEB: 0056-A.
127. Francisco Sidronio Bandeira Chagas. VICIOS
116. Platão José Alves Rigand. MORTE DE CONFORMAÇÃO DA BACIA E SUAS
APARENTE DO RECEM-NASCIDO, INDICAÇÕES. FAMEB: 0056.
SUAS CAUSAS E TRATAMENTO. 128. Germano Rodrigues Vaz Junior. CORAÇÃO NO
FAMEB: 0055. SEU ESTADO NORMAL, EXPLICAÇÃO
117. Antonio Augusto Guimarães Junior. QUAL DOS SEUS RUIDOS E A VERDADEIRA
A CAUSA DO PARTO NATURAL E DE THEORIA DO RYTHMO. FAMEB: 0056-A.
TERMO? FAMEB: 0055. 129. Militão Barbosa Lisboa. CONTUSÕES E
118. Carlos José de Souza Nobre. ACÇÃO FERIDAS CONTUSAS. FAMEB: 0056-A.
PHYSIOLOGICA E THERAPEUTICA DO 130. Possidonio de Mello Coitinho. HAVERÁ
IODO. FAMEB: 0055. ALGUMA RELAÇÃO DE CAUSALIDADE
119. Dormevil José dos Santos Machado. ENTRE A EXISTENCIA REGULAR DA
HEMORRAGIA UTERINA DURANTE O MENSTRUAÇÃO DURANTE O
TRABALHO DO PARTO, E SEO ALEITAMENTO E O RACHITISMO DOS
TRATAMENTO. FAMEB: 0055. MENINOS? FAMEB: 0056-A.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 19

131. Ramiro Affonso Monteiro. QUAES OS 144. Socrates D’Araujo Bittencourt.


ELEMENTOS QUE CONSTITUEM O GANGRENAS. FAMEB: 0057.
DIAGNOSTICO? FAMEB: 0056-A.
1869
1867
145. Antonio Augusto Barbosa d´Oliveira. DO
132. Jaime Pombo Bricio. CONTAGIO – EMPREGO DA SANGRIA NA
PATHOLOGIA GERAL. FAMEB: 0055-B. CONGESTÃO E APOPLEXIA DO
CEREBRO. FAMEB: 0059.
1868 146. Antonio Rodrigues Cajado. ASPHYXIA DOS
RECEM – NASCIDOS. FAMEB: 0058.
133. Aristides Americo de Magalhães. É 147. Arsenio de Souza Marques. ACÇÃO
POSSIVEL A CURA RADICAL DAS PHISIOLOGICA E THERAPEUTICA DO
HERNIAS? FAMEB: 0057. CAFÉ E DO CHÁ. FAMEB: 0059.
134. Aristides Felinto de Alpedriz. DA 148. Augusto Freire Maia Bittencourt. ASTHMA.
THÓRÁCENTESE E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 0058.
FAMEB: 0057-A. 149. Deocleciano da Costa Dorea. INFECÇÃO
135. Claudemiro Augusto de Moraes Caldas. AS PURULENTA. FAMEB: 0058.
RAÇAS HUMANAS PROVIERAM D’UMA 150. Eugenio Guimarães Rebello. AS RAÇAS
SÓ ORIGEM? FAMEB: 0057. HUMANAS DESCENDEM DE UMA SÓ
136. Dionizio José dos Santos. HEMORRHAGIA ORIGEM? FAMEB: 0059.
PUEPERAL E SEU TRATAMENTO. 151. Florentino Telles de Menezes. TRATAMENTO
FAMEB: 0057. DA ANGINA DIPHTHERICA. FAMEB:
137. Elpidio Joaquim Baraúna. HYGIENE DA 0059.
MULHER EM ESTADO DE GRAVIDEZ. 152. Francisco Ribeiro Lopes Guimarães.
FAMEB: 0057. ULCERAÇÃO, ULCERAS SIMPLES E
138. Francisco Borges de Barros. INFLUENCIA SUAS COMPLICAÇÕES. FAMEB: 0059.
DO CELIBATO SOBRE A SAUDE DO 153. Fruchuoso Pinto da Silva. HYGIENE DOS
HOMEM. FAMEB: 0058. COLLEGIOS. FAMEB: 0059.
139. Francisco dos Santos Pereira. 154. Gaspar Carvalho da Cunha. CAUSAS DA
ANEURYSMAS ESPONTANEOS E SEU FEBRE TYPHICA E SUA NATUREZA.
TRATAMENTO. FAMEB: 0057. FAMEB: 0058.
140. Francisco dos Santos Silva. NO 155. Gentil Pedreira. DAS INDICAÇÕES E
TRATAMENTO DA HYDROCELE A CONTRA-INDICAÇÕES DA
INJECÇÃO DE TINCTURA D’IODO DEVE URETHROTOMIA INTERNA. FAMEB: 0059.
SER PREFERIDA A INJECÇÃO VINOSA. 156. João Chaves Ribeiro. ERYSIPELA
FAMEB: 0057. CONSIDERADA EM GERAL. FAMEB:
141. Joaquim Manoel D´Almeida Vieira. 0059.
QUEIMADURAS. FAMEB: 0057. 157. João da Rocha Moreira. FISTULA
142. Joaquim Manoel Rodrigues Lima. LACRYMAL E SEU TRATAMENTO.
AFFECÇÕES CARBUNCULOSAS. FAMEB: 0059.
FAMEB: 0057. 158. João José de Faria. FRACTURAS DO
143. Raymundo Caetano da Cunha. FERIDAS POR COLLO DO FEMUR E SEU
ARMAS DE GUERRA. FAMEB: 0057. TRATAMENTO. FAMEB: 0058.
20 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

159. João José de Faria. FRACTURAS DO 172. Antonio Pedro da Silva Castro. HYGIENE DA
COLLON DO FEMUR E SEU MULHER NO ESTADO DA GRAVIDEZ.
TRATAMENTO. FAMEB: 0058. FAMEB: 0060.
160. Joaquim Januário dos Santos Pereira. 173. Archimimo José Correia. CONSIDAREÇÕES
HEMORRHAGIA PUERPERAL E SEO CIRURGICAS SOBRE A REGIÃO
TRATAMENTO. FAMEB: 0059. AXILLAR. FAMEB: 0060.
161. José Duarte Ferreira Junior. CHLOROSE – 174. Arthur Cezar Rios. HEMORRHAGIAS
HISTORIA E CLASSIFICAÇÃO. FAMEB: TRAUMATICAS. FAMEB: 0062.
0058. 175. Augusto José de Lemos. QUAL É O
162. José Moreira Coelho Junior. AS TRATAMENTO MAIS PROVEITOSO
PERTURBAÇÕES FUNCIONAES QUE PARA A TISICA PULMONAR? FAMEB:
SE MANIFESTÃO DURANTE A 0061.
PRENHEZ DEPENDERÃO DE UM 176. Deocleciano Pires Teixeira. ASTHMA.
ESTADO CHLORO-ANEMICO OU DE FAMEB: 0062.
UMA VERDADEIRA PECTHORA? 177. Elpídio Rodrigues Seixas. QUAL O MELHOR
FAMEB: 0058. TRATAMENTO DA FEBRE AMARELLA?
163. José Paulo Antunes. DA HYDROTHERAPIA FAMEB: 0062.
NO TRATAMENTO DAS MOLESTIAS 178. Ernesto Eustaquio de Figueredo. DO
NERVOSAS. FAMEB: 0058. EMPREGO DA SANGRIA NA
164. José Porfirio de Mello e Mattos. PUSTULA CONGESTÃO E APOPLEXIA DO
MALIGNA E SEU TRATAMENTO. CEREBRO. FAMEB: 0061.
FAMEB: 0059. 179. Ernesto Hermelino Ribeiro. HEMORRHAGIA
165. Ludovico Correia de Oliveira. PUERPERAL E SEU TRATAMENTO.
TRATAMENTO DOS KYSTOS DO FAMEB: 0062.
OVARIO. FAMEB: 0059. 180. Ernesto Melchiades da Silva Pinto.
166. Luiz Ferencio de Carvalhal. FERIDAS POR NATUREZA E CAUSA DA FEBRE
ARMAS DE FOGO. FAMEB: 0058. TYPHICA. FAMEB: 0062.
167. Manoel Joachim de Goes Tourinho. VICIOS 181. Francisco Borges da Silva. ACCIDENTES
DE CONFORMAÇÃO DA BACIA E SEU PRODUZIDOS PELO RAIO. FAMEB: 0062.
TRACTAMENTO. FAMEB: 0059. 182. Francisco Lino Soares de Andrade.
168. Paulino Pires da Costa Chastinet. FRACTURA DO TIBIA E SEO
QUEIMADURAS. FAMEB: 0058. TRATAMENTO. FAMEB: 0060.
183. Francisco Rodrigues Cardoso. LESÕES
1870 INTESTINAES E SEU TRATAMENTO.
FAMEB: 0060.
169. Alvaro Bruno Cavalcanti de Britto. HYGIENE 184. Frederico Augusto da Silva Lisboa. HYGIENE
DA MULHER NO ESTADO DA DA MULHER EM ESTADO DE
GRAVIDEZ. FAMEB: 0060. GRAVIDEZ. FAMEB: 0061.
170. Amancio João Cardoso de Andrade. QUAL 185. Geraldo Francisco da Cunha. FRACTURAS
A NEVROLOGIA DA LINGUA? QUAL A DO TIBIA E SEU TRATAMENTO. FAMEB:
FUNÇÃO DE CADA NERVO? SERÃO 0061.
TODOS SOLIDÁRIOS? FAMEB: 0060. 186. Henrique Ferreira Santos.
171. Antonio Garcia Rosa. CLOROSE – CONSIDERAÇÕES CIRURGICAS SOBRE
HISTORIA E SYNTOMAS. FAMEB: 0062. A REGIÃO AUXILIAR. FAMEB: 0062.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 21

187. Isidoro Antonio Nery. FEBRE. FAMEB: 200. Manoel Ignacio de Vasconcelos. QUE
0061. INFLUENCIA EXERCEM SOBRE A VIDA
188. João Cancio Nunes de Mattos. INFLUENCIA DO FETO DURANTE O TRABALHO DO
DA SYPHILIS SOBRE A MARCHA DA PARTO AS APRESENTAÇÕES E
PRENHEZ. FAMEB: 0061. POSIÇÕES. FAMEB: 0062.
189. João Chrystomo da Matta Barcellar. 201. Manuel Botelho Carneiro de Mattos Guerra.
TRACTAMENTO -A HERNIA ACCLIMAÇÃO. FAMEB: 0061.
ESTRANYULADA. FAMEB: 0060. 202. Mauricio Bernardo Francisco de Souza.
190. João Florencio Gomes. QUAL A HEMORRHAGIA TRAUMATICA. FAMEB:
MEDICAÇÃO MAIS PROVEITOSA E 0062.
CONFORME À NATUREZA DA FEBRE 203. Nicolau Alves Pitombo. ERYSIPELA
TYPHICA. FAMEB: 0061. CONSIDERADA EM GERAL. FAMEB:
191. João Gualberto Ferreira Santos Reis. 0062.
VICIOS DE CONFORMAÇÃO DA 204. Philo-Creão (Ambrosio). INDICAÇÕES E
BACIA E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: CONTRA INDICAÇÕES DA
0062. URETHROTOMIA INTERNA. FAMEB:
192. João Sabrino Vieira. AS PERTURBAÇÕES 0062.
FUNCIONAES QUE SE MANIFESTÃO 205. Satyro de Oliveira Dias. DO EMPREGO DA
DURANTE A PRENHEZ DEPENDERÃO SANGRIA NA CONGESTÃO CEREBRAL
DE UM ESTADO CLORO-AMENICO OU E NA APOPLEXIA. FAMEB: 0061.
DE UMA VERDADEIRA PLETHORA? 206. Saulo Theotonio Marques. INFLUENCIA DO
FAMEB: 0062. CELIBATO SOBRE A SAUDE DO
193. João Telles de Menezes. QUEIMADURAS. HOMEM. FAMEB: 0061.
FAMEB: 0061. 207. Simphronio Olympio dos Santos Lima.
194. Joaquim Pereira da Silva Continentino. DO AFFECÇÕES CARBUNCULOSAS NO
EMPREGO DA SANGRIA NA HOMEM. FAMEB: 0061.
CONGESTÃO CEREBRAL. FAMEB: 208. Tibério Lopes de Almeida. QUAL É O
0060. MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE
195. José Mariano Barroso. FRACTURS DO AMARELLA? FAMEB: 0060.
COLLO DO FEMUR E SEU 209. Tito de Lima Valverde. FERIDAS
TRATAMENTO. FAMEB: 0060. ENVENENADAS. FAMEB: 0062.
196. José Theodorio de Souza Santos. 210. Virgilio Pires de Carvalho Albuquerque.
FRACTURAS DO RADINS E SEU HYGIENE MILITAR EM CAMPANHA.
TRATAMENTO. FAMEB: 0061. FAMEB: 0060.
197. Joveniano Reginaldo Alvim. QUAL O
MELHOR TRATAMENTO DA PHTISICA 1871
PULMONAR? FAMEB: 0060.
198. Ladislau José de Carvalho e Araújo. 211. Adolpho José Vianna. CIRRHOSE DO
INFLUENCIA DO CELIBATO SOBRE A FIGADO. FAMEB: 0065.
SAUDE DO HOMEM. FAMEB: 0060. 212. Affonso Arthur Cissneiro de Albuquerque.
199. Launel Pires de Carvalho. ASPHYXIA DOS CIRRHOSE DO FIGADO. FAMEB: 0067-E.
RECEM-NASCIDOS, SUAS CAUSAS, 213. Alfredo Pompilio da Silva Gonçalves.
FORMA, DIAGNOSTICO E TRATAMENTO. REUMATISMO ARTICULAR AGUDO.
FAMEB: 0060. FAMEB: 0066.
22 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

214. Amancio Alves d´Oliveira Azedo. 228. Diogo Salles de Menezes. MOLESTIA DE
MECANISMO DOS DIFFERENTES BRIGHT. FAMEB: 0063.
MOVIMENTOS QUE EXECUTA A 229. Euclides Alves Ferreira da Rocha.
CABEÇA DO FETO DURANTE O PARTO E GEYCOSURIA. FAMEB: 0064-B
SUAS E SUAS CAUSAS. FAMEB: 0067-E. 230. Eutyrhio Soledade. FEBRE AMARELLA.
215. Antonio Bonifacio de Souza Brandão. FAMEB: 0065.
GLYCOSURIA. FAMEB: 0067-E. 231. Evaristo de Souza Marques. SÉDE DAS
216. Antonio de Azevedo Monteiro. MOLESTIAS. FAMEB: 0066.
HEMORRHAGIA PUERPERAL E SEU 232. Francisco Dias Cezar. QUEIMADURAS.
TRATAMENTO. FAMEB: 0063. FAMEB: 0067-E.
217. Antonio José de Souza Gouveia Filho. 233. Francisco Gomes de Andrade Lima. FEBRE
REUMATISMO AGUDO. FAMEB: 0066. AMARELLA. FAMEB: 0066.
218. Antonio Martins Torres. TETANOS 234. Francisco Rodrigues Guimarães. PUSTULA
TRAUMATICO E SEU TRATAMENTO. MALIGNA E SEU TRATAMENTO.
FAMEB: 0065. FAMEB: 0066.
219. Antonio Monteiro Alves. FEBRE 235. Galdino Cicero de Magalhães. SYMTOMAS
AMARELLA. FAMEB: 0067-E. FORNECIDOS PELA RESPIRAÇÃO.
220. Augusto de Souza Marques. QUE FAMEB: 0066.
INFLUENCIA EXERCEM SOBRE A VIDA 236. Idelfonso Theodoro Martins. TETANOS
DO FETO DURANTE O TRABALHO DE TRAUMATICO E SEU TRATAMENTO.
PARTO AS APRESENTAÇÕES E FAMEB: 0063.
POSIÇÕES. FAMEB: 0066. 237. João Climaco de Araújo. GRANGRENAS
221. Bernardo Tolentino Cysneiro da Costa Reis. INDIRECTAS. FAMEB: 0067-E.
CANCRO DO ESTOMAGO. FAMEB: 238. João Pedro Freire Monteiro. PROLAPSO DO
FAMEB: 0064-B. UTERO DURANTE O PARTO E SUAS
222. Caetano Agrepiano de Faria Castro. ASPHIXIA INDICAÇÕES. FAMEB: 0063.
DOS RECEM-NASCIDOS, SUAS CAUSAS, 239. Joaquim Cardoso de Mello Reis. CANCRO
FORMAS, DIAGNOSTICO E DO ESTOMAGO. FAMEB: 0064-B.
TRATAMENTO. FAMEB: 0067-E. 240. Joaquim da Motta Silva. REUMATISMO
223. Candido Querino Bastos. INDICAÇÕES E ARTICULAR AGUDO. FAMEB: 0065/0067-E.
CONTRA-INDICAÇÕESDAURETHROTOMIA 241. Joaquim Lopes dos Reis. AS
INTERNA. FAMEB: 0067-E. PERTURBAÇÕES, FUNCCIONAES QUE
224. Casimiro Francisco Borges. QUEIMADURAS. SE MANIFESTÃO DURANTE A PRENHEZ
FAMEB: 0067-E. DEPENDERÃO DE UM ESTADO CLORO-
225. Clementina Ribeiro de Novaes. QUAL O ANEMICO OU DE UMA VERDADEIRA
MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE PLETHORA? FAMEB: 0064-B.
AMARELLA? FAMEB: 0063. 242. José Alves de Mello. MOLESTIA DE
226. Cyro da Silveira Bastos Varella. PROLAPSO BRIGHT. FAMEB: 0063.
DO UTERO DURANTE O PARTO E SUAS 243. José Dias de Almeida Pires. HEMORRHAGIA
INDICAÇÕES. FAMEB: 0065. PUERPERAL E SEO TRATAMENTO.
227. Demetrio Manuel da Silva. ASPHYXIA DOS FAMEB: 0064-B.
RECEM-NASCIDOS, SUAS CAUSAS, 244. José Gonçalves do Passo. HEMORRHAGIA
FORMAS, DIAGNOSTICO E PUERPERAL E SEU TRATAMENTO.
TRATAMENTO. FAMEB: 0065. FAMEB: 0063.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 23

245. José Leoncio de Medeiros. PROLAPSO DO 258. Candido Alves Machado de Freitas. O
UTERO DURANTE O PARTO E SUAS MELHOR TRATAMENTO DA ANGINA
INDICAÇÕES. FAMEB: 0063. DIPHTHERICA? FAMEB: 0069.
246. José Leoncio de Medeiros. PROLAPSO DO 259. Cyrillino Pinto de Almeida e Castro. LESÕES
UTERO DURANTE O PARTO E SUAS VALVULARES DO CORAÇÃO. FAMEB:
INDICAÇÕES. FAMEB: 0063. 0069.
247. Manoel José de Carvalho. FRACTURAS DO 260. Eduardo José de Araújo. HEMORRHAGIA
COLLO DO FEMUR E SEU PUERPERAL E SEU TRATAMENTO.
TRATAMENTO. FAMEB: 0067-E. FAMEB: 0070.
248. Miguel Pinheiro Requião. VICIOS DE 261. Francisco de Paula Alvellos. PUSTULA
CONFORMAÇÃO DA BACIA E SUAS MALIGNA E SEU TRATAMENTO.
INDICAÇÕES. FAMEB: 0064-B. FAMEB: 0070.
249. Pedro Borges Leitão. GLYCOSURIA. 262. Francisco Júlio de Oliveira Pereira. FEBRES
FAMEB: 0066. PALUSTRES. FAMEB: 0068.
250. Pedro Ribeiro D´Almeida Santos. PUSTULA 263. Francisco Lazaro Tourinho. HEMORRHAGIA
MALIGNA E SEO TRATAMENTO. PUERPERAL E SEO TRATAMENTO.
FAMEB: 0065. FAMEB: 0068.
251. Plinio de Sousa Ribeiro. FERIDAS POR 264. João Damazio José. UREMIA E SEO
ARMAS DE FOGO. FAMEB: 0064-B. TRATAMENTO. FAMEB: 0069.
252. Rodrigo Antonio Barbosa de Oliveira. 265. João das Chagas Rosa. DIAGNOSTICO
TUBERCULOSE PULMONAR. FAMEB: 0063. DIFERENCIAL ENTRE O CANCRO DO
ESTOMAGO, A ULCERA REDONDA E O
1872 CATARHO CHONICO DO MESMO
ORGÃO. FAMEB: 0068.
253. Agostinho Dias Lima Filho. QUE JUIZO SE 266. Joaquim Onofre Pereira da Silva. AFECÇÕES
DEVE FAZER DAS INJECÇÕES NO CARBRUNCULOSAS NO HOMEM.
CURATIVO DOS HYDROCELES? FAMEB: FAMEB: 0068.
0068. 267. José Cardoso de Moura Brasil.
254. Antonio Amancio Pereira de Carvalho. TRATAMENTO CIRURGICO DA
HEMORRHAGIA PUERPERAL E SEU CATARATA. FAMEB: 0070.
TRATAMENTO. FAMEB: 0069. 268. Manoel Barbosa da Silva. TUBERCULOSE
255. Antonio Braulio Ferreira. UREMIA E SEU PULMONAR. FAMEB: 0068.
TRATAMENTO. FAMEB: 0069. 269. Manoel José de Araújo. THEORIA DOS
256. Aureliano Macrino Pires Caldas. RUIDOS DO CORAÇÃO. FAMEB: 0070.
TRATAMENTO CIRURGICO DA 270. Manoel Leite de Novaes Mello. FRACTURAS
CATARACTA. FAMEB: 0070. DO RADINS E SEU TRATAMENTO.
257. Bernardo Gomes Coitinho. INDICAÇÕES E FAMEB: 0068.
CONTRE INDICAÇÕES DOS 271. Paulino Gil da Costa Brandão. INFLUENCIA
DIFFERENTES METHODOS DA TALHA E DA SYPHILIS SOBRE A MARCHA DA
DA LITHOTRICIA, QUAL DAS DUAS PRENHEZ. FAMEB: 0070.
OPERAÇÕES DEVE EM GERAL 272. Rodrigo Aprigio de Carvalhal. LESÕES DE
MERECER A PREFERENCIA, E QUE CICATRIZES – DEFINIÇÃO, LIMITES,
VANTAGENS OFFERECE SOBRE ELLAS DESCRIPÇÃO E CLASSIFICAÇÃO.
A LITHOTRICIA PERINEAL. FAMEB: 0069. FAMEB: 0069.
24 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

273. Salustiano José Pedrosa. HISTOLOGIA DOS 285. João José de Souza Menezes Junior.
RINS E SUA PATHOLOGIA. FAMEB: 0068. INFLUENCIA DOS MIASMAS
PALUSTRES SOBRE A SAUDE DO
1873 HOMEM. FAMEB: 0073.
286. José Antonio Ribeiro de Araújo.
274. Alfredo Caria. ALTERAÇÕES DAS QUEIMADURAS. FAMEB: 0074.
SECREÇÕES CUTANEAS NAS 287. José Lopes da Silva Junior. FERIDAS PO
MOLESTIAS. FAMEB: 0072. ARMAS DE FOGO. FAMEB: 0071.
275. Antonio Hermenegildo de Castro. REGIMEN 288. José Maria Velho da Silva Junior.
DIETETICO NAS MOLESTIAS AGUDAS QUEIMADURAS. FAMEB: 0071.
E CHRONICAS. FAMEB: 0072. 289. Júlio Cezar de Castro Jesus. FEBRE
276. Antonio Joaquim de Barros Sobrinho. QUAL REMITTENTE DAS REGIÕES
O MELHOR TRATAMENTO DA ANGINA TROPICAES. FAMEB: 0072.
DIPHTHERICA? FAMEB: 0074. 290. Lino Romualdo Teixeira. CASOS EM QUE
277. Antonio Rodrigues Teixeira. DYSTOCIA SE DEVE PROVOCAR O ABORTO.
PROVENIENTE DO FETO E SUAS FAMEB: 0071.
INDICAÇÕES. FAMEB: 0071. 291. Macario Gomes de Cerqueira.
278. C o n s t a n c i o C a r l o s d e S o u z a U z e l . HEMORRHAGIA UTERINA DURANTE O
O B S TA C U L O S AO PA RTO DELIVRAMENTO E SUAS INDICAÇÕES.
PROVENIENTE DO COLLO DO FAMEB: 0072.
UTERO E SUAS INDICAÇÕES. 292. Manoel Ludgero d´Oliveira Campos. EM QUE
FAMEB: 0071. CONSISTEM OS TEMPERAMENTOS? É
279. Estanisláo Emilio de Britto. FERIDAS POR POSSIVEL MODIFICAL-OS,
ARMAS DE FOGO. FAMEB: 0074. TRANSFORMAL-OS E DESTRUIL-OS?
280. Francisco Alexandre Guedes Chagaz. QUAES OS MEIOS HYGIENICOS?
OBSTACULOS AO PARTO FAMEB: 0072.
PROVENIENTES DO COLLO DO UTERO, 293. Manuel Dantas. DO EMPREGO DAS
E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 0072. EMISSÕES SANGUINEAS NA
281. Francisco de Paula Oliveira Guimarães. DO PNEUMONIA. FAMEB: 0072.
EMPREGO DAS PREPARAÇÕES 294. Pedro Augusto Borges. OBSTACULOS AO
MERCURIAES NA CLINICA DAS PARTO PROVENIENTES DO COLLO
MOLESTIAS SYPHILITICAS. FAMEB: DO UTERO E SUAS INDICAÇÕES.
0072. FAMEB: 0074.
282. Francisco Moniz Ferrão de Aragão. 295. Pedro Ribeiro Moreira. PYOHEMIA E
CONSIDERAÇÕES SOBRE A ETIOLOGIA SEPTICEMIA. FAMEB: 0073.
E O TRACTAMENTO DA MOLESTIA DE 296. Pedro Severiano de Magalhães. SYMPTOMAS
ADDISON. FAMEB: 0074. FORNECIDOS PELOS ORGÃOS DA
283. Gabriel Gomes de Brito. FRACTURA DO CIRCULAÇÃO. FAMEB: 0073.
RADIUS E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 297. Raulino Francisco Oliveira Junior.
0074. INDICAÇÕES E PROCESSOS
284. João Alves Borges. HEMORRHAGIA OPERATORIOS NO PARTO PREMATURO
UTERINA DURANTE O ARTIFICIAL. FAMEB: 0073.
DELIVRAMENTO E SUAS INDICAÇÕES. 298. Raymundo de Arêa Leão. FEBRE REMITTENTE
FAMEB: 0074. DAS REGIÕES TROPICAES. FAMEB: 0073.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 25

299. Saturnino Thomaz de Aquino. INDICAÇÃO DA 311. Antonio Monteiro de Carvalho Júnior.
OPERAÇÃO DO CANCRO. FAMEB: 0074. HEMORRHAGIA UTERINA DURANTE O
300. Tito Rodrigues Vaz. TUBERCULOSE DELIVRAMENTO E SUAS INDICAÇÕES.
MILIAR AGUDA. FAMEB: 0071. FAMEB: 0075.
301. Trajano Borges d’Abreu Marques. TETANOS 312. Aristides Guedes Cabral. ANATOMIA
TRAUMATICOS E SEU TRATAMENTO. DESCRIPTIVA DO APPARELHO
FAMEB: 0073. GENITAL DO HOMEM. FAMEB: 0075.
313. Arthur Carvalho da Costa. FEBRE
1874 REMITTENTE DAS REGIÕES TROPICAES.
FAMEB: FAMEB: 0077.
302. Abdon Baptista. VANTAGENS E 314. Ascendino Angelo dos Reis. DIAGNOSTICO
DESVANTAGENS DOS PROCESSOS DE DIFFERENCIAL DAS MOLESTIAS DO
AMPUTAÇÃO EM RELAÇÃO AO CORAÇÃO. FAMEB: FAMEB: 0079.
CURATIVO E ACCIDENTES 315. Aurelio Benigno Castilho. CALOR ANIMAL.
CONSECUTIVOS. FAMEB: 0078. FAMEB: FAMEB: 0077.
303. Agrippino Ribeiro Pontes. HISTOLOGIA 316. Clarindo Adolpho de Oliveira Chaves.
DOS RINS E SUAS ALTERAÇÕES HEMORRHAGIA TRAUMATICA. FAMEB:
MORBIDAS NA ALBUMINURIA E NA 0077.
MOLESTIA DE BRIGHT. FAMEB: 0076. 317. Eulalio de Lelles Piedade. DAS
304. Alexandre de Abreu Fialho. FEBRE OBSERVAÇÕES THERMOMETRICAS NA
REMITTENTE DAS REGIÕES PHTHISICA PULMONAR. FAMEB: 0076.
TROPICAES. FAMEB: 0077. 318. João Carlos Balthascar da Silveira.
305. Alexandre Freire Maia Bittencourt Sobrinho. INFLUENCIA DOS CLIMAS SOBRE A
HEMORRHAGIA UTERINA DURANTE O INTELLIGENCIA HUMANA. FAMEB: 0076.
DELIVRAMENTO E SUAS INDICAÇÕES. 319. João Ladislau de Cerqueira Bião. DAS
FAMEB: 0075. INDICAÇÕES E CONTRA-INDICAÇÕES DA
306. Amáncio Joaquim Pereira Caldas. URETHROTOMIA INTERNA. FAMEB: 0078.
ESPASMOS TRAUMATICOS E TETANOS. 320. Josué Egpdio Calmon. DA
FAMEB: 0075. CEPHALOTRIPSIA E SUAS INDICAÇÕES.
307. Antonio Augusto de Figueiredo Pitta. FAMEB: 0075.
OBSERVAÇÕES THERMOMETRICAS NA 321. Laurentino Argio de Azambuja. BREVES
PHTHYSICA PULMONAR. FAMEB: 0076. CONSIDERAÇÕES SOBRE AS FEBRES
308. Antonio Joaquim da Silva. CHOLERA – PERNICIOSAS. FAMEB: 0078.
MORBO – RESUMO HISTORICO E SUA 322. Luiz José de Lemos Gonzaga. HEMORRHAGIA
ETIOLOGIA. FAMEB: 0076. UTERINA DURANTE O DELIVRAMENTO,
309. Antonio José D´Araujo. HEMORRHAGIA E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 0077.
UTERINA DURANTE O 323. Manoel Gonçalves Theodoro. HEMATURIA
DELIVRAMENTO. FAMEB: 0078. ENDEMICA DOS PAIZES QUENTES.
310. Antônio José Pereira da Silva Araujo Junior. HÁ FAMEB: 0076.
PROCESSO OU PROCESSOS DE 324. Manoel José Ribeiro da Cunha. CALOR
CURATIVO APÓS AS OPERAÇÕES, QUE ANIMAL. FAMEB: 0077.
SEJAM CAPAZES DE EVITAR A INFECÇÃO 325. Manuel Pereira de Mesquita Junior. INDICAÇÕES
PURULENTA E A SEPTICEMIA? FAMEB: E PROCESSOS OPERATORIOS DO PARTO
0078. PREMATURO ARTIFICIAL. FAMEB: 0077.
26 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

326. Rannualdo Martins Alves. ANATOMIA 339. João Coriolano Annibal Ladisláo.
DESCRIPTIVA APPARELHO GENITAL ALTERAÇÕES DAS URINAS NAS
DA MULHER. FAMEB: 0078. MOLESTIAS AGUDAS. FAMEB: 0086.
327. Valentim Antonio da Rocha Bittencourt. 340. João Goulart Lopes de Macedo.
EMPREGO DAS EMISSÕES SANGUINEAS HEMORRHAGIA UTERINA DURANTE O
NA PNEUMONIA. FAMEB: 0075. DELIVRAMENTO E SUAS INDICAÇÕES.
328. Virgilio Tavares de Oliveira. HISTOLOGIA FAMEB: 0085.
DOS RINS E SUAS ALTERAÇÕES 341. João José Gadinho. DIAGNOSTICO
MORBIDAS NA ALBUMINURIA E NA DIFERENCIAL DAS MOLESTIAS D’O
MOLESTIA DE BRIGHT. FAMEB: 0076. CORAÇÃO. FAMEB: 0086.
342. João Marcellino da Silva Carneiro.
1875 OBSTACULOS AO PARTO
PROVENIENTES DO COLLO DO UTERO
329. Antonio Francisco de Sequeira. E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 0083.
ULCERAÇÃO E DIVISÃO DAS 343. Joaquim da Silva Gomes. QUAL O MELHOR
ULCERAS. FAMEB: 0082. TRATAMENTO DA FEBRE AMARELLA?
330. Antonio Francisco de Serqueira. FAMEB: 0086.
ULCERAÇÃO E DIVISÃO DAS 344. Joaquim Leal Ferreira Junior. DOS
ULCERAS. FAMEB: 0082. DIVERSOS METHODOS DE CURATIVO
331. Antonio José Pacheco Junior. DIAGNOSTICO NAS FERIDAS POR ESMAGAMENTO.
E TRATAMENTO DA HERNIA FAMEB: 0080.
ESTRANGULADA. FAMEB: 0081. 345. José Agnello Leite de Mello. QUAL O
332. Antonio Rodrigues Lima. HAVERÁ MELHOR TRATAMENTO DA HYPOEMIA
SEMELHANÇA OU IDENTIDADE ENTRE INTERTROPICAL. FAMEB: 0083.
A SEPTICEMIA, INFECÇÃO 346. José Joaquim Ribeiro dos Santos. DYSTOCIA
PURULENTA E FEBRE PUERPERAL? PROVENIENTE DO FETO E SUAS
FAMEB: 0085. INDICAÇÕES. FAMEB: 0081.
333. Antonio Spínola de Athayde. CALOR 347. Júlio Gonçalves Furtado. ULCERAÇÃO E
ANIMAL. FAMEB: 0085. DIVISÃO DE ULCERAS. 0084.
334. Domingos Velloso Guimarães. CASOS EM 348. Leovigildo Honorio de Carvalho.
QUE SE DEVE PROVOCAR O ABORTO. INDICAÇÕES E PROCESSOS
FAMEB: 0084. OPERATÓRIOS DO PARTO PREMATURO
335. Durval Mendes de Queiroz. DIAGNOSTICO ARTIFICIAL. FAMEB: 0080.
E TRATAMENTO DAS HERNIAS 349. Luiz Anselmo da Fonseca. QUAES AS
ESTRANGULADAS. FAMEB: 0084. PROPRIEDADES PHYSICAS, A ACÇÃO
336. Ernesto Alvaro Pereira de Miranda. PHYSIOLOGICA E OS EFFEITOS
HISTOLOGIA DO BAÇO E SUAS THERAPEUTICOS DO
ALTERAÇÕES MORBIDAS. FAMEB: 0083. CHLOROFORMIO? FAMEB: 0084.
337. Felix Alvares dos Santos Souza. PUSTULA 350. Manoel Maria Tourinho. INFECÇÃO
MALIGNA E SEU TRATAMENTO. PURULENTA SYNONIMIA, DEFINIÇÃO
FAMEB: 0082. E HISTORIA. FAMEB: 0081.
338. Florencio Ferreira de Azevedo. PUSTULA 351. Manuel Bernardino da Costa Rodrigues.
MALIGNA E SEU TRATAMENTO. FUNCÇÕES DO PNEUMO-GASTRICO.
FAMEB: 0081. FAMEB: 0082.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 27

352. Manuel Ronaldsa de C. Brandão. THEORIA 366. José ügnacio êa Costae. VALOR DE ALGUNS
DOS RUIDOS DO CORAÇÃO. FAMEB: PHENOMENOS CONGESTIVOS NA
0084. DOTHIENENTHERIA. FAMEB: 0088
353. Menandro dos Reis Meirelles. DAS 367. Juvenal de Oliveira Andrade. OPHTALMIA
PUNCÇÕES NAS HERNIAS PURULENTA COMMUM DOS ADULTOS.
ESTRANGULADAS. FAMEB: 0083. FAMEB: 0087.
354. Pedro Julio Barbuda. QUAL O MELHOR 368. Manoel Carlos Devoto. SIGNAES
TRATAMENTO DAS FEBRES DIAGNOSTICOS FORNECIDOS PELO
PERNICIOSAS? FAMEB: 0085. EXAME DAS OURINAS. FAMEB: 0088.
355. Thiago José Correia. DA INFECÇÃO 369. Manuel Afonso Cardoso. QUAL O MELHOR
PURULENTA. FAMEB: 0080. TRATAMENTO DA FEBRE TYPHOIDE?
356. Trajano Joaquim dos Reis. DYSTOCIA FAMEB: 0087.
PROVENIENTE DO FETO E SUAS 370. Pedro Moniz Barreto d’Aragão Junior.
INDICAÇÕES. FAMEB: 0082. FERIDAS DAS ARTICULAÇÕES E SEU
TRATAMENTO. FAMEB: 0087.
1876
1877
357. Alfredo Paulo de Freitas. DA
IMPORTANCIA DA AUSCULTAÇÃO NO 371. Adalardo Zeno Ribeiro da Silva. QUAL O
DIAGNOSTICO DA PRENHEZ. FAMEB: MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE
0089. TYPHOYDÉA. FAMEB: 0093.
358. Antonio Gonçalves Ramos. ACCIDENTES 372. Alberto Francisco do Espirito Santo.
NERVOSOS DO ALCOHOLISMO. ECLAMPSIA CONSIDERAÇÕES
FAMEB: 0089. GERAES. FAMEB: 0095.
359. Aureliano Teixeira Garcia. CATARACTA E 373. Alexandre Evangelista de Castro Cerqueira.
SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0089. SIGNAES DIAGNOSTICOS FORNECIDOS
360. Benjamin Guedes de Mello. QUAL O PELO EXAME DAS URINAS. FAMEB: 0094.
MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE 374. Alfredo Casemiro da Rocha. DO
TYPHOIDÉA? FAMEB: 0089. DIAGNOSTICO E TRATAMENTO DO
361. Diógenes José Teixeira. QUAL O MELHOR BERIBERI. FAMEB: 0091.
TRATAMENTO DA FEBRE AMARELLA? 375. Antonio Evangelista de Castro Cerqueira.
FAMEB: 0089. FÍSTULAS PERINEAES E SEU
362. Felippe Alves da Costa. DAS EMISSÕES TRATAMENTO. FAMEB: 0095.
SANGUINEAS NO TRATAMENTO DA 376. Ascanio Lopes Villas-Bôas. DO
PNEUMONIA. FAMEB: 0088. DIAGNOSTICO E TRATAMENTO DA
363. João Ferreira de Campos. CATEGORIA ATAXIA LOCOMOTRIZ PROGRESSIVA.
ORGANO-FUNCCIONAL DO CEREBRO. FAMEB: 0096.
FAMEB: 0087. 377. Augusto Flavio Gomes Villaça. ICTERICIA
364. José Eduardo Freire de Carvalho. DE FÓRMA GRAVE. FAMEB: 0096.
AFFECÇÕES PARASITARIAS MAIS 378. Augusto Fulgencio Peres da Motta.
FREQUENTES NOS CLIMAS INDICAÇÕES DO ABORTO. FAMEB:
INTERTROPICAES. FAMEB: 0088. 0092.
365. José Luiz de Aragão Faria Rocha. 379. Bellarmino Passos da Costa. INDICAÇÕES
ECLAMPSIA. FAMEB: 0089. DO ABORTO. FAMEB: 0095.
28 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

380. Carlos da Silva Lopes. BREVE DISCURSO 396. José Zeferino Ferreira Velloso.
PRELIMINAR. FAMEB: 0095. DIAGNOSTICO DIFFERENCIAL DAS
381. Carlos Ferreira Santos. ULCERAÇÕES DO PARALYSIAS. FAMEB: 0096.
COLLO UTERINO E SUAS VARIEDADES. 397. Luis Francisco Junqueira da Lus.
FAMEB: 0093. DIAGNOSTICO E TRATAMENTO DA
382. Climerio Cardoso de Oliveira. ECLAMPSIA. ATAXIA LOCOMOTRIZ PROGRESSIVA.
FAMEB: 0092. FAMEB: 0097.
383. Domingos Alves de Mello. DOS 398. Luiz Antonio de Faria. FERIDAS
ESTREITAMENTOS RECTAES SUAS PENETRANTES DO PEITO E SEO
CAUSAS E TRATAMENTO. FAMEB: 0097. TRATAMENTO. FAMEB: 0095.
384. Euclides Alves Requião. INTERVENÇÃO DA 399. Pedro Albunense dos Navegantes. QUAL O
CIRURGIA NA SACRO-COXALGIA. MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE
FAMEB: 0092. AMARELLA? FAMEB: 0092.
385. Francisco Martins Mendes. DO CHLORAL 400. Pedro D’Alcantara de Souza Gouvêa.
E DO CHLOROFORMIO E SEUS EFFEITOS INDICAÇÕES DO ABORTO. FAMEB: 0095.
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0097.
386. Francisco Viriato da Rocha. 1878
HEMORRHAGIAS PUERPERAES.
FAMEB: 0091. 401. Álvaro Teixeira dos Santos Imbassahy.
387. Guilherme Studart. DA ELECTROTHERAPIA. INFLUENCIA DOS CLIMAS NOS
FAMEB: 0093. VEGETAES E ANIMAES. FAMEB: 0101.
388. Ignacio Justo Ribeiro. ECLAMPSIA. FAMEB: 402. Americo Francelino de Magalhães.
0091. DIAGNOSTICO DIFFERENCIAL DA
389. João de Sá Cavalcanti de Albuquerque. CARIE E DA NECROSE. FAMEB: 0102.
TUMORES BRANCOS E SEU 403. Antonio Calmon de Oliveira Mendes.
TRATAMENTO. FAMEB: 0094. QUEIMADURAS. FAMEB: 0102.
390. João Gualberto de Souza Gouvêa. DO 404. Arthur Grato Alves Carnaúba. KERATITE E
MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE SUAS VARIEDADES. FAMEB: 0100.
AMARELLA. FAMEB: 0095. 405. Candido de Hollanda Costa Freire. QUAL O
391. João Moreira de Magalhães. DAS MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE
INDICAÇÕES DO ABORTO. FAMEB: 0097. TYPHOIDE? FAMEB: 0101.
392. Joaquim José da Silva Sardinha. 406. Carlos de Cerqueira Pinto. PRENHEZ EXTRA
THERMOMETRIA CLINICA. FAMEB: -UTERINA–DEFINIÇÃOEDIVISÃO.FAMEB:0104.
0091. 407. Eduardo Ribeiro da Silva. 1-BERIBERI; 2-
393. José Antonio de Mello. DIAGNÓSTICO E QUAL O MELHOR TRATAMENTO DA
TRATAMENTO DO BERIBERI. FAMEB: FEBRE AMARELA; 3-FERIDAS DAS
0097. ARTICULAÇÕES. FAMEB: 0103.
394. José Arthur Monteiro de Carvalho. 408. Fernando Augusto Teixeira. FERIDAS DAS
HEMORRHAGIAS PUERPERAES. ARTICULAÇÕES. FAMEB: 0103.
FAMEB: 0091. 409. Francisco de Salles Gomes. ICTERICIA DE
395. José Fernandes Villa-Verde. DO FORMA GRAVE. FAMEB: 0101.
DIAGNOSTICO E TRATAMENTO DA 410. Frederico de Castro Rebello.
ATAXIA LOCOMOTRIZ PROGRESSIVA. LOCALIZAÇÃO NAS MOLESTIAS
FAMEB: 0096. CEREBRAES. FAMEB: 0104.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 29

411. Geminiano José da Costa. PUSTULA 427. Manoel de Moraes Bittencourt. KERATITE E
MALIGNA. FAMEB: 0100. SEO TRATAMENTO. FAMEB: 0098.
412. Guilherme Pereira Rebello. O QUE É O 428. Manoel Joaquim dos Santos. NOSOHEMIAS.
SOMNO? FAMEB: 0099. FAMEB: 0099.
413. Henrique Guedes de Mello. PATHOGENIA DO 429. Manoel Lopes da Silva Lima. ETIOLOGIA E
DIABETES ASSUCARADO. FAMEB: 0102. PATHOGENIA DA INFECÇÃO
414. Hormindo Leite de Mello. MORTE NAS PYOHEMICO. VALOR DO ESTUDO
MOLESTIAS DO CORAÇÃO. FAMEB: 0102. EXPERIMENTAL SOBRE O ASSUMPTO.
415. João Baptista Vianna. PUSTULA FAMEB: 0102.
MALIGNA – SUA CURABILIDADE E 430. Matheus Vaz de Oliveira. MORTE NAS
BASES PARA UM TRATAMENTO MOLESTIAS DO CORAÇÃO. FAMEB: 0104
RACIONAL. FAMEB: 0103. 431. Pedro Soares de Amorim. TETANOS
416. João Evangelista de Castro Cerqueira. DA TRAUMATICO. FAMEB: 0098.
ALIMENTAÇÃO EM SUAS RELAÇÕES 432. Sgmphronio Fortunato Della Cella. DA PUSTULA
COM A PHYSIOLOGIA. FAMEB: 0100. MALIGNA, SUA CURABILIDADE. INDICAR
417. João Francisco Lopes Rodrigues. AS BASES DE UM TRATAMENTO
INDICAÇÃO E CONTRA-INDICAÇÃO RACIONAL. FAMEB: 0101.
DA OPERAÇÃO DA TALHA. FAMEB: 433. Victor de Britto. PUSTULA MALIGNA; SUA
0099. CURABILIDADE. INDICAR AS BASES
418. Joaquim Cardozo de Andrade. SOMNO, PARA UM TRATAMENTO RACIONAL.
SONHO, SOMNABULISMO E FAMEB: 0105.
HALLUCINAÇÕES. FAMEB: 0098. 434. Virgilio Pinheiro Requião. RHEUMATISMO
419. Joaquim da Silva Botelho. HERANÇA ARTICULAR AGUDO. FAMEB: 0099.
PHYSIOLOGICA. FAMEB: 0105.
420. Joaquim Ignacio de Siqueira Bulcão. QUAL O 1881
MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE
AMARELLA? FAMEB: 0105. 435. Affonso José dos Sanctos. REGIMEN
421. Joaquim Macedo de Aguiar. HISTORIA SANITARIO. FAMEB: 0112.
NATURAL DA ARAROBA SUA ACÇÃO 436. Alfredo d’Aquino Gaspar. RELAÇÕES
PHYSIOLOGICA E USOS FUNCCIONAES E ORGANICAS ENTRE
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0098. AS AFFECÇÕES DO CORAÇÃO, DO
422. José Amado Coutinho Barata. ELEPHANTIASIS FIGADO E DO ESTOMAGO. FAMEB:
DO SCROTO. FAMEB: 0098. 0106.
423. José Carneiro de Campos. 437. Alfredo Ferreira de Barros. DAS
CONSIDERAÇÕES SOBRE A ANATOMIA AFFECÇÕES GLAUCOMATOSAS;
DOS HEMISFERIOS CEREBRAES. INFLUENCIA DA IRIDECTOMIA NO SEU
FAMEB: 0100. CURATIVO. FAMEB: 0109.
424. Laurindo Pereira de Almeida Franco. 438. Antonio José da Costa. EPILEPSIA. FAMEB:
QUEIMADURAS. FAMEB: 0101. 0107.
425. Lucio Diogo d’Araujo Borges. QUAL O 439. Antonio Ricaldi da Rocha Castro. TODAS AS
MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE HYPERTROPHIAS DO CORAÇÃO
TYPHOIDÉA? FAMEB: 0105. PODEM SER REDUZIDAS AS
426. Manoel de Assis Souza. ELEPHANTIASIS HYPERTROPHIAS MECHANICAS?
DO ESCROTO. FAMEB: 0103. FAMEB: 0107.
30 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

