You are on page 1of 22

Fisioterapia e Enfermagem

INTRODUÇÃO AO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE
OBJETIVOS: Descrever a importância da concentração do íon hidrogênio nos líquidos do
organismo. Analisar os principais mecanismos de regulação da concentração do íon
hidrogênio para a preservação das funções celulares.
CONCEITOS GERAIS
A regulação dos líquidos do organismo compreende a manutenção de concentrações adequadas
de água e eletrólitos e a preservação da concentração de íons hidrogênio dentro de uma faixa
estreita, adequada ao melhor funcionamento celular.

A manutenção da quantidade ideal de íons hidrogênio nos líquidos intracelular e extracelular
depende de um delicado equilíbrio químico entre os ácidos e as bases existentes no organismo,
denominado equilíbrio ácido-base.

Quando a concentração dos íons hidrogênio se eleva ou se reduz, alteram-se a permeabilidade
das membranas e as funções enzimáticas celulares; em consequência, deterioram-se as funções
de diversos órgãos e sistemas.

Os pacientes com disfunção de órgãos frequentemente apresentam alterações no equilíbrio ácidobase. Nos pacientes graves, especialmente os que necessitam de terapia intensiva, aquelas
alterações são mais manifestas e, não raro, assumem a primazia do quadro clínico. O diagnóstico
e o tratamento dos desvios do equilíbrio ácido-base, geralmente, resultam em reversão do quadro
geral do paciente e garantem a sua sobrevida.

A frequente determinação dos parâmetros que avaliam o equilíbrio ácido-base do organismo é
parte importante da monitorização do paciente grave, em qualquer protocolo de terapia intensiva.
Um grande número de doenças ou condições podem ser melhoradas ou curadas, se o paciente
puder ser mantido vivo por um tempo mais prolongado.

Determinados procedimentos terapêuticos ou de suporte vital, como a ventilação mecânica e o uso
intensivo de diuréticos, podem produzir alterações do equilíbrio ácido-base, o que reforça a
necessidade da sua monitorização criteriosa e da detecção precoce das suas alterações.
METABOLISMO
A função normal das células do organismo depende de uma série de processos bioquímicos e
enzimáticos do metabolismo celular. Diversos fatores devem ser mantidos dentro de estreitos
limites, para preservar a função celular, como a osmolaridade, os eletrólitos, os nutrientes, a
temperatura,
o
oxigênio,
o
dióxido
de
carbono
e
o
íon
hidrogênio.
Um dos fatores mais importantes para o metabolismo celular é a quantidade de hidrogênio livre
existente dentro e fora das células. As variações da concentração do hidrogênio podem produzir
grandes
alterações
na
velocidade
das
reações
químicas
celulares.
O metabolismo é o conjunto das transformações de matéria e energia que ocorrem nos sistemas
biológicos. Como resultado do metabolismo, as células preservam a capacidade de reproduzir,
crescer, contrair, secretar e absorver. As transformações da matéria são produto das reações
químicas que ocorrem no organismo e se acompanham da produção ou consumo de energia.
Bioquímica Básica 1
Profa. Edvana Ferreira

Fisioterapia e Enfermagem
Existem quatro grandes formas de energia nos organismos vivos: as energias química, mecânica,
elétrica e térmica. A energia química pode ser transformada em energia mecânica, elétrica e
térmica; entretanto, essas transformações são irreversíveis. Isto significa que as energias
mecânica, elétrica ou térmica não podem ser transformadas em energia química. Portanto, a
energia química resultante do metabolismo é a única fonte da energia utilizada pelo organismo,
para a manutenção da vida e para as suas diversas atividades.
EFEITOS DO ÍON HIDROGÊNIO NO ORGANISMO
A unidade de medida da concentração dos íons hidrogênio nos líquidos do organismo é
denominada pH. A redução do pH é denominada acidose, enquanto o seu aumento é chamado de
alcalose. Ambos, acidose e alcalose, são consequências de alterações da concentração do íon
hidrogênio no organismo. A ocorrência de acidose ou de alcalose reduz a eficiência de uma série
de reações químicas celulares, das quais depende a função dos órgãos e sistemas.
O metabolismo intracelular exige uma faixa estreita da concentração de íon hidrogênio (pH), para
que os processos enzimáticos e bioquímicos possam ocorrer eficiente e apropriadamente.
Os ácidos e as bases afetam o comportamento químico da água; alterações na concentração de
ácidos ou bases, em consequência, interferem nas reações químicas que ocorrem nas soluções do
organismo, nas quais a água é o solvente universal.
Os íons hidrogênio são partículas extremamente móveis; as alterações da sua concentração
afetam a distribuição celular de outros íons, como sódio, potássio e cloretos e modificam a
atividade das proteinas, em especial das enzimas.
Diversas atividades fisiológicas são afetadas pela concentração dos íons hidrogênio. Variações do
pH podem produzir alterações significativas no funcionamento do organismo, tais como:






Aumento da resistência vascular pulmonar;
Redução da resistência vascular sistêmica;
Alterações da atividade elétrica do miocárdio;
Alterações da contratilidade do miocárdio;
Alterações da atividade elétrica do sistema nervoso central;
Alterações da afinidade da hemoglobina pelo oxigênio;
Modificação da resposta a certos agentes químicos, endógenos e exógenos, como por
exemplo, hormônios e drogas vasoativas.

Desvios importantes do pH, especialmente se ocorrem em curtos intervalos, são mal tolerados e
podem ameaçar a vida. Os pacientes que permanecem em acidose severa e prolongada,
geralmente morrem em estado de coma; os pacientes que permanecem em alcalose severa e
prolongada, geralmente morrem por convulsões ou lesões neurológicas irreversíveis.
A concentração do hidrogênio livre no organismo depende da ação de substâncias que disputam o
hidrogênio entre sí. Essas substâncias são as que cedem hidrogênio e as que captam o
hidrogênio. As substâncias que podem ceder hidrogênio em uma solução, são chamadas de
ácidos, enquanto as substâncias que podem captar o hidrogênio nas soluções, são as bases. A
concentração final do hidrogênio livre nos líquidos orgânicos, resulta do equilíbrio entre aqueles
dois grupos de substâncias, ácidos e bases.
Na presença de oxigênio (metabolismo aeróbico), o principal produto final do metabolismo celular é
o ácido carbônico, prontamente eliminado nos pulmões, durante os processos de ventilação
pulmonar. Na ausência ou na insuficiência de oxigênio (metabolismo anaeróbico) os principais
produtos finais do metabolismo são ácidos não voláteis, principalmente o ácido lático, cuja
eliminação é mais lenta e requer metabolização adicional no fígado para excreção pelos rins.
Bioquímica Básica 2
Profa. Edvana Ferreira

