You are on page 1of 16

PRO

OGRAMA
A DAS DISCIPL
D
LINAS
PRO
OCESSO
O SELET
TIVO FU
UMEC
BIOLOGIA
I – O AMBIEN
NTE
1 . Ba
ase do funcioname
ento dos sistemas ecológico
os
2. In
nterações
s do home
em com a natureza
a
3. Co
ondições ambienta
ais e a sa
aúde
II – A DIVER
RSIDADE
E
A–N
Na Organiização
1. Nív
veis de organizaçã
ão dos sisstemas biológicos
2. Prrocessos fundamen
ntais da fisiologia celular: respiraçã
ão, fotoss
síntese,
síntese protéic
ca e divis
são celula r (mistos
se e meiose).
3. No
oções bás
sicas dos tipos de ttecidos e sistemas
s humano
os e dos tipos
t
de
tecido
os e siste
emas de vegetais
v
ssuperiores.
B–N
Nas características dos grup
pos de seres vivos
1. Ca
aracterístiicas geraiis dos vír us
2. Ca
aracterístticas gera
ais, condiições de hábitat, adaptaçõ
ões, impo
ortância
ecoló
ógica e ec
conômica dos segu
uintes gru
upos: Bactérias, Al gas e Fun
ngos.
3. Ca
aracterístiicas morffológicas e adaptattivas das Plantas
4. C
Caracterís
sticas ge
erais doss seguinttes grup
pos anim
mais: Ana
alídeos,
Molus
scos, Artrrópodes e Vertebrrados.
III – CONTIN
NUIDADE
E DA VID
DA
1. Tip
pos de reprodução
o e fecund
dação.
2. Re
eprodução
o humana
a, método
os contrac
ceptivos, DST e AIIDS.
3. E
Etapas do
d
dese
envolvime
ento hum
mano atté gástrrula e
embrrionários.

anexos

IV – HEREDI
ITARIEDA
ADE
1. Ma
aterial genético; co
omposiçã
ão. Estrutura e dup
plicação d
do DNA.
2. Có
ódigo genético e mutação.
m
3. Fu
uncionam
mento dos
s genes; noções de
d transc
crição, trradução (síntese
(
proté
éica) e reg
gulação.
4. Leis de Men
ndel
Pág. 1

d) Fo orças de ação a e rea ação e) Pe eso de um m corpo. ve elocidade angular e período.2. 6. e) Em I. F a) De ensidade. f) Mo ovimento circular: força ce ntrípeta. F FORÇAS E LEIS DE E NEWTON N a) Ve etor força. b) De efinição de pressão o..4. b) Eq quilíbrio de d uma pa artícula e conceito de inérciia. d) Prressão atm mosférica. c) Re elação enttre força. T TRABALHO O E ENER RGIA Pág. c) Pre essão no interior de d um flu ído. Grrupos san nguíneos 7. m I. forças de attrito está tico e cin nético e tensã ão em corrdas. mpuxo. C CORPO RÍÍGIDO a) To orque. c) Mo ovimentos s em linha reta co m acelera ação cons stante. No oções bás sicas de genética d de populações 8.1. força no rmal.5.3. Ap plicação dos d conhe ecimentoss atuais de d genétic cas na teccnologia do DNA recom mbinante. d I. 2 . b) Co ondições de d equilíb brio para translaçã ão e rotaç ção. FLUIDOS I. in nfluência do referencial na v velocidade e na tra ajetória. Padrões de d heran nça: auto ossômica. aceleraçã ão centríp peta. d) Co omposição o de mov vimentos em uma mesma direção. ligada ao sexo o (domin nante e reces ssiva). massa e aceleraç ção. FÍS SICA I. b) Ve etor veloc cidade e vetor v acelleração. c) Ce entro de massa. C CINEMÁTIICA a) Sis stema de e referênc cia: especcificação da d posição de uma a partícula a. velo ocidade tange encial.5.