440. Antonio Salustiano Vianna. DO REGIMEN 454. José Asterio Tourinho. EPILEPSIA. FAMEB:
LACTEO. FAMEB: 0110. 0110.
441. Bento da França Pinto de Oliveira Garcez. 455. José de Cerqueira Daltro Junior.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO ELEPHANTIASIS DOS GREGOS. FAMEB:
ABORTAMENTO. 0106. 0108.
442. Decleciano Ramos. PATHOLOGIA 456. José Marques dos Reis. ELEPHANTIASIS
EXTERNA DOUTRINA DA PYEMIA. DOS GREGOS. FAMEB: 0112.
FAMEB: 0112. 457. Josino Corrêa Cotias. ELECTROTHERAPIA.
443. Domingos Francisco de Salles Gomes. DAS FAMEB: 0108.
FERIDAS PENETRANTES DO 458. Manoel Alfredo Ceylão. INTOXICAÇÃO
ABDOMEN E SEU TRATAMENTO. SATURNINA CHRONICA. FAMEB: 0107.
FAMEB: 0106. 459. Manoel de Barros Amorim Sobrinho.
444. Felisbello Firmo de Oliveira Freire. OS INTOXICAÇÃO SATURNINA
CARACTERES CLINICOS DA CIRRHOSE CHRONICA. FAMEB: 0109.
HYPPERTROPHICA SÃO SUFFICIENTES 460. Manoel Francisco da Costa Junior. DOS
PARA CLASSIFICAL-A COMO UMA DIVERSOS MEIOS EMPREGADOS NA
MOLESTIA DISTINCTA DA CIRRHOSE CURA DOS ESTREITAMENTOS DA
ATROPHICA? FAMEB: 0108. URETHRA. FAMEB: 0108.
445. Francisco Alves Barbosa. RHEUMATISMO 461. Manoel Francisco do Rego Barros. QUAL O
ARTICULAR AGUDO. FAMEB: 0109. MELHOR TRATAMENTO DA FEBRE
446. Francisco Braulio Pereira. HISTORICO- AMARELLA? FAMEB: 0109.
PATHOLOGIA-THERAPEUTICA DO 462. Pedro Dias da Silva. DAS HEMOPTYSES E
BERIBERI NO BRASIL. FAMEB: 0111. SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0110.
447. Hermelino Teixeira da Matta. GRANGRENA 463. Pedro Luiz Celestino. GANGRENA, SUA
ESPONTANEA E SEU TRATAMENTO. ETIOLOGIA E VARIEDADES. FAMEB:
FAMEB: 0106. 0107.
448. Hermenegildo Lopes de Campos. 464. Porfirio Ferreira Vellozo. APRECIAÇÃO DOS
TUMORES BRANCOS DO JOELHO E METHODOS EMPREGADOS NA CURA
SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0110. DOS ESTREITAMENTOS ORGANICOS DA
449. João Belfort Saraiva de Magalhães. SOMNO. URETHRA. FAMEB: 0110.
FAMEB: 0106.
450. João Dias Muniz Barretto. 1882
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
ECLAMPSIA E DO SEU TRATAMENTO. 465. Abilio Eusebio Vianna. DO CANCRO
FAMEB: 0109. EPITHELIAL. FAMEB: 0121.
451. João Fillemont Fontes. TEMPERATURA 466. Alipio Cardoso Fontes de Menezes.
ELEVADA NAS MOLESTIAS. FAMEB: ELECTROTHERAPIA. FAMEB: 0119.
0108. 467. Aloysio Mario Alvares dos Santos. HERANÇA
452. João Guilherme Studart. CARIE – DEFINIÇÃO PATHOLOGICA E MOLESTIAS
E PATHOGENIA. FAMEB: 0110. HEREDITARIAS. FAMEB: 0122.
453. João Pereira da Costa. DO JABORANDI, 468. Alvaro Augusto Carneiro Leão.
SUA HISTORIA NATURAL, ACÇÃO CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
PHYSIOLOGICA E INDICAÇÕES ECLAMPSIA E SEU TRATAMENTO.
THERAPEUTICAS. FAMEB: 0107. FAMEB: 0118.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 31

469. Americo Teixeira Mendes. CONSI- 483. Daniel Campos. ACÇÃO PHYSIOLOGICA
DERAÇÕES ACERCA DA ECLAMPSIA E EFFEITOS THERAPEUTICOS DO
PUERPERAL. FAMEB: 0119. ESPORÃO DE CENTEIO, INDICAÇÕES E
470. Angelo Borges Leal de Menezes. CONTRA-INDICAÇÕES NA DYSTOCIA
ESTREITAMENTO ORGANICOS DA DEDUSIDAS D’AQUELLAS ACÇÕES.
URETHRA E SEO TRATAMENTO. FAMEB: 0117.
FAMEB: 0120. 484. Domingos Alves Requião. CORPOS
471. Antonio Celestino dos Santos. ESTRANHOS NO RECTO E SEO
HEMORRHAGIAS PUERPERAES. TRATAMENTO. FAMEB: 0123.
FAMEB: 0122. 485. Eduardo Enedino Gomes. GASTROTOMIA.
472. Antonio da Cruz Cordeiro Junior. FAMEB: 0114.
PHENOMENOS MECANICOS DO 486. Eliziario de Torres Bandeira. CARACTERES
PARTO. FAMEB: 0116. CLINICOS E CIRRHOSE HYPER-
473. Antonio Emigdio Ribeiro. CONSIDERAÇÕES TROPHICA SÃO SUFFICIENTES PARA
ACERCA DO ABORTAMENTO. FAMEB: CLASSIFICAL-A COMO MOLESTIA
0123. DISTICTA DA CIRRHOSE VULGAR?
474. Antonio Joaquim de Albuquerque. FAMEB: 0113.
CONSIDERAÇÕES SOBRE O PONTO 487. Fernando Ferreira da Costa. TUMORES
QUE ESCOLHEMOS. FAMEB: 0113. FIBROSOS DO UTERO E
475. Antonio Martins Fontes. CONSIDERAÇÕES CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
ACERCA DAS HEMORRHAGIAS QUE ECLAMPSIA. FAMEB: 0116.
SEM CAUSA ACCIDENTAL, SURGEM 488. Fernão Alvaro Falcão Paim.
NOS DOIS ULTIMOS MEZES DA BRONCHOTOMIA – ETYMOLOGIA E
PRENHEZ. FAMEB: 0115. DEFINIÇÃO. FAMEB: 0123.
476. Antonio Rodrigues da Cunha Mello. VALOR 489. Fortunato Augusto da Silva. DA
DO EXAME DAS URINAS NAS BRONCHOTOMIA. FAMEB: 0121.
MOLESTIAS DO FIGADO. FAMEB: 0118. 490. Francisco da Silveira Gusmão. VALOR DO
477. Arthur d’Almeida Sebrão. HEMORRHAGIAS EXAME DE OURINA NAS MOLESTIAS
UTERINAS DURANTE O TRABALHO DO DOS RINS. FAMEB: 0114.
PARTO E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0122. 491. Francisco de Assis Jorge Monteiro.
478. Arthur Imbassahy. DYSPEPSIA. FAMEB: 0114. CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
479. Augusto Cesar Rangel. DAS FEBRES ECLAMPSIA E SEU TRATAMENTO.
PALUDOSAS COMPLICADAS DO FAMEB: 0120.
ELEMENTO TYPHICO. FAMEB: 0123. 492. Francisco Eloy Paraizo Jorge. TUMORES
480. Caetano da Rocha Cerqueira. DA FIBROSOS DO UTERO. FAMEB: 0118.
ELETRICIDADE NO EMPREGO DOS 493. Francisco Gomes Leopoldo de Araújo.
ANEURISMAS. FAMEB: 0116. EPILEPSIA. FAMEB: 0113.
481. Candido Elpidio Souza 494. Francisco Joaquim Vieira. EPILEPSIA.
Figueiredo.TEMPERATURA ELEVADA FAMEB: 0121.
NAS MOLESTIAS. FAMEB: 0115. 495. Henrique Damazio. DO CHLORAE E DO
482. Claudencio de Souza Espínola. CHLOROFORMIO EM SEUS EFFEITOS
DIAGNOSTICO E TRATAMENTO DA THERAPEUTICO. FAMEB: 0116.
ATAXIA LOCOMOTRIZ PROGRESSIVA. 496. Henrique Imbassahy. ARSENICAES. FAMEB:
FAMEB: 0115. 0114.
32 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

497. Ignacio de Amorim Antuterpio. DO 512. Luiz da França Carlos da Fonseca.


CHLORAL, SUA HISTORIA CHINICA E CARACTERES CLINICOS DA ICTERICIA
ACÇÃO PHYSIOLOGICA. FAMEB: HEPATOGENA E DA ICTERICIA
0113. HEMATOGENA; SEU VALOR PARA O
498. João Alves Carrilho. DYSPEPSIA I DIAGNOSTICO. FAMEB: 0115.
ETIOLOGIA. FAMEB: 0117. 513. Lydio Pereira de Mesquita. OS CARACTERES
499. João Cancio de Alcântara. HERNIAS CLINICOS DA CIRRHOSE HYPERTROPHICA
CRURAES. FAMEB: 0113. SÃO SUFFICIENTES PARA CLASSIFICAL-A
500. João Francisco Alves da Silva. COMO MOLESTIA DISTINCTA DA
HEMOPTYSES. FAMEB: 0121. CIRRHOSE ATROPHICA? FAMEB: 0120.
501. João José de Oliveira Leite. ATAXIA 514. Manoel Carlos de Azevedo Ribeiro. DA
LOCOMOTRIZ PROGRESSIVA. FAMEB: FEBRE PALUDOSA COMPLICADA AO
0118. ELEMENTO TYPHICO. FAMEB: 0122.
502. Joaquim Climerio Dantas Bião. QUAL A 515. Manoel de Sá Gordilho. CONSIDERAÇÕES
ACÇÃO DO SULFATO DE QUININA NAS ACERCA DAS OPERAÇÕES
FEBRES INTERNITTENTES? FAMEB: OBSTETRICAS MAIS PRECONISADAS.
0117. FAMEB: 0114.
503. Joaquim Nogueira Paranaguá. DA ANALYSE 516. Manoel Francisco de Salles Teixeira.
DO SANGUE COMO ELEMENTO DE COMPOSIÇÃO DA CRAVAGEM DE
DIAGNOSTICO. FAMEB: 0123. CENTEIO. FAMEB: 0121.
504. José Baptista Gonsalves. CONSIDERAÇÕES 517. Manoel Frederico Affonso de Carvalho.
SOBRE OS CURATIVOS APÓS AS CORPOS ESTRANHOS NO RECTO E
OPERAÇÕES. FAMEB: 0114. SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0117.
505. José Carlos Gomes da Silva. FISTULAS NO 518. Pedro Luiz de Abreu e Silva. ACÇÃO PHY-
ANUS E SEO TRATAMENTO. FAMEB: SIOLOGICA E EFFEITOS THE-
0121. RAPEUTICOS DO ESPORÃO DE CEN-
506. José de Araujo Matto-Grosso. QUAL A TEIO, SUAS INDICAÇÕES E CONTRA-
ACÇÃO DO SULFATO DE QUININO NAS INDICAÇÕES NA DYSTOCIA, DEDUZIDAS
FEBRES INTERMITTENTES? FAMEB: D’AQUELLAS ACÇÕES. FAMEB: 0121.
0118. 519. Pedro Mendes de Carvalho. OS
507. José Joaquim Pereira. DOUTRINA DA CARACTERES CLINICOS DA CIRRHOSE
PYEMIA. FAMEB: 0123. HYPERTROPHICA SÃO SUFFICIENTES
508. José Maria de Lima. DA EPILEPSIA. FAMEB: PARA CLASSIFICAL-A COMO
0118. MOLESTIA DISTINCTA DA CIRRHOSE
509. José Rodrigues da Costa Doria. DAS FEBRES VULGAR? FAMEB: 0116.
PALUDOSAS COMPLICADAS DO 520. Publio Constancio de Mello. DESLOCAÇÃO
ELEMENTO TYPHICO. FAMEB: 0115. DA CABEÇA DO HUMERUS. FAMEB:
510. Jovino Jorge Carvalhal. HEMORRHAGIAS 0119.
PUERPERAES. FAMEB: 0117. 521. Sallustio José Pereira Osório. EPILEPSIA –
511. Lucio de Oliveira Bahia. CARACTERES DEFINIÇÃO, HISTORIA, SYNONIMIA.
CLINICOS DA ICTERICIA FAMEB: 0120.
HEPATOGENICA E DA ICTERICIA 522. Segismundo Garcez de Mendonça.
HEMATOGENICA. QUAL O SEU VALOR CONSIDERAÇÕES SOBRE O
PARA O DIAGNOSTICO? FAMEB: 0113. ABORTAMENTO. FAMEB: 0119.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 33

523. Thomaz Martins Mendes. CARACTERES 537. Argymiro Rodrigues Germano. FISTULAS
CLINICOS DA ICTERICIA HEPATOGENA LACRYMAES E SEU TRATAMENTO.
E HEMATO – QUAL O VALOR PARA O FAMEB: 0127.
DIAGNOSTICO? FAMEB: 0119. 538. Arthur Benigno Castilho. DOUTRINA DA
524. Vespasiano d’Aragão. QUAL A ACÇÃO DO PYEMIA – FERMENTAÇÃO PUTRIDA OU
SULFATO DE QUININA NAS FEBRES SEPTICA. FAMEB: 0126.
INTERMITTENTES? FAMEB: 0113. 539. Carlos Ferreira Pontes. DYSENTERIA.
525. Virgilio Chaves Florence. ORIGEM E FAMEB: 0135.
NATUREZA DOS ABCESSOS FRIOS. 540. Carlos Frederico Nabuco. DIVERSAS
FAMEB: 0115. FORMAS CLINICAS DO MAL DE
BRIGHT. FAMEB: 0124.
1883 541. Carlos Vieira Bittencourt. CIRRHOSE DO
FIGADO. FAMEB: 0136.
526. Affonso Manoel Rodrigues Vianna. LESÕES 542. Clementino Antonio da Silveira Ramos.
CARDIACAS – AS AFFECÇÕES RENAES HYPOEMIA INTERTROPICAL. FAMEB:
E O BERIBERI DE FORMA 0135.
CEDEMATOSA. FAMEB: 0133. 543. Emngdio de Borborema. FEBRE AMARELA
527. Alexandre de Oliveira Freire. E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0136.
HYDROTHERAPIA. FAMEB: 0127. 544. Euvaldo Villaboim. CONSIDERAÇÕES
528. Antonio Alves Pereira de Lyra. CHLORAL E ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 0133.
CHLOROFORMIO – EM SEUS EFEITOS 545. Fabio Lyra dos Santos. QUAL O
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0132. TRATAMENTO QUE MAIS APROVEITA
529. Antonio Cardoso e Silva. ESTREITAMENTO NA CURA DOS ANEURYSMAS? FAMEB:
DA URETHRA E SEU TRATAMENTO. 0137.
FAMEB: 0131. 546. Feliciano de Faria e Silva. DIAGNOSTICO
530. Antonio da Silva Ferreira. A PHTHISICA DIFERENCIAL ENTRE O BERIBERI
PULMONAR SERÁ CURAVEL? FAMEB: 0127. PARALYTICO E AS LESÕES DA
531. Antonio Henrique Alvares dos Santos. FEBRE MEDULA. FAMEB: 0131.
AMARELA E SEU TRATAMENTO. 547. Fidelis D’Oliveira e Silva. ELEPHANTIASIS
FAMEB: 0137. DOS GREGOS (Morphéa). FAMEB: 0131.
532. Antonio José da Costa Leite. CONSIDERAÇÕES 548. Firmino Thomaz de Aquino Junior. CORAÇÃO
ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 0128. E SEUS NERVOS. FAMEB: 0130.
533. Antonio Militão de Bragança. PARALYSIAS 549. Francisco Cunegundes Vieira Dias.
CONSECUTIVAS ÀS MOLESTIAS HYDROTHERAPIA. FAMEB: 0127.
AGUDA. FAMEB: 0126. 550. Francisco Teixeira de Carvalho. DO
534. Antonio Moreira Maia. CONSIDERAÇÕES CHLORAL E DO CHLOROFORMIO EM
ACERCA DO ABORTAMENTO. FAMEB: SEUS EFEITOS THERAPEUTICOS.
0132. FAMEB: 0126.
535. Antonio Theodorico Borges de Barros. DOS 551. Frederico José Rolla. TRACHEOTOMIA –
ESTREITAMENTOS DA URETHRA E SEU ETYMOLOGIA, DEFINIÇÃO E
TRATAMENTO. FAMEB: 0136. SYNONIMIA. FAMEB: 0134.
536. Antonio Victorio de Araujo Falcão. PARTO 552. Gabriel Archanjo Dultra de Andrade.
PREMATURO ARTIFICIAL. FAMEB: ESTREITAMENTO DA URETHRA E SEU
0127. TRATAMENTO. FAMEB: 0130.
34 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

553. Guilherme Lassance Marback. 567. José Antonio Pereira Guimarães.


CONSIDERAÇÕES ACERCA DA DYSENTERIA. FAMEB: 0128.
ECLAMPSIA E SEU TRATAMENTO. 568. José Bonifacio da Cunha Junior. DO
FAMEB: 0132. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL ENTRE AS
554. Hermilo Affonso Monteiro. DIAGNOSTICO FEBRES INTERMITTENTES HEPATICAS E
DIFFERENCIAL ENTRE AS LESÕES AS FEBRES INTERMITTENTES
CARDIACAS, AS AFFECÇÕES RENAES LEGITIMAS. FAMEB: 0127.
E O BERIBERI DE FORMA EDEMATOSA. 569. José Dionysio Borges da Cruz.
FAMEB: 0124. CONSIDERAÇÕES ACERCA DO
555. Hormindo José Marques. DAS DIVERSAS ABORTAMENTO. FAMEB: 0125.
FORMAS CLÍNICAS DO MAL DE 570. José Licerio Primo de Seixas. HYPOEMIA
BRIGHT. FAMEB: 0129. INTERTROPICAL. FAMEB: 0137.
556. João Candido Lima. TUMORES FIBROSOS 571. José Moreira de Magalhães. HEMATURIA
DO UTERO. FAMEB: 0132. ENDEMICA DOS PAIZES QUENTES.
557. João Francisco das Reis. CONSIDERAÇÕES FAMEB: 0132.
ACERCA DA ECLAMPSIA E SEO 572. José Olivio de Uzeda. CONSIDERAÇÕES
TRATAMENTO. FAMEB: 0134. SOBRE A TRACHEOTOMIA. 0133.
558. João Gonçalves Ferreira Corrêa da Câmara. DO 573. José Raymundo Telles de Menezes. QUAL A
BÉRI-BÉRI, SUA ETIOLOGIA, PATHOGENIA MELHOR THEORIA DA FEBRE? FAMEB:
E TRATAMENTO. FAMEB: 0126. 0129
559. João Machado de Aguiar Mello. DAS 574. Léon Ferdinand Gay. DA
AFFECÇÕES HEPATICAS DEVIDAS E ELECTROTHERAPIA. FAMEB: 0128.
LESÕES CARDIACAS E VICE-VERSA: - DAS 575. Luiz Antonio Ferreira Gualberto. AS LESÕES
PERTURBAÇÕES CARDIACAS DEVIDAS A DA MEDULLA E O BERIBERI DE FORMA
LESÕES HEPATICAS. FAMEB: 0129. PARALYTICA. FAMEB: 0128.
560. Joaquim Marques Redig. 576. Luiz Jansen de Mello. HYPOEMIA
HYDROTHERAPIA. FAMEB: 0135. INTERTROPICAL. FAMEB: 0129.
561. Joaquim Israel de Cisneiro. CONSIDERAÇÕES 577. Luiz José Corrêa de Sá Junior. FEBRE
ACERCA DO PARTO PREMATURO AMARELA E SEU TRATAMENTO.
ARTIFICIAL. FAMEB: 0125. FAMEB: 0134.
562. Joaquim Thomaz de Aquino. TUMORES DO 578. Manoel Arvellos Bottas. FEBRE AMARELA.
UTERO E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0130. FAMEB: 0136.
563. Jonathas Rodrigues Barcellos. CONSIDERAÇÕES 579. Manoel Claudiano Ribeiro.
ACERCA DAS INDICAÇÕES DA CONSIDERAÇÕES ACERCA DO
OVARIOTOMIA. FAMEB: 0130. ABORTAMENTO. FAMEB: 0134.
564. Jorge Cezimbra Fairbanks. TUMORES 580. Manuel Pedro Vieira. ARSENICAES, SUA
FIBROSOS NO UTERO. FAMEB: 0127. HISTORIA NATURAL, ACÇÃO
565. José Alexandre de Moura Costa. PHYSIONOMIA PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
CLÍNICA DA FEBRE TYPHOIDE EM NOSSO THERAPEUTICOS. FAMEB: 0133.
CLIMA, COMPARADA COM A DA MESMA 581. Marcellino da Silva Perdigão. DIAGNÓSTICO
AFFECÇÃO NOS DIFFERENTES CLIMAS. DIFFERENCIAL ENTRE AS LESÕES
FAMEB: 0125. CARDIACAS, AS AFFECÇÕES RENAES
566. José Antonio Alves Pinto. GRANGRENA E O BERIBERI DE FORMA EDEMATOSA.
TRAUMATICA. FAMEB: 0135. FAMEB: 0136.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 35

582. Messias José dos Santos Patury. 595. Antonio de Franco Lobo. FERIDAS POR
CONSIDERAÇÕES SOBRE O ARMAS DE FOGO E SEU TRATAMENTO.
ABORTAMENTO. FAMEB: 0124. FAMEB: 0139.
583. Octaviano Moniz Barreto. VALOR 596. Antonio Jacintho Pereira Nunes.
DIAGNOSTICO DOS SIGNAES ESTREITAMENTO DA URETHRA E SEU
FORNECIDOS PELA AUSCULTAÇÃO. TRATAMENTO. FAMEB: 0138.
FAMEB: 0136. 597. Antonio José Gomes. ECLAMPSIA E SEO
584. Oscar de Noranha. FISTULAS LACRYMAES TRATAMENTO. FAMEB: 0140.
E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0124. 598. Antonio Muniz Ferreira. FEBRES
585. Pedro de Alcantara Coelho Marinho. PERNICIOSAS. FAMEB: 0144.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA 599. Artur Antunes Chaves de Castro. DIVERSAS
ECLAMPSIA. FAMEB: 0129. FORMAS CLINICAS DO MAL DE
586. Pedro Miguel de Moraes Bittencourt. BRIGHT. FAMEB: 0142.
ESTREITAMENTO DA URETHRA. 600. Aurelio Victor Diniz Gonsalves. TUMORES
FAMEB: 0136. FIBROSOS NO UTERO E SEO
587. Venancio Ferreira Lima. DO JABORANDI – TRATAMENTO. FAMEB: 0140.
SUA HISTORIA NATURAL, ACÇÃO PHI- 601. Bernardo José Moreira. FRACTURAS DA
SIOLOGICA E INDICAÇÕES THE- ROTURA E SEU TRATAMENTO. FAMEB:
RAPEUTICAS. 0132. 0138.
588. Virgilio Cesar Martins Reis. HEMATURIA 602. Carlos Freitas. QUAL O TRATAMENTO
ENDEMICA DOS PAISES QUENTES. QUE MAIS APROVEITA NA CURA DOS
FAMEB: 0134. ANEURYSMAS? FAMEB: 0144.
589. Xisto Jorge dos Santos. ESTREITAMENTO 603. Deolindo Octaviano da Fonseca e Galvão.
DA URETHRA E SEU TRATAMENTO. CORAÇÃO E SEUS NERVOS. FAMEB:
FAMEB: 0137. 0140.
590. Zacarias Fernandes Vinhas. QUAL O EFFEITO 604. Domingos Pedro dos Santos. HEMATO
DA MEDICAÇÃO FERRUGINOSA SOBRE CHYLURIA DOS PAISES QUENTES.
O SANGUE? FAMEB: 0133. FAMEB: 0141.
605. Emggdio José Leal. HYPOEMIA
1884 INTERTROPICAL. FAMEB: 0143.
606. Felinto Dias Gueirreiro. LESÕES CARDIACAS
591. Adolpho Elysio da Costa Machado. FEBRES ORICO – VALVULARES. FAMEB: 0143.
PERNICIOSAS. FAMEB: 0139. 607. Francisco Alves de Lima Filho. A
592. Agnéllo Candido Lins Fialho. CONSIDERAÇÕES OBSERVAÇÃO CLÍNICA É OU NÃO
ACERCA DO ABORTAMENTO. FAMEB: FAVORAVEL À IDEIA DA
0144. CONTAGIOSIDADE DA TUBERCULOSE
593. Alexandre de Albuquerque Alencastre Reis. PULMONAR? FAMEB: 0143.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA ECLAM- 608. Gorgonio José de Araújo. FEBRES
PSIA E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0141. PERNICIOSAS. FAMEB: 0142.
594. Angelo de Souza Santos Moreira. DA 609. Guilherme Pereira da Costa. ERYSIPELA.
PROPHYLAXIA INDIVIDUAL E FAMEB: 0144.
MEDIDAS HYGIENICAS GERAES QUE 610. João dos Santos Rangel. HEMATO –
SE DEVEM TOMAR NA INVASÃO DA CHYLURIA DOS PAIZES QUENTES.
FEBRE AMARELA. FAMEB: 0138. FAMEB: 0141.
36 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

611. João Evangelista Pedreira de Cerqueira. A 625. Affonso Gomes Pereira de Moraes. FEBRE
EXPERIMENTAÇÃO ESTABELECE A AMARELLA. FAMEB: 0162.
NATUREZA VIRULENTA DA 626. Agnello Geraque Collet. HYGIENE
TUBERCULOSE? FAMEB: 0142. ESCHOLAR. FAMEB: 0160.
612. João Irinêo Guimarães Lobo. 627. Alcides Pinto de Almeida Castro.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO ECLAMPSIA E SEU TRATAMENTO.
MECANISMO DO PARTO. FAMEB: 0139. FAMEB: 0149.
613. João José Leite. MAL DE BRIGHT. 628. Alexandre Corrêa da Silva Abrahão.
FAMEB: 0143. CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
614. José de Figueiredo Leite. ACCLIMAÇÃO. THERAPEUTICA PRECONISADAS NOS
FAMEB: 0143. ESTREITAMENTO DA BACIA. FAMEB:
615. José Pinto Nogueira. ARSENICAES SUA 0155.
HISTORIA NATURAL, ACÇÃO 629. Alfredo Botelho Benjamim.
PHYSIOLOGIA E EFFEITOS CONSIDERAÇÕES SOBRE O
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0138. PARALLELO ENTRE A OPERAÇÃO
616. Manoel Augusto de Medeiros. HERNIAS CESAREA E A CEPHOLOTRIPSIA
INGUINAES. FAMEB: 0139. REPETIDA SEM TRACÇÕES. FAMEB:
617. Manoel Francisco Gonçalves Junior. 0154.
HISTOLOGIA DO CORAÇÃO E SUAS 630. Álvaro de Castro Graça. HEMORRHAGIAS
ALTERAÇÕES MORBIDAS. FAMEB: PUERPERAES. FAMEB: 0153.
0140. 631. Americo Rodrigues Teixeira. LESÕES
618. Manoel Joaquim Ferreira Mendes. CARDIACAS – AFFECÇÕES RENAIS E O
FORMAS CLÍNICAS DA UREMIA. BERIBERI EDEMATOSO. FAMEB: 0146.
FAMEB: 0138. 632. Angelo Jacintho Simões Junior.
619. Mesenas Facundo de Lima Salles. TUMORES HEMORRHAGIAS PUERPERAES.
FIBROSOS DO UTERO E SEU FAMEB: 0152.
TRATAMENTO. FAMEB: 0141. 633. Antero José dos Santos. RETENÇÃO DE
620. Pedro Celestino Ferreira da Silva. DAS OURINAS E MEIOS DE REMEDIAL.
COMPLICAÇÕES PALUDOSAS NAS FAMEB: 0164.
AFFECÇÕES AGUDAS. FAMEB: 0141. 634. Antonio Carreiro da Silva. CHLORAL E
621. Silvestre Octaviano Loureiro. CHLOROFORMIO – EM SEUS
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA EFFEITOS THERAPEUTICOS. FAMEB:
TRACHEOTOMIA. FAMEB: 0139. 0158.
622. Symphronio Olympio da Costa. ERYSIPELA. 635. Antonio de Lannes Lima. SEGUNDO AS
FAMEB: 0144. MODIFICAÇÕES QUE TEM
623. Virgilio Candido Rodrigues Bastos. CLIMAS MODERNAMENTE SOFFRIDO A
E ELEMENTOS DE CLIMATOLOGIA. LITHOTRICIA, OS PROCESSOS
FAMEB: 0142. ACTUAIS MERECEM PREFERENCIA
SOBRE OS ANTIGOS? FAMEB: 0157.
1885 636. Antonio Joaquim dos Santos. A
OBSERVAÇÃO CLÍNICA É OU NÃO
624. Adriano dos Reis Gordilho. FORMAS FAVORAVEL À IDEIA DA
CLÍNICAS DA UREMIA. FAMEB: CONTAGIOSIDADE DA TUBERCULOSE
0153. PULMONAR? FAMEB: 0164.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 37

637. Antonio José Osório. FERIDAS 649. Augusto Lopes d’Assumpção Pessoa.
PENETRANTES DO ABDOMEN E SEU FEBRES PERNICIOSAS. FAMEB: 0145.
TRATAMENTO. FAMEB: 0145. 650. Aurelio Pereira de Miranda. ANALYSE
638. Antonio Marçal. A CREMAÇÃO E A MICROSCOPICA DO SANGUE –
INHUMAÇÃO PERANTE A HYGIENE. METHODOS DE NUMERAÇÃO DOS
FAMEB: 0162. GLOBULOS E DERMINAÇÃO DA
639. Antonio Miguel Pessoa de Araújo. ACÇÃO PROPORÇÃO DE HEMOGLOBINA.
PLYSIOLOGICA E EFFEITOS FAMEB: 0159.
THERAPEUTICOS DO ESPORÃO DE 651. Benjamin Constat Pereira.
CENTEIO, SUAS INDICAÇÕES E CONSIDERAÇÕES ACERCA DO
CONTRA-INDICAÇÕES NA DYSTOCIA, ABORTAMENTO. FAMEB: 0145.
DEDUZIDAS d’AQUELLAS ACÇÕES. 652. Boaventura da Silva Bahia. ABORTAMENTO.
FAMEB: 0155. FAMEB: 0151.
640. Antonio Moreira da Costa Rodrigues. 653. Carlos Carneiro de Mendonça. QUAL O
BERIBERI – SYNONYMIA, ETYMOLOGIA MELHOR TRATAMENTO DO
– DEFINIÇÃO. FAMEB: 0164. CARCINOMA? FAMEB: 0162.
641. Aprigio José Chavantes. O MECANISMO 654. Cicero Deocleciano da Silva Torres.
DO PARTO NATURAL. FAMEB: 0149. PHYSIOLOGIA DA MEDULLA. FAMEB:
642. Argymiro Alvaro Bacellar Guimarães. FEBRES 0146.
PERNICIOSAS. FAMEB: 0153. 655. Clemente Felix Penna Soares.
643. Arthur d’Alburquerque Bizerra Cavalcanti. CONSIDERAÇÕES ACERCA DO
CONSIDERAÇÕES A CERCA DA MECHANISMO DO PARTO NATURAL.
THERAPEUTICA PRECONISADA NOS FAMEB: 0152.
ESTREITAMENTOS DA BACIA. FAMEB: 656. Clicerio José Velloso da Silva. DAS
0149. COMPLICAÇÕES TYPHICAS E SEU
644. Arthur de Castro Lima. MAL DE BRIGHT. MODO DE DESENVOLVIMENTO.
FAMEB: 0157. FAMEB: 0131.
645. Arthur Eduardo de Seixas. FORÇA NERVOSA 657. Constancio Antonio Alves. DA CREMAÇÃO
– PHENOMENOS ELECTRICOS NOS E INHUMAÇÃO PERANTE A HYGIENE.
NERVOS – RELAÇÃO DA FORÇA FAMEB: 0161.
NERVOSA PARA COM AS OUTRAS 658. Cristão Rodrigues Nunes. HERENÇA
FORÇAS CONHECIDAS. FAMEB: 0158. PHYSIOLOGICA. FAMEB: 0159.
646. Arthur Esperidião de Carvalho Chaves. 659. Custodio d’Almeida Magalhães Filho. DO
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS
MECANISMO DO PARTO NATURAL. PARALYSIAS DE ORIGEM BULBAR.
FAMEB: 0160. FAMEB: 0147.
647. A r t h u r H o m e m d e C a r v a l h o . D O 660. Cypriano José dos Santos. HYGIENE
ALCOOLISMO DEBAIXO DO PONTO INTERNACIONAL, SUAS
DE VISTA DA HYGIENE. FAMEB: APPLICAÇÕES CONTRA O CHOLERA
0149. MORBUS E A FEBRE AMARELA. FAMEB:
648. Augusto de Castro Madeira. A 0164.
EXPERIMENTAÇÃO ESTABELECE A 661. Deniterio Hercules da Silveira. RETENÇÃO
NATUREZA VIRULENTA DA DA URINA E MEIOS DE A REMEDIAR.
TUBERCULOSE? FAMEB: 0147. FAMEB: 0152.
38 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

662. Deoclides Marteus Ferreira. ERYSIPELA. 676. Ignacio Monteiro de Almeida Gouveia. DO
FAMEB: 0150. JEQUIRITY, SUA ACÇÃO PHYSIOLOGICA
663. Dionysio Ferreira da Silva. E EFFEITOS THERAPEUTICOS. FAMEB: 153.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO 677. Jacintho Alvares Ferreira da Silva.
ABORTAMENTO. FAMEB: 0158. HEMORRHAGIAS PUERPERAES.
664. Ernesto Torres Cotrim. CONSIDERAÇÕES FAMEB: 0158.
ACERCA DO JABORANDI E DA 678. João Candido Ribeiro Dantas. HEMORRHAGIAS
PILOCARPINA. FAMEB: 0160. PUERPERAES. FAMEB: 0160.
665. Eurico Joaquim da Matta. DO METHODO 679. João Ferreira Caldas. OPHTHALMIA
LISTERIANO. FAMEB: 0162. GRANULOSA. FAMEB: 0148.
666. Felino M. Fontes de Carvalho. 680. João Maria Marques Basto. RHEUMATISMO
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO ARTICULAR AGUDO E SUAS
ABORTAMENTO. FAMEB: 0149. COMPLICAÇÕES. FAMEB: 0154.
667. Felix José Coelho de Almeida. 681. João Pinto do Couto. ACÇÃO
ARSENICAES – SUA HISTORIA PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
NATURAL, ACÇÃO PHYSIOLOGICA E THERAPEUTICOS DO ESPORÃO DE
EFFEITOS THERAPEUTICOS. FAMEB: CENTEIO, SUAS INDICAÇÕES E CONTRA
0161. – INDICAÇÕES NA DYSTOCIA,
668. Francisco Barbosa Cardoso Junior. DEDUZIDAS DAQUELAS ACÇÕES.
ARSENICAES, SUA HISTORIA, ACÇÃO FAMEB: 0160.
PHYSIOLOGICA E THERAPEUTICA. 682. João Vicente Garcez. RETENÇÃO DE
FAMEB: 0140. URINA E MEIOS DE A REMEDIAR.
669. Francisco Caribé Rocha. ARSENICAES – FAMEB: 0153.
SUA HISTÓRIA NATURAL, ACÇÃO 683. Joaquim da Silva Tavares Filho. DO
PHYSIOLOGICA E EFFEITOS JABORANDY. FAMEB: 0147.
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0163. 684. José Ferreira Garcia Redondo. O QUE É A
670. Francisco de Paula Freire. LESÕES PAPAINA? FAMEB: 0163.
CARDIACAS ORICO-VALVULARES. 685. José Francisco de Souza Lemos Junior.
FAMEB: 0150. HYPOEMIA INTERTROPICAL. FAMEB: 0157.
671. Francisco Felix de Barros e Almeida. 686. José Joaquim Rodrigues de Sant’Anna. QUAL
ARSENICAES – SUA HISTÓRIA NATURAL, O MELHOR TRATAMENTO DO
ACÇÃO PHYSIOLOGICA E EFEITOS CARCINOMA? FAMEB: 0164.
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0152. 687. José Julio de Calasans. AMMONIACOS
672. Francisco Mariano Lopes d’Aguiar. FRAC- COMPOSTOS. FAMEB: 0148.
TURAS DO FIBIA COMPLICADAS DE 688. José Julio Fernandes Barros. SEGUNDO AS
FERIDAS E SEU TRATAMENTO. FAMEB: MODIFICAÇÕES QUE TEM
0161. MODERNAMENTE SOFFRIDO A
673. Francisco Romão Antunes. FORMAS LITHOTRICIA, OS PROCESSOS
CLÍNICAS DA UREMIA. FAMEB: 0161. ACTUAES MERECEM PREFERENCIA
674. Francisco Xavier Soares Montenegro. SOBRE AS ANTERIORES? FAMEB: 0154.
SYMPTOMATOLOGIA DAS LESÕES 689. José Maia Barretto. DA IMPORTANCIA QUE
CARDIACAS. FAMEB: 0159. SE DEVE LIGAR À THEORIA
675. Henrique Leite Barbosa. HEMORRHAGIAS PARASITARIA NO ESTUDO CLINICO DAS
PUERPERAES. FAMEB: 0151. MOLESTIAS CIRURGICAS. FAMEB: 0154.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 39

690. José Maria Pereira Barros. ACCÃO 703. Manoel Candido de Abreu. PANTANOS E
PHYSIOLOGICA E EFFEITOS SOLO MALARICO. FAMEB: 0161.
THERAPEUTICOS DO ESPORÃO DE 704. Manoel Collaço Brandão Veras. FEBRES
CENTEIO. FAMEB: 0154. INTERMITTENTES. FAMEB: 0146.
691. Jovino da Trindade Miranda. PHYSIOLOGIA 705. Manoel Lopes Ferreira. FEBRES
DA MEDULA. FAMEB: 0159. PERNICIOSAS. FAMEB: 0150.
692. Julio Augusto Ferreira da Veiga. 706. Manoel Ricardo Alves da Fonseca.
CONSIDERAÇÕES SOBRE O RHEUMATISMO ARTICULAR AGUDO E
ABORTAMENTO. FAMEB: 0146. SUAS COMPLICAÇÕES. FAMEB: 0150.
693. Julio de Lemos Medeiros. CONSIDERAÇÕES 707. Manoel Segundo Wanderley. FEBRES
ACERCA DO MECHANISMO DO PARTO PERNICIOSAS. FAMEB: 0146.
NATURAL. FAMEB: 0162. 708. Manoel Xavier de Moraes Vasconcellos. DA
694. Julio Soares de Pinto. DA REUNIÃO RETENÇÃO DA URINA E MEIOS DE A
IMMEDIATA, SUAS INDICAÇÕES E REMEDIAR. FAMEB: 0146.
CONTRA INDICAÇÕES, MEIOS DE 709. Manuel Francelino Barbosa. CONJUNCTIVA.
REALISAL-A. FAMEB: 0163. FAMEB: 0151.
695. Justino da Motta Silveira. CONSIDERAÇÕES 710. Martinho Daniel da Rocha Ferreira.
ACERCA DA ECLAMPSIA E DO SEU CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
TRATAMENTO. FAMEB: 0152. ECLAMPSIA E SEU TRATAMENTO.
696. Laudulpho Caribé de Araujo Pinho. HYGIENE FAMEB: 0150.
INTERNACIONAL – MEDIDAS 711. Octaviano Rodrigues Pimenta. DO
PREVENTIVAS CONTRA O CHOLERA METHODO LISTERIANO. FAMEB: 0163.
MORBUS E A FEBRE AMARELA. FAMEB: 712. Otto Sanches. CONSIDERAÇÕES
0163. ACERCA DA PROVOCAÇÃO DO
697. Lindolpho Cavalcanti de Abreu. TUMORES ABORTO. FAMEB: 0164.
FIBROSOS DO UTERO E SEU 713. Pedro Agapio de Aquino. DAS
TRATAMENTO. FAMEB: 0161. HEMORRHAGIAS UTERINAS
698. Luiz Alexandrino de Araujo Bahia. DURANTE O TRABALHO DO PARTO E
PHYSIOLOGIA DO ALCOOL. FAMEB: SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0161.
0151. 714. Pedro Ribeiro d’Araujo Filho. ESTUDO
699. Luiz Bernardino de Oliveira. SOBRE A CONTAGIOSIDADE DA
HEMORRHAGIAS BRONCHO- TUBERCULOSE E SEUS DIVERSOS
PULMORARES. FAMEB: 0159. MEIOS DE MANIFESTAÇÃO A SABER:
700. Luiz Duarte Pereira. DIAGNOSTICO INOCULAÇÃO, INGESTÃO E
DIFFERENCIAL ENTRE AS LESÕES DA INHALAÇÃO. FAMEB: 0155.
MEDULLA ESPINHAL E O BERIBERI DE 715. Quintiliano Francelino da Silva.
FORMA PARALYTICA. FAMEB: 0145. CONSIDERAÇÕES À CERCA DA
701. Luiz Gonzaga D’Assunpção. ACÇÃO ECLAMPSIA E DO SEU TRATAMENTO.
PHYSIOLOGICA E EFFEITOS FAMEB: 0158.
THERAPEUTICOS DO ESPORÃO DE 716. Sebastião Barbosa da Silva Lisbo. PHYSIO-
CENTEIO. FAMEB: 0155. LOGIA DO CEREBRO. FAMEB: 0147
702. Luiz Joaquim de Oliveira Santos. QUAL O 717. Se b a s t i ã o d a S i l v e i r a A n d r a d e .
EFFEITO DA MEDICAÇÃO FERRUGINOSA FORMAS CLÍNICAS DA UREMIA.
SOBRE O SANGUE? FAMEB: 0158. FAMEB: 0161.
40 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