O lactato em excesso.Fisioterapia e Enfermagem ÁCIDOS DO ORGANISMO O metabolismo celular produz ácidos. é mais lento. enquanto o excesso da água é eliminada pela urina. em condições normais. principalmente. para ser completamente eficaz. dentro de certos limites. Quando a concentração dos íons hidrogênio no sangue se eleva. para manter estável o número de bases do organismo ou. Depende também dos pulmões. com os quais formam "pares" ou "duplas" de substâncias denominadas "tampão". O principal ácido do organismo é o ácido carbônico. o metabolismo das proteinas também produz alguns ácidos inorgânicos. em consequência. Quando a concentração do CO2 está baixa. Edvana Ferreira . apesar de bastante eficiente. produzido à partir do metabolismo celular pela combinação do dióxido de carbono com a água. Bioquímica Básica 3 Profa. REGULAÇÃO DOS ÁCIDOS E BASES DO ORGANISMO A manutenção do pH dos líquidos orgânicos dos tecidos. As bases do organismo não atuam livremente mas em associação com ácidos da mesma natureza química. é metabolizado no fígado. o mesmo fenômeno ocorre. cuja finalidade é impedir variações bruscas do pH. os tecidos passam a produzir ácido lático. pode produzir ou agravar as alterações do equilíbrio ácido-base do organismo. o centro respiratório reduz a frequência respiratória. como produto metabólico final. O dióxido de carbono é transportado pelo sangue e eliminado pelos pulmões. como acontece com os diabéticos. eliminar os íons bicarbonato. principalmente no sangue. Os demais ácidos do organismo são fixos. O mecanismo de neutralização química no líquido extracelular é imediato. o ácido lático e os ceto-ácidos. numerosas proteinas e a hemoglobina. que eliminam o ácido carbônico produzido pelo metabolismo celular e dos rins que promovem a eliminação de íons hidrogênio e bicarbonato. nas quais o produto final são cetoácidos. tardando horas ou dias. o centro respiratório é estimulado e emite impulsos que aumentam a frequência e a profundidade das respirações (hiperpnéia). para aumentar a eliminação do CO2 pelos pulmões e. a neutralização através da eliminação respiratória é rápida. que tornam a urina alcalina. As demais bases são os fosfatos. sendo eficaz em 1 a 15 minutos. retendo os cloretos e outros radicais alcalinos. pelo cérebro e pela contração dos músculos estriados. a ceto-acidose resultante é chamada de ceto-acidose diabética. Quando a oxigenação dos tecidos é inadequada (hipóxia). os ácidos alimentares. A disfunção de qualquer desses sistemas de regulação. principalmente. diminuir a quantidade de ácido carbônico no sangue. Quando a ingestão de alimentos é insuficiente para a oferta de glicose. O ácido lático. quando necessário. O mecanismo respiratório funciona com a intermediação do centro respiratório do cérebro. em eliminar íons hidrogênio em troca por outros cátions. ao invés de produzir o ácido carbônico. Se a glicose não pode ser utilizada devido à falta de insulina. permanecem em estado líquido e são. é produzido. as chamadas vias alternativas. que são liberados continuamente na corrente sanguínea e que precisam ser neutralizados. ou seja. Essa regulação depende da participação de um conjunto de pares de substâncias chamadas sistemas tampão. o metabolismo passa a produzir energia utilizando vias químicas que não dependem do oxigênio e. que existem nos líquidos intracelular e extracelular. um ácido instável. o organismo lança mão de outras vias de metabolização. para favorecer a normalização do CO2. exige a regulação da quantidade de ácidos e das bases livres nos compartimentos intra e extracelular. em pequena quantidade pelas hemácias. enquanto o mecanismo de regulação renal. para impedir as variações do pH. dentro da faixa compatível com o funcionamento celular ótimo. BASES DO ORGANISMO A principal base do organismo é o bicarbonato. que tem a propriedade de se transformar facilmente em dióxido de carbono e água. O mecanismo renal consiste.

no meio líquido que as cerca (líquido intersticial) e no sangue (líquido intravascular). estão dissociados uns dos outros. Os cátions são os íons com carga elétrica positiva. como os ácidos fortes. O soro fisiológico. constituida pelos íons Cl. a porção da substância que existe no estado ionizado é chamada íon. A manutenção da concentração dos íons hidrogênio dentro da faixa ótima para o metabolismo celular. continuamente. o composto principal. as demais substâncias em solução. Definir acidose e alcalose. é uma solução de água (solvente) contendo o cloreto de sódio (soluto). Existem substâncias. os solutos existem em ambas as formas. Descrever os mecanismos de regulação do pH.(cloro) e Na+ (sódio). as bases fortes e os sais. Nos líquidos do organismo. simplesmente representa um próton. CONCEITO DE ÁCIDO E BASE Os elementos importantes para a função celular estão dissolvidos nos líquidos intra e extracelular. da eliminação de íons hidrogênio pelos rins e da ação dos sistemas tampão intra e extracelulares. portanto.Fisioterapia e Enfermagem CONCEITOS DE ÁCIDO. em solução. constituem os solutos. quando em solução. Uma base é uma substância que. Analisar a concentração dos íons hidrogênio nos líquidos do organismo e a determinação do pH. por exemplo. BASE E pH OBJETIVOS: Descrever o conceito de ácidos e bases. as bases são substâncias que. como o hidrogênio (H+) e o sódio (Na+). e um ou mais solutos. os ácidos são substâncias que. Em outras palavras. um hidrogênio ligado ionicamente. um soluto pode estar no estado ionizado ou no estado não ionizado. Nos líquidos do organismo a água é o solvente universal. ambas as partes estão em equilíbrio químico. Em uma solução. como o hidróxido ou hidroxila (OH-) e o cloreto (Cl-). uma solução é um líquido formado pela mistura de duas ou mais substâncias. nos líquidos intracelular e extracelular e tendem a modificar a concentração dos íons hidrogênio. os elementos ou radiciais químicos que o compõem. como os ácidos e as bases fracas. Os ânions são os íons com carga elétrica negativa. Um ácido é uma substância que. quase completamente no estado ionizado. como NaCl (cloreto de sódio). depende da eliminação do ácido carbônico nos pulmões. Uma parte do cloreto de sódio está no estado dissociado ou ionizado. Para ser um ácido. CONCEITOS GERAIS O metabolismo celular produz ácidos que são lançados. Os íons combinam-se entre si conforme a sua carga elétrica. em solução. porque uma grande parte das Bioquímica Básica 4 Profa. A água tem sempre um pequeno número de moléculas no estado ionizado. permanecem em solução em graus diversos de ionização. tem capacidade de ceder íons hidrogênio. Um ácido forte pode doar muitos íons hidrogênio para a solução. consiste de um solvente. é capaz de receber prótons. Sob o ponto de vista químico. quando em solução. O hidrogênio ionizado. Outras substâncias. Edvana Ferreira . homogeneamente dispersas entre sí. ao contrário. A solução. enquanto uma outra parte está no estado não dissociado. O modo como o organismo regula a concentração dos íons hidrogênio (H+) é de fundamental importância para a compreensão e a avaliação das alterações do equilíbrio entre os ácidos e as bases no interior das células. é necessário que a molécula da substância tenha. é capaz de doar prótons (H+). A mistura homogênea apresenta as mesmas propriedades em qualquer ponto do seu interior e não existe uma superfície de separação entre os seus componentes. que permanecem em solução. Quando um soluto está ionizado. em um tipo especial de equilíbrio químico. pelo menos. tem capacidade de captar íons hidrogênio.

