HÉRCULES

de Francis Ritchie
Edição bilíngue latim-português

Traduzida e decupada por

Vittorio Pastelli

USM
________
2016

"HÉRCULES", DE FRANCIS RITCHIE

Edição bilíngue latim-português
Traduzida e decupada por
Vittorio Pastelli

Hércules, um herói grego celebrado por sua grande força, foi por toda vida perseguido
pelo ódio de Juno. Ainda um bebê, estrangulou serpentes mandadas pela deusa para
matá-lo. Durante a infância e juventude, realizou grandes feitos de força e, ao chegar à
idade adulta, teve sucesso em livrar Tebas da opressão dos mínios. Em uma crise de
loucura causada nele por Juno, matou seus próprios filhos e, ao consultar o oráculo de
Delfos para saber como se purgar desse crime, foi-lhe ordenado que se submetesse
por doze anos a Euristeu, rei de Tirinto, e executasse qualquer tarefa que lhe fosse
imposta.
Hércules obedeceu o oráculo e durante seus doze anos de servidão executou doze
feitos extraordinários conhecidos como "Os Trabalhos de Hércules".
Sua morte foi causada não intencionalmente por sua esposa, Dejanira. Hércules atirou
em um centauro chamado Nesso com uma seta venenosa, depois de este ter insultado
Dejanira. O centauro, antes de morrer, deu um pouco de seu sangue a ela e lhe disse
que ele funcionaria como um encantamento para assegurar o amor de Hércules.
Depois de algum tempo, Dejanira, querendo testar o encantamento, ensopou uma
peça de roupa de seu marido nesse sangue, sem saber que o envenenava. Hércules
vestiu sua capa e morreu, depois de terríveis tormentos (ou, noutra versão, foi levado
por seu pai, Júpiter).

___________________________________________________________
As "Fábulas Fáceis" de Francis Ritchie foram compostas no século 19, destinadas a alunos que já
detinham o básico da língua latina, mas ainda não se aventuravam na leitura de César. Aqui, publicamos
"Hércules", a segunda em grau de dificuldade, sendo "Perseu" a mais fácil delas. A ideia da exposição —
em colunas paralelas, mantendo tanto quanto possível a ordem do texto latino, ainda que ela não
pareça bom português — foi tirada da edição didática bilíngue de Blanadet (Hachette, 1860) da obra "De
Viris Illustribus Vrbis Romae", de Charles François L'Homond.

1

1. O ódio de Juno
Hercules, Alcmenae filius,
olim in Graecia habitabat.
Hic omnium hominum
validissimus fuisse dicitur.
At Juno, regina deorum,
Alcmenam oderat
et Herculem adhuc infantem
necare voluit.
Misit igitur duas serpentis
saevissimas;
hae media nocte
in cubiculum Alcmenae venerunt,
ubi Hercules cum fratre suo
dormiebat.
Nec tamen in cunis,
sed in scuto magno cubabant.
Serpentes jam appropinquaverant
et scutum movebant;
itaque pueri e somno
excitati sunt.

Hércules, filho de Alcmena,
outrora na Grécia morava.
Ele, de todos os homens,
o mais corajoso era considerado.
Mas Juno, rainha dos deuses,
odiava Alcmena
e Hércules ainda uma criança
quis matar.
Enviou então duas serpentes
ferocíssimas;
essas no meio da noite
ao quarto de Alcmena vieram,
onde Hércules com seu irmão
dormia.
Todavia não em um berço,
mas sobre um grande escudo dormiam.
Já as serpentes se aproximaram
e o escudo estavam movendo;
e então as crianças do sono
despertadas foram.

2

2. Hércules e as serpentes
Iphicles, frater Herculis,
magna voce exclamavit;
sed Hercules ipse,
fortissimus puer,
haudquaquam territus est.
Parvis manibus
serpentis statim prehendit,
et colla earum
magna vi compressit.
Tali modo serpentes
a puero interfectae sunt.
Alcmena autem,
mater puerorum,
clamorem audiverat,
et maritum suum
e somno excitaverat.
Ille lumen accendit
et gladium suum rapuit;
tum ad pueros properabat,
sed ubi ad locum venit,
rem miram vidit,
Hercules enim ridebat et
serpentis mortuas monstrabat.

Íficles, o irmão de Hércules,
em alta voz gritou;
mas o próprio Hércules,
menino fortíssimo,
de forma alguma estava com medo.
Com as pequenas mãos
imediatamente agarrou as serpentes
e as cabeças delas
com grande força comprimiu.
Desse modo as serpentes
pelo menino foram mortas.
Alcmena entretanto,
mãe dos meninos,
o grito ouviu,
e seu marido
do sono despertou.
Ele acendeu a luz
e sua espada empunhou;
então aos meninos se dirigiu,
mas quando ao local chegou,
coisa excepcional viu:
Hércules de fato ria e
as serpentes mortas mostrava.

3

3. A lição de música
Hercules a puero
corpus suum
diligenter exercebat;
magnam partem diei
in palaestra consumebat;
didicit etiam
arcum intendere
et tela conicere.
His exercitationibus
vires eius confirmatae sunt.
In musica etiam
a Lino centauro erudiebatur
(centauri autem equi erant
sed caput hominis habebant);
huic tamen arti
minus diligenter studebat.
Hic Linus Herculem
olim obiurgabat,
quod non studiosus erat;
tum puer iratus
citharam subito rapuit,
et omnibus viribus
caput magistri infelicis
percussit.
Ille ictu prostratus est,
et paulo post
e vita excessit,
neque quisquam postea
id officium suscipere voluit.

Hércules, desde criança
seu corpo
diligentemente exercitava;
a maior parte do dia
no ginásio consumia;
aprendeu também
o arco distender
e lanças arremessar.
Com seus exercícios
sua força foi consolidada.
Em música também
pelo centauro Lino era instruído
(centauros de fato cavalos eram
mas cabeça de homem tinham);
mas a essa arte
menos diligentemente se dedicava.
Esse Lino a Hércules
frequentemente repreendia
porque não era estudioso;
então, o menino irado
da cítara subitamente tomou
e com toda força
na cabeça do mestre infeliz
bateu.
Aquele, pelo impacto, ficou prostrado
e pouco depois
da vida se evadiu,
e ninguém depois
desse ofício encarregar-se quis.

4

4. Hércules escapa do sacrifício
De Hercule haec etiam
inter alia narrantur.
Olim dum iter facit,
in finis Aegyptiorum venit.
Ibi rex quidam,
nomine Busiris,
illo tempore regnabat;
hic autem vir
crudelissimus
homines immolare consueverat.
Herculem igitur corripuit
et in vincula coniecit.
Tum nuntios dimisit
et diem sacrificio edixit.
Mox ea dies appetebat,
et omnia
rite parata sunt.
Manus Herculis
catenis ferreis vinctae sunt,
et mola salsa in caput eius
inspersa est.
Mos enim erat
apud antiquos
salem et far capitibus
victimarum imponere.
Jam victima ad aram stabat;
jam sacerdos
cultrum sumpserat.
Subito tamen Hercules
magno conatu
vincula perrupit;
tum ictu
sacerdotem prostravit;
altero regem ipsum occidit.

Além disso, sobre Hércules tais coisas
entre outras são narradas.
Uma vez, durante uma viagem,
às terras dos egípcios chegou.
Ali um certo rei,
de nome Busíris,
naquele tempo reinava;
este por seu lado, homem
crudelíssimo,
homens imolar se acostumara.
Hércules então apreendeu
e na prisão atirou.
Em seguida, núncios despachou
e o dia do sacrifício proclamou.
Logo, por esse dia ansiava
e todas as coisas
segundo a norma foram preparadas.
As mãos de Hércules
por correntes de ferro presas estavam,
e um mingau salgado na cabeça dele
foi salpicado.
Pois costume era
entre os antigos
sal e grãos nas cabeças
das vítimas colocar.
Já a vítima ao altar postava-se
já o sacerdote
a faca empunhara.
Subitamente no entanto Hércules
com grande impulso
as correntes rompeu;
então com um golpe
o sacredote derrubou
e com outro o próprio rei matou.

5

5. Um feito cruel
Hercules jam adulescens
Thebis habitabat.
Rex Thebarum, vir ignavus,
Creon appellabatur.
Minyae, gens bellicosissima,
Thebanis finitimi erant.
Legati autem a Minyis
ad Thebanos
quotannis mittebantur;
hi Thebas veniebant
et centum boves postulabant.
Thebani enim olim
a Minyis superati erant;
tributa igitur regi Minyarum
quotannis pendebant.
At Hercules civis suos
hoc stipendio
liberare constituit;
legatos igitur comprehendit,
atque auris eorum abscidit.
Legati autem
apud omnis gentis
sancti habentur.

