You are on page 1of 23

UNIVERSIDADE DE UBERABA

NATHALIA DE OLIVEIRA JÁCOME
LILIAN BATISTA DE ALMEIDA SANTOS
LUCAS MARQUES SILVA
KATHERINE ANNE DOS SANTOS DIAS
RICELLI VICTOR RIBEIRO DE ABREU

ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL

UBERABA-MG
2013

NATHALIA DE OLIVEIRA JÁCOME
LILIAN BATISTA DE ALMEIDA SANTOS
LUCAS MARQUES SILVA
KATHERINE ANNE DOS SANTOS DIAS
RICELLI VICTOR RIBEIRO DE ABREU

ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL

Trabalho apresentado a Universidade de
Uberaba, como parte das atividades para
conclusão do componente curricular da
Introdução à Engenharia Civil, do 1º
período do curso de Engenharia Civil.
Orientadora: Professora Cecília Marega

UBERABA-MG
2013

Orientadora: Professora Cecília Marega Aprovado em ____/____/_____ BANCA EXAMINADORA ______________________________________ Professora Cecília Marega .NATHALIA DE OLIVEIRA JÁCOME LILIAN BATISTA DE ALMEIDA SANTOS LUCAS MARQUES SILVA KATHERINE ANNE DOS SANTOS DIAS RICELLI VICTOR RIBEIRO DE ABREU ÁREAS DE ATUAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL Trabalho apresentado a Universidade de Uberaba. como parte das atividades para conclusão do componente curricular da Introdução à Engenharia Civil. do 1º período do curso de Engenharia Civil.

por simples medo de arriscar. poderíamos ganhar.“Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que.” (William Shakespeare) I . com frequência.

É importante não se esquecer da pesquisa de custos e condições de segurança. elaborar projetos. O engenheiro tende a realizar estudos. supervisionar e fiscalizar as obras em que atua. saneamento e estruturas.RESUMO A Engenharia Civil é dedicada a diversas construções como civil. para que tudo saia conforme planejado. recursos hídricos. II . tanto na produção quanto na prevenção de acidentes com as estruturas.

1Produtividade 6 1.1Projetos de água e esgoto 11 3 ESTRUTURA 13 3.1 A banalização da recuperação estrutural que maquiam as estruturas 13 CONCLUSÃO 18 REFERÊNCIAS 19 III .SUMÁRIO INTRODUÇÃO 4 1 CONSTRUÇÃO CIVIL 5 1.2 Apropriação de custos 7 2. RECURSOS HÍDRIGOS E SANEAMENTO BÁSICO 10 2.

etc buscando um resultado final em estruturas. supervisiona e fiscaliza cada uma destas obras. 1. pontes. viadutos. madeira. sejam elas de edifícios. Para isso o mesmo realiza estudos e projetos. residências. medições. As funções do engenheiro civil estão intimamente relacionadas com cálculos. nunca esquecendo-se de pesquisar menores custos e maiores condições de segurança. desenhos. CONSTRUÇÃO CIVIL 4 . úteis para todos os seres.INTRODUÇÃO O Engenheiro civil é o profissional que dedica-se à área de construções. análise de materiais brutos. túneis. como: pedra. porém. terra. etc. redes hidráulicas. calcário.

php/construcao-civil Figura 2. Projetos Construção Civil Fonte:http://vilelaconstrucoes. etc. 5 . tais como a operação e o gerenciamento de sistemas de transportes.com. industrial ou residencial. Figura 1. ou a troca de um piso cerâmico de um imóvel. o termo reforma é o mais utilizado quando se trata de fazer alguma ampliação. que são obras de maior porte destinadas a infraestrutura como pontes.ficaco. ou apenas uma pintura. viadutos ou túneis. de barragens. túneis.A área de Construção Civil abrange todas as atividades de produção de obras. Estão incluídas nesta área as atividades referentes às funções planejamento e projeto. execução e manutenção e restauração de obras em diferentes segmentos. Os termos construção e obra também são utilizados. seja comercial.com. estradas. No Brasil. seja de uma edificação ou de uma obra de arte. ou restauração. tais como edifícios. inovação. a operação de estações de tratamento de água.php Na arquitetura e na engenharia. estando excluídas as atividades relacionadas às operações. Consistem em construir o que consta em projeto. portos. respeitando as técnicas construtivas e as normas técnicas vigentes.br/aplicacoes. É a execução de todas as etapas do projeto da fundação ao acabamento. Engenharia Civil Fonte: http://www. canais de navegação. de fundações e de terra em geral. aeroportos. obras de saneamento. instalações prediais.br/portal/index. a construção é a execução do projeto elaborado antecipadamente.

