You are on page 1of 3

Capitães da areia

O filme Capitães de areia da diretora Cecília Amado, é baseado na obra de Jorge
Amado, intitulada com o mesmo nome, ambas as produções contam a história de
crianças que vivem à margem da sociedade e se aventuram em furtos e atitudes
violentas, vivendo uma vida bestializada baseada em atitudes violentas e subalternas,
evidenciando o ambiente e tipo de vivência na qual os garotos estão imersos, ao mesmo
tempo em que deixa evidentes os pensamentos e anseios ingênuos de toda criança; dessa
forma, tanto pretende demonstrar as falhas e problemáticas encontradas no viver social
dos protagonistas, quanto às aspirações frequentemente presentes no psicológico de
todas as crianças que diariamente se arriscavam em atitudes perigosas e incertas na
busca pelo necessário para viverem.
Ao observamos a vivência dos personagens, notoriamente evidencia-se um misto
de sentimentos e momentos diversos que se interpõem nas relações dos indivíduos como
se lhes fossem particular. Ao se perceber o porquê das atitudes daquelas crianças, se
entende paulatinamente, os motivos pelos quais as mesmas têm características e
personalidades tão inesperadas para uma criança da faixa etária daqueles garotos.
Portanto, podemos então compreender que a obra é marcada pela transposição daquilo
que é a vida de moradores de rua, que enfrentam tais situações por não terem família
(como é o caso das crianças retratadas na obra), quanto por não terem as condições
precisas de obter uma moradia, vivendo então, como excluídos e sendo vistos como
indivíduos marginalizados e de risco para a sociedade em que estão manifestos. Sendo
diariamente expostos a perigos constantes e a fatos deprimentes, caracterizantes de uma
vida difícil, solitária e até mesmo injusta para com estes.
Tropa de elite
Falar de um clássico filme da sociedade brasileira é antes de tudo, falar das
particularidades do Brasil contemporâneo, Brasil marcado pela diversidade cultural,
mas também pela violência e corrupção que assola grande parte setores da sociedade na
qual se vive. Assim, temos o filme, Tropa de elite, uma obra do diretor José Padilha, que
retrata um drama, que embora presente em uma obra do cinema brasileiro, é realidade
dos grandes centros urbanos de nossa nação, pois evidencia as constantes cenas de
violência entre policiais e traficantes das favelas espalhadas pelo Brasil, e também, ao

onde morar. o filme de José Padilha. é um acontecimento permanente e frequente.expor o dia a dia de policiais. Desse modo. retratados no filme em questão. por seu caráter minucioso e verídico. uma nação na qual o pobre é um conjunto de características pejorativas que ora ou outra está sendo visto como não confiável e não capaz de algumas atividades e . o tropa de elite. nas quais policiais e bandidos se enfrentam cotidianamente. na maioria das vezes. de insegurança acerca do futuro de suas vidas. entretanto. Nesse contexto. Em suma. um processo amplo e cíclico que parece por os indivíduos em um canal de dependência e ao mesmo tempo. demonstram criticamente a corrupção presente na profissão quando o risco do contato com o crime é extremo e arriscado. dilacerado pelos problemas econômicosociais. estava recriando a imagem de um Brasil que evoluía enquanto contornava em seu oposto. demonstra em suas cenas o contexto claro e sem disfarces da dualidade policial X criminalidade no Brasil. certamente que tal produção artística relata o viver nauseante de quem enfrenta a pobreza e tende a enfrentar os problemas e emblemas advindos do processo de pauperização. apenas se sabe a respeito das lutas e desejos desses indivíduos paupérrimos que não tem ao menos. Vidas secas Do filme vidas secas inúmeras considerações podemos apreender. pois como retratado na produção de tropa de elite. com fins opostos. o combate entre estes. algo que torna difícil e intrigante. um país pobre. e dirá condições de propor aos seus descendentes uma boa educação e interação social digna de uma pessoa que coexiste no âmbito da sociedade. compreende-se que quando o autor da obra vidas secas a cria. mas sim aquele que estiver mais armado. entende-se que o filme tropa de elite é uma representação fiel do que seja o cotidiano das áreas do crime no país. fora vítima de profundas críticas e análises sociológicas de como este é capaz de retratar a marginalidade e atitude policial nos dias atuais. Frente a estas primeiras reflexões. os criminosos se encontram mais armados e munidos do que os próprios policiais de ações especiais como os do BOPE. a guerra entre estes dois lados. onde muitos agem corruptamente quando intimidados pelo mundo do crime. já que não se sabe ao certo o que decorrerá com suas vidas incertas e improváveis. uma luta onde nem sempre vence o mais habilidoso.

como é o caso da personagem Sinhá Vitória. Com isso. mas muitos indivíduos sociais. pode-se dizer que vidas secas é uma obra exemplar quanto ao quesito de retratar a veracidade do caos enfrentado por não poucos. Frente a estas iniciantes. dentro do filme dirigido por Nélson Pereira dos Santos. faz-se presente nas entrelinhas da obra baseada no livro de Graciliano Ramos. os frequentes sonhos materiais dos personagens. em especial. uma área cotidianamente vista como produtora da pobreza nacional.possibilidades dentro da sociedade na qual vive. Nessa análise. se percebe a vida errante do habitante pobre de algumas regiões do país. da região Nordeste. concomitante a isso. podemos concluir que tanto o autor Graciliano Ramos quanto Nélson Pereira. . que desejava dormir em uma cama de couro e melhorar de vida juntamente com seus dois filhos e o marido Fabiano. são responsáveis por deixar claro e expressa a tristeza sufocante que sobrevoa a vida do habitante pobre e sem qualquer instrução. Assim. colocando tal condição como um ciclo na vida de quem a vive e a analisando de forma a acharmos que a única saída para tal condição seria as políticas públicas e a educação. é demonstrada a clara exibição do pobre excluído e de sua vida pacata e quase sem oportunidade alguma de ascensão. que chegam até mesmo a desejarem uma cama de couro.