c) Re elação enttre trabalho e ene rgia cinéttica. II – TERMOD DINÃMIC CA II. 3 da .3 – Calor a) Co onceito de e calor.1 – Temperratura a) Co onceito de d temperratura.2 – Gases Ideais a) Eq quação de e estado de d um gá ás ideal. b) En nergia cinética. f) Po otência.6. II. g) En nergia pottencial elá ástica. b) Fo orça resta auradora no n sistem ma massa//mola. c) Co olisões elá ásticas e inelástica as em um ma dimens são. M MOVIMEN NTO LINEA AR (QUAN NTIDADE DE MOVIIMENTO) a) M Momento linear.7. G GRAVITAÇ ÇÃO a) Le ei da Grav vitação Un niversal. b) Modelo cin nético de um gás ideal: in nterpretaç ção semiq quantitativa press são e da temperat t ura. M MOVIMEN NTO HARM MÕNICOS S a) Pê êndulo sim mples. conv vecção e radiação. c) Tra ansmissão de calo or: conduçção. d) En nergia pottencial grravitacion nal.4 – Primeira Pág. l b) Co onservaçã ão do momento lin near. II. I.a) Trabalho re ealizado por p forçass constanttes. b) Ca apacidade e térmica e calor e específico. e) Co onservaçã ão de ene ergia meccânica. r a Lei da Termodinâ T âmica II. I. b) Dilatação té érmica de e sólidos e líquidos s – estudo o semiqu antitativo o c) Dillatação anômala da d água.8. I. c) Os scilador amortecido o: análise e qualitativa.

a) Trabalho e energia interna. b) Re elação enttre calor. b) Ve elocidade de propa agação. endimento o de máq quinas térrmicas e sua relaç ção com a Segunda lei da b) Re Term modinâmic ca.. II. b) Fu usão. e) Interferênc cia e difração – esttudo qualitativo. eito Dopp pler – aná álise semiiquantitattiva.6 – Segunda Lei da Termodin T nâmica. período. e) Efe IV – ÓPTICA A IV . inte ensidade. cond densação o e sublim mação. c) Re eflexão de e ondas sonoras. c) Ca alor latentte. d) Diagrama de d fase prressão x ttemperattura. c) En nergia inte erna e tem mperaturra de um gás ideal – estudo o qualitativo d) Trrabalho em m um dia agrama prressão x volume. c) On d) Re eflexão e refração – estudo semiqua antitativo.1. trabalho o e energia interna. a) Transforma ações de energia e n nas máqu uinas térm micas. d) Interferênc cia e supe erposição de ondas s.1 – Luz a) Propagação o da luz. ndas esta acionárias s em uma ento de f) On a corda: relação entre o ccomprime onda e o com mprimento o da corda a. v II. Pág. vaporiza ação.2 – Som a) Alttura. III – ONDAS S III. Ondas Mecânicas M s em Uma a e em Du uas Dimensões a) Am mplitude. líquidos e gases. III. 4 .5 – Mudanç ças de Fas se a) Só ólidos.. freqüênccia e comprimento de onda. solid dificação. timbre. ndas longitudinais e ondas ttransvers sais. b) Ve elocidade de propa agação e sua relaç ção com o comprim mento de onda e com a freqüên ncia.

d) Instrumenttos óptico os simpless: máquin na fotográ áfica. V. spersão da d luz. e) Olho humano. V.. Natureza a Ondulattória da L Luz a) Interferênc cia e difração da lu uz – estud do qualita ativo. b) pillhas e batterias e suas s assocciações em e série e em para alelo. b) Lin nhas de força. nhas de in ndução. e) Efe eito Joule e V. C Circuito Elétricos E a) Re esistencia a elétrica.2 – Campo Elétrico a) O vetor cam mpo elétrrico. V–E ELETROM MAGNETI ISMO V. b) Diferença de d potenc cial entre dois ponttos de cirrcuitos ressistivos simples. 5 – Campo Magnétic co a) O vetor ind dução mag gnética.2. IV. d) Po otência elé étrica. C Corrente Elétrica a) Co orrente contínua c – aborda agem qua antitativa a e corre ente alterrnada – abord dagem qu ualitativa. V. – C Carga Elé étrica a) Processo de e eletrização por a atrito. b) Lin Pág. b) Co ondutor e isolante elétrico. 5 . c) Força eletro omotriz. c) Lei de Coulomb. c) Formação de d imagen ns de obj etos reais s por espelhos e le entes.3.b) Re eflexão e refração da luz. f) Dis g) Co or de um objeto. c) As ssociações s de resis stências e em série e em para alelo.4. porr contato e por ind dução. lupa a e projetor. f c) Ca ampo eléttrico em condutore c es. d) M Movimento o de cargas punttais em uma região com campo elétrico uniforme.