técnicas de gerenciamento.  Estrutura Metodologia de trabalho utilizada. O aumento da produtividade é conseqüência da utilização otimizada e integrada dos diversos fatores que contribuem na formação. meio de transporte interno e externo. organizacional da empresa. etc. materiais e outros. metroquadrado executado. por exemplo. Quanto maiores forem os resultados obtidos ou menor a quantidade de recursos utilizados maior a produtividade. Pode-se destacar os seguintes fatores que afetam a produtividade:   Capacitação e treinamento da  Práticas gerenciais de controle.1.  Layout do canteiro de obras.1. máquinas.  Processos de produção. informatização. A boa utilização do horário disponível de trabalho é fundamental para se alcançar aumentos de produtividade. Produtividade A produtividade pode ser definida como a quantidade do trabalho realizado em uma unidade de tempo. mão-de-obra. mão-de-obra. toneladas. etc. horário de trabalho. e é basicamente caracterizada como a relação entre os resultados obtidos e os recursos utilizados. movimentação e comercialização de um produto. Devem-se evitar as paradas que quebram o ritmo da produção bem como as paradas desnecessárias. insumos. litros. caixas. Os resultados obtidos são definidos em unidades. Os recursos utilizados são definidos como pessoas. A produtividade é muitas vezes medida por pessoa mas em muitas situações onde os custos com pessoas são uma percentagem reduzida dos custos totais têm 6 . ferramentas. normalmente horas.  Utilização de insumos. A produtividade está intimamente ligada à melhor ou pior utilização dos recursos produtivos disponíveis em uma empresa. dentre eles: espaço físico.

Na melhoria da produtividade deve-se evoluir a partir de um valor de base para se poder comparar os resultados. regra geral. A forma mais prática de controlar e comparar os custos da obra é através do trabalho de apropriação de custos. ocasionando diferenças significativas entre o custo orçado e o custo executado. O termo "apropriação" pode ser definido como a apuração dos serviços executados visando a obtenção e o conhecimento exato das quantidades material / mão-de-obra e dos tempos realmente empregados nos serviços executados. desperdícios. O grau de produtividade de um agente econômico (pessoa. 1. país. Situações não previstas no orçamento como. um dos melhores indicadores para a medição do nível de eficiência e eficácia do mesmo. A produtividade total dos recursos é medida em termos financeiros onde é calculado o resultado obtido por unidade monetária gasta nos diversos recursos. Apropriação de custos Acredita-se que um trabalho de orçamentação bem feito seja suficiente para garantir a previsão de custo de uma obra. fato que não é totalmente verdade. o trabalho de orçamentação em si é apenas uma antevisão do custo da obra. Até os engenheiros menos experientes sabem que "custo orçado" é diferente de "custo executado". podendo avaliar ainda o desempenho e produtividade da mão-de-obra. etc.) é. ou seja. etc. onde as informações colhidas na obra. podem ocorrer no andamento da obra. empresa. queda de produtividade.2. inflação. A apropriação de custos é o método pelo qual a empresa terá controle total dos custos financeiros de um determinado serviço. por exemplo.que se ter em conta os outros fatores necessários para produzir os resultados pretendidos. desvios. atualmente. porém. servem de base para as composições de custo 7 . dentre outras coisas. são poucas as empresas que realizam este trabalho em suas obras.