718. Thomaz Coelho Bahia. CONSIDERAÇÕES 731. Antonio Alves Teixeira Junior. DIABETES
ACERCA DAS INDICAÇÕES DA ASSUCARADO – HISTORICO, DE-
OVARIOTOMIA. FAMEB: 0151. FINIÇÃO, SYNONIMIA. FAMEB: 0172
719. Thomaz Rodrigues Pereira Junior. 732. Antonio Cavalcanti Pina. HERANÇA
ARSENICAES, SUA HISTORIA NATURAL, PHYSIOLOGICA E PATHOLOGICA.
ACÇÃO PHYSIOLOGIA E EFFEITOS FAMEB: 0179.
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0145. 733. Antonio Joaquim da Costa Pires. ARSENICAES
720. Tiburcio Suzano de Araújo. EFFEITOS DO – SUA HISTORIA NATURAL, ACÇÃO
USO DAS AGUAS IMPURAS SOBRE A PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
ECONOMIA. FAMEB: 0155. THERAPEUTICOS. FAMEB: 0179.
721. Vasco Theopisto de Oliveira Chaves. 734. Antonio Joaquim Ramos. DAS
CHLORAL – ALDEHYDE TRICHLORADA, GRANGRENAS DYSCRASICAS.
TRICHLORURETO DE ALDEHYDE ETC. FAMEB: 0178.
FAMEB: 0160. 735. Antonio José de Moura. ANESTHESICOS
722. Vencesláo Francisco Magarão. AS LOCAES. FAMEB: 0176.
INDICAÇÕES DA OVARIOTOMIA. 736. Antonio Mancio Ribeiro Jacques.
FAMEB: 0147. ANESTHESIA LOCAL. FAMEB: 0172.
737. Appio José Lopes. ESTUDO CLINICO DA
1886 MORPHÉA. FAMEB: 0181.
738. Aristides Pereira da Silva. HEMATO –
723. Alexandre da Silva Mourão. FUNCÇÕES CHYLURIA ENDEMICA DOS PAIZES
DAS CIRCUMVOLUÇÕES CEREBRAES. QUENTES. FAMEB: 0173.
FAMEB: 0176. 739. Arthur José de Bastos. HYPOEMIA
724. Alfredo de Mello Mattos. APRECIAÇÃO INTERTROPICAL. FAMEB: 0168.
DOS METHODOS EMPREGADOS NO 740. Arthur Moraes Jambeiro Costa.
DELIVRAMENTO. FAMEB: 0177. ANESTHESIA LOCAL. FAMEB: 0185.
725. Alfredo Theodoro Cordeiro. DA 741. Augusto Pereira da Silva Lima. RETENÇÃO
ALBUMINURIA E SUA IMPORTANCIA DA URINA E MEIOS DE A REMEDIAR.
PARA O DIAGNOSTICO. FAMEB: 0182. FAMEB: 0183.
726. Alvaro Sinval de Moura. TETANO. FAMEB: 742. Boaventura da Rocha Paes. GLYCOSURIA
0176. SYNONIMIA E DEFINIÇÃO. FAMEB:
727. Americo Franklin de Menezes Doria. 0179.
RESPONSABILIDADE MEDICA. FAMEB: 743. Bruno de Moraes Bittencourt. FORMAS
0185. CLINICAS DO IMPALUDISMO.
728. André Gonsalves Ferreira Bastos. SEGRÊDO FAMEB: 0168.
PROFISSIONAL EM MEDICINA. FAMEB: 744. Candido da Silveira Machado. ACÇÃO
0169. PHYSIOLOGICA E THERAPEUTICA DA
729. Annibal Pereira da Silva Lima. ESTRUCTURA PAPAINA. FAMEB: 0181.
DA RETINA E SUAS RELAÇÕES 745. Carlos Leite. DO PARALLELO ENTRE OS
HISTOLOGICAS COM O NERVO METHODOS PRECONISADOS NA
OPTICO. FAMEB: 0183. OPERAÇÃO CESARIANA. FAMEB: 0174.
730. Antenor V. Coêlho de Souza. CONDIÇÕES 746. Cesario Ferreira de Britto Travassos.
PHYSICAS DA AUDIÇÃO NO HOMEM. SUSPENSIVOS E ACCELERADORES.
FAMEB: 0173. FAMEB: 0172.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 41

747. Custodio Moreira de Souza Junior. ULTIMOS 761. Francisco Homem de Carvalho.
MELHORAMENTOS INTRODUZIDOS DYSENTERIA. FAMEB: 0166.
NA CONSTRUCÇÃO DOS HOSPITAES E 762. Francisco José de Sant’Anna. CONSIDERAÇÕES
MATERNIDADES. FAMEB: 0172. ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 0175.
748. Domingos Augusto d’Azevedo. GLYCOSURIA 763. Francisco Theophilo de Mattos Judice.
OU DIABETES ASSUCARADO. FAMEB: TETANOS TRAUMATICO. FAMEB: 180.
0169. 764. Frankilin Dantas Correia de Góes.
749. Eduardo Dotto. CONSIDERAÇÕES ETIOLOGIA DA CHOLERA, E SUA
ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 0185. PROPHYLAXIA. FAMEB: 0182.
750. Eduardo Lopes Domingues. RETENÇÃO DE 765. Fructuoso de Souza Quintanilha.
URINA E MEIOS DE A REMEDIAR. CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
FAMEB: 0185. ECLAMPSIA E SEO TRATAMENTO. FAMEB:
751. Emilio de Menezes Sampaio. FRACTURAS 0178.
DO TIBIA COMPLICADAS DE FERIDA E 766. Garponphoro Mendonça Lima. FEBRE
SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0175. REMITTENTE BILIOSA DOS PAIZES
752. Emygdio Augusto de Sá Ribeiro. QUENTES. FAMEB: 0181.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA 767. Gonçalo Rabello Leite. PHTHISICA
ECLAMPSIA. FAMEB: 0167. TUBERCULOSA. FAMEB: 0183.
753. Ernesto Pinheiro de La-Cerda. FEBRE 768. Ignacio Firmo de Almeida Xavier. DA
TYPHOIDE. FAMEB: 0180. GLYCOSURIA – HISTORICO E
754. Firmo Euzebio Dias Cardozo. FERIDAS DAS PATHOGENIA. FAMEB: 0170.
ARTICULAÇÕES E SEU TRATAMENTO. 769. Jacintho Claro Baptista dos Santos. DAS
FAMEB: 0166. FERIDAS DA CABEÇA E DOS
755. Flavio Bredero de Pessôa de Mello. ACCIDENTES QUE AS COMPLIÇÃO.
CONSIDERAÇÕES DA INSERÇÃO ANOR- FAMEB: 0175.
MAL DA PLACENTA. FAMEB: 0177. 770. Jacob Almendra de Souza Gayoso.
756. Francisco Augusto de Lima Freitas. DYSENTERIA. FAMEB: 0182.
INDICAÇÃO DA ELECTROLYSE NOS 771. João Baptista dos Santos Filho. DA UREMIA
ESTREITAMENTOS URETHRAES. EM GERAL. FAMEB: 0175.
FAMEB: 0182. 772. João Braulio Moinhos de Vilhena Junior. DA
757. Francisco Camillo de Hollanda. CONSTITUIÇÃO E DAS
CONSIDERAÇÕES ACERCA DAS MANIFESTAÇÃOES GÔTTOSAS.
MOLESTIAS FETAES QUE PODEM FAMEB: 0170.
OBSTAR O PARTO. FAMEB: 180. 773. João da Cruz Cordeiro. APRECIAÇÃO
758. Francisco da Luz Carrascosa. JURUBEBA – DOS METHODOS OPERATORIOS
SUA HISTÓRIA NATURAL, ACÇÃO PRECONISADOS NA PROVOCAÇÃO
PHYSIOLOGICA E EFFEITOS DO PARTO PREMATURO. FAMEB: 0165.
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0166. 774. João Luiz Vianna. APRECIAÇÃO DOS
759. Francisco de Alsis Correia. O QUE É A METHODOS EMPREGADOS NO
VIDA? FAMEB: 0165. DELIVRAMENTO. FAMEB: 0171.
760. Francisco de Freitas Prestes. DAS 775. João Martins da Silva. INFLUENCIA
FRACTURAS DO TÍBIA COMPLICADAS DOS E S TA D O S MORBIDOS
DE FERIDAS E SEU TRATAMENTO. CONSTITUCIONAES SOBRE O
FAMEB: 0178. TRAUMATISMO. FAMEB: 0173.
42 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

776. João Nunes da Silva Lopes. TETANO – 790. Luiz Vieira Lima Guimarães. FEBRE
DEFINIÇÃO, SYNONIMIA E DIVISÃO. AMARELLA. FAMEB: 180.
FAMEB: 0181. 791. Lybio Vinhas. HYPOHEMIA
777. Joaquim Antonio de Oliveira Botelho. FEBRE INTERTROPICAL. FAMEB: 0171.
AMARELLA. FAMEB: 0168. 792. Manoel Antonio Affonso Reis. FERIDAS
778. Joaquim Matheus dos Santos. DA PENETRANTES DO ABDOMEN, SEU
ALBUMINURIA E SUA IMPORTÂNCIA TRATAMENTO. FAMEB: 0178.
PARA O DIAGNÓSTICO. FAMEB: 0175. 793. Manoel Antonio Medeiros de Araújo.
779. José d’Araujo Aragão Bulcão. PARALLELO CHOQUE TRAUMATICO E SUA
DOS DIVERSOS METHODOS PATHOGENIA. FAMEB: 0169.
PRECONISADOS NA OPERAÇÃO 794. Manoel Baptista Itajahy. DYSENTERIA.
CESARIANA. FAMEB: 0166. FAMEB: 180.
780. José de Azevedo Maia Filho. 795. Manoel dos Santos Rangel. FEBRE
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA AMARELLA. FAMEB: 0178.
ECLAMPSIA. FAMEB: 0181. 796. Manoel Ribeiro de Araújo. FEBRE
781. José Porfirio de Sá. CONSIDERAÇÕES AMARELLA. FAMEB: 0169.
ACERCA DA INSERÇÃO ANORMAL DA 797. Manoel Rollemberg Leite Sampaio. FEBRE
PLACENTA. FAMEB: 0167. TYPHOIDE. FAMEB: 0175.
782. José Vieira da Costa Valente. FORMAS 798. Manuel Martins Vianna. FORMAS
CLINICAS DO IMPALUDISMO – CLINICAS DO IMPALUDISMO.
MIASMA PALUSTRE –MALARIA FAMEB: 0171.
GENESE E ETIOLOGIA. FAMEB: 0171. 799. Mathaias de Campos Velho. ETIOLOGIA DO
783. Julio Flavio Accioli de Menezes. CHOLERA-MORBUS; MEDIDAS
CONSIDERAÇÕES SOBRE A SANITARIAS APPLICAVEIS CONTRA A
OPERAÇÃO D’ESTLANDER. FAMEB: SUA INVASÃO E PROPAGAÇÃO NESTA
0177. CIDADE. FAMEB: 0171.
784. Lamartine Ribeiro Guimarães. QUAL O 800. Odilon Fernandes de Carvalho.
MELHOR TRATAMENTO DAS ULCERAS FERIMENTOS E OUTRAS OFFENSAS
GERALMENTE. FAMEB: 0182. PHYSICAS ESTUDADA PELA
785. Luiz Agapito de Moura. O CHOLERA MEDICINA LEGAL. FAMEB: 0165.
MORBUS E O BACILLO VIRGULA – 801. Orlando Marinho Falcão Sicupira.
DEDUCÇÕES CLINICAS DOS APRECIAÇÃO DOS METHODOS
MODERNOS ESTUDOS. FAMEB: 0176. EMPREGADOS NO DELIVRAMENTO.
786. Luiz Alexandrino de Araujo Bahia. FAMEB: 0173.
PHYSIOLOGIA DO ALCOOL. FAMEB: 802. Quirino Ribeiro Monteiro de Resende.
0169. ESTUDO CLINICO DAS LESÕES DAS
787. Luiz Gomes do Amaral. INERCIA UTERINA. DIVERSAS REGIÕES E ESTRUCTURAS
FAMEB: 0170. DO EIXO MEDULLAR. FAMEB: 0167.
788. Luiz Lopes da Silva Lima. FEBRE 803. Sergio Teixeira de Macedo Werneck.
AMARELLA. FAMEB: 0181. ALBUMINURIA E SUA IMPORTANCIA
789. Luiz Noberto da Silva Peres. APRECIAÇÃO PARA O DIAGNOSTICO. FAMEB: 0170.
DOS METHODOS OPERATORIOS 804. Silvio Pellico Portella. DO DIABETES EM
PRECONISADOS NA PROVOCAÇÃO RELAÇÃO AO PROGNOSTICO DAS
DO PARTO PREMATURO. FAMEB: 0179. OPERAÇÕES. FAMEB: 0179.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 43

805. Theodoreto Archanjo do Nascimento. 821. Antonio Justa de Seixas Corrêa. FEBRE
ALCOOLISMO E EMBRIAGUEZ. FAMEB: AMERELLA. FAMEB: 0212.
0179. 822. Antonio Maximiniano Xavier Lisboa.
806. Thomaz de Aquino Gaspar Filho. HYDROTHERAPIA. FAMEB: 0189.
ARSENICAES: SUA HISTORIA NATURAL, 823. Antonio Monteiro de Barros. DA FEBRE
ACÇÃO PHYSIOLOGICA E EFFEITOS TYPHOIDEA. FAMEB: 0190.
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0182. 824. Antonio Narciso dos Santos. ARSENICAES
807. Thomaz de Figueiredo Rocha. FEBRE – SUA HISTORIA NATURAL, ACÇÃO
AMARELLA. FAMEB: 0167. PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
808. Ulysses Cruz. TETANO. FAMEB: 0185. THERAPEUTICOS. FAMEB: 0195.
809. Umbelino Heraclio Muniz Marques. HYGIENE 825. Areolino Antonio de Abreu. GLYCOSURIA
PEDAGOGICA. FAMEB: 0177. (DIABETES ASSUCARADO). FAMEB: 0208.
810. Vitalico Edmundo Leal. ESTADOS 826. Arthur Côrtes Guimarães. HYPOEMIA
PHYSIOLOGICOS E PATHOLOGICOS INTERTROPICAL. FAMEB: 0189.
FÓRA DA LOUCURA, QUE INFLUEM 827. Augusio da Rocha Miranda. ETIOLOGIA DO
SOBRE A RESPONSABILIDADE E A CHOLERA-MORBUS, MEDIDAS
CAPACIDADE. FAMEB: 0174. SANITARIAS APPLICAVEIS CONTRA
A SUA INVASÃO E PROPAGAÇÃO
1887 N’ESTA CIDADE. FAMEB: 0198.
828. Augusto da Cunha. DO ESTUDO CLINICO
811. Adolpho Ferreira Barbosa. LESÕES DAS DA TUBERCULOSE À LUZ DAS
DIVERSAS REGIÕES E ESTRUCTURAS MODERNAS THEORIAS ETIOLOGICAS E
DO EIXO MEDULLAR. FAMEB: 0211. PATHOGENICAS DESTA ENFERMIDADE.
812. Alarico Alves Costa. FEBRE TYPHOIDÉA. FAMEB: 0188.
FAMEB: 0212. 829. Aurelio Rodrigues Vianna. LESÕES DAS
813. Alberto de Campos Velho. GLYCOSURIA. DIVERSAS REGIÕES E ESTRUCTURA DO
FAMEB: 0210. EIXO MEDULLAR. FAMEB: 0210.
814. Alfredo Arnobio Marques. FRACTURAS DO 830. Bruno Gonçalves Chaves. ESTUDO
TIBIA COMPLICADAS DE FERIDAS E MEDICO-CLÍNICO DO MERCURIO E
SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0198. SEUS COMPOSTOS. FAMEB: 0194.
815. Alfredo Mellor Marques de Souza. HYPOE- 831. Carlos Alberto Amado. FERIDAS ARTICU-
MIA INTERTROPICAL. FAMEB: 0209. LARES E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0208.
816. Alvaro de Freitas Oliveira. CLASSIFICAÇÃO 832. Carlos Augusto Freire de Carvalho.
DAS ULCERAS. FAMEB: 0186. ECLAMPSIA E SEU TRATAMENTO.
817. Alvaro Freire de Villalba Alvin. FEBRE FAMEB: 0193.
TYPHOIDE. FAMEB: 0208. 833. Carlos Marques da Silveira. CONSTITUIÇÃO
818. Americo Tavares. CONSIDERAÇÕES E DAS MANIFESTAÇÕES GOTTOSAS.
ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 0206. FAMEB: 209.
819. Antonio Augusto de Rezende. 834. Claudio Serra de Moraes Rego. DA
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA HYDROTHERAPIA. FAMEB: 0196.
ECLMPSIA. FAMEB: 0196. 835. Coriolano Barreto de Burgos. ESTUDO
820. Antonio Candido de Leão. VALOR MEDICO CLINICO DAS LESÕES DAS DIVERSAS
– LEGAL DO INTERVALLO LUCIDO. REGIÕES E ESTRUCTURA DO EIXO
FAMEB: 0189. MEDULLAR. FAMEB: 0191.
44 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

836. Edmundo Berchon des. CONSIDERAÇÕES 851. Francisco de Paula Gonçalves Moreira.
CIRURGICAS SOBRE A ABLAÇÃO ARSENICAES, SUA HISTORIA NATURAL,
COMPLETA DO UTERO. FAMEB: 0190. ACÇÃO PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
837. Eduardo Augusto Silveira. CONSIDERAÇÃO THERAPEUTICOS. FAMEB: 0187.
ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 0209. 852. Francisco José Cardoso Junior. DA FEBRE
838. Eduardo Lins Ferreira de Araújo. TYPHOIDE. FAMEB: 0192.
ALCOOLISMO CHRONICO, LESÕES E 853. Francisco Luiz Vianna. ESTUDO CLINICO
FORMAS CLINICAS. FAMEB: 0211. DA MORPHÉA. FAMEB: 0210.
839. Emigdio Beserra Montenegro. FEBRE 854. Francisco Salles Camargo. DA FEBRE
TYPHOIDE. FAMEB: 0187. TYPHOIDE. FAMEB: 0193.
840. Epaminondas Pinto da Rocha. 855. Genuino Francisco Coelho. ESTUDO
ALCOOLISMO CHRONICO E SUAS COMPARATIVO DOS EFFEITOS
VARIEDADES CLINICAS. FAMEB: 0196. MORBIDOS PRODUZIDOS PELA
841. Eudoxio Aureliano de Oliveira. FERIDAS DAS ACÇÃO DO CALOR, DO FRIO E DA
ARTICULAÇÕES E SEU TRATAMENTO. ELETRICIDADE SOBRE O CORPO
FAMEB: 0186. HUMANO. FAMEB: 0212.
842. Euphrasio José da Cunha.. DA 856. Henrique Alvares Pereira. DA HERANÇA
HYDROTHERAPIA. FAMEB: 0188 PHYSIOLOGICA E PATHOLOGICA EM
843. Ezequiel Candido de Souza Britto. REFERENCIA À MEDICINA LEGAL.
INFLUENCIA DA MICROSCOPIA NO FAMEB: 0207.
DIAGNOSTICO DAS MOLESTIAS. 857. Hernani da Silva Pereira. CONSIDERAÇÕES
FAMEB: 0191. SOBRE A ALIMENTAÇÃO NO BRAZIL.
844. Felippe Machado Pereira. MELHORAMENTOS FAMEB: 0207.
INTRODUZIDOS NA CONSTRUCÇÃO 858. Ildefonso Pereira Azevedo. HEMATURIA
DOS HOSPITAES. FAMEB: 0207. ENDEMICA DOS PAIZES QUENTES.
845. Fernando d’Aquino Gaspar. APRECIAÇÃO FAMEB: 0211.
DOS METHODOS OPERATORIOS 859. James Eduardo Nelson Ollivier. FEBRE
PRECONISADOS NA PROVOCAÇÃO TYPHOIDE. FAMEB: 0186.
DO PARTO PREMATURO. FAMEB: 0189. 860. João de Aguiar Silva Martins. FEBRE
846. Fernando Lisboa Coutinho. ESTUDO REMITTENTE BILIOSA DOS PAIZES
PHARMACOLOGICO ACERCA DO QUENTES. FAMEB: 0198.
OLEO DE FIGADO DE BACALHAU. 861. João Leite de Oliva. CONSIDERAÇÕES
FAMEB: 0212. ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 0186.
847. Flavio de Souza Mendes. ESTUDO 862. Joaquim Alves de Vasconcellos. ALCOO-
CLINICO DA MORPHÉA. FAMEB: LISMO CHRONICO E SUAS
0198. VARIEDADES CLINICAS. FAMEB: 0206.
848. Francisco Augusto da Silveira. TETANOS 863. Joaquim Aureliano Sepúlveda. TETANOS
TRAUMATICO E SUA PATHOGENIA. TRAUMATICO E SUA PATHOGENIA.
FAMEB: 0209. FAMEB: 0195.
849. Francisco Claudino de Lima e Moura. 864. Joaquim de Souza Soares. CONSIDERA-
GLYCOSURIA. FAMEB: 0187. ÇÕES ACERCA DA ECLAMPSIA.
850. Francisco da Rocha Lima. DA ESCROFULA FAMEB: 0209.
EM SUA RELAÇÃO COM A 865. Joaquim Manuel Gomes. RESPON-
TUBERCULOSE. FAMEB: 0189. SABILIDADE MEDICA. FAMEB: 0189.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 45

866. José Affonso de Carvalho. PARALELLO 881. Malaquias Aragão. ARSENICAES, SUA
ENTRE OS METHODOS HISTORIA NATURAL, ACÇÃO
PRECONISADOS NA OPERAÇÃO PHYSIOLOGICA E EFF.EITOS
CESARIANA. FAMEB: 0192. THERAPEUTICOS. FAMEB: 0211.
867. José Alboino de Figueredo. SEGREDO 882. Manoel Chrysostomo de Almeida. AS
PROFISSIONAL EM MEDICINA. EMULSÕES DE OLEO DE FIGADO DE
FAMEB: 0190. BACALHÁO. FAMEB: 0208.
868. José Antonio d’Oliveira Andrade. TETANOS 883. Manoel Gonçalves Loureiro.
TRAUMATICO E SUA PATHOGENIA. CONSIDERAÇÕES ACERCA DAS
FAMEB: 0208. MOLESTIAS FETAES. FAMEB: 0192.
869. José Caetano da Silva Campolina Junior. 884. Manoel Lopes Velloso.
HYPOEMIA INTERTROPICAL. FAMEB: 0193. CONSIDERAÇÕES SOBRE AS
870. José de Assis Sousa. FERIDAS DAS MOLESTIAS FETAES. FAMEB: 0210.
ARTICULAÇÕES E SEU TRATAMENTO. 885. Manoel Ricardo de Souza Dias. ETIOLOGIA
FAMEB: 0206. DO CHOLERA-MORBUS. FAMEB: 0190.
871. José Esmeraldo d’Oliveira. RETENÇÃO DA 886. Miguel Cursino Villa-Nova. ESTUDO
URINA E MEIOS DE A REMEDIAR. CLINICO DA MORPHEA. FAMEB: 0210.
FAMEB: 0186. 887. Nestor de Siqueira Cavalcanti.
872. José Joaquim Monteiro Bastos. HYDRO- ARSENICAES – SUA HISTORIA
THERAPIA. FAMEB: 0191. NATURAL, ACÇÃO PHYSIOLOGICA E
873. José Moreira da Costa Rodrigues. DO EFFEITOS THERAPEUTICOS. FAMEB:
ESTUDO CLINICO DA TUBERCULOSE A 0194.
LUZ DAS MODERNAS THEORIAS 888. Olyntho Maximo de Magalhães. FEBRE
ETIOLOGICAS E PATHOGENICAS DESTA AMARELLA. FAMEB: 0192.
ENFERMIDADE. FAMEB: 0195/0197. 889. Paulino Werneck. SEGUNDO AS
874. Julio Augusto da Silva Maya. DA MODIFICAÇÕES QUE
ALBUMINURIA E SUA IMPORTANCIA MODERNAMENTE TEM SOFFRIDO A
CLINICA. FAMEB: 0198. LITHOTRICIA OS PROCESSOS
875. Julio de Perouse Pontes. FRACTURAS DA ACTUAES MERECEM PREFERENCIA
TIBIA COMPLICADAS DE FERIDAS E AOS ANTERIORES? FAMEB: 0210.
SEU TRATAMENTO. FAMEB: 0207. 890. Pedro Aureliano Monteiro dos Santos. DO
876. Leandro Muniz da Motta. DAS DIFFICUL- JABORANDI – SUA HISTORIA NATURAL
DADES NO DELIVRAMENTO.FAMEB:0187. ACÇÃO PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
877. Lourenço Vieira de Azevedo Coutinho. THERAPEUTICOS. FAMEB: 0195.
IDENTIDADE. FAMEB: 0188. 891. Pedro Corrêa de Macedo. HYPOEMIA
878. Luiz Miguel Berford Quadros. HYPOEMIA INTERTROPICAL. FAMEB: 0192.
INTERTROPICAL. FAMEB: 0207. 892. Rita Lobato Velho Lopes. PARALELOS
879. Luiz Pereira de Souza Castro. QUAL A ACÇÃO ENTRE OS MÉTODOS PRECONIZADOS
PHYSIOLOGICA E THERAPEUTICA DA NA OPERAÇÃO CESARIANA. FAMEB:
PAPAYNA. FAMEB: 0194. 192.
880. Luiz Serra de Moraes Rego. DO JABORANDI 893. Servilio Mario da Silva. DYNAMOGENIA E
– SUA HISTORIA NATURAL, ACÇÃO INHIBIÇÃO NERVOSA. FAMEB: 0195.
PHYSIOLOGICA E EFFEITOS 894. Tiberio Soares Burlamaque. FEBRE
THERAPEUTICOS. FAMEB: 0196. TYPHOIDE. FAMEB: 0191.
46 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

895. Ulysses Gabriel de Castro Vasconcellos. URE- 910. Augusto Gloria Ferreira Alves. RAIVA
MIA E SUAS VARIEDADES CLINICAS. HYDROPHOBICA. FAMEB: 0221.
FAMEB: 0206. 911. Augusto Gonçalves Martins. CONSIDE-
896. Virgilio de Araujo Cunha. ALBUMINURIA RAÇÕES SOBRE O ESTUDO COMPA-
ESUAIMPORTANCIACLINICA.FAMEB:0188. RATIVO ENTRE AS OPERAÇÕES
897. Virgilio de Mello Rezende. ESTUDO CLINICO OBSTETRICAS: EMBRYOTOMIA E
DA TUBERCULOSE. FAMEB: 0196. OPERAÇÃO CESARIANA. FAMEB: 224.
912. Augusto Las Casas dos Santos.
1888 DEFORMIDADES UTERINAS. FAMEB:
0226.
898. Affonso Ernesto da Silva. O CHOLERA- 913. Benjamim Targiny Moss. INTOXICAÇÃO
MORBUS E O BACCILLO-VÍRGULA. SATURNINA. FAMEB: 0218.
FAMEB: 0226. 914. Carlos Affonso Alves. DAS SUGGESTÕES
899. Affonso Smaragdo de Oliveira. QUAL A ACÇÃO NO TRATAMENTO DAS DOENÇAS
PHYSIOLOGICA E THERAPEUTICA DA PSYCHICAS. FAMEB: 0214.
PAPAINA? FAMEB: 0218. 915. Carlos Autran da Matta e Albuquerque.
900. Alexandre Tupinambá. DA OPERAÇÃO DA RACHITISMO. FAMEB: 0221.
CATARACTA E DO ESTUDO CRITICO 916. Carlos Dantas Bastos. INDICACÕES E
DOS PROCESSOS EMPREGADOS. CONTRAINDICAÇÃO DA TALHA E
FAMEB: 0220. LITHOTRICIA. FAMEB: 0213.
901. Alfredo Ferreira do Valle. CONSIDERAÇÕES 917. Cherubino Soeiro de Carvalho. APPLI-
ACERCA DO DELIVRAMENTO CACÕES E VALOR THERAPEUTICO DA
NATURAL. FAMEB: 0220. AGUA QUENTE EM OBSTETRÍCIA E
902. Alfredo Jacintho Franco. NEPHRITE GINECOLOGIA. FAMEB: 227.
PARENCHYMATOSA. FAMEB: 225. 918. Christiano José da Silva. AORTITE E SUAS
903. Alipio Santiago Correa. HYDROTHERAPIA. MANIFESTAÇÕES SYMPTOMATICAS.
FAMEB: 227. FAMEB: 0215.
904. Alvaro Frederico Bormann Borges. ATAXIA 919. Collatino de Borborema. CONSIDERAÇÕES
LOCOMOTORA PROGRESSIVA. Á CERCA DO PARTO PREMATURA
FAMEB: 0216. ARTIFICIAL. FAMEB: 0216.
905. Antonio Ferreira de Mattos Junior. 920. Constantino Martins Lontra. ALBUMI-
CONSIDERAÇÕES ACERCA DA ECLAM- NURIA E SUA IMPORTANCIA
PSIA. FAMEB: 224. CLINICA. FAMEB: 223.
906. Antonio Francisco de Vasconcellos. FEBRE 921. Cyrillo Victorino dos Santos. ESTUDO
BILIOSA PALUSTRE. FAMEB: 0220. MEDICO-CLINICO DO CHUMBO E
907. Aramim Augusto de Almeida. FEBRE SEUS COMPOSTOS. FAMEB: 226.
BILIOSA PALUSTRE. FAMEB: 0221. 922. Democrito Bittencourt Calasans. FORMAS
908. Aristêo Ferreira D’Andrade. DA SUGESTÃO CLINICAS DO IMPALUDISMO AGUDO.
NO TRATAMENTO DAS DOENÇAS FAMEB: 227.
PSYCHICAS. FAMEB: 0214. 923. Domingos Gonçalves Barata. FUNCÇÕES
909. Arthur Leite de Oliva. ARSENICAES – SUA DOS ORGÃOS PERI-ENCEPHALICOS
HISTORIA NATURAL, ACÇÃO PHYSIOLO- INFERIORES. FAMEB: 0213.
GICA E EFFEITOS THERAPEUTICOS. 924. Eliseu Dominiense da Conceição Sousa.
FAMEB: 0218. SCLEROSE ATROPHICA. FAMEB: 0215.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 47

925. Emygdio Dias Novaes. ELEPHANTIASIS 940. Hermano José de Sant’Anna. ESTUDO
DOS ARABES. FAMEB: 0218. CLINICO DA TUBERCULOSE. FAMEB:
926. Eneas M. Ferreira. DO TRATAMENTO 0217.
CIRURGICO DA TUBERCULOSE. 941. João dos Santos Pereira. ABCESSOS POR
FAMEB: 225. CONGESTÃO E SEU TRATAMENTO.
927. Estevão d’Oliveira Pinto. PROEMIO – FAMEB: 0219.
HERANÇA PHYSIOLOGICA. FAMEB: 942. João José Duarte Guimarães. FERIDAS POR
0219. ARMAS DE FOGO E SEU TRATAMENTO.
928. Evaristo Augusto de Alcantara Lemos. UREMIA FAMEB: 223.
E SUAS VARIEDADES CLINICAS. 943. José Calmon de Aragão Bulcão. NEPHRITE
FAMEB: 223. PARENCHYMATOSA. FAMEB: 0216.
929. Fabio da Silveira Barros. ESTUDO 944. José Clarimundo Nobre de Mello. FEBRE
COMPARATIVO ENTRE A ACÇÃO DA AMARELLA. FAMEB: 224.
IRIDECTOMIA E DA SCLEROTOMIA 945. José Domingues de Andrade. DO
NAS AFFECÇÕES GLAUCOMATOSAS. JABORANDI, SUA HISTORIA NATURAL,
FAMEB: 0213. ACÇÃO PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
930. Fabio Lopes dos Santos Luz. HYPNOTISMO THERAPEUTICOS. FAMEB: 0214.
E LIVRE ARBITRIO. FAMEB: 223. 946. José Facundo de Monte-Razo. FEBRES
931. Fidenciano José da Costa Faria. FORMAS BILIOSAS PALUSTRES. FAMEB: SR.
CLINICAS DO IMPALUDISMO AGUDO. 947. José Gabriel de Almeida Paim. SOMNO,
FAMEB: 225. SONHO, SOMNAMBULISMO E DELÍRIO.
932. Francisco de Paula Barbosa. FAMEB: 0217/0219.
HYDROPHOBIA. FAMEB: 0213. 948. José Honorino d’Oliveira. TRATAMENTO
933. Francisco de Paula Porto Moretz-Sohn. DA ANTISEPTICO NAS AMPUTAÇÕES.
TUBERCULOSE PERANTE A CIRURGIA. FAMEB: 225.
FAMEB: 224. 949. José Nunes Sobral. PHENOMENOS
934. Francisco Pereira da Silva Junior. DAS NERVOSOS DO DIABETES. FAMEB:
CONDIÇÕES PATHOGENICAS DA 0215.
PNEUMONIA. FAMEB: 089-B. 950. José Rodrigues Ribeiro. HYDRORRHÉA
935. Francisco Teixeira de Magalhães Filho. DURANTE A GRAVIDEZ. FAMEB:
CYSTITES DO COLLO. FAMEB: 224. 0217.
936. Francisco Tosta Mello. CONSIDERAÇÕES 951. José Valeriano de Souza. ESTUDO DAS
ACERCA DAS HERMORRHAGIAS FERIDAS POR ARMAS DE FOGO E SEU
PUERPERAES. FAMEB: 224. TRATAMENTO. FAMEB: 0215.
937. Gamaliel da Cunha Britto. FRACTURAS DO 952. Julio Maximiano Ollivier. ALBUMINURIA E
COLLO DO FEMUR E SEU TRATAMENTO. SUA IMPORTANCIA CLINICA. FAMEB:
FAMEB: 0216. 0219.
938. Graciano Feliciano Castilho. FUNCÇÕES 953. Lazaro Candido da Silva. QUAL A DOU-
DAS CIRCUMVOLUÇÕES CEREBRAES. TRINA QUE MELHOR EXPLICA A
FAMEB: 227. SEPTICEMIA. FAMEB: 0215.
939. Guarino Aloysio Ferreira Freire. QUAL O 954. Mamede Monteiro da Rocha. DO CALOR
PAPEL QUE DESEMPENHA A ANIMAL EM SUAS RELAÇÕES COM
CIVILISAÇÃO NO MOVIMENTO DAS OS ACTOS FUNCCIONAES DO
MOLESTIAS MENTAES. FAMEB: 225. ORGANISMO. FAMEB: 0217.
48 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

955. Manoel Caetano da Silva. FERIDAS DAS 970. Thomaz de Aquino Monteiro de Barros.
ARTICULAÇÕES E SEU TRATAMENTO. MORTE SUBITA DO ESTADO PUER-
FAMEB: 0215. PERAL. FAMEB: 0213.
956. Manoel do Nascimento Monteiro Vianna. DA 971. Thomaz Ferreira de Carvalho Sobrinho. NE-
HYPERTHERNIA NAS MOLESTIAS PHRYTE PARENCHIMATOSA. FAMEB: 227.
AGUDAS. FAMEB: 0220. 972. Valentim Butler Browne. A RAIVA. FAMEB:
957. Manoel dos Guaranys Peixoto. 0216.
HYDROTHERAPIA. FAMEB: 0219. 973. Virgilio Tourinho de Bittencourt. INTOXI-
958. Manoel Francisco Tavares. CHOLERA – CAÇÃO SATURNINA. FAMEB: 0191.
MORBUS. FAMEB: 0220.
959. Manoel Ignacio Penna. ABCESSO POR 1889
CONGESTÃO E SEU TRATAMENTO.
FAMEB: 0219. 974. Alfredo Antonio de Andrade. DO
960. Manoel Leandro Corrêa Brandão. TRATAMENTO DA HYDROCELE PELA
OVARIOTOMIA E ANTISEPCIA INCISÃO ASEPTICA. FAMEB: 089-E.
LISTERIANA. FAMEB: 0216. 975. Alfredo de Araujo Rego. INTOXICAÇÃO
961. Manoel Luiz Vieira Lima. SATURNINA. FAMEB: 089-A.
MORPHINOMANIA E SEU 976. Antonio Baptista dos Anjos. AFFECÇÕES
TRATAMENTO. FAMEB: 223. CUTANEAS E DE ORIGEM NERVOSA.
962. Manoel Secundino de Sá. GLYCOSURIA FAMEB: 089-A.
(DIABETES ASSUCARADO). FAMEB: 0217. 977. Antonio da Silva Cruz. DA ANTIPYRINA E
963. Miguel José d’Almeida Pernambuco Junior. SUA ACÇÃO PHYSIO-TERAPEUTICA.
COMPLICAÇÕES DA FEBRE FAMEB: 089-E.
TYPHOYDE. FAMEB: 0219. 978. Antonio Nunes Bueno do Prado. LESÕES
964. Octaviano Ferreira da Costa. DO ORGANICAS DO CORAÇÃO. FAMEB:
JABORANDI SUA HISTORIA NATURAL 089-F.
EFFEITOS PHYSIOLOGICOS E 979. Antonio Pinto Nogueira Brandão. TUMORES
APLICAÇÕES THERAPEUTICAS. DA BEXIGA. FAMEB: 089-J.
FAMEB: 225. 980. Anysio Rosa Soares. HEMORRHAGIA
965. Palinuro de Moura Campos. DA CEREBRAL. FAMEB: 089-C.
CONSTITUIÇÃO E DAS MANIFESTAÇÕES 981. Arthur da Silva Pereira. ESTUDO PHYSIO-
GOTTOSAS. FAMEB: 227. THERAPEUTICO DO CAFÉ E SEUS
966. Pedro Muniz Barretto. RACHITISMO. ALCALOIDES. FAMEB: 089-H.
FAMEB: 0213. 982. Astrolabio José de Passos. DA ANTIPYRINA
967. Pedro Rodrigues Guimarães. ALCOOLISMO E SUA ACÇÃO PHYSIO-THERA-
CHRONICO. FAMEB: 223. PEUTICA. FAMEB: 089-C.
968. Serafim Vieira de Almeida. 983. Augusto Cesar Vianna. ESTUDO GERAL DO
RESPONSABILIDADE MEDICA. FAMEB: SANGUE. FAMEB: 089-G.
0221. 984. Augusto Lucio de Figueiredo Teixeira. DA
969. Simplicio Antonio Mavignier. ESTUDO ANTIPYRINA E SUA ACÇÃO PHYSIO-
CLINICO DA TUBERCULOSE À LUZ THERAPEUTICA. FAMEB: 089-D.
DAS MAIS MODERNAS THEORIAS 985. Aurelio de Mello Resende. CONSIDE-
ETIOLOGICAS E PATHOGENICAS RAÇÕES ACERCA DA DYSTOCIA
D’ESTA ENFERMIDADE. FAMEB: 224. FETAL. FAMEB: 089-B.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 49

986. Bento Augusto D’Andrade. ESTUDOS 1002. João Antonio da Costa Doria. ESTUDO
SOBRE PATHOLOGIA DAS DOENÇAS CLINICO DAS OCCLUSÕES
CONSTITUCIONAES HEREDITARIAS. INTESTINAES E SEO TRATAMENTO.
FAMEB: 089-C. FAMEB: 089-J.
987. Bonifacio Ferreira de Carvalho. DA COCA, 1003. João Baptista de Sá Andrade. FEBRES
SEU PRINCIPIO ACTIVO E SUA ACÇÃO BILIOSAS PALUSTRES. FAMEB: 089-H.
PHYSIOTHERAPEUTICA. FAMEB: 089-D. 1004. João Epaminondas de Mello Passos. DA LEPRA
988. Braulio Carolino de Menezes. E SUA ETIOLOGIA. FAMEB: 089-C.
HYPERTHERMIA DAS MOLESTIAS 1005. João Jeronymo Pontual Rangel.
AGUDAS. FAMEB: 089-E. CONSIDERAÇÕES SOBRE A
989. Caetano de Almeida Galeão. PARALLELO LAPAROTOMIA. FAMEB: 089-C.
ENTRE METHODOS PRECONISADOS 1006. João Ricardo Costa Filho. CONSIDERAÇÕES
NA OPERAÇÃO CESARIANA. FAMEB: ACERCA DO DIAGNOSTICO
089-D. DIFFERENCIAL DA PRENHEZ.
990. Caetano Machado da Fonseca Marinho. FAMEB: 089-G.
SYPHILIS HEREDITARIA TARDIA. 1007. João Vieira Leite. APRECIAÇÃO DOS
FAMEB: 089-F. METHODOS OPERATORIOS GERAES
991. Clementino Luiz do Monte. DO ADOPTADOS NA OPERAÇÃO
TRATAMENTO DOS ABCESSOS DO CESARIANA. FAMEB: 089-J.
FIGADO PELA ABERTURA ASCEPTICA. 1008. José Esteves Frederico da Costa. INTOXICAÇÃO
FAMEB: 089-A. SATURNINA. FAMEB: 089-D.
992. Cleophano Meirelles. PHENOMENOS 1009. José Ferreira Muniz. DAS CONSIÇÕES
CHINICOS DA DIGESTÃO. FAMEB: 089-C. PATHOGENICAS, DIAGNOSTICO E
993. Domingos Portella Lima. FEBRE BILLIOSA TRATAMENTO DAS PNEUMONIAS.
PALUSTRE. FAMEB: 089-D. FAMEB: 089-E.
994. Edgardo Henrique Albertazzi. INTOXICAÇÃO 1010. José Lino da Justa. ETIOLOGIA DO
SATURNINA. FAMEB: 089-C. CHOLERA-MORBUS MEDIDAS
995. Eduardo Francisco Magarão. INDICAÇÃO SANITÁRIAS APPLICAVEIS CONTRA
DA TRACHEOTOMIA. FAMEB: 089-G. SUA INVASÃO E PROPAGAÇÃO N’ESTA
996. Eduardo Leger Lobão Junior. CIDADE. FAMEB: 089-C.
HEMORRHAGIA CEREBRAL. FAMEB: 1011. José Xavier Coelho. DO TABAGISMO SUA
089-F. INFLUENCIA SOBRE A MENTALIDADE.
997. Emilio Paulo dos Santos Pereira. FAMEB: 089-C.
INTOXICAÇÃO SATURNINA. FAMEB: 1012. Landulpho Machado de Magalhães.
089-G. HYPNOTISMO E LIVRE ARBITRIO.
998. Ernesto Moreira de Almeida. SCLEROSE FAMEB: 089-G.
HEPATICA. FAMEB: 089-H. 1013. Liberalino da Costa Duarte. GRANGRENA
999. Eugenio Ernesto Barbosa. DAS CYSTITES SYMETRICA DAS EXTREMIDADES.
DO COLLO. FAMEB: 089-H. FAMEB: 089-J.
1000. Gabino do Nascimento Bahia. DA 1014. Otto Edmund Raulino. ESTRUCTURA
ANTIPYRINA E SUA ACÇÃO PHYSIO- FUNCÇÕES DAS CELLULAS HEPATICAS
TERAPEUTICA. FAMEB: 089-A. SUAS RELAÇÕES COM OS OUTROS
1001. Hermelino Pires de Carvalho. TUBER- ELEMENTOS HISTOLOGICOS DO
CULOSE PULMONAR. FAMEB: 089-B. FIGADO. FAMEB: 089-B.
50 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1015. P e d r o d a C u n h a A r a u j o G ó e s . 1029. Belisario Augusto de Oliveira Penna.


