You are on page 1of 3

Nesta disciplina, discutimos as temáticas centrais referentes ao século XX, tais como

revoluções sociais, modernismo, modernização, nacionalismo, reformismos políticos,
identidades culturais, democracia e ditadura, integração latino-americana. Escolhemos
fontes documentais diversas para trabalhar com os alunos e estabelecemos diálogos
constantes com outras áreas do conhecimento. É importante salientar que a escolha de
um recorte como “o século XX” não se justifica simplesmente como corte cronológico
seco e sim como conjunto de temáticas históricas e problemas interligados. Ainda que
tenhamos uma visão horizontal do conjunto dos países da América Latina, estudamos
mais verticalmente algumas sociedades nacionais da especialidade de cada docente.
Discutimos também o uso de metodologias de análise de documentos históricos e a
identificação de problemáticas históricas para subsidiar o ensino de História.
CONTEÚDO A –
I. México. 1. A Revolução de 1910: indigenismo e releitura de uma mitologia nacional
2. Do estridentismo ao surrealismo: arte e revolução nas vanguardas 3. Vozes da Selva
Lacandona: a persistência do zapatismo II. Cuba 1. Os sentidos da mestiçagem: o
negrismo de Nicolás Guillén e Fernando Ortiz 2. Do real maravilhoso à rede de
imagens: percepções cubanas da América 3. A Revolução de 1959 em três tempos III.
Argentina 1. Redescoberta ou invenção da pátria na aventura das vanguardas 2.
Mitologias nacionais e americanas no peronismo 3. O obscuro país: vozes militares IV.
A América no espelho do XX: entre labirintos e maravilhas
CONTEÚDO B –
1 - Modernização na América Latina da passagem do século. 2 - A guerra de
independência de Cuba e seu impacto na identidade hispano-americana. 3 - O
modernismo e a busca de raízes. 4 - O nacionalismo latino-americano nos anos 1920 1930: a direita radical. 5 - A Revolução Mexicana. 6 - Imagens do México
revolucionário: fotografia e pintura. 7 - Política de massas e controle social na América
Latina: propaganda política. 8 - Arte e política na América Latina Contemporânea:
realismo social. 9 - A Revolução Cubana. 10 - História e Identidade na América Latina.
11 - O ensino de História da América e os materiais didáticos.
Bibliografia
ACHUGAR, Hugo. “Nosso Norte é o Sul”. A propósito de representações e
localizações. In. Planetas sem boca. Escritos efêmeros sobre Arte, Cultura e Literatura.
Belo Horizonte, Editora UFMG, 2006; p. 279-296.
CORNEJO POLAR, Antonio. El indigenismo andino. In. PIZARRO, Ana
(org.). Palavra, literatura e cultura. São Paulo: Memorial; Campinas: UNICAMP, 1994,
v. 2; 719-738.
GARCÍA CANCLINI, Nestor. El patrimonio cultural de México y la construcción
imaginaria de lo nacional. In. FLORESCANO, Enrique (Coord.). El Patrimonio
Nacional de México. México, Fondo de Cultura Económico, 1997; p. 57-86.

SCHWARTZ. – Latin American Relations. Ariel. VAUGHAN. Beatriz. El proyecto político del zapatismo. SARLO. TERÁN. campesinos y escuelas en México. 1956-1966. REIS. WARMAN. p. Vanguardas latino-americanas: polêmicas. São Paulo. La política cultural en la Revolución: maestros. 1943-1973. Sobre la violencia revolucionaria. Hugo. Ricardo D. 71-107. 1998. p. Revuelta. KATZ. Beatriz. 291-305. Edusp. Durham. 2014. 2007. p.. In. 3-103. 13-95. Close Encounters of Empire: writing the Cultural History of U. Siglo XXI. . GUTIÉRREZ. Lorenzo e AGUILAR CAMÍN. In. Siglo XXI. Leandro H. Cultura ilhada: imprensa e Revolução Cubana (1959-1961). p. 1930-1940. Alameda. Memorias y olvidos. 1995. Era. MISKULIN. traductores y vanguardistas. 152-165. ROMERO.GOMES. Gilbert. 1997. Sílvia César. 2013. 136-140. WOMACK Jr. Jorge. Luis Alberto. Héctor. Oscar. VEZETTI. Siglo XXI Editores. “La integración de las masas a la vida política y el totalitarismo”.S. Buenos Aires: Ariel. Mateus Fávaro. John. 1991. Duke University Press. Sectores populares. Puntosur Editores. Ernesto. rebelión y revolución. In. 49-84.SARLO. L. São Paulo. La batalla de las ideas. p. Nuestros años sesentas. México. Sociedades barriales y bibliotecas populares.. anos 1960/70. “El otro rostro del peronismo”eGERMANI. p. LEGRAND. 2001. La máquina cultural: maestras. FCE. y ROMERO. 1910-1989. Americanismo(s) no Uruguai. uma ponte une”: conexões transnacionais na canção engajada na América Latina.. cultura y política: Buenos Aires en la entreguerra. Friedrich. 2001. São Paulo: Edusp: Iluminuras: FAPESP. Catherine and SALVATORE. 2003. La formación de la nueva izquierda intelectual en la Argentina. SABATO.p. A. Mary Kay. Dissertação de Mestrado. MEYER. 1998. Caio de Souza. 29-71. La lucha rural en México del siglo XVI al siglo XX. 220-221 e p. 1990. p. Buenos Aires. Gino. México. 2009. JOSEPH. Buenos Aires. 2000. México. Zapata y la Revolución Mexicana. p. Buenos Aires. Buenos Aires. São Paulo: Xamã. manifestos e textos críticos. À sombra da Revolução Mexicana: história mexicana contemporânea. 387-397. Os olhares entrecruzados dos intelectuais sobre a América Latina e os Estados Unidos (1917-1969). Arturo. 81-95. “Quando um muro separa. p. História Social-USP.