a) Le eis de Fara aday e de d Lenz. e) Ím V. mã. b) Fo orça eletro omotriz. bússo ola e eletrroímã. d) Campo ma agnético de um ffio retilín neo perco orrido po or uma corrente c contínua.6 – Indução o Eletroma agnética. B b) Ab bsorção e emissão de radiaçção no modelo m de Bohr.7 – Ondas Eletromag E gnéticas a) On ndas eletrromagnétticas: sua a constituição e sua propag ação. 6 . GEOG GRAFIA Represen ntação do o Espaço o Geográ áfico I–R 1. suas rela ações com m a dinâ âmica do relevo e com a ocorrrência de recursos mineraiss. VI. a) Po b) Eq quivalênciia massa//energia. II – Recurso os Natura ais. VI. A tectônica a global.c) Fo orça mag gnética so obre carg gas elétricas em movimen nto e sob bre fios conduzindo co orrente elétrica.3 – Relatividade Res strita ostulados da teoria a da relat ividade re estrita.1 – Quantiz zação da Energia onceito de e Fótons: caráter d dual onda a/partícula da luz. c) Ge erador elé étrico e trransforma ador – estudo sem miquantita ativo. VI – FÍSICA MODERN NA VI. V. Meio o Ambien nte e Soc ciedade 1.2 – Estrutu ura do Áto omo a) Mo odelo atômico de Bohr. a) Co b) En nergia do fóton. Pág. Re epresenta ação e doc cumentaçção cartog gráfica.

6. Dinâmica e Condiçõ ões de Vida 1. As s formas de d organização do espaço geográfico g o. Os s oceanos s e os rios s. o comé ércio e o ttransportte. 4. 2. disttribuição e mobilid dade das populações rural e urbana. 3. os fen nômenos meteorollógicos e climático os e as ca ausas e conse eqüências s das mud danças cl imáticas globais. a imp portância da ativid dade agríícola na econo omia. 5. sua im mportância a em term mos de re ecursos naturais. zação do Espaço IV – Organiz 1. a vegetaçã ão. A atmosferra.2. de es stratégias s política e econôm mica. su ua devas stação e a ques stão da biodiv versidade e. 6. políticas de indus strializaçã ão e tend dências re ecentes. 4. A organiza ação do espaço urbano industrial no Bra sil. Ind dicadores s de desenvolvime ento socia al. A c circulação o. e os s problemas da polluição. Organiza ação do Espaço E B Brasileiro o V–O 1. problemas e perspecctivas. fonte es alternativas de energia. estru utura. produção p e consum mo. A o organizaç ção do espaço e a questão ambienta al no Brassil. 9. problemá ática energética da a atualida ade. Os s recursos s mineraiis e energ géticos. O Os recursos energ géticos: distribuiç ção espac cial. A organiz zação do o espaço o rural: fatores de dese envolvimento e distribuição da as ativida ades. 4. o comércio c e o tra ansporte e suas implicações na organ nização do espaço. A cobertu ura vege etal prim mitiva. III – Populaç ção. 2. A organizaç ção do es spaço rurral. C Condiciona antes ec conômico s. A o organizaç ção do es spaço urb ano-industrial: fattores de d desenvolv vimento e disttribuição das ativid dades. O mercado interno e as relaçções come erciais externas. A interação o entre o clima. o relev vo. 10. prroblemas e perspe ectivas. a hidrrografia e o solo no es spaço nattural bras sileiro. 2. Os s diversos s tipos de e divisões regionais s do território brassileiro. A As regiões s geográficas brasiileiras. conse ervação e esg gotamento. sociais e culturais d do crescimento. 7. ssua impo ortância econô ômica. A circulaç ção. 7 . 3. O desenvolvimento sustentáv s vel. 8. Pág. fonttes tradicionais. A distribu uição es spacial d da indústtria bras sileira. 3. 5.