LOCALISAÇÕES MEDULLARES. PRINCIPAES THEORIAS DA FEBRE.
FAMEB: 089-E. FAMEB: 090-C.
1016. Philadelpho Manoel Gouveia. FEBRES 1030. Bellarmino Ricardo Costa Filho. ESTUDO
BILIOSAS PALUSTRES. FAMEB: 089-A. CLINICO DO RACHITISMO. FAMEB:
1017. Theotonio Coelho Cerqueira de Britto. DAS 090-C.
FRACTURAS COMPLICADAS DE 1031. Candido Elpidio Vaccarezza. INDICAÇÕES
FERIDAS E SEU TRATAMENTO. E CONTRA-INDICAÇÕES DOS MY-
FAMEB: 089-G. DRIATICOS NAS INFLAMAÇÕES DO
1018. Thomaz Catunda. INFLUENCIA DO IRIS E DA CHOROIDE. FAMEB: 090-B.
IMPALUDISMO SOBRE O GLOBO 1032. Cincinnato Augusto Pamponet. IDENTIDADE
OCULAR. FAMEB: 089-J. – MEDICINA LEGAL. FAMEB: 090-D.
1019. Trajano José de Carvalho. TETANOS 1033. Clidenor Henrique José Soares. RAIVA
TRAUMATICO E SUA PATHOGENIA. HYDROPHOBICA. FAMEB: 090-F.
FAMEB: 089-F. 1034. Eduardo Henrique Martinelli. DA
1020. Virgilio Martins Lopes de Mendonça. DO INFLUENCIA DO ALCOOL E DO
HYPNOTISMO E SEU VALOR TABACO SOBRE A FUNCÇÃO VISUAL.
THERAPEUTICO. FAMEB: 089-D. FAMEB: 090-G.
1035. Eduardo Jansen Vieira de Mello. HYSTERIA
1890 NO HOMEM. FAMEB: 090-B.
1036. Ephigenia Veiga. OS METHODOS
1021. Alexandre da Silva Lisboa. TRATAMENTO ANTISEPTICOS EM OBSTETRÍCIA.
CIRURGICO DOS ANEURISMAS. FAMEB: 090-J.
FAMEB: 090-H. 1037. Felippe Nunes Pinheiro. DIVERSAS
1022. Alfredo José Teixeira. DIVERSAS FORMAS FORMAS DE CONTRACTURA E SUA
DE CONTRACTURA E SUA PATHOGENIA. PATHOGENIA. FAMEB: 090-D.
FAMEB: 090-D. 1038. Firmo Augusto David. ESTUDO CLINICO
1023. Alfredo José Teixeira. DIVERSAS FORMAS DA HEREDO-SYPHILIS INFANTIL.
DE CONTRACTURA E SUA PATHO- FAMEB: 090-F.
GENIA. FAMEB: 090-I/091-B. 1039. Flaminio Augusto Botelho. QUAL A
1024. Alfredo Porphyrio d’Araujo. IDENTIDADE. MELHOR DOUTRINA PARA EXPLICAR
FAMEB: 090-F. A PYOHEMIA? FAMEB: 090-H.
1025. Anna Machado Marinho Falcão. A 1040. Francisco Chaves de Oliveira Botelho. DAS
OVARIOTOMIA E SUAS INDICAÇÕES. RELAÇÕES ENTRE AS NEVROPATHIAS
FAMEB: 090-C. E AS PSYCHOPATHIAS. FAMEB: 090-B.
1026. Antonio Ladislao de Figueiredo Seixas. 1041. Francisco Machado do Rego Barros.
ANALISE DO LEITE-PROCESSOS E TRATAMENTO CIRURGICO DOS
INSTRUMENTOS, MOLESTIAS CAUSA- ANEURYSMAS. FAMEB: 090-B.
DAS E PROPAGADAS PELO LEITE. 1042. Francisco Machado Rego Barros.
FAMEB: 090-G. TRATAMENTO CIRURGICO DOS
1027. Arlindo Joaquim de Lemos. VISCERALGIAS. ANEURYSMAS. FAMEB: 090-A.
FAMEB: 090-D. 1043. Francisco Simões da Costa Torres. DAS LO-
1028. Aurelio Veiga. TETANOS TRAUMATICOS CALISAÇÕES MEDULLARES. FAMEB:
E SUA PATHOGENIA. FAMEB: 090-A. 090-H.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 51

1044. Francisco Vaz de Carvalho. HYDRO- 1059. Joaquim de Britto Pereira. PHYSIONOMIA
CARBONADOS E ASSUCARES. FAMEB: CLINICA DA FEBRE TYPHOIDE DO
090-F. NOSSO CLIMA COMPARADA COM A
1045. Gelio Ferreira de Paiva. ESTUDO CLINICO MESMA DOENÇA DOS CLIMAS
DA HEREDO-SYPHILIS INFANTIL. DIFFERENTES. FAMEB: 090-G.
FAMEB: 090-G. 1060. Joaquim Felippe da Costa Junior.
1046. Geraldino Augusto de Oliveira Fabrino. RAIVA ESTREITAMENTO ORGANICOS DA
HYDROPHOBICA. FAMEB: 090-D. URETHRA. FAMEB: 090-D.
1047. Guilherme Arthur Ollivier. DIAGNOSTICO 1061. Joaquim Felippe da Costa Junior.
DIFFERENCIAL DA GRAVIDEZ. FAMEB: ESTREITAMENTO ORGANICOS DA
090-L. URETHRA. FAMEB: 090-J.
1048. Henrique Autran da Motta e Albuquerque. 1062. José Botelho Velloso. DA CEGUEIRA
AMYOTROPHIAS DE ORIGEM CONGENITA. FAMEB: 090-J.
PERIPHERICA. FAMEB: 090-E. 1063. José Custodio de Oliveira Salazar. POLY-
1049. Hugo de Carvalho. HEMIANOPIA E SEU NEVRITES. FAMEB: 090-F.
VALOR CLINICO. FAMEB: 090-H. 1064. José Garcia Albernaz. ESTUDO
1050. Ignacio d’Arruda Beltrão. ANATOMIA DA COMPARATIVO DAS OSTEOTOMIAS E
URETHRA. FAMEB: 090-B. OSTEOCLASIAS NA CIRURGIA
1051. Ignacio Pinheiro Jardim. CONSIDERAÇÕES INFANTIL. FAMEB: 090-J.
ANATOMICAS SOBRE A URETHRA DO 1065. José Pinto de Carvalho. HEMORRHAGIAS
HOMEM. FAMEB: 090-A/090-E. PUERPERAES. FAMEB: 090-L.
1052. Ismael Evaristo da Cruz Gouvêa. 1066. José Spinola de Athayde. PATHOGENIA DA
LOCALISAÇÕES MEDULLARES. MYOPIA. FAMEB: 090-G.
FAMEB: 090-C. 1067. Manoel Carlos de Gouvêa Filho.
1053. João Baptista de Andrade. LEITE E SUAS TRATAMENTO CIRURGICO DOS
APPLICAÇÕES THERAPEUTICAS. ANEURYSMAS. FAMEB: 090-L.
FAMEB: 090-E. 1068. Manoel de Freitas Guimarães. HEMOR-
1054. João Coelho Moreira. TETANOS RHAGIA CEREBRAL. FAMEB: 089-H.
TRAUMATICO E SUA PATHOGENIA. 1069. Manoel do Faro Passos. ESTUDO CLINICO
FAMEB: 090-C. DOS ABCESSOS DO FIGADO.FAMEB:090-E.
1055. João da Rocha Dias Filho. INDICAÇÕES DA 1070. Manoel Fernandes da Silveira. ESTUDO
TRACHEOTOMIA. FAMEB: 090-J. CLINICO DO RACHITISMO.FAMEB:090-B.
1056. João Gonsalves Coutinho. DOS LEITES E 1071. Manoel Ignacio Brandão. DO DIAG-
SUAS APPLICAÇÕES THERAPEUTICAS. NOSTICO DIFFERENCIAL DA PRE-
FAMEB: 090-H. NHEZ. FAMEB: 090-J.
1057. Joaquim Candido da Costa Pereira. A 1072. Manoel Vergne de Abreu. ESTREITAMENTOS
APRECIAÇÃO DOS METHODOS ORGANICOS DA URETHRA E SEU
OPERATORIOS GERAES, ADAPTADOS TRATAMENTO. FAMEB: 090-A.
NA OPERAÇÃO CESARIANA. FAMEB: 1073. Manuel Sampaio Marques. HYSTERIA NO
090-E. HOMEM. FAMEB: 090-L.
1058. Joaquim Candido da Costa Pereira. APRE- 1074. Narciso da Silva Marques. ESTUDO DA
CIAÇÃO DOS METHODOS OPE- CARNE COMO ALIMENTO; MOLESTIAS
RATORIOS GERAES, ADOPTADOS NA PRODUZIDAS E PROPAGADAS PELA
OPERAÇÃO CESARIANA. FAMEB: 090-A. CARNE. FAMEB: 090-E.
52 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1075. Nestor Nina Rosa. ESTUDO CLINICO DA 1090. Bernardo J. Jambeiro. BREVES
LEPRA. FAMEB: 090-G. CONSIDERAÇÕES SOBRE A QUININA
1076. Octaviano Norberto Starling. FORMAS PARTICULARMENTE DURANTE A
CLINICAS DO BERI-BERI; SUAS CAUSAS GRAVIDEZ. FAMEB: 091-A.
E TRATAMENTO. FAMEB: 090-C. 1091. Bonifacio Ponce de Leão Castro.
1077. Orencio Vidigal. CONSIDERAÇÕES NEURASTHENIA. FAMEB: 091-A.
ACERCA DO DELIVRAMENTO. FAMEB: 1092. Candido Ferreira dos Reis. ESTUDO
090-D. CLINICO DOS ABCESSOS DO FÍGADO.
1078. Paulo Eugenio David. ESTUDO CLINICO FAMEB: 090-D.
DO EMPYEMA. FAMEB: 090-H. 1093. Felipe Nery Gonçalves. A DEGENERAÇÃO
1079. Pedro Emilio de Cerqueira Lima Junior. PSYCHICA. FAMEB: 092-A.
COXO-TUBERCULOSE. FAMEB: 090-G. 1094. Francisco Xavier de Mattos. TETANO
1080. Pedro Juvenal Cordeiro. TRATAMENTO TRAUMATICO E SUA PATHOGENIA.
CIRURGICO DOS ANEURYSMAS. FAMEB: 091-D.
FAMEB: 090-B. 1095. Gonçalo Falcão Brandão. ARSENICAES,
1081. Pedro Soares de Albuquerque. HYGIENE- SUA HISTORIA NATURAL, ACÇÃO
ESTUDO DA CARNE COMO ALIMENTO; PHYSIOLOGICA E EFFEITOS
MOLESTIAS CAUSADAS E PROPAGADAS THERAPEUTICAS. FAMEB: 090-I.
PELA CARNE. FAMEB: 090-D. 1096. Guilherme Frederico da Rocha. OPIACEOS,
1082. Raphael Corrêa D’Oliveira. CONSIDERAÇÕES SUA ACÇÃO PHYSIOLOGICA E
ACERCA DA ECLAMPSIA. FAMEB: 090-L. THERAPEUTICA. FAMEB: 090-I.
1083. Raul d’Almeida Azedo. NEPHRITES 1097. Herculano Bandeira de Mello. PATHOGENIA
DIFFUSAS. FAMEB: 091-D. E EVOLUÇÃO CLINICA DAS
1084. Theobaldo de Castro Meira. DA OPERAÇÃO AMYOTROPHIAS MYELOPATHICAS.
DA CATARATA E DO ESTUDO CRITICO FAMEB: 090-D.
DOS PROCESSOS EMPREDADOS. 1098. Isaltino Sabiniano Pinheiro. NOÇÕES
FAMEB: 090-C. SOBRE IMMUNIDADE MORBIDA.
FAMEB: 091-B.
1891 1099. João Damasceno Ribeiro Dantas. LEITE,
SUA ACÇÃO PHYSIOLOGICA E
1085. Alfredo Ferreira de Magalhães. O HYPNO- EFFEITOS THERAPEUTICOS. FAMEB:
TISMO E A SEGGESTÃO SUAS APPLI- 091-B.
CAÇÕES À CLINICA. FAMEB: 091-D. 1100. João Lordello dos Santos Souza. ESTUDO
1086. Amancio de Marsillac Motta. CLINICO DAS ENDOCARDITES
CONSIDERAÇÕES GERAES SOBRE O ULCEROSAS. FAMEB: 090-I.
INFANTECIDIO. FAMEB: 091-A. 1101. João Maria Carneiro de Lyra. HYSTERIA
1087. Americo Arnulpho Torres. ANETHESIA INFANTIL. FAMEB: 091-A.
CIRURGICA. FAMEB: 091-C. 1102. Joaquim Paulo de Andrade. DA
1088. Antonio Luiz Affonso de Carvalho Sobrinho. ANESTHESIA CHLOROFORMICA EM
INFLUENCIA DA PRENHEZ SOBRE A OBSTETRÍCIA. FAMEB: 091-C.
TUBERCULOSE PULMONAR.FAMEB:090-I. 1103. Juliano Moreira. ETIOLOGIA DA SYPHILIS
1089. Antonio Pires de Carvalho e Albuquerque. MALIGNA PRECOCE. FAMEB: 090-D.
INFLUENZA – GRIPPE E DENGUE. 1104. Nuno da Cunha Mello. HEPATITE
FAMEB: 091-C. SUPPURADA. FAMEB: 090-I.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 53

1105. Paulo Pinto de Abreu. RETENÇÃO DA 1120. João Dantas de Magalhães. DA


PLACENTA E DAS MEMBRANAS NOS DESINFECÇÃO. FAMEB: 092-C.
ABORTAMENTOS. FAMEB: 091-C. 1121. João dos Santos Neves. BERIBERI. FAMEB:
1106. Pedro Tavares de Mello. CONSIDERAÇÕES 092-C.
ACERCA DO ABORTAMENTO. FAMEB: 1122. João Duarte Guimarães. PHARMACOLOGIA
092-A. E THERAPEUTICA DA SERIE
1107. Possidio do Nascimento. RESISTENCIA AROMATICA. FAMEB: 092-E.
ORGANICA ÀS INVASÕES E 1123. José Alves Pereira. DAS SUGGESTÕES NO
DESTRUIÇÕES MICROBIANAS. FAMEB: TRATAMENTO DAS MELESTIAS
091-C. PSYCHICAS. FAMEB: 092-B.
1108. Ramiro Olympio de Azevedo. TRATA- 1124. José Antonio Calero. COMPOSIÇÃO,
MENTO ESPECIFICO DA TUBER- ANALYSE E PROTECÇÃO DO LEITE.
CULOSE PELO METHODO DE KOCH. FAMEB: 092-C.
FAMEB: 090-I. 1125. José Julio Bezerra Cansanção. DOS MEIOS
1109. Tertuliano Alves Pacheco. ESTUDO CLINICO DE SUSTENTAR A VIDA AMEAÇADA
DAS GOMMAS DO LARYNGE NA POR HEMORRHAGIAS DO PARTO OU
SYPHILIS ADQUIRIDA. FAMEB: 091-D. DO SECUNDAMENTO. FAMEB: 092-B.
1126. José Mendes Velloso. LESÕES
1892 TRAUMATICAS DO RAGHIS E DA
MEDULLA. FAMEB: 092-D.
1110. Alcides G. da Costa Montanha. 1127. José Ribeiro do Couto Junior. ESTUDO MEDICO-
HEMORRHAGIA TRAUMATICA. FAMEB: LEGAL DA EPILEPSIA. FAMEB: 092-B.
FAMEB: 092-D. 1128. Josias Francisco de Andrade. HEMATOLOGIA
1111. Antonio Joaquim da Costa Doria. TROPICAL. FAMEB: 092-E.
CONJUNCTIVITE PURULENTA DOS 1129. Julio Telles de Menezes. ESTUDO CLINICO
RECEMNASCIDOS. FAMEB: 092-D. DA SYPHILIS DO PULMÃO NO
1112. Aristides José de Sousa. CANCRO DO ADULTO. FAMEB: 092-E.
ESTOMAGO. FAMEB: 092-D. 1130. Juvencio Odorico de Mattos. ANALYSE DA
1113. Carlos Rodrigues Vianna. CERVEJA. FAMEB: 092-D.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO 1131. Luiz Barretto Correia de Menezes. PHYSIO-
ABORTAMENTO. FAMEB: 092-D. PATHOLOGICAS E THERAPEUTICAS
1114. Francisco Leopoldino Gonsalves Lima. SOBRE A EPILEPSIA JACKSONNIANA.
MANTEIGA. FAMEB: 092-D. FAMEB: 092-C.
1115. Glafira Corina de Araújo. HEMORRHAGIAS 1132. Manoel de Sousa Vivas. GLYCOSURIA
PUERPERAES. FAMEB: 092-B. PERSISTENTE OU DIABETES
1116. Honorino Pinos Chaves. ARISTOL. FAMEB: ASSUCARADO. FAMEB: 092-C.
092-D. 1133. Mario Bandeira Chagas. ECTOPIA RENAL.
1117. João Bergamo de Barros Palácio. DO FAMEB: 093-E.
GLAUCOMA PRIMITIVO. FAMEB: 092-D. 1134. Pedro Wencesláo de Omena. DOS
1118. João Cavalcanti de Albuquerque. TETANOS ACCIDENTES CAUSADOS PELAS
TRAUMATICO E SUA PATHOGENIA. EXTRACÇÕES DENTARIAS. FAMEB:
FAMEB: 092-E. 092-C.
1119. João da Cruz Abreu. ENDOSCOPIA 1135. Rodolpho Gomes Pedrosa. INSUFFICIENCIA
VESICAL. FAMEB: 092-D. AORTICA. FAMEB: 092-A.
54 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1136. Victorino Arthur Pereira. SEPTICEMIA 1150. Gonçalo Moniz Sodré de Aragão. ALGUMAS
PUERPERAL. FAMEB: 092-E.. NOÇÕES SOBRE O ETIO-PATHOGENIA
E O DIAGNOSTICO DAS LESÕES
1893 VALVULARES DO CORAÇÃO ESQUER-
DO. FAMEB: 093-D.
1137. Alberto Furtado de Mendonça. QUAL A 1151. Januario Manoel de Santa Tereza. BERIBERI.
MELHOR INTERPRETAÇÃO DADA AO FAMEB: 093-F.
TERMO PARANOIA? FAMEB: 093-A/ 1152. João Gonçalves Martins. MASSAGEM.
093-E. FAMEB: 093-C.
1138. Alberto Muylaert. INMFLUENCIA 1153. Joaquim Raul dos Reis Gordilho. BRONCHO-
PATOGENA DA DENTIÇÃO. FAMEB: PNEUMONIA INFECTUOSA DE ORIGEM
093-F. INTESTINAL NAS CRIANÇAS. FAMEB:
1139. Alfredo Augusto da Matta. DYSENTERIA. 093-E.
FAMEB: 093-E. 1154. José Ignacio Avila Junior. TALHA
1140. Alvino Augusto Guimarães. ANEURYSMAS HYPOGASTRICA. FAMEB: 093-C.
DA AORTA. FAMEB: 093-E. 1155. José Isidoro dos Santos Silva. ATAXIA
1141. Antonio Barretto Praguer. DA LOCOMOTRIZ PROGRESSIVA. FAMEB:
PSYCHOTHERAPIA SUGGESTIVA. 093-F.
FAMEB: 093-G. 1156. Julio Pereira Leite. CONSEQUENCIA
1142. Antonio Maria Garcez. LIGEIRAS PARA A MULHER DO CASAMENTO DE
CONDIÇÕES SOBRE A CURA RADICAL UM SYPHILITICO – TRANSMISSÃO
DAS HERNIAS. FAMEB: 093-G. DA SYPHILIS PELO CASAMENTO.
1143. Arthur Cesar Rios Junior. DA SEQUARDINA FAMEB: 093-C.
E SUAS APPLICAÇÕES CLINICAS. 1157. Raymundo Leopoldo Ribeiro da Silva.
FAMEB: 093-B. INJECÇÕES SUB-CONJUNCTIVAES DE
1144. Demetrio Manoel do Nascimento Silva. SUBLIMADO EM THERAPEUTICA
BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A OCULAR. FAMEB: 093-E.
PATHOLOGIA DA ARTERIO-SCLEROSE. 1158. Timotheo S. Maciel. INJECÇÕES
FAMEB: 093-G. MERCURIAES NO TRATAMENTO DA
1145. Elias da Rocha Barros. ESTYGMAS DA SYPHILIS. FAMEB: 093-E .
DEGENERAÇÃO PSYCHICA. FAMEB: 1159. Ursino José de Almeida. DA SUTURA OSSEA
093-E. NO TRATAMENTO DAS FRACTURAS
1146. Epaminondas Jacome. AFFECÇÕES DA OLÉCHRÂNA. FAMEB: 093-F.
OCULARES SYMPATHICAS. FAMEB:
093-G. 1894
1147. Francisca Barretto Praguer. BREVES
NOÇÕES SOBRE A RASPAGEM 1160. Americo Barreira. INDICAÇÃO DAS
UTERINA. FAMEB: 093-F. CAU-SAS DA RETENÇÃO DE URINA E
1148. Francisco Cardoso e Silva. BREVES DOS MEIOS DE TRATAL-A. FAMEB:
CONSIDERAÇÕES SOBRE AS 094-A.
CARDIOPATHIAS ARTERIAES. FAMEB: 1161. Antonio José Alves Guimarães. DA
093-B. TRANSMISSIBILIDADE DA SYPHILIS
1149. Francisco de Oliveira Ramos. GLOS- E MEIOS DE PRENENIL-A. FAMEB:
SOPATHIAS TERCIARIAS.FAMEB:093-G. 094-B.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 55

1162. Antonio Mendes Martins Valverde. 1175. Manoel José Rodrigues. BREVES
ESCROFULA, SUA ETIOLOGIA E CONSIDERAÇÕES SOBRE OS METHODOS
PROPHYLAXIA NA PRIMEIRA DE VACCINAÇÃO. FAMEB: 094-A.
INFANCIA. FAMEB: 094-A. 1176. Olympio Corrêa Lyrio. BREVES CONSI-
1163. Antonio Nunes Pinheiro de Almeida. DERAÇÕES SOBRE A ANALYSE
LIGEIRAS CONSIDERAÇÕES SOBRE – BACTERIOLOGICA DO AR E SUA IM-
EMBRYOGENIA HUMANA E SUAS PORTANCIA NA PRODUCÇÃO DAS MO-
RELAÇÕES DE HERANÇA PHYSIO- LESTIAS INFECCIOSAS. FAMEB: 094-A.
PATHOLOGICA PELO CASAMENTO. 1177. Orosimbo Ribeiro da Silva.
FAMEB: 094-A. CONJUNCTIVITE PURULENTA. FAMEB:
1164. Aristides José D’Oliveira. EMPYEMA DO 094-A.
ANTRO DE HIGHMORE. FAMEB: 094-B.
1165. Domingos Emilio de Cerqueira Lima. DA 1895
OCCLUSÃO INTESTINAL E SEUS
METHODOS DE TRATAMENTO 1178. Alfredo Aurelio de Castro. CATHETERISMO
ESPECIALMENTE O CIRURGICO. RETROGRADO. FAMEB: 095-D.
FAMEB: 094-C. 1179. Antonio da Costa Victoria. BREVES
1166. Francisco Hora de Magalhães. DA CONSIDERAÇÕES SOBRE A ULCERA
CURABILIDADE DA CIRRHOSE SIMPLES DO ESTOMAGO. FAMEB: 095-C.
HEPATICA. FAMEB: 094-A. 1180. Antonio Luiz do Rego. BREVES
1167. Isaias Pereira Soares. TABES DORSALIS E CONSIDERAÇÕES SOBRE O DIAGNÓSTICO
PARALYSIA GERAL. FAMEB: 094-B. PRECOCE DA TUBERCULOSE PULMONAR.
1168. João Cesar D’Oliveira Leite. ETIO- FAMEB: 095-C.
PATHOGENIA DAS NEPHRITES. FAMEB: 1181. Arthur Firmino Nogueira. BREVES NOÇÕES
094-B. SOBRE A TALHA HYPOGASTRICA.
1169. João Francisco de Souza. BREVES FAMEB: 095-A.
CONSIDERAÇÕES SOBRE AS NASO- 1182. Arthur Mario dos Santos. ESTUDO DO
SYPHILOSES. FAMEB: 094-B. TETANOS SUA ETIO-PATHOGENIA, SEU
1170. João Luciano da Rocha. BREVES CON- TRATAMENTO. FAMEB: 095-A.
SIDERAÇÕES SOBRE A EPILEPSIA E SEU 1183. Arthur Marques D’Oliveira. DERMATITE
TRATAMENTO CIRURGICO. FAMEB: EXFOTIATRIX GENERALISADA OU
094-A. MOLESTIA DE ERASMO WILSON.
1171. João Paulino Marques Junior. INFLUENCIA FAMEB: 095-C.
DA GRAVIDEZ SOBRE O CORAÇÃO. 1184. Egas Moniz Barreto de Aragão. SYNTHESE
FAMEB: 094-B. DA MEDICINA. FAMEB: 095-B.
1172. José Albino Ribeiro Cordeiro. CONSI- 1185. Emilio Champion. CONSIDERAÇÕES SOBRE
DERAÇÕES ACERCA DA INSERÇÃO A LOUCURA DE DUPLA FORMA OU
ANORMAL DA PLACENTA. FAMEB: LOUCURA CIRCULAR. FAMEB: 095-C.
094-B. 1186. Euphrasio José Rodrigues.
1173. José Calasans Azevedo Costa. BREVES DEFLORAMENTOS E SEUS ERROS DE
CONSIDERAÇÕES SOBRE UM CASO DE DIAGNOSTICO. FAMEB: 095-D.
PARALYSIA GERAL. FAMEB: 094-A. 1187. Francisco Candido da Silva Lobo.
1174. Manoel Esteves de Assis. DA ANTIPYRINA E APONTAMENTOS PARA O ESTUDO DA
SUA ACÇÃO ANTISEPTICA. FAMEB: 094-A. HIGYENE ESCHOLAR. FAMEB: 095-D.
56 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1188. Francisco de Azevedo Bomfim. BREVE 1896


CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO
DA ANKYLOSTOMIASE. FAMEB: 1201. Antonio de Aquino Braga. PERTURBAÇÕES
095-E. DA SENSIBILIDADE NO TABES
1189. Innocencio d’Almeida Boaventura. DORSALIS. FAMEB: 096-A.
LIBERAÇÕES EXTERNA DA URETHRA 1202. Antonio Eduardo de Campos. TRATA-
PERINEAL. FAMEB: 095-E. MENTO DO MAL DE POTT. FAMEB: 096-C.
1190. João Americo Garcez Fróes. A FUNCÇÃO 1203. Constantino Possidonio Guimarães. ACCI-
INTELLECTUAL NOS CLIMAS DENTES DEVIDOS A EVOLUÇÃO DO
TROPICAES. FAMEB: 095-A. DENTE DA SABEDORIA. 096-B.
1191. João Ladisláo R. d’Oliveira Monteiro. 1204. Coriolano Ferraz do Amaral. AINHUM.
ETIOLOGIA E TRATAMENTO DO FAMEB: 096-A.
CHOLERA MORBUS. FAMEB: 095-E. 1205. Eduardo Augusto Pirajá da Silva. DA
1192. Jorge de Moraes. ESTREITAMENTOS CARDIO-ESCLEROSE. FAMEB: 096-B.
L A R G O S U R E T H R A E S . FA M E B : 1206. Francisco Pereira da Silva Reis. CARDIO-
095-D. PATHIA SYPHILITICA. FAMEB: 096-A.
1193. José Adeodato de Souza. 1207. Glycerio Pires de Carvalho. BREVES
CONSIDERAÇÕES SOBRE O BOTÃO CONSIDERAÇÕES SOBRE O TRA-
ENDEMICO DOS PAIZES QUENTES TAMENTO DO PÉ TORTO PIED-BOT.
PARTICULARMENTE NA BAHIA. FAMEB: 096-C.
FAMEB: 095-A. 1208. Henrique Chenaud. CONSIDERAÇÕES
1194. José Cesar de Cerqueira. LIGEIRAS SOBRE A MASSAGEM E MOBILISAÇÃO
CONSIDERAÇÕES SOBRE AS PRECOCE NO TRATAMENTO DAS
MODIFICAÇÕES PHYSIOPATHOLO- FRACTURAS. FAMEB: 096-C.
GICAS DA GRAVIDEZ. FAMEB: 095-C. 1209. Horacio Cesar Filho. SYRINGOMYELIA,
1195. José Ferreira da S. Camargo. DOS MOLESTIA DE MORVAN E LEPRA.
METHODOS AUTO-PLASTICOS FAMEB: 096-B.
EMPREGADOS NO TRATAMENTO DO 1210. José Hugo Pompilio Passos. SYMPHY-
HYPOSPADIAS. FAMEB: 094-C. SEOTOMIA. FAMEB: 096-A.
1196. José Luiz de Almeida Couto. 1211. Julio Claudio Gonçalves Plech.
CONSIDERAÇÕES SOBRE AS BLEUNODERMIAS. FAMEB: 096-A.
PLEURESIAS E SEUS DIVERSOS 1212. Leocadio Rodrigues Chaves. CONSIDE-
MODOS DE TRATAMENTO. FAMEB: RAÇÕES SOBRE A LYMPHADENIA.
095-E. FAMEB: 096-C.
1197. Manoel Barretto Lins. ESTUDO SOBRE O 1213. Leopoldo Americo Brazileiro. BREVES
PTERYGION. FAMEB: 095-C. CONSIDERAÇÕES SOBRE ALGUMAS
1198. Manoel Dias de Moraes. O MORMO DO DAS DIFFICULDADES DO DIAG-
HOMEM. FAMEB: 095-E. NOSTICO DIFFERENCIAL ENTRE A
1199. Pedro Americano Corrêa Filho. A ULCERA REDONDA E O CANCRO DO
GENEALOGIA HUMANA. FAMEB: 095-D. ESTOMAGO. FAMEB: 096-B.
1200. Rodrigo de Araujo Aragão Bulcão. DA 1214. Manoel Fadigas de Sousa. LIGEIRAS CON-
HYSTERECTOMIA VAGINAL NO SIDERAÇÕES GERAES SOBRE A ORRO-
TRATAMENTO DO PROLAPSO THERAPIA SUAS APPLICAÇÕES E
UTERINO. FAMEB: 095-C. RESULTADOS CLINICOS. FAMEB: 096-A.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 57

1215. Manuel Augusto Pirajá da Silva. 1227. Domingos Martins Pereira Monteiro. DAS
CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DE AGUAS POTAVEIS SOB O PONTO DE
UMA MOLESTIA QUE ULTIMAMENTE VISTA CHINICO, BACTERIOLOGICO E
AQUI TEM REINADO COM OS HYGIENICO. FAMEB: 097-D.
CARACTERES DA MENIGITE 1228. Eduardo Britto. HYPOEMIA
CEREBRO-ESPINHAL-EPIDEMICA. INTERTROPICAL. FAMEB: 097-E
FAMEB: 096-C. 1229. João de Araujo Aragão Bulcão. DOCIMASIA
1216. Rosalvo Rego. DA ESTERILIDADE NA PULMONAR. FAMEB: 097-E.
MULHER. FAMEB: 096-C. 1230. João de Souza Ponde. CADEIRA DE
1217. Sylvio Moeda. SUCCINTAS CLINICA DERMATOLOGICA E
CONSIDERAÇÕES SOBRE UM DOS SYPHILIGRAPHICA. FAMEB: 097-C.
GRANDES DESVIOS UTERINOS. 1231. João Joaquim Ferreira Girio. SPINA BIFIDA.
FAMEB: 096-A. FAMEB: 097-E.
1218. Sylvio Teixeira Mendes. TRACHÉOTOMIA 1232. João Ricardo Gomes d’Araujo.
E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 096-A/ VARICOCELE E SEU TRATAMENTO
096-B. PELA RESECÇÃO DAS BOLSAS. FAMEB:
097-D.
1897 1233. José Bonifacio do Patrocínio. HEPATO –
SEMIOTICA. FAMEB: 097-C.
1219. Adriano Rodrigues Vianna. Dissertação: 1234. José Francisco Martins Sobrinho. ENSAIO
FORMA AGUDA DA OTITE MEDIA DOS CRITICO SOBRE OS PROCESSOS
ESCLEROSOS. FAMEB: 097-D. PLESSICOS. FAMEB: 097-A.
1220. Afranio Peixoto. EPILEPSIA E CRIME. 1235. José Olympio de Azevedo Filho. BREVES
FAMEB: 097-C. CONSIDERAÇÕES SOBRE AS
1221. Antonio Nicanor Martins Barbosa. BREVES CARDIOPATHIAS CONGENITAS NA
CONSIDERAÇÕES SOBRE AS INFANCIA. FAMEB: 097-B.
EPIDEMIAS. FAMEB: 097-C. 1236. Joviniano Alves da Costa. DYSTOCIA
1222. Antonio Pedro Antello. BREVES MATERNA E SEU TRATAMENTO.
CONSIDERAÇÕES SOBRE O ALCOOL. FAMEB: 097-B.
FAMEB: 097-B. 1237. Mario Ferreira Gomes. QUAL A VERDA-
1223. Antonio Ribeiro de Barros. DO IODO E SEUS DEIRA ORIGEM DA PALAVRA TETA-
PRINCIPAES COMPOSTOS ACÇÃO NOS? FAMEB: 200.
PHYSIOLOGICA E EFFEITOS 1238. Octavio Accioli de Aguiar. DA ANESTHESIA
THERAPEUTICOS. FAMEB: 097-B. EM CIRURGIA OCULAR. FAMEB: 097-D
1224. Antonio Vicente Bulcão Vianna. 1239. Pacífico Carlos Pina Guimarães. OPHTALMIA
PATHOGENIA E FORMAS CLINICAS DA GRANULOSA. FAMEB: 097-A.
UREMIA. FAMEB: 097-E. 1240. Raul Januario Cardoso Costa. SARNA E
1225. Benicio Rodrigues Chaves. BACIA MANIFESTAÇÃO PARA SARNOSAS.
OBLIQUA OVALAR, SEUS PRINCIPAES FAMEB: 097-E.
CARACTERES. FAMEB: 097-E. 1241. Tranquilino Hugo de Oliveira.
1226. Christiano Sellmann Junior. QUAL O CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DA
TRATAMENTO CIRURGICO MAIS SPINA VENTOSA. FAMEB: 097-E.
RACIONAL DA HYPERTROPHIA DA 1242. Virgilio do Rego Motta. OMPHALOCELES
PROSTATA? FAMEB: 097-E. –SUA CURA OPERATORIA.FAMEB:097-D.
58 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1243. Vital Cardoso do Rego. RELAÇÕES DA 1256. Clodoveu Lins Coêlho da Paz. BREVES
ACTIVIDADE INTELLECTUAL COM A CONSIDERAÇÕES SOBRE A
COMPOSIÇÃO DA URINA. FAMEB: 097-B.. HYDROPHOBIA RABICA. FAMEB: 098-E.
1257. Cyro Teixeira de Assis. QUAL O PROCESSO
1898 MAIS EFFICAZ PARA A CURA RADICAL
DOS HYDROCELES? FAMEB: 098-A.
1244. Adolpho Vianna. HYGIENE DOS 1258. Francisco Dantas de Almeida Galeão.
HOSPITAES. FAMEB: 098-E. ARSENICAES E SUAS APPLICAÇÕES
1245. Alberto José Leão Martins. ESTUDO DAS THERAPEUTICAS. FAMEB: 098-D.
FERIDAS POR ARMAS DE FOGO E SEU 1259. Francisco Monteiro Alves. O EXERCICIO
TRATAMENTO. FAMEB: 098-H. DA MEDICINA E A LIBERDADE.
1246. Alberto Novis. DIAGNOSTICO DA PROFISSIONAL. FAMEB: 098-F.
GRAVIDEZ. FAMEB: 098-F. 1260. Isidoro de Azevedo Ribeiro. TRATAMENTO
1247. Almerindo Thomaz Malcher de Bacellar. DA SYPHILIS PELO METHODO DE
CONSIDERAÇÕES PATHOGENICAS E SCARENZIO. FAMEB: 098-F.
SYMPTOMATOLOGICAS SOBRE A 1261. João Baptista Barros Pimentel Filho.
AUTO-INTOXICAÇÃO GRAVIDICA. PSYCHOTERAPIA. FAMEB: 098-E.
FAMEB: 098-F. 1262. João Baptista Soares Lopes. DIAGNOSTICO
1248. Antonio Alves Pereira Rocha. PHYSIO- DIFFERENCIAL ENTRE AS MOLESTIAS
THERAPIA DOS MERCURIAES. FAMEB: QUE APRESENTAM O TREMOR ENTRE
0201. OS SEUS SYMPTOMAS. FAMEB: 100.
1249. Antonio Ayres de Almeida Freitas. DA 1263. João de Perouse Pontes. FRACTURAS EM
A R T H R O S Y P H I L O S E GERAL. FAMEB: 098-F.
CONSTITUCIONAL. FAMEB: 098-C. 1264. Joaquim David Ferreira Lima. DO CANCRO
1250. Antonio do Amaral Ferrão Muniz. DA PELLE E SEU TRATAMENTO.
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA FAMEB: 098-C.
THANATOPHIDIA E SEU TRATAMENTO. 1265. José Basilio Justiniano Rocha.
FAMEB: 098-A. APPENDICITE E SEU TRATAMENTO.
1251. Antonio Francisco de Salles. FAMEB: 098-H.
SEROBACTERIOTHERAPIA DA 1266. José de Britto Pereira. CONSIDERAÇÕES
TUBERCULOSE PULMONAR. FAMEB: SOBRE A URINA NORMAL DA
098-C. INFANCIA. FAMEB: 098-F.
1252. Ascanio dos Guimarães Peixoto. ESTUDO 1267. José Lopes Patury. HYGIENE ESCOLAR.
NOSOGRAPHICO DA INFLAMMAÇÃO FAMEB: 098-D.
AGUDA. FAMEB: 098-A. 1268. José Mariano da Rocha. TRATAMENTO DA
1253. Augusto de Couto Maia. CONSIDERAÇÕES MELANCOLIA. FAMEB: 098-C.
SOBRE AS POLYNEVRITES ENCARA- 1269. Laura Amalia de Souza Bahiense. DA
DAS À LUZ DA MODERNA CONCEP- ALIMENTAÇÃO DAS CRIANÇAS NA
ÇÃODOSYSTEMANERVOSO.FAMEB:098-A. PRIMEIRA INFÂNCIA. FAMEB: 098-D.
1254. Bruno de Miranda Valente. AFFECÇÕES 1270. Luiz Pinto de Carvalho. O SOBRENATURAL
GLAUCOMATOSA E SEU TRATAMENTO. EM THERAPEUTICA. FAMEB: 098-H.
FAMEB: 098-D. 1271. Menandro dos Reis Meirelles Filho.
1255. Carlos da Cunha Peixoto Junior. SEMIOTICA BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE A
DOS ICTUS APOPLETICOS. FAMEB: 098-H. SYMPHYSEOTOMIA. FAMEB: 098-D.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 59

1272. Oscar Teixeira. CONSIDERAÇÕES 1285. Amando Appio de Moura Medrado.


ANATOMICAS SOBRE O APPENDICE CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO
VERMICULAR. FAMEB: 098-D. BACTERIOLOGICO DO SOLO E SUA
1273. Pedro de Barros Albernaz. PRIMEIRA IMPORTANCIA NA PRODUCÇÃO E
INFANCIA – HYGIENE E ALEITAMENTO. PROPAGAÇÃO DAS MOLESTIAS
FAMEB: 098-E. EPIDEMICAS. FAMEB: 099-B.
1274. Pedro Firmino Loureiro. APPENDICITE. 1286. Antonio Filgueiras Sampaio. DIAGNOSTICO
FAMEB: 098-D. E TRATAMENTO DA MOLESTIA DE
1275. Raymundo Faria. LUXAÇÕES SCEAPULO REICHMANN. FAMEB: 099-C.
– HUMERAES E COXO-FEMURAES 1287. Deodoro Alvares Soares. ALGUNS TRAÇOS
TRAUMATICAS E SEU TRATAMENTO DA NOSSA POPULAÇÃO SOB O PONTO
RACIONAL. FAMEB: 097-E. DE VISTA HYGIENICO E
1276. Theodoro de Britto Pontes. O ABORTO EVOLUCIONISTA. FAMEB: 099-E.
CRIMINOSO. FAMEB: 098-H. 1288. D o m i n g o s A n i s i o C a v a l c a n t i d e
1277. Theogenes da Beltrão. CONTRIBUIÇÃO Alburquerque. THERAPEUTICO DA
AO ESTUDO DO TRATAMENTO DAS FRANKLINISAÇÃO. FAMEB: 099-A.
FRACTURAS DA ROTULA. FAMEB: 1289. Durval Marques da Silva Braga. CHOQUE
098-A. TRAUMATICO. FAMEB: 099-B.
1278. Victor Francisco Gonçalves. A CONSER- 1290. Emilio de Castro Britto. TRATAMENTO DO
VAÇÃO NOS GRANDES TRAUMA- MAL DE POTT. FAMEB: 099-E.
TISMOS DOS MEMBROS. FAMEB: 1291. Euclides Miró Alves. CONSIDERAÇÕES
098-D. SOBRE A OSTEORRAPHIA NAS
1279. Virgilio de Aquino Braga. DA OBSER- FRACTURAS. FAMEB: 099 -A.
VAÇÃO SOBRE OS REFLEXOS 1292. Eutichio de Paula Pinheiro. DELIVRAMENTO
PUPILLAR E CORNÉO DURANTE A ARTIFICIAL E SUAS INDICAÇÕES.
C H L O R O F O R M I S A Ç Ã O . FA M E B : FAMEB: 099-D.
098-E. 1293. Fernando Soledade. BREVES
CONSIDERAÇÕES SOBRE A
1899 THYROIDECTOMIA. FAMEB: 099-D.
1294. Jeronymo Fernandes Gesteira. MODOS DA
1280. Antonio Ferreira Guimarães. DEVE SER ADMINISTRAÇÃO DO CREOSÔTO DE
REGULAMENTADA A PROSTITUIÇÃO? PAIA NA TUBERCULOSE PULMONAR.
FAMEB: 099-C. FAMEB: 0202.
1281. Agostinho de Araujo Jorge. CON- 1295. Joaquim da Silva Peixoto. INDICAÇÕES E
TRIBUIÇÃO AO ESTUDO DAS AGUAS CONTRA INDICAÇÕES DA TALHA
POTAVEIS. FAMEB: 099-D. HYPOGASTRICA. FAMEB: 099-D.
1282. Alberto Guimarães. DAS FRACTURAS DO 1296. Joaquim Pedro Rosa. DO MECANISMO DO
LARYNGE EM MEDICINA LEGAL. PARTO NAS APRESENTAÇÕES DA
FAMEB: 099-D. FRONTE. FAMEB: 099-A.
1283. Alcides Brasil de Oliveira Góes. DA 1297. José Agrippino Rigueira Costa. A CHANANA.
OPHTALMIA PURULENTA NOS FAMEB: 099-C.
RECENNASCIDOS. FAMEB: 099-E. 1298. José da Silva Neves Manta. ETIOLOGIA
1284. Alfredo Augusto Maciel. FEBRE E TRATAMENTO DA CHLOROSE.
TYPHOIDÉA. FAMEB: 099-C. FAMEB: 099-A.
60 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1299. José Eduardo Freire de Carvalho. ESTUDO 1313. Americo Vespucio Carneiro Leão.
DO ZIZIPHUS JOASEIRO EM SUAS SEMIOTICA SPLENICA. FAMEB: 100-E.
APPLICAÇÕES NA MEDICINA. 1314. Antonio Gonçalves Moreira. A CARNE –
FAMEB: 099-A. ESTUDO CRITICO. FAMEB: 100-B.
1300. José Penalva de Faria. O SULFONAL É UM 1315. Antonio Pereira da Silva Moacyr. ULCERA
MEDICAMENTO INNOCUO? FAMEB: INFECTUOSA DA CORNEA E SEU
099-C. TRATAMENTO. FAMEB: 100-F.
1301. José Teixeira de Freitas. LIGEIRAS 1316. Antonio Ribeiro do Couto. INFANTICIDIO.
CONSIDERAÇÕES SOBRE A FAMEB: 100-A.
GASTRORRHAGIA E SEU VALOR 1317. Aprigio José de Oliveira. CONTRIBUIÇÃO
DIAGNOSTICO. FAMEB: 099-B. PARA O ESTUDO DA ETIOLOGIA DA
1302. ManuelFreiredosSantos.HYPERCHLORHYDRIA LEPRA. FAMEB: 0205.
PROTOPATHICA. FAMEB: 099-D. 1318. Aristarcho Dantas. CIRURGIA
1303. Miguel de Lima Mendes. FRACTURAS DA CHOLECYSTICA. FAMEB: 099-A.
CLAVICULA E SEU TRATAMENTO. 1319. Aristarcho Dantas. CIRURGIA
FAMEB: 099-A. CHOLECYSTICA. FAMEB: 100-D.
1304. Parmenio José Ramos. LIGEIRAS 1320. Armando de Calasans. HYGIENE DOS
REFLEXÕES SOBRE O TRATAMENTO QUARTEIS. FAMEB: 100-C.
CIRURGICO DA EPILEPSIA. FAMEB: 0203. 1321. Arthur Novis. ESTIGMAS DA SYPHILIS
1305. Pedro Emilio Gomes da Silva. TELEPATHIA. HEREDITARIA TARDIA. FAMEB: 100-A.
FAMEB: 099-E. 1322. Athenodoro Martins da Costa. PRIMEIRA
1306. Theotonio Martins de Almeida. PROTARGOL. DENTIÇÃO E SEUS ACCIDENTES.
FAMEB: 099-E. FAMEB: 100-D.
1307. Vicente Vieira Ferreira. HYGIENE, 1323. Augusto Ribeiro da Silva. O HYPNOTISMO
MOLESTIA E MEDICINA. FAMEB: SOB O PONTO DE VISTA MEDICO –
099-E. LEGAL. FAMEB: 100-C.
1308. Vivaldo Palma Lima. LIGEIRO ESTUDO 1324. Carlos Antonio Pitombo. APRECIAÇÕES
PSYCHO-PHYSIOLOGICO. FAMEB: 099-B. ACERCA DOS EXERCICIOS PHYSICOS
1309. Zeferino Rodrigues de Araújo. ECLAMPSIA NOS INTERNATOS E SUA
PUERPERAL. FAMEB: 099-D. IMPORTANCIA PROPHYLACTICA.
FAMEB: 099-E.
1900 1325. Carlos Maria de Novaes. PSYCHOSES
POST-OPERATORIAS. FAMEB: 100-G.
1310. Adriano Augusto de Araujo Jorge Filho. 1326. Ernesto Carneiro Ribeiro Filho.
ALCOOLISMO E INVOLUÇÃO ALCOOLISMO CHRONICO CEREBRO-
HUMANA REPRESSÃO E PROPHILAXIA ESPINHAL E SUAS MANIFESTAÇÕES
DO ALCOOLISMO (HIGIENE SOCIAL). PSYCHICAS. FAMEB: 100-C.
FAMEB: 100-A. 1327. Ernesto Pereira Teixeira. OPERAÇÃO
1311. Agnello Leite. CONSIDERAÇÕES SOBRE CESARIANA. FAMEB: 100-D.
O TRATAMENTO DA CARIE DENTARIA. 1328. Eustachio Daniel de Carvalho. ESTUDO
FAMEB: 100-E. PHYSIOLOGICO DO SONHO. FAMEB:
1312. Alvaro da Motta e Silva. A MEDICINA 100-A.
LEGAL NOS ACCIDENTES DO 1329. Flaviano Innocencio da Silva. ALEITA-
TRABALHO. FAMEB: 100-F. MENTO E SYPHILIS. FAMEB: 100-G.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 61