sendo um trabalho de coleta de dados. que deve ser adequada ao serviço que está sendo apropriado. necessariamente deve seguir uma metodologia. Todas as formas de coleta de dados devem garantir a credibilidade nos dados colhidos e para isso é imprescindível que esta seja feita por um observador treinado para exercer a tarefa. ajustes e elaboração do cronograma da obra e controle de gastos e prioridades da obra.  Analisar a produtividade dos operários. A coleta de dados também pode ser feita através de filmagens ou observações instantâneas. A apropriação de custos. Antes de iniciar o trabalho de coleta de dados. Cada serviço tem suas particularidades em relação à metodologia utilizada na apropriação. análise da produtividade. evitando a confusão de valores e diferenças no método de execução do mesmo serviço na obra. A metodologia preliminar a ser aplicada consiste basicamente em: 8 . Essas regras visam facilitar a tarefa da coleta de dados. é necessário aplicar algumas regras a serem minuciosamente seguidas pelos operários durante a execução dos serviços. Dentre as principais importâncias da apropriação de custos podemos citar:  Comparar os valores entre os custos orçados e os apropriados. Em outras palavras.  Determinar os motivos de diferenças e corrigi-los. Normalmente a coleta de dados é feita através da planilha de produção diária permitindo medir a quantidade de serviço realizada em um período. pois qualquer erro ou falha nesta etapa da metodologia proposta.  Acompanhar e corrigir o cronograma da obra. impede que os estudos e análises sejam realizados. é realizada uma padronização da execução de cada serviço. por um operário dentro de um ciclo de repetição.  Prever despesas para futuras etapas de serviço.  Avaliar as possíveis alterações no andamento da obra.  Aprovar decisões em tempo hábil.unitário de serviços.  Comparar com serviços iguais as outras obras.

em uma orçamentação cada vez mais precisa e sem sustos ao final da obra. às vezes pouco precisas. Fazer o reconhecimento da área (local) onde será executado o serviço. analisar as suas causas e corrigir em tempo. e havendo diferenças. se for o caso. As empresas que fazem apropriação de custos em suas obras têm a possibilidade de construir um grande banco de dados de composições de custos referentes a seus próprios serviços. ajustes no cronograma da obra. a previsão do fim deste serviço. resultando assim. Os dados coletados no trabalho de apropriação de custos também podem ser utilizados para verificar a produtividade e desempenho de um operário ou de uma equipe.  Realizar um trabalho de orientação dos operários quanto ao método executivo do serviço. Neste caso o processo de orçamentação passa a ser uma mera previsão de custos. Depois de aplicada a metodologia preliminar. a produção por dia da semana ou por turno. 2.  Fazer o levantamento da área total do serviço ou das sub-áreas. dentre outras análises. mais adequados a sua realidade e a condição dos seus funcionários. RECURSOS HÍDRICOS E SANEAMENTO BÁSICO 9 . De posse destes dados pode-se comparar continuamente os custos reais empregados neste serviço com os custos orçados. o serviço pode ser iniciado e conseqüentemente a coleta de dados referente à produção diária.  Designar a equipe de trabalho para este serviço. consumo de materiais e de mão-de-obra. As empresas que não têm o hábito de realizar a apropriação de custos dos seus serviços geralmente fazem a orçamentação da obra com base em índices e composições de custos unitários de terceiros.  Se necessário dividir a área do serviço em sub-áreas de modo a facilitar o trabalho de coleta de dados. o efeito do aprendizado. que nem sempre estão dentro da realidade adequada ao mercado local ou da empresa.

Ilustração A parte Hidráulica são: o projeto e a execução de canais artificiais. são os grandes desafios nos centros urbanos do Brasil. manutenção e operação das construções para essas finalidades são atribuições do engenheiro civil. a despoluição e a preservação de áreas de mananciais para captação de água Figura 4 Saneamento Ilustração para abastecimento.Figura 3. Fonte:http://geographicae. abastecimento de água. Fonte: http://www. sistemas de irrigação.php 10 .com/2007/05/12/cicloda-agua-e-recursos-hidricos/ O Saneamento Básico. instalações hidráulicas e obras de drenagem e bombeamento são especializações dessa área da Engenharia Civil. Planejamento. execução. eclusas para navegação fluvial. além do tratamento de esgotos.br/conteudos/Agua/sane amento.com.sobiologia.wordpress.

