You are on page 1of 17

Tema 1: O pensamento Social

Brasileiro
Profª.Maria Clotilde Bastos

Objetivos:
• Quais as preocupações que orientavam a
produção anterior aos três autores tratados?
• Qual a inovação representada pelos trabalhos
de Caio Prado Junior, Gilberto Freyre e Sergio
Buarque de Holanda?
• Quais as principais
categorias analíticas
presentes em cada um
destes autores?

Os autores em estudo:
• Caio Prado Jr., Sérgio Buarque de Holanda e
Gilberto Freyre.
• Caio Prado:
• “Evolução Política do Brasil” e “Evolução do
Brasil contemporâneo”;
• Gilberto Freyre:
“Casa Grande &
Senzala”;
• Sergio Buarque de
Holanda: “Evolução
Política do Brasil”.

Aspectos contextuais:
• Embora fosse um novo século (XX), as
questões
políticas e as marcas da escravidão estavam
presentes no momento em que os autores
escreveram suas obras.
• Esses autores
interpretaram a história
do Brasil por um novo
prisma, trazendo as
contribuições da
sociologia e da
economia.

Aspectos contextuais:
• A colonização fora uma forma de levar a
civilização aos lugares mais atrasados. Como
contrapartida, essas regiões passaram a
abastecer o mercado europeu com alguns
produtos novos (pau brasil, especiarias,
cana-de-açúcar) e outros
valiosos como o ouro e a
prata.

Aspectos contextuais:
• No território houve uma interação entre povos
diferentes, o europeu se misturando com o índio
e depois com os escravos trazidos da África
formando uma nova nação.
• No início do século XX a
indagação presente se
relacionava ao tipo de
sociedade que estaria se
construindo.

Aspectos contextuais:
• Naquele momento histórico, predominavam
concepções baseadas nas teorias da evolução
(“darwinismo social”) e preconceitos baseados
na
aparência dos indivíduos.
• Essas concepções
reforçavam a idéia de que
o europeu era o modelo
de estágio civilizatório

avançado em
contraposição a africanos
e indígenas.

Darwinismo social
• Alguns pensadores (filósofos e cientistas
sociais)
do século XIX, como o inglês Herbert Spencer,
utilizaram as ideias de Darwin, para elaborar
esquemas filosóficos que acabariam sendo
utilizados para classificar as
sociedades humanas em
atrasadas e avançadas,
primitivas e modernas,
bárbaras e civilizadas.

Darwinismo social
• Eles defendiam a tese de que existiam raças
superiores e inferiores, a qual foi amplamente
utilizada pelos governos europeus para justificar
seus domínios na Ásia e na África no período do
imperialismo (século XIX e
parte do século XX),
criando as condições para
o aumento do preconceito
contra os povos desses
continentes, vistos como
inferiores.

O darwinismo social no Brasil
• Nas últimas décadas do século XIX, em nosso
país, muitos intelectuais e pensadores,
defendiam
o branqueamento da população como uma
forma
de superar a mistura de “cores” que caracteriza
o
povo brasileiro.
• A base dessas percepções
combinava um pensamento
racial e seu argumento era
que a mistura de raças
levava à mestiçagem, a
degenerescência e ao crime.

A contribuição dos três autores
• Vinha no sentido de analisar a sociedade a
partir
de novas referências, principalmente aquelas
oferecidas pelas ciências sociais.
• O entendimento da
sociedade pelo olhar desses
autores é outro, uma vez
que recorre ao método
científico próprio das
ciências sociais, dando
originalidade a análise.

A contribuição dos três autores
• Vinha no sentido de analisar a sociedade a
partir
de novas referências, principalmente aquelas
oferecidas pelas ciências sociais.
• O entendimento da
sociedade pelo olhar desses
autores é outro, uma vez
que recorre ao método
científico próprio das
ciências sociais, dando
originalidade a análise.

O materialismo histórico dialético em
Caio Prado Jr.

Os elementos políticos no pensamento de Sérgio Buarque de Holanda • Para empreender sua análise. • As concepções racistas eram bastante comuns para explicar comportamentos individuais. de Franz Boas em Gilberto Freyre e de Max Weber na obra de Sergio Buarque de Holanda. dentre outros. era sobre o futuro de uma sociedade constituída por povos tão diferentes tais como o português. práticas religiosas. • b) Max Weber. Sérgio Buarque de Holanda e Gilberto Freyre o Brasil ainda mantinha aspectos do século XIX e esses autores inovaram na maneira de analisar o país. com as peculiaridades da colonização portuguesa.Conclusão • Durante o século XIX. Gilberto Freyre enfrenta a questão do processo de miscigenação próprio da sociedade brasileira. As influências teóricas dos três autores • Assim se irá encontrar as ideias de Karl Marx. Os elementos políticos no pensamento de Sérgio Buarque de Holanda • O autor também irá enfatizar aspectos culturais presentes na constituição histórica da sociedade brasileira. • c) Karl Marx. A miscigenação em Gilberto Freyre • Dentre os três autores. com a presença de elementos culturais diferentes. Claude Lévi-Strauss e Antonio Candido. uma questão presente entre os estudiosos. formam uma nova sociedade.. as relações sociais de produção). o colonizador e o escravo. o autor recorre a Max Weber. Atividade 01 Por que os trabalhos de Caio Prado Jr. Franz Boas e Max Weber. • Na sociedade brasileira esse tipo seria identificado como o “homem cordial” resultado do empreendimento colonial português. • Incorporaram elementos da história. Gilberto Freyre e Sergio Buarque de Holanda são tratados uma “redescoberta do Brasil no sentido cultural e intelectual”? Atividade 02 • São grandes influências em Caio Prado Jr. portanto. iniciação sexual dos jovens.• O historiador compreende as mudanças sociais a partir do movimento de uma estrutura produtiva (ou seja. • d) Fernand Braudel... decorrem da influência do movimento culturalista norteamericano. Conclusão • No momento em que os autores produziram suas obras. sendo que a produção é o local privilegiado para se observar essa relação. Gilberto Freyre e Sergio Buarque de Holanda. A miscigenação em Gilberto Freyre • O destaque deixa de ser os aspecto biológicos em relação à miscigenação. Conclusão • As análises sobre o futuro do país eram bastante . o nativo. • As narrativas do cotidiano. o índio e o africano. • Estavam em cena. respectivamente. Darcy Ribeiro e Antonio Candido. especialmente em relação a uma categoria denominada “tipo ideal”que sintetiza o comportamento significativo de uma sociedade. A miscigenação em Gilberto Freyre • A forma de obtenção dos dados para sua interpretação e a abordagem utilizada. Atividade 03 • Explique a “nova perspectiva” para as relações raciais trazida pela obra de Gilberto Freyre. Conclusão • Na época em que foram publicados os livros de Caio Prado Jr. Ruth Benedict e Karl Marx. • Sua análise destaca elementos políticos presentes neste processo.sendo o colonizador europeu o modelo mais avançado desse processo. em Caio Prado Jr. • A sociedade se constitui através da formação e enfrentamento de classes sociais. forma de organização familiar. havia uma concepção de que as populações evoluem ao longo do tempo. os seguintes autores: • a) Karl Marx. • A influência da culinária dos diferentes povos. e passa a ser os aspectos culturais que levam a constituição de uma nova forma de vida em sociedade. • É esse autor que coloca em destaque a importância do contato cultural entre os povos e sua influência na construção de uma nova sociedade. sociologia e economia nas análises sobre a constituição da sociedade brasileira..