1330. Francisco Cavalcante Mangabeira. 1345. Luiz Pedro P. de Souza. ESTUDO


IMPEDIMENTOS DE CASAMENTO PHYSIOLOGICO DO SOMNO. FAMEB:
RELATIVOS AO PARENTESCO. FAMEB: 100-D.
100-G. 1346. Manoel Dias Pereira. ESTUDO CLINICO DO
1331. Frederico de Castro Rebello Koch. ABCESSOS HERPES-ZOSTER. FAMEB: 100-E.
DO FÓGADO E SEU TRATAMENTO 1347. Manuel Antonio de Andrade. DYSTOCIA
CIRURGICO. FAMEB: 100-F. FETAL. FAMEB: 100-B.
1332. João Caetano Lessa. BREVES 1348. Maximiliano Gomes Machado. ESTUDO
CONSIDERAÇÕES SOBRE O BACTERIOLOGICO-CLINICO DA
TRATAMENTO DA APPENDICITE. DACRYOCYSTITE E SEU TRATAMENTO.
FAMEB: 100-E. FAMEB: 100-A.
1333. João Ferreira de Araujo Pinho Junior. 1349. Nicanor José Ferreira. LIGEIRA
DESORDENS PSYCHICAS DA CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DA
MENSTRUAÇÃO. FAMEB: 100-F. GRIPPE. FAMEB: 100-D.
1334. João Marques de Sant’Anna. PARALYSIA 1350. Octaviano de Abreu Goulart. HYGIENE
GERAL DOS ALIENADOS. FAMEB: ALIMENTAR DA PRIMEIRA INFANCIA.
100-B. FAMEB: 100-A.
1335. João Silverio da Costa Oliveira. DAS 1351. Odilon Ferreira Machado. HYGIENE DA
SUTURAS INTESTINAES. FAMEB: 100-C. GRAVIDEZ. FAMEB: 100-B.
1336. João Theophilo Varella. DA CARNE SOB O 1352. Pedro de Campos Nogueira. FORCEPS E SUAS
PONTO DE VISTA HYGIENICO. FAMEB: DIVERSAS APPLICAÇÕES. FAMEB: 100-E.
100-C. 1353. Sebastião Ivo Soares. TRACHEOTOMIA
1337. Joaquim Augusto Tanajura. LETALIDADE SUAS INDICAÇÕES E ACCIDENTES.
INFANTIL E SUAS CAUSAS. FAMEB: 100- FAMEB: 100-E.
D. 1354. Ursino Antonio Meirelles. MERALGIA
1338. Joaquim José Xavier. DEFESA E PARESTHESICA. FAMEB: 100-E.
REPARAÇÃO DO PERINEU NO 1355. Virgilio Ramos. THERAPEUTICA DA
PUERPERIO. FAMEB: 100. RETROVERSÃO UTERINA. FAMEB: 100-F.
1339. Joaquim José Xavier. DEFEZA E
REPARAÇÃO DO PERINEU NO 1901
PUERPERIO. FAMEB: 100-D.
1340. Joaquim Moreira Sampaio. MYOPIA. 1356. Bento Urbano da Costa. ETIOLOGIA DA
FAMEB: 100-B. CHLOROSE. FAMEB: 101-A.
1341. Joaquim Venancio de Castro. ETIOLOGIA E 1357. Francisco Antonio Antunes. PROPHYLAXIA.
TRATAMENTO DA TUBERCULOSE MEIOS DE QUE DEVEM LANÇAR MÃO
PULMONAR. FAMEB: 100-G. OS PODERES PUBLICOS PARA IMPEDIR
1342. José de Aguiar Costa Pinto. GRAPHOLOGIA O DESENVOLVIMENTO DA TUBER-
EM MEDICINA LEGAL. FAMEB: 100-F. CULOSE. FAMEB: 101-A.
1343. José de Souza Ponde. CONTRIBUIÇÃO AO 1358. João Benevides de Azevedo Filho. UM CASO
ESTUDO DA HYPERTROPHIA DA DE ENVENENAMENTO PELA
PROSTATA E SEU TRATAMENTO. STRYCHININA. FAMEB: 101-A.
FAMEB: 100-B. 1359. Pedro Autran Junior. EVOLUÇÃO HIS-
1344. Josephino Moreira de Castro. ISCHIO– TORICA DA SCLERODERMIA SUA DE-
PUBIOTOMIA. FAMEB: 100-G. FINIÇÃO E SYNONIMIA. FAMEB: 101-A.
62 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1902 1374. Antonio Borges dos Santos. ETIO-


PATHOGENIA E PROPHYLAXIA DO
1360. Affonso de Castro Tanajura Guimarães. IMPALUDISMO NO RIO SÃO
ESTUDO SOBRE A HEMERALOPIA FRANCISCO. FAMEB: 102-M.
IDIOPATHICA E SEU TRATAMENTO 1375. Antonio Carlos de Oliveira e Silva Junior.
PELA OPOTHERAPIA. FAMEB: 102-P. FRACTURAS TRANSVERSAES DA
1361. Agrippino Dantas Martins. DAS APHASIAS PATELLA E SEU TRATAMENTO. FAMEB:
(LIGEIRO ESBOÇO). FAMEB: 102-G. 102-D.
1362. Agrippino Dantas Martins. DAS APHASIAS 1376. Antonio Chistovão de Freitas. FEBRE
(LIGEIRO ESBOÇO). FAMEB: 102-N. AMARELLA. FAMEB: 102-D.
1363. Alcides Britto Torres. FERIDAS POR 1377. Antonio do Prado Valladares. ESTUDO
PROJECTIS E SEU TRATAMENTO EM CLÍNICO DA ESCUTA DO CORAÇÃO.
CAMPANHA. FAMEB: 102-I. FAMEB: 102-F.
1364. Alexandre Eraldo Pompilio Passos. BREVES 1378. Antonio Moreira Reis Junior. BREVES
CONSIDERAÇÕES SOBRE AS CONSIDERAÇÕES SOBRE O ALLEI-
DIFFICULDADES DO DELIVRAMENTO. TAMENTO ARTIFICIAL. FAMEB: 102-C.
FAMEB: 102-E. 1379. Antonio Ribeiro Gonçalves. MENORES
1365. Alfredo de Barros Loureiro Brandão. DELINQUENTES. FAMEB: 102-O.
TABAGISMO. FAMEB: 102-E. 1380. Antonio Ribeiro Gonsalves Bastos. LIGEIRAS
1366. Alfredo de Barros Loureiro Brandão. CONSIDERAÇÕES SOBRE O
TABAGISMO. FAMEB: 102-J. TRATAMENTO DOS ANEURIMAS
1367. Alvaro Carlos Tourinho. UM NOVO EXTERNOS. FAMEB: 102-L.
P R O C E S S O D E I N T E RV E N Ç Ã O 1381. Arthur Dantas de Queiroz. DOS
NOS ABCESSOS POSTERO- ANOPHELOS ETIOLOGIA DA
SUPERIORES DO FÍGADO. FAMEB: MALARIA. FAMEB: 102-M.
102-A. 1382. Carlos Americo da Cunha. ESTREITAMENTO
1368. Alvaro da Silva Rego. CADEIRA DE ORGANICO DA URETHRA E SEU
C L I N I C A P S Y C H I AT R I C A E D E TRATAMENTO. FAMEB: 102-D.
MOLESTIAS NERVOSAS. FAMEB: 1383. Dario José Peixoto. ENUCLEAÇÃO DO
102-C. GLOBO OCULAR E OPERAÇÕES
1369. Alvaro Ladislau Cavalcanti d’Albuquerque. PROPOSTAS PARA A SUBSTITUIR.
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA FAMEB: 102-P.
TATUAGEM NOS CRIMINOSOS. FAMEB: 1384. Diniz Pompilio Passos. VANTAGENS DA
102-D. NOSOPHENA, ANTINOSINA E
1370. Alvaro Ribeiro. PELVI-RACHITISMO. EUDOXINA COMO SUCCEDANEAS DO
FAMEB: 102-B. IODOFORMIO. FAMEB: 102-E.
1371. Antonio B. de Andrade. MOLESTIA DE 1385. Domingos Xavier de Carvalho. DA PRENHEZ
BANTI. FAMEB: 102-J. EXTRA-UTERINA E SEU TRATAMENTO.
1372. Antonio Belisario Cartaxo Dantas. ESTUDO FAMEB: 102-D.
DO SYNDROMA DE BENEDIKT. FAMEB: 1386. Eduardo Jorge Wanderley. THERAPEUTICA
102-G. DA PLACENTA PREVIA. FAMEB: 102-B.
1373. Antonio Bernardo Vasconcellos de Queiroz. 1387. Eduardo Leite Velloso. DA INFLUENCIA
VICIOS DA NOSSA LINGUAGEM BENEFICA DA ERYSIPELA NA
MEDICA. FAMEB: 102-M. SYPHILIS. FAMEB: 102-B.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 63

1388. Euripedes Clementino de Aguiar. 1404. José Climaco da Silva. APPROXIMAÇÃO


DIAGNOSTICO DO AGENTE DAS VISCERAL POR PLACAS ABSORVIVEIS
QUEIMADURAS. FAMEB: 102-H. (METHODO DE SENN). FAMEB: 102-L.
1389. Francisco Bonifacio Mariani. DIABETES 1405. José Cordeiro dos Santos Filho. DA RADIO-
ASSUCARADO. FAMEB: 102-C. DIAGNOSE NO PROCESSO PHYMICO.
1390. Francisco de Souza Pondé. ASSISTENCIA FAMEB: 102-Q.
PUBLICA AOS LOUCOS DELINQUENTES 1406. José Cordeiro Santos Filho. DA RADIO –
NO BRAZIL. FAMEB: 102-A. DIAGNOSE NO PROCESSO PHYMICO.
1391. Francisco Duarte Paraiso Cavalcanti. O FAMEB: 102-F.
SYNDROMA GRAVIDICO SIMULADO 1407. José Evaristo da Costa Gondim.
POR AUTO SUGGESTÃO (PSEUDO CONSIDERAÇÕES GERAES SOBRE O
CYESIS HYSTERICA). FAMEB: 102-A. TRATAMENTO ABORTIVO. FAMEB: 102-C.
1392. Francisco Pontes de Miranda. A INSANIDADE 1408. José Francisco Jorge de Souza.
MENTAL COMO DIRIMENTE DOS PERTURBAÇÕES OCULARES NO
DELICTOS. FAMEB: 102-H. PUERPERIO. FAMEB: 102-P.
1393. Francisco Xavier de Carvalho Junior. DA 1409. José Lopes Pontes. SYNDROMA DE
OPERAÇÃO DE WLADIMIROFF – DERCUM (ADIPOSE DOLOROSA).
MIKULICZ. FAMEB: 102-L. FAMEB: 102-J.
1394. Fulgencio Martins Vidal. HYGIENE 1410. José Valeriano de Oliveira Maia. ALOPECIAS
ALIMENTAR DA PRIMEIRA INFANCIA. (TRICHOPHYTONS, MICROSPORONS E
FAMEB: 102-A. ACHORIONS). FAMEB: 102-A.
1395. Gentil Martins Fontes. AEROPHAGIA 1411. Luiz da Franca Aguiar. OMPHALECTOMIA.
HYSTERICA. FAMEB: 102-F. FAMEB: 102-B.
1396. Gustavo Eduardo Nasselmann. UM NOVO 1412. Luiz da Silva Tavares Sobrinho. DA
MATERIAL DE LIGADURA. FAMEB: 102-E. OPHTALMIA PURULENTA E SEU
1397. Heraclio Ponciano de Menezes. CONSI- TRATAMENTO. FAMEB: 102-B.
DERAÇÕES ACERCA DA ECTOPIA 1413. Manoel de Barros Loureiro Brandão.
RENAL ADQUIRIDA. FAMEB: 102-B. PUERPERISMO INFECTUOSO. 102-E.
1398. João Leite de Bittencourt Calasans. DA 1414. Manoel Luiz Freire. ETIOLOGIA
HYPERIDROZE. FAMEB: 102-D. SYMPTOMATOLOGIA E TRATAMENTO
1399. Joaquim da Cunha Fontenelle. CURA DA INFLUENZA. FAMEB: 102-F.
RADICAL DAS HEMORRHOIDAS PELA 1415. Manoel Moreira da Silva Junior. SUFFUSÃO
RESECÇÃO DA MUCOSA RECTAL. BILIOSA. FAMEB: 102-B.
FAMEB:102-A. 1416. Manuel do Nascimento de Jesus Junior. ETIO-
1400. Joaquim Pires de Carvalho e Albuquerque. DA PATHOGENIA E PROPHYLAXIA DA
PRENHEZ EXTRA-UTERINA E SEU HEREDO-SYPHILIS. FAMEB: 102-D.
TRATAMENTO. FAMEB: 102-B. 1417. Mario Fernandes da Cunha Rocha. DA
1401. Josaphat da Silveira Brandão. DO DIPHTHERIA DO LARYNGE. FAMEB:
MYCETOMA. FAMEB: 102-L. 102-C.
1402. José Alfredo de Oliveira. CONSIDERAÇÕES 1418. Mario Meira. A INVERSÃO DA VAGINAL
SOBRE A FEBRE. FAMEB: 102-C. NA CURA RADICAL DA HYDROCELE.
1403. José Antonio Alves Maciel Junior. DAS FAMEB: 102-I.
LUXAÇÕES RECENTES DA ESPADUA. 1419. Octaviano Vieira de Mello. PARALYSIA
FAMEB: 102-D. GERAL DOS ALIENADOS.FAMEB:102-H.
64 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1420. Oscar Freire de Carvalho. ETIOLOGIA DAS 1434. Alfredo Cordeiro Fonseca Medeiros. DO
FORMAS CONCRETAS DA INFANTICIDIO. FAMEB: 103-L.
RELIGIOSIDADE NO NORTE DO 1435. Alfredo Octaviano Dantas. ÉESTUDO HO
BRASIL. FAMEB: 102-H. TRACHOMA E SEU TRATAMENTO.
1421. Oscar Pereira de Carvalho. ANALGESIA FAMEB: 10ç-G.
CIRURGICA POR MEIO DAS INJECÇÕES 1436. Alpheu Bicca de Medeiros. DA
SUB-ARACHNOIDEANAS LOMBARES PATHOGENIA DE TABES DORSUALIS.
DE COCAINA. FAMEB: 102-I. FAMEB: 103-D.
1422. Paulo da Conceição Alves. CONSIDERAÇÕES 1437. Alvaro Madureira de Pinho. CON-
DAS FRACTURAS. FAMEB: 102-C. TRIBUIÇÃO AO ESTUDO CLINICO DA
1423. Pedro Alcantara Bacellar. VALOR OSTEOMYELITE. FAMEB: 103-M.
SEMIOLOGICO DOS SIGUAES DA 1438. André Francisco de Sampaio Lyrio. EFFEITOS
GRAVIDEZ. FAMEB: 101-A. DOS PROJECTIS COURAÇADOS. DE UM
1424. Pedro Calixto de Mello. ESTUDO SOBRE NOVO PROJECTIL. FAMEB: 103-E.
A ETIO-PATHOGENIA E TRATAMENTO 1439. Antonio Bastos de Freitas Borja. OS
DA OPHTALMIA SYMPATHICA. FIBROMYOMAS DO UTERO E A
FAMEB: 102-P. CIRURGIA. FAMEB: 103-A.
1425. Sylvio Cesar Leite. CHLOROSE VULGAR. 1440. Antonio de Castro Contreiras. ESTUDO DAS
FAMEB: 102-J. FRACTURAS DO COLLO DO FEMUR.
1426. Ulysses Paranhos. HYPNOTISMO E FAMEB: 103-L.
SUGGESTÃO. FAMEB: 102-G. 1441. Antonio Joaquim de Paula Buarque. TRATA-
1427. Vicente André Gomes. REACÇÕES MENTO DAS RECTITES STENOSANTES.
GANGLIONARES NA INFANCIA. FAMEB: FAMEB: 103-E.
102-A. 1442. Armando Bello Barbedo. DA ADRENALINA
1428. Virgilio de Mendonça Uchoa. CHORÉA EM OPHTALMOLOGIA –C10 H15 Az03.
GRAVIDICA. FAMEB: 102-B. FAMEB: 103-G.
1429. Zacharias Coutinho. NOCUIDADE DO 1443. Arthur Teixeira de Araújo. PERTURBAÇÕES
ALCOOL NO PONTO DE VISTA SENSITIVAS DO DOMINIO DAS
EXPERIMENTAL. FAMEB: 102-B. MOLESTIAS ORGANICAS DO SYS-
TEMA NERVOSO E SEU VALÔR
1903 SEMEIOLOGICO. FAMEB: 103-D.
1444. Benedicto de Oliveira Guena. ESTUDO
1430. A d o l p h o B r a s i l Vi a n n a . N E U R O - CLINICO DA ECLAMPSIA PUERPERAL
ARTHRITISMO EM GENECOLOGIA E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 103-A.
(ESCLEROSE UTERINA).FAMEB:103-I. 1445. Carlos Pirajá Martins. DO TRATAMENTO
1431. Adolpho Santos Guerra. DAS IMPULSÕES CIRURGICO DAS PERITONITES POR
MORBIDAS À DEAMBULAÇÃO SOB O PERFURAÇÕES TYPHICA. FAMEB: 103-M.
PONTO DE VISTA MEDICO-LEGAL. 1446. Clinio Antonio Zacharias de Jesus Junior.
FAMEB: 103-L. TRATAMENTO CIRURGICO DO BOCIO.
1432. Albano do Prado Pimentel Franco Junior. FAMEB: 103-E.
DERMOPATHIAS GONOCOCCICAS. 1447. David Fernandes Gonçalves Bastos.
FAMEB: 103-J. CONSIDERAÇÕES ACERCA DO
1433. Alcides d’Avila Codeceira. DO DELIRIO DELIVRAMENTO ARTIFICIAL DE TERMO.
HALLUCINATORIO. FAMEB: 103-D. FAMEB: 103-M.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 65

1448. Delphim de Paiva Lima Junior. TRACHEOTOMIA 1461. Joaquim Sylvio Ribeiro Junior. INDICAÇÕES
E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 103-L. E VANTAGENS DA ISCHIO-PUBIOTOMIA.
1449. Eduardo Cesar Rodrigues de Moraes. FAMEB: 103-A.
INTERVENÇÃO CIRURGICAS NOS 1462. José Antonio Cajazeira Filho.
FERIMENTOS DO CORAÇÃO E DO ANKYLOSTOMIASE. FAMEB: 103-H.
PERICARDIO. FAMEB: 103-E. 1463. José de Souza Maciel. HA ORCHITE POR
1450. Francisco Cassiano Gomes. FORMAS ESFORÇO? FAMEB: 103-E.
CLINICAS DE ALBUMINURIA. FAMEB: 1464. José Teixeira de Vasconcellos. FRACTURAS
103-F. DA DIAPHYSE FEMURAL E SEU
1451. Francisco da Costa Fernandes. PAPEL DO TRATAMENTO. FAMEB: 103-M.
PERINEO NO TRABALHO DA 1465. Lamberto Reis de Athayde. DAS
EXPULSÃO DO FETO E MEIOS HEMORRHAGIAS NO POST-PARTUM.
PROTECTORES TENDENTES A EVITAR FAMEB: 103-I.
A SUA DILACERAÇÃO. FAMEB: 103-I. 1466. Lucio Marinho dos Santos Guerra. LIGEIRAS
1452. Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque. CONSIDERAÇÕES SOBRE A ESCUTA
APPLICAÇÕES THERAPEUTICAS DA DOS ORGÃOS RESPIRATORIOS. FAMEB:
LAVAGEM DO ESTOMAGO. FAMEB: 103-L.
103-C. 1467. Luiz Americano de Figueiredo. FEBRE
1453. Gabriel Fortunato Bittencourt. DA AUTO- TYPHOIDE. FAMEB: 103-L.
INTOXICAÇÃO GRAVIDICA. FAMEB: 1468. Luiz Galdino de Salles. DO PARTO
103-I. PREMATURO ARTIFICIAL. FAMEB: 103-A.
1454. Hermillo de Freitas Melro Sobrinho. DAS 1469. Luiz Machado de Andrade. ETIO-
INJECÇÕES DE SÔRO ARTIFICIAL EM PATHOGENIA DO IMPALUDISMO NO
ALTAS DÓSES. FAMEB: 103-C. BAIXO SÃO FRANCISCO. FAMEB: 103-H.
1455. Jessé de Andrade Fontes. ESTUDO DO 1470. Manços Chastinet Contreiras Filho. DA
SYNDROMA DA PORÇÃO ANKYLOSTOMIASE. FAMEB: 103-H.
ESPINHAL DO FEIXE PYRAMIDAL. 1471. Manoel Joaquim Alves Feitoza. HISTORICO
FAMEB: 103-D. E PROPHYLAXIA DA PESTE BUBONICA.
1456. João Alves da Costa. DAS FRACTURAS DO FAMEB: 103-L.
OLECRANO E SEU TRATAMENTO PELA 1472. Manoel Messias Lopes. GENESE E
CERCLAGE. FAMEB: 103-M. PROPHYLAXIA DA REINCIDENCIA
1457. João Dourado de Cerqueira Bião. A KERATITE DOS ABORTAMENTOS. FAMEB: 103-A.
HEREDO-SYPHILITICA, SUA ETIO- 1473. Manoel Tavares da Costa.
PATHOGENIA, SYMPTOMATOLOGIA E THANATODIAGNOSE. FAMEB: 103-L.
TRATAMENTO. FAMEB: 103-J. 1474. Mario Cardoso de Cerqueira. PROPHY-
1458. João Ribeiro de Souza Vianna. QUININA E LAXIA ALIMENTAR DA PRIMEIRA
CAYAPONIA NO PALUDISMO. FAMEB: INFANCIA. FAMEB: 103-F.
103-H. 1475. Octavio Joaquim Costa da Silva.
1459. João Sabino de Lima Pinho Filho. O INFLUENCIA DAS MOLESTIAS GERAES
ESPARTILHO E A MULHER. FAMEB: 103-L. SOBRE A ETIO-PATHOGENIA DAS
1460. Joaquim de Carvalho Ramos. CONSIDE- KERATITES PARENCHYMATOSAS
RAÇÕES ELEMENTARES ACERCA DA DIFFUSAS. FAMEB: 103-G.
VARIOLA E DO SEU DIAGNOSTICO 1476. Oscar Claudio de Oliveira. MORALECRIME.
PRECOCE. FAMEB: 103-H. FAMEB: 103-M.
66 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1477. Paulo Affonso de Salles Bernardes. DAS 1491. Arthur José da Silva. ESTUDO BOTANICO
LOCALISAÇÕES CEREBRAES EM E CLINICO. FAMEB: 104-B.
PSYCHOLOGIA. FAMEB: 104-E. 1492. Carlos Alfredo Simch. DA CRANIECTOMIA
1478. Paulo Ananias de Carvalho. TRATAMENTO – ESTUDO DOS MEIOS DE SUA
CIRURGICO DA OCCLUSÃO REALIZAÇÃO. FAMEB: 104-E.
INTESTINAL. FAMEB: 103-E. 1493. Christovão Colombo da Gama. DA
1479. Pedro dos Santos Pereira. INTOXICAÇÃO TUBERCULOSE NA BAHIA. FAMEB:
SATURNINA. FAMEB: 103-M. 104-E.
1480. Pedro Fontes. A VARIEDADE PARANOIDE. 1494. Cicero Martins Fontes. DA ETIO-
FAMEB: 103-D. PATHOGENIA DAS PARALYSIA GERAL.
1481. Pedro Soares de Araujo Amorim. AFFEC- FAMEB: 104-C.
ÇÃO CALCULOSA VESICAL.FAMEB:103-M. 1495. Diocleciano Alves de Oliveira. DA
1482. Ruffo Costa Galvão. SIGNAES PSEUDO- RESPONSABILIDADE MEDICA E DO
CAVITARIOS NAS PNEUMONIAS EXERCICIO DA MEDICINA, EM GERAL
GRIPPAES. FAMEB: 103-H. E ESPECIALMENTE NO BRASIL. FAMEB:
1483. Victoriano José da Silva Freire. ANESTHESIA 104-B.
GERAL PELO CHLORURETO DE 1496. Edgar Frederico Tourinho. CONTRIBUIÇÃO
ETHYLA. FAMEB: 103-C. AO ESTUDO DAS CIRRHOSES BILIARES.
1484. Virgilio Diniz de Senna. DA FAMEB: 104-B.
BLENNORRHAGIA URETHRAL 1497. Emilio Martins de Sá. PSYCHOLOGIA
CHRONICA NO HOMEM E SEU JURIDICA DAS CONCAUSAS. FAMEB:
TRATAMENTO. FAMEB: 103-M. 104-B.
1498. Fernando Espinheira da Costa. ESTUDO
1904 PHYSIO-PATHOLOGICO DO SOMNO.
FAMEB: 104-A.
1485. Abdom Henrique de Sá. LEUCOPLASIA 1499. Flavio Rodrigues de Gouveia. MECHANISMO
BUCCAL. FAMEB: 104-A. DO PARTO. FAMEB: 104-C.
1486. Alberto Ferreira Freitas. LIGEIRAS 1500. Francisco de Barros Pimentel Franco Junior.
CONSIDERAÇÕES SOBRE A DAS CHOROIDITES. FAMEB: 104-A.
HYGIENE DA MULHER GRAVIDA. 1501. Francisco de Castro Filho. A SYPHILIS
FAMEB: 104-E. TERCIARIA DO PULMÃO. FAMEB: 104-A.
1487. Alvaro Borges dos Reis. EDUCAÇÃO 1502. João Francisco Soares Brandão. AS
PHYSICA. FAMEB: 104-E. PA R A LY S I A S D O S E T I M O PA R .
1488. André Pinto de Moraes. CONTRIBUIÇÃO FAMEB: 104-D.
AO ESTUDO DO RIM HEPATICO. 1503. João Carlos d’Albuquerque. CHLOROSE.
FAMEB: 104-E. FAMEB: 104-D.
1489. Aristides da Silveira Fontes Junior. DAS 1504. João Cavalcante Ferreira de Mello. ESTUDO
PHOBIAS. FAMEB: 104-C. CLINICO DA PESTE. FAMEB: 104-C.
1490. Arthur de Moura e Albuquerque. DA NO- 1505. João Vieira de Macedo. DA INVERSÃO
CUIDADE DA PUTREFAÇÃO DOS UTERINA PUERPERAL. FAMEB: 104-C.
CADAVERES SEPULTO E DOS MEIOS DE 1506. Joaquim Barretto de Araújo. DA
QUE DISPÕE A HYGIENE PARA ATTENUAL- INTERVENÇÃO CIRURGICA NAS
A NA CONTRUCÇÃO E MANUNTENÇÃO FERIDAS PENETRANTES DO
DAS NECROPOLES. FAMEB: 104-C. ABDOMEN. FAMEB: 104-C.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 67

1507. José A. Doméque de Barros. DIAGNOSTICO DE 1521. Antonio Carlos Soares de Avellar. DO
GRAVIDEZ INCIPIENTE. FAMEB: 104-B. ESTUDO CLINICO DAS FRACTURAS DO
1508. José Carneiro d’ Albuquerque. CON- CRANEO. FAMEB: 105-A.
TRIBUIÇÃO AO ESTUDO EXPERI- 1522. Antonio Raposo Pinto. FRAZ O CASAMENTO
MENTAL DA DOCIMASIA PULMONAR CONSANGUINEO A DEGENERAÇÃO DA
HYDROSTATICA. FAMEB: 104-D. RAÇA? FAMEB: 105-F.
1509. José Satyra d’Oliveira. BREVES CONSI- 1523. Arthur Lavigne de Lemos. ESTUDO
DERAÇÕES SOBRE A LOMBRICOSE ANATOMO-CLINICO DO PEMPHIGO
INFANTIL. FAMEB: 104-B. FOLIACEO. FAMEB: 105-F.
1510. Luiz de Argolo Mendes. HERE- 1524. Basilio Torreão Franco de Sá.
DITARIEDADE E CONTAGIO DA TRYPANOSOMIASE HUMANA.
MORPHEA FAMEB: 04-A. FAMEB: 105-D.
1511. Luiz Pereira Navarro de Andrade. LIGEIRAS 1525. Constantino da Silva Tavares Filho. ESTUDO
CONSIDERAÇÕES SOBRE O CLINICO SOBRE O BASEDOWISMO.
TRATAMENTO DO CANCRO UTERINO FAMEB: 105-B.
PELA HYSTERECTOMIA ABDOMINAL 1526. Demosthenes Drummond de Magalhães. DA
TOTAL. FAMEB: 104-A. HERNIA INGUINAL.–CURA RADICAL PELO
PROCESSO DE BASSINI. FAMEB: 105-D.
1905 1527. Floro Bartholomeu da Costa. ESTUDO
ANATOMO – CLINICO DO CANCRO
1512. Adolpho Rabello Leite. RELAÇÃO ENTRE DURO. FAMEB: 105-C.
A MATERIA E OS PHENOMENOS 1528. Francisco Clementino Carneiro da Cunha. DO
ESPIRITAS. FAMEB: 105-F. ABORTAMENTO. FAMEB: 105-A.
1513. Adroaldo Pires de Carvalho. ESTUDO DA 1529. Heraclito d’Oliveira Sampaio. DO
SPLENO – PENEUMONIA. FAMEB: 105-D. TRATAMENTO DA SYPHILIS NO
1514. Afranio Augusto de Araujo Jorge. A RECEM-NASCIDO. FAMEB: 105-E.
PUBERDADE NA MULHER. FAMEB: 105-C. 1530. Jeremias de Lima Valverde. DYSTOCIA
1515. Alberico Diniz Gonsalves. PEIXES OSSEA MATERNA E SUAS
VENENOSOS. FAMEB: 105-E. INDICAÇÕES. FAMEB: 105-D.
1516. Alfredo Augusto Gaspar. DAS PSYCHO- 1531. João Baptista Gomes da Luz. DO LUPUS DE
POLINEVRITES. FAMEB: 105-A. CAZENAVE. FAMEB: 105-F.
1517. Alfredo Clodoaldo de Oliveira. DA 1532. João Baptista Marques Ferreira. HYGIENE
ESCOLIOSE E SEU TRATAMENTO. ESCOLAR. FAMEB: 105-A.
FAMEB: 105-D. 1533. João Gonçalves do Couto. LIGEIRO ESTUDO
1518. Alipio Alipino da Silva. NEPHRITE. FAMEB: CLINICO DA PELADA. FAMEB: 105-F.
105-F. 1534. João Soledade. CONTRIBUIÇÃO AO
1519. Alvaro Emílio de Cerqueira Lima. DA ESTUDO DA HEMATOLOGIA DO
SEPARAÇÃO ENDO-VESICAL DAS BERIBERI. FAMEB: 105-C.
URINAS E SEU VALOR DIAGNÓSTICO 1535. José Augusto Bastos. DO DIAGNOSTICO
NAS AFFECÇÕES CIRURGICAS DOS DAS AFFECÇÕES VESICAES PELOS
RINS. FAMEB: 105-E. CYSTOSCOPIOS. FAMEB: 105-E.
1520. Amabilio Torres Coutinho. ALGUNS 1536. José Bandeira de Mello Filho. DAS LAPARO-
ESPECIMENS DA FLORA BRAZILEIRA. HYSTERECTOMIAS NO BRAZIL.
FAMEB: 105-B. FAMEB: 105-B.
68 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1537. José da Rocha Carvalho. DA HERANÇA 1552. Olympio da Silva Miranda. AMBLYOPIA
SYPHILITICA PATERNA E SUA TOXICA. FAMEB: 105-E.
INFLUENCIA SOBRE A MACHA DA 1553. Osvaldo Ferreira Barbosa. ESTUDO
GESTAÇÃO E O PRODUCTO DA CLÍNICO DO SANGUE NORMAL, ESPE-
CONCEPÇÃO. FAMEB: 105-C. CIALMENTE NA BAHIA. FAMEB: 105-D.
1538. José de Araujo Domingues Carneiro. 1554. Othon Chateau. A HYGIENE NAS IGREJAS.
CONSIDERAÇÕES GERAES SOBRE FAMEB: 105-E.
DEMENCIA PRECOCE E DELIRIOS 1555. Pedro Rodrigues de Vasconcellos. CONSI-
PARANOIDES. FAMEB: 105-E. DERAÇÕES SOBRE A FEBRE. FAMEB:
1539. José de Arruda Souto Maior. DA ETIO- 105-D.
PATHOGENIA DA AUTO-INTOXICAÇÃO 1556. Raul Fernandes de Oliveira. ESTUDO
ECLAMPTICA. FAMEB: 105-B. PHYSIO-PSYCHOLOGICO DO
1540. José de Barros Albuquerque Lins Filho. DAS SENTIMENTO. FAMEB: 105-C.
GASTRECTASIAS ATONICAS E SEU 1557. Raul Henrique Schmidt. DO VALOR DA RADIO-
TRATAMENTO. FAMEB: 105-E. THERAPIA NO TRATAMENTO DAS
1541. José Joaquim Gomes da Luz. POROFOLLI- AFFECÇÕES CUTANEAS. FAMEB: 105-B.
CULITES DE BESNIER. FAMEB: 105-C. 1558. Salustiano dos Santos Guerra.
1542. José Marques dos Reis Junior. O OPHTAL- ESTREITAMENTO ORGANICO DA
MOSCOPIO PERANTE A MEDICINA. URETHRA E SEUS TRATAMENTOS.
FAMEB: 105-B. FAMEB: 105-B.
1543. José Valente Ribeiro. DO TRATAMENTO 1559. Theodolindo Antonio da Silva Pereira. A THEO-
DAS PHLEBECTASIAS. FAMEB: 105-F. RIA MICROBIANA E A MINERALI-
1544. Leoncio José Rodrigues. DAS ASCITES SAÇÃO DAS AGUAS DE ESGOTO.
(SYNOPSE). FAMEB: 105-F. FAMEB:105-A.
1545. Lirancio Gomes. COPROSCOPIA CLINICA. 1560. Zacharias Azevedo de Araújo. EDEMA
FAMEB: 105-D. AGUDO DO PULMÃO. FAMEB: 105-B.
1546. Luiz Antonio Ferreira Coelho. CONCEPÇÃO
PATHOGENICA E DIAGNOSTICA DOS 1906
TREMORES. FAMEB: 105-E.
1547. Manoel Guedes Corrêa Gondim. DA 1561. Agrippino Barboza. LIGEIRAS NOTAS
ARTHRITE BLENNORRHAGICA. FAMEB: SOBRE A PESTE BUBONICA. FAMEB:
105-E. 106-F.
1548. Manoel Herminio da Silveira Mesquita. 1562. Alfredo de Assis Gonçalves. PRENHEZ
TRATAMENTO DAS DYSPEPSIAS PELA TRIPLA. FAMEB: 106-B.
MASSAGEM. FAMEB: 105-F. 1563. Alvaro Thyrso da Rocha. DO SEGREDO
1549. Moacyr Rabello Leite. PATHOGENIA E MEDICO. FAMEB: 106-A.
THERAPEUTICA DOS EDEMAS. FAMEB: 1564. Antonio Barbosa Gomes. OS ESTREI-
105-F. TAMENTOS DA URETRA E SUAS
1550. Octavio de Souza Brandão. DO CASA- COMPLICAÇÕES MAIS HABITUAES.
MENTO E SUA REGULAMENTAÇÃO. FAMEB: 106-H.
FAMEB: 105-A. 1565. Antonio d’Albuquerque Queiroz Andrade.
1551. Olympio Cardoso da Silveira. DAS RELA- LIGEIRAS REFLEXÕES SOBRE OS
ÇÕES DA ELEPHANTIASIS DOS ARABES PRINCIPAES METHODOS DO TRATA-
COMAFILARIA DO SANGUE.FAMEB:105-A. MENTO DA EPILEPSIA. FAMEB: 106-C.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 69

1566. Antonio Fernandes de Carvalho Braga. 1583. Filinto Elysio do Nascimento Wanderley.
HYGIENE ALIMENTAR NA PRIMEIRA DELIRIO DA DUVIDA. FAMEB: 106-A.
INFANCIA. FAMEB: 106-D. 1584. Francisco Joaquim da Rocha Filho. ESTUDO
1567. Armando Augusto Vaz e Silva. DAS CAUSAS CLINICO DO DELIRIO EM ALGUMAS.
DA HYSTERIA. FAMEB: 106-H. INFECÇÕES. FAMEB: 106-G.
1568. Arthur de Assis Curvello. DOS 1585. Francisco Rodrigues do Lago. DA
SYNDROMAS AMYOTROPHICOS. BALNEOTHERAPIA NAS PYREXIAS
FAMEB: 106-F. INFANTIS. FAMEB: 106-B.
1569. Audalio Costa. CIRURGIA DO 1586. Herculano de Almeida Cunha.
ANEURYSMA ARTERIAL POPLITEO TUBERCULOSE OSSEA. FAMEB: 106-H.
FAMEB: 106-F. 1587. Honório Portella Parentes. VACINA E
1570. Augusto Lins e Silva. PERIGO SOCIAL DA VACINAÇÃO CONTRA A VARÍOLA.
SYPHYLIS. FAMEB: 106-E. FAMEB: 106-A.
1571. Belmiro de Lima Valverde. INFLUENCIA DA 1588. Horacio Martins. BREVE ESTUDO SOBRE
SYPHYLIS NA SOCIEDADE. FAMEB: 106-H. PROPHYLAXIA DAS GASTRO-
1572. Berillo Vieira Leite. DA ENTERITES DA PRIMEIRA INFANCIA.
RACHISTOVAINISAÇÃO. FAMEB: 106-C. FAMEB: 106-F.
1573. Climerio Ribeiro Guimarães. CONSIDERAÇÕES 1589. Januario Cicco. LIGEIRAS
HYGIENICAS RELATIVAS AO TRABALHO. CONSIDERAÇÕES SOBRE O DESTINO
FAMEB: 106-E. DOS CADAVERES PERANTE A HIGIENE
1574. Diogenes de Almeida Sampaio. LIGEIROS E A MEDICINA LEGAL. FAMEB: 106-E.
ESTUDOS SOBRE A MORTE. FAMEB: 1590. Januario Cyrillo da Costa Netto. DA ASEPSIA
106-D. OPERATORIA S SUAS VANTAGENS
1575. Edmundo de Carvalho. CAMPO VISUAL SOBRE A ANTISEPSIA. FAMEB: 106-F.
DOS EPILEPTICOS. FAMEB: 106-C. 1591. Jeronymo Sodré Pereira Filho. PNEUMONIA
1576. Eduardo Alves Dias. HYGIENE DO PESTOSA. FAMEB: 106-D.
MARINHEIRO À BORDO DOS NAVIOS 1592. João Alves da Silva Paranhos. UREMIA.
DE GUERRA. FAMEB: 106-B. FAMEB: 106-H.
1577. Eduardo Leite Leal Ferreira. A 1593. João Americo dos Sanctos Gouvêa. ESTUDO
PUERICULTURA INTRA-UTERINA E DO BASEDOWISMO E SEU
FORMAÇÃO DA PROLE. FAMEB: 106-F. TRATAMENTO. FAMEB: 106-G.
1578. Eduardo Mendes Velloso. CYTOSCOPIA 1594. João da Costa Maia. ETIO-PATHOGENIA E
DOS DERRAMENS E DO LIQUIDO TRATAMENTO DO PÉ TORTO VARUS
CEPHALORACHIDIANO EM EQUINO CONGENITO. FAMEB: 106-H.
ALGUMAS MOLESTIAS TROPICAES. 1595. João Ribeiro Vargens. DO ESTADO MENTAL
FAMEB: 106-B. NEURASTHENICO. FAMEB: 106-G.
1579. Eutychio da Paz Bahia. PSEUDARTHROSE. 1596. Joaquim de Medeiros. CONSIDERAÇÕES
FAMEB: 106-D. SOBRE A THALLASSOTHERAPIA.
1580. Ezequiel Antunes de Oliveira. A SYPHILIS FAMEB: 106-C.
NOS OLHOS. FAMEB: 106-C. 1597. José Augusto de Magalhães. DEON-
1581. Fernando Costa. SE É CONTAGIOSA A TOLOGIA MEDICA E THERAPEUTICA.
MORPHÉA. FAMEB: 106-D. FAMEB: 106-E.
1582. Feventillo de Brito. LOUCOS E 1598. José Cesario da Rocha. SYPHILIS E
CRIMINOSOS. 106-G. CASAMENTO. FAMEB: 106-G.
70 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1599. José de Accioly Peixoto. CONSIDERAÇÕES 1615. Antonio Netto. ANEURISMA DA CARO-
SOBRE AS CANICIES. FAMEB: 106-C. TIDA PRIMITIVA E SEU TRATAMENTO
1600. José Ribeiro da Frota. ABCESSO TRO- CIRURGICO. FAMEB: 107-B.
PICAL DO FIGADO E SEU TRATAMENTO 1616. Aristides Novis. DA CONCEPÇÃO
CIRURGICO. FAMEB: 106-G. NEURONICA. FAMEB: 107-D.
1601. José Rodrigues Mauricio. ENSAIO DE 1617. Arthur de Mello Machado. ECZEMA DA 1ª
PSYCHOLOGIA DO INSTINCTO INFÂNCIA. CONSIDERAÇÕES SOBRE
SEXUAL HUMANO. FAMEB: 106-B. SUA ETIOLOGIA E TRATAMENTO.
1602. José Soares de Vasconcellos. PROPHY- FAMEB: 107-B.
LAXIA DA SYPHILIS NO ALEITA- 1618. Arthur Lopes Ferreira. DA GRAVIDEZ E
MENTO. FAMEB: 106-C. SUA HYGIENE. FAMEB: 107-A.
1603. Julio de Queiroz. SYPHILIS TERCIARIA DO 1619. Aurelio Domingues de Souza. PROPHY-
NARIZ. FAMEB: 106-H. LAXIA DE MOLESTIAS MEN-TAES E
1604. Leovigildo Gonçalves de Carvalho Filho. DAS ASSISTENCIA A ALIENADOS. FAMEB:
PARALYSIAS ALTERNAS.FAMEB:106-E. 107-B.
1605. Luiz de França Loureiro. CULTURA 1620. Aurelio Waldemiro Pinheiro. LYPEMANIA.
PHYSICA DA INFANCIA. FAMEB: 106-D. FAMEB: 107-A.
1606. Luiz Gonzaga de Souza Goés Filho. 1621. Auto Esmeraldo dos Reis. AREA DE
CLILOROSE. FAMEB: 106-A. TRAUBE. FAMEB: 107-B.
1607. Luiz Soares de Oliveira. ERYSIPELA. 1622. Durvaltercio Bolivar de Aguiar. O
FAMEB: 106-H. RONTGODIAGNOSTICO DAS
1608. Manoel Lydio Pereira Franco. BREVES AFFECÇÕES DO APARELHO
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO VALOR CIRCULATORIO. FAMEB: 107-C.
SEMIOLOGICO DO SONHO. FAMEB: 1623. Egas Carlos Duarte. DESVIO CIRURGICO
106-C. DO SANGUE DA VEIA PORTA E
1609. Manuel Portugal Ramalho. HYGIENE NA DESENVOLVIMENTO DE UMA DUPLA
PUBERDADE DA MULHER. FAMEB: 106-E. CIRCULAÇÃO COMPLEMENTAR NO
1610. Mario Saraiva. NOTAS PARA ESTA- TRATAMENTO DE ALGUMAS
BELECIMENTO DA CRASE URINARIA MOLESTIAS HEPATO-SPLENICAS.
NORMAL NA BAHIA. FAMEB: 106-E. FAMEB: 107-B.
1611. Rodopiano Neves da Silva. DIAGNOSTICO 1624. Fabio Cleto David. ALCOOLISMO EM
DA GRAVIDEZ. FAMEB: 106-B. GERAL. FAMEB: 107-C.
1612. Theodorico Ferreira Fragoso Silva. DAS 1625. Flavio Ribeiro Coutinho. DAS LACERAÇÕES
FRACTURAS ISOLADAS DA EXTRE- DO PERINÊO E SEU TRATAMENTO.
MIDADE INFERIOR DO CUBITUS. FAMEB: 107-D.
FAMEB: 106-A. 1626. Francisco Xavier Borges. PORPHYLAXIA
1613. Virgilio A. da Silva Serra. PARALYSIA DA TUBERCULOSE, DA SYPHILIS E DO
PESEUDO-BULBAR. FAMEB: 106-D. ALCOOLISMO. 107-A.
1627. Henrique Ferreira Chaves. ESTUDO DA
1907 FILARIOSE E SUAS MANIFESTAÇÕES
CLINICAS. FAMEB: 107-D.
1614. Antonio Ignacio de Menezes. NATUREZA E 1628. Hildebrando de Freitas Jatobá. CONTRI-
CAUSAS DAS ESCLEROSES VASCULARES. BUIÇÃO AO ESTUDO DA MORTA-LIDADE
FAMEB: 107-A. INFANTIL NA BAHIA.FAMEB:107-A.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 71