Ao contrário. há 10. bem como são pequenas as quantidades de íons H+ e OH-. Figura 2 ilustra a dissociação da água e as diversas formas de expressar a concentração dos íons hidrogênio dissociados.000.000 ou seja 0. Edvana Ferreira . sejam expressos com números positivos. portanto. é de 1/10. foi criada a denominação pH. Um ácido forte. em solução. Do mesmo modo.000. da atividade do íon hidrogênio. uma base forte pode captar muitos íons hidrogênio de uma solução. CONCEITO DE pH A atividade dos íons hidrogênio em uma solução qualquer. permitirá que apenas uma pequena parte dos íons fique livre. Bioquímica Básica 5 Profa. A água se dissocia em pequena quantidade em íons hidrogênio (H+) e hidroxila (OH-). Como as quantidades dos íons nas soluções se equivalem. Esta forma de representação permite que os valores da atividade do hidrogênio nas soluções. por aceitar muitos prótons ou íons hidrogênio da solução. representa o inverso da sua concentração de íons hidrogênio.0000001 é expresso como 10-7. portanto. Assim. A quantidade de moléculas dissociadas ou ionizadas na água é muito pequena. a água tem partes iguais do cátion (H+) e do ânion (OH-). Para cada 1 molécula de água dissociada em H+ e OH-. portanto. foi adotada a fração exponencial. em comparação à água. Para a avaliação do hidrogênio livre nas soluções.0000001.Fisioterapia e Enfermagem suas moléculas se encontra no estado dissociado (estado iônico). o inverso do logarítmo. para expressar o grau de acidez ou de alcalinidade das demais substâncias. portanto será inferior ao da água. usa-se a unidade chamada pH. Isto equivale a dizer que a água não é ácido nem base e serve de comparação para as demais soluções. ou seja. conforme representado na figura 2. será superior ao pH da água. A água é considerada um líquido neutro por ser o que menos se dissocia ou ioniza.000 de moléculas não dissociadas. depende da quantidade de hidrogênio livre na solução. que representa o logarítmo negativo. O pH de uma solução. em solução. A água é a substância padrão usada como referência. a concentração de (H+) é de 10-7 e a concentração de (OH-) também é de 10-7. O pH da base forte. muito maior que a água. pela fração exponencial o valor de 0. H2O Û H+ (10-7) + OH. O termo pH significa potência de hidrogênio e foi criado para simplificar a medida da concentração de íons hidrogênio (H+) na água e nas soluções. tem o pH=7. ao invés da fração decimal. chamada "potência sete do hidrogênio".(10-7) A água é considerada uma substância neutra. Para facilitar a comparação dessas pequenas quantidades de íons. ou seja. uma base forte. em relação ao total de moléculas. portanto. A concentração do H+ na água. A água. e significa a sua concentração na água. O seu pH. Para evitar a utilização de frações exponenciais negativas. libera uma quantidade de íons hidrogênio (H+).

para. REGULAÇÃO DO pH NO ORGANISMO Quando se adiciona ácido à água. a sua concentração de hidrogênio livre ou ionizado é utilizada como valor de comparação para as demais soluções. até que se produzam alterações do pH. de ação rápida. Quanto maior a concentração de hidrogênio livre em uma solução. as que tem o pH entre 7 e 14 são denominadas básicas ou alcalinas. Isto significa que o plasma dispõe de mecanismos de defesa contra variações bruscas ou significativas do pH. chamadas sistemas "tampão". As soluções cujo pH está entre 0 e 7 são denominadas ácidas. conforme as necessidades. tanto mais baixo será o seu pH. Os líquidos orgânicos são constituidos de água contendo uma grande quantidade de solutos de diversas características químicas e iônicas. capazes de neutralizar ácidos e bases em excesso.45. Representa os três mecanismos que regulam o equilíbrio ácido-base do organismo. o sangue normal tem o pH levemente alcalino. moderando o teor de ácido carbônico. dificultando as oscilações do pH. O sangue arterial é o padrão habitual para avaliação do pH. promove a poupança ou a eliminação do íon bicarbonato. o plasma resiste às alterações do pH. Figura 3. O mecanismo químico é representado pelos sistemas tampão. O mecanismo respiratório. mesmo em pequenas quantidades. O balanço entre os ácidos e as bases no organismo se caracteriza pela busca permanente do equilíbrio. conforme as necessidades. considerada um líquido neutro é 7. assegurar a manutenção do pH dentro dos limites normais. A solução orgânica padrão para a avaliação do pH é o sangue. capazes de reagir tanto com ácidos quanto com bases. Pequenas quantidades de ácido ou de base podem produzir grandes alterações do pH da água. seu valor se situa na porção mais Bioquímica Básica 6 Profa. veremos que há necessidade de uma quantidade muito maior de um ou de outro.35 a 7. Essa alcalinidade do sangue representa a atividade iônica de numerosas substâncias incluindo-se os sistemas tampão. portanto. Edvana Ferreira . à semelhança dos demais mecanismos. O mesmo fenômeno ocorre com a adição de bases. Se adicionarmos ácido ou base ao plasma sanguíneo. VALORES NORMAIS DO pH A água é o solvente universal dos líquidos orgânicos. O pH normal do sangue varia dentro da pequena faixa de 7. conforme demonstra a figura 3. Três mecanismos regulam o pH dos líquidos orgânicos. por meio de pares de substâncias.Fisioterapia e Enfermagem O pH é expresso por uma escala numérica simples que vai de 0 (zero) a 14. O mecanismo renal é de ação mais lenta e. o pH da solução se altera rapidamente. Em comparação com a água. fundamentalmente. Os mesmos mecanismos de defesa existem nos líquidos intracelular e intersticial. O ponto 7 da escala é o ponto de neutralidade e representa o pH da água. O pH normal da água. As soluções com pH inferior a 7 são consideradas ácidas e as soluções com pH superior a 7 são consideradas alcalinas. elimina ou retém o dióxido de carbono do sangue.

O mecanismo respiratório.45.9 nas células musculares e pode cair a 6.85. o pH habitual do líquido intracelular é mais baixo que o pH do plasma. As principais alterações do pH do sangue estão representadas na figura 4. SISTEMAS TAMPÃO Os tampões. Quando o pH do sangue está abaixo de 7. CONCEITOS GERAIS O organismo dispões de três importantes mecanismos reguladores do pH. de ação lenta e o mecanismo químico. existe alcalose. que podem reagir com ácidos ou com bases em excesso nos líquidos do organismo. ao se combinarem com os ácidos ou as bases que alcançam aqueles líquidos. o pH do sangue venoso se situa na faixa menos alcalina do pH normal. pH INTRACELULAR O interior das células reflete uma realidade metabólica diferente do plasma sanguíneo.40. Descrever a composição dos principais tampões do organismo.4 e 7. Em consequência. com a finalidade de preservar as condições ótimas para as funções celulares.45. ocorre a morte celular. se o pH do sangue é superior a 7. os valores de pH superiores a 7. recebido do líquido intersticial pelos capilares venosos. Edvana Ferreira . Representa a faixa do pH normal do sangue e as suas principais alterações. que atuam em sincronia. em geral. entre 7. Analisar a composição. o pH é de cerca de 7. O pH intracelular é de aproximadamente 6.Fisioterapia e Enfermagem alcalina da faixa normal. de ação imediata. podendo se alterar com as necessidades do organismo. Figura 4.3. em relação ao pH do sangue. Do mesmo modo. de acordo com a predominância de substâncias alcalinas. O sangue venoso tem maior concentração de hidrogênio livre. SISTEMAS "BUFFER" OU TAMPÃO OBJETIVOS: Descrever o sistema de defesa contra as variações importantes do pH dos líquidos do organismo. Em geral. denominação traduzida do original inglês "buffer" (amortecedor). são as substâncias que limitam as variações do pH do sangue e demais líquidos orgânicos. A atividade celular gera permanentemente subprodutos ácidos como resultado de numerosas reações químicas. Em consequência. o distúrbio é irreversível. Nas células dos túbulos renais. propriedades e mecanismo de ação dos sistemas tampão.35 e 7.4 após um exercício extenuante. o mecanismo renal. em geral as funções celulares se alteram de tal forma que sobrevém a morte celular. representado por pares de substâncias chamados sistemas "tampão".95 são incompatíveis com a normalidade da função celular. as células dos tecidos com maior atividade metabólica tem um pH levemente ácido. Quando a acidose é severa e o pH alcança valores abaixo de 6. O distúrbio é irreversível e. geralmente entre 7. nas alcaloses severas e persistentes. de ação rápida. As substâncias que constituem os tampões Bioquímica Básica 7 Profa.35 existe acidose.