No caso do Brasil: • Era importante perceber os propósitos do processo de colonização e quais as decorrências da busca pela realização destes objetivos. que vive em razão desse comando. os grupos populacionais envolvidos e a maneira como os respectivos interesses foram sendo. uma vez que se cria que a mestiçagem levaria à degeneração da raça. a realização do trabalho e as relações econômicas que o envolvem. • Franz Boas em Gilberto Freire e Max Weber em Sergio Buarque de Holanda. seria explicada a forma de realização da empreitada lusitana e seus resultados. A visão do teórico: • Para Prado Júnior. a sociedade é constituída pelo embate entre interesses específicos. A partir disso. • O ponto principal é o movimento da sociedade a partir das contradições das classes sociais e dos interesses divergentes. • Dessa forma. • Sua intelectualidade se fez presente em outras áreas que não somente a acadêmica. • Assim. uma vez que a mudança social é resultado de certa evolução de um conjunto de circunstancias existentes em uma estrutura social. que lhe oportunizou solida formação intelectual. Mudanças sociais: • O termo “dialético” agregado ao “materialismo histórico” confirma que as que as mudanças sociais resultam do próprio desenvolvimento de uma sociedade. um pequeno grupo – os proprietários do capital – determinam o que e quanto será produzido pela grande maioria da sociedade. sobre a sociedade brasileira? Sobre o autor: • Caio Prado Jr pertenceu a uma família abastada. No caso do Brasil: • O autor explica a ocupação do território a partir da atividade econômica. O marxismo em Prado Júnior • A análise marxista se volta para os modos de produção. alcançados. • Assim esclarece a ”luta de classes” como o fator que impulsiona a sociedade em seu processo de desenvolvimento e transformação. não se trata da vontade de um indivíduo (ou um soberano). • Isso vai além da constatação do fato histórico. a ocupação do território é feita com base na monocultura. Assim é que se encontra a presença do materialismo histórico em Caio Prado Jr.? • Qual é a importância do processo de colonização no argumento de caio Prado Jr. levando-o a organizar e militar em partidos políticos. a colonização da América Portuguesa é explicada não como uma sucessão de ciclos econômicos. ou não. um trabalho original? • Quais são os principais pontos da teoria marxista presentes na análise da sociedade brasileira desenvolvida por Caio Prado Jr. • O autor interpreta a história destacando a idéia de classes que formam a sociedade. e o projetou como representante das ideias marxistas.Maria Clotilde Bastos Objetivos: • O que faz da análise de Caio Prado Jr.pessimistas. As classes sociais se organizam a partir da economia. Tema 2: O método em Caio Prado Júnior Profª. constituídos conforme a posição dos agentes sociais envolvidos. • Frente à essa situação. Assim. A contribuição de Caio Prado Júnior • Uma das contribuições significativas do “materialismo histórico” na abordagem desenvolvida por Caio Prado Jr.Conclusão • Os autores recorrem aos métodos desenvolvidos no âmbito das ciências sociais para empreender suas análises. mas dentro do processo mercantilista. A visão do teórico: • Partindo da perspectiva marxista. na grande propriedade e na escravização do africano. mas política. foi a ruptura com . a solução seria o branqueamento da raça por meio da imigração europeia. resgatando tais relações em perspectiva histórica. se coloca a originalidade dos três autores. • Assim. superando a história oficial e também as visões pessimistas sobre o povo miscigenado. mas revela os nexos que dão configuração à sociedade. Sobre o autor: • A sua análise teórica permitiu compreender a formação da sociedade brasileira por meio do método dialético. e não segue um curso unilinear e evolutivo.

sempre associados aos detentores do poder político. Conclusão .1999).o oficialismo da historiografia praticada no Brasil até então. o sujeito da história do Brasil não são as elites isoladas.os atores da história. da economia) na organização da sociedade. destacando o papel das massas nos rumos da história. • Assim. e as lutas empreendidas pelas classes menos favorecidas. • De quem são os braços que foram o motor da produção econômica no Brasil? O significado de materialismo dialético • Os fenômenos materiais são compreendidos como processos. Sua construção está vinculada às condições objetivas de vida e de se responder aos problemas colocados nos diferentes momentos. mas também dominando os outros (SANTIAGO. contradiz a tradição de sua família? Conclusão • Caio Prado Jr. Caio Prado Júnior. • As mudanças são explicadas pelos interesses antagônicos que coexistem no cenário social e que impulsionam as transformações. Prefácio à Crítica da Economia Política). seu ser social que determina sua consciência (Contribuição à Crítica da Economia Política. elas não existem sozinhas a seu lado e sustentando a sua condição de elites existe a grande massa da população brasileira (REIS. • Ainda que as elites dominem. ficavam deliberadamente esquecidos. Caio Prado Júnior.O que é o “ser social” no referido texto e por que a estrutura social é fundamental para a compreensão dos fenômenos sociais? Atividade 02 • Por que se diz que a trajetória de vida Caio Prado Jr. enfatizando os feitos dos grandes heróis representantes da burguesia e da elite oficial. 2012). • Apesar de sua origem burguesa. Atividade 01 • Use a citação a seguir para responder as questões. construindo-se a si mesmo. da técnica. nem os homens a fazem de maneira arbitrária e pessoal. símbolo do “grande capital cafeeiro” do século XIX. A contribuição de Caio Prado Júnior • O autor rompe com o oficialismo dominante. A contribuição de Caio Prado Júnior • A história tradicional. 1 . • Nessa perspectiva. A contribuição de Caio Prado Júnior • Na perspectiva do materialismo histórico. • O modo de produção da vida material condiciona o processo de vida social.Explique o papel das forças produtivas (ou seja. historiador e filósofo • Sua obra insere-se na tradição da "redescoberta do Brasil". é inversamente. A história sob o ponto de vista dialético • É o processo pelo qual o homem procura conhecer e dominar a natureza. das forças de produção e das relações de produção (SANTIAGO. sua obra será marcada pela compreensão e crítica do processo em que se organizou sua classe social. nasceu numa família bastante próspera. por meio das lutas travadas. a história humana é a história do trabalho. da ciência e da técnica. 2012). não consegue explicar os processos de mudanças pelos quais a sociedade passa. política e intelectual em geral. Usando o materialismo histórico de forma senão pioneira. • Não é a consciência dos homens que determina o seu ser. A história em Caio Prado Júnior • Para o autor a História não se faz por si mesma. ele pode ver o futuro do Brasil de forma mais consistente e otimista. ganham destaque aqueles que. em que o mundo é uma totalidade material e contraditória em que interviriam processo dialéticos. pois são os agentes da história. historiador e filósofo • O autor confiava na eficácia histórica do povo brasileiro. por meio do trabalho. tem como protagonista os movimentos sociais. mas as classes sociais em luta. • Essa historiografia. que nele se aprofunda e se consolida. inovadora. Para ele. O autor afirma que na história da cultura é o povo o sujeito da história. dá destaque aos grandes gestos dos heróis nacionais. 2 . embora fizessem parte da história e do seu movimento.