1629. Jefferson Firmino Ribeiro. DA PUBERDADE 1647. Salvador Vaz Galvão. ESTUDO MEDICO-
NA MULHER. FAMEB: 107-B. LEGAL SOBRE O ENFORCAMENTO.
1630. Joaquim Gentil Ferreira da Rocha. FAMEB: 107-B.
HYGIENE DA PRIMEIRA INFANCIA. 1648. Thomé Izidoro Dias da Silva. HYGIENE DO
FAMEB: 107-A. RECIFE. FAMEB: 107-C.
1631. Joaquim Gomes Corrêa de Oliveira. 1649. Ubaldo da Costa Drummond. LIGEIRAS
ALEITAMENTO MATERNO. FAMEB: 107-C. CONSIDERAÇÕES SOBRE UM NOVO
1632. Joaquim Pereira Teixeira. LIGEIRAS SIGNAL VULGAR DA MORTE REAL.
CONSIDERAÇÕES SOBRE A FAMEB: 107-B.
LEUCOCYTOSE NA PATHOLOGIA E NA
CLÍNICA. FAMEB: 107-A. 1908
1633. José Mendes Diniz da Gama. TUBERCULOSE
OCULAR. FAMEB: 107-D. 1650. Abdias Barlão Ferreira. LIGEIRAS
1634. José Olympio da Silva. INSUFFICIENCIA CONSIDERAÇÕES SOBRE A JUSTIÇA
HEPATICA. FAMEB: 107-C. PENAL. FAMEB: 108-G.
1635. Jusselino Monteiro Junior. DOS METHODOS 1651. Alberto Machado da Cunha Cavalcanti. DOS
URETROPLASTICOS. FAMEB: 107-B. ANEURISMAS ARTERIAES E SEU
1636. Juvenal Feliciano dos Santos. DA TRATAMENTO CIRURGICO. FAMEB:
ANESTHESIA CHLOROFORMICA E 108-F.
SEUS ACCIDENTES. FAMEB: 107-A. 1652. Alceu Peixoto Gomide. DO ACCIDENTE
1637. Luiz Costa. ESTUDO DAS BOUBAS SUA OPHIDICO E SUA THERAPEUTICA.
ETIO-PATHOGENIA E TRATAMENTO. FAMEB: 108-C.
FAMEB: 107-D. 1653. Americo Pereira da Silva. DO
1638. Manoel Gonçalves Ferreira Filho. ESTUDO CATHETERISMO RETROGRADO NOS
DA INSOMNIA. FAMEB: 107-A. ESTREITAMENTOS INFRANQUEAVEIS
1639. Manoel Juliano do Espirito Santo. AINHUM. E RUPTURAS DA URETHRA-SONDA
FAMEB: 107-D. URETERAL DE PERMANENCIA. FAMEB:
1640. Manuel Celso Tourinho. ABORTAMENTO 108-F.
CRIMINOSO. FAMEB: 107-A. 1654. Antonio Mendes da Silva. ATOXYE.
1641. Pedro Americo de Britto. DA PHYSIO- FAMEB: 108-H.
PATHOLOGIA DO APPETITE. FAMEB: 1655. A n t o n i o P o m p e u d e S o u z a B r a z i l .
107-B. FA C I E S N A S P S Y C H O PAT H I A S .
1642. Pedro Augusto de Mello. IONTISAÇÃO. FAMEB: 108-I.
FAMEB: 107-D. 1656. Aristides Pereira Maltez. BREVE ESTUDO
1643. Pedro da Silva Corrêa de Oliveira Andrade. CLINICO E MEDICO-LEGAL DAS
LAPAROTOMIAS E ALGUMAS PSYCHOSES POR TRAUMATISMOS
INDICAÇÕES. FAMEB: 107-B. CRANIANOS. FAMEB: 108-F.
1644. Pedro Ferreira Lins. HYGIENE OCULAR. 1657. Boaventura de Almeida Dias. BREVES
FAMEB: 107-C. CONSIDERAÇÕES SOBRE A
1645. Pedro Henrique Pereira Reis. ETIOLOGIA E OCCLUSÃO INTESTINAL. FAMEB:
TRATAMENTO DA AMORPHÉA. FAMEB: 108-G.
107-C. 1658. Cesar Ribeiro Soares. ESTUDO MEDICO-
1646. Reynaldo Ramos Costa. ESTUDO CLINICO LEGAL DAS PSYCHOSES MENS-
DO TRACHOMA. FAMEB: 107-C. TRUAES. FAMEB: 108-G.
72 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1659. Edgardo Sá Cardoso de Oliveira. DIFE- 1675. João Eulalio da Fonseca e Silva. DO AGENTE
RENTES METHODOS DE DISGNOSTICO DA SYPHILIS. FAMEB: 108-D.
ESPECIFICO DO SANGUE. FAMEB: 108-H. 1676. João Ferreira da Silva Machado. BREVES
1660. Eduardo Vidal da Cunha. ESTADO MENTAL CONSIDERAÇÕES SOBRE A SY-
NA EPILEPSIA. FAMEB: 108-F. PHILOSE PULMONAR. FAMEB: 108-E.
1661. Eduardo Vidal da Cunha. ESTADO MENTAL 1677. Joaquim José Ribeiro d’Oliveira. O BERI-
NA EPILEPSIA. FAMEB: 108-J. BERI. FAMEB: 108-A.
1662. Elysio Pinto de Almeida Castro. LIGEIRAS 1678. Joaquim Martagão Gesteira. ETIOLOGIA E
CONSIDERAÇÕES SOBRE O DIAGNOSTICO DA SEPTICEMIA DE
DETERMINISMO. FAMEB: 108-H. BRUCE. FAMEB: 108-C.
1663. Enjolras Vampré. LIGEIRAS 1679. José Dias de Moraes B. L. AS OPSONINAS,
CONSIDERAÇÕES SOBRE AS O INDICE OPSONICO, VACCINOTHERAPIA
PERTURBAÇÕES NERVOSAS E MENTAES PELO METHODO DE WRIGHT.FAMEB: 08-E.
DA PESTE BUBONICA. FAMEB: 108-D. 1680. José Gomes da Maia Monteiro. PHYSIO-
1664. Epaminondas de Oliveira Martins. ALGUMAS PSYCHOLOGIA MORBIDA DOS
CONSIDERAÇÕES SOBRE O RISO. GRANDES HOMENS. FAMEB: 108-E.
FAMEB: 108-B. 1681. José Joaquim Pinto. BREVES
1665. Ernesto Emilio da Fonseca. DAS COLICAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A SEMIOLOGIA
HEPATICAS. FAMEB: 108-E. DO PANCREAS. FAMEB: 108-B.
1666. Fernando Luz. CURA RADICAL DA 1682. Julio Alves de Carvalho. ESTUDO CLINICO
HYPERTROPHIA DA PROSTATA. FAMEB: DE DYSENTERIA. FAMEB: 108-G.
108-C. 1683. Julio Mario de Castro Pinto. ETIOLOGIA E
1667. Fernando Salazar da Veiga Pessoa. TRATAMENTO DO SINDROMA
TRATAMENTO DOS ANEURISMAS DA DUCHENNE-WESTPHAL. FAMEB: 108-B.
AORTA PELO METHODO BRASILEIRO. 1684. Luiz Antonio de Aguiar. DA CATAPHORESE
FAMEB: 108-B. ODONTOLOGICA. FAMEB: 108-B.
1668. Francisco de Castro da Silveira Fradi. 1685. Luiz de Lima Bittencourt. VALOR DA
PROSTATECTOMIA DA PROSTATA SEMIOLOGIA OCULAR DA MOLESTIA
HYPERTROPHIADA. FAMEB: 108-F. DE DUCHENNE E SUA IMPORTANCIA
1669. Francisco dos Santos. CONTRIBUIÇÃO AO DIAGNOSTICA NO ESTADIO PRE-
ESTUDO DO ABORTAMENTO. FAMEB: 108-I. ATAXICO. FAMEB: 108-D.
1670. Grasso Ferreira Barbosa. DAS PENEU- 1686. Luiz de Lima Jayme Galvão. CONSI-
MECTOMIAS E SUAS INDICAÇÕES. DERAÇÕES SOBRE A NEVRALGIA
FAMEB: 108-H. FACIAL SYPHILITICA. FAMEB: 108-F.
1671. João Baptista Ferreira Tourinho. DA 1687. Luiz de Oliveira Almeida. HYGIENE DOS
INTERVENÇÃO CIRURGICA NAS POBRES. FAMEB: 108-C.
APPENDICITES. FAMEB: 108-A. 1688. Lydio Vieira Bastos. BALNEOTHERAPIA
1672. João de Britto Albuquerque Veiga. DA NA DOTHIENENTERIA. FAMEB: 108-G.
RACHISTOVAINISAÇÃO. 108-D. 1689. Manoel Carneiro Rodrigues Nogueira.
1673. João de Britto e Araújo. QUASI NADA TUBERCULOSE NA SERRINHA. FAMEB:
SOBRE A MISERIA À LUZ DA CLINICA 108-D.
MEDICA. FAMEB: 108-A. 1690. Manoel da Silva Prado Filho. O
1674. João Dias Tavares. SYNDROMA PREBISTORICO, SEUS USOS E
ESPHYGMICO. FAMEB: 108-D. COSTUMES. FAMEB: 108-I.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 73

1691. Manoel Velloso Borges. CONSIDERAÇÕES 1705. Bruno José Bandeira. SYNDROMA DE
SOBRE A CONCEPÇÃO ACTUAL DA STOKES-ADAMS. FAMEB: 109-B.
PSYCHOSE MANIACO-DEPRESSIVA. 1706. Carlos Theodoro Sampaio. CURETAGEM
FAMEB: 108-G. UTERINA. FAMEB: 109-C.
1692. Octavio Alexandre Coelho Messeder. DA 1707. Carmo Lordy. NEPHRO-SYPHILOSES.
OVARIOTOMIA ABDOMINAL. FAMEB: FAMEB: 109-F.
108-A. 1708. Constancio Martins Sampaio. SYNDROMO
1693. Octavio Torres da Silva. A CIDADE DO OCULAR DA DEMENCIA PRECOCE E DA
SALVADOR PERANTE A HYGIENE. PARALYTICA. FAMEB: 108-J.
FAMEB: 108-I. 1709. Dagoberto Viégas da Silva. DO THALA-
1694. Otto Rodrigues Pimenta. ESTUDO MEDICO- SÔRO E SUAS APPLICAÇÕES
LEGAL DO ESTUPRO. FAMEB: 108-E. THERAPEUTICAS. FAMEB: 109-E.
1695. Pedro de Castro Valente. A CURA DA 1710. Durval Tavares da Gama. ESTUDO DAS
NEURASTHENIA. FAMEB: 108-C. CAUSAS MAIS COMMUNS DAS
1696. Raul da Rocha Medeiros. ALGUMAS HEMORRAGIAS ANTES, DURANTE E
EXPERIENCIAS SOBRE O EMPREGO DO DEPOIS DO PARTO. FAMEB: 109-F.
ELECTRARGOL EM OPHTALMOLOGIA. 1711. Eduardo José de Oliveira. DA RESPON-
FAMEB: 108-E. SABILIDADE MEDICA. FAMEB: 102-O
1697. Roque Degrazia. DAS INTERVENÇÕES 1712. Elysio de Moura Medrado. FRACTURAS DA
CIRURGICAS NA PRENHEZ ECTOPICA E ROTULA E SEU TRATAMENTO MEDICO-
SUAS COMPLICAÇÕES. FAMEB: 108-H. CIRURGICO. FAMEB: 109-G.
1713. Emygdio José de Mattos. NOTAS DE
1909 SITIOLOGIA. FAMEB: 109-D.
1714. Esperidião José de Souza Cairo.
1698. Agricio Canuto da Boa-Viagem. DA HEMORRHAGIA CEREBRAL. FAMEB:
CIRRHOSE ATROPHICA DE LAENNEC. 109-C.
FAMEB: 109-B. 1715. Eutychio Leal. DIAGNOSTICO DA PESTE.
1699. Alarico Nunes Pacheco. DA FAMEB: 109-A.
HYDROTHERAPIA E SUA ACÇÃO 1716. Fernando José de São Paulo. A VIDA
PHYSIO-THERAPEUTICA. FAMEB: 109-F. SEXUAL DOS CONDEMNADOS. FAMEB:
1700. Almiro de Lima Godinho Santos. LIGEIRO 108-J.
ESTUDO CLINICO DO GLAUCOMA. 1717. Flaviano Eutychio de Andrade. DA
FAMEB: 109-C. DYSTOCIA FUNICULAR. FAMEB: 109-F.
1701. Angelo de Lima Godinho Santos. 1718. Francisco de Mendonça. FRAGMENTOS
INFLUENCIA DA PROSTITUIÇÃO SO- DE CIRURGIA ENCEPHALICA. FAMEB:
BRE A SOCIEDADE ACTUAL. FAMEB: 109-G.
109-F. 1719. Francisco Leite Velloso. LIGEIRO ESTUDO
1702. Antonio Soares Junior. LIGEIRAS CON- SOBRE AS PSYCHOSES PUERPERAES.
SIDERAÇÕES SOBRE O LUPUS DE FAMEB: 109-D.
WILLAN. FAMEB: 109-C. 1720. Francisco Rodrigues d’Oliveira. NARCO-
1703. Arthur Xavier da Costa. CRYSTAES DE MANIA E CRIME. FAMEB: 109-C.
HEMINA. FAMEB: 109-B. 1721. Francisco Victorino da Assunção.
1704. Braulio da Silva Conrado. AS IDEAS ACTUAES GARANTIA SANITARIA DA PROLE.
SOBRE A PELADA. FAMEB: 109-D. FAMEB: 109-B.
74 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1722. Francisco Vieira Leite. SYPHILIS E 1737. Luiz Francisco Gomes. A CIRURGIA E A
ABORTAMENTO. FAMEB: 109-F. MEDICINA PERANTE A APPENDICITE.
1723. Franklin Ferreira Braga. ALBUMINURIA FAMEB: 109-G.
DOS TUBERCULOSOS PULMONARES. 1738. Manoel Thaumaturgo de Miranda. ACCIDENTES
FAMEB: 109-D. DO TRABALHO. FAMEB: 109-A.
1724. Genesio de Seixas Salles Filho. OS 1739. Maria Odilia Teixeira. ALGUMAS
FIBROMYOMAS DO UTERO E AS CONSIDERAÇÕES ACERCA DA
LAPAROHYSTERECTOMIAS SUPRA- CURABILIDADE E DO TRATAMENTO
VAGINAES. FAMEB: 109-A. DAS CIRRHOSES ALCOOLICAS. FAMEB:
1725. Hebreliano Mauricio Wanderley. 109-C.
INFECÇÕES DE ORIGEM CUTANEA 1740. Melchisedech Ferreira Braga. A FEMINA
NAS CREANÇAS. FAMEB: 109-G. SOCIAL. FAMEB: 109-B.
1726. Hildebrando José Baptista. A MULHER E 1741. Octavio Torres. CONTRIBUIÇÃO AO
A MEDICINA LEGAL. FAMEB: 109-E. ESTUDO DOS ANKYLOSTOMOS NA
1727. Horacio Vieira de Mello. DIABETES BAHIA. FAMEB: 109-D.
AZOTURICO. FAMEB: 109-E. 1742. Oswaldo Duarte Ferreira. ESTUDO CLINICO
1728. Januario Cyrillo da Silva Telles. REGIMEN DAS HEMOPTYSES. FAMEB: 109-B.
ALIMENTAR DA PRIMEIRA INFANCIA. 1743. Pedro Elias Marinho de Mello. DO IODISMO.
FAMEB: 109-G. FAMEB: 109-F.
1729. Jayme Pereira de Souza Lima. DAS 1744. Pedro Pirajá Martins. OVO-
INDICAÇÕES E APPLICAÇÕES DO HELMINTOSCOPIA CLÍNICA. FAMEB:
FORCEPS. FAMEB: 109-D. 109-B.
1730. José de Seixas Maia. DAS 1745. Severiano José Freire Filho. PROFILAXIA
OPHTALMOPLEGIAS. FAMEB: 109-E. DO CRIME. FAMEB: 109-E.
1731. José Gomes Murta Junior. PEQUENO
ESTUDO SOBRE A ETIO-PATHOGENIA 1910
E TRATAMENTO DIETETICO DAS GASTRO-
ENTERITES INFANTIS. FAMEB: 109-D. 1746. Cusinio Frederico de Castro Medeiros.
1732. José Uchôa de Campos. CADEIRA DE CLI- ICTERICIAS HEMOLYTICAS. FAMEB:
NICA OBSTETRICA E GYNECOLOGICA. 110-E.
FAMEB: 109-E. 1747. Eduardo Borba e Souza. ESTUDO CLINICO
1733. Lafayette Godinho Lima. LIGEIRAS DAS HEMATEMEZES. FAMEB: 110-E.
CONSIDERAÇÕES SOBRE O VALOR DA 1748. Eulogio Traquilino Bastos. GASTRITE
PALPAÇÃO ABDOMINAL NO DIAG- CHRONICA PRIMITIVA. FAMEB: 110-E.
NOSTICO DA GRAVIDEZ. FAMEB: 109-F. 1749. Fraderico Leão de Bittencourt. TRATAMENTO
1734. lmir Sá Cardoso de Oliveira. O INDICE DO GLAUCOMA. FAMEB: 110-E.
ENDEMICO DA FILARIASE LATENTE NA 1750. Francisco Antonio dos Santos Souza.
BAHIA. FAMEB: 109-F. ALIMENTAÇÃO NA BAHIA – SUAS
1735. Luiz Carneiro da Cunha Beda. HYPNO- CONSEQUENCIAS. FAMEB: 110-E.
THERAPEUTICA SUGGESTIVA. FAMEB: 1751. Galdino Ferreira Martins. MICROBIOLOGIA
109-E. DA SYPHILIS. FAMEB: 110-E.
1736. Luiz de Oliveira Gentil. DOS PROLAPSOS 1752. Geminiano Maciel Campos. OBSTETRÍCIA
GENITAES E SEU TRATAMENTO E GYNECOLOGIA – VERSÃO. FAMEB:
MEDICO-CIRURGICO. FAMEB: 109-A. 110-E.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 75

1753. Gilberto Fraga Rocha. ESTUDO MEDICO 1769. Mario Ferreira de Souza Lobo. DA
DAS LUNETAS E PINCE-NEZ. FAMEB: RONTGOSCOPIA DO ESTOMAGO
110-E. NORMAL. FAMEB: 110-B.
1754. Henrique Machado de Queiroz. ESBOÇO 1770. Maurilio Pinto da Silva. BREVES
CLINICO DO PEMPHIGO CHRONICO CONSIDERAÇÕES SOBRE AS DYS-
VULGAR. FAMEB: 110-A. PEPSIAS INTESTINAES E SEU TRAC-
1755. Henrique Sergio do Nascimento. ESTUDO TAMENTO, ESPECIALMENTE PELA
SOBRE A MYCOSIS FONGOIDE. MASSAGEM. FAMEB: 110-B.
FAMEB: 110-A. 1771. Oscar de Paula Guimaraens. UMA NOVA
1756. Hisbello de Andrade Lima. LIGEIRAS IDEIA SOBRE A VIDA E A MORTE.
CONSIDERAÇÕES SOBRE LEPRA. FAMEB: 110-F.
FAMEB: 110-A. 1772. Pacifico Rodrigues da Luz. DA RESISTENCIA
1757. Jannucio Diniz Rocha. DAS OPHORO- DO ARSENICO À CREMAÇÃO. FAMEB:
SALPINGITES. FAMEB: 110-B. 110-F.
1758. João Abilio Gomes. GLAUCOMA E SEU 1773. Pedro Augusto Rodrigues da Costa. DA
TRATAMENTO. FAMEB: 110-A. FEBRE TYPHOIDE E SEU DIAGNOSTICO
1759. João Evangelista Bastos. DIAGNOSTICO DA MICROBIOLOGICO. FAMEB: 110-F.
GRAVIDEZ INCIPIENTE. FAMEB: 110-A. 1774. Pedro L. F. de Araujo Junior. PROGNOSTICO
1760. João Fontes Torres. AORTITE DA PESTE. FAMEB: 110-G.
SYPHILITICA. FAMEB: 110-A. 1775. Raul Mendes de Castilho Brandão. BREVES
1761. João Marques de Queiroz Pinheiro. SINDROME CONSIDERAÇÕES SOBRE A
DE HOGDSON. FAMEB: 110-A. EDUCAÇÃO SEXUAL. FAMEB: 110-G.
1762. Joaquim Moreira Caldas. DA ETIO- 1776. Ricardo José da Costa Pinto. DAS
PATHOGENESIA DA CRIMINALIDADE. GLANDULAS ENDROCRINICAS EM
FAMEB: 110-B. PATHOLOGIA NEURO-PSYCHICA.
1763. José Basilisco da Silva Santos. VALOR DO FAMEB: 108-J.
INDICE OPSONICO NA 1777. Rogaciano Joaquim dos Santos. LIGEIRAS
TUBERCULINOTHERAPIA. FAMEB: 110-A. CONSIDERAÇÕES SOBRE O ESTUDO DA
1764. José Luiz de Mesquita. PERTURBAÇÕES ETIO-PATHOGENIA E TRATAMENTO DA
FUNCCIONAES EM OPHTALMIA SYMPATHICA. FAMEB: 110-G.
CARDIOPATHOLOGIA. FAMEB: 110-B. 1778. Tito Augusto da Silva. HYGIENE DA ASTH-
1765. Manoel da Silva Galvão. DA PROVA DE OTT MA E SEU TRATAMENTO.FAMEB:110-G.
– (SEU VALOR NA DIAGNOSE DA 1779. Ulysses Florival Barbuda. GENESE DA
MORTE REAL). FAMEB: 110-F. PERSONALIDADEPSYCHICA.FAMEB:110-G.
1766. Manoel Gonçalves. LIGEIRAS 1780. Victoriano da Silva Costa. DA PROPAGAÇÃO
CONSIDERAÇÕES SOBRE O LUPUS DA PESTE. FAMEB: 110-G.
ERYTHEMATOSO E SEU TRATAMENTO. 1781. Virgilio Pereira da Silva. ALIMENTAÇÃO DO
FAMEB: 110-B. SOLDADO. FAMEB: 110-G.
1767. Manoel Sotevo Vaz da Silveira.
PROPHYLAXIA DA APPENDICITE. 1911
FAMEB: 110-B.
1768. Mario Andréa dos Santos. AFFECÇÕES 1782. Carlos Cavalcanti da Silveira. ASPECTO SO-
CONGENITAS DO CORAÇÃO. FAMEB: CIAL DA LUTA CONTRA A TUBER-
110-F. CULOSE. FAMEB: 111-C.
76 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1783. Claudelino Sepúlveda. ALBUMINO – 1798. Manuel B. de Figueiredo Sobrinho.


DIAGNOSTICO DA TUBERCULOSE. ESTETHOSCOPIA OBSTETRICA.
FAMEB: 111-C. FAMEB: 111-A.
1784. Durval Olympio Pinto de Azevedo. ALGUNS 1799. Myron de Moura Pedreira. OPERAÇÃO DE
ESTUDOS SOBRE O MYCETOMA. GIGLI. FAMEB: 111-A.
FAMEB: 111-C. 1800. Oswaldo de Moraes Sarmento. SUMMULA
1785. Euclides Barreto de Aguiar. O EXAME DA RAIVA HYDROPHOBICA NA
ANAMNESTICO EM PEDIATRIA. ESPECIE HUMANA. FAMEB: 111-A.
FAMEB: 111-C. 1801. Oswaldo Rodrigues de Oliveira. ENSAIOS
1786. Euvaldo Diniz Gonçalves. DO CALCIO. PARA A CURA DA VELHICE. FAMEB:
FAMEB: 111-C. 111-A.
1787. Francisco de Salles Gomes. HISTORICO, 1802. Paulo Elizio Pinheiro Ramos. DO
TRATAMENTO E PROPHYLAXIA DO DIAGNOSTICO E TRATAMENTO DAS
TRACHOMA. FAMEB: 111-C. LEUCOCITEMIAS. FAMEB: 111-A.
1788. Francisco Freire de Andrade. DO VALOR 1803. Paulo Moreira de Queiroz. DAS VARIEDADES
DOS SANATORIOS NA TUBERCULOSE. LACRYMAL E SALIVAR NA MOLESTIA
FAMEB: 111-C. DE MIKULICZ. FAMEB: 111-A.
1789. Jayme Carvalho. DAS FRACTURAS DA 1804. Pery Guimarães. LIGEIRAS
DIAPHYSE DO FEMUR SEM CONSIDERAÇÕES SOBRE AS RAÇAS
COMPLICAÇÃO DE FERIDA. FAMEB: HUMANAS. FAMEB: 111-A.
111-B. 1805. Waldemiro Augusto Deiró Lefundes.
1790. João Rodrigues da Costa Doria. DAS CONSANGUINIDADE. FAMEB: 111-G.
APRESENTAÇÕES DO PELVIS. FAMEB:
111-B. 1912
1791. João Rodrigues de Souza. DA INSUFFI-
CIENCIA HEPATICA. FAMEB: 111-B. 1806. Antonio Dantas Velloso. NOTA SOBRE UM
1792. João Vieira de Camargo. DAS PROCESSO NOVO PARA O
ANASTOMOSES ARTERIAES DA DIAGNÓSTICO DAS MANCHAS DE
CABEÇA E SUA IMPORTANCIA MUCOZIDADE VAGINAL. FAMEB: 112-H.
MEDICO-CIRURGICA. FAMEB: 111-B. 1807. Antonio de Sá Barreto Sampaio Junior. UM
1793. José Gonçalves dos Santos. DAS CASO DE APHASIA PALUSTRE. FAMEB:
COMPLICAÇÕES DO DELIVRAMENTO. 112-H.
FAMEB: 111-B. 1808. Antonio Joaquim de Sampaio. DA
1794. José Pedreira de Freitas. SEMIOLOGIA DA INCONVENIENCIA DA LIBERDADE
PUPILLA. FAMEB: 111-B. ILLIMITADA NO EXERCICIO DA
1795. Juvenal Montanha de Andrade. OS DEVERES PROSTITUIÇÃO. FAMEB: 112-H.
DO MEDICO. FAMEB: 111-B. 1809. Arcendino Fragôso de Mello.
1796. Luiz de Paula Lima. RELAÇÃO DA CONSIDERAÇÕES SOBRE A ETIO-
INSUFFICIENCIA OVARIANA COM AS PATHOGENIA DO BOCIO
GLANDULAS ENDOCRINICAS EM EXOPHTALMICO. FAMEB: 112-H.
PATHOLOGIA CARDIO-ARTERIAL. 1810. Arlindo Frederico de Azevêdo Costa.
FAMEB: 111-A. CADEIRA DE CLINICA PSYCHIATRICA
1797. Manfredo Mutti. ESTUDO CLINICO DAS E DE MOLESTIAS NERVOSAS. FAMEB:
ALBUMINURIAS. FAMEB: 111-A. 112-H.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 77

1811. Armando de Campos Gordilho. DA DEFEZA 1823. Epiphanio Oswaldo Bezerra. A


DO ORGANISMO CONTRA AS AMEA- TUBERCULOSE RENAL E A PESQUISA
ÇAS DE DESTRUIÇÃO. FAMEB: 112-H. DO BACILLO DE KOCH NAS URINAS.
1812. Arsenio Luiz Tavares da Silva. SOBRE A FAMEB: 112-C.
HIDRONEFROZE. FAMEB: 112-H. 1824. Erasmo José da Cunha Lima. A BLENOR-
1813. Arthur de Sá Cavalcanti d’Albuquerque Filho. RHAGIA COMO CAUSA IMPEDIENTE
COMPLICAÇÕES DAS VEGETAÇÕES AO CASAMENTO. FAMEB: 112-C.
ADENOIDES E SEU TRATAMENTO. 1825. Ernandi de Campos Basto. DAS
FAMEB: 112-H. PNEUMONIAS ESPURIAS NO ADULTO.
1814. Carlos de Castro Borges. VIAS URINARIAS FAMEB: 112-C.
DO CATHETERISMO URETHRAL NO 1826. Eurico Hamilton Ferreira do Amaral. A
HOMEM. FAMEB: 112-D. ANTOSEROTERAPIA DA HIDROCÉLE.
1815. Carlos Levindo de Moura Pereira. FAMEB: 112-C.
CYTOPROGNOSTICO DA LACTAÇÃO. 1827. Eusebio da Costa Teixeira. A VELHICE NORMAL
FAMEB: 112-D. E A VELHICE PRECOCE. FAMEB: 112-C.
1816. Carlos Octavio da Costa Nunes. A 1828. Fernando Didier. DA ROENTGEN-
MORPHOLOGIA DO CORPO HUMANO E THERAPIA NAS ESPLENOMEGALIAS
SEU VALOR EM CLINICA. FAMEB: 112-D. PALUSTRES. FAMEB: 112-F.
1817. Carlos Vieira de Menezes. ESTUDO CLINICO 1829. Flavio Olympio Pinto de Azevedo.
DAS MANIFESTAÇÕES DA SYPHILIS NA SUMMULA DA OPOTHERAPIA SUPRA-
REGIÃO PALATOPHARYNGEA E SEU RENAL. FAMEB: 112-F.
TRATAMENTO PELO DICHLORHYDRATO 1830. Francisco Affonso de Araújo.
DE DIOXYDIAMIDOARSENO-B.ENZOL PUERICULTURA INTRA-UTERINA OU
(606). FAMEB: 112-D. FETICULTURA. FAMEB: 112-F.
1818. Custodio Angelo de Lima. SUCCINTA 1831. Francisco Soares Senna. DIAGNOSTICO
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA FUNCCIONAL DO FIGADO. FAMEB: 112-F.
ASSISTENCIA ÀS LAPAROTOMIAS NAS 1832. Galdino Pereira de Castro. DAS ILUSÕES
AFFECÇÕES UTERO= ANNEXEAES. SOCIAES. FAMEB: 112-F.
FAMEB: 112-D. 1833. Gastão Clovis de Souza Guimarães. DA
1819. Durval Pires de Oliveira Silva. O ESPORÃO ESTERILIDADE PROVOCADA
DE CENTEIO SEU EMPREGO EM (LIGEIRISSIMAS CONSIDERAÇÕES).
CLINICA OBSTETRICA. FAMEB: 112-D. FAMEB: 112-F.
1820. Eduardo Ferreira Marinho. DO VALOR SEMIO- 1834. Gastão Florencio dos Passos. DOS RUIDOS DE
LOGICO DA TRANSMISSÃO DAS SOPRO ANORGANICOS. FAMEB: 112-F.
VIBRA-ÇÕES THORACOVOCAES NOS 1835. Gregorio Celli de Freitas. DO VALOR DO
DERRA-MANENTOS DA PLEURA. ALCOOL NA ALIMENTAÇÃO. FAMEB:
FAMEB:112-C. 112-F.
1821. Eduardo Fróes da Motta. DO MEDICO 1836. Gustavo Ferreira Pinto. PROPHYLAXIA DA
PERANTE A HONRA E A CONSCIEN- FEBRE AMARELLA. 112-F.
CIA. FAMEB: SR. 1837. Horacio Pereira de Vasconcellos Brandão. DA
1822. Eduardo Lins Ferreira de Araújo. DA RESISTENCIA GLOBULAR NO
PESQUIZA DE ANTICORPO E ANTI- PALUDISMO. FAMEB: 111-D.
GENO NO SÔRO DOS PESTOSOS. 1838. João Affonso Pedreira. PROPHYLAXIA DO
VALOR DIAGNOSTICO. FAMEB: 112-C. CHOLERA MORBUS. FAMEB: 111-D.
78 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1839. João Baptista dos Anjos. CONSIDERAÇÕES 1855. Milton Cavalcanti Pina. BREVES
SOBRE AS FERIDAS POR ARMAS DE CONSIDERAÇÕES SOBRE A
FOGO. FAMEB: 111-D. LEISHMANIOSE ULCEROSA. FAMEB: 112-A.
1840. João Caminha de Sá Leitão. OS REFLEXOS 1856. Murillo Celestino dos Santos.
TENDINOSOS E CUTANEOS NOS NEUTROPHILIA NORMAL NA BAHIA.
ALIENADOS. FAMEB: 111-D. FAMEB: 112-A.
1841. João Ferreira Canna Brasil Filho.
TRATAMENTO MEDICO DA 1913
ECLAMPSIA. FAMEB: 111-D.
1842. João Mayrinck de Andrade. PLACENTA 1857. Alberto da Conceição e Silva. BREVES
PREVIA. FAMEB: 111-D. CONSIDERAÇÕES SOBRE AS
1843. Joaquim Verissimo de Cerqueira Lima. A ESTENOSES DA URETHRA E SEU
OPSIURIA E SEU VALOR NA TRATAMENTO. FAMEB: 113-E.
SEMIOLOGIA CLINICA. FAMEB: 112-E. 1858. Abilio Fernandes de Faria. BREVES
1844. José Affonso Guerreiro. CONTRIBUIÇÃO CONSIDERAÇÕES SOBRE O
PARA O ESTUDO DA TUBER- HYDROCELE. FAMEB: 113-E.
CULINOTHERAPIA. FAMEB: 112-E. 1859. Adolpho Silva Filho. DO IMPALUDISMO E
1845. José Benigno de Miranda. A URICEMIA E DA QUININA NA GRAVIDEZ. FAMEB: 113-E.
UMA DE SUAS MANIFESTAÇÕES. 1860. Agricola Guerra. LIGEIRAS CONSI-
FAMEB: 112-E. DERAÇÕES CLINICAS SOBRE A FEBRE
1846. José de Castro Valente. DO SYNDROMO AMARELLA. FAMEB: 113-E.
ICTERICIA. FAMEB: 111-B. 1861. Alberto Lins Coêlho da Paz. LIGEIRAS
1847. José Mendonça de Alarção Ayalla. DO CONSIDERAÇÕES SOBRE A
CORPO AMARELLO EM PHYSIOPA- CATARACTA E SEU TRATAMENTO.
THOLOGIA OBSTETRICA. FAMEB: 112-E. FAMEB: 113-E.
1848. José Sacramento e Silva. DA 1862. Alberto Santiago Ferreira. ALEITAMENTO
CHOLESTERINEMIA. FAMEB: 112-E. MERCENARIO. FAMEB: 113-E.
1849. Julio Augusto da Silva Freire. DO PARTO 1863. Alexandrino Caetano de Almeida. LIGEIRAS
PREMATURO. FAMEB: 112-E. CONSIDERAÇÕES SOBRE O ESTUDO
1850. Laudelino de Araujo Sá. DA EXTRA-SYSTOLE CLINICO E THERAPEUTICO DO
SEUS CARACTERES, VARIEDADES E LIQUIDO ASCITICO. FAMEB: 113-E.
MECHANISMO. FAMEB: 112-A. 1864. Alfredo Couto Britto. DA AORTA NORMAL
1851. Luciano Dimas dos Reis. LIGEIRAS NA BAHIA E A THERAPEUTICA DAS
CONSIDERAÇÕES ACCERCA DO AORTAECTASIAS. FAMEB: 113-E.
DIAGNOSTICO DA APPENDICITE E SEU 1865. Alvaro Campos de Carvalho. O SANGUE
TRATAMENTO. FAMEB: 112-A. NAS MOLESTIAS NERVOSAS. FAMEB:
1852. Luiz Machado. LIGEIRAS NOTAS SOBRE 113-E.
OS PHENOMENOS CADAVERICOS. 1866. Alvaro Campos de Carvalho. O SANGUE NAS
FAMEB: 112-A. MOLESTIAS NERVOSAS. FAMEB: 108-J.
1853. Manuel Cezar de Góes Monteiro. PANO- 1867. Alvaro Pontes Bahia. DA TOSSE EMETI-
PHTALMIA. FAMEB: 112-A. SANTE TUBERCULOSOS. FAMEB:113-E.
1854. Manuel Cordeiro de Almeida. DO ESTUDO 1868. Annibal Muniz Silvany. ESTUDO DAS
DOS FERIMENTOS METALLICOS EM FERIDAS PENETRANTES DO ABDO-
THERAPEUTICA. FAMEB: 112-A. MEN E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 113-B.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 79

1869. Anthero de Lucena Ruas. DE ALGUMAS 1885. Francisco da Costa Araújo. DAS CYSTITES.
CAUSAS MAIS FREQUENTES DE MORTE FAMEB: 113-D.
SUBITA NA BAHIA. FAMEB: 113-B. 1886. Francisco de Salles Nogueira Filho. DA
1870. Antonio Arthur Pereira França. TRES CASOS ENDOMETRITE HEMORRHAGICA E SEU
DE ANEURISMAS TRAUMATICOS. TRATAMENTO. FAMEB: 113-D.
FAMEB: 113-B. 1887. Francisco José Fernandes. INTERVENÇÕES
1871. Antonio Cardoso de Amorim. O CORAÇÃO CIRURGICAS NAS APPENDICITES.
SENIL. FAMEB: 113-B. FAMEB: 113-D.
1872. Antonio de Azevedo Borba Junior. O 1888. Francisco Martins da Silva. DO
ALEITAMENTO MATERNO SOB O PON- CHLOROFORMIO NA CIRURGIA
TODEVISTAMEDICO-SOCIAL.FAMEB:113-B. INFANTIL. FAMEB: 113-D.
1873. Antonio Frederico Monteiro. DO FORCEPS 1889. Heitor Pinto. CONSIDERAÇÕES SOBRE A
E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 113-B. REACÇÃO DE WASSERMANN, NEISSER
1874. Antonio Joaquim Lopes. ESTUDO PHYSIO- BRUCK. FAMEB: 113-F.
CLINICO DAS INSUFFICIENCIAS DAS 1890. Hilario Joaquim dos Santos. ETIOLOGIA,
CAPSULAS SUPRA-RENAES.FAMEB:113-B. PATHOGENIA E TRATAMENTO DA
1875. Aristides Barbosa da Silva. BREVE ESTUDO ECLAMPSIA PUERPERAL. FAMEB: 113-F.
SOBRE A MORTE APARENTE DO 1891. Holdrado da Rocha Pitta. VALOR
RECEMNASCIDO. FAMEB: 113-B. SEMIOLOGICO DA PRESSÃO ARTERIAL
1876. Arnaldo Ferreira Luiz de Carvalho. DAS MINIMA. FAMEB: 113-F.
LEUCEMIAS MYELOIDE. FAMEB: 113-B. 1892. Humberto Baptista Barbosa de Godois.
1877. Arthur Bezerra de Cerqueira. FEBRE E DIAGNÓSE E THERAPEUTICA DA
ANTYPIRETICOS. FAMEB: 113-B. HYPERTROPHIA DO THYMUS. FAMEB:
1878. Carlos Alberto de Freitas. CALCULOS 113-D.
VESICAES. FAMEB: 113-D. 1893. Isaias Rodrigues Coelho. DA SYNDROME
1879. Durval de Queiroz Miranda. DO RIM DE BASEDOW. FAMEB: 108-J.
SENIL. FAMEB: 113-D. 1894. João Amadeu Furtado. DA
1880. Durval de Souza Britto. DA HECTINA NO PSYCHOTHERAPIA. FAMEB: 113-F.
IMPALUDISMO. FAMEB: 113-D. 1895. João Carlos de Miranda. DOSAGEM DA
1881. Enoch Carteado. DA CULTURA D’ALMA URÉA NO SANGUE. FAMEB: 113-F.
NA INFANCIA. FAMEB: 113-D. 1896. João Cezario de Andrade. GLAUCOMA
1882. Ernesto de Alcantara Velho Barretto. PRIMITIVO. FAMEB: 113-F.
LIGEIRAS NOTAS SOBRE A MOLESTIA 1897. João Florencio Filho. DA RESISTENCIA
DE HEINE-MEDIN E SEU TRATAMENTO. GLOBULAR NORMAL NA BAHIA.
FAMEB: 113-D. FAMEB: 113-F.
1883. Etelvino de Menezes Tavares. DOS SUPPOS- 1898. João Mendes Queiroz Filho. DA
TOS ACCIDENTES DA PRIMEIRA RESISTENCIA GLOBULAR NORMAL NA
DENTIÇÃO. FAMEB: 113-D. BAHIA. FAMEB: 113-F.
1884. Francisco Ayres Cavalcante. DA RESIS- 1899. Joaquim de Almeida Couto. ESTUDO DA
TENCIA DO ORGANISMO À INFECÇÃO OPOTHERAPIA THYROIDÉA NAS
NO ESTADO NORMAL, SEGUIDA DE MOLESTIAS MENTAES. FAMEB: 113-F.
UM LIGEIRO ESTUDO SOBRE AS MO- 1900. Joaquim Novaes e Silva. CONTRIBUIÇÃO
LESTIAS, AGUDAS E CHRONICAS. PARA O ESTUDO DO PROLAPSO
FAMEB: 113-H. UTERO-VAGINAL. FAMEB: 112-E.
80 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1901. José Antonio de Seixas Pereira. DA 1916. Oldach de Abreu Benjamin. DO TRA-
DRENAGEM PERITONEAL NAS TAMENTO DA COXITE TUBERCULOSA.
LAPAROCELIOTOMIAS. FAMEB: 113-C. FAMEB: 113-H.
1902. José Barbosa de Araujo Filho. DO 1917. Orlando Costa. CONTRIBUIÇÃO AO
DIAGNOSTICO E TRATAMENTO DA ESTUDO DA OPERAÇÃO DE
SINUSITE MAXILLAR. FAMEB: 113-C. ALEXANDER. FAMEB: 113-H.
1903. José Carlos da Cunha Primo. FERIDAS PE- 1918. Oscar Pirajá Martins. NOTAS DE
NETRANTES NO PULMÃO. FAMEB: 113-C. UTILIDADE SOBRE A BLENORRHAGIA
1904. José Dutra da Silva. MEIOS DE DEFEZA URETHRAL DO HOMEM. FAMEB: 113-H.
CONTRA AS AFFECÇÕES UTERINAS 1919. Paulo Francisco Corrêa de Araújo. A
COMBATE AS METRITES. FAMEB: SITIOPHOBIA E SEU TRATAMENTO NOS
113-C. ALIENADOS. FAMEB: 108-J.
1905. José Horacio Carneiro Leão. A PSYCHOSE 1920. Paulo Francisco Corrêa de Araújo. A
OVARIANA E SEU TRATAMENTO. SITIOPHOBIA E SEU TRATAMENTO NOS
FAMEB: 108-J. ALIENADOS. FAMEB: 113-H.
1906. José Horacio Carneiro Leão. A PSYCHOSE 1921. Pedro de Alcantara Olinda Soares. A
OVARIANA E SEU TRATAMENTO. PUBERDADE NA MULHER. FAMEB: 113-H.
FAMEB: 113-C. 1922. Pedro Leal de Carvalho. NEPHRO-
1907. José Linhares de Albuquerque. DA EXPLO- PALUDISMO. FAMEB: 113-H.
RAÇÃO METHODICA DA URETHRA 1923. Pedro Nunes Rodrigues. A SYPHILIS E A
NAS URETHRITES N E O - S A LVA R S A N O T H E R A P I A .
CHRONICAS.FAMEB:113-C. FAMEB:113-H.
1908. José Lobão. ELEPHANTIASIS DA VULVA. 1924. Pericles Antunes de Alencar. DA
FAMEB: 113-C. PROPHYLAXIA DA VARIOLA PELA
1909. José Martins da Paixão. CONTRIBUIÇÃO VACCINAÇÃO. FAMEB: 113-A.
AO ESTUDO DAS APPENDICITES 1925. Raul Gonçalves Torres e Silva. DA
MEDICAS. FAMEB: 113-C. RACHISTOVAINISAÇÃO. FAMEB: 113-A.
1910. José Paulo de Moraes. ETIO-PATHOGENIA 1926. Raul Hermes de Oliveira. DAS IMPRESSÕES
DAS SINUSITES MAXILLARES. FAMEB: NOS PROJECTIS DE CHUMBO
113-C. DESCOBERTO. FAMEB: 113-A.
1911. Lupciano da Silva Serra. DO CONTEÚDO 1927. Raymundo Bonifacio de Carvalho. DA
CARDIACO NAS ASPHYXIAS MECHA- MENOSTASE COMO ENTIDADE
NICAS. FAMEB: 113-C. CLINICA DEFINIDA. FAMEB: 113-A.
1912. Manoel Chaves de Moraes. VALOR PROG- 1928. Raymundo José Teixeira. ADIPOSE
NOSTICO DA REAÇÃO DE MORIS DOLOROSA. FAMEB: 113-A.
WEISZ NA TUBERCULOSE PULMONAR. 1929. Rosalvo d’Almeida Fonseca. DO VALOR DO
FAMEB:113-H. TOQUE VAGINAL EM GYNECOLOGIA.
1913. Miguel Lima Verd. ENDOCRINISMO FAMEB: 113-A.
HYPOPHYSARIO. FAMEB: 113-H. 1930. Thessalonico Augusto do Nascimento.
1914. Norberto Simões da Silva Freitas. DO SYPHILO-SALVARSANOTHERAPIA.
CONCEITO HISTO-PATHOLOGICO DOS FAMEB: 113-A.
SARCOMAS. FAMEB: 113-H. 1931. Urbano d’Avila Ribeiro. COMPLICAÇÕES
1915. Odilon Machado de Araújo. DA HYDRO- E ACCIDENTES DO DELIVRAMENTO.
THERAPIA. FAMEB: 113-H. FAMEB: 113-A.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 81