Hércules, já adolescente
em Tebas morava.
O rei dos tebanos, homem ignavo,
Creonte era chamado.
Os mínios, gente belicosíssima,
eram vizinhos dos tebanos.
Embaixadores dos mínios
aos tebanos
frequentemente eram enviados;
estes a Tebas vinham
e cem bois postulavam.
Com efeito, uma vez os tebanos
tinham sido vencidos pelos mínios;
tributos portanto para o rei dos mínios
todos os anos eram pagos.
Mas Hércules seus cidadãos
desse estipêndio
livrar determinou-se.
Os legados então agarrou
e as orelhas deles decepou.
Os embaixadores
entre todos os povos
sagrados são considerados.

6

6. A derrota dos mínios
Erginus, rex Minyarum,
ob haec vehementer iratus
statim cum omnibus copiis
in finis Thebanorum contendit.
Creon adventum eius
per exploratores cognovit.
Ipse tamen pugnare noluit,
nam magno timore adfectus erat;
Thebani igitur Herculem
imperatorem creaverunt.
Ille nuntios in omnis partis dimisit,
et copias coegit;
tum proximo die
cum magno exercitu
profectus est.
Locum idoneum delegit
et aciem instruxit.
Tum Thebani
e superiore loco
impetum in hostis fecerunt.
Illi autem impetum sustinere
non potuerunt;
itaque acies hostium
pulsa est
atque in fugam conversa.

Ergino, rei dos mínios,
devido a isso veementemente irado
imediatamente com todas as tropas
à fronteira dos tebanos dirigiu-se.
Creonte a chegada deles
por meio de exploradores soube.
O próprio, todavia, lutar não queria,
pois de grande temor estava tomado;
Os tebanos então Hércules
general nomearam.
Ele núncios a toda parte despachou,
e tropas reuniu;
então, no dia seguinte,
com grande exército
partiu.
Um local seguro escolheu
e uma linha de frente constituiu.
Então os tebanos
a partir de um local superior
fizeram carga aos inimigos.
Eles por seu lado deter a carga
não puderam;
desse modo o front dos imimigos
foi repelido
e em fuga voltaram atrás.

7

7. Loucura e assassinato
Post hoc proelium
Hercules copias suas
ad urbem reduxit.
Omnes Thebani propter victoriam
maxime gaudebant;
Creon autem magnis honoribus
Herculem decoravit,
atque filiam suam
ei in matrimonium dedit.
Hercules cum uxore sua
beatam vitam agebat;
sed post paucos annos
subito in furorem incidit,
atque liberos suos ipse
sua manu occidit.
Post breve tempus
ad sanitatem reductus est,
et propter hoc facinus
magno dolore adfectus est;
mox ex urbe effugit
et in silvas se recepit.
Nolebant enim cives
sermonem cum eo habere.

Depois dessa batalha
Hércules suas tropas
à cidade reconduziu.
Todos os tebanos, devido à vitória
estavam grandemente felizes.
Creonte por seu lado com grandes honras
condecorou Hércules,
e ainda sua filha
a ele em matrimônio deu.
Hércules com sua esposa
feliz vida levava;
mas depois de poucos anos
subitamente em cólera entrou
e ainda seus próprios filhos
com sua mão matou.
Depois de um breve período
à sanidade retornou,
e devido a esse crime
por grande dor foi tomado;
logo para fora da cidade fugiu
e nas salvas se asilou.
Não queriam com efeito os cidadãos
conversa com ele manter.

8

8. Hércules consulta o oráculo
Hercules tantum scelus expiare
magnopere cupiebat.
Constituit igitur
ad oraculum Delphicum ire;
hoc enim oraculum
erat omnium celeberrimum.
Ibi templum erat Apollinis
plurimis donis ornatum.
Hoc in templo sedebat
femina quaedam,
nomine Pythia
et consilium dabat
iis qui ad oraculum veniebant.
Haec autem femina
ab ipso Apolline docebatur,
et voluntatem dei
hominibus enuntiabat.
Hercules igitur,
qui Apollinem praecipue colebat,
huc venit.
Tum rem totam exposuit,
neque scelus celavit.

Hercules apenas o crime expiar
mais que tudo queria.
Decidiu portanto
ao oráculo de Delfos ir;
pois esse oráculo
era de todos o mais célebre.
Ali ficava o templo de Apolo
com muitas ofertas ornado.
Nesse templo sentava-se
uma certa moça,
de nome Pitonisa
e conselhos dava
àqueles que ao oráculo vinham.
Ora, essa moça
pelo próprio Apolo era instruída
e a vontade do deus
aos homens enunciava.
Hércules então,
que a Apolo especialmente se devotava
ali veio.
Em seguida, expos a coisa toda
e nenhum crime escondeu.

9

9. A resposta do oráculo
Ubi Hercules finem fecit,
Pythia primo tacebat;
tandem tamen iussit eum
ad urbem Tiryntha ire,
et Eurysthei regis
omnia imperata facere.
Hercules ubi haec audivit,
ad urbem illam contendit,
et Eurystheo regi
se in servitutem tradidit.
Duodecim annos
crudelissimo Eurystheo serviebat,
et duodecim labores,
quos ille imperaverat,
confecit;
hoc enim uno modo
tantum scelus expiari potuit.
De his laboribus
plurima a poetis scripta sunt.
Multa tamen quae poetae
narrant vix credibilia sunt.

Quando Hércules ao fim chegou,
Pitonisa primeiro se mantinha calada;
enfim ordenou a ele
à cidade de Tirinto ir,
e do rei Euristeu
toda ordem cumprir.
Hércules, quando isso ouviu,
para aquela cidade se despachou,
e para o rei Euristeu
em servidão se entregou.
Por doze anos
ao crudelíssimo Euristeu servia,
e doze trabalhos,
os quais aquele ordenava,
completou;
pois só desse modo
crime tão sério pôde ser expiado.
De seus trabalhos,
muitas coisas pelos poetas foram escritas.
Todavia, muitas coisas que os poetas
narram a custo são críveis.

10

10. Primeiro trabalho: o leão de Nemeia
Primum ab Eurystheo
iussus est Hercules
leonem occidere
qui illo tempore
vallem Nemeaeam
reddebat infestam.
In silvas igitur
in quibus leo habitabat
statim se contulit.
Mox feram vidit, et arcum,
quem secum attulerat,
intendit;
eius tamen pellem,
quae densissima erat,
traicere non potuit.
Tum clava magna
quam semper gerebat
leonem percussit,
frustra tamen;
neque enim hoc modo
eum occidere potuit.
Tum demum collum monstri
bracchiis suis
complexus est
et faucis eius
omnibus viribus compressit.
Hoc modo leo brevi tempore
exanimatus est;
nulla enim facultas
respirandi
ei dabatur.
Tum Hercules cadaver
ad oppidum
in umeris rettulit;
et pellem, quam detraxerat,
postea pro veste gerebat.
Omnes autem
qui eam regionem incolebant,
ubi famam de morte leonis
acceperunt,
vehementer gaudebant
et Herculem
magno honore habebant.

Primeiro, por Euristeu
ordenado foi a Hércules
um leão matar
o qual naquele tempo
o vale de Nemeia
tornava inseguro.
Às selvas então
nas quais o leão habitava
imediatamente se dirigiu.
Logo viu a fera e o arco
que consigo trazia
distendeu;
todavia, a pele dela,
a qual densíssima era,
transfixar não pôde.
Então com um grande bastão
o qual sempre usava
o leão golpeou,
mas em vão;
nem mesmo desse modo
ele matar pôde.
Enfim o pescoço do monstro
com seus braços
agarrou
e sua garganta
com toda força apertou.
Desse modo o leão em pouco tempo
morreu;
de fato, nenhuma possibilidade
de respirar
foi dada a ele.
Então Hércules o cadáver
à cidade fortificada
nos ombros trouxe;
e a pele, a qual esfolara,
depois como veste usava.
Ora, todos
que naquela região habitavam,
quando o rumor da morte do leão
receberam,
veementemente se regozijaram
e Hércules
com grande honra receberam.

11

11. Segundo trabalho: a Hidra de Lerna
Paulo post iussus est
ab Eurystheo
Hydram necare.
Hoc autem monstrum erat
cui novem erant capita.
Hercules igitur
cum amico Iolao
profectus est ad paludem Lernaeam,
in qua Hydra habitabat.
Mox monstrum invenit,
et quamquam res
erat magni periculi,
collum eius
sinistra prehendit.
Tum dextra capita novem
abscidere coepit;
quotiens tamen hoc fecerat,
nova capita exoriebantur.
Diu frustra laborabat;
tandem hoc conatu destitit.
Deinde arbores succidere
et ignem accendere constituit.
Hoc celeriter fecit,
et postquam ligna
ignem comprehenderunt,
face ardente
colla adussit,
unde capita exoriebantur.
Nec tamen sine magno labore
haec fecit;
venit enim auxilio Hydrae
cancer ingens, qui,
dum Hercules capita abscidit,
crura eius mordebat.
Postquam monstrum
tali modo interfecit,
sagittas suas sanguine eius imbuit,
itaque mortiferas reddidit.