colônia". A análise histórico-econômica de Caio Prado Júnior • A produção destinada à exportação e ao abastecimento do mercado internacional. acontecimentos e a forma como o Brasil toma parte na formação e desenvolvimento do capitalismo. demonstra o povoamento. o autor estabelece os nexos entre os fenômenos observados. O sentido da colonização • A colonização do Brasil adquire o sentido de uma vasta empresa comercial. a exemplo dos árabes que dominavam o comércio de especiarias. • Era apaixonado pelo seu povo. percebendo assim a maneira como a estrutura econômica vai se organizando e enfrentando os problemas colocados conforme seu lugar no conjunto da economia capitalista. 18181883) desvendou o processo social o qual é gerador da miséria e da desigualdade social que marcaram a evolução da sociedade brasileira. Tema 3: O desenvolvimento brasileiro a partir de Caio Prado Jr.Maria Clotilde Bastos Objetivos: • Quais os pontos originais da análise históricoeconômica feita por Caio Prado Jr.• Caio Prado Jr. A análise histórico-econômica de Caio Prado Júnior • A crescente concentração do poder político no interior da elite dirigente do Império. por isso passou a defender este povo em sua luta por uma sociedade democrática. essas narrativas dão um sentido mais amplo ao processo de colonização. vão sendo incorporadas aos avanços na interiorização do território feita pelo colonizador europeu. a população indígena e africana. Assim. O sentido da colonização • Os impulsos iniciais do processo de colonização é explicado pela necessidade da expansão da empresa europeia dentro da lógica mercantilista que se consolidava naquele momento da Idade Moderna. • Assim. situa fatos. não se tratava do espírito aventureiro português. • Assim. Conclusão • A sociedade é constituída pelo embate entre interesses específicos. reforça a desigualdade social que já era grande na sociedade escravista. situando o Brasil na formação do capitalismo. mas de buscar alternativas para ampliar o comércio.? • Qual a importância da colonização portuguesa na compreensão da formação da economia brasileira? • Qual a caracterização feita por ele sobre a economia brasileira? A análise histórico-econômica de Caio Prado Júnior • O autor ultrapassa os limites restritos dos relatórios oficiais para explicar a ocupação do território. absorve todos os esforços produtivos. • Na análise do teórico. recorrendo às narrativas dos viajantes. vida material e vida social. Conclusão • Caio Prado Júnior recomendava aos brasileiros que conhecessem o Brasil e se "dessem conta" do seu país. criou seu próprio caminho para explicar o contexto em que vivia. pois observa a sociedade a partir da maneira como se organiza destacando a economia. Ao incorporar o materialismo (com base em Karl Marx. por essa condição de colônia sofria atitudes de descompromisso que inviabilizavam o surgimento de uma organização social de fato sólida. voltada à exploração . A análise histórico-econômica de Caio Prado Júnior • A organização de sua obra mais famosa. A análise histórico-econômica de Caio Prado Júnior • A análise empreendida por Caio Prado. a ocupação do território é feita com base na monocultura. de fato com uma ‘alma nacional’. "Formação do Brasil contemporâneo . • Tendo o materialismo histórico como referência. • O historiador vai além do recolhimento dos fatos históricos. de 1942. O sentido da colonização • Inicialmente o objetivo para o Brasil foi o de ser uma colônia de exploração. Profª. constituídos conforme a posição dos agentes sociais envolvidos. na grande propriedade e na escravização do africano. • Com isso os grande latifúndios tornam-se dominantes e submetem os pequenos produtores ao grande proprietário. vai se constituindo como sociedade num contexto cuja a produção estava voltada para o mercado exportador e. Conclusão • Ao analisar a sociedade brasileira.

• As mudanças. toma parte em um quadro que se desenvolve desde a chegada dos portugueses à América. As limitações para o Brasil se industrializar • A partir da especialização na produção de bens agrícolas o país perde capacidade de promover um processo de industrialização autônomo. 2012). a obra de Caio Prado Jr. independência. mas sim para o alcance de interesses de fora. da metrópole. cuja demanda não é satisfeita com as divisas obtidas com as exportações. cana-de-açúcar. A importância da interpretação de Caio Prado Júnior • Sua análise não se limitou a simples descrição do passado. • É necessário importar bens industrializados. propunha a abolição do monopólio. necessitando importar bens manufaturados estabelecendo. os produtos de subsistência das populações não estavam na pauta dos interesses (SANTIAGO. estamos sujeitos a repeti-los no presente e no futuro. • c) Na visão pessimista da miscigenação. que cresce em exportação favorecendo o enriquecimento dos seus produtores. principalmente a dependência tecnológica. colonização. • Com a vinda da família real para o Brasil a Inglaterra se beneficia do fim do monopólio português e também os proprietários de terras no Brasil. Atividade 02 • A obra "Formação do Brasil Contemporâneo Colônia" está dividida em três partes. estrutura social. ou seja meramente exportadora para atender a demanda dos mercados internacionais(SANTIAGO. daqueles que aqui não viviam. Atividade 03 • Como o “materialismo histórico” se diferencia da narrativa histórica tradicional? Conclusão • A obra historiográfica de Caio Prado Jr. Isso aparece: • a) No determinismo geográfico.dos recursos naturais de um território virgem em proveito do comércio europeu. a produção de açúcar vai sendo superada pela produção de café. contém alguns aspectos que lembram os trabalhos contra os quais se colocou. Uma segunda etapa no desenvolvimento econômico do Brasil • A partir de 1850. que contam com mão de obra barata. • d) Vida econômica. o Brasil não tem condições competitivas em relação a outras nações. Porém há manutenção da estrutura de classes. • Mesmo assim. Uma segunda etapa no desenvolvimento econômico do Brasil • Embora o comércio industrial evolua. Daí a limitação no desenvolvimento autônomo da nação. é internacionalista. a saber: • a) Povoamento. Uma segunda etapa no desenvolvimento econômico do Brasil • É definida no início do século XIX. 2012). mas que se beneficiavam do comércio. e com o aumento da produção é preciso dar condições para melhorar a exportação do café. mas demonstrou que quando não se observa os erros do passado. • d) No enaltecimento da cultura europeia. vida social. O sentido da colonização • A ocupação do território brasileiro não se fez em nome da construção de uma nova sociedade com interesses próprios. Uma segunda etapa no desenvolvimento econômico do Brasil • Com o fim da escravidão. mineração. vida material. • b) Na percepção de africanos e indígenas como raças inferiores. A importância da interpretação de Caio Prado Júnior • Na visão do autor a característica da economia do Brasil. nacionais. os imigrantes passam a ser uma importante força de trabalho. A importância da interpretação de Caio Prado Júnior • Para ele as transformações necessárias encontravam obstáculo em face os remanescentes do velho sistema. . • c) Pau Brasil. Atividade 01 • Apesar de seu caráter inovador. em face ao desenvolvimento da produção se fazem sentir inclusive no estilo de vida. especialmente o passado escravista. com a revolução industrial o capitalismo melhor configurado. • b) Descobrimento. aspectos políticos.