Quando uma base invade o organismo. o ácido carbônico prontamente reage com ela. O processo intracelular é mais lento e pode demorar cerca de duas horas.14. verificamos que o pH da água passa de 7 para 1. Se gotejarmos continuamente ácido clorídrico em água durante um intervalo de 90 minutos. O ácido fraco e o sal do sistema tampão. em condições normais. formado com o sódio do bicarbonato e ácido carbônico. Bioquímica Básica 8 Profa. ou seja. O ácido fraco do sistema é o ácido carbônico e a base forte é o bicarbonato. O ácido carbônico diminui. O sistema tampão do bicarbonato e ácido carbônico corresponde a cerca de 64% do total de tampões. Edvana Ferreira . é neutralizado no sangue.Fisioterapia e Enfermagem agem aos pares ou. A diferença de comportamento diante da mistura com o ácido clorídrico reflete a atuação dos sistemas tampão do plasma do animal. formado com uma base forte. 1/3 é neutralizado no líquido intersticial e 1/3 no líquido intracelular. a mesma quantidade de ácido clorídrico a um cão no mesmo período de tempo. sob a forma de ácido carbônico. Composição do Sistema Percentual Bicarbonato/Ácido Carbônico 64% Hemoglobina/Oxihemoglobina 28% Proteinas ácidas/Proteinas básicas 7% Fosfato monoácido/Fosfato diácido 1% A Tabela da figura 5 (acima) lista os sistemas tampão que existem no sangue (líquido intravascular). Um sistema tampão é constituído por um ácido fraco e o seu sal. Os rins aumentam a eliminação de bicarbonato ao invés do íon hidrogênio. que o organismo tende a preservar. o bicarbonato do tampão prontamente reage com ele. existem em uma relação constante. se dissocia em CO2 e água. Essa reação diminui a quantidade de bases e altera a relação entre o bicarbonato e o ácido carbônico. Se administrarmos proporcionalmente. em partes aproximadamente iguais. constituindo um sistema protetor.44 para 7. Quando um ácido é adicionado ao sangue. Figura 6. reduzindo a quantidade de bicarbonato no organismo. Quando um ácido se acumula em maior quantidade no organismo. Composição do principal sistema tampão do organismo. verificamos que o pH do sangue do animal passa de 7. em grupos. 1/3 do ácido é neutralizado no sangue. conforme representado na figura. menos comumente. o CO2 é eliminado nos pulmões. nos tecidos (líquido intersticial) e no interior das células (líquido intracelular). que impedem a variação mais acentuada do pH. porque o metabolismo celular gera muito ácido como produto final. no líquido intersticial e no interior das células. recompondo a relação de 20:1 do sistema protetor. O sistema tampão bicarbonato/ácido carbônico é o mais importante na regulação do pH.84. para preservar a relação do sistema tampão. para compensar uma alteração. a reação produz um sal. O ácido carbônico produzido pela reação do bicarbonato do tampão. produzindo bicarbonato e água. Esse sistema é essencial à regulação do equilíbrio ácido-base. A relação constante desse sistema tampão é de 20:1.

distribuidos em 15 litros de líquido extracelular. o bicarbonato/ácido carbônico. INTEGRAÇÃO DA DEFESA CONTRA VARIAÇÕES DO pH Os sistemas de defesa que mantém o pH dos líquidos orgânicos dentro de uma faixa estreita. sendo 3 litros de plasma e 12 litros de líquido intersticial. Quando o pH se afasta da faixa normal. do que resulta uma alta concentração de dióxido de carbono dissolvido e uma baixa concentração de ácido. O sistema tampão das proteinas é muito eficaz no interior das células. O ácido carbônico é um ácido bastante fraco e a sua dissociação em íons hidrogênio e íons bicarbonato é mínima. o centro respiratório é imediatamente estimulado. onde é o sistema mais abundante. OUTROS SISTEMAS TAMPÃO Além do principal sistema tampão. O sistema neutraliza o excesso de ácidos ou de bases e em seguida o organismo tenta recompor a relação normal do tampão. Edvana Ferreira . em comparação com outros ácidos. o organismo tolera a elevação dos íons hidrogênio 3 vezes acima do normal. em outras palavras. estão imediatamente disponíveis. Bioquímica Básica 9 Profa. tendem a retornar o pH aos seus valores normais. os rins eliminam urina ácida ou alcalina. O sistema tampão fosfato. para impedir alterações significativas da concentração dos íon hidrogênio ou. Nas acidoses. No líquido intracelular. atuam perfeitamente integrados em suas funções. o tampão do ácido carbônico consiste principalmente de bicarbonato de potássio e de magnésio.000 mEq. do pH. contribuindo para o retorno da concentração dos íons hidrogênio aos valores normais. cuja concentração de sódio é baixa. Em cada 1. As variações da eliminação do dióxido de carbono.Fisioterapia e Enfermagem Todos os sistemas tampão do organismo atuam da mesma forma que o sistema bicarbonato/ácido carbônico. O TAMPÃO BICARBONATO/ÁCIDO CARBÔNICO O sistema tampão constituido pelo bicarbonato e pelo ácido carbônico tem características especiais nos líquidos do organismo. A concentração do dióxido de carbono é regulada pela eliminação respiratória e a concentração do bicarbonato é regulada pela eliminação renal.000 moléculas de ácido carbônico. O sistema tampão do bicarbonato/ácido carbônico é muito poderoso porque os seus componentes podem ser facilmente regulados. outros sistemas são importantes na manutenção do equilíbrio ácido-base. até alcançar o pH incompatível com a vida. formado pelo fosfato de sódio e ácido fosfórico é eficaz no plasma. Nas alcaloses o organismo tolera a redução dos íons hidrogênio em cerca da metade do seu valor normal. Todos os líquidos do organismo possuem sistemas tampão. O bicarbonato total disponível no organismo é de aproximadamente 1. cerca de 999 estão em equilíbrio sob a forma de dióxido de carbono (CO2) e água (H2O). para alterar a frequência respiratória e modificar a eliminação do dióxido de carbono. no líquido intracelular e nos túbulos renais onde se concentra em grande quantidade. Se a concentração do íon hidrogênio aumenta ou diminui significativamente. dos quais cerca de 450 mEq. até alcançar o pH incompatível com a vida celular. O princípio fundamental da regulação do equilíbrio ácidobase é a manutenção da relação constante entre o numerador e o denominador do sistema tampão.