Pouco depois foi mandado
por Euristeu
a Hidra matar.
Mas esse era um monstro
que nove eram as cabeças.
Hércules então,
com o amigo Iolau,
dirigiu-se ao pântano de Lerna
no qual a Hidra morava.
Logo o monstro encontrou
e ainda que a coisa
fosse de grande perigo,
o pescoço dela
com a esquerda prendeu.
Então com a direita as nove cabeças
arrancar começou;
mas todas as vezes que isso fizera
novas cabeças despontavam.
Por muito tempo em vão labutou;
enfim, desse esforço desistiu.
Então árvores derrubar
e fogo acender resolveu.
Isso rapidamente fez,
e depois que as madeiras
fogo pegaram
com a tocha ardente
os pescoços queimou,
de onde as cabeças despontavam.
Mas não sem grande trabalho
isso fez;
veio com efeito em auxílio da Hidra
um caranguejo imenso, que,
enquanto as cabeças Hércules arrancava
suas pernas mordia.
Depois de o monstro
de tal modo morto,
suas setas com sangue dele embebeu
assim tornando-as mortais.

12

12. Terceiro trabalho: a corça de Cerineia
Postquam Eurystheo
caedes Hydrae
nuntiata est,
magnus timor
animum eius occupavit.
Iussit igitur Herculem
cervum quendam
ad se referre;
noluit enim virum
tantae audaciae
in urbe retinere.
Hic autem cervus,
cuius cornua
aurea fuisse traduntur,
incredibili fuit celeritate.
Hercules igitur
primo vestigiis eum
in silva persequebatur;
deinde ubi cervum ipsum vidit,
omnibus viribus currere coepit.
Usque ad vesperum currebat,
neque nocturnum tempus
sibi ad quietem relinquebat,
frustra tamen;
nullo enim modo
cervum consequi poterat.
Tandem postquam
totum annum cucurrerat
(ita traditur),
cervum cursu exanimatum cepit,
et vivum ad Eurystheum rettulit.

Depois que a Euristeu
a morte da Hidra
foi anunciada,
grande temor
ocupou sua alma.
Mandou então Hércules
uma certa corça
a ele trazer;
não queria de fato um homem
de tanta audácia
na cidade reter.
Essa corça
cujos cornos
dizia-se serem de ouro
era de uma rapidez incrível.
Hércules então
primeiramente as pistas dela
na selva perscrutou;
depois, quando a própria corça avistou,
com toda força a correr começou.
Continuadamente até a noite corria,
e nem na hora noturna
a si em descanso se deixava,
mas inutilmente;
pois de nenhum modo
a corça conseguia perseguir.
Mas depois
de todo um ano correr
(assim é dito)
a corça exânime pela corrida capturou
e viva a Euristeu trouxe.

13

13. Quarto trabalho: o javali de Erimanto
Tum vero
iussus est Hercules
aprum quendam
capere
qui illo tempore
agros Erymanthios vastabat
et incolas huius regionis
magnopere terrebat.
Hercules rem suscepit
et in Arcadiam profectus est.
Postquam in silvam
paulum progressus est,
apro occurrit.
Ille autem simul atque
Herculem vidit,
statim refugit;
et timore perterritus
in altam fossam se proiecit.
Hercules igitur laqueum
quem attulerat iniecit,
et summa cum difficultate
aprum e fossa extraxit.
Ille etsi fortiter repugnabat,
nullo modo se liberare potuit;
et ab Hercule ad Eurystheum
vivus relatus est.

Em seguida,
mandado foi Hércules
um certo javali
capturar
o qual naquele tempo
os campos de Erimanto devastava
e os habitantes daquela região
grandemente aterrorizava.
Hércules assumiu o trabalho
e para a Arcádia se despachou.
Depois, na selva,
pouco havia adentrado,
o javali encontrou.
Mas aquele, assim que
Hércules viu
imediatamente fugiu;
e aterrado pelo pavor
numa fossa profunda se jogou.
Hércules então um laço
que trouxera jogou
e com enorme dificuldade
o javali da fossa tirou.
Aquele ainda com força relutava,
mas de nenhum modo pôde se soltar;
e por Hércules a Euristeu
vivo foi trazido.

14

14. Hércules na caverna do Centauro
De quarto labore,
quem supra narravimus,
haec etiam traduntur.
Hercules dum iter
in Arcadiam facit,
ad eam regionem venit
quam centauri incolebant.
Cum nox iam appeteret,
ad speluncam devertit
in qua centaurus quidam,
nomine Pholus, habitabat.
Ille Herculem benigne
excepit et cenam paravit.
At Hercules postquam cenavit,
vinum a Pholo postulavit.
Erat autem in spelunca
magna amphora
vino optimo repleta,
quam centauri
ibi deposuerant.
Pholus igitur hoc vinum
dare nolebat, quod reliquos
centauros timebat;
nullum tamen vinum
praeter hoc
in spelunca habebat.
"Hoc vinum," inquit,
"mihi commissum est.
Si igitur hoc dabo,
centauri me interficient".
Hercules tamen eum inrisit,
et ipse poculum vini
de amphora hausit.

Sobre o quarto trabalho,
do qual acima falamos,
isto também é contado.
Hércules, enquanto uma caminhada
pela Arcádia fazia,
a uma região chegou
na qual centauros moravam.
Dado que a noite já se aproximasse
em direção a uma caverna seguiu
na qual um certo centauro,
de nome Folo, morava.
Aquele, Hércules com gosto
recebeu e um jantar preparou.
Mas Hércules, depois de ter jantado
vinho a Folo pediu.
Ora, estava na caverna
uma grande ânfora
de ótimo vinho repleta,
que os centauros
ali depositaram.
Folo portanto tal vinho
dar não queria, pois os outros
centauros temia;
mas nenhum vinho
além desse
na caverna existia.
"Este vinho", afirmou,
"foi a mim confiado.
Se então o der,
os centauros me matarão".
Hércules todavia dele riu-se,
e ele mesmo uma taça do vinho
da ânfora tirou.

15

15. A luta com os centauros
Simul atque amphora aperta est,
odor iucundissimus
undique diffusus est;
vinum enim suavissimum erat.
Centauri notum odorem senserunt
et omnes ad locum convenerunt.
Ubi ad speluncam pervenerunt,
magnopere irati erant
quod Herculem bibentem viderunt.
Tum arma rapuerunt
et Pholum interficere volebant.
Hercules tamen
in aditu speluncae constitit
et impetum eorum
fortissime sustinebat.
Faces ardentis in eos coniecit;
multos etiam
sagittis suis vulneravit.
Hae autem sagittae eaedem erant
quae sanguine Hydrae
olim imbutae erant.
Omnes igitur quos
ille sagittis vulneraverat
veneno statim
absumpti sunt;
reliqui autem ubi hoc viderunt,
terga verterunt et fuga
salutem petierunt.

Imediatamente aberta a ânfora,
um odor deliciosíssimo
por todo lado se difundiu;
com efeito, o vinho era suavíssimo.
Os centauros sentiram o odor familiar
e todos para o local convergiram.
Quando à caverna chegaram,
sumamente irritados estavam
porque Hércules bebendo viram.
Então armas empunharam
e Folo matar queriam.
Mas Hércules
na entrada da caverna se colocou
e o ímpeto deles
fortemente sustentava.
Achas ardentes neles lançou;
muitos ainda
com suas setas feriu.
Ora, eram essas setas as mesmas
que com o sangue da Hidra
outrora estavam embebidas.
Todos portanto que
ele com as setas ferira
pelo veneno instantaneamente
morreram;
os outros porém quando isso viram
as costas viraram e uma fuga
para a segurança buscaram.

16

16. O destino de Folo
Postquam reliqui fugerunt,
Pholus ex spelunca egressus est,
et corpora spectabat eorum
qui sagittis interfecti erant.
Magnopere autem miratus est
quod tam levi vulnere
exanimati erant,
et causam eius rei quaerebat.
Adiit igitur locum ubi cadaver
cuiusdam centauri iacebat,
et sagittam e vulnere traxit.
Haec tamen sive casu
sive consilio deorum
e manibus eius lapsa est,
et pedem leviter vulneravit.
Ille extemplo dolorem gravem
per omnia membra sensit,
et post breve tempus
vi veneni exanimatus est.
Mox Hercules,
qui reliquos centauros secutus erat,
ad speluncam rediit,
et magno cum dolore
Pholum mortuum vidit.
Multis cum lacrimis
corpus amici ad sepulturam dedit;
tum, postquam alterum
poculum vini exhausit,
somno se dedit.