•Ao recorrer ao “materialismo histórico”. Conclusão • Os relatos de viagem tinham a importância do registro documental. A perspectiva antropológica de Franz Boas • Boas desmonta definitivamente o conceito de raça e evolução como paradigma do pensamento antropológico e estabelece os métodos e os critérios para o trabalho de campo. destacando um esforço científico. o encontro entre portugueses. foi um escritor que procurou interpretar o Brasil na perspectiva da Sociologia. demonstrando que nenhum grupo humano é biologicamente superior a outro. Do mesmo modo. a pluralidade de métodos pode representar a pluralidade de caminhos para encontrar proposições verdadeiras. • Assim. reforçando a desigualdade social que já era grande na sociedade escravista. O culturalismo em Gilberto Freyre • Não há determinismo biológico ou físico na constituição de cada pessoa. Gilberto Freyre toma contato com o “Culturalismo” e passa a advogar suas ideias. A perspectiva antropológica de Franz Boas • Faz afirmações como. Nesse sentido. do índio e do africano.Maria Clotilde Bastos Objetivos: • Como era percebida a sociedade brasileira pelos antecessores de Gilberto Freyre? • Como essas teorias foram ultrapassadas pelo desenvolvimento da Antropologia (Culturalismo)? • O que muda na forma de pensar o Brasil com essas novas ideias? O texto de Gilberto Freyre • Destaca-se a dificuldade de enquadrar um método que dê conta de caracterizar o conjunto da obra de Gilberto Freyre. por exemplo. Freyre põe a cultura como chave para explicar um povo. Isso marca o caráter de seu nacionalismo. Tema 4: As Referências Teóricas Presentes na Obra Antropológica de Gilberto Freyre Profª. Conclusão • Na analise de Prado Júnior. Conclusão • "Formação do Brasil contemporâneo . fazendo contraponto aos relatórios oficiais. o abastecimento do mercado interno vive na margem deste processo. a não existência de raças humanas totalmente definidas. há o embate entre a grande lavoura e a agricultura de subsistência. destaca-se um problema que se tornaria crônico na história do país: a dominância do mercado internacional sobre os interesses nacionais. Antropologia e História. • Apesar das possibilidades dadas pelas Ciências Sociais. • O ambiente por ele abordado é resultado do chamado “encontro colonial”. • Na obra de Freyre. • Tendo passado pelos Estados Unidos. Os pequenos agricultores são expulsos das terras sujeitando-se ao grande proprietário. demonstra essa abordagem: povoamento. Conclusão • Do poder econômico decorre a crescente concentração do poder político no interior da elite dirigente do Império. indígenas e africanos. vida material e vida social.colônia".• Nas narrativas históricas dos primeiros séculos da colonização a empreitada colonial era retratada como mais uma glória do reino. a sociedade isoladamente também não forma o indivíduo. de 1942. O texto de Gilberto Freyre • Freyre mostra que existem valores da cultura que vinham sendo menosprezados pelos intelectuais e que deveriam ser retomados para a manutenção do equilíbrio social. alternam-se no texto a presença do romancista ou memorialista. Conclusão • Enquanto a produção para exportação absorve todos os esforços produtivos. além de jornalista. • O povoamento é explicado em função da necessidade da produção e exploração de produtos para a exportação. O texto de Gilberto Freyre • Gilberto Freyre. É o chamado movimento culturalista em antropologia. destacando a figura do europeu. poeta e pintor. enfatizando o processo histórico em detrimento dos feitos dos indivíduos. . tais narrativas ganham sentido.

• Cesare Lombroso foi o responsável por definir o perfil do criminoso. Nina Rodrigues propôs um código criminal diferente para negros e brancos. há no brasileiro um hibridismo proveniente das formas culturais diversas aqui presentes e atuantes. índios e negros. declarava que constitui fonte dos atos violentos e antissociais a impulsividade primitiva típica das raças inferiores. A perspectiva colocada por Freyre • Essa perspectiva abriu caminho para que fosse repensada a questão racial no Brasil. sem qualquer outro vínculo como o pensamento científico. A formação cultural brasileira • Ao contrário do que se pensava com as ideias evolucionistas. • d) A introdução de mão de obra escrava na produção açucareira. O enfoque era o de demonstrar a inferioridade desse povo em relação a população européia. A compreensão da sociedade brasileira enfatizariam o peso do meio natural e da raça. a população de escravos ou exescravos representa um conjunto de elementos culturais que se relacionam com outros de origens diferentes (europeia e indígena). A importância do culturalismo • Foi. com base nos estudos de Cesare Lombroso. O culturalismo em Gilberto Freyre • Até então a discussão em torno das diferentes culturas tinha por base os relatos feitos por viajantes. A formação cultural brasileira • A obra de Freyre apresenta uma forma diferenciada de compreender a formação cultural brasileira. as novas obras procurariam chamar a atenção para a importância dos fatores históricos e sociais na formação do povo brasileiro. • d) A cultura europeia iria se sobrepuser aos hábitos e costumes dos outros povos que vivam na Colônia. não sendo mais justificada para análise e explicação de condutas sociais. por fazerem parte de uma raça inferior. A nova abordagem da antropologia enfatiza a importância do trabalho de campo. considerando muito mais do que meramente conceitos biológicos. que Atividade 03 . Algumas considerações sobre a Antropologia Criminal de Lombroso • As proposições de Nina Rodrigues a respeito da mestiçagem baseavam-se principalmente: • a) Na defesa intransigente dos direitos civis dos escravos e seus descendentes. as construções teóricas para a compreensão da sociedade brasileira repousavam na “questão do negro”. Apregoava que o delinquente possuía caracteres próprios. o fim do racismo ou da intolerância de forma geral. • Nina Rodrigues(1894). • Isso não significou. Atividade 01 • Quais os principais aspectos considerados pela Antropologia Criminal em seus estudos? Atividade 02 • Importa destacar uma vertente que deu suporte para a discussão da constituição da sociedade brasileira foi a Antropologia Criminal. • b) Na percepção de que os africanos não respondiam por seus atos da mesma forma que os brancos. • Adepto das ideias de Lombroso. A compreensão da sociedade brasileira • No século XIX. religiosos ou autoridades diplomáticas. • Assim. • Aqui se localiza importância de Gilberto Freyre na geração de uma nova forma de interpretar a formação social brasileira.• A perspectiva defendida por Boas era de que comparar tradições e costumes de sociedade diferentes era improdutivo. absolutamente. • c) Na crença de que a mestiçagem levaria ao aperfeiçoamento da população. • O chamado darwinismo social afirmava que a diferença entre as raças seria superada pela preponderância do grupo mais evoluído. destacando a interação entre as diferentes culturas e suas peculiaridades na formação do povo brasileiro. A perspectiva colocada por Freyre • Para além de análises naturalistas. • b) A baixa estatura dos povos nativos. principalmente romper com a pretensão científica da ideia de raça. • Mas a base de tais atitudes discricionárias ficou ancorada única e exclusivamente na ideologia. • O objeto da Antropologia Criminal no Brasil foi: • a) A presença dos povos ibéricos (portugueses) à frente do processo de colonização. • c) A mestiçagem entre brancos.