a rev volução in ndustrial. A o ordem po olítica nas s América as no séc culo XIX. sua ocupação o humana a e seu aprov veitamento. Ex xpansão im mperialistta. a revoluçção cientíífica. religiosa as e polítticas do mundo conte emporâne eo. étnicas. 6. HIST TÓRIA 1. Os s grandes s focos de e tensão n no mundo o atual. ESPA ANHOL Pág. 8. B Bipolaridade e tens sões nas á áreas de influência a. 9. 5. A era das revoluçõe r es – abran nge as re evoluções s tais com mo o ilum minismo.11. Os s grandes s conjunttos natura ais do glo obo. A redefiniç ção da orrdem mun ndial nos anos 90. As s questõe es demográficas. 3. P Processo de d descolinização. 4. VI – Organiz zação do Espaço Mundial 1. 4. Co onsolidaçã ão da ordem capita alista. C Causas e conseqüê c ências dass desigualdades re egionais. 11. 2. A ordem econômica mun dial e sua s expressão po olítica. ormação do d mundo o modern o. Sis stema colonial nas s América as. As s experiên ncias de integração o econôm mica e política de ccaráter regional. 12. A Europa às s véspera as da exp pansão ulttramarina a. 14. as revoluçõe r es burguesas nas suas várias dimensões no conte exto europ peu. Fo 3. P Política. Os s mundos s do trab balho – re efere-se tanto à formação f do prole etariado indus strial euro opeu quanto às es truturas escravista e as nas A Américas. 5. 10. 7. As crise es do pe eríodo e ntre-guerrras – abrange a acontecimentos delim mitados pe ela Primeira e pela a segund da Guerrras Mundiiais. social e demo ográfica. 6. 8 . ec conomia e socieda ade na Am mérica Latina no pó ós-1930 13. Ide eário políítico do sé éculo XIX X. 2. As s questões ambien ntais com uns e as específicas dos pa aíses rico os e dos paíse es pobres.

Vo oz passiva a. inte errogativo os e excla amativos. 7. artigos. “ 9. aume entativos e diminuttivos. Sis stema verbal. 3. Ad dequação o pragmá ática: uso o apropriado de variantes v lingüísticas. d emonstra ativos e prono omes. 6. Co omparação de adje etivos e d de advérbios. A Adjetivos:: posses ssivos. Ca aso genitivo. 3. 4. Arrtigos defiinidos e in ndefinido s.. A v voz passiva. A Adequação o conceiitual. 5. 2. Sis stema verbal. 4. negativa as e interrrogativas. LÍNG GUA POR RTUGUES SA E LITE ERATURA A BRASILEIRA I – C Conhecim mentos Lingüísti L icos Aplicados à Leitura a e a Pro odução de Te extos 1. Fo ormação de d palavra as: prefix xos e sufix xos. 6. po ossessivos s. demo onstrativo os. D Discurso indireto. Graus do adjetivo o. As s partícula as “lo” e “se”. 8. P Pronomes s: pesso oais. inde efinidos. co ontexto. inte erlocutor. conju unções. relatiivos e inte errogativos. 9 . nume erais. qualitativos. Pre eposições s e locuçõ ões prepo osicionais. Fo ormas afirrmativas. Ad dvérbios e conjunç ções. 2. 10. 2. Su ubstantivo o: Gênero o e núme ro. indefinido os. tema. Orrações rellativas e condicion c nais. 9. LÊS INGL Aplica ação de conhecim c entos gra amaticais de nível intermed diário Em d diferentes contexto os 1. d demonstra ativos. 10. pe ertinência. 5. 8. Dis scurso ind direto.1. de acord do com a organização cconceitua al e form mal do ttexto e com c as situações de comunicaç c ção – locu utor. P Preposiçõe es. 7. Ele ementos coesivos: advérbiios. relevância e articulaçã ão dos Pág.

da con ncordância a e dos mecanism mos de coesão.  Identida ade da Litteratura B Brasileira: Pág g.  Relações  Os gêne eros literá ários: poe esia. pontuação.  ao emprrego de te empos e modos ve erbais. citação. Ex xpressão adequada a a quanto:  à seleçã ão vocabu ular. e enredo. o re elações da a Literatu ra Brasile eira com outras o lite eraturas. pastich he e outtras form mas de ap propriação o textual. o prrocessos metalingü m üísticos no texto literário. Co orreção. espaço. Noções de Teoria da a Literatu ura:  A literattura com mo arte d da palavra a e a ob bra literárria como objeto estético e semiológico. paráfrase. s da litera atura com m a histórria e a cultura brassileira. ponto de vista. a:  Elementtos da narrativa e da poesia o pe ersonagem m.  A interttextualida ade e a metaling guagem na n compo osição do o texto literário: o pa aródia. atura Bra asileira e o proce esso histó órico de constituiição da  A Litera identidade nacion nal: o o particularr e o univ versal na Literatura a Brasilei ra. o as spectos so onoros e visuais.  à estrutturação sintática s e semânttica dos termos n na oração o e das orações no períod do. narra ativa e te eatro. 2.  à paragrrafação.  ao emp prego da regência a.argum mentos e textos – intertex xtualidade e-coerênc cia.  ao emprrego de nomes n ep pronomes s. Literatura Brasileira a:  Noções da histó ória da litteratura brasileira a: do pe eríodo collonial à atualidade. tempo. 1 10 .. p . de d acordo o com a n orma cultta:  na grafia a. 4. o prrocessos metafóric m cos e mettonímicos.  no emprrego de sinais de p atura II – Conhecimentos de Litera 1. 3.