Soledade.320 temporários. que correspondem a 93. do Rio Grande do Sul.1 Projetos de água e esgoto PROJETOS DE ÁGUA E ESGOTO DO RS. BA E CE RECEBEM R$ 415 MILHÕES DO BNDES Projetos. Além disso. ainda. haverá uma melhora na qualidade de vida da população atendida.2 milhões para ampliação dos sistemas integrados de 11 . Serão gerados 70 empregos diretos definitivos e 2. R$ 415 milhões para projetos de abastecimento de água e esgotamento sanitário dos Estados do Rio Grande do Sul. que receberá R$ 220. serão beneficiadas mais de 450 mil pessoas. 61. com impactos positivos para a saúde pública. Embasa . serão criados 5. terão impactos positivos para a saúde pública. Imbé.630 empregos temporários indiretos. na expansão do sistema de esgotamento sanitário de Tramandaí e na implantação do sistema de esgoto nas cidades de Carlos Barbosa.2% referem-se à execução de obras civis e 34% à aquisição de máquinas e equipamentos nacionais. geradores elétricos e bombas centrífugas para ETE (estação de tratamento de esgoto).3% dos investimentos totais. Bahia. Todos os projetos fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).1 milhões. Capão da Canoa. Paraná e Ceará. Ao todo. Nova Prata. Dos investimentos previstos. serão utilizados na ampliação dos sistemas de abastecimento de água nos municípios de Arroio do Sal. que estão no âmbito do PAC. principalmente para compra de conjuntos motor-bomba.Já a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) receberá financiamento de R$ 85. PR. Torres e Xangri-lá. aproximadamente.2. Com o aumento na disponibilidade de água e redução da intermitência do abastecimento. redução da incidência de doenças transmitidas pela água. Três Coroas e Xangri-lá. O maior empréstimo será concedido à Companhia Rio-grandense de Saneamento (Corsan). Espera-se. Os recursos. A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou empréstimos no valor de. Horizontina.

4 milhões para ampliar o ramal sul do sistema integrado de abastecimento de água da Serra do Ibiapaba.5 milhões. Do total a ser financiado.5 milhões de pessoas com água tratada e 6 milhões com serviços de coleta e/ou tratamento de esgoto.7% da população urbana e deve crescer nos 12 .3% dos itens financiáveis. e implantará os sistemas de esgotamento sanitário de Centenário do Sul. Salto do Lontra. Pituba e Sussuanha. Cagece . Andorinha e Santo Estevão e implantação do sistema de esgotamento sanitário de Caravelas. serão contratados 1. A Sanepar está presente em 345 municípios paranaenses.Por sua vez. expandirá os sistemas de esgotamento sanitário de Bela Vista do Paraíso. nas ações de preservação ambiental e no gerenciamento do empreendimento.Por último. atendendo 9. Graça. Rio Negro e Santa Terezinha do Itaipu. 94% destinam-se a obras civis e aquisição de materiais hidráulicos. O projeto contempla obras para estações elevatórias.6% para a intervenção de esgotamento sanitário e de 90. Ao longo da execução das obras. A participação do BNDES no investimento total será de 85. a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) terá apoio financeiro de R$ 81. Também serão atendidos os distritos de Betânia.9 milhões de habitantes. adução e armazenamento de água nos municípios de Carnaubal. São Benedito e Ubajara. Janeiro. beneficiando cerca de 4. A Cagece presta serviços de água em 150 dos 184 municípios cearenses. Mandaguaçu. Mucambo. A participação do BNDES será de 93. Com os recursos. Os 6% restantes serão aplicados na execução de trabalho social.4% nos investimentos em obras de abastecimento de água. Guaraciaba do Norte. Seu índice de cobertura no abastecimento de água é de 97. a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) receberá empréstimo de R$ 28. serão criados 125 novos empregos diretos.abastecimento de água de Amélia Rodrigues. Nova Veneza. Os projetos atenderão a população de 196 mil pessoas. Imbuçu.728 trabalhadores indiretos. Além disso. Marmeleiro. Mandaguaçu e São João do Ivaí. Paraíso do Norte. Pacujá. O financiamento do BNDES será de 90% do investimento total. Tamarana e Terra Roxa. a empresa ampliará os sistemas de abastecimento de água dos municípios de Jacarezinho. Sanepar . Ibiapina.