filhos e netos. ao lado da lembrança dos hábitos constituídos no cotidiano da casa grande • Em seu texto convive a literatura. Tema 5: Casa Grande & Senzala e a Cultura Brasileira Profª. explicando que os fenômenos sociais não deveriam ser comparados sem que fosse levado em conta o contexto do qual faziam parte. estabelecendo uma distinção entre raça e cultura. explicava que a mistura de raças pode trazer resultados favoráveis sendo adepto da miscigenação. estava baseada na não existência de raças inferiores ou superiores. que eram os representantes principais. Conclusão • O culturalismo de Franz Boas. utilizando-se dos estudos de Franz Boas para explicaras características da sociedade brasileira. Para Freyre. • Naquele momento histórico. Conclusão • O autor pensou a cultura brasileira por meio da Antropologia. • No autor. • A ideia de raça como explicação para condutas sociais vai sendo desmontada sem qualquer vinculação ao comportamento social. A distinção entre raça e cultura no pensamento do teórico. • O patriarca constitui-se em um núcleo econômico e um núcleo de poder. Conclusão • Freyre refuta essas ideias a partir do culturalismo.Conclusão • Há um consenso quanto à dificuldade de enquadrar um método que dê conta de caracterizar o conjunto da obra de Gilberto Freyre. monocultura e escravidão. O patriarcado • A família funcionava como um núcleo composto pelo chefe da família (patriarca). essa organização familiar é presidida pelo Senhor de engenho – o patriarca – e forma uma unidade colonizadora. • Ao contrário. • É na organização familiar que se vão tecendo as características da sociedade em que o patriarcado assume uma função importante. • Entre os adeptos dessas ideias estava Nina Rodrigues que defendia a necessidade de um codigo criminal diferente para brancos e negros. •e um núcleo de membros considerados secundários. O patriarcado • Uma instituição cujo poder abrange desde a família consanguínea até escravos e agregados. a cultura ganha especificidade e torna-se distinta do conceito de raça. formados por filhos . Tem-se assim. por meio da experiência estética da prosa e a ciência. Inovação em Gilberto Freyre • Assim o autor constrói a história da sociedade brasileira. • No seu texto se combinam o rigor do trabalho científico e a subjetividade das memórias familiares. sua mulher. as teorias utilizadas para caracterizar a sociedade brasileira repousavam na concepção de raça. a partir da especificidade cultural e que se organiza no tripé latifúndio. Conclusão • Sua construção interpretativa resultam na descrição do mundo da cana-de-açúcar a partir f da escravidão. Conclusão • Em especial a Antropologia Criminal recorria ao darwinismo social para justificar que a diferença entre as raças seria superada pela preponderância do grupo mais evoluido. a antropologia como área específica do conhecimento. deu suporte para a construção da perspectiva antropológica de Freyre. em que os fatos são descritos e contextualizados com rigor metodológico.Maria Clotilde Bastos Objetivos: • Quais são os pontos principais que fazem de “Casa Grande & Senzala” uma obra clássica do pensamento social brasileiro? • Como é a cultura ganha o estatuto de objeto de estudo desvinculado da Biologia em Gilberto Freyre? • Qual é o papel da família patriarcal na formação da sociedade brasileira? • Como a mestiçagem ganha um novo sentido em Gilberto Freyre? Inovação em Gilberto Freyre • Gilberto Freyre constrói inovadora que promove uma alteração importante na forma de se pensar a sociedade brasileira.

As críticas a Freyre • As ideias de Freyre em alguns momentos da história do Brasil produziram refutações e hostilidades.na alegria. principalmente referentes ao lado positivo da relação entre senhores e escravos. foi a capacidade de o colonizador português relacionar-se com africanas e índias para superar a ausência de mulheres européias. caladas. • Ao escravo. a fala. na musicalidade e numa fala menos dura e mais flexível. a Igreja via-se na situação de tolerar as mais diversas práticas nativas.Colônia.. "família" passou a ser sinônimo de organização familiar latifundiária.ilegítimos (bastardos) ou de criação. 2000) Incorporação de costumes diferentes • Os costumes indígenas e africanos são incorporados. reconhecendo neste tino psíquico. • No Brasil . O papel do colonizador português • O colonizador português traz consigo a experiência que se reflete na sua capacidade de adaptação ao clima tropical e a ausência de preconceito em relação ao negro. alegria. • No Brasil. esta autonomia permitiu aos proprietários de terra governarem sozinhos nos três primeiros séculos de colonização(COSTA. • Ao contrário.. • A metrópole interessada no lucro fácil sem investimentos instigou a iniciativa privada dos colonos que trataram de impor a ordem social e econômica que mais lhes beneficiasse. As críticas a Freyre • Em que pesem as críticas. • Outro grupo bastante crítico foram os marxistas pois viam na idéias de escravismo harmônico e na passividade do escravo a ideologia da dominação. sujas e degradantes. destaca os elementos positivos que perpassam a formação . A estratégia mercantilista trouxe como conseqüência a multiplicação de favores e privilégios aos senhores rurais. na cultura brasileira a influência do negro está presente na sensibilidade e nos valores humanos. que representa as forças que mantém os atores desse processo juntos em sociedade permitindo que vivessem em ordem social. estavam destinadas as tarefas mais pesadas. Os abusos sofridos pelo escravos africano • A violência contra o escravo se dirigia para homens. o fato é que a obra de Freyre desmistificou a noção de determinação racial na formação do povo e refuta a ideia de que no Brasil se teria uma raça inferior. porém a moral católica influencia as tradições e festas que devem permanecer dentro dos limites determinados pela Igreja. amigos. O patriarcado • Do ponto de vista antropológico. esse poder perde força para o senhor da casa-grande. sorumbáticas. Assim. dada o processo de miscigenação. Condições diferenciadas entre índios e negros • Freyre faz uma diferenciação do índio em relação ao negro. serviçais. sociabilidade e naquele populações tristonhas. O papel do colonizador português • Outro aspecto destacado por Freyre. o que provocou a instalação dessa sociedade do tipo paternalista.na mística religiosa. a resistência física e adaptabilidade cultural seria a responsável por fazê-lo insistir na ocupação territorial. agregados e escravos. 1989). • Pelo intercurso com a mulher índia ou negra multiplicou-se o colonizador em vigorosa e dúctil população mestiça (FREYRE. o processo de colonização como um todo. dessa forma. • Frente às imensas dificuldades de permanência no território. A política econômica de Portugal • Na prática. •O autor enfatiza o papel do negro na cultura e na família destacando a música. O valor do conhecimento histórico • É por meio da história que se consegue recuperar os elementos do cotidiano por meio dos quais é reconstruído o funcionamento da família patriarcal e. afilhados. A importância do negro • Para Freyre. o canto de ninar. A política econômica de Portugal • Foi decisiva na organização da família colonial brasileira.mulheres e crianças mantidos em um perene estado de terror característico do sistema escravista. pode-se dizer que o patriarcado funciona como um elemento de coesão social. parentes.