Depois que os outros fugiram,
Folo da caverna saiu,
e os corpos deles olhava
que pelas setas mortos foram.
Mas extremamente admirado ficou
que com tão pequena ferida
exânimes estavam,
e a causa disso queria saber.
Foi então ao local onde um cadáver
de um centauro qualquer jazia,
e a seta da ferida extraiu.
Essa todavia, seja por acaso,
seja por decisão dos deuses,
de suas mãos escorregou
e o pé levemente feriu.
Ele, imediatamente, uma grande dor
por todos os membros sente
e depois de um breve intervalo
pela força do veneno é morto.
Logo Hércules
que os outros centauros perseguira
à caverna retorna,
e com grande dor
Folo morto vê.
Com muitas lágrimas
o corpo do amigo à sepultura entrega;
em seguida, depois de um outro
copo de vinho ter tomado,
ao sono se entrega.

17

17. Quinto trabalho: o curral de Áugias
Deinde Eurystheus Herculi
hunc laborem graviorem imposuit.
Augeas quidam,
qui illo tempore regnum
in Elide obtinebat,
tria milia boum habebat.
Hi in stabulo
ingentis magnitudinis includebantur.
Stabulum autem inluvie
ac squalore erat obsitum,
neque enim ad hoc tempus
umquam purgatum erat.
Hoc Hercules intra spatium
unius diei purgare iussus est.
Ille, etsi res erat
multae operae, negotium suscepit.
Primum magno labore
fossam duodeviginti pedum duxit,
per quam fluminis aquam
de montibus ad murum
stabuli perduxit.
Tum postquam murum perrupit,
aquam in stabulum immisit
et tali modo
contra opinionem omnium
opus confecit.

Depois, Euristeu a Hércules
esse trabalho mais pesado impôs.
Um certo Áugias,
que naquele tempo um reino
em Élida mantinha,
três mil bois tinha.
Eles, num curral de
imenso tamanho eram encerrados.
O curral com sujeira
e descuido estava trancado
e nem mesmo até este tempo
uma vez sequer foi limpo.
Isso, Hércules, no espaço
de um dia, limpar ordenado foi.
Ele, embora a coisa fosse
muito laboriosa, o trabalho aceitou.
Primeiro, com grande trabalho,
um fosso de 18 pés construiu
pelo qual a água do rio
das colinas ao muro
do curral conduziu.
Em seguida, quando rompeu o muro
a água no curral deixou entrar
e de tal modo,
contra a opinião de todos,
o trabalho concluiu.

18

18. Sexto trabalho: as aves do lago Estínfalo
Post paucos dies
Hercules ad oppidum
Stymphalum iter fecit;
imperaverat enim ei Eurystheus
ut avis Stymphalides necaret.
Hae aves rostra aenea habebant
et carne hominum
vescebantur.
Ille postquam ad locum pervenit,
lacum vidit;
in hoc autem lacu,
qui non procul erat ab oppido,
aves habitabant.
Nulla tamen dabatur
appropinquandi facultas;
lacus enim non ex aqua
sed e limo constitit.
Hercules igitur neque pedibus
neque lintre progredi potuit.
Ille cum magnam partem diei
frustra consumpsisset,
hoc conatu destitit
et ad Volcanum se contulit,
ut auxilium ab eo peteret.
Volcanus (qui ab fabris
maxime colebatur)
crepundia quae ipse ex aere
fabricatus erat Herculi dedit.
His Hercules tam acrem
crepitum fecit
ut aves perterritae avolarent.
Ille autem, dum avolant,
magnum numerum
earum sagittis transfixit.

Depois de poucos dias,
Hércules para a cidade fortificada
de Estínfalo seguiu caminho;
impusera a ele Euristeu
que as aves estinfálias matasse.
Essas aves tinham bico de bronze
e com carne de homem
se alimentavam.
Ele, depois de ao local chegar
o lago viu;
bem nesse lago,
que não distante era da cidade,
as aves moravam.
Mas não era dada nenhuma
oportunidade de aproximação;
o lago não de água,
mas de lodo consistia.
Hércules então nem a pé,
nem de barco, pôde progredir.
Ele, como uma grande parte do dia
consumisse em vão,
desse ataque desistiu
e a Vulcano se dirigiu,
a fim de a ele pedir auxílio.
Vulcano (que pelos artesãos
é grandemente cultuado)
um chocalho que do mesmo bronze
era feito a Hércules deu.
Com ele, Hércules um agudo
estrépito fez
para que as aves terrificadas voassem.
Ele porém, enquanto voam,
grande número
delas com suas setas transfixou.

19

19. Sétimo trabalho: o touro de Creta
Tum Eurystheus
Herculi imperavit
ut taurum quendam ferocissimum
ex insula Creta
vivum referret.
Ille igitur navem conscendit,
et cum ventus idoneus esset,
statim solvit.
Cum tamen insulae
iam appropinquaret,
tanta tempestas subito
coorta est ut navis
cursum tenere non posset.
Tantus autem timor
animos nautarum occupavit
ut paene omnem spem
salutis deponerent.
Hercules tamen,
etsi navigandi imperitus,
erat haudquaquam territus est.
Post breve tempus
summa tranquillitas consecuta est,
et nautae, qui se
ex timore iam receperant,
navem incolumem
ad terram appulerunt.
Hercules e navi egressus est,
et cum ad regem Cretae venisset,
causam veniendi docuit.
Deinde, postquam omnia
parata sunt,
ad eam regionem contendit
quam taurus vastabat.
Mox taurum vidit,
et quamquam res erat
magni periculi,
cornua eius prehendit.
Tum, cum ingenti labore
monstrum ad navem traxisset,
cum praeda in Graeciam rediit.

Então Euristeu
a Hércules ordenou
que um certo touro ferocíssimo
da ilha de Creta
vivo trouxesse.
Ele então num navio embarcou
e como o vento bom estivesse
imediatamente partiu.
Mas quando da ilha
já se aproximasse,
tamanha tempestade subitamente
apareceu que do navio
o curso manter não pôde.
Tanto também o temor
os ânimos dos marinheiros tomou
que por pouco toda esperança de
salvação abandonaram.
Mas Hércules,
ainda que ignorante de navegar
fosse, de forma alguma teve medo.
Depois de um breve período
grande tranquilidade seguiu-se
e os marinheiros, que a si
dos temores já se recuperaram,
a nave sem danos
à terra firme se dirigiram.
Hércules saltou do navio
e como ao rei de Creta viesse,
a causa da vinda explicou.
Em seguida, depois de tudo
estar preparado,
à região dirigiu-se
a qual o touro devastava.
Logo o touro viu,
e ainda que a coisa fosse
de grande perigo,
os cornos dele agarrou.
Então, como com grande esforço
o monstro ao navio arrastasse,
com a presa à Grécia regressou.

20

20. Oitavo trabalho: as éguas devoradoras de homens de Diomedes

Postquam ex insula Creta rediit,
Hercules ab Eurystheo
in Thraciam missus est,
ut equos Diomedis
reduceret.
Hi equi carne hominum
vescebantur;
Diomedes autem,
vir crudelissimus,
illis obiciebat peregrinos omnis
qui in eam regionem venerant.
Hercules igitur
magna celeritate
in Thraciam contendit
et ab Diomede postulavit
ut equi sibi traderentur.
Cum tamen ille
hoc facere nollet,
Hercules ira commotus
regem interfecit et cadaver eius
equis obici iussit.
Ita mira
rerum commutatio facta est;
is enim qui antea
multos cum cruciatu necaverat
ipse eodem supplicio
necatus est.
Cum haec
nuntiata essent,
omnes qui eam regionem incolebant
maxima laetitia adfecti sunt
et Herculi meritam gratiam
referebant.
Non modo
maximis honoribus et praemiis
eum decoraverunt
sed orabant etiam
ut regnum ipse susciperet.
Ille tamen hoc facere nolebat,

Depois de da ilha de Creta retornar,
Hércules por Euristeu
à Trácia foi remetido
para que as éguas de Diomedes
recolhesse.
Essas éguas de carne de homem
se alimentavam;
Diomedes todavia,
homem crudelíssimo,
a elas dava os peregrinos todos
que àquela região vieram.
Hércules então,
com grande velocidade
para a Trácia despachou-se
e a Diomedes exigiu
que as éguas a si fossem entregues.
Como no entanto ele
isso fazer não quisesse,
Hércules, movido pela ira,
o rei matou e seu cadáver
às éguas em oferta lançou.
Tal espantosa
reversão de eventos aconteceu;
pois ele que antes
muitos com sofrimento matara,
o próprio, pelo mesmo suplício
foi morto.
Assim que esses feitos
foram anunciados,
todos que naquela região habitavam
de grande alegria foram tomados
e a Hércules merecida gratidão
mostraram.
Não apenas
com máximas honras e prêmios
condecoraram-no
mas rogavam mesmo
que o próprio o reino tomasse.
Ele no entanto isso fazer não queria,
21

et cum ad mare rediisset,
navem occupavit.
Ubi omnia ad navigandum
parata sunt,
equos in navi conlocavit;
deinde, cum idoneam tempestatem
nactus esset,
sine mora e portu solvit,
et paulo post equos
in litus Argolicum exposuit.

e como ao mar retornasse,
o navio ocupou.
Quando tudo para navegar
preparado estava,
as éguas no navio embarcou;
em seguida, como bom tempo
encontrasse,
sem demora do porto partiu,
e pouco depois as éguas
no litoral de Argos desembarcou.