9. III – Língua Portugu uesa: Asp pectos Gramatica G ais 1. 7. Elementos da organizaç o ção texttual: segmentaçã ão. 2. Op perações de adiçã ão. egência no ominal e verbal. fatoração f em prod dutos de primos. potenc ciação e radiciação. MATEMÁTICA A I–L Linguage em Básica de Con njuntos Pertin nência. gráficos e tabelas. subtração o. O pronome e seu em mprego. multip plicação. Ponderad da e Geom métrica. III – Número 1. Co oncordânc cia nomin nal e verb bal. algorittmo da divisão. Pág g. 1 11 . 3. 4. Inte eiros. No oções bás sicas de lógica: fa azer inferrências. máximo o divisor comum. Ra acionais e Reais. o a língua fa alada no Brasil e sua aprropriação pela Litteratura Brrasileira.  Inteiros – múltiplos e divissores. africanas s e americanas. Va ariação lin ngüística: as diverssas moda alidades do d uso da a língua. Mé édias: Aritmética. Estrutura do período o e da ora ação: asp pectos sintáticos e semântic cos. quoc ciente e rresto.  Racionais e reais – repressentação decimal. orde enação. O nome e seu s empre ego. A reta numérica. d valor abssoluto. E articu ulação. Pro opriedade es espécífficas de ccada um destes d conjuntos:  Naturais s – múltip plos e div visores. de d setore es. 2. mínimo múltiplo o comum m. união e interseçã ão de con njuntos.o fatores constitutivo os da Litteratura Brasileira a: as trradições cu ulturais eu uropéias. in nclusão. im mplicaçõe es e nega ações a partirr de afirm mações. de seg gmentos. Grráficos de e barras. ig gualdade . 5. 4. divisão o. 2. 3. Re 6. Fo ormação de d palavra as. os Natur rais. 8. ento da Informaç I ção II – Tratame 1. O verbo: em mprego de d temposs e modos.

Ra aízes de produtos p de d polinô mios do 1º 1 e do 2º graus. Interp pretação g geométric ca. VII – Equaçõ ões e Ine equações s 1.IV – Unidade es de Me edida 1. 6. 3. Ângul os na circ cunferênc cia. VIII – Anális se Combinatória e Probabilidade 1. 7. Juros simples e composto. Po orcentage em. inde ependência de eve ntos e ev ventos complemen ntares.. ombinaçõe es. 2. IX – Geomettria Plana a 1. semi-re etas. Co mutações ade da união de 3. Ide entidades s algébric cas notáve eis. Po olinômios com coefficientes rreais. Op perações com exprressões a algébricas s. Ele ementos primitivos s. Ine equações s de 1º e 2º graus . Re etas perpe endiculare es e retass paralela as. t ve elocidade e e massa a. 3. Congruê ência e se emelhança a de triân ngulos. 4. O princípio fundame ental da co ontagem. Te eorema de e Tales. Desigua aldades produto e quociente e. 2. Eq quações do d 1º e do o 2º grau s. sem miplanos. 5. Cirrcunferên ncia e disc co. tempo. Qu uadriláterros. Sis stemas de e equações de 1º e 2º grau us. b probabilid p eventtos. arranjjos e perm s sem rep petições. Interpretaç ção geométrica. 2 . V–P Proporçõ ões 1 . área. Co onversão de medid das. Triângulos. Gra andezas propo orcionais. 3. T Teorema de Pitág goras. 2. 3. volume. Proporrcionalidade. Co omprimen nto. diretam mente e inversamente VI – Cálculo Algébric co 1. No oções de probabilidade: Co onceitos básicos. 4. segmenttos e ângu ulos. R Relações métricas e trigo onométric cas em triâng gulos retâ ângulos. 1 12 . 2. ângulo. Pág g. Regra de três t simplles e com mposta.