Além do projeto.1. concreto protendido. aço. ESTRUTURA Na área estrutural se encontram os projetistas de estruturas em concreto armado. A empresa também presta serviços de esgotamento sanitário em 79 cidades.portaltimonfm. como as alvenarias.84 milhão de pessoas.1 A água como eletrólito da corrosão 13 .próximos anos. Figura 5 Acidente com erosão Fonte: http://www. com benefício para cerca de 1. a fiscalização e a execução das estruturas são atribuições dos profissionais dessa área especializada da construção civil. 3.br/desgaste-efetuado-pelas-aguas-ameaca-ponte-da-amizade/ 3.1 A banalização da recuperação estrutural que maquiam as estruturas 3.com. por exemplo. madeira e outros materiais que possam fornecer um suporte estrutural.

De todos os gases dissolvidos na água.A água é um meio condutor de eletricidade devido á sua carga natural de íons Cálcio. águas com alta concentração de sulfatos atacam o concreto. Bicarbonato. Sódio. O dióxido de carbono na atmosfera reagirá com a umidade (devido a infiltração) existente no interior dos poros da estrutura. aumentam a condutividade elétrica da água. facilitando enormemente o fluxo da corrente de corrosão. Observe que voltamos ao ponto inicial. pois. Na prática. a água também pode corroer o concreto. os cloretos são os que se relacionam mais com a corrosão. Sem dúvida. Apresentam –se. Corrosão: Transformação do metal em compostos de propriedades menos desejáveis (normalmente.5. devido a processos de cura insuficientes ou mesmo inexistentes. conseqüentemente mais fraco. com um pH entre 12 e 13. com recobrimento e fator a/c (água/cimento) adequados. Comumente. Retorno ao seu estado natural mais estável).5 – 8. em carbonato de cálcio que tem pH mais neutro. através de sua rede de vazios. tornando o concreto cada vez mais poroso. Além de ser um dos principais "elos" da corrosão. inclusive ao ambiente. já que. Sulfato. de forma significativa. entretanto. Um concreto bem dosado. sempre. como o oxigênio. permitindo fácil acesso á água e aos gases. a proteção de filmes ou películas de proteção aplicadas. ter-se-á. Também reduzem. em menores concentrações. a oxidação para voltar a ser o mineral do qual foi extraído. são tão perigosos quanto os cloretos para o aço. estará protegendo suas armaduras da corrosão pelo fato de fornecer um ambiente envolvente altamente alcalino. como outros íons. Magnésio. e também a sílica. quanto mais permeável for a camada de recobrimento mais o concreto tornar-se-á "molhável". No entanto. Cloretos e Nitratos. 14 . O pH da água raramente foge do em torno a 4. fazendo com que aqueles elementos tenham fácil e rápido acesso ás armaduras. como os sulfatos. trincas e/ou fissuras em sua superfície. o OXIGÊNIO ocupa posição especial porque é um tremendo estimulante á corrosão. ela dissolve o Oca (dando hidróxido de cálcio). A medida em que a água vai infiltrando. CORROSÃO. convertendo o hidróxido de cálcio com alto pH. por aí permeiam facilmente. (pH diminui inicia a corrosão). no entanto. Os íons nitratos.

além de acarretarem outros problemas associados ao inicial.1. à execução propriamente dita. O comprometimento do desempenho da estrutura e o constrangimento psicológico. que passam a ocupar volumes de três a dez vezes superiores ao volume original do aço da armadura. Mas devemos alertar.2 Uma força "invisível" Todo este processo contribui para o aumento significativo da desagregação do concreto. há a formação de óxi-hidróxidos de ferro. Dividindo as etapas construtivas e de uso em quatro períodos correspondentes ao projeto. Nas regiões em que o concreto não é adequado. 15 . Esta desagregação se inicia na superfície com uma mudança de coloração seguida de um aumento na espessura das fissuras entrecruzadas. que costumam aparecer. É comum encontrarmos condomínios com a filosofia – Isso pode esperar mais um pouco. como é calculado) quando há perfeita aderência entre o concreto e o aço. o que favorece ainda mais a carbonatação e a penetração de agentes agressivos. É sabido que o concreto armado só funciona como um sólido composto (ou seja. mais fáceis de executar e muito mais baratas quanto mais cedo forem executadas. mais efetivas. deixando muitas vezes os condôminos sem sono. Pode-se afirmar que as correções serão mais duráveis. Estas tensões provocam inicialmente a fissuração do concreto na direção paralela a armadura corrida. A demonstração mais expressiva dessa afirmação é a chamada "lei de Sitter" que mostra os custos crescendo segundo uma progressão geométrica. que em geral. os problemas patológicos são evolutivos e tendem a se agravar com o passar do tempo. à manutenção preventiva efetuada antes dos primeiros três anos e à manutenção corretiva efetuada após surgimento dos problemas.3. Esperando o momento "certo" para intervir. causando o lascamento do concreto. não vai cair etc!. podendo causar pressões de expansão superiores a 15 Mpa. a cada uma corresponderá um custo que segue uma progressão geométrica de razão cinco (5). não recobre ou recobre deficientemente a armadura.