Conclusão • O poder do patriarca foi. os escravos e os homens livres. Conclusão • Freyre destaca a importância da mestiçagem e contraria a visão dominante na época sobre os seus efeitos nefastos. Conclusão • É na forma de organização da família. • Além disso. com isso Sérgio Buarque pôde dialogar com . Freyre não omite as diferenças profundas entre senhores.a concentração da riqueza na casa-grande. como também em boa parte dos intelectuais que fizeram parte do movimento modernista na década de 20. estava organizada pela monocultura. estabelecendo uma distinção entre raça e cultura. Explique qual é o obstáculo ao pleno exercício do poder. o abandono da coroa cria um espaço bem ocupado pelo senhor de engenho. as formas de violência exercidas pelo patriarca. sua discussão toma por base o cotidiano familiar e o patriarcado. resultado da forma como a coroa portuguesa realizou seus objetivos de exploração da colônia. • A família assim vista. • Ainda que influente. Atividade 01 • Qual a distinção entre raça e cultura estabelecida por Gilberto Freyre em “Casa Grande & Senzala”? Atividade 02 • Qual é a importância do estudo do cotidiano das fazendas produtoras de açúcar no a obra de Gilberto Freyre? Atividade 03 Conclusão • Ainda que considere esses aspectos. o artigo falava da importância do Brasil atingir a emancipação intelectual através de uma literatura original inspirada em assuntos nacionais e no “respeito das nossas tradições” (DOMINGOS. a sociedade brasileira. • O negro é visto como importante personagem na formação cultural brasileira.Maria Clotilde Bastos Objetivos: • Quais são aspectos da crítica modernista estão presentes no trabalho de Sergio Buarque de Holanda? • Como se relaciona seu livro “Raízes do Brasil” com o movimento cultural na época de seu lançamento? • Qual é a influência da intelectualidade alemã em seu trabalho? • Quais são os principais aspectos da teoria sociológica weberiana em “Raízes do Brasil”? Sérgio Buarque de Holanda e o modernismo • O primeiro artigo literário de Sérgio Buarque de Holanda foi publicado em 1920 no Correio Paulistano. que se estabelece e se definem as relações entre os indivíduos que tomam parte neste processo. o autor tece considerações sobre a adaptabilidade dos portugueses aos trópicos. é a unidade colonizadora e espinha dorsal da sociedade brasileira. 2010). em parte. • Assim. a igreja católica não exerce o mesmo controle na colônia português. quando o autor tinha apenas 18 anos de idade. Intérprete do Brasil Profª. Conclusão • Gilberto Freyre constrói uma obra inovadora principalmente para o pensamento antropológico e faz uma importante alteração na forma de se pensar a sociedade brasileira. Tema 6: Sergio Buarque de Holanda. Sérgio Buarque de Holanda e o modernismo • Intitulado “Originalidade Literária”. latifúndio e escravidão. • Todos esses aspectos dão sentido à formação da sociedade brasileira em que o colonizador. •Tendo essa estrutura social como pano de fundo. presidida pelo senhor do engenho. Conclusão • Na perspectiva apresentada pelo autor. os índios e os escravos são protagonistas.cultural brasileira composta por tal miscigenação . Sérgio Buarque de Holanda e o modernismo • O tema da identidade nacional esteve presente não só em Sérgio Buarque.

no Teatro Municipal de São Paulo. A análise de Sérgio Buarque de Holanda • Para compreender o significado de algumas atitudes presentes na sociedade brasileira. visando o futuro e como seria a construção de uma nação moderna. Sergio Buarque de Holanda recorre a ideia de “tipos ideais”. está presente a importância dada à história e definiu um método comparativo para recuperar comportamentos e atitudes apresentados ao longo do processo histórico. • A ”compreensão” é um método que ultrapassa a “explicação” em termos de uma definição positiva do fenômeno em análise. em fevereiro de 1922. A crítica feita pelo movimento modernista • O Modernismo tem seu marco inicial com a realização da Semana de Arte Moderna. consiste em entender o sentido que as ações de um indivíduo contêm e não apenas o aspecto exterior dessas mesmas ações. • O movimento é também uma tentativa de redescoberta do Brasil. não só como um movimento artístico e literário. e de forma articulada a uma ideologia. e de Max Weber (1864-1920). • Trata-se de uma forma de compreender os fenômenos sociais por meio de uma tipologia em que se destacam suas principais características. Influência de Max Weber • Max Weber foi considerado um dos “fundadores” da Sociologia. O movimento modernista • Era visto. • O movimento pretendia trazer as influências das vanguardas européias à cultura brasileira. O movimento modernista • O caráter crítico do modernismo brasileiro representou a negação ao formalismo que imperava na cultura naquele momento. uma vez que dizem respeito a formas diferenciadas de interpretação da realidade. O método em Sergio Buarque de Holanda • Em Dilthey o autor apreendeu a oposição entre compreensão e explicação. desenvolveu uma série de instrumentos analíticos. preocupou-se em compreender o a sociedade moderna e. são meros constructos e não tem nenhum objetivo normativo. valoriza a compreensão da origem e trajetória histórica de cada sociedade em suas particularidades para a compreensão de seu estágio atual. impõe um novo olhar sobre as questões culturais. • O Modernismo se preocupa em rever de forma crítica a colonização. mas um movimento de mudança e libertação dos preconceitos e regras que afastavam a literatura de grande parte da sociedade. Influência de Max Weber • Uma das ferramentas de análise construída por Weber foi “os tipos ideais”. O autor e a análise da sociedade brasileira • Sérgio Buarque de Holanda buscava compreender as raízes da organização social brasileira. A análise de Sérgio Buarque de Holanda . O tipo ideal é uma construção teórica. • Nos seus trabalhos. O método em Sergio Buarque de Holanda • Ao visitar Berlin(1929) tomou contato com as sociologia desenvolvida na Alemanha além de um conjunto importante de referências intelectuais tanto na Literatura. • Um tipo ideal construído na sociedade brasileira está o homem cordial e que significa agir em favor próprio e com o coração em detrimento dos interesses coletivos. • O movimento modernista expressava todo o seu inconformismo com uma atitude crítica e buscava uma mudança ampla e estrutural da nossa sociedade. como na História da Arte. Influência de Max Weber • O teórico rompe com as visões evolucionistas. • O autor sofre influência de Wilhelm Dilthey (18331911). da ambiguidade e riqueza de suas contradições. O manifesto antropofágico • A concepção antropofágica indica um devorar crítico da cultura estrangeira e sua adaptação ao panorama brasileiro.outros importantes autores da literatura brasileira. •O método compreensivo. para isso. A partir daí. um modelo abstrato.

em vez disso se alinhou aos Modernistas e partiu para a crítica literária participando da criação de várias revistas. uma análise histórica do . refere-se: • a) Ao trabalho de campo recolhendo manifestações culturais no interior de São Paulo. • Em Weber. da ambiguidade e riqueza de suas contradições. • Assim como o bacharelismo. • d) A busca pelos significados de manifestações culturais. a compreensão da realidade é feita a partir de uma série de instrumentos analíticos.. “Raízes do Brasil”. Conclusão • Sérgio Buarque de Holanda elabora uma visão original da sociedade brasileira. iria lhe oferecer as referências teóricas . o que exige. Ele expõe seus argumentos. para além de sua aparência manifesta. • d) Debate sobre o uso de estrangeirismos pela imprensa. •O contato com a Tema 7: A Sociedade Brasileira Segundo Sergio Buarque de Holanda Profª.por meio da perspectiva interpretativa para construir o quadro da sociedade brasileira. • c) Excessivo dirigismo da Academia Brasileira de Letras sobre a produção cultural. de forma crítica sob influência do modernismo. • b) Ao trabalho de crítica literário feita para o Correio Paulistano. Conclusão • A sustentação teórica de suas análises. Conclusão • [. • O movimento se articulava a uma crítica mais geral à situação nacional. o beletrismo é usado em sentido pejorativo para indicar uma atitude de afetação em relação à cultura.Maria Clotilde Bastos Objetivos: • Como Sergio Buarque de Holanda interpretava as mudanças sociais no Brasil? • Qual o significado de “cordialidade” no livro Raízes do Brasil? • Como a noção de “tipo ideal” aparece no livro de Sergio Buarque de Holanda? Considerações sobre “Raízes do Brasil” • Publicado em 1936. intelectualidade alemã.. • Quando se fala da abordagem “interpretativa” de Sergio Buarque de Holanda. • c) A formulação de conceitos definidores da cultura brasileira.• Outro aspecto destacado por Holanda é a incapacidade da separação entre o espaço público e o privado. Atividade 01 • Um aspecto importante da abordagem compreensiva é a ligação entre um gesto isolado e a cultura de um povo. Como a compreensão de uma atitude pode ajudar no estudo da cultura? Conclusão • Sergio Buarque de Hollanda fez o curso de Direito mas não chegou a advogar. A análise de Sérgio Buarque de Holanda Conclusão • O autor destaca também o bacharelismo que significa a exaltação da personalidade individual a importância que o titulo de doutor confere ao indivíduo. de 1936. Atividade 01 Em que consiste a crítica feita pelo Modernismo brasileiro?: • a) Recusa ao modelo educacional trazido pelos franceses após a Proclamação da República. • b) Crítica ao formalismo reinante nas manifestações culturais que não levava em conta aspectos da realidade brasileira. Atividade 02 • O movimento modernista representou a negação ao formalismo que imperava na cultura naquele momento destacando as características de uma cultura nacional.]o movimento modernista não pode ser resumido a uma crítica da cultura bacharelesca: é uma tentativa de redescoberta do Brasil. tendo sido reeditado e revisado em 1947 é uma obra que visa à compreensão da formação da nossa • sociedade. favorecendo sua existência. • Sob o ponto de vista político representa fazer do espaço público o lugar do interesse privado. advém da influência de Dilthey e também de Weber. • A sociologia compreensiva oferece ferramentas para desvendar o objeto estudado.