22

21. Nono trabalho: o cinturão de Hipólita
Gens Amazonum dicitur
omnino ex mulieribus constitisse.
Hae summam scientiam
rei militaris habebant,
et tantam virtutem adhibebant
ut cum viris
proelium committere auderent.
Hippolyte, Amazonum regina,
balteum habuit celeberrimum
quem Mars ei dederat.
Admeta autem, Eurysthei filia,
famam de hoc balteo acceperat
et eum possidere
vehementer cupiebat.
Eurystheus igitur
Herculi mandavit
ut copias cogeret
et bellum Amazonibus inferret.
Ille nuntios in omnis
partis dimisit,
et cum magna multitudo convenisset,
eos delegit qui maximum usum
in re militari habebant.

O povo amazônico, é dito,
totalmente de mulheres consistisse.
Essas, total ciência
das artes militares tinham,
e tanta masculinidade mostravam
que com homens
entrar em guerra ousavam.
Hipólita, rainha amazona,
um cinturão possuía célebre
o qual Marte a ela dera.
Admeta, no entanto, filha de Euristeu,
da fama desse cinturão ouvira falar
e ele possuir
veementemente desejava.
Euristeu então
a Hércules ordenou
que um exército reunisse
e guerra contra as amazonas fizesse.
Aquele, núncios a todas
as partes despachou,
o como uma grande multidão viesse,
aqueles nomeou que máxima prática
nas coisas militares tinham.

23

22. O cinturão é recusado
His viris Hercules persuasit,
postquam causam itineris exposuit,
ut secum iter facerent.
Tum cum iis
quibus persuaserat
navem conscendit,
et cum ventus idoneus esset,
post paucos dies ad ostium
fluminis Thermodontis
appulit. Postquam
in finis Amazonum venit,
nuntium ad Hippolytam misit,
qui causam veniendi doceret
et balteum posceret.
Ipsa Hippolyte
balteum tradere volebat,
quod de Herculis virtute
famam acceperat;
reliquae tamen Amazones
ei persuaserunt ut negaret.
At Hercules,
cum haec nuntiata essent,
belli fortunam temptare constituit.
Proximo igitur die
cum copias eduxisset,
locum idoneum delegit
et hostis ad pugnam evocavit.
Amazones quoque copias suas
ex castris eduxerunt
et non magno intervallo
ab Hercule aciem instruxerunt.

Esses homens Hércules persuadiu,
depois a causa da viagem expôs
para que com ele fizessem caminho.
Então, com aqueles
a quem persuadira
no navio embarcou,
e como o vento bom fosse
poucos dias depois a boca
do rio Termodonte
atingiu. Depois,
à terra das amazonas veio,
um núncio a Hipólita mandou,
que a causa da vinda explicasse
e o cinturão exigisse.
A própria Hipólita
o cinturão entregar queria,
porque sobre a força de Hércules
a fama soubera;
no entanto as outras amazonas
persuadiram-na para que negasse.
Enfim Hércules,
como isso anunciado fosse,
a fortuna da guerra tentar decidiu.
Logo no dia seguinte
como seu exército conduzisse,
um lugar idêneo escolheu
e os inimigos à guerra chamou.
As amazonas também seu exército
para fora do campo conduziram
e a não grande intervalo
de Hércules um front montaram.

24

23. A batalha
Palus erat non magna
inter duo exercitus;
neutri tamen
initium transeundi facere
volebant.
Tandem Hercules signum dedit,
et ubi paludem transiit,
proelium commisit.
Amazones impetum virorum
fortissime sustinuerunt,
et contra opinionem omnium
tantam virtutem praestiterunt
ut multos eorum occiderint,
multos etiam in fugam coniecerint.
Viri enim novo genere pugnae
perturbabantur
nec magnam virtutem praestabant.
Hercules autem
cum haec videret,
de suis fortunis desperare coepit.
Milites igitur vehementer
cohortatus est
ut pristinae virtutis
memoriam retinerent
neu tantum
dedecus admitterent,
hostiumque impetum
fortiter sustinerent;
quibus verbis animos omnium
ita erexit ut multi etiam
qui vulneribus confecti essent
proelium sine mora redintegrarent.

Um pântano não grande existia
entre os dois exércitos;
mas nenhum deles
a travessia inicial fazer
queriam.
Enfim Hércules o sinal deu
e quando pelo charco passou
na batalha engajou-se.
As amazonas o ímpeto dos homens
fortemente contiveram
e contra a crença de todos
tanta virilidade demonstraram
que muitos deles matariam
e muitos na verdade em fuga poriam.
Os homens pelo novo tipo de luta
eram perturbados
e não grande força demonstravam.
Hércules por seu lado
quando isso visse
de sua sorte desesperar começou.
Os soldados então veementemente
exortou
para que a virilidade prístina
na memória retivessem
e que não apenas
a infâmia cometessem
mas que o ímpeto do inimigo
com mais energia contivessem;
com tais palavras os ânimos de todos
de tal modo exaltou que ainda muitos
que com feridas abatidos estivessem
a luta sem demora retomaram.

25

24. A derrota das Amazonas
Diu et acriter
pugnatum est;
tandem tamen ad solis occasum
tanta commutatio rerum
facta est ut mulieres
terga verterent
et fuga salutem peterent.
Multae autem vulneribus
defessae
dum fugiunt captae sunt,
in quo numero
ipsa erat Hippolyte.
Hercules summam clementiam
praestitit,
et postquam balteum accepit,
libertatem omnibus captivis dedit.
Tum vero socios
ad mare reduxit,
et quod non multum
aestatis supererat,
in Graeciam proficisci maturavit.
Navem igitur conscendit,
et tempestatem idoneam
nactus statim solvit;
antequam tamen in Graeciam pervenit,
ad urbem Troiam
navem appellere constituit,
frumentum enim quod secum habebat
iam deficere coeperat.

Por muito tempo e ardentemente
lutou-se;
mas enfim, no ocaso do Sol
tanta inversão de coisas
aconteceu que as mulheres
viraram as costas
e fuga para a segurança buscaram.
Muitas também pelos ferimentos
enfraquecidas
enquanto fugiam foram capturadas
e nesse número
estava a própria Hipólita.
Hércules suma clemência
demonstrou,
e depois que o cinturão recebeu,
liberdade a todos os cativos deu.
Em seguida os companheiros
ao mar reconduziu,
e porque não muito
do verão restava,
para a Grécia partir se apressou.
Ao navio então baixou
e tempo bom
rapidamente encontrou;
antes de no entanto à Grécia ir
à cidade de Troia
o naviu dirigir resolveu,
o grão que com ele tinha
já faltante começava a ser.

26

25. Laomedonte e o monstro do mar
Laomedon quidam illo tempore
regnum Troiae obtinebat.
Ad hunc Neptunus et Apollo
anno superiore venerant,
et cum Troia nondum moenia haberet,
ad hoc opus auxilium obtulerant.
Postquam tamen horum auxilio
moenia confecta sunt,
nolebat Laomedon praemium
quod proposuerat persolvere.
Neptunus igitur et Apollo
ob hanc causam irati
monstrum quoddam miserunt
specie horribili,
quod cottidie e mari veniebat
et homines pecudesque vorabat.
Troiani autem timore
perterriti in urbe
continebantur,
et pecora omnia ex agris
intra muros compulerant.
Laomedon his rebus commotus
oraculum consuluit,
ac deus ei praecepit
ut filiam Hesionem
monstro obiceret.

Um certo Laomedonte naquele tempo
em Troia reinava.
A esse Netuno e Apolo
no ano anterior vieram,
e como Troia ainda não tivesse muros
para esse serviço auxílio ofereceram.
Mas depois de com o auxílio deles
os muros estarem erigidos,
não queria Laomedonte o prêmio
que propusera pagar.
Netuno então e Apolo
por isso irados
um certo monstro mandaram
de aspecto horrível,
que todo dia do mar vinha
e homens e gado devorava.
Os troianos pelo temor
aterrorizados, na cidade
eram encerrados
o todo o gado do campo
intramuros recolheram.
Laomedonte por essas coisas movido
o oráculo consultou,
e o deus a ele prescreveu
que sua filha Hesíone
ao monstro oferecesse.

27

26. O salvamento de Hesíone
Laomedon, cum hoc responsum
renuntiatum esset,
magnum dolorem percepit;
sed tamen, ut civis suos
tanto periculo liberaret,
oraculo parere constituit
et diem sacrificio dixit.
Sed sive casu
sive consilio deorum
Hercules tempore
opportunissimo
Troiam attigit;
ipso enim temporis puncto
quo puella catenis
vincta ad litus deducebatur
ille navem appulit.
Hercules e navi egressus
de rebus quae gerebantur
certior factus est;
tum ira commotus
ad regem se contulit
et auxilium suum obtulit.
Cum rex libenter
ei concessisset ut, si posset,
puellam liberaret,
Hercules monstrum interfecit;
et puellam, quae iam
omnem spem salutis deposuerat,
incolumem ad patrem reduxit.
Laomedon magno cum gaudio
filiam suam accepit,
et Herculi pro tanto beneficio
meritam gratiam rettulit.