síndico e Sr. Síndico precavido. colaborador do CEB – Comitê Euro-international du Béton – formulador dessa lei de custos amplamente citada em bibliografias especificas da área. remoção das carepas de corrosão. Aquele do comercial Dr. "Profissional" barato.Segundo SITTER. Das obras a loja de materiais de construção mais próxima. é de origem eletroquímica. 3. diz o Sr. Satisfeito com a "economia" e com a orientação sugerida pelo balconista da loja. o que torna ainda mais atual o conhecido ditado popular "não deixes para amanhã o que se pode fazer hoje". seja o físico e químico. Das obras. a causa da corrosão nem todos sabem. danificados por processos de corrosão nas armaduras. Entretanto. devemos lhe informar que o termo "recuperação estrutural" aplicado em uma estrutura. Remoção do concreto danificado pela corrosão. seguem para a execução da "maquiagem estrutural". mas. por cinco vezes menos. Pronto !!! agora é só pintar Dr. Continuando. Bem Sr. adiar uma intervenção significa aumentar os custos diretos em progressão geométrica de razão 5. pintura inibidora polimérica ou anticorrosiva. aplicação da argamassa de reparo. O resultado? Compram os mais diversos materiais. sempre considerando-se que um processo é uma série de fenômenos sucessivos com nexo de causa e efeito. econômico. muito bom por sinal. Deixa recado com o porteiro para encontrar o Sr. A restituição das seções do aço e do concreto. Um belo dia se depara com as lajes e vigas de suas garagens em processo de corrosão e desplacamento. mas não detém conhecimentos técnicos que os diversos serviços de engenharia requer. Das obras é um bom executor. lá vão.1. de confiança. há anos mantendo uma administração enxuta. E a causa ? Bem. Das obras.3 A boa vontade que pode sair muito caro. esquece que o Sr. já sabe o que fazer. Síndico. representa nada mais nada menos do que o efeito. somente neutralizada por processo 16 . motivado por processo de corrosão em suas armaduras significa a restituição da sua integridade em todos os sentidos. que há anos ronda o condomínio e adjacências. Certamente.

possui uma rede de vazios bem inferior. Tudo a mais influencia o comportamento dimensional da peça estrutural. não tão importante para espessuras correspondentes ao recobrimento. Todo problema patológico. devido a falta de cuidado em tentar compatibilizar a recuperação. A incompatibilidade nas recuperações em todos os segmentos da área é muito comum. Na verdade. em maior ou menor grau. sua relação tensão – deformação (módulo de elasticidade) é totalmente diferente da base. nos deparamos com o seguinte quadro: Utilização de argamassa com altíssima resistência a compressão. O conhecimento da patologia da construção é indispensável. para todos que trabalham com recuperações e construção. é muito menos provável que se cometam erros. uma massa similar á original. o que se deseja é uma boa aderência. O resultado é um comportamento dimensional (coeficiente de dilatação térmica-relaxação-fluência) anômalo. mas extremamente prejudicial para espessuras mais profundas. deve ser acompanhado ou executado por um profissional devidamente habilitado. Quando se conhecem os defeitos que uma construção pode vir a apresentar e suas causas. Por que apenas tratar os efeitos? Evidentemente. Bem mais impermeável que o concreto da base. uma cura adequada (retração por secagem) e a efetiva neutralização da corrosão através de um processo eletroquímico. Voltando dias depois para ver o serviço do Sr. invariavelmente duas a três vezes superior ao do concreto original. chamado em linguagem jurídica de vício oculto ou vício de construção.eletroquímico. dando como resultado uma transmissão de carga mais intensa e sujeitando-a a um descolamento prematuro. Em outras palavras. 17 . Das obras e do Síndico econômico. esta forma de recuperação estrutural conduz ao aceleramento da deterioração da estrutura. onde o volume de cargas é mais intenso.