Por esta grande capacidade de eliminar o CO2 do sangue. Os sistemas tampão não são independentes entre sí. os sistemas tampão auxiliam-se uns aos outros. colabora com a função de transporte do CO2 e com o tampão bicarbonato. quando as funções respiratória e renal são adequadas. variando a quantidade de dióxido de carbono eliminada nos alvéolos. CONCEITOS GERAIS Os principais mecanismos reguladores do equilíbrio ácido-base do organismo são os sistemas tampão. mas interrelacionadas e coordenadas:    ventilação.Fisioterapia e Enfermagem O tampão hemoglobina é exclusivo das hemácias. podem ser tão intensos que os mecanismos de compensação tornam-se incapazes de manter o equilíbrio adequado. a produção de ácidos ou a retenção de bases no organismo. destinada a trocar gases com o ar atmosférico. Qualquer condição que modifique um dos sistemas também influirá no equilíbrio dos demais. ocorre a morte do indivíduo. mantém inalterada a concentração de íons hidrogênio dos líquidos orgânicos. para as trocas gasosas. de um lado existe o ar atmosférico e do outro lado o sangue venoso. Analisar a pressão parcial do dióxido de carbono e a eliminação pulmonar na regulação do pH do sangue. VENTILAÇÃO PULMONAR O pulmão humano possui cerca de 300 milhões de alvéolos. que consiste no processo pelo qual o sangue venoso alcança os capilares dos alvéolos. Esses mecanismos atuam em conjunto e. Através desta membrana. Os sistemas tampão e os mecanismos respiratórios são os principais reguladores do pH dos líquidos do organismo diante de alterações bruscas do equilíbrio entre os ácidos e as bases. a regulação respiratória e a regulação renal. Bioquímica Básica 10 Profa. ao mesmo tempo em que o dióxido de carbono (CO2) contido no sangue passa para o gas dos alvéolos. o pulmão é o mais importante regulador do equilíbrio ácido-básico do organismo. em geral. A função respiratória se processa mediante três atividades distintas. REGULAÇÃO RESPIRATÓRIA DO pH OBJETIVOS: Descrever a ventilação pulmonar. em circunstâncias normais. por uma membrana com enorme superfície em que. A alimentação e a atividade física produzem desvios do pH que são prontamente compensados. que consiste no processo através do qual o ar atmosférico alcança os alvéolos. o sistema regulador colapsa e o pH dos líquidos orgânicos se altera. A enorme superfície disponível para as trocas gasosas permite que em um minuto o organismo possa eliminar até 200 mL de dióxido de carbono (CO2). o processo pelo qual o oxigênio da mistura gasosa alveolar passa para o sangue. difusão. O mecanismo regulador respiratório pode manter o pH na faixa normal. ocorrem as trocas gasosas. Nessas condições. que equivalem a uma superfície de aproximadamente 70 metros quadrados. Descrever o mecanismo de ação do centro respiratório. mas cooperativos. assegurando as condições ideais para a função celular. para as trocas gasosas. Em determinados estados patológicos ou em certas alterações pulmonares ou renais. na realidade. Edvana Ferreira . O sistema respiratório pode ser representado simplificadamente. a produção e o transporte de dióxido de carbono para os alvéolos pulmonares. as funções celulares deterioram e quando a condição persiste. perfusão.

que torna a reação 5. produto da reação com a água das hemácias. com liberação de energia química e produção de dióxido de carbono e água. a sua pequena dissociação em íons e o equilíbrio sob a forma de CO2 dissolvido e água. para formar o ácido carbônico (H2CO3).Cerca de 5% do CO2 é transportado simplesmente dissolvido na água do plasma. catalizada pela enzima anidrase carbônica. Edvana Ferreira . A maior parte do ácido carbônico existe no sangue como CO2 dissolvido e água. Combinado à hemoglobina . As etapas terminais do metabolismo celular consistem na combustão da glicose e de outros metabólitos.Fisioterapia e Enfermagem PRODUÇÃO DO DIÓXIDO DE CARBONO (CO2) Figura 7. O íon hidrogênio resultante da reação é captado pela hemoglobina (sistema tampão das hemácias). conforme esquematizado na figura 7. mediante uma ligação química facilmente reversível. para transporte pelo sangue (carbamino hemoglobina).Os restantes 25% do CO2 ligam-se à hemoglobina em local diferente do que se liga o oxigênio. uma pequena parte se dissocia nos íons bicarbonato (HCO3-) e hidrogênio (H+). O dióxido de carbono (CO2) combina-se com a água (H2O).000 vezes mais rápida. O dióxido de carbono formado no organismo difunde-se para os líquidos intersticiais e destes para o sangue.Cerca de 75% do total de CO2 é transportado sob a forma de íon bicarbonato. Representa o dióxido de carbono produzido pelo metabolismo. em equilíbrio. ELIMINAÇÃO DO DIÓXIDO DE CARBONO Bioquímica Básica 11 Profa. sob três formas:    Gás dissolvido . Íon bicarbonato . O dióxido de carbono é transportado pelo sangue venoso para os capilares pulmonares.

portanto. É com base nessa relação que o sistema respiratório modifica o pH. A pressão parcial do dióxido de carbono é representada pelo símbolo PCO2. altera o pH para o lado alcalino. conforme representado na figura 8. MECANISMO DA AUTO-REGULAÇÃO DO pH Figura 9. Edvana Ferreira . reduz a quantidade de ácido carbônico. da sua eliminação pelos pulmões. A eliminação do CO2. Os gases tem um comportamento especial quando estão em solução. A quantidade de gás existente em uma solução é medida pela sua pressão parcial. A redução do CO2 do sangue. altera o pH para o lado ácido.Fisioterapia e Enfermagem Figura 8. a pressão ou a tensão exercida pelo gás na solução. elimina ácido e eleva o pH. Bioquímica Básica 12 Profa. muito volátil. O índice metabólico é o fator determinante da produção do CO2 e. A pressão parcial é proporcional à quantidade de gás existente na solução. A produção díária de dióxido de carbono é elevada e depende da atividade metabólica dos indivíduos. Mecanismo de regulação respiratória do pH. através da variação da eliminação do CO2. esta difusão rápidamente equilibra a pCO2 do sangue com a PCO2 do gas dos alvéolos pulmonares. a redução da quantidade (ou da tensão parcial) do dióxido de carbono no sangue. ao nível da membrana alvéolo-capilar. O aumento da quantidade de dióxido de carbono no sangue. Nos capilares alveolares. Por essa razão. ou seja. independente da presença de outros gases. Representa a eliminação do CO2. o dióxido de carbono do sangue venoso se difunde para o gas dos alvéolos. A difusão do CO2 para os alvéolos é comandada pela diferença de pressão parcial (PCO2) entre o sangue venoso e o gas alveolar. a quantidade de CO2 existente no sangue é medida pela sua pressão parcial.