Laomedonte, como tal resposta
anunciada fosse,
grande dor sentiu;
mas também, para seus cidadãos
de tanto perigo liberar,
o oráculo obedecer decidiu
e o dia do sacrifício marcou.
Mas seja por acaso,
seja por desígnio dos deuses,
Hércules em um momento
oportuníssimo
A Troia chega;
no exato momento
em que a moça por correntes
presa à praia era conduzida
ele aportou o navio.
Hércules, saído do barco
das coisas que eram executadas
certificou-se;
então, tomado pela ira
ao rei se dirigiu
e seu auxílio ofereceu.
Como o rei de bom grado
a ele consentisse que, se pudesse,
a moça liberasse,
Hércules o monstro matou;
e a moça, que já
toda esperança de salvação depusera,
incólume ao pai reconduziu.
Laomedonte com grande felicidade
sua filha recebeu,
e a Hércules, por tanto benefício
merecidos agradecimentos dirigiu.

28

27. Décimo trabalho: os bois de Gerião
Tum vero missus est
Hercules ad insulam Erythiam,
ut boves Geryonis arcesseret.
Res erat summae difficultatis,
quod boves a quodam Eurytione
et a cane bicipite custodiebantur.
Ipse autem Geryon
speciem horribilem praebebat;
tria enim corpora
inter se coniuncta habebat.
Hercules tamen etsi intellegebat
quantum periculum esset,
negotium suscepit;
ac postquam per multas terras
iter fecit,
ad eam partem Libyae pervenit
quae Europae proxima est.
Ibi in utroque litore
freti quod Europam a Libya dividit
columnas constituit,
quae postea Herculis Columnae
appellabantur.

Em seguida foi mandado
Hércules à ilha Erítia,
a fim de os bois de Gerião tomar.
A coisa era de suma dificuldade,
porque os bois por um tal Euritião
e por um cão bicéfalo eram vigiados.
Também o próprio Gerião
aparência horrível apresentava;
na verdade, três corpos
entre si ligados tinha.
Mas Hércules, embora compreendesse
quanto perigo havia,
o trabalho assumiu;
e depois de por muitas terras
fazer caminho,
àquela parte da Líbia chegou
que da Europa próxima é.
Ali em cada praia
do canal que divide a Europa e a Líbia
colunas ergueu,
as quais depois Colunas de Hércules
foram chamadas.

29

28. O barco dourado
Dum hic moratur,
Hercules magnum incommodum
ex calore solis accipiebat;
tandem igitur ira commotus
arcum suum intendit
et solem sagittis petiit.
Sol tamen audaciam viri
tantum admiratus est
ut lintrem auream ei dederit.
Hercules hoc donum
libentissime accepit,
nullam enim navem
in his regionibus
invenire potuerat.
Tum lintrem deduxit,
et ventum nactus idoneum
post breve tempus
ad insulam pervenit.
Ubi ex incolis cognovit
quo in loco boves essent,
in eam partem
statim profectus est
et a rege Geryone postulavit
ut boves sibi traderentur.
Cum tamen ille hoc facere nollet,
Hercules et regem ipsum et Eurytionem,
qui erat ingenti magnitudine corporis,
interfecit.

Enquanto ali demorava,
Hércules de um grande incômodo
devido ao calor do Sol sofria;
enfim, movido pela ira
seu arco distendeu
e o Sol com setas atacou.
Mas o Sol, da audácia do rapaz
tão admirado ficou
que um barco dourado a ele deu.
Hércules esse presente
de bom grado aceitou,
pois nenhum barco
nessas regiões
encontrar pudera.
Então o barco conduziu
e encontrando por sorte vento bom
depois de um breve período
à ilha chegou.
Ali, a partir dos moradores soube
em que lugar estavam os bois,
e para essa parte
imediatamente se dirigiu
e ao rei Gerião postulou
que os bois a si fossem entregues.
Mas como ele isso fazer não queria,
Hércules, o próprio rei e Euritião,
que tinha um corpo imenso
matou.

30

29. A miraculosa tempestade de granizo
Tum Hercules boves
per Hispaniam et Liguriam
compellere constituit;
postquam igitur omnia parata sunt,
boves ex insula
ad continentem transportavit.
Ligures autem, gens bellicosissima,
dum ille per finis eorum
iter facit,
magnas copias coegerunt
atque eum longius progredi
prohibebant.
Hercules magnam difficultatem habebat,
barbari enim in locis
superioribus constiterant
et saxa telaque in eum coniciebant.
Ille quidem paene
omnem spem salutis deposuerat,
sed tempore opportunissimo
Juppiter imbrem lapidum ingentium
e caelo demisit.
Hi tanta vi ceciderunt
ut magnum numerum
Ligurum occiderint;
ipse tamen Hercules
(ut in talibus rebus
accidere consuevit)
nihil incommodi cepit.

Então Hércules os bois
pela Espanha e pela Ligúria
guiar decidiu;
então, depois de tudo estar preparado,
os bois desde a ilha
ao continente transportou.
Mas os lígures, gente belicosíssima,
enquanto ele por seu território
faz caminho,
grande exército reuniram
e a ele mais adiante progredir
proibiam.
Hércules grande dificuldade tinha,
pois os bárbaros em local
superior se posicionaram
e pedras e lanças nele atiravam.
Ele na verdade por pouco
toda esperança de salvação depusera,
mas em momento oportuníssimo
Júpiter imensa tempestade de granizo
do céu mandou.
Aquelas com tanta força caíram
que um grande número
de lígures mataram;
mas o próprio Hércules
(que em tais situações
meter-se estava acostumado)
nenhum incômodo teve.

31

30. A passagem dos Alpes
Postquam Ligures
hoc modo superati sunt,
Hercules quam
celerrime progressus est
et post paucos dies
ad Alpis pervenit.
Necesse erat has transire,
ut in Italiam boves ageret;
res tamen
summae erat difficultatis.
Hi enim montes,
qui ulteriorem a citeriore
Gallia dividunt,
nive perenni sunt tecti;
quam ob causam
neque frumentum
neque pabulum in his regionibus
inveniri potest.
Hercules igitur
antequam ascendere coepit,
magnam copiam frumenti
et pabuli comparavit
et hoc commeatu boves oneravit.
Postquam in his rebus
tris dies consumpserat,
quarto die profectus est,
et contra omnium opinionem
boves incolumis in Italiam traduxit.

Depois que os lígures
desse modo superados foram,
Hércules o quanto possível
velozmente progrediu
e depois de poucos dias
aos Alpes chegou.
Era preciso atravessá-los,
para que à Itália os bois levasse;
mas tal coisa
era de grande dificuldade.
Esses mesmos montes,
que da ulterior a anterior
Gália dividem,
por neves perenes são cobertos;
devido a isso
nem grãos
nem forragem nessas regiões
é possível serem encontrados.
Hércules então
antes de iniciar a subida,
grande quantidade de grãos
e forragem reuniu
e com essa provisão os bois equipou.
Depois que nessas lides
três dias consumira,
no quarto dia chegou,
e contra a opinião de todos
os bois à Itália incólumes trouxe.

32

31. Caco rouba os bois
Brevi tempore
ad flumen Tiberim venit.
Tum tamen nulla erat urbs
in eo loco, Roma enim
nondum condita erat.
Hercules itinere fessus
constituit ibi paucos dies morari,
ut se ex laboribus recrearet.
Haud procul a valle
ubi boves pascebantur
spelunca erat,
in qua Cacus, horribile monstrum,
tum habitabat.
Hic speciem terribilem praebebat,
non modo quod ingenti
magnitudine corporis erat,
sed quod ignem ex ore exspirabat.
Cacus autem de adventu Herculis
famam acceperat;
noctu igitur venit,
et dum Hercules dormit,
quattuor pulcherrimorum
boum abripuit.
Hos caudis in speluncam traxit,
ne Hercules e vestigiis
cognoscere posset
quo in loco celati essent.

Em pouco tempo
ao rio Tibre veio.
Mas então não havia cidade
nesse lugar, pois Roma
ainda não tinha sido fundada.
Hércules, cansado pela viagem,
decidiu ali poucos dias demorar-se,
para que dos trabalhos se refizesse.
Não longe do vale
onde os bois pastavam
havia uma caverna,
na qual Caco, monstro horrível,
então habitava.
Este uma fronte terrível mostrava,
não porque de grande
magnitude de corpo fosse,
mas porque fogo pela boca exalava.
Caco porém, da chegada de Hércules
a fama soubera;
de noite então veio
e enquanto Hércules dormia
quatro dos mais belos
bois furtou.
Estes pela cauda à caverna puxou,
para que Hércules pelos vestígios
saber não pudesse
em que local estivessem encerrados.