A análise de Sérgio Buarque de Hollanda • Nessa perspectiva é que os títulos e o prestígio social sobrepujam os interesses da coletividade e tem mais valor que a universalidade das regras sociais.os portugueses ocupavam os espaços sem qualquer planejamento prévio que limite seu interesse comercial. • Inicialmente o autor caracteriza o colonizador português que concebe os direitos individuais como soberanos frente à coletividade. A análise de Sérgio Buarque de Hollanda • Assim é que o patrimonialismo é implantado pelo Estado Colonial Português. A análise de Sérgio Buarque de Hollanda • O autor analisa as dificuldades do Brasil em modernizar-se. • O autor foi além do habitual. que buscavam executar um projeto. e não pela razão. Considerações sobre “Raízes do Brasil” O sentido do empreendimento dos portugueses • Outro aspecto também destacado é a tentativa da obra de um posicionamento frente ao cenário da sociedade brasileira entre as décadas de 1920 e 1930. • É o mérito pessoal.social. • As concepções da “esquerda” exercem influência e havia um descontentamento que se manifestava em diferentes áreas: cultual. • Numa sociedade moderna. recuperando o histórico da constituição da sociedade brasileira e da infuência portuguesa. O povo sempre está inteiramente fora disso. procurando se munir de uma análise psicológica para construir a formação de nossa sociedade. Holanda. poderes quase absolutos aos senhores de terras. estabelece uma prática políticoadministrativa em que o público e o privado não se distingue perante as autoridades. cujo domínio se estende a familiares e agregados. política. • Esse colonizador é encontrado na figura do patriarca. a qual lhe • recomendaria orientar-se por regras e leis. são executadas por essa elite e em benefício dela. o prestígio do descobridor que ganha destaque. O sentido do empreendimento dos portugueses • O espírito do português tinha a predileção por enxergar o triunfo ao invés do esforço necessário para alcançá-lo. A democracia como um mal entendido • No Brasil. quando o processo de concessão de títulos. Os reflexos na sociedade • A descrição apresentada pelo autor explica a forma como as questões públicas são tratadas na política brasileira. o indivíduo “cordial” é aquele que se orienta exclusivamente pelo “coração”. As lutas. que alcançando a comunidade estabelece o poder político. movido pelos seus interesse construindo uma ética de conduta típica do brasileiro. senhor de terras e de escravos. • A valorização da marca pessoal leva ao patrimonialismo.contexto colonial estabelecido pelos portugueses a partir do século XVI na América. ou mudanças. Considerações sobre “Raízes do Brasil” • Representa um marco historiográfico quando se considera a forma como a história brasileira era contada na época de sua publicação. ou pelas emoções. O homem cordial • “Cordialidade” provém do latim cordis (coração). A análise de Sérgio Buarque de Hollanda • Assim se estrutura a influência do patriarca. é óbvio. • De forma diferente ao projeto de colonização dos espanhóis. É o poder patriarcal definindo a forma como o pessoal se impõe sobre o coletivo. sempre foi uma camada minoritária que decidiu. de terras e O sentido do empreendimento dos portugueses • Ao descrever e analisar esses comportamentos. interpreta o processo de colonização e depois de ocupação econômica do território da América portuguesa • O português aventureiro. É a oposição entre o ladrilhador e o semeador. Uma perspectiva de futuro em . a igualdade de direitos representa uma condição fundamental para a prática democrática.

Trata-se de uma representação do indivíduo que dá as costas ao mundo formal na procura da realização de interesses próprios e daqueles que lhe são próximos. • identifica os entraves que levariam a uma sociedade moderna. uma vez que as regras de conduta do mundo moderno. os descobrimentos incentivavam a busca por grandes façanhas. Conclusão • Sergio Buarque cria a figura do “homem cordial”. • A influência do poder paterno.Maria Clotilde Bastos Objetivos: • Como surgiu a discussão em torno da “identidade nacional” no Brasil? • Quais as principais mudanças colocadas ao campo das Ciências Humanas a partir da profissionalização da pesquisa? • Quais os impasses colocados por Caio Prado Jr. Gilberto Freyre e Sergio Buarque de Holanda? Os “intérpretes” do Brasil • Cada um dos autores procurou demonstrar .mas via possibilidades para o futuro. Conclusão • De acordo com o autor. o mérito pessoal. • A combinação entre o prestígio individual e o amor pelos títulos de nobreza faz desse colonizador descrito no livro um protótipo do patriarca encontrado nas grandes fazendas. universais e impessoais. Atividade 2 • Qual a importância dos “tipos ideais” na explicação sociológica? Atividade 3 • Qual foi o problema surgido com o uso do termo “cordial”. Tema 8: Uma Síntese sobre a Sociedade Brasileira Profª. Conclusão • A evolução política e social do país tenderia a fazer desaparecer essa figura do homem cordial. tenderiam a se impor enquanto uma prática de vida social(ORLANDINI. Atividade 1 • Na construção do “homem cordial” por Sergio Buarque de Holanda são importantes os seguintes aspectos: • a) A mestiçagem e a imigração europeia.Holanda Conclusão • O autor não somente analisava o presente. afinal. • c) A Revolução de 30 e a fundação da USP. • b) O espírito aventureiro do português e o patriarcalismo. • d) Sua formação de advogado e o trabalho como jornalista. as circunstâncias favoreceram o espírito português. E. o prestígio do descobridor ganha destaque. fazendo que a rotina do trabalho metódico fosse abandonada pela aventura das descobertas. ao fazê-lo. com a qual o autor entrou contato quando visitou o país.. seria numa maior participação das sociedade resolvendo problemas históricos de exclusão das camadas pobres.2013).Assim é que essa figura tende a desaparecer com a evolução social e política do Brasil. Uma perspectiva de futuro em Holanda • A revolução brasileira implica em rompimento com as raízes rurais e patriarcais e com os vícios políticos e sociais vigentes. de novo. • Essa mudança social também seria a responsável pela superação da democracia como um mal entendido. Sergio Buarque de Holanda recupera alguns traços da influência portuguesa na colonização e. Conclusão • Para descrever o ambiente em que se constitui a sociedade brasileira. quando do lançamento de Raízes do Brasil? Conclusão • Raízes do Brasil reflete alguns elementos da Sociologia alemã. • O propósito de Raízes do Brasil foi marcar uma posição frente ao ambiente que ia se formando no Brasil ao longo das décadas de 1920 e 1930. se transforma em poder político que alcança a comunidade como um todo. seria uma mudança lenta em virtude da estrutura em que o Brasil estava montado. Uma perspectiva de futuro em Holanda • A solução para o descompasso entre a sociedade e o Estado. • Para o autor.

