You are on page 1of 6

ANHANGUERA EDUCACIONAL

CAMPUS DE CASCAVEL/PR

LICENCIATURA EM MÚSICA

MUSICA NA ESCOLA:
SOBRE SEU ENSINO E CONCEPÇAO

CASCAVEL/PR
2015
FACULDADE ANHANGUERA EDUCACIONAL

Contudo o caminho pela busca da seriedade e da respeitabilidade enquanto campo de conhecimento nas escolas será tortuoso. como um recurso de reposição em momentos em que não se é possível cumprir o planejado pelo currículo escolar. considerando que. (RODRIGUES. A prática da Música em atividades extracurriculares certamente pode ser uma alternativa para a educação musical. não apresenta o mesmo valor das outras disciplinas. ainda se vê a Música como atividade extracurricular. de pouca ou nenhuma relevância para a formação geral dos indivíduos. 4) Nas escolas. num processo tumultuado. a música na educação brasileira ainda é vista como acessório para entretenimento. Desejando mudar esse contexto. nas maiorias das vezes. em suas diversas linguagens. iniciado em meados de 2006. ao estabelecer a sua obrigatoriedade. como conhecimento científico. sem a importância devida como material didático-pedagógico que possa contribuir para o desenvolvimento no ensino aprendizado do aluno e a formação do homem. mas tais atividades não têm contribuído para uma compreensão mais consistente sobre a Música na formação dos indivíduos. buscando o entendimento dos seus pressupostos e práticas efetivadas. inadequadas.769/2008. Com a referida lei.LICENCIATURA EM MÚSICA – DISCIPLINA: PROJETO DE PESQUISA II TEMA A intenção é refletir sobre a inclusão do ensino de Música nas escolas brasileiras. resultou na promulgação da Lei nº 11. reforçando a idéia de que essa atividade. . As escolas tentam enquadrar-se para a inclusão da nova disciplina usando estratégias. DELIMITAÇÃO DO OBJETO Embora a legislação educacional estabeleça há muito tempo um espaço para a arte. nas escolas regulares de Educação Básica o que se percebe no entanto é que a presença da Música no currículo escolar foi marcada pela indefinição de uma política que garantisse o ensino da Música como conteúdo escolar. abre-se um novo caminho para a Música na educação escolar. atividade complementar. p.

OBJETIVOS . decorrendo daí estar condenada a permanecer fora do contexto das propostas pedagógicas de práticas educacionais. Dado que sua prática não vem sendo trabalhada sistematicamente. que tratam da temática em questão. e serão definidos a partir de uma busca mais criteriosa do material disponível. a falta de orientação pedagógica. a pequena carga horária destinada à arte.Não é difícil reconhecer ainda outros problemas. buscando assim o desejo de experimentação de outras formas de convivência em sociedade.). Embora na Lei nº 11. Essa situação ajuda na desvalorização. se justifica a elaboração deste projeto de pesquisa. Com este trabalho visa-se o aprofundamento da reflexão sobre as problemáticas existentes no processo de implantação do ensino da música na educação básica. a falta de ambiente físico e de recursos materiais. Os autores não foram ainda selecionados. como a formação deficiente de professores. Para a elaboração do projeto de pesquisa. o embasamento teórico se dará a partir de leituras de artigos de revistas especializadas (por exemplo. uma vez que se desconsidera e desconhece a importância e o papel do ensino da arte na escola. programas de ensino. fazendo apontamentos de alternativas que possam facilitar a convivência social dos sujeitos envolvidos no ambiente educacional e os desafios do educador musical na efetivação do processo de inclusão da música como disciplina no currículo obrigatório das escolas. esse ensino encontra-se em um complexo processo de disciplinarização. apenas como apreciador de Música e por julgá-la importante na formação cultural do educando e quiçá. ao menos num primeiro momento. e ainda de diversos autores. devido a superficialidade da pesquisa em andamento (apresenta-se alguns nomes na bibliografia).769/2008 seja utilizado o termo “conteúdo” para definir a inclusão da Música nas escolas. tanto on line quanto no acervo da biblioteca. o qual envolve uma série de fatores e embates a respeito do modelo de ensino que deve ser validado. revista ABEM). coleta de informações junto a fontes documentais – textos legais (leis. às funções que a Música deve ocupar e às lutas pela melhoria do status dessa disciplina nas escolas. ajudá-lo na compreensão da sua realidade. Não como interesse profissional. ao tipo de profissional que deverá exercê-lo. tanto pelos alunos quanto pelos profissionais atuantes na escola. e ainda buscar olhares de autores que estão problematizando a música no espaço escolar. etc. Assim.