1932. Xisto Augusto Pereira. DO VALOR DA 1945. Euclydes Machado Santiago. A ESCOLA E
ASSOCIAÇÃO DOS MEDICAMENTOS. A ESCOLIOSE – INSPECÇÃO MEDICA.
FAMEB: 113-A. FAMEB: 113-G.
1946. Eugenio David. PROPHYLAXIA DA
1914 MYOPIA. FAMEB: 113-G.
1947. Fernando Soares da Silva Lima. DA RHINITE
1933. Aloysio Affonso Nogueira. ALGUNS ATROPHICA OZENOSA. FAMEB: 113-G.
PROCESSOS SOBRE O FUBCCIONAMENTO 1948. Francisco Borja Cardoso. TRATAMENTO
RENAL. FAMEB: 114-C. DAS OSTEO-ARTHRITES
1934. Alvaro de Carvalho Câmera. A TUBERCULOSAS. FAMEB: 113-G.
HELIOTHERAPIA NAS TUBERCULOSES 1949. Francisco Freire de Carvalho. ESTUDO DOS
CIRURGICAS. FAMEB: 114-C. MEIOS DE AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO
1935. Alvaro R. dos Santos. DA TENSÃO RENAL ESPECIALMENTE A CONSTANTE
ARTERIAL MINIMA NAS MOLESTIAS DE AMBARD. FAMEB: 113-G.
DO APPARELHO CARDIOVASCULAR. 1950. Francisco Tavares de Carvalho. DA
FAMEB: 114-C. MENSTRUAÇÃO. FAMEB: 113-G.
1936. Antenor de Senna Ayres. DO HYMEN SOB 1951. Helio de Castro Abreu. DOCIMASIA FETAL
O PONTO DE VISTA MEDICO-LEGAL. HYDROSTATICA DE DEBENEDETTI.
FAMEB: 113-H. FAMEB: 114-B.
1937. Armando Rabello Vieira Lima. 1952. João Cupertino da Silva. CONSIDERAÇÕES
ANCYLOSTOMASE E SEU MELHOR EM TORNO DA ANATOMO-
TRATAMENTO. FAMEB: 114-C. PHYSIOLOGIA CLINICA DA MEDULA
1938. Arthur Sampaio Costa. ALTERAÇÕES ESPINHAL. FAMEB: 114-B.
HEPATO-SPLENICAS NO PALUDISMO 1953. Joaquim Vidal de Oliva Netto. DA
CHRONICO. FAMEB: 114-C. INEVITABILIDADE DO ABORTAMENTO.
1939. Augusto Dourado de Cerqueira Bião. FAMEB: 113-H.
LIGEIRAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O 1954. José de Assis Souza. UROBILINA E
“PEMPHIGO FOLIACEO”. FAMEB: 114-C. UROBILINURIA. FAMEB: 114-B.
1940. Augusto Gonçalves de Castro Cerqueira. DA 1955. José Felix Ribeiro. ESTUDO SOBRE O
LEISHMANIOSE TEGUMENTAR. TRACHOMA. FAMEB: 114-B.
FAMEB: 114-C. 1956. Luis A. Moreira de Mendonça Filho.
1941. Aurelio Brandão de Oliveira. DO REPRESENTAÇÃO PERIPHERICA DAS
DIAGNOSTICO DA GESTAÇÃO VISCEROPATHIAS. FAMEB: 113-H.
UTERINA NA SUA PRIMEIRA METADE. 1957. Luiz Lopes Villas Boas. DO TRATAMENTO
FAMEB: 114-C. ORTHOPEDICO NO MAL DE POTT.
1942. Carlos Alberto da Silva Alves. FAMEB: 114-B.
HYPERTROPHIA DA PROSTATA E SUA 1958. Manoel Felino Tenório. DO MERCURIO E
THERAPEUTICA. 113-G. DA QUININA. FAMEB: 114-B.
1943. Djalma Caldas Marques. QUADRO 1959. Mario Muller. DA URETHRITE
NEUTROPHILO DO ALIENADO. FAMEB: GONOCCOCICA NO HOMEM E SEU
113-G. TRATAMENTO IODADO. FAMEB: 114-B.
1944. Euclides Zanine Caldas. DO 1960. Mario Sergio de Farias. DA ETIO-
PROGNOSTICO DA FEBRE PATHOGENIA D’ARTERIO-ESCLEROSE.
AMARELLA. FAMEB: 113-G. FAMEB: 113-H.
82 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

1961. Methodio Luiz Alves de Moura. ETIOLOGIA 1976. Severino Henrique da Cruz. DO DESVIO DA
DA MESTRUAÇÃO. FAMEB: 114-B. URINA NAS OPERAÇÕES SOBRE A
1962. Nestor Sampaio Bittencourt. PROPHYLAXIA URETHRA. FAMEB: 113-A.
DA FEBRE AMARELLA. FAMEB: 114-B. 1977. Silio Boccanera Neto. O INSTINCTO
1963. Newton Duarte Soeiro. GRAVIDEZ CRIMINAL. FAMEB: 108-J.
COMPLICADA DE FIBROMAS. FAMEB: 1978. Waldomiro da Cunha Canto. O
114-B. TRATAMENTO DOS ABCESSOS E
1964. Nilo Fabosa Freire. DO SÔRO ANTI- FISTULAS TUBERCULOSOS PELAS
OPHIDICO NA EPILEPSIA. FAMEB: 108-J. INJECÇÕES MODIFICADORAS. FAMEB:
1965. Nilo Tabosa Freire. DO SÔRO ANTI- 114-A.
OPHIDICO NA EPILEPSIA. FAMEB: 114-B.
1966. Oscar Marques de Freitas. LIGEIRO 1915
ESTUDO SOBRE A ENTERORRAPHIA
CIRCULAR. FAMEB: 114-A. 1979. Adalberto Moraes Studart. LIGEIRA
1967. Otto Marques de Freitas. LIGEIRAS CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DE
CONSIDERAÇÕES SOBRE O VALOR DA UMA NOVA DOCIMASIA PULMONAR.
DACTYLOSCOPIA NA VERIFICAÇÃO FAMEB: 115-B.
DA REINCIDENCIA CRIMINAL. 1980. Alexandre de Mattos Pereira de Cerqueira.
FAMEB: 114-A. SYNDROME DE LITTLE. FAMEB: 115-B.
1968. Paulo Pompilio de Abreu. DA SYPHILIS NA 1981. Alfredo Gomes Sapucaia. DOS LIPOIDES.
MULHER. FAMEB: 114-A. FAMEB: 115-B.
1969. Raymundo do Amaral Pacheco. FERIMEN- 1982. Antonio Amynthas de Araujo Britto.
TOS PENETRANTES DAS ARTICU- SEMEIOTICA DA FOSSA TRACHEAL.
LAÇÕES. FAMEB: 114-A. FAMEB: 115-B.
1970. Raymundo Guilherme Sobrinho. DA 1983. Antonio Monteiro de Moraes Nascimento. DA
CYTOSCOPIA DO LIQUIDO CEPHALO- ETIOLOGIA E THERAPEUTICA DAS
RACHIDEANO EM PSYCHOPATHO- AMENORRHÉAS. FAMEB: 115-B.
LOGIA. FAMEB: 108-J. 1984. Antonio Raymundo Gomes da Frota. DO
1971. Raymundo Guilherme Sobrinho. DA GRANULOMA ULCEROSO TROPICAL.
CYTOSCOPIA DO LIQUIDO CEPHALO- FAMEB: 115-B.
RACHIDEANO EM 1985. Armando Nogueira China. DO METHODO
PSYCHOPATHOLOGIA. FAMEB: 114-A. DE RAVANT NO TRATAMENTO DA
1972. Reginaldo de Faria Motta. ESTUDO DA PARALYSIA GERAL. FAMEB: 115-B.
LEPRA E CONSIDERAÇÕES GERAES SO- 1986. Arsenio Pereira da Costa. LIGEIRAS
BRE A PROPHYLAXIA E TRATAMENTO. CONSIDERAÇÕES SOBRE A
FAMEB: 114-A. ECLAMPSIA E SEU TRATAMENTO.
1973. Rogaciano Floro Borges. HEMOGLO- FAMEB: 115-B.
BINOMETRIA NORMAL NA BAHIA. 1987. Asdrubal da Franca Rocha. SYNDROME DE
FAMEB: 114-A. RIST E GUILLEMONT. FAMEB: 115-B.
1974. Rosalvo Celestino dos Santos. SYNDROME 1988. Augusto de Araujo Aragão Bulcão. MOLES-
SPLENICA. FAMEB: 114-A. TIA DE CARLOS CHAGAS. FAMEB: 115-B.
1975. Sabino Munix Fiuza Junior. AS MOSCAS, 1989. Carlos Francisco de Aguiar e Souza. A
SUA INFLUENCIA NA VEHICULAÇÃO DE INVERSÃO DA VAGINAL NA CURA
MOLESTIAS INFECCIOSAS. FAMEB: 113-A. RADICAL DA HYDROCELE.FAMEB:113-G.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 83

1990. Francisco de Aserêdo Veiga. BÉRIBÉRI. 2005. Carlos Eugenio Gontois. DA RETENÇÃO DO
FAMEB: 113-G. FETO (IN UTERO). FAMEB: 902.
1991. Guilherme Cirne de Azevedo. HEMOR- 2006. Diogenes Magalhães da Silveira. ENXÊRTO
RHAGIA CEREBRAL. FAMEB: 113-G. DE THIERSCH ANTOPLASTIA
1992. João Guimarães. DA ANAPHYLAXIA ESPONTANEA. FAMEB: 902.
ALIMENTAR. FAMEB: 113-G. 2007. Edmundo de Araujo Oliveira. DOS
1993. Otaviano Diniz Borges. OTORHINOLARYN- DISPOSITIVOS MITOCHONDRIAES
GOLOGIA-NYSTAGMUS THERMICO NOS TUMORES. FAMEB: 902.
EXPERIENCIAS FEITAS NA BAHIA COM 2008. Eduardo Studart da Fonseca. AFFECÇÃO
O OTOCALORIMETRO DE BRUNINGS. CALCULOSA VESICAL. FAMEB: 902.
FAMEB: 115-A. 2009. Elysen de Hollanda Montenegro. DA
1994. Pedro Cesar Sampaio. PHYSIOPATHO- HYSTERIA. FAMEB: 902.
LOGIA DO CORPO AMARELLO.FAMEB:904. 2010. Elysio Gomes de Figueiredo. ASSOCIAÇÕES
1995. Pedro Rocha Cavalcanti. EM TORNO DA MORBIDAS. FAMEB: 902.
APPENDICITE. FAMEB: 115-A. 2011. Francisco de Magalhães Flores. ECLAMPSIA
1996. Quintiliano Luiz da Silva. LIGEIRAS CONSI- PUERPERAL. FAMEB: 902.
DERAÇÕES SOBRE A TUNICA VAGI- 2012. Galdino da Silveira Magalhães Ribeiro. DA
NAL. FAMEB: 115-A. LUCTA CONTRA O CANCER DO
1997. Raymundo Chaves de Freitas. DA TUBER- UTERO. FAMEB: 902.
CULOSE OCULAR E SEU TRATAMENTO 2013. Guilherme Pereira Rebello Junior.
PELAS TUBERCULINAS. FAMEB: 115-A. OPHTALMOPATHIAS EM NEURO-
1998. Rhadamantho Renault. HEMATÉMESES PATHOLOGIA. FAMEB: 902.
PROFUSAS DE ORIGEM HEPATICA. 2014. Herval Ribeiro Chaves. A INCISÃO
FAMEB: 115-A. TRANSVERSA EM GYNECOLOGIA.
1999. Samuel Dutra da Silva. O CASAMENTO E A FAMEB: 902.
PROLE. FAMEB: 115-A. 2015. Isaura Leitão de Carvalho. TRANSFUSÃO
2000. Servulo Dantas de Amorim. DA INSERÇÃO SANGUINEA. FAMEB: 902.
ANORMAL DA PLACENTA. FAMEB: 115-A. 2016. João Motta. ESTUDO MEDICO-FORENSE
2001. Sylvio Gomes de Mello. DA PERCUSSÃO DAS ALLUCINAÇÕES. FAMEB: 108-J.
ABDOMINAL (SEGUNDO O METHODO 2017. Liciniano Caetano d’Almeida. SEMIOTICA
DE SIGAUD). FAMEB: 115-A. DA FACIES. FAMEB: 904.
2002. Uldurico Macedo de Athayde Pereira. DAS 2018. Lourival de Souza Monte. ASPECTOS
SALPINGO – OOPHORITES E SEU CLINICOS DA PROSOPOPLEGIA.
TRATAMENTO. FAMEB: 115-A. FAMEB: 904.
2003. Waldemar de Castello. O PROCESSO DE 2019. Luiz de Araujo Cintra. TECHNICA DE
GIRARD PARA A CURA RADICAL DA NECROSCOPIA ABDOMINAL. FAMEB: 904
HERNIA INGUINAL. FAMEB: 115-A. 2020. Melchisedech Przewedowski de Berrimor.
ESTUDO CLINICO DA INSUFFICIENCIA
1916 SUPRARENAL. FAMEB: 904.
2021. Pedro Ribeiro da Costa Junior. DA
2004. Carlos Augusto de Macedo Guimarães. LEISHMANIOSE ULCEROSA E SUAS
MELANCOLIA – TYPO CLINICO DE LESÕES OCULARES. FAMEB: 904.
PREDOMINANCIA DA PSYCHOSE 2022. Raphael Copello Junior. ESTUDO DOS
MANIACO-DEPRESSIVA. FAMEB: 902. ARSENICAES EM MEDICINA. FAMEB: 904.
84 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2023. Raul Braga Godinho. ARTHROPHYTOS 2038. Lauro Gonçalves Theodoro. LIGEIRO
TRAUMATICOS. FAMEB: 904. ENSAIO SOBRE A DORSTENIA
2024. Raul da Costa Victoria. A CURA DOS BRAZILIENSIS. FAMEB: 118-A.
ANEURYSMAS PELA EXTIRPAÇÃO DO 2039. Mario Magalhães Campos. CLINICA
SACCO. FAMEB: 904. THERAPEUTICA DA PNEUMONIA
2025. Raymundo de Oliveira Barbosa Lima. LOBAR-BALNEOTHERAPIA. FAMEB: 118-A.
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA 2040. Mario Rodrigues Louzã. A THERAPEUTICA
ANALGOTOCIA. FAMEB: 904. MODERNA DA COQUELUCHE. FAMEB:
118-A.
1917 2041. Paulo Raia. AS PARATHYROIDES. FAMEB:
118-A.
2026. Gelminez de Souza Gomes. DA DRENAGEM 2042. Pedro Marques Simões. TRATAMENTO DA
METALICA COMO TRATAMENTO DA TUBERCULOSE PULMONAR PELO PNEU-
INFECÇÃO PUERPERAL. FAMEB: 950. MOTHORAX ARTIFICIAL. FAMEB: 118-A.
2027. Genesio da Silva. DA FORMA HUMANA A
VIDA, AS SUAS ALLOTROPIAS, O TYPO, 1919
VARIO E REVELADOR. FAMEB: 950.
2028. Gothardo Correia de Araujo Filho. DA 2043. Ademario Eloy da Silveira. TUBERCULOSE
PROPHYLAXIA DA SYPHILIS. FAMEB: 950. PULMONAR E RONTGENTHERAPIA.
2029. Heraldo Maciel. DO TRATAMENTO DO FAMEB: 119-H.
PALUDISMO. FAMEB: 950. 2044. Albino Campello Bezerra Cavalcanti.
2030. Jarbas de Sousa Martins. DO REFLEXO CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA
PATELLAR EM NEUROPATHOLOGIA. UNCINARIOSE AMERICANA NO
FAMEB: 950. BRAZIL. FAMEB: 119-H.
2031. Jayme Correia. AS PHLEBECTASIAS. 2045. Alfredo Ramos Bastos. TRATAMENTO DA
FAMEB: 950. CALCULOSE VESICAL PELA
2032. João Gualberto Dantas Fontes. DO TRA- LITHOTRICIA. FAMEB: 119-H.
TAMENTO CIRURGICO DA HYPER- 2046. Almerio de Araujo Dinis. SYNDROME
TROPHIA DA PROSTATA. FAMEB: 950. CEREBELLAR PALUSTRE. FAMEB: 119-H.
2033. José Lopes Ferreira Pinto. TRACHEOTOMIA 2047. Alonso Prudencio de Souza. DAS
E SUAS INDICAÇÕES. FAMEB: 950. MANIFESTAÇÕES ENETICAS BUCCO-
2034. Luiz Gonzaga Alexandre de Freitas. DO PHARYNGÉAS. FAMEB: 119-H.
CELIBATO ECCLESIASTICO. FAMEB: 950. 2048. Aloysio Teixeira. KERATITES ULCEROSAS
E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 119-H.
1918 2049. Alvaro Santino de Castro Figueiredo.
DOENÇA DE MANSON–PIRAJÁ DA
2035. Alberto Pereira de Moraes. ENSAIO SILVA. FAMEB: 119-H.
CLINICO E THERAPEUTICO SOBRE AS 2050. Antonio Chrysippo de Aguiar. DOS
ANEMIAS GRAVES. FAMEB: 118-A. IÓDICOS. FAMEB: 119-H.
2036. Joaquim Pinto Nunes Cintra. LIGEIRO 2051. Antonio de Paiva Sarmento. O SUICIDIO NA
ENSAIO SOBRE A TRICHOCEPHALOSE. BAHIA. FAMEB: 119-H.
FAMEB: 118-A. 2052. Armando dos Reis Mesquita. DA
2037. José Tipaldi. PSEUDO-APPENDICITES ANESTHESIA GERAL, POR VIA RECTAL,
OXYURICAS. FAMEB: 118-A. PELO ETHER-OLEO. FAMEB: 119-H.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 85

2053. Arnaldo Moreira Reis. SOBRE HYGIENE 2067. Honorato Manuel do Bomfim. NOÇÕES SOBRE
DO SOLO URBANO. FAMEB: 119-H. O INFANTILISMO. FAMEB: 119-B.
2054. Arthur Candido de Castro Barroca. 2068. Ivo Gonçalves de Souza. HYGIENE DA
NECROSCOPIA DA CAVIDADE PROCREAÇÃO. FAMEB: 119-B.
CRANEANA. FAMEB: 119-H. 2069. Justino Nogueira Gomes. 1- REFLEXO
2055. Carlos Antonio Alves Guimarães. TORNO DE ÓCULO-CARDÍACO; 2- BACILIOSE
UM CASO DE INFECÇÃO EBER- INFANTIL; 3- ESPLENOMEGALIAS.
THEANA. FAMEB: 119-B. FAMEB: 119-F.
2056. Carlos Celestino Teixeira. HELMINTHIASE 2070. Luis Coêlho Alves da Silva. CATARATA
INTESTINAL NOS ALLIENADOS. POLAR ANTERIOR. FAMEB: 119-G.
FAMEB: 119-B. 2071. Luiz da Silva Guerra. ROENTGEN-DIAG-
2057. Claudio da Costa. ANOMALIAS NOSTICO PRECOCE DA TUBERCULOSE
CONGENITAS DOS DEDOS DA MÃO. PULMONAR. FAMEB: 119-G.
FAMEB: 119-B. 2072. Luiz Gil de Souza Guimarães. PEQUENA
2058. Edgard da Silva Tupinambá. ESPLENO- CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA
TUBERCULOSE PRIMITIVA. FAMEB: 119-B. HYPOEPINEFRIA. FAMEB: 119-G.
2059. Eutropio Santos Reis. CONTRIBUIÇÃO À 2073. Luiz Ignacio de Barros Lima. CALCULOSE
PROPHYLAXIA DO IMPALUDISMO E DE VESICAL DOS PROSTATICOS. FAMEB:
ANCYLOSTOMIASE EM 119-G.
CANNAVIEIRAS. FAMEB: 119-B. 2074. Luiz Regis Pacheco Pereira.
2060. Francisco da Fonseca Figueiredo Filho. CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DAS
IONTISAÇÃO MEDICAMENTOSA NO ADENOPATHIAS TRACHEO-
TRACHOMA. FAMEB: 119-B. BRONCHICAS. FAMEB: 119-G.
2061. Francisco Kurka Hotton. 1- PUNCÇÃO 2075. Manoelito San Juan. DA OPERAÇÃO DE
LOMBAR; 2- A FERRIPYRNA; 3- EPIDEMIA CHOPART. FAMEB: 119-D.
DE INFLUENZA EM PERNAMBUCO EM 2076. Mario Berford da Silva Lopes.
1918; 4- ABORTO TUBARIO E RUPTURA CONSIDERAÇÕES EM TORNO A
TUBARIA. FAMEB: 119-F. CEREBRO-ESCLEROSE. FAMEB: 119-G.
2062. Francisco Peixoto de Magalhães Netto. 2077. Mario da Costa Guimarães. CON-
SOBRE A ETIO-PATHOGENIA DA TRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA
DOENÇA DE MOREL-KRAEPELIN. COQUELUCHE. FAMEB: 119-G.
FAMEB: 119-B. 2078. Miguel Sylvio Ribeiro. EVOLUÇÃO DAS
2063. Gastão Maia de Bittencourt Menezes. CARDIOPATHIAS VALVULARES-
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DAS SCHEMAS EVOLUTIVOS DE – BEAU-
INSERÇÕES PLACENTARIAS. FAMEB: PETER-TORRES HOMEM-HUCHARD-
119-B. PRADO VALLADARES. FAMEB: 119-G.
2064. Geraldo Coelho da Silva. DO 2079. Moysés Gentil Pereira. PROPHYLAXIA DO
CHENOPODIO. FAMEB: 119-B. ABORTAMENTO. FAMEB: 119-G.
2065. Gilberto David. FRACTURAS SIMPLES 2080. Octavio Gonçalves de Oliveira. LIGEIRAS
DIAPHYSARIAS. FAMEB: 119-B. CONSIDERAÇÕES SOBRE UMA ESPE-
2066. Guilherme Gama de Araujo Ramos. LIGEIRAS CIE DE CUCURBITACEAS. FAMEB: 119-C.
CONSIDERAÇÕES SOBRE A HERATO 2081. Raimundo Odorico Teixeira. OS
CONJUNCTIVITE PHLYCTENULAR. NEOPLASMAS E O APPARELHO EN-
FAMEB: 119-B. DOCRINO-SYMPATHICO.FAMEB:119-C.
86 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2082. Rodrigo Vasco da Gama. HERNIAS 2091. Augusto Peixoto Lavinas. 1- SYPHILIS NO
DO GROSSO INTESTINO. FAMEB: APPARELHO CARDIO-VASCULAR; 2 -
119-C. IMMUNIDADE E SUAS APPLICAÇÕES
2083. Salvio de Souza Mendonça. BERIBERI. PRATICAS NA FEBRE TYPHOIDE E
FAMEB: 119-C. DIPHTERIA; 3 - CONSIDERAÇÕES
2084. Silverio Hyppolito de Araujo e Almeida Filho. BREVES SOBRE A DACTYLOSCOPIA,
CORPO EXTRANHO INTRA-BRONCHIO NA IDENTIFICAÇÃO. FAMEB: 120-B.
(A PROPOSITO DE UMA OBSERVAÇÃO 2092. Demetrio Menna Lobão. LIGEIRAS
DO PROF. EDUARDO DE MORAES). CONSIDERAÇÕES SOBRE ALGUNS
FAMEB: 119-D. PROCESSOS DE LOCALIZAÇÃO E
2085. Taciano Luis de Britto. SOBRE AS EXTRACÇÃO DOS PROJETEIS. FAMEB:
ENXAQUECAS. FAMEB: 119-C. 120-D.
2086. Thomaz de Aquino Muniz Callado. 2093. Heitor Dias Tavares. ANALGESIA
PROPHYLAXIA DO TRABALHO NA PERINEAL NO PARTO. FAMEB: 120-F.
MULHER. FAMEB: 119-C. 2094. Joaquim de Britto Costa. HYGIENE NAS
2087. Vicente Sinisgalli. 1- CONTRIBUIÇÃO AO ESCOLAS. FAMEB: 120-F.
ESTUDO DA HYPERTROPHIA 2095. José de Oliveira Netto. DA BALANTIDIOSE.
CONGENITA; 2- DA ANAPHYLAXIA; 3- FAMEB: 120-F.
MICROBIOLOGIA DO PARASITA DA 2096. José dos Santos Pereira. DIAGNOSTICO
LEISCHMANIOSE ULCEROSA; 4- DO POR DESALOJAMENTO. FAMEB: 120-F.
KELOIDE; 5- ALGUNS ACCIDENTES NO 2097. José Fernandes Gurjão. LIGEIRAS
PARTO; 6- AUCTORIDADE FEDERAL E CONSIDERAÇÕES SOBRE PERICIA
MOLESTIAS VENEREAS; 7- O OLHO- MEDICA NOS ACCIDENTES DO
SUA FORMA E ESTRUCTURA; 8- TRABALHO. FAMEB: 120-F.
ESTUDO SOBRE O BACILLO DA 2098. José Julio Leal. 1- DO EMPREGO DOS
TUBERCULOSE. FAMEB: 119-D. HYPOCHLORITOS NAS FERIDAS DE
2088. Waldemar da Rocha Dias. DA MASSAGEM GUERRA; 2- CONTRIBUIÇÃO DO
E MOBILIZAÇÃO PRECOCE NAS ESTUDO CLINICO DOS RHINITES; 3- A
FRACTURAS. FAMEB: 119-C. CIRURGIA MODERNA E AS FERIDAS DE
2089. Walter Welcome Wood. ALGUNS GUERRA. FAMEB: 120-A.
ACCIDENTES NO PARTO. FAMEB: 2099. José Monteiro Sampaio. FENÓMENOS
119-E. MEDIANIMICOS. FAMEB: 120-F.
2100. Mario Pessôa da Costa e Silva. DA
1920 ANISOCORIA NOS ALIENADOS.
FAMEB: 120-F.
2090. Alvaro de Figueiredo Guião. 1 - A CIRURGIA 2101. Milton Ayres de Lacerda. O SYLLABO-
DOS MEMBROS PELA ANESTHESIA DIAGNOSTICO NAS DYSARTHRIAS.
TRONCULAR; 2 - DA ELIMINAÇÃO DOS FAMEB: 120-F.
CHLORETOS NO DECURSO DA 2102. Octavio de Pinho Pedreira da Silva. AS
PNEUMONIA; 3 - DO RYTHMO REMISSÕES NA DEMENCIA PRECOCE.
MUSCULAR EM ENDOCRINOLOGIA; 4 FAMEB: 120-F.
- TRATAMENTO CIRURGICO PARA A 2103. Oscar Bastos Rabello. A PEDAGOGIA
CURA RADICAL DO TRACHOMA. FEMININA EM FACE DA MEDICINA.
FAMEB: 120-D. FAMEB: 120-E.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 87

2104. Oswaldo Mello de Cerqueira. 2118. Antonio Grisi. 1- NOÇÕES


SEMIOTECHNIA ABDOMINAL. FUNDAMENTAES DE PTHOLOGIA E
FAMEB: 120-E. THERAPEUTICA DA SYPHILIS; 2- AS
2105. Pedro da Costa Doria. EM TORNO DE UM ANESTHESIAS NA PRATICA CIRURGICA;
CASO DE SYNDROME THALAMICA. 3- A DOSE E O DETERMINISMO DE SUAS
FAMEB: 120-E. VARIAÇÕES. FAMEB: 121-D.
2106. Presciliano José Leal Filho. DO EMPREGO 2119. Aristoteles Ananias Mauricio Garcia. O
DO SERUM PHYSIOLOGICO NAS PANCREAS NA TUBERCULOSE. FAMEB:
PSY-CHOSES HETERO E AUTO- 121-A.
TOXICAS. FAMEB: 120-E. 2120. Arlindo Varjão. DOS VARIOS EMPREGOS
2107. Ricardo Godinho de Argollo Nobre. DA “AMBRINA” EM CIRURGIA. FAMEB:
NEURODYNAMOTHERAPIA. FAMEB: 120-E. 121-A.
2108. Rosalvo de Salles. COMMENTARIOS 2121. Attila Barreira do Amaral. O SULFATO DE
SOBRE A REACÇÃO DE WASSERMANN. COBRE AMMONIACAL NA INFECÇÃO
FAMEB: 120-E. PUERPERAL. FAMEB: 121-A.
2109. Sabino Silva. O FIGADO TUBERCULOSO 2122. Augusto Peixoto Lavinas. 1-
E O FIGADO DOS TUBERCULOSOS. ANAPHYLAXIA 2- PROPHYLAXIA DA
FAMEB: 119-A. LEPRA 4- BREVES NOTAS
2110. Waldemar Jezler. DAS LESÕES ARTERIAES ANATOMICAS SOBRE A GLANDULA
TRAUMATICAS. FAMEB: 120-E. MAMARIA EM REPOUSO E SEUS VASOS
2111. Walter Pinto de Almeida. EM TORNO SANGUINEOS. FAMEB: 121-F.
DA FEBRE AMARELLA. FAMEB: 120-E. 2123. Claudon Ribeiro da Costa. HYGIENE NAS
ESCOLAS. FAMEB: 122-D.
1921 2124. Ernesto Roesler. 1- INVESTIGAÇÕES
EXPERIMENTAES SOBRE A CONS-
2112. Abilio Alves Peixoto. CONTRIBUIÇÃO CIENCIA SYMBOLICA; 2- ABORTO
AO ESTUDO DA HEMATOLOGIA DO CRIMINOSO, LEGISLAÇÃO E CLASSE
BERIBERI. FAMEB: 121-A. MEDICA; 1- SARCOMA E CARCINOMA
2113. Adolpho Botelho de Seixas. LIGEIRAS E SEU TRATAMENTO CIRURGICO.
CONSIDERAÇÕES SOBRE A NEVRITE FAMEB: 121-D.
OPTICA COM EDEMA PAPILLAR. 2125. Ezechias Jeronymo da Rocha. SYNDROME.
FAMEB: 121-A. FAMEB: 121-F.
2114. Adolpho Teixeira de Menezes. DA GRAVIDEZ 2126. Florencio Gomes de Sá Netto. ESTUDO
TUBARIA E SUA OBSERVAÇÃO NA CLINICO DO TORCICOLLO. FAMEB:
BAHIA. FAMEB: 121-A. 121-C.
2115. Affonso de Goés Monsão. EM TORNO DE 2127. Frederico Aquer. O REFLEXO OCULO-
UM CASO DE PARTO-PERINEAL. CARDIACO NUM CASO DE
FAMEB: 121-A. MIOCARDITE COM TACHYCARDIA
2116. Alexandre Moura de Castilho. DA ETIO- ORTHOSTATICA. FAMEB: 121-C.
PATHOGENIA DO SYNDROMO DE 2128. Guilhermino Milton da Silveira. CIRURGIA DA
LITTLE. FAMEB: 121-A. GLANDULA THYROIDE. FAMEB: 121-C.
2117. Antonio Ferreira de Souza. DA 2129. Henrique Ferreira Pontes Junior. LIGEIRAS
SEMIOLOGIA DO DIAPHRAGMA. CONSIDERAÇÕES EM TORNO DO ESTU-
FAMEB: 121-A. DO DO LEITE DE VACCA.FAMEB:121-C.
88 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2130. Hypólito Gomes Ferreira de Azevedo. 1922


PSICOPATOLOGIA DO OLHAR. FAMEB:
121-C. 2142. Adhemar Baptista de Andrade e Silva.
2131. José Augusto da Costa. CONTRIBUIÇÃO CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA
AO ESTUDO DAS VARIEDADES E RACHE-SACRALISAÇÃO DA 5ª
ANOMALIAS DO COLON. FAMEB: VERTEBRA LOMBAR. FAMEB: 122-E.
121-C. 2143. Alvaro Lemos. A CAPACIDADE
2132. José Menezes de Góes. A OSCILLOMETRIA FUNCCIONAL DO APPARELHO
E SEU VALOR CLINICO. FAMEB: 121-C. RESPIRATÓRIO E A APNÉA
2133. José Pinto da Silva Faia. 1-DIAGNOSTICO VOLUNTARIA. FAMEB: 122-E.
BACTERIOLOGICO; 2- TENTATIVA DE 2144. Antonio Arthur Pereira França. 1- DAS
VACINAÇÃO PELA BÔCA; 3- PARALYSIAS ESPASTICAS INFANTIS E
PROPHYLAXIA DA SYPHILIS. FAMEB: SEU TRATAMENTO CIRURGICO; 2- DO
121-E. TETANO E SEU TRATAMENTO. FAMEB:
2134. Julio David Filho. CONTRIBUIÇÃO AO 122-C.
ESTUDO DO ARCO-AUXILLAR 2145. Antonio Grisi. 1- PSYCHOSE
MUSCULAR. FAMEB: 121-C. ALCOOLICA; 2- MECHANICA DO
2135. Lauro Almeida Passos. A HEMOCLASIA CORAÇÃO; 3- OS DERIVADOS DA
DIGESTIVA NA EXPLORAÇÃO CHINOLINA E DA
FUNCIONAL DO FIGADO. FAMEB: NAPHTOCHINOLINA. FAMEB: 122-D.
121-C. 2146. Arnaldo Pinto de Andrade. DA
2136. Manoel d’Oliveira. PSYCHOSES DO HYPERTROPHIA DA PROSTATA E SEU
PUERPERIO. FAMEB: 121-C. TRATAMENTO CIRURGICO. FAMEB:
2137. Oliverio Mario de Oliveira Pinto. VALOR 122-E.
DO EXAME DO LIQUIDO CEPHALO – 2147. Carlos Alberto Moniz Martins. SOBRE UM
RACHEANO NO DIAGNÓSTICO DA CASO DE MYOSITE OSSIFICANTE
SYPHILE NERVOSA – ESTUDO PROGRESSIVA. FAMEB: 122-E.
EXPERIMENTAL DA REACÇÃO DO 2148. Daniel Figueiredo de Souza. BREVE
BENJOIM COLLOIDAL. FAMEB: 121-C. CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA
2138. Oswaldo Rodrigues Gouveia. ANESTHESIA INVERSÃO UTERINA PUERPERAL.
LOCAL. FAMEB: 121-C. FAMEB: 122-E.
2139. Pedro Antonio Nery. METHODO DE 2149. Durval Gama. ADENITES
CONSERVAÇÃO DAS PEÇAS TUBERCULOSAS CIRURGICAS NA
CADAVERICAS - METHODOS DE SUA INFANCIA. FAMEB: 122-C.
MONTAGEM. FAMEB: 121-C. 2150. Eduardo de Sá Oliveira. DOS ACCIDENTES
2140. P e d r o de Lemos Motta. DA SÔROTHERAPIA ANTIPESTOSA.
CONSIDERAÇÕES ETIOLOGICAS FAMEB: 122-E.
SOBRE A FEBRE AMARELLA 2151. Ismael da Cunha Pimentel. EPILEPSIA NAS
ESTADO ACTUAL DA QUESTÃO. RELAÇÕES MEDICO-PENAES. FAMEB:
FAMEB: 121-C. 122-D.
2141. Romulo Luiz d’Almeida. TRATAMENTO 2152. Paulo Rocha Pirajá da Silva. NOVA
DA UNCINARIOSE PELO LATEX DA MADUROMYCOSE DE GRÃOS
CARICA DODECAPHYLLA. FAMEB: BRANCOS PRODUZIDA PELO
121-C. INDIELLA BRUMPTI. FAMEB: 122-F.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 89

2153. Pedro da Rocha Braga. CONSIDERAÇÕES 2165. Alberto Diógenes. DIABETES E


SOBRE A GASTROSTOMIA. FAMEB: 122-F. ESPECIFICIDADE. FAMEB: 123-E.
2154. Raphael de Menezes Silva. CONTRIBUIÇÃO 2166. Alfredo de Oliveira e Sousa. ICTERICIA E
AO ESTUDO DA PORÇÃO EXTRA- FEBRE AMARÉLA. FAMEB: 123-E.
CRANEANA DO HYPOGLOSSO. FAMEB: 2167. Alfredo Rosa Boureau. LIGEIRAS
122-F. CONSIDERAÇÕES EM TORNO DAS
2155. Raymundo de Mattos Pedreira de Cerqueira. ORCHITES. FAMEB: 123-B.
LIGEIRAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A 2168. Alyrio de Almeida. CONTRIBUIÇÃO AO
DACRYOCYSTITE E SEU TRATAMENTO. ESTUDO DOS PURGATIVOS POR VIA
FAMEB: 122-F. HYPODERMICA. FAMEB: 123-B.
2156. Vamberto Dias da Costa. UMA ANOMALIA 2169. Amaro Teixeira de Magalhães. XERODERMA
ARTERIAL SUPRA-AORTICA. FAMEB: PIGMENTOSUM. FAMEB: 123-B.
122-F. 2170. Antonio Luiz Coutinho. DA PROVA DA
2157. Vivaldo de Almeida Pontes. CONTRIBUIÇÃO SULFO-PHENOLPHTALEINA NOS
AO ESTUDO DAS PSYCHOSES DISTURBIOS RENAES. FAMEB: 123-B.
PALUSTRES. FAMEB: 122-F. 2171. Antonio Pereira Maltez. LIGEIRAS
2158. Wilton Gonçalves da Fonseca. CONTRIBUIÇÕES AO ESTUDO DAS
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DO ATRESIAS VAGINAES. FAMEB: 123-B.
BISMUTHO, E SEU EMPREGO NA 2172. Arnaldo Muniz Silvany. LIGEIRAS
SYPHILE. FAMEB: 122-F. CONSIDERAÇÕES SOBRE O LEITE E SEU
ESTUDO HYGIENICO. FAMEB: 123-B.
1923 2173. Arsenio Moreira da Silva. EXOPHTALMICO
E ENDOCRINISMO. FAMEB: 123-B.
2159. Abel Pinheiro Maciel Filho. CONTRIBUIÇÃO 2174. Arthur Ramos Costa. MOLESTIA DE
PARA O ESTUDO DO SANEAMENTO DO RECKLINGHAUSEN. FAMEB: 123-B.
JURUÁ. FAMEB: 123-E. 2175. Braulio Silva Suffredini. ELOGIO DO OUVIDO
2160. Adolpho de Oliveira Vianna. DOS TUMORES OU OTOLATRIA. FAMEB: 123-B.
INFLAMATORIOS, PRINCIPALMENTE 2176. Claudionor Silvestre Alpoim. DOS PHE-
DOS PRODUZIDOS PELOS CORPOS NOMENOS VEGETATIVOS EM ALGU-
EXTRANHOS E QUE SIMULAM MAS PSYCHOPATHIAS. FAMEB: 123-D.
SARCOMAS. FAMEB: 123-E. 2177. Dagmar Matheus Sabino Pinho. AS
2161. Adolpho Diniz Gonçalves. REACÇÕES INJECÇÕES DE LEITE EM OTOLOGIA.
GERAES DAS PROTEINAS. FAMEB: FAMEB: 123-D.
123-E. 2178. Diogenes Bittencourt Monteiro. ESTUDO DA
2162. Adriano de Azevedo Ponde. LARYNGOSCOPIA EM SUSPENSÃO.
CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DAS FAMEB: 123-D.
AGUAS, MINERO= MEDICINAES DO 2179. Dyonisio Francisco dos Santos Junior.
ITAPICURÚ. FAMEB: 123-E. LIGEIRAS CONSIDERAÇÕES SOBRE O
2163. Agenor Rodriguez de Almeida. DO CANCER DE MAMA E O METHODO
TRATAMENTO DO CANCER DO HALSTED. FAMEB: 123-D.
LARYNGE. FAMEB: 123-E. 2180. Flavio Fraga. DA COPRO-BACILLOSCOPIA
2164. Aguinaldo Velloso Ponde. DO VALOR DE KOCH. FAMEB: 123-D.
SEMIOLOGICO DO LIQUIDO 2181. Francisco Paracelso Cotias Lebre.
CEPHALO-RHACHEANO. FAMEB: 123-E. HELIOTHERAPIA. FAMEB: 123-D.
90 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2182. Francisco Rodrigues Porto. ELEPHANCIA 2197. Lafayette da Costa Tourinho. DA


DO ESCRÔTO. FAMEB: 123-D. EMBRYOTOMIA CÉPHALICA. FAMEB:
2183. Georgino Paulino dos Santos. SYNDROME 123-F.
MENSTRUO-PRIVA. FAMEB: 123-D. 2198. Lourival de Gouveia Moura. DO
2184. Graciliano Lordão. CONTRIBUIÇÃO PARA DESALOJAMENTO DO
O ESTUDO DA AUSENCIA DO MUS- HEMATOZOARIO DE LAVERAN. FAMEB:
CULO PEQUENO PALMAR. FAMEB: 123-D. 123-F.
2185. Herbert Parentes Fortes. RELAÇÕES DA 2199. Manoel da Silva Lima Pereira. A MARGEM
MEDICINA COM A PEDOLOGIA. DE UM CASO CIRURGICO. FAMEB:
FAMEB: 123-G. 123-F.
2186. Irabussú Rocha. O REJUVENESCIMENTO 2200. Mario Baptista de Souza Mello.
DO HOMEM PELA OPERAÇÃO DE TRATAMENTO DA CALCULOSE
STEINACH. FAMEB: 123-G. VESICAL PELA TALHA HYPO-
2187. Jayme Estevam de Oliveira. MOLESTIA DE GASTRICA. FAMEB: 123-F.
LUTZ–JEANSELME. FAMEB: 123-G. 2201. Mario de Sant’Anna. DA PRESSÃO
2188. João de Oliveira. O EMETICO NAS VENOSA EM CLINICA. FAMEB: 123-F.
DERMATOSES. FAMEB: 123-G. 2202. Orlando Edwal de Souza Guimarães.
2189. João Marcellino de Oliveira. ESTUDO HYGIENE DOS HOSPITAES. FAMEB:
CLINICO DO MÉGA–ESOPHAGO. 123-F.
FAMEB: 123-G. 2203. Oswaldo Claudio de Oliveira.
2190. João Prisco Paraizo. ROENTGENTHERAPIA CONSIDERAÇÕES SOBRE A ANATOMIA
DO BOCIO EXOPHTALMICO. FAMEB: PATHOLOGICA DOS FIBRO-
123-G. ADENOMAS PROSTATICOS E PARA-
2191. João Prudencio de Souza. SYPHILIS E PROSTATICOS. FAMEB: 123-A.
EUGENÍA. FAMEB: 123-G. 2204. Pedro de Bastos Nascimento.
2192. Joaquim Marques Monteiro. CONTRIBUIÇÃO PARA O ESTUDO DOS
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO CLINICO TUMORES MALIGNOS DO MAXILLAR
DA RELAÇÃO OSCILLOMETRICA. SUPERIOR E SUA THERAPEUTICA.
FAMEB: 123-G. FAMEB: 123-A.
2193. José Cordeiro Lima. MODERNO 2205. Pedro Affonso d’Araujo. DOS
TRATAMENTO DA SYPHILIS ESTREITAMENTOS CHRONICOS DA
(BISMOGENOL). FAMEB: 123-G. URETRA COMPLICADOS DE
2194. José Machado de Oliveira Sobrinho. BREVES ELEPHANCIA. FAMEB: 123-A.
CONSIDERAÇÕES SOBRE A 2206. Raymundo Costa da Silva Santos.
THERAPEUTICA ECLAMPTICA – CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA
METHODO STROGANOFF–ZWEIFEL. HYSTEROPEXIA LIGAMENTAR. FAMEB:
FAMEB: 123-G. 123-A.
2195. José Mello de Lima. LIGEIRAS 2207. Renato de Quintanilha Braga. LIGEIRAS
CONSIDERAÇÕES EM TORNO DO CONSIDERAÇÕES SOBRE A PLEURITE
ESTUDO CLINICO DAS FRACTURAS DA NA CREANÇA. FAMEB: 123-A.
ABOBADA CRANEANA. FAMEB: 123-F. 2208. Satiro Gomes de Melo. LIGEIROS
2196. Joviniano Gomes Barretto. CONSIDE- ESTUDOS SOBRE OS ANEURISMAS
RAÇÕES SOBRE O PROGNOSTICO DA ARTERIAES E SEU TRATAMENTO
TUBERCULOSE PULMONAR.FAMEB:123-F. CIRURGICO. FAMEB: 123-A.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 91