A inovação nos três autores – Sérgio Buarque de Holanda • Analisa a forma como a organização política no Brasil se dá. cujas raízes se encontram no distanciamento da coroa em relação a organização social da colônia. O pioneirismo dos autores • O contexto social apresentava questões prementes tais como a racial. A inovação nos três autores • Principalmente. mas também sua forma de interpretá-lo. o contexto social apresentava problemas.. Assim. é tido como ultrapassado depois da queda do Muro de Berlin e da crise dos regimes socialistas. (ORLANDINI. dá ensejo para uma forma particular de dominação que molda a cultura política. • As características da colonização portuguesa. A inovação nos três autores • Do ponto de vista científico. Crítica ao embasamento teórico dos trabalhos • A noção de cordialidade. São colocados dentro de uma narrativa articulada a colonização portuguesa. A inovação nos três autores – Caio Prado Júnior • Inova a partir da interpretação que dá à ocupação do território no interior de um processo de constituição do capitalismo. As críticas • Alguns críticos se referem que as descrições dos autores são genéricas e negligenciam as diferenciações regionais. o autor integra aspectos relacionados ao colonizador português e a forma como se adapta à vida nos trópicos e ainda a incorporação da cultura indígena e africana. também teria sido superada pela impessoalidade e pelo individualismo crescentes no Brasil contemporâneo. há o estabelecimento de recortes mais focalizados. não só o objeto é novo. A atualidade das obras • Gilberto Freyre apresenta a mestiçagem numa perspectiva diferente. que segundo os dirigentes. a partir do método oferecido pelas ciências sociais. • O Culturalismo de Gilberto Freyre teria perdido sua força explicativa em razão das transformações demográficas que fizeram com que a família patriarcal perdesse força. • O sentido da colonização. A inovação nos três autores – Gilberto Freyre • Ao analisar a organização social brasileira a partir da vida privada.2013) O campo das ciências sociais no Brasil • Com o interesse dos Centros de Pesquisa e Pós-graduação pelas estudo da sociedade e o consequente aumento de pesquisas.as características da sociedade brasileira numa perspectiva histórica. • Outro aspecto é que a industrialização levou a modernização o que ocasionou diferenciação social impedindo uma caracterização do país. Crítica ao embasamento teórico dos trabalhos • O marxismo. o quadro em que se desenhava a sociedade brasileira era sombrio e a perspectiva colocada para a resolução dos problemas era o totalitarismo. • Com isso. cujo centro estava no sistema patriarcal. o fato de interpretarem o Brasil a partir de uma perspectiva interna e considerando todos os atores desse processo. a mestiçagem e a sociabilidade construída. os movimentos sociais que deveriam ser reprimidos para que fossem controlados. aparece em função do objetivo da empreitada portuguesa dentro de um momento especial da acumulação capitalista. o que é específico. deixando de enaltecer feitos individuais. as críticas feitas sustentam-se na própria história das ciências sociais no Brasil. avesso a convivência com a diversidade. em que a integração das culturas dá as características do povo brasileiro • O recriar da história da sociedade brasileira . • Assim. dentro do antigo sistema colonial. deveria ser resolvido por outra via que não a democracia. a história passa a ser explicada numa outra perspectiva. • Seus escritos tiveram originalidade provocando adesões e contradições. apresentada por Sergio Buarque de Holanda. O pioneirismo dos autores • Na época em que as obras foram escritas. de Caio Prado Jr.

privacidade. • Dentre as críticas. • c) A ausência de particularidades regionais e históricas em favor das conclusões em torno do país como um todo. Gilberto Freyre e Sergio Buarque de Holanda Conclusão • A Semana de Arte Moderno em 1922. A atualidade das obras • Caio Prado Júnior também olhou para a fazenda de café. (SANTIAGO.em que a vida privada serve de cenário para caracterizar os tênues limites entre a particular e o público. • Suas obras são orgânicas pela forma crítica e a tentativa de transformação no conhecimento da história. também retrata a violência e a discriminação. Conclusão • Cada um a seu modo. O homem cordial representa a maneira como as questões de interesse privado são tratadas no âmbito do espaço público. • Nessa perspectiva. Atividade 1 • Como justificar a denominação “Intérpretes do Brasil” dada por Antonio Candido aos três autores estudados neste tema? Atividade 2 • Qual aspecto é destacado na crítica ao caráter generalizante das conclusões presentes em Casa Grande & Senzala. 2012) Conclusão • Gilberto Freyre busca explicar as condutas por meio da compreensão dos atores envolvidos. foram objeto de muitas críticas. destacam-se aquelas que se referem a generalização feita na análise da sociedade brasileira. governo. e utiliza os tipos ideais para caracterizar sua análise.o autor confere ao relacionamento entre dono de engenho e escravo certa estabilidade. colocadas em um perspectiva histórica. porém para construir uma análise partindo de uma dinâmica maior. • A justiça patriarcal.2013). • d) O equivoco no tratamento do processo de colonização que se desenvolveu no Brasil. que deixa de lado aspectos regionais. Caio Prado Junior. A partir daí. a massa popular aparece como sujeito da história. A atualidade das obras • Guardadas as diferenças de objeto de estudo ou quanto ao método empregado. (SANTIAGO. a forma de constituição do capitalismo interferiu na vida da fazenda. Raízes do Brasil e Formação do Brasil Contemporâneo? • a) O excessivo regionalismo. pode ser considerada como importante referência no processo de redescoberta do Brasil. A atualidade das obras Conclusão • Sérgio Buarque de Holanda. na vida do colono e na de cada um dos atores desse processo. 2012) Conclusão • Sergio Buarque de Holanda destaca as instituições políticas. Atividade 3 • A “colonização portuguesa” é um aspecto merecedor de atenção nos três livros tratados neste tema. Mostre o enfoque oferecido em cada um deles. os três autores mostram-se atuais na medida em que as questões que elencaram em suas obras estão longe de estarem superadas (ORLANDINI. onde os intelectuais voltam-se para a expressão mais natural da cultura brasileira. reconstrói o constituição do comportamento político. • Em que pese a importância das obras.a partir da vida privada. autonomia dos senhores e miscigenação não significa ausência de tensões emocionais. Conclusão • Caio Prado Jr aplica o materialismo dialético na interpretação da história do Brasil. mostraram de forma original as peculiaridades • da sociedade brasileira. • b) O uso equivocado do processo histórico. .