Objetivos específicos .Refletir acerca do processo de disciplinarização da Música na escola. há inúmeras questões que levam a um esvaziamento para sua efetivação em sala de aula. 131). a preocupação e o interesse por realizar a presente pesquisa se devem a toda a mobilização causada pela implantação da .Compreender os aspectos relacionados à produção de políticas para o ensino de música. e com alunos distantes do contexto do fazer musical.Compreender o sentido e o significado da educação musical na escola. 2003. encontra-se no fato da Música deixar de ser apenas mais uma disciplina do currículo escolar e se tornar “algo incorporado à vida do sujeito. e como as políticas que incentivam essa modalidade de ensino vêm contribuindo para a sistematização de uma prática efetiva. a justificativa desse trabalho reside na importância da educação musical no processo de formação do indivíduo.Objetivo geral . O desafio. que o faça buscar a presença da arte como uma necessidade e um prazer. . Poucos professores atuando de forma efetiva e educativa. suas possibilidades e limitações. mesmo que houvesse no currículo um reconhecimento de sua importância no processo ensino e aprendizagem. Assim. percebeu-se que o ensino de artes nas escolas brasileiras sempre foi um tema muito complexo. . porque em ambas a arte promove a experiência criadora da sensibilização" (MEIRA. portanto. como fruição ou como produção.769/2008. JUSTIFICATIVA A partir das leituras feitas para a elaboração deste trabalho. pois.769/2008. 11. o ensino de música tem se mostrado desolador.Investigar a trajetória da Lei n. . p. tendo como eixo norteador a Lei nº 11. Dentro de um contexto educacional já caótico. Dessa forma.Analisar o processo de inserção do ensino de Música na escola. embora poucas e sem muito critério.

na sociedade. A investigação será por pesquisa bibliográfica. desvendando as possibilidades na formação dos educandos. a toda a população. em que cujos autores discorram sobre questões sóciohistóricas e aos de Políticas Curriculares. conhecendo que muito há ainda a se discutir quanto aos progressos e limitações da nova legislação que se impõe. monografias. os argumentos. as idéias. A referida lei estimula o debate entre os educadores e.Lei n. sem deixar de ir buscar no passado elementos que ajudem a pensar o momento presente. de modo mais amplo. artigos publicados em revistas especializadas. torna-se impossível contribuir para que uma consciência crítica e valores vinculados à cidadania se desenvolvam em seus alunos. Os professores precisam estar sempre se atualizando. bem como analisar as discussões acerca do que deve ser o ensino da música nas escolas brasileiras. mas algumas questões deverão ser resolvidas com o tempo e com a prática. pois. disponíveis on line. a qual merece o empenho de que seja feita uma análise da sua trajetória do ensino de Música. analisarmos e refletirmos sobre os determinantes históricos. análise de textos. redimensionar os pressupostos. 11. Daí a necessidade de repensar. sem adquirir um conhecimento básico em Arte. enquanto bem cultural. então. A lei veio trazer à educação grande avanço ao salientar o valor da formação musical. BIBLIOGRAFIA . numa tentativa de buscar idéias e conceitos que referendem o projeto de pesquisa proposto. pretende-se seguir a seguinte estrutura: inicialmente analisar o referencial teórico. METODOLOGIA A idéia aqui é fazer uma análise do processo atual do ensino de Música. políticos e econômicos em que se configura a inserção do ensino de Música na Educação Brasileira. as leituras serão buscadas no acervo da instituição educacional acima citada e/ou outra. suscitando reflexões teóricas que ajudam a avançar nas discussões e a possibilidade da universalização do acesso à Educação Musical. Importa. teses de mestrado. Para atender tal propósito. As políticas de incentivo ao ensino necessitam acompanhar as modificações na educação e dar a sua contribuição.769/2008.

Um movimento na história da educação musical no Brasil: Uma análise da campanha pela lei 11. Rio de Janeiro. p. set. Dissertação (mestrado) UNIOESTE. 2001. (Org. Porto Alegre. A obrigatoriedade do ensino de música na educação brasileira: Uma análise do processo histórico-político. 65-74. Rio de janeiro: Globo. Porto Alegre: Mediação. n. Revista Arte-Online.). 2000. 2004. R. v. Educação musical nas escolas brasileiras: retrospectiva histórica e tendências pedagógicas atuais. Revista da ABEM. V. 49-56. _______. _______. 2010. Revista da ABEM. 12. Porto Alegre. Alicia Maria Almeida. 2004. MARIANAYAGAM. Revista da ABEM. . 1989. STEFANI.57-64. Professores de música nas escolas públicas de ensino fundamental e médio: uma ausência significativa. Gino. v. D. Educação estética. A educação musical como prática educativa no cotidiano escolar. 2007.LOUREIRO. M. In: PILLAR. MÜLLER. arte e cultura do cotidiano. Porto Alegre.3. 450f. p. É este o ensino de arte que queremos? Uma análise das propostas dos parâmetros curriculares nacionais. PEREIRA. João Pessoa: Editora Universitária. Revista da ABEM. mar. Por uma educação musical implicada com os modos de vida de seus cenários de atuação. Porto Alegre. 11. v. PENNA. set. Para entender a música.769/2008. Não basta tocar? Discutindo a formação do educador musical. ______.). A. p. MATEIRO. 16. mar. MEIRA. A dupla dimensão da política educacional e a música na escola: II – da legislação à prática escolar. Vânia. A educação do olhar no ensino das artes. 2003. v.7./ago. Teresa da Assunção Novo. Maura (Coord. Revista da ABEM. 43-47. Porto Alegre. p. Luis Felipe Radicetti. 2005. p. 2008. 19. 10.7-16. mar. Revista da ABEM. Caminhos para a conquista de espaços para a música na escola: Uma discussão em aberto. mar. Porto Alegre. Carla Angelica Sella. mar. Dissertação (Mestrado em Música) – UNI-RIO. 2002. _______. 7-19. v.