33

32. Hércules descobre o furto
Postero die simul atque
e somno excitatus est,
Hercules furtum animadvertit
et boves amissos
omnibus locis quaerebat.
Hos tamen nusquam
reperire poterat, non modo
quod loci naturam ignorabat,
sed quod vestigiis falsis
deceptus est.
Tandem cum magnam partem diei
frustra consumpsisset,
cum reliquis bobus progredi constituit.
At dum proficisci parat,
unus e bobus quos secum habuit
mugire coepit.
Subito ii qui in spelunca
inclusi erant
mugitum reddiderunt,
et hoc modo Herculem
certiorem fecerunt
quo in loco celati essent.
Ille vehementer iratus
ad speluncam quam celerrime
se contulit, ut praedam reciperet.
At Cacus saxum ingens
ita deiecerat ut aditus
speluncae omnino obstrueretur.

No dia seguinte, logo depois
que do sono sai,
Hércules o furto percebe
e os bois faltantes
em todos os lugares procurava.
Esses no entanto em nenhuma parte
encontrar de novo pudera, não só
porque a natureza do lugar ignorava,
mas porque por vestígios falsos
foi enganado.
Enfim, como grande parte do dia
em vão consumisse,
com os bois restantes progredir decidiu.
Mas quando se prepara para partir,
um dos bois que consigo tinha
a mugir começa.
Subitamente aqueles que na caverna
encerrados estavam
ao mugido responderam
e dessa forma a Hércules
manifestaram com precisão
em que local estavam encerrados.
Ele grandemente irado
à caverna o mais rápido que pôde
conduziu-se, para a presa recuperar.
Mas Caco uma grande pedra
de tal forma colocara, que a entrada
da caverna ficava totalmente obstruída.

34

33. Hércules e Caco
Hercules cum nullum
alium introitum
reperire posset,
hoc saxum amovere conatus est,
sed propter eius magnitudinem
res erat difficillima.
Diu frustra laborabat
neque quicquam efficere poterat;
tandem tamen magno conatu
saxum amovit et speluncam patefecit.
Ibi amissos boves
magno cum gaudio conspexit;
sed Cacum ipsum
vix cernere potuit,
quod spelunca repleta erat fumo
quem ille more suo evomebat.
Hercules inusitata specie
turbatus breve tempus haesitabat;
mox tamen in speluncam inrupit
et collum monstri
bracchiis complexus est.
Ille etsi multum repugnavit,
nullo modo se liberare potuit,
et cum nulla facultas
respirandi daretur,
mox exanimatus est.

Hércules, como nenhuma
outra entrada
encontrar pudesse,
aquela pedra mover empenhou-se
mas dada a magnitude dela
a tarefa era dificílima.
Por muito tempo em vão trabalhou
mas coisa alguma realizar pudera;
mas enfim, com grande ímpeto
a pedra moveu e a caverna escancarou.
Ali os bois faltantes
com grande alegria divisou
mas o próprio Caco
mal discernir pôde,
pois a caverna estava repleta de fumaça
que ele como era seu costume expelia.
Hércules pela inusitada fronte
turbado por certo tempo hesitava;
mas logo na caverna entrou
e o pescoço do monstro
com os braços agarrou.
Este, ainda que muito relutasse,
de modo algum liberar-se pôde,
e como nenhuma possibilidade
de respirar lhe era dada,
logo exânime ficou.

35

34. Décimo-primeiro trabalho: os pomos de ouro das Hespérides
Eurystheus postquam
boves Geryonis accepit,
laborem undecimum Herculi imposuit,
graviorem quam quos
supra narravimus.
Mandavit enim ei
ut aurea poma ex horto
Hesperidum auferret.
Hesperides autem
nymphae erant quaedam
forma praestantissima,
quae in terra longinqua habitabant,
et quibus aurea quaedam poma
a Junone commissa erant.
Multi homines
auri cupiditate inducti
haec poma auferre
iam antea conati erant.
Res tamen difficillima erat,
namque hortus in quo poma erant
muro ingenti undique
circumdatus erat;
praeterea draco quidam
cui centum erant capita
portam horti
diligenter custodiebat.
Opus igitur quod Eurystheus
Herculi imperaverat
erat summae difficultatis,
non modo ob causas
quas memoravimus,
sed etiam quod Hercules
omnino ignorabat
quo in loco hortus ille situs esset.

Euristeu, depois de
os bois de Gerião receber,
um 11º trabalho a Hércules impôs,
mais sério que aqueles de que
acima narramos.
Despachou-o
para que os pomos de ouro do jardim
das Hespérides apanhasse.
As Hespérides no entanto
eram certas ninfas
de forma excelentíssima,
que em uma terra longínqua habitavam
e para quem certos pomos de ouro
por Juno foram confiados.
Muitos homens
pela cupidez de ouro induzidos
tais pomos apanhar
já antes haviam tentado.
A empresa no entanto dificílima era,
pois o jardim onde os pomos ficavam
por um grande muro de todos os lados
cercado era;
além de tudo, um certo dragão
o qual tinha cem cabeças
a portada do jardim
diligentemente vigiava.
A tarefa, então, que Euristeu
a Hércules impusera,
era de dificuldade extrema
não apenas pelas causas
que relatamos,
mas também porque Hércules
completamente ignorava
em que lugar tal jardim ficasse.

36

35. Hércules pede ajuda a Atlas
Hercules quamquam
quietem vehementer cupiebat,
tamen Eurystheo parere constituit,
et simul ac iussa eius accepit,
proficisci maturavit.
A multis mercatoribus
quaesiverat quo in loco
Hesperides habitarent,
nihil tamen certum
reperire potuerat.
Frustra per multas terras
iter fecit et multa pericula subiit;
tandem, cum in his itineribus
totum annum consumpsisset,
ad extremam partem orbis terrarum,
quae proxima est Oceano,
pervenit. Hic stabat vir quidam,
nomine Atlas,
ingenti magnitudine corporis,
qui caelum (ita traditum est)
umeris suis sustinebat,
ne in terram decideret.
Hercules tantas viris
magnopere miratus
statim in conloquium cum Atlante venit,
et cum causam itineris docuisset,
auxilium ab eo petiit.

Ainda que Hércules
sossego veementemente desejava,
todavia Euristeu obedecer resolveu,
e assim que a ordem dele aceitou,
apressou-se a partir.
A muitos mercadores
questionara em que lugar
as Hespérides habitassem,
mas nada certo
descobrir pudera.
Em vão, por muitas terras
fez caminho e por muitos perigos passou;
enfim, quando em suas viagens
todo um ano tivesse consumido,
à parte extrema do orbe terrestre
que próxima é do Oceano,
chegou. Ali se postava um certo homem,
de nome Atlas,
de grande magnitude de corpo,
que o céu (assim é dito)
com seus ombros sustentava,
para que na terra não caísse.
Hércules por tanta força
completamente maravilhado
imediatamente falou com Atlas,
e como a causa da viagem explicasse,
auxílio dele pediu.

37

36. Hércules suporta o firmamento
Atlas autem Herculi
maxime prodesse potuit;
ille enim cum ipse
esset pater Hesperidum,
certo scivit quo in loco
esset hortus.
Postquam igitur audivit
quam ob causam Hercules venisset,
"Ipse", inquit, "ad hortum ibo
et filiabus meis persuadebo
ut poma sua
sponte tradant".
Hercules cum haec audiret,
magnopere gavisus est;
vim enim adhibere noluit,
si res aliter fieri posset.
Constituit igitur oblatum
auxilium accipere.
Atlas tamen postulavit ut,
dum ipse abesset,
Hercules caelum umeris sustineret.
Hoc autem negotium
Hercules libenter suscepit,
et quamquam res erat
summi laboris,
totum pondus caeli
continuos compluris dies
solus sustinebat.

Também Atlas a Hércules
o máximo útil pôde ser;
ele, com efeito, como fosse o próprio
pai das Hespérides,
conhecia precisamente em que lugar
ficasse o horto.
Depois então de ter ouvido
qual a causa que ali trouxera Hércules,
"Eu mesmo", "disse", "ao horto irei
e às minhas filhas persuadirei
para que seus pomos
espontaneamente entreguem".
Hércules, ao ouvir isso,
grandemente alegrou-se;
esforço para lá ir não queria empregar
se a coisa outro pudesse fazer.
Decidiu então o ofertado
auxílio aceitar.
Atlas no entanto exigiu que,
enquanto ele próprio estivesse fora,
Hércules o céu nos ombros sustivesse.
Tal trabalho
Hércules diligentemente tomou para si,
e ainda que a coisa era
de grande esforço,
todo o peso do céu
por vários vias contínuos
sozinho sustentou.