eliminação de produtos terminais do metabolismo. que reduz a eliminação do CO2 tentando corrigir o pH do sangue. de íons hidrogênio (H+) e reabsorver 5. conforme as necessidades. como uréia. bicarbonato e fosfatos. Com o aumento da frequência respiratória. aumenta a eliminação do CO2 do sangue. A eliminação de bases e seus cátions é feita exclusivamente pelos rins. A regulação respiratória é de ação rápida. REGULAÇÃO RENAL DO pH OBJETIVOS: Descrever a função renal e o mecanismo de eliminação através da secreção tubular. que regula seus estímulos de acordo com ela. aos distúrbios da osmolaridade e eliminam ácidos fixos. os rins eliminam urina ácida ou alcalina. Os rins tem a capacidade de reabsorver o sódio (Na+) e o potássio (K+) filtrados para a urina. CONCEITOS GERAIS Os principais mecanismos reguladores do equilíbrio ácido-base do organismo são os sistemas tampão. hidrogênio. Quando a concentração de íons hidrogênio do sangue está elevada (pH baixo) o centro respiratório aumenta a frequência dos estímulos respiratórios. Os rins desempenham fundamentalmente duas funções no organismo: 1. o pH do sangue. controle das concentrações da água e de outros constituintes dos líquidos do organismo como sódio. O mecanismo renal de regulação faz variar a concentração de íons bicarbonato (HCO3-) do sangue. FUNÇÕES RENAIS Os rins podem excretar diariamente cerca de 50mEq. a regulação respiratória do pH. o centro respiratório diminui a frequência dos estímulos à respiração e ocorre bradipneia. contribuindo para a regulação da concentração dos íons hidrogênio dos líquidos orgânicos. à hipotensão. conforme demonstra o diagrama da figura 9. de íon bicarbonato (HCO3-). a redução dos níveis sanguíneos do CO2 eleva o pH. quando a concentração de íons hidrogênio (H+) está baixa (pH elevado). através do centro respiratório. os rins reagem à desidratação. Na realidade. Bioquímica Básica 13 Profa. em outras palavras. capaz de controlar a eliminação do dióxido de carbono e dessa forma. creatinina e ácido úrico e. Ao contrário. eliminando o íon hidrogênio (H+) em seu lugar. o estímulo que modifica a atividade respiratória vai desaparecendo. por estímulos do centro respiratório. Edvana Ferreira . moderar a quantidade de ácido carbônico e a concentração de hidrogênio livre no plasma sanguíneo. cloro. Quando a concentração de íons hidrogênio se afasta do normal. Apesar disso. a compensação respiratória é extremamente eficaz para impedir grandes oscilações do pH. torna-se efetiva após algumas horas e demora alguns dias para compensar as alterações existentes. potássio. Além de influir na restauração do equilíbrio ácido-base. Esta estrutura do sistema nervoso central se comporta como um "sensor" do pH do sangue. Analisar os mecanismos de eliminação do íon hidrogênio e de eliminação do íon bicarbonato na regulação tardia do pH. modifica a ventilação alveolar. A eliminação renal é de início mais lento. à medida que a concentração do íon hidrogênio se aproxima do normal.000 mEq. não normaliza o pH do sangue. A concentração de H+ no sangue é permanentemente acompanhada pelo centro respiratório. a regulação respiratória e a regulação renal.Fisioterapia e Enfermagem A concentração de íons hidrogênio do sangue ou. 2. mediante reações que se processam nos túbulos renais. Os rins eliminam material não volátil que os pulmões não tem capacidade de eliminar. porque. o sódio reabsorvido pode ser usado para produzir mais bicarbonato e reconstituir a reserva de bases do organismo. É o mecanismo definitivo de ajuste na maioria dos desequilíbrios ácido-básicos de origem metabólica. produzindo taquipneia.

cerca de 1. Secreção tubular . combina-se com a água. Edvana Ferreira . a secreção tubular. promovendo o aumento ou a diminuição da concentração dos íons bicarbonato (-HCO3). O dióxido de carbono do líquido extracelular penetra nas células tubulares e. chamado glomérulo e um conjunto de túbulos que recebem o filtrado dos glomérulos. REGULAÇÃO RENAL DO pH Os rins regulam a concentração de íon hidrogênio (H+). Os rins cumprem as suas funções no organismo através de 3 mecanismos principais:    Filtração gromerular . produzindo o bicarbonato de sódio. Reabsorção tubular . O líquido filtrado é chamado filtrado glomerular e corresponde a aproximadamente 180 litros por dia. é desempenhado pelas células dos túbulos renais. sendo misturado ao filtrado glomerular.400. que representa um concentrado do filtrado glomerular. que é devolvido ao líquido extracelular.Cerca de 99% do filtrado glomerular são reabsorvidos para o sangue. O restante. Figura 10. A formação do bicarbonato depende da produção e secreção de H+ pelas células tubulares e mantém a reserva de bases do organismo. conforme a reação: O hidrogênio assim formado é secretado para a luz do túbulo renal.000 néfrons nos dois rins. reabsorvem a sua maior parte e eliminam substâncias na sua luz para a formação da urina. A secreção tubular é fundamental à manutenção do equilíbrio ácido-base. Essa variação dos íons bicarbonato ocorre em consequência de reações nos túbulos renais. Existem cerca de 2.Fisioterapia e Enfermagem A unidade funcional dos rins é o néfron. nos líquidos do organismo. A figura 10 representa a atividade de uma célula Bioquímica Básica 14 Profa. Representa o mecanismo renal de retenção de bicarbonato e eliminação de íons hidrogênio (H+).8 L constitui a urina. O filtrado é transformado em urina à medida que atravessa os túbulos renais. às custas do mecanismo da secreção tubular. com o auxílio da anidrase carbônica.A secreção tubular atua em direção oposta à reabsorção tubular. As substâncias são transportadas do interior dos capilares sanguíneos para a luz dos túbulos para mistura com a urina e subsequente eliminação.O sangue que alcança os glomérulos é filtrado para os túbulos renais. As células dos túbulos renais absorvem sódio do filtrado glomerular e o combinam ao íon bicabonato. para formar ácido carbônico. Esse transporte ativo de substâncias. que se dissocia em íons bicarbonato e hidrogênio. Cada néfron é formado de um novelo de capilares para filtração do sangue.

Maiores quantidades de íons bicarbonato que de íons hidrogênio passam a penetrar nos túbulos. O pH normal do sangue. melhor que graus idênticos de acidose.Fisioterapia e Enfermagem tubular. Descrever os distúrbios de origem respiratória e os de origem metabólica.45. Quando a quantidade de bicarbonato no sangue está aumentada. A severidade dos distúrbios do equilíbrio ácido-base pode ser apreciada pelo grau de alteração do pH. do mesmo modo um pH muito elevado. existe alcalose. Isso aumenta a quantidade de bicarbonato do sistema tampão bicarbonato/ácido carbônico. especialmente quando a ventilação depende de respiradores mecânicos e nos que apresentam doença significativa pulmonar ou renal. existe acidose. diminui a secreção de íons hidrogênio. Quanto mais baixo o pH. Deste modo o íon bicarbonato é removido do líquido extracelular. situa-se entre 7. é maior e o pH está acima do normal. Conceituar acidose e alcalose. a sua proporção. os uratos e citratos. A perda de bicarbonato diminui a sua quantidade no sistema tampão bicarbonato/ácido carbônico o que desloca o pH dos líquidos do organismo na direção ácida. em relação aos íons hidrogênio secretados. Como os íons bicarbonato não podem ser reabsorvidos sem antes reagir com o hidrogênio. Os desvios do equilíbrio ácido-base refletem-se nas alterações do pH do sangue. A prática tem demonstrado que o organismo humano tolera um certo grau de alcalose. A urina eliminada contém maior quantidade de bicarbonatos e se torna alcalina. carregando com ele íons sódio e outros íons positivos. Quando o pH está abaixo do valor mínimo normal. de qualquer natureza. A concentração mais baixa de dióxido de carbono. a amônia. indica a presença de alcalose grave. em relação ao ácido carbônico. O resultado final da excessiva secreção de íons hidrogênio nos túbulos renais é o aumento da quantidade de bicarbonato de sódio no líquido extracelular. nos pacientes sob regime de terapia intensiva. mais severa é a acidose. principalmente o fosfato.35 e 7. para a formação de bicarbonato. O excesso de íon hidrogênio no filtrado tubular é neutralizado pelos tampões do líquido tubular. todo o íon bicarbonato em excesso passa à urina. devido à interferência com os mecanismos reguladores naturais. DESVIOS DO pH O pH é o indicador do estado ácido-base do organismo. DISTÚRBIOS DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE OBJETIVOS: Descrever as principais alterações do equilíbrio ácido-base. que mantém a normalidade do pH. Analisar os desvios do pH. em que haja comprometimento das funções metabólicas ou respiratórias. Bioquímica Básica 15 Profa. CONCEITOS GERAIS Os desvios da concentração de íons hidrogênio são ocorrências relativamente comuns nos pacientes graves. nas trocas de íons hidrogênio (H+) pelos íons sódio (Na+) do filtrado glomerular. São ainda comuns em pacientes com doenças sistêmicas severas. Se o pH está acima da faixa normal. Nestas circunstâncias. Edvana Ferreira . aumenta a filtração renal dos íon bicarbonato.

