You are on page 1of 31

• Aumento capital social: 10.

000€
• Bancos: 10.000€
Analisar:
- Rácios de rotatividade do activo;
- Rotatividade imobilizado líquido;
- Autonomia e solvabilidade;
- Liquidez (reduzida, geral e imediata);
- Rendibilidade;
- Capitais próprios.
1/1
1/2
2/2
1/2
2/2
1/2
Conclusão:O valor do capital próprio é superior ao passivo (aumentou). Esta situação reflecte
baixo risco para os credores da empresa dado que os capitais próprios são suficientes para fazer
face as dívidas de terceiros, a empresa detém alguma margem de segurança.

2/2
• Empréstimo bancário C. Prazo: 10.000€
• Imobilizado equipamento administrativo: 10.000€
Analisar:
- Rácios de rotatividade do activo;
- Rotatividade imobilizado líquido;
- Autonomia e solvabilidade;
- Liquidez (reduzida, geral e imediata);
- Rendibilidade;
- Capitais próprios.
1/1
1/2
2/2
1/2
2/2
Conclusão: A diminuição dos valores dos rácios evidenciam que a empresa se financiou com capitais alheios.
Sugestão: Aumentar a prestação de serviços/ vendas.
1/1
• Empréstimo bancário M.L. Prazo: 10.000€
• Mercadorias: 5.000€
• Disponibilidades financeiras: 5.000€
Analisar:
- Rácios de rotatividade do activo;
- Rotatividade imobilizado líquido;
- Autonomia e solvabilidade;
- Liquidez (reduzida, geral e imediata);
- Rendibilidade;
- Capitais próprios;
- Rotação de stocks.
Conclusão: Os rácios indicam que não houve alteração nas vendas, sendo uma situação negativa.
Sugestão: Aumentar a prestação de serviços/ vendas.
1/1
Conclusão: A diminuição dos valores dos rácios evidencia que a empresa contraiu um empréstimo M.L.Prazo ,
aumentando as mercadorias e disponibilidades e não houve alteração da vendas/prestação de serviços .
Sugestão: Aumentar a prestação de serviços/ vendas.
1/1
1/2
Conclusão: Nesta situação de liquidez os rácios indicam que esta operação que a empresa foi uma boa gestão.
Contraiu um empréstimo a M.L.Prazo (capitais permanentes ) para investir em capitais circulantes. A liquidez é boa.

2/2
Conclusão: A diminuição dos valores dos rácios evidenciam que a empresa se financiou com capitais alheios.
Sugestão: Aumentar a prestação de serviços/ vendas.
1/1
• Qual a melhor empresa, quanto a:
- Autonomia financeira;
- Solvabilidade;
- Liquidez;
- Resultados de rendibilidade de capital próprio;
• Qual a pior empresa:
- Justificar a pior empresa;
- Propor medidas de estratégias para alterá-la,
passando a ser uma empresa rentável e atractiva
(sem mexer no capital próprio).
• Autonomia financeira permite-nos conhecer a
capacidade financeira da empresa; >1 significa
que existe baixo risco para os credores. Neste
caso a melhor empresa é a do Cenário A.
• Solvabilidade permite conhecer o grau de
insolvência da empresa (tenha-se financiado
c/ capitais próprios ou alheios?); quanto >1
melhor. Neste caso a melhor empresa é a do
Cenário A.

1/3
• Liquidez geral e reduzida é a capacidade da empresa
em pagar o seu passivo de funcionamento através dos
capitais circulantes de que dispõe. Neste caso a melhor
empresa é a A. No caso da liquidez imediata obtém-
se melhores resultados quando o indicador do rácio se
situa entre 0,75 e a unidade. Neste caso a melhor
empresa é a B.
• Rendibilidade demonstra o grau de eficiência como a
empresa rentabilizou os recursos disponibilizados.
Neste caso a empresa do Cenários B é a melhor
porque não aumentou o capital próprio com
empréstimos.

2/3
• A empresa B apresenta o melhor rácio de
rendibilidade (rácio mais importante)
concluímos que é a melhor.
• Após analisar os rácios, concluímos que a pior empresa é a
do cenário C, não tem uma boa autonomia financeira, não
tem boa solvabilidade e a liquidez mostra que a oferta é
maior que a procura porque houve investimento de um
sócio. O rácio de rendibilidade é negativo. Se uma
empresa não apresentar mais rendibilidade quando há
investimentos não está tendo uma boa gestão.

• Medidas de estratégias para se tornar mais rentável:


- Aumentar as vendas/prestações de serviços e
consequentemente aumentar o resultado líquido.

(Conforme alteração DR e Balanço Cenário C alterado)