trapézio os. 2. Composiçã C ão de funções. coness e esfera as. aspe ecto. Operaçõe es com fu unções. Estudo da reta.. 3. 2. 3. 2. paralelo ogramos. temp peratura de fu usão. temperatura de ebuliçção. Es stados fís sicos e mudanças m s de esttado. nê êutrons e elétrons. 5. atéria – Constitu uição dos s Átomos s II – Estruturra Atômica da Ma ômico de Dalton: d descrição e aplicaç ções 1. Árreas de triângulos t s. M Modelo atômico a ctos qua alitativos. Misturas ho omogênea as e heterrogêneas s. polígo onos regu ulares e disco os. Fu unção mod dular. QUÍM MICA I–P Proprieda ades dos s Materia ais 1. Fu unções do o 1º e do 2º graus. Métodos de Sepa aração.8. Modelo Atô 2. densidade e solubilidad de. XI – Funções s 1. 1 13 . 4. 3. III – Periodicidade Química Q Pág g. ubstâncias s puras e critérios de purez za. 6. Árreas e volumes de prismas. Fu unções log garitmo e exponen ncial. XII – Noções s de Geo ometria A Analítica 1.. Configu urações de Boh r: aspec eletrô ônicas po or níveis de d energia. Má áximos e mínimos de funçã ão real. Varriações d e energia e do estad do de agregação das partícu ulas. Grráficos de e funções reais com m domínio o real. X–G Geometrria Espac cial 1. 4.. Número o atômico o e númerro de mas ssa. Dis stância entre ponttos. Prropriedade es dos materiais: m cor. 5. cheiro e sab bor. r Para alelismo e perpend dicularidade. Su 4. Mo odelo atômico de Rutherfor R rd e núcle eo atômico. pirâmide es.. Na atureza ellétrica da matéria e existên ncia do elé étron. Pró ótons. Co onceito de e função. cilindrros.

Prropriedades macro oscópicas de substtâncias e de soluçções: corrrelação com os modelos de liga ações quíímicas e de d interaç ções interrmolecula ares. e efeitos térrmicos. M Modelos de liga ações qu uímicas e interações in ntermolec culares. 3. 2. O efeito da temperatura na solub bilidade. Cálcu ulos esteq quiométricos. 1 14 . 5. p Elétronss de valên ncia e loc calização dos elem mentos. Pe eriodicida ade das proprieda p ades atôm micas: nú úmero de e oxidaçã ão. raio atôm mico. En nergia em m processo o de form mação ou rompime ento de lig gações químicas e inte erações intermole i eculares. 4. 2. C Critério básico b da a classificcação pe eriódica moderna . Pág g. 3. Regra do octeto: utilizaçã o e limitações. IV – Ligaçõe es Químic cas e Intterações s Intermo oleculare es 1. Polarida ade das moléculas m e sua inffluência na s solubilidade e na as temp peraturas de fusão e de e ebuliçã ão das substtâncias. Grrupos e períodos. VI – Soluçõe es Líquidas 1. Eq quações químicas: q balancea amento e uso na represent r tação de reações químicas comuns. das d propo orções de efinidas. Reações Química as e Este equiomettria V–R 1. Pe eriodicidad de das propriedad des macro oscópicas s: temperraturas de fusão e ebulição. Repulsã ão de pa ares de elétro ons e geo ometria molecular. 3. Re eação química: con nceito e e evidências s. m . moleculare es. Substâncias iô ônicas. 2. covale entes e metálicas. Soluç ções saturadas. 2. do princípio de d Avoga adro e do o conceitto de volume mo olar de um gás. 4. esstequiome etrias e naturreza ácido o-básica de d óxidoss. Configu urações eletrô ônicas e elétrons e de d valênccia. R mples e que não o envolv vam desllocalizaçã ão de ellétrons: moléculas sim repre esentação o e aplicaç ções. enerrgia de ion nização e eletrone egatividad de. Fórmulass eletrôniicas de 4. Soluções e solubilidade. Símb bolos de elementos e s mais co muns. Ma assa atôm mica. O processo de dissolução: intterações soluto/so olvente. mol e massa molar: conceitos e cálculoss.1. ca aráter metálico d e substâncias sim mples. Elletronega atividade e polarid dade de ligações. Ap plicações das leis de d conserrvação da massa.