Classificação dos distúrbios do equilíbrio ácido-base. o valor mínimo do pH. Dessa forma. em consequência da ingestão acidental de grande quantidade de ácidos. as alterações podem ter origem respiratória ou metabólica. Em geral. nas alcaloses. portanto. como o ácido acetil-salicílico (aspirina) ou outros agentes de natureza ácida (causas exógenas). Edvana Ferreira . como o bicarbonato de sódio. na tentativa de impedir grandes desvios do pH. A redução dos ácidos no organismo pode ser consequência da eliminação excessiva do CO2 (causa endógena). Esses desvios correspondem. As variações da concentração dos íons hidrogênio no organismo podem ser de origem interna (endógena) ou externa (exógena). depende da remoção da sua causa primária. a quatro tipos de alterações. Demonstra também os limites de tolerância do organismo aos desvios do pH. CLASSIFICAÇÃO DOS DESVIOS DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE Figura 12. entretanto. Bioquímica Básica 16 Profa. Os distúrbios do equilíbrio ácido-base são classificados conforme os seus mecanismos de produção.95. da perda de ácidos fixos ou da administração excessiva de bases.Fisioterapia e Enfermagem Figura 11. Nestas circunstâncias os desvios podem ser parcialmente compensados. Representa o pH na acidose e na alcalose. por exemplo (causa exógena). O acúmulo de ácidos no organismo pode ser consequência da retenção do CO2 no sangue por dificuldade de eliminação nos alvéolos pulmonares. o organismo intensifica a atuação dos mecanismos de compensação. A compensação completa do desvio. tolerado pelo organismo é de aproximadamente 7. Pode também ocorrer. pode ocorrer em consequência do aumento da produção de ácido lático e por incapacidade de eliminação de ácidos fixos pelos rins (causas endógenas). conforme o seu mecanismo de produção. compatível com a vida nas acidoses é de 6. em geral se acompanham de alterações profundas da função dos órgãos vitais e podem determinar a morte do indivíduo. relacionadas na figura 12. Sempre que há tendência a desvios do equilíbrio ácido-base. Desvios extremos do equilíbrio ácido-base. o valor máximo de pH. conforme representado na figura 11.85.

com consequente redução do pH. caracterizando a alcalose de origem respiratória. o pH. Edvana Ferreira . Conforme o mecanismo de produção. medido no sangue arterial. A retenção do CO2 no sangue que atravessa os capilares pulmonares. no sangue. são encontradas na prática clínica. Os desvios do tipo metabólico não sofrem interferência respiratória na sua produção. em geral. como distúrbio primário do equilíbrio ácido-base. como o ácido lático. são encontradas na prática clínica. A alcalose respiratória ocorre em consequência do aumento da eliminação de dióxido de carbono nos alvéolos pulmonares. As alcaloses como alterações primárias do equilíbrio ácido-base. Bioquímica Básica 17 Profa.35. alcalose respiratória e alcalose metabólica. com menos frequência que as acidoses. A alcalose metabólica ocorre em consequência do aumento da quantidade de bases no sangue. nos líquidos do organismo está reduzida. parcialmente compensados e melhor tolerados. O pH do sangue se eleva. caracterizando a acidose de origem respiratória. A acidose metabólica ocorre em consequência do aumento da quantidade de ácidos fixos. Em consequência. está abaixo de 7. O pH do sangue se reduz. devido à redução de íons hidrogênio livres.Fisioterapia e Enfermagem Os desvios do tipo respiratório devem-se à alterações da eliminação do dióxido de carbono. As acidoses. A eliminação excessiva do CO2 do sangue que atravessa os capilares pulmonares. corpos cetônicos ou outros. produz redução da quantidade de ácido carbônico no sangue. Conforme a duração. mais frequentemente que as alcaloses. ALCALOSES Ocorre alcalose quando a concentração de íons hidrogênio livres. produz aumento da quantidade de ácido carbônico no sangue. Os distúrbios crônicos. devido ao acúmulo de íons hidrogênio livres. as alcaloses podem ser de dois tipos. em consequência. ACIDOSES Ocorre acidose quando a concentração de íons hidrogênio livres nos líquidos do organismo está elevada. o pH medido no sangue arterial está acima de 7. não há interferência respiratória na produção do distúrbio. Os distúrbios crônicos costumam ser de intensidade mais leve. não há interferência respiratória na produção do distúrbio. A acidose respiratória ocorre em consequência da redução da eliminação do dióxido de carbono nos alvéolos pulmonares. não voláteis. com consequente elevação do pH.45. acompanham doenças crônicas do sistema respiratório ou dos rins. os desvios do equilíbrio ácido-base podem ser agudos ou crônicos. As acidoses podem ser de dois tipos: acidose respiratória e acidose metabólica. como o íon bicarbonato.

Edvana Ferreira .Fisioterapia e Enfermagem Bioquímica Básica 18 Profa.

potássio e cloretos e modificam a atividade das proteinas. enquanto o mecanismo de regulação renal. Questões 1. constituem os solutos. Nos líquidos do organismo a água é o solvente universal. como sódio. 2. 4. a neutralização através da eliminação respiratória é rápida. em especial das enzimas. 2. Os íons combinam entre sí. as demais substâncias em solução. elétrica e térmica. 10. O metabolismo é o conjunto das transformações de matéria e energia que ocorrem nos sistemas biológicos.Fisioterapia e Enfermagem EXERCÍCIOS . A quantidade ideal de íons hidrogênio nos líquidos intracelular e extracelular depende de um delicado equilíbrio químico entre os ácidos e as bases existentes no organismo. 6. 9. 5. enquanto o seu aumento é chamado de acidose. Bioquímica Básica 19 Profa. os principais produtos finais do metabolismo são ácidos não voláteis. Existem três grandes formas de energia nos organismos vivos: as energias mecânica. produzido à partir do metabolismo celular pela combinação do dióxido de carbono com a água. A manutenção do pH dos líquidos orgânicos dentro da faixa compatível com o funcionamento celular ótimo. principalmente no sangue. O mecanismo de neutralização química no líquido extracelular é imediato. Os íons hidrogênio são partículas extremamente móveis. 8. as alterações da sua concentração afetam a distribuição celular de outros íons. As variações do pH dos líquidos orgânicos podem produzir alterações significativas no funcionamento do organismo. Na presença de oxigênio (metabolismo aeróbico). A forma como o organismo regula a concentração dos íons hidrogênio (H+) é de fundamental importância para a compreensão e a avaliação das alterações do equilíbrio entre os ácidos e as bases no interior das células (líquido intracelular). 3. no meio líquido que as cerca (líquido intersticial) e no sangue (líquido intravascular). A redução do pH é denominada alcalose. Essa regulação é independente da participação de um conjunto de pares de substâncias chamadas sistemas tampão. exige a regulação da quantidade de ácidos e bases livres nos compartimentos intra e extracelular. que existem nos líquidos intracelular e extracelular. apesar de bastante eficiente. A principal base do organismo é o bicarbonato. denominado equilíbrio ácido-base. 3. Edvana Ferreira . conforme a sua carga elétrica. sendo eficaz em 1 a 15 minutos. 7.EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE Verifique se as alternativas são verdadeiras ou falsas Questões – 1. é mais lento. especialmente o ácido lático.