2209. Severiano dos Santos Diniz. 2221. Antonio Florencio Costa. LIGEIRAS
CONSIDERAÇÕES EM TORNO DAS CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA
FEBRICULAS DA INFANCIA. FAMEB: IDIOTIA. FAMEB: 124-D.
123-A. 2222. Antonio Gonçalves Vieira.
2210. Sylvio da Gama e Marques. CONSIDERAÇÕES GERAES SOBRE A
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA TOXIDEZ URENICA E A SYNDROME
CALCULOSE VESICAL INFANTIL. URENICA. FAMEB: 124-D.
FAMEB: 123-A. 2223. Antonio Luiz da Costa. ASSISTENCIA AS
2211. Waldemar Neves da Rocha. PEQUENA CRENÇAS ANORMAES – SOB O PONTO
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DAS DE VISTA PSYCHICO. FAMEB: 124-D.
FISTULAS VESICO-VAGINAES. FAMEB: 2224. Antonio Polycarpo Araponga. FISTULAS
123-A. PAROTIDEAS. FAMEB: 124-D.
2225. Antonio Porphyrio de Almeida Sampaio Filho.
1924 DA PROPHYLAXIA DAS DOENÇAS
VENEREAS. FAMEB: 124-D.
2212. Adelmo de Souza Machado. O 2226. Antonio Raphael Cavalcanti. CADEIRA DE
PNEUMOTHORAX NA CRIANÇA. CLINICA MEDICA – ACERCA DO
FAMEB: 124-B. MACULO. FAMEB: 124-D.
2213. Alberto Alves da Silva. DO 2227. Armando Lopes de Araújo. DOS VOMITOS
PNEUMOTHORAX ARTIFICIAL NO POST-CHLOROFORMICOS SUA ETIO-
TRATAMENTO DA TUBERCULOSE PATHOGENIA-PROPHYLAXIA. FAMEB:
PULMONAR. FAMEB: 124-B. 124-D.
2214. Alexandre Coelho Bahia. EM TORNO DA 2228. Arthur Nunes Marques. DA PROPHYLAXIA
TRACHÉA E BREVES DA LEPRA. FAMEB: 124-D.
CONSIDERAÇÕES CIRURGICAS. 2229. Arthur Ornellas. DO FLUXO CATAMENIAL
FAMEB: 124-B. E A CIRURGIA CONSERVADORA
2215. Alfredo Mascarenhas. VALOR DA UTERO-ANNEXIAL. FAMEB: 124-D.
ONDONTOLOGIA NA HYGIENE 2230. Ataliba Barroso de Souza. SYPHILIS
INFANTIL. FAMEB: 124-B. DECAPITADA. FAMEB: 124-D.
2216. Almir Aranha de Almeida Braga. 2231. Attilio Ernesto Farani. VACCINOTHERAPIA
CONSIDERAÇÕES GERAES SOBRE A ANTITYPHICA. FAMEB: 124-D.
ESPLENECTOMIA, COM ESPECIAES 2232. Carlos Ramos. DAS
REFERENCIAS ÀS INTERVENÇÕES URETEROCYSTONEOSTOMIAS.
PRATICADAS NO BRASIL. FAMEB: 124-B. FAMEB: 124-C.
2217. Aloysio da Silva Lima Jorge. HYGIENE 2233. Clodoaldo de Magalhães Avelino. EUGENÍA
ESCOLAR. FAMEB: 124-B. E CASAMENTO. FAMEB: 124-C.
2218. Americo Ribeiro Velloso. CONTRIBUIÇÃO 2234. Dorival Cotias Lebre. VALOR
PARA O ESTUDO DO OSSO BROMATOLOGICO DOS LEITES
MANDIBULAR. FAMEB: 124-B. FERMENTADOS. FAMEB: 124-C.
2219. Annibal Maltez. OS ENVENENAMENTOS. 2235. Edgard Luz. DO BALANTIDIO E SUA
FAMEB: 124-B. FREQUENCIA NA BAÍA. FAMEB: 124-C.
2220. Annibal Olympio Medina de Azevedo. 2236. Egas Moniz Barretto de Aragão Junior. DA
CONSIDERAÇÕES SOBRE A BACILLOS- PERICIA PHOTOGRAPHICA EM
COPIA DE KOCH. FAMEB: 124-D. MEDICINA LEGAL. FAMEB: 124-C.
92 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2237. Ernesto Pedreira Franco de Castro. CONSI- 2253. Nelson da Silva Lula. TYMPANISMO
DERAÇÕES EM TORNO DA NATUREZA ABDOMINAL PREASCITICO. FAMEB:
DO LEPTOSPIRA ICTEROIDES. FAMEB: 124-F.
124-C. 2254. Nelson Guilherme d’Almeida. ESBOÇO
2238. Exuperio da Silva Braga Junior. TRATAMENTO MEDICO-JURIDICO DOS DELIQUENTES
DAS URETHRITES GONOCOCCICAS SEXUAES. FAMEB: 124-F.
PELO BISMUTHAN. FAMEB: 124-C. 2255. Nilo Costa. DYSTROPHIA FARINACEA.
2239. Flavio Araujo de Faria. CONSIDERAÇÕES FAMEB: 124-F.
GERAES EM TORNO DA RETENÇÃO FETAL 2256. Noator Porphyrio de Almeida Sampaio.
ECTOPICA. FAMEB: 124-C. LIGEIRAS CONSIDERAÇÕES EM
2240. Francisco da Rocha Falcão Costa. CONTRI- TORNO DE UM CASO DE
BUIÇÃO DO TRATAMENTO DO PALU- HETEROTAXIA. FAMEB: 124-F.
DISMO. FAMEB: 124-A. 2257. Orlando de Calasans Ribeiro.
2241. Francisco Leite Bittencourt Calasans. PHYSIO=PSYCHOLOGIA DAS
SUFFICIENCIA AORTICA. FAMEB: 124-A. EMOÇÕES. FAMEB: 124-F.
2242. Francisco Pereira de Carvalho. DO ALCOO- 2258. Orlando Thiago dos Santos.
LISMO E SUA PROPHYLAXIA. FAMEB: CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA
124-A. FAMILIA E SUAS RELAÇÕES COM A
2243. Francisco Ribeiro Corrêa de Menezes. A ESCOLA. FAMEB: 124-F.
FEBRE NA SYPHILIS. FAMEB: 124-A. 2259. Pericles Rodrigues Ferreira. DA PERCUSSÃO
2244. Francisco Wanderley de Moraes. EM GERAL – CLÍNICA PROPEDEUTICA.
PUERICULTURA PRENATAL. FAMEB: FAMEB: 124-F.
124-A. 2260. Roméro da Gama e Marques. DA
2245. Gaston Assis de Oliveira. DA RESECÇÃO NAS ANCYLOSES DO
ROENTGENTHERAPIA E SUA TECHNI- COTOVELO. FAMEB: 124-E.
CA NA CURA DOS NEOPLASMAS. 2261. Rubem Souto de Araújo.
FAMEB: 124-A. TEMPONAMENTO EM OBSTETRICIA.
2246. Gil Garcia de Campos. REJUVENESCER – DA FAMEB: 124-E.
SIRMAÍA AO ENXERTO. FAMEB: 124-A. 2262. Rubens Marques. ESTUDO DA MÓLA
2247. Henrique Diniz Gonçalves Filho. BIOCHI- VESICULAR. FAMEB: 124-E.
NIMICA DO ENXOFRE. FAMEB: 124-A. 2263. Sabbas Telles da Rocha. CONTRIBUIÇÃO
2248. Lino José Machado. HYGIENE DOS PARA O ESTUDO DAS ANOMALIAS DO
NAVIOS, PROPHYLAXIA INDIVIDUAL A BICEPS BRACHIAL. FAMEB: 124-E.
BORDO. FAMEB: 124-F. 2264. Salvador de Castro Barbosa. PEQUENA
2249. Ludgera Fortunata Beruarda da Cunha. DA RES- CONTRIBUIÇÃO AO TRATAMENTO DA
TAURAÇÃO DO PERINEO.FAMEB:124-F. LEPRA. FAMEB: 124-E.
2250. Mariano Coelho. SYNTHESE CRITICA 2265. Silvestre Antonio Gonsalves Braga Junior.
DAS INTERVENÇÕES OBSTETRICAS DA GLYCEMIA NORMAL DA BAHIA.
ANGUSTIA PELVICA. FAMEB: 124-F. FAMEB: 124-E.
2251. Mario da Costa Tourinho. CANCRO DE 2266. Simeão Vieira Sobral. TUBERCULOSE
ROLLET. FAMEB: 124-F. PULMONAR. FAMEB: 125-C.
2252. Milton de Moura Ferro. PEQUENA CONTRI- 2267. Sylvio Senise. 1. PROVA DA VIDA EXTRA-
BUIÇÃO AO ESTUDO DA PROTEINOTE- UTERINA; 2. TRATAMENTO DA DYSEN-
RAPIA. FAMEB: 124-F. TERIA AMEBIANA. FAMEB: 124-E.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 93

2268. Theonillo Uzêda Amorim. SINUSITES 2282. André Negreiros Falcão. DAS RUPTURAS
FRONTAES E SUAS COMPLICAÇÕES DO UTERO DURANTE O TRABALHO DO
ORBITO-OCULARES. FAMEB: 124-E. PARTO. FAMEB: 125-C.
2269. Thomaz Dias Machado. CONTRIBUIÇÃO À 2283. Antenor de Souza Lemos. CONTRIBUIÇÃO
THERAPEUTICA DE OZENA. FAMEB: AO ESTUDO DAS CAVERNAS MÚDAS.
124-E. FAMEB: 125-F.
2270. Vicente de Paulo Menescal. ARTHRITES 2284. Antonio Dias de Moraes. DA
BLENNORRHAGICAS. FAMEB: 124-E. NEPHRECTOMIA. FAMEB: 125-F.
2271. Waldemar Azevedo Costa. DO 2285. Antonio Melibeu da Silva. NOTAS EM
MECANISMO DA MORTE NA TORNO ÀS IDÉAS CORRENTES SOBRE
VAGOTOMIA. FAMEB: 124-E. A EPILEPSIA. FAMEB: 125-F.
2272. Waldemar de Alencar Cavalcanti. 2286. Arthur de Souza Barros.
IMPORTANCIA PHYSIO=CLINICA DAS RECONHECIMENTO DAS MANCHAS
A ANOSTOMOSES RECTAIS PORTO- DE SANGUE PELA REACÇÃO DAS
CAVA. FAMEB: 124-E. PRECIPITINAS. FAMEB: 125-F.
2287. Attila Borges de Vasconcellos Duarte. A DOR
1925 GENITAL NA MULHER. FAMEB: 125-F.
2288. Audemaro Silvino Pinto Guimarães.
2273. Abelardo da Silva Porto. BREVES CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA
CONSIDERAÇÕES SOBRE A CRANEOLOGIA. FAMEB: 125-F.
PROPHYLAXIA E TRATAMENTO DAS 2289. Carlos Balthazar da Silva Azevedo.
MOLESTIAS VENEREAS. FAMEB: 125-F. SYMPTOMATOLOGIA CLINICA DA
2274. Adolpho Bahia de Mendonça. DA FEBRE TYPHICA NA BAHIA. FAMEB:
LEISHMANIOSE TEGUMENTAR E SUA 125-A.
LOCALIZAÇÃO NASAL. FAMEB: 125-F. 2290. Deocleciano Rizerio de Carvalho.
2275. Agnaldo Guimarães Passos. PROPHYLAXIA DESRATIZAÇÃO, FACTOR
DA TUBERCULOSE NO LACTENTE. ECONOMICO E SOCIAL. SUA PRATICA:
FAMEB: 125-F. METHODOS E PROCESSOS. FAMEB:
2276. Agnello Murta Velloso. LIGEIRAS 125-A.
CONSIDERAÇÕES ACERCA DO 2291. Ederlindo da Silva Serra. LIGEIRAS
CANCRO VENEREO SIMPLES E SEU CONSIDERAÇÕES SOBRE A
TRATAMENTO. FAMEB: 125-F. DYSENTERIA NA BAHIA. FAMEB: 125-A.
2277. Alberto Peçanha Martins. SIGNIFICAÇÃO 2292. Edgard Landulpho da Rocha Medrado. DO
DIAGNOSTICA DAS PERTURBAÇÕES VALOR DO TETRACHLORETO DE
DA MEMORIA. FAMEB: 125-F. CARBONO NA THERAPEUTICA DA
2278. Aloysio da Silva Farias. DA LARYN- ANCYLOSTOMOSE. FAMEB: 125-A.
GOSCOPIA DIRECTA PELO METHODO 2293. Edistio Ponde. ESPASMO DE TORÇÃO.
DE GASLINGER. FAMEB: 125-F. FAMEB: 125-A.
2279. Alvaro de Mello Doria. TRANSFUSÃO DE 2294. Edson Ribeiro. LIGEIRO ENSAIO SOBRE
SANGUE. FAMEB: 125-F. A BROMELIA GIGANTEA. FAMEB: 125-A.
2280. Alvaro Lopes Moreno. BARESTHESIAS 2295. Eduardo Pereira de Almeida. EM TORNO DO
PALUSTRES. FAMEB: 125-F. DIAGNOSTICO DAS ADENOPATHIAS
2281. Amaro de Sá Barreto. EM TORNO DE UM TUBERCULOSAS DO MEDIASTINO NA
CASO CLINICO. FAMEB: 125-C. PRIMEIRA INFANCIA. FAMEB: 125-A.
94 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2296. Elysio Pimentel Marques. DYSTOCIA 2311. Leoncio Pedro da Silva. INDICAÇÕES E
CAUSADA PELA RETRACÇÃO DO CONTRA-INDICAÇÕES DA PARACENTESE
ANNEL DE BANDL. FAMEB: 125-A. ABDOMINAL. FAMEB: 125-B.
2297. Ermiro Estevam de Lima. A MOSTOÍDE – DE 2312. Luiz Quaresma de Mello. ESTUDO GERAL
PNEUMATISAÇÃO E DE AREAS SOBRE AS TOXICOMANIAS. FAMEB:
CIRURGICAS. FAMEB: 125-A. 125-C.
2298. Fernando de Carvalho Santos. 2313. Manuel de Mello Machado. UREMIA E
PROGNOSTICO DOS GRANDES CONFUSÃO MENTAL. FAMEB: 125-B.
DERRAMES PLEURAES. FAMEB: 2314. Octavio Garcez de Aguiar. DA OSTEO-
125-D. SYNTHESE NO TRATAMENTO DAS
2299. Gastão Cesar de Andrade. CONTRIBUIÇÃO FRACTURAS DIAPHYSARIAS. FAMEB:
AO ESTUDO DA OMOPLATA. FAMEB: 125-B.
125-D. 2315. Oscar Peixoto de Lacerda. CONTRIBUIÇÃO
2300. Gustavo Pinto da Silva. TRATAMENTO DA À TOPOGRAPHIA E SEMIOLOGIA DAS
COQUELUCHE PELA SÔRO-THERAPIA. DORES ABDOMINAES NAS
FAMEB: 125-D. GYNECOPATHIAS. FAMEB: 125-B.
2301. Heraclito de Souza Freitas. PROTOZOOSES. 2316. Oswaldo Eliseu Joffily Pereira. ENSAIOS
FAMEB: 125-D. SOBRE A ACTINOTHERAPIA NA
2302. Himilcon Costa Carvalho. O TREPARSOL NO BAHIA. FAMEB: 125-B.
TRATAMENTO DA SYPHILIS. FAMEB: 2317. Pedro de Oliveira Soares. CONTRIBUIÇÃO
125-D. À PROPHYLAXIA DO PALUDISMO E DA
2303. João Cardoso de Sá. DOS SYSTHEMAS SCHISTOSOMOSE EM ESTANCIA.
PENITENCIARIOS – HYGIENE DAS FAMEB: 125-E.
PRISÕES E DOS PRESOS. FAMEB: 125-D. 2318. Ruy Tourinho. SYNDROME DA
2304. João de Souza Pondé Filho. APPENDICITE INSUFFICIENCIA VENTRICULAR
EM GERAL E SYNDROME ILIACA ESQUERDA. FAMEB: 125-E.
DIREITA. FAMEB: 125-D. 2319. Sebastião Lins Cavalcanti. CONTRIBUIÇÃO
2305. João Kfoury. CONTRIBUIÇÃO AO AO TRATAMENTO DAS
ESTUDO DA SYNDROME DE KLIPPEL = HEMORRHAGIAS DO POSPARTO PELA
FEIL. FAMEB: 125-D. TENOSINA. FAMEB: 125-E.
2306. João Rodrigues Teixeira. ECLAMPSIA – 2320. Sebastião Martins de Araújo Costa. SÔRO-
ABRUPTIO PLACENTAE. FAMEB: 125-D. PROFILAXÍA DO SARAMPO. FAMEB:
2307. Joaquim Caribé da Rocha. 125-E.
CONSIDERAÇÕES SOBRE O PULSO 2321. Sebastião Nestor dos Santos. SYNTHESE
VENOSO. FAMEB: 125-C. DOS PRINCIPAES METHODOS DE
2308. Joaquim Fraga Lima. SOBRE UM CASO DE TRATAMENTO NOS CASOS DE
SÓPRO TRONCULAR DE JOÃO FROÉS. INSERÇÕES VICIOSAS DA PLACENTA.
FAMEB: 125-D. FAMEB: 125-E.
2309. José da Costa Pinto Dantas. CONTRI- 2322. Theophilo Batinga. INDICAÇÕES
BUIÇÃO AO ESTUDO DO ESTERNO. PROFICUAS DA OPERAÇÃO
FAMEB: 125-B. CESARIANA. FAMEB: 125-C.
2310. José Rabello Reis. AMEBIASE HEPATICA 2323. Verissimo Gomes da Costa. CON-
E SEU TRATAMENTO MEDICO- TRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA HYGIENE
CIRURGICO. FAMEB: 125-B. DAS RUAS. FAMEB: 125-E.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 95

2324. Waldemar de Freitas Seixas Ferreira. 2336. Francisco Vital de Hollanda. DIAGNOSTICO
CONSIDERAÇÕES SOBRE O POST- DIFFERENCIAL DA DEMENCIA
OPERATORIO DAS LAPAROTOMIAS. PRECOCE. FAMEB: 126-A.
FAMEB: 125-E. 2337. Genaro Veiga Sampaio. ESPIRITISMO E
2325. Waldemar Januario Chaves. DIAGNOSTICO LOUCURA. FAMEB: 125-A.
PRECOCE DA GRAVIDEZ, PELA PROVA 2338. Guttemberg José Leal. A DECADENCIA DA
DA GLYCOSURIA PHLORIDZINICA. HUMANIDADE. FAMEB: 126-A.
FAMEB: 125-E. 2339. Heitor de Castro Paiva. A HYGIENE DOS
TEMPLOS. FAMEB: 126-A.
1926 2340. Jayme Alves de Almeida. PESQUIZA DO
KALA-AZAR NA BAHIA. FAMEB: 126-B.
2326. Andemaro Correia da Motta. 2341. Jayme de Argôllo Mendes. DAS SINUSITES
EQUIVALENTES PHYSICOS DA MAXILLARES. FAMEB: 126-B.
EPILEPSIA. FAMEB: 126-D. 2342. João Antonio de Aquino. ALGUMAS
2327. Clemente Guimarães. DA CONSIDERAÇÕES SOBRE O
CHOLÉCYSTECTOMIA NA SYNDROMO DOLOROSO CARDIO-
CHOLÉLITHIASE. FAMEB: 126-A. AORTICO. FAMEB: 126-B.
2328. Clovis Moreira da Cunha. DO 2343. João Felippe de saboya Ribeiro. ENSAIO
NICOCIANISMO. FAMEB: 126-D. NOSOGRAPHICO DE AUGUSTO DOS
2329. Durval Campos. CONTRIBUIÇÃO DO ANJOS. FAMEB: 126-B.
TRATAMENTO DA HEREDO-LUES NA 2344. João Ignacio de Mendonça. FORMULA
INFANCIA PELO BISMUTHO. FAMEB: LEUCOCYTARIA NO IMPALUDISMO.
126-A. FAMEB: 126-B.
2330. Durval Moreira da Silva Lima. DA LEPRA NA 2345. João Manoel Ferreira. DA SAÚDE E
BAHIA – (NOTAS E FACTOS). FAMEB: FINALIDADES DO SEU VALOR ATRAVÉS
126-A. DOS TEMPOS. FAMEB: 126-B.
2331. Edecio Cunha. A INSULINA NA 2346. Joaquim Antunes de Almeida. HY-
DESNUTRIÇÃO INFANTIL. FAMEB: GIENISAÇÃO DO LEITE. FAMEB: 126-B.
126-A. 2347. Joel da Silva Oliveira. SYNDROME DE
2332. Edgard de Cerqueira Falcão. A FEBRE WEBER. FAMEB: 126-B.
TYPHOIDE NA CIDADE DO SALVADOR 2348. Joel Neves da Silva. EM TORNO DO
– ESTUDO EPIDEMIO – PNEUMOTHORAX ESPONTANEO
PROPHYLACTICO. FAMEB: 126-D. TUBERCULOSO. FAMEB: 126-B.
2333. Edmundo Lopes de Castro. NOTAS 2349. Leonam Sellmann Nazareth. DAS SINUSITES
PRATICAS SOBRE APPARELHOS ESPHENOIDAIS. FAMEB: 126-B.
GESSADOS. FAMEB: 126-D. 2350. Luiz Brandão Filho. A AORTA NA HEREDO-
2334. Eduardo Dourado de Cerqueira Bião. A SYPHILIS INFANTIL. FAMEB: 126-F.
MOSCA DOMESTICA E SEU PAPEL NA 2351. Luiz Ribeiro de Sena. DAS HEMATÉMESES.
TRASMISSÃO DAS MOLESTIAS FAMEB: 126-F.
INFECCIOSAS. FAMEB: 126-A. 2352. Luiz Silva Lopes. LIGEIRAS
2335. Fernando Vieira de Mello. ESTUDO CONSIDERAÇÕES SOBRE O
CLINICO E MEDICO-LEGAL DA PALUDISMO, SUAS COMPLICAÇÕES,
SYNDROME DE GANSER. FAMEB: ESPECIALMENTE A SPLENOMEGALIA
126-A. PALUSTRE. FAMEB: 126-F.
96 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2353. Manoel Almeida Passos. DAS PER- 2367. Socrates Ferreira Ramos. DA UROTROPINA
TURBAÇÕES GASTRICAS NOS – ESTUDO PHARMACOLOGICO E
TUBERCULOSOS. FAMEB: 126-F. THERAPEUTICO. FAMEB: 126-E.
2354. M a r i o M a g a l h ã e s d a S i l v e i r a . À 2368. Theodulo Bastos de Carvalho. DA
MARGEM DOS MEIOS PUNITIVOS. HYPERTENSÃO ARTERIAL EM CLINICA.
FAMEB: 126-F. FAMEB: 126-E.
2355. Mario Soares. DA PROPHYLAXIA DO 2369. Waldemar Benedicto de Britto Lopes.
ALCOOL (EM PROL DA CAMPANHA ENSAIOS DE
ANTI-ALCOOLICA. FAMEB: 126-F. ELECTROCARDIOGRAPHIA. FAMEB:
2356. Mario Theodomiro de Carvalho. PEQUENA 126-E.
CONTRIBUIÇÃO À PROPHYLAXIA DA 2370. Waldemar Braga de Almeida.
TUBERCULOSE. FAMEB: 126-F. CONSIDERAÇÕES A PROPOSITO DA
2357. Miguel Felippe Borges. DO TRATAMENTO PSEUDO-PARALYSIA DE PARROT.
ANTISYPHILITICO E A FAMEB: 126-E.
MALARIOTHERAPIA NA PARALYSIA
GERAL. FAMEB: 126-F. 1927
2358. Narciso Soares da Cunha. HAHNEMANN E
OS SYSTEMAS THERAPEUTICOS. 2371. Absalão Pereira de Almeida. ESTADO
FAMEB: 126-F. ACTUAL DA THERAPEUTICA DA
2359. Nise Magalhães da Silveira. ENSAIO SOBRE LEPRA. FAMEB: 127-A.
A CRIMINALIDADE DA MULHER NO 2372. Adherbal Pereira de Mello. INDICE DA
BRASIL. FAMEB: 126-A. INFESTAÇÃO HELMINTHICA NO
2360. Oswaldo Lacourt Muylaert. ESTUDO GERAL HOSPITAL DE SANTA IZABEL. FAMEB:
DAS AVITAMINOSES. FAMEB: 126-E. 127-A.
2361. Otto Schmidt. A FEBRE AMARELLA NA 2373. Adherbal Queiroz de Salles. DAS
BAHIA EM 1926. FAMEB: 126-E. PANCREATITES AGUDAS E SUA
2362. Pedro Passos Leone. LIGEIRAS CIRURGIA. FAMEB: 127-A.
CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA 2374. Alcides Lopes de Siqueira. O AMOR COMO
SYNDROME DE BASEDOW. FAMEB: DIRIMENTE PENAL.FAMEB: 127-A.
126-D. 2375. Alicio Peltier de Queiroz. BREVES
2363. Perceval da Cunha Vasconcellos. DO CONSIDERAÇÕES SOBRE A
GRANULOMA DE ARAGÃO – VIANNA PHYSIOLOGIA DA PUBERDADE NA
E SEU AGENTE ETIOLOGICO. FAMEB: MULHER. FAMEB: 127-A.
126-E. 2376. Alpheu de Vasconcelos Sampaio. DO VALOR
2364. Pericles Nonato de Oliveira Guimarães. DA SEMIOTICO E DAS POSSIBILIDADES
QUINIDINA NAS EXTRASYSTOLES E THERAPEUTICAS DA SONDAGEM
NA TACHYCARDIA BASE DO WIANNA. DUODENAL. FAMEB: 127-A.
FAMEB: 126-E. 2377. Alvaro Ferraz. DELICTO E DELINQUENTE.
2365. Rubem de Cerqueira Lima. PROVA DE FAMEB: 127-A.
DESINFECTANTES. FAMEB: 126-E. 2378. Antenor Gomes de Mattos. SEMIOTICA DA
2366. Sizenando Martins. O ESTREITAMENTO DA MORTE. FAMEB: 127-A.
URETHRA E A CURA PELOS EFFEITOS 2379. Antonio Augusto de Aragão Bulcão. DAS
CHINICOS DAS CORRENTES VOL- INCOMPATIBILIDADES ENTRE MEDI-
TAICAS. FAMEB: 126-E. CAMENTOS. FAMEB: 127-A.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 97

2380. Antônio Firmato de Almeida. 2394. Francisco de Borja Portella. CON-


CONSIDERAÇÕES GERAES SOBRE A TRIBUIÇÃO AO ESTUDO DOS
MOLESTIA DE NICOLAS E FAVRE. QUELOIDES. FAMEB: 127-C.
FAMEB: 127-A. 2395. Gilberto Camardelli. DA ANESTHESIA
2381. Antonio Washington Landulpho. SOBRE A GERAL PELA MISTURA DE SCHLEICH
PHRENESECTOMIA. FAMEB: 127-A. COM O APPARELHO DE OMBREDANNE.
2382. Arnaldo de Assis Tavares. DA ESTENÓSE FAMEB: 127-C.
ESOPHAGIANA NA INFÂNCIA. FAMEB: 2396. Hamilton Velloso de Almeida. LIGEIRAS
127-A. CONSIDERAÇÕES SOBRE A
2383. Arthur Diniz Velloso. HYGIENE DA CURIETHERAPIA E SEU EMPREGO NO
VELHICE. FAMEB: 127-A. TRATAMENTO DOS EPITHELIOMAS
2384. Augusto Publio Pereira. ESPAÇO CUTANEOS. FAMEB: 127-B.
ESCAPULAR ESQUERDO INTERNO. 2397. Herachyto Caldas. DA RESISTENCIA
FAMEB: 127-A. GLOBULAR NA TUBERCULOSE. FAMEB:
2385. Braulio Xavier da Silva Pereira Filho. O 127-B.
RACHITISMO NA BAHIA. FAMEB: 127-C. 2398. Hosannah de Oliveira. O FIGADO NA
2386. Cacilda Vieira dos Reis. LIGEIRA HYPOTREPSIA. FAMEB: 127-B.
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA SUB- 2399. Itala Silva de Oliveira. DA SEXUALIDADE E
ALIMENTAÇÃO DOS LACTENTES. DA EDUCAÇÃO SEXUAL. FAMEB: 127-B.
FAMEB: 127-C. 2400. Jayme de Assis Souza. A AREA TEMPORAL.
2387. Carlos Martins de Almeida. LIGEIRAS FAMEB: 127-F.
CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA 2401. Jayme Ribeiro Saldanha. SOBRE ENTERO-
RESPIRAÇÃO NO DEMONTE PRECOCE. HELMINTHIASES. FAMEB: 127-B.
FAMEB: 127-F. 2402. João Nunes de Aquino. ETIO-PATHOGENIA
2388. Carlos Rodrigues de Moraes. ALGUNS E THERAPEUTICA DA NAUPATHIA.
CASOS DE OTO-RHINO-NEURO- FAMEB: 127-F.
OPHTALMOLOGIA. FAMEB: 127-C. 2403. João Olympio Guimarães. EM TORNO DAS
2389. Clovis Vasconcellos Moreno. PROPHY- AMYGDALAS. FAMEB: 127-B.
LAXIA DA PESTE. FAMEB: 127-F. 2404. Joaquim Guedes de Mello. DA
2390. Diogenes Gomes da Costa Vinhaes. DIATHERMIA E SUAS APPLICAÇÕES
IMMUNIZAÇÃO LOCAL E PUERPERIO NAS GYNE-GONOCOCCIAS. FAMEB:
INFECTADO. FAMEB: 127-C. 127-B.
2391. Djalma José Nunes. SOBRE AS 2405. Jorge Valente. CENTROS DE SAÚDE.
CONTRAINDICAÇÕES DO BISMUTHO FAMEB: 127-B.
NO TRATAMENTO DA SYPHILIS. 2406. José Barbosa de Mattos. DA ANESTHESIA
FAMEB: 127- C EM OPERATORIA. FAMEB: 127-E.
2392. Edgard Vieira Mascarenhas. 2407. José Eugenio Mendes de Figueiredo. SOBRE
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO O SERODIAGNOSTICO DA SYPHILIS.
SEMIOLOGICO E MEDICO-LEGAL DAS FAMEB: 127-E.
UNHAS. FAMEB: 127-C. 2408. J o s é M a n u e l N o g u e i r a Vi n h a e s .
2393. Eusimio da Cruz Baptista. REZÕES DE BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE
PREFERENCIA DA VIA INTRAMUSCULAR A IMPOR-TANCIA DO EXAME DO
PARA A IMTRODUCÇÃO DOS AR- C AV U M N A C R E A N Ç A . FA M E B :
SENOBENZOES. FAMEB: 127-C. 127-E.
98 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2409. José Moreira Pinto. DA HELMINTHO= 2421. Nestor Pires. NECESSIDADE DE UMA
ANAPHYLAXIA (ESTUDO ETIO- CAMPANHA ANTI-ESPIRITA. FAMEB: 127-D.
PATHOGENICO DAS COMPLICAÇÕES 2422. Octacilio de Carvalho Lopes. A SURDEZ.
PAROXISTICAS DA ASCARIDIOSE). FAMEB: 127-D.
FAMEB: 127-E. 2423. Odilon Lins Mascarenhas. DOCIMASIA
2410. Leonel Almeida Baptista de Carvalho. DA SUPRA-RENAL NA MORTE SUBITA E
VACCINOTHERAPIA NAS AFFECÇÕES AGONICA. FAMEB: 127-D.
DO APPARELHO RESPIRATÓRIO. 2424. Orville Velloso de Almeida. A HEMODIAZO-
FAMEB: 127-E. REACÇÃO E SEU VALÔR NO
2411. Lindolpho do Rego Monteiro. VIOLENCIA PROGNOSTICO DAS NEPHRITES
PSYCHICA NO DEFLORAMENTO. CRONICAS E INSUFFICIENCIAS
FAMEB: 127-E. CARDIO-RENAES. FAMEB: 127-D.
2412. Lourival de Freitas Carvalho. DA TENSÃO 2425. Pedro de Oliveira. CONSIDERAÇÕES
AR-TERIAL COMPARADA NOS SOBRE O RHACHITISMO. FAMEB: 127-A.
MEMBROS SUPERIORES E INFERIORES. 2426. Peregrino Jordão. DESCRIPÇÃO CLINICA,
FAMEB: 127-E. ETIO-PATHOGENIA E TRATAMENTO DO
2413. Lourival Pessôa Campos. DA SYMPA- PÉ TORTO. FAMEB: 127-F.
THECTOMIA PERI-FEMURAL NA CURA 2427. Quintino Castellar da Costa. DO SUICIDIO
DAS ULCERAS THOPHICAS. FAMEB: E SUA PROPHYLAXIA. FAMEB: 127-A.
127-E. 2428. Raymundo Nonato de Almeida Gouveia. OS
2414. Luís de França Ribeiro Barros. GRUPOS SANGUÍNEOS EM OBS-
CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA TETRÍCIA. FAMEB: 127-A.
ALBUMINÚRIA SIFILITICA SIMPLES. 2429. Renato Martins da Silva. MENINGITES E
FAMEB: 127-E. MENINGISMOS – DIAGNOSTICO
2415. Luiz Albano de Burgos Rodrigues. A DIFFERENCIAL. FAMEB: 127-A.
CLINICA DO SONHO-CONTRIBUIÇÃO 2430. Symphronio Alves dos Santos. DA
PARA O ESTUDO DO VALOR SEMEIO- ANESTHESIA DOS NERVOS
TICO DO SONHO. FAMEB: 127-E. ESPLANCHNICOS. FAMEB: 127-A.
2416. Luiz Eloy Passos. MODIFICAÇÕES DA 2431. Taciano Gomes de Mello. A CONSTIPAÇÃO
ACIDEZ GASTRICA E DIARRHÉAS. E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 127-A.
FAMEB: 127-E. 2432. Thales Olympio Goés de Azevedo.
2417. Luiz Lavigne de Lemos. DA PERCUSSÃO FIBROMYOMAS DO UTERO. FAMEB: 127-A.
DA AORTA ASCENDENTE COMPARADA 2433. Victorio Accioly Lins. UM CAPÍTULO DA
À RADIOLOGIA. FAMEB: 127-E. CIRURGIA DA DÔR. FAMEB: 127-A.
2418. Manoel Guimarães Correia. 2434. Vivaldo Palma Lima Filho. SOBRE O
CONSIDERAÇÕES SOBRE A ATHREPSIA OLEOTHORAX. FAMEB: 127-A.
E SEU TRATAMENTO. FAMEB: 127-D.
2419. Manoel Santos de Aguiar. CONTRIBUIÇÃO 1928
AO ESTUDO DA VACCINOTHERAPIA
ANTI-GONOCOCCICA POR VIA ENDO- 2435. Acir Alves Leite. HYSTERIA NA
PHLEBICA. FAMEB: 127-D. INFANCIA. FAMEB: 128-A.
2420. Mathias Mariani Bittencourt. DA 2436. Adalberto de Assis Nazareth. EM TORNO
CYSTOSCOPIA E SEU VALOR DO CORAÇÃO E CASAMENTO. FAMEB:
DIAGNOSTICO. FAMEB: 127-D. 128-A.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 99

2437. Adalberto Dias da Silva. EM TORNO DOS 2450. Cyro Carneiro Leal. EM TORNO DAS
NOVOS TRATAMENTOS DA OZENA. FÍSTULAS ORBITARIAS. FAMEB: 128-B.
FAMEB: 128-A. 2451. Decio Marinho Barbosa. O Ph SANGUINEO
2438. Agenor Fraga Brandão. CONTRIBUIÇÃO NO IMPALUDISMO AGUDO. FAMEB:
AO ESTUDO DAS 128-B.
INCOMPATIBILIDADES. FAMEB: 128-A. 2452. Deodoro Reis. DA ANTISEPSIA
2439. Agenor Leite dos Reis Meirelles. SÔRO INTESTINAL, NO PRESENTE. FAMEB:
DIAGNOSTICO DO CANCER PELA 128-B.
REACÇÃO DE BOTELHO. FAMEB: 128-A. 2453. Dionysio Figueiredo de Souza. LIGEIRAS
2440. Agostinho Sobrinho Gonçalves. DOS CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA
CUIDADOS PÓS-OPERATÓRIOS NAS OSTEOSYNTHESE. FAMEB: 128-B.
INTERVENÇÕES DAS VIAS BILIARES. 2454. Djalma Feitosa Franco. PROPHYLAXIA DO
FAMEB: 128-A. OPHIDISMO. FAMEB: 128-G.
2441. Albino de Freitas Leitão. DOS ACCIDENTES 2455. Domingos Barroso Filho. A ROSA DE
DA SÔROTHERAPIA HUMANA. FAMEB: BENGALA NA EXPLORAÇÃO DA
128-A. FUNCÇÃO CHROMAGÔGA DO
2442. Alfredo Rizzo. DA HYSTERECTOMIA E DA FIGADO. FAMEB: 128-B.
FUNCÇÃO DO OVARIO. FAMEB: 128-A. 2456. Emmanuel Santiago da Motta. O INDICE
2443. Aloysio Vianna Dias da Silva. DAS OSTEO- CATATHERMOMETRICA EM
ARTHRITES TUBERCULOSAS E A SUBSTITUIÇÃO AO INDICE DE CO2 NA
OPERAÇÃO DE ROBERTSON LAVALLE. AVALIAÇÃO DO GRAU DE
FAMEB: 128-A. CONFINAMENTO DO AR. FAMEB: 128-D.
2444. Antonio Simões da Silva Freitas. 2457. Francisco Donizetti Gondim. TUBERCULOSE
TUBERCULOSE E GRAVIDEZ. FAMEB: HYPERPLASICA. FAMEB: 128-B.
128-D. 2458. Francisco Menezes de Góes. COSTELLAS
2445. Bel José Fabrício de Barros. A PROVA CERVICAES. FAMEB: 128-B.
SICARD–FORESTIER, NA 2459. Francisco Pinto Machado. DA
LOCALISAÇÃO DAS COMPRESSÕES DACTYLOSCOPIA (PEQUENAS
MEDULLARES. FAMEB: 128-C. CONSIDERAÇÕES DA HERANÇA PELAS
2446. Bio Lopes Pimentel Bittencourt. PEGADA IMPRESSÕES DIGITAES). FAMEB: 128-B.
IDEAL, INVERTIDA E FLEXORA. FAMEB: 2460. João Lopes Ferreira. LIGEIRAS
128-E. COMSIDERAÇÕES SOBRE A GRIPPE E
2447. Bonjamim Alves de Carvalho. DA SUAS MANIFESTAÇÕES NO TERRENO
RESISTENCIA DOS ESTADOS DA OTO-RHINO-LARYNGOLOGIA.
MORBIDOS Á THERAPEUTICA E DA FAMEB: 128-G.
INCURABILIDADE PERANTE A 2461. José Augusto de Amorim. ECZEMA E
EUTHANASIA. FAMEB: 128-D. A U TO H E M O T H E R A P I A . FA M E B :
2448. Carlos Antonio Trindade Mello. DA 128-C.
IMPORTANCIA ECONOMICA E SOCIAL 2462. José Baptista Marques. DAS FORMAS
DO PNEUMOTHORAX ARTIFICIAL. CLINICAS DA DOENÇA DE MANSON–
FAMEB: 128-B. PIRAJÁ DA SILVA (ESCHISTOSOMOSE
2449. Clovis Lyrio de Almeida Sampaio. DA AMERICANA). FAMEB: 128-C.
RESISTENCIA GLOBULAR NA SYPHILIS 2463. José Coêlho de Albuquerque Filho. DO SINAL
SECUNDARIA. FAMEB: 128-B. DE BABINSKI. FAMEB: 128-C.
100 Nevolanda Sampaio Meirelles, et al. GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101

2464. José Pires da Veiga. DO ENXOFRE 2481. Max Velloso Machado. DAS
COLLOIDAL. FAMEB: 128-C. INTERVENÇÕES CIRURGICAS NOS
2465. José Ramos Barretto. CIRURGIA PLASTICA DIABETICOS. FAMEB: 128-A.
DO ABDOMEN. FAMEB: 128-C. 2482. Menandro Martins Dantas. A
2466. José Silveira. RADIOLOGIA DA MOVIMENTAÇÃO DA PARIDA. FAMEB:
DESCENDENTE. FAMEB: 128-D. 128-A.
2467. Juvenal de Lacerda Gordilho. 2483. Moisés Hgage. 1- TRATAMENTO DAS
CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO OSTEO- FORMAS PROLONGADAS E DAS
SYNTHESE. FAMEB: 128-C. SEQUELLAS DA ENCEPHALITE EPI-
2468. Ladislau de Azevedo Cavalcantti. SEMIOTICA DEMICA PELO “ARSYLÉNE”; 2- A
DO ESPAÇO DE TRAUBE. FAMEB: 128-C. BRONCHITE SANGRENTA DE CASTEL-
2469. Lauro Natalino Lustosa de Aragão. ANGIO- LANI OU “TUSO-ESPIROCHETOSE-
NEUROMYOMA ARTERIAL DO GLOMO BRONCHICA”; 3- RADIOTHERAPIA
COCCYGEO. FAMEB: 128-C. DOS ANGIOMAS. FAMEB: 128-G.
2470. Luiz Fabricio de Oliveira. DA EUGENÍA E O 2484. Orlando da Veiga Sampaio. HYGIENE
EXAME PRENUPCIAL OBRIGATORIO. MENTAL E ALCOOLISMO.FAMEB: 128-A.
FAMEB: 128-C. 2485. Ormeu Lobão do Rego Monteiro. TRA-
2471. Luiz Lemelle de Amorim. O TESTICULO TAMENTO CIRURGICO DAS INFECÇÕES
ECTOPICO. FAMEB: 128-F. PUERPERAES. FAMEB: 128-A.
2472. Luiz Lemelle de Amorim. O TESTÍCULO 2486. Osvaldo Bezerra Medrado. AS
ECTOPICO. FAMEB: 128-A. PERIDUODENITES E SEU TRATAMENTO
2473. Luiz Tarquinio Pontes. CHOLECYS- CIRURGICO. FAMEB: 128-E.
TOGRAPHIA. FAMEB: 128-A. 2487. Osvaldo de Carvalho Mascarenhas. DA HYS-
2474. Manoel Eustaquio de Souza Bastos. DA TERO-SALPINGOGRAPHIA.FAMEB:128-
RIGIDEZ SPASMODICA DO COLLO E G.
SEU TRATAMENTO PELA ATROPINA- 2488. Oswaldo Bahia Cardoso de Oliveira. O AUTO
MORPHINA. FAMEB: 128-A. SANGUE HEMOLYSADO NA INFECÇÃO
2475. Manoel Eutaquio de Souza Bastos. DA PUERPERAL. FAMEB: 128-A.
RIGIDEZ ESPASMÓDICA DO COLLO E 2489. Pedro de Figueiredo Ferreira. DAS ADERENCIAS
SEU TRATAMENTO PELA ATROPINA- PERITONIAIS. FAMEB: 128-E.
MORPHINA. FAMEB: 128-F. 2490. Pedro Pereira Maltez. A CARIE DENTARIA
2476. Maria Barbosa Gomes. CONTRIBUIÇÃO E SUAS COMPLICAÇÕES. FAMEB: 128-E.
AO ESTUDO JURIDICO E MEDICO- 2491. Possidónio da Silva Bem. HISTOPATOLOGIA
LEGAL DO CRIME DE INFANTICIDIO. PULMONAR NA DOENÇA DE MASON-
FAMEB: 128-A. PIRAJÁ DA SILVA (CONTRIBUIÇÃO AO
2477. Maria de Carvalho Fontes. O TONUS VAGO- ESTUDO HISTOLÓGICO DA
SYMPATHICO DA GESTANTE. FAMEB: ESQUISTOSOMOSE MANSÓNICA). FAMEB:
128-A. 128-E.
2478. Marialvo Cotias. HOMICIDIOS NA BAHIA. 2492. Prisco Rodrigues Coutinho. BREVES
FAMEB: 128-A. CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA
2479. Mario de Carvalho Fontes. O TONUS VAGO- ERGASTHENIA. FAMEB: 128-D.
SYMPATHICO DA GESTANTE. FAMEB: 128-F. 2493. Raul Paranhos Dias dos Santos.
2480. Mario de Oliveira Rego. EM TORNO DA CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA
DÔR LOMBAR. FAMEB: 128-A. PESTE BUBONICA. FAMEB: 128-E.
GMBahia 2004;74:1(Jan-Jun):9-101 Teses Doutorais da FAMEB: 1840-1928 101

2494. Renato dos Santos Araújo. O SYMPTOMA 5. Chagas C. Nova especie morbida do homem, produzida
DÔR NAS AFFECÇÕES CIRURGICAS por trypanozoma (trypanosoma cruzi). Brasil-Médico,
ano XXIII, n. 16, de 22 de abril de 1909, 1909.
DO APPARELHO URINARIO. FAMEB: 6. Duque Estrada MI. Nise da Silveira. In: Carvalho VM,
128-E. Costa VR (ed.), Cientistas do Brasil. Depoimentos.
2495. Renato Guimarães Teixeira. URETERO- SBPC: São Paulo, p. 201-212, 1998.
PYLLOGRAPHIA. FAMEB: 128-E. 7. Falcão EC. Pirajá da Silva. O incontestável descobridor
2496. Ruy Santos. DA EUTHANASIA NOS INCU- do Schistosoma mansoni. Empresa Gráfica da Revista
dos Tribunais: São Paulo, 314p., 1959.
RAVEIS DOLOROSOS. FAMEB: 128-E. 8. Nunes P. Dicionário de Tecnologia Jurídica. Renovar: Rio
2497. Saúl Fernandes Leão. EM TORNO DOS de Janeiro, 13ª ed., 1198p., 1999.
EPITHELIOMAS MAMMARIAS DE 9. Oliveira ES. Memória histórica da Faculdade de Medicina
CELLULAS CLARAS. FAMEB: 128-E. da Bahia. Concernente ao ano de 1942. Universidade
2498. Severino Oscar Barretto Coutinho. O Federal da Bahia: Salvador, p. 233-237, 1992.
10. Ribeiro MLS. História da Educação Brasileira. A
FORCEPS DE KIELLAND EM organização escolar. Autores Associados: Campinas
TRANSVERSA ALTA. FAMEB: 128-E. (SP), 18ª ed. rev. e ampl., 207p., 2003.
2499. Socrates Marback d´Oliveira. A 11. Santos IB. Wilhelm Conrad Roentgen: a história do
SUGGESTÃO EM FACE DA descobridor do Raio X no centenário do seu
THERAPEUTICA GYNECOLOGICA. descobrimento. Hamburg: São Paulo, 113p., 1995.
12. Souza HG. Expansão da rede escolar. In: Souza EM (ed.),
FAMEB: 128-E. Documentos do Ensino Médico. Departamento de
2500. Vinicio de Almeida Bôaventura. LIGEIRAS Assuntos Universitários/Ministério da Educação e
CONSIDERAÇÕES EM TORNO DA Cultura: Brasília, p. 1-59, 1972.
SYNDROME MECHANICA DA 13. Teixeira R. Memória histórica da Faculdade de Medicina
HYPOTENSÃO PORTA. FAMEB: 128-D. do Terreiro de Jesus (1943-1995). Universidade Federal
da Bahia: Salvador, 3ª ed., 291p., 2001.
2501. Waldemar Marques Pereira. CONSIDERA- 14. Universidade da Bahia. Cinqüentenário dos Doutores em
ÇÕES ACERCA DA POSOLOGIA MEDI- Medicina de 1902. Universidade da Bahia: Salvador,
CAMENTOSA E O SEU DETERMINISMO. Gráfica Loreto, 115p., 1955.
FAMEB: 128-D.
2502. Yvo Posollo de Soveral. DA CYSTOGRAPHIA
E SEU VALOR DIAGNÓSTICO.FAMEB:128-E.

Referências Bibliográficas

1. Azevêdo ES, Fortuna CMM. A mulher na medicina: estudo


de caso e considerações. Ciência e Cultura 41: 1086-
1090, 1989.
2. Brasil. Lei de 03 de outubro de 1832. In: Colleção das Leis
do Império do Brazil de 1832. Imprensa Nacional: Rio de
Janeiro, Parte I, 1906.
3. Brasil. Decreto n° 16.782-A de 13 de janeiro de 1925. In:
Colleção das Leis da República dos Estados Unidos do
Brasil de 1925. Imprensa Nacional: Rio de Janeiro,
volume II, 1926.
4. Britto ACN. 195 anos de ensino médico na Bahia.
Conferência [impressa] de 18 de fevereiro de 2003 na
Faculdade de Medicina da Bahia: Universidade Federal
da Bahia, 16p., 2003. Documento capturado em 18 de
outubro de 2003 na “home page” http://
www.medicina.ufba.br/historia, 2003.