38

37. O retorno de Atlas
Atlas interea abierat
et ad hortum Hesperidum,
qui pauca milia passuum aberat,
se quam celerrime contulerat.
Eo cum venisset,
causam veniendi exposuit
et filias suas vehementer
hortatus est ut poma traderent.
Illae diu haerebant;
nolebant enim hoc facere,
quod ab ipsa Junone
(ita ut ante dictum est)
hoc munus accepissent.
Atlas tamen aliquando iis persuasit
ut sibi parerent,
et poma ad Herculem rettulit.
Hercules interea
cum pluris dies exspectavisset
neque ullam famam
de reditu Atlantis accepisset,
hac mora graviter
commotus est.
Tandem quinto die
Atlantem vidit redeuntem,
et mox magno cum gaudio
poma accepit;
tum, postquam gratias
pro tanto beneficio egit,
ad Graeciam proficisci maturavit.

Nesse ínterim, Atlas foi-se
e ao horto das Hespérides,
que poucas milhas distava,
o mais rapidamente possível se dirigira.
Ele, ao chegar,
a causa da vinda expôs
e a suas filhas veementemente
exortou para que os pomos entregassem.
Elas por muito tempo hesitavam;
não queriam mesmo tal coisa fazer,
pois da própria Juno
(assim como foi dito antes)
esse presente tinham aceitado.
Atlas no entanto finalmente as persuadiu
de a si obedecerem
o os pomos a Hércules trouxe.
Hércules nesse meio tempo
como por muitos dias esperasse
sem que qualquer notícia
do retorno de Atlas recebesse,
por essa demora grandemente
preocupado ficou.
Enfim, no quinto dia
Atlas viu voltando
e logo com grande alegria
os pomos aceitou;
então, depois de graças
por tanto benefício dar,
para a Grécia partir apressou-se.

39

38. Décimo-segundo trabalho: Cérbero, o cão de três cabeças
Postquam aurea poma
ad Eurystheum relata sunt,
unus modo relinquebatur
e duodecim laboribus
quos Pythia Herculi praeceperat.
Eurystheus autem
cum Herculem magnopere timeret,
eum in aliquem locum
mittere volebat
unde numquam redire posset.
Negotium igitur ei dedit
ut canem Cerberum ex Orco
in lucem traheret.
Hoc opus omnium difficillimum erat,
nemo enim umquam
ex Orco redierat.
Praeterea Cerberus iste monstrum
erat horribili specie,
cui tria erant capita
serpentibus saevis cincta.
Antequam tamen
de hoc labore narramus,
non alienum videtur,
quoniam de Orco mentionem fecimus,
pauca de ea regione proponere.

Depois que os pomos de ouro
a Euristeu foram entregues
um somente restava
dos doze trabalhos
os quais a Pítia a Hércules prescrevera.
Euristeu porém
como grandemente temesse Hércules,
ele a qualquer lugar
mandar desejava
de onde nunca voltar pudesse.
Então um trabalho a ele deu
para o cão Cérbero, do Orco
à luz trouxesse.
Esse trabalho, de todos, dificílimo era,
pois ninguém nunca
do Orco voltava.
Além disso, esse monstro Cérbero
tinha uma aparência horrível,
do qual três eram as cabeças
com serpentes malignas cobertas.
Mas antes
de tal trabalho contarmos,
não estranho parece,
já que do Orco menção fizemos
um pouco dessa região expor.

40

39. A barca de Caronte
De Orco, qui idem
Hades appellabatur,
haec traduntur.
Ut quisque de vita decesserat,
manes eius ad Orcum,
sedem mortuorum,
a deo Mercurio deducebantur.
Huius regionis,
quae sub terra fuisse dicitur,
rex erat Pluto,
cui uxor erat Proserpina,
Jovis et Cereris filia.
Manes igitur a Mercurio deducti
primum ad ripam veniebant
Stygis fluminis,
quo regnum Plutonis continetur.
Hoc transire necesse erat
antequam in Orcum venire possent.
Cum tamen in hoc flumine
nullus pons factus esset,
manes transvehebantur
a Charonte quodam,
qui cum parva scapha
ad ripam exspectabat.
Charon pro hoc officio
mercedem postulabat,
neque quemquam,
nisi hoc praemium prius dedisset,
transvehere volebat.
Quam ob causam mos erat
apud antiquos nummum
in ore mortui ponere eo consilio,
ut cum ad Stygem venisset,
pretium traiectus solvere posset.
Ii autem qui post mortem
in terra non sepulti erant
Stygem transire non potuerunt,
sed in ripa per centum annos
errare coacti sunt;
tum demum Orcum intrare licuit.

Do Orco, que também
Hades era chamado,
estas coisas são ditas.
De cada um que morresse,
sua alma ao Orco,
sede dos mortos,
pelo deus Mercúrio era levada.
Dessa região,
que sob a Terra ficasse era dito,
o rei era Plutão,
cuja esposa era Prosérpina,
de Júpiter e Ceres filha.
As almas por Mercútio assim trazidas
primeiro à margem chegavam
do rio Estige,
que o reino de Plutão cercava.
Atravessá-lo era necessário
antes de ao Orco chegar pudessem.
Mas como nesse rio
nenhuma ponte tinha sido feita,
as almas eram transportadas
por um tal Caronte,
que com um pequeno barco
à margem esperava.
Caronte, para esse trabalho,
uma prenda postulava,
e ninguém,
a menos que essa paga desse antes
transportar queria.
Por isso costume era
entre os antigos uma moeda
na boca do morto colocar para esse fim,
para que quando ao Estige chegasse,
o preço do trajeto pagar pudesse.
Aqueles que depois da morte
na terra não sepultados eram
o Estige passar não puderam,
mas às margens por cem anos
errar obrigados eram;
e só então no Orco entrar podiam.

41

40. O reino de Plutão
Ut autem manes Stygem
hoc modo transierant,
ad alterum veniebant flumen,
quod Lethe appellabatur.
Ex hoc flumine aquam
bibere cogebantur;
quod cum fecissent,
res omnis in vita gestas
e memoria deponebant.
Denique ad sedem ipsius
Plutonis veniebant,
cuius introitus a cane Cerbero
custodiebatur.
Ibi Pluto nigro vestitu
indutus cum uxore Proserpina
in solio sedebat.
Stabant etiam non procul
ab eo loco tria alia solia,
in quibus sedebant Minos,
Rhadamanthus, Aeacusque,
iudices apud inferos.
Hi mortuis ius dicebant
et praemia poenasque
constituebant.
Boni enim in Campos Elysios,
sedem beatorum, veniebant;
improbi autem in Tartarum
mittebantur ac multis
et variis suppliciis ibi excruciabantur.

E quando as almas o Estige
desse modo transpunham,
do outro lado vinham a um rio,
o qual Lete era chamado.
A partir desse rio a água
beber eram obrigadas;
porque assim fazendo,
todas as coisas na vida passadas
da memória saíam.
Em seguida, à própria casa
de Plutão vinham,
cuja entrada pelo cão Cérbero
era guardada.
Ali Plutão com um negro vestido
trajado, com a esposa Prosérpina,
no trono sentava-se.
Estavam ainda não longe
desse lugar três outros tronos,
nos quais sentavam-se Minos,
Radamanto e Éaco,
juízes no mundo inferior.
Eles aos mortos a sentença ditavam
e prêmios e penas
constituíam.
Os bons na verdade aos Campos Elíseos,
casa dos bem-aventurados, iam;
já os ímprobos ao Tártaro
eram mandados, para que muitos
e vários suplícios ali sofressem.

42

41. Hércules cruza o Estige
Hercules postquam
imperia Eurysthei accepit,
in Laconiam ad Taenarum
statim se contulit;
ibi enim spelunca erat
ingenti magnitudine,
per quam, ut tradebatur,
homines ad Orcum descendebant.
Eo cum venisset,
ex incolis quaesivit
quo in loco spelunca illa
sita esset;
quod cum cognovisset,
sine mora descendere constituit.
Nec tamen solus hoc iter faciebat,
Mercurius enim et Minerva
se ei socios adiunxerant.
Ubi ad ripam Stygis venit,
Hercules scapham Charontis conscendit,
ut ad ulteriorem ripam transiret.
Cum tamen Hercules vir esset
ingenti magnitudine corporis,
Charon solvere nolebat;
magnopere enim verebatur
ne scapha sua tanto pondere onerata
in medio flumine mergeretur.
Tandem tamen minis Herculis
territus, Charon scapham solvit,
et eum incolumem
ad ulteriorem ripam perduxit.

Hércules, depois de
as ordens de Euristeu aceitar,
na Lacônia, em direção ao cabo Tênaro,
imediatamente se despachou;
ali na verdade havia uma caverna
de grande magnitude
pela qual, assim se dizia,
os homens ao Orco descendiam.
Ele ao chegar
aos habitantes locais perguntou
em qual lugar a tal caverna
situada estaria;
e assim que soube
descender sem demora decidiu.
Mas não