3. 6. 2. 9. O ácido fraco e o sal do sistema tampão. porque uma grande parte das suas moléculas se encontra no estado dissociado (estado iônico). quase completamente no estado ionizado.Fisioterapia e Enfermagem 4. o bicarbonato se associa a ela. Edvana Ferreira . existem em uma relação constante. é capaz de receber prótons. 5. em condições normais. simplesmente representa um cátion. O hidrogênio ionizado. Um sistema tampão é constituído por um ácido fraco e o seu sal. em solução. 9. produzindo bicarbonato e água. 10. é capaz de doar prótons (H+). 10. O sistema tampão fosfato é eficaz no plasma. 8. Um ácido é uma substância que. Existem substâncias. Questões Bioquímica Básica 20 Profa. 5. o ácido carbônico prontamente reage com ela. até alcançar o pH incompatível com a vida celular. o bicarbonato do tampão reage com ele. 4. formado com uma base forte. O termo pH significa potência de hidrogênio e foi criado para simplificar a medida da concentração de íons hidrogênio (H+) na água e nas soluções. as bases fracas e os sais. Quando uma base invade o organismo. 8. a concentração do dióxido de carbono é regulada pela eliminação respiratória e a concentração do bicarbonato é regulada pela eliminação renal. como os ácidos fortes. No sistema tampão do bicarbonato/ácido carbônico. Os sistemas tampão são completamente independentes uns dos outros. Quando um ácido é adicionado ao sangue. 7. O sistema tampão das proteinas é muito eficaz no interior das células. no líquido intracelular e nos túbulos renais. Uma base é uma substância que. Um ácido forte pode doar muitos íons hidrogênio para a solução. Isto equivale a dizer que a água tanto é um ácido quanto é uma base e serve de comparação para as demais soluções. Questões 1. Quando uma base invade o organismo. que o organismo jamais tende a preservar. que permanecem em solução. 7. em solução. A água é considerada uma substância neutra. Nas acidoses o organismo tolera a redução dos íons hidrogênio em cerca da metade do seu valor. onde é o sistema mais abundante. 6.

9. O índice metabólico é o fator determinante da produção do CO2 e. de um lado existe o ar atmosférico e do outro lado existe o sangue venoso. Essas alterações podem produzir a morte celular. portanto. 8. 5. chamado glomérulo e um conjunto de túbulos que recebem o filtrado dos glomérulos. O mecanismo renal de regulação do equilíbrio ácido-base faz variar a concentração de íon bicarbonato do sangue. em relação ao pH do sangue. O restante. Os valores de pH superiores a 7.45.40 e 7. tem um pH levemente ácido. Bioquímica Básica 21 Profa. a unidade funcional dos rins é o néfron. A eliminação renal é de início muito mais rápido. 10. Edvana Ferreira . reabsorvem a sua maior parte e eliminam substâncias na sua luz para a formação da urina.45 existe alcalose. mesmo quando as funções respiratória e renal não estão adequadas. 4. 7. O sangue arterial é o padrão habitual para avaliação do pH. 2. da sua eliminação pelos pulmões. 6.terações existentes. 6.95 são incompatíveis coma normalidade da função celular. cerca de 1. eliminando o íon bicarbonato em seu lugar. Quando o pH do sangue está acima de 7. 5. Os principais mecanismos reguladores do equilíbrio ácido-base do organismo são os sistemas tampão. As células dos tecidos com grande atividade metabólica. a regulação respiratória e a regulação renal. torna-se efetiva após algumas horas e demora alguns dias para compensar as al. íon bicarbonato e combinado à hemoglobina.35 existe acidose. sob três formas: gás dissolvido. 3. O pH do líquido intracelular é mais baixo que o pH do plasma.8 litros constitui a urina. 2. que representa um concentrado do filtrado glomerular. 4. Questões 1. Os rins tem a capacidade de reabsorver o sódio (Na+) e o potássio (K+) filtrados para a urina. Cada néfron é formado de um novelo de capilares para filtração do sangue.Fisioterapia e Enfermagem 1. A alimentação e a atividade física produzem desvios do pH que são prontamente compensados. Cerca de 99% do filtrado glomerular são reabsorvidos para o sangue. Os rins eliminam material não volátil que os pulmões não podem eliminar. O dióxido de carbono é transportado pelo sangue venoso para os capilares pulmonares. Seu valor normal oscila entre 7. Através desta membrana ocorrem as trocas químicas. mediante reações que se processam nos túbulos renais. 3. se o pH é inferior a 7. O sistema respiratório pode ser representado por uma membrana com enorme superfície em que.

A acidose metabólica ocorre em consequência do aumento da quantidade de ácidos fixos. em geral se acompanham de alterações profundas da função dos órgãos vitais e podem determinar a morte do indivíduo. 4. como o ácido lático. Bioquímica Básica 22 Profa. A alcalose metabólica ocorre em consequência do aumento da quantidade de bases no sangue. A prática tem demonstrado que o organismo humano tolera um certo grau de acidose. Questões 1. A perda de bicarbonato diminui a sua quantidade no sistema tampão bicarbonato/ácido carbônico o que desloca o pH dos líquidos do organismo na direção ácida. Edvana Ferreira . em consequência.45. sendo misturado ao filtrado glomerular. a amônia. Os rins regulam a concentração de íon hidrogênio (H+). está abaixo de 7. O íon hidrogênio formado pela dissociação do ácido carbônico nas células tubulares é secretado para a luz dos túbulos renais. os uratos e citratos. 10. 9. Ocorre acidose quando a concentração de íons hidrogênio livres nos líquidos do organismo está elevada. situa-se entre 7. 10. 8. O pH normal do sangue.35. Na alcalose respiratória há eliminação excessiva do CO2 do sangue que atravessa os capilares pulmonares e redução da quantidade de ácido carbônico no sangue. 9.35 e 7. promovendo o aumento ou a diminuição da concentração dos íons bicarbonato (HCO3-). 5. como o íon bicarbonato. O excesso de íon hidrogênio no filtrado tubular é neutralizado pelos tampões do líquido tubular. A urina eliminada contém maior quantidade de bicarbonatos e se torna alcalina. O pH do sangue se reduz. melhor que graus idênticos de alcalose. medido no sangue arterial. no sangue. nos líquidos do organismo. 3. existe acidose. 6. 8. devido ao acúmulo de íons hidrogênio livres. 2. o pH.Fisioterapia e Enfermagem 7. A acidose respiratória ocorre em consequência da redução da eliminação do dióxido de carbono nos alvéolos pulmonares. principalmente o fosfato. 7. existe alcalose. Na acidose metabólica o pH do sangue aumenta devido ao acúmulo de íons hidrogênio livres. não voláteis. não há interferência respiratória na produção do distúrbio. Quando o pH está abaixo do valor mínimo normal. de onde é eliminado diretamente pela urina. corpos cetônicos ou outros. Desvios extremos do equilíbrio ácido-base. Os desvios do equilíbrio ácido-base refletem-se nas alterações do pH do sangue. Se o pH está acima da faixa normal. sem qualquer transformação.