Aplic cações. 4. A modific cação do o estado de equ uilíbrio de d um ssistema: efeitos provo ocados pe ela altera ação da cconcentra ação dos reagente es. 5. Ele etrólitos e soluções eletrolítticas. VIII – Cinétiica e Equ uilíbrio Q Químico 1. fermenta ação e oxidação comp pleta de glicose. da pre essão e da te emperaturra. o de calorres de rea ação por combinaç ção de re eações qu uímicas. Prrocessos que alteram a te emperatura das su ubstância as sem envolver fluxo de calo or: traba alho meccânico. En nergia e organism mos vivo os: fotoss síntese. Eq quilíbrio químico: caracteriz c zação exp perimental e nature eza dinâm mica. 6. Calorr de reaçã ão e varia ação de entalpia. 3. IX – Ácidos e Bases 1. Pág g. da prressão n na velo ocidade de reaçções qu uímicas. da peratura. Aspec ctos quím micos e efe eitos sobre o meio o ambientte. 3. Ca alor e tem mperatura: conceit o e difere enciação. VII – Termoq química 1.. 6. Reações muito rá ápidas e muito m lenttas. Ev vidências experim mentais para o fenôm meno da reversibilidade. Efeito do contato entre o os reage entes. Reaç ções exotérmicas e endotérrmicas: co onceito e represen ntação. 5. Á Ácidos e bases (fortes e fraco os) de neutrralização. Cálculos. A obtenção a lei de Hess. te emperatu uras de conge elação e de ebuliç ção e a cconcentra ação de soluções s de soluto os nãovoláteis. A produção hidro ocarbonettos.3. em m mol/L e percent uais. 2. temp Catallisadores e inibidores. E Evidências s de oc corrência de rea ações químicas: a variaç ção de proprriedades em funçã ão do tem mpo. R Reações químicas s reversííveis. g trrigliceríde eos e amin noácidos. b 2. Dis stinção operaciona al entre á ácidos e bases. Relações qualitativ vas entre e a pressão de vapor. Cálc culos. O prin ncípio de Le Chatelier. o de enerrgia pela queima de combu ustíveis: carvão. Co oncentraç ção de soluções: em m g/L. Efe eitos energéticos em e reaçõ es químic cas. 4. álcool á e 5. trabalho t elétrico e absorção de radiação eletromagnétiica. de e sua co oncentraç ção. V Velocidade e de uma reaçção quím mica: co onceito e determ minação experimental. 2. 4. 1 15 Arrheniu s. reaçõ ões de .

Estruttura gera l e funçõe es biológicas dos: a) glicídeos (glico ose. haloa alcanos. PVC.. glicogênio e ccelulose). s b) glice compara ação de sabões s co om deterg gentes. 3. 1 16 . X–E Eletroquímica 1. erídeos (ó óleos e g gorduras)). 2. tridime ensionais e projeçõ ões de Fischer. Carbono tetraé édrico. unidades de repetição e polím meros (po olietileno. é éteres. conden nsadas e de linhass). is someria consttitucional e diasterreoisomerria cis-tra ans. ácidos carbo oxilicos. saca rose. pH H: conceitto. Ox xidação e redução o: conceitto. Va ariações na n solubilidade e n nas tempe eraturas de d fusão e de ebulição de substtâncias orgânicas o s causad as por: aumento o da ca adeia carrbônica. Ele etrólise: conceito c e aplicaçõ ões. identificação e represen ntação de e semireaçõ ões. tteflon. prese ença de ramificações. Polímeros:: identificação de e monôm meros. 2. c) amino oácidos. 5. cetonas. am minas. po oliésteres s e polia amidas). Re epresenta ação de moléculas m orgânica as. escala e usos. trigonal e digon nal e ligaç ções simp ples e mú últiplas. ésteres é e amidas. Fórmulas F estrutura ais (de Le ewis. C Conceituaç ção de grupo funcionall e reco onhecimen nto por grupos funcio onais de: alquenos. XI – Química a Orgânic ca 1. alquino os e arenos (hidrocarborne tos aromáticos). Pág g. 4. Cé élulas elettroquímic cas: comp ponentes e funcion namento. Ind dicadores s ácido-ba ase: concceito e utiilização. fenóis. Bio omolécula as. intro odução de d substittuintes p olares. proteínas p s e enzima as. uso na a fabrica ação de sabões. efeitos provo ocados pe ela formação de lig gações crruzadas. álcoois. de traço os. 3.3. aldeídos. amido. 4. d) ácido os nucléicos (DNA e RNA).