no entanto. equipamentos. Não se deve esperar o momento certo para investir na solução dos problemas causados nas construções. as médias e grandes construções alcançam um orçamento na casa dos milhões ou bilhões de Reais. quando nos referimos a um aumento de produção. onde facilmente.CONCLUSÃO Produção e produtividade estão intimamente ligados. portanto é indicado que seja solucionado o quanto antes e por um profissional qualificado para que não sejam causados novos problemas. etc). pois os problemas patológicos são evolutivos e tendem a se agravar e causar outros problemas. isto resulta na maioria das vezes a um aumento de custos também (contratar mais funcionários. comprar mais materiais. Um aumento na produção não resulta diretamente em um aumento de produtividade. A construção civil é por natureza uma atividade que envolve muitos custos. A importância do Engenheiro Civil se destaca. às vezes o efeito pode ser contrário. 18 . pois está altamente preparado para atuar solucionando problemas causados por diversos fatores.

2007. TILDES. Acesso em 24 mar. ADVANTAGE.ecivilnet. SOBIOLOGIA. 19 . 12 mai. Ciclo da água e recursos hídricos. 2000.com. Acesso em 24 mar.fei. Produtividade na Construção Civil. em CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI. 2013.php/construcao-civil>. Paulo. Disponível em: <http://www. Out.portaltimonfm.edu.php>. Márcio Lenin. 2013. 2013. 2013. 2013. Disponível em: <http://www. 2013. Construção Civil.wordpress.htm>.br/>. Acesso em 24 mar.br/setec/arquivos/pdf/constciv. 2011. AZEVEDO. Disponível em: <http://www. Produtividade na Construção Civil.com/artigos/produtividade_na_construcao_civil. Pedro. 2013. VILELA CONTRUÇÕES.REFERÊNCIAS ANA. Disponível em <http://geographicae. 2013. GEOVANE.gov. Disponível em <http://portal. em: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. 2010.com. AZEVEDO.br/aplicacoes. 2013. Formatação das Normas ABNT. 2012.mec.php>. Acesso em 24 mar.com/artigos/apropriacao_de_custos.com. Desgaste efetuado pelas águas ameaça ponte da amizade.htm>.aspx>. Acesso em 24 mar. Disponível <http://formatacaoabnt.com.br/portal/index. Acesso em 24 mar.ficaco.br/desgaste-efetuadopelas-aguas-ameaca-ponte-da-amizade/>. 2012.ecivilnet.com. Disponível <http://www.com/2007/05/12/ciclo-da-agua-e-recursos-hidricos/>.sobiologia.blogspot. 2013. Aplicações. Acesso em 24 mar. Disponível em: <http://portal. Disponível em <http://www. Acesso em 24 mar. Márcio Lenin.br/ptBR/ensino/graduacao/engenharia_civil/Paginas/default. 27 nov.pdf>. Disponível em: <http://vilelaconstrucoes. Acesso em 24 mar. Acesso em 24 mar. Engenharia Civil. Educação Profissional. Saneamento Básico.br/conteudos/Agua/saneamento.

ecivilnet. A banalização da recuperação estrutural! Estão "maquiando" nossas estruturas.html>. Disponível em <http://www.gov. PR.htm> 20 .BNDES.bndes. Disponível em <http://www. Acesso em 24 mar.com/artigos/recuperacao_estrutural.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Sala_de_Imprens a/Noticias/2012/todas/20120710_saneamento. Leonardo. ZAPLA. BA e CE recebem R$ 415 milhões do BNDES. 2013. Projetos de água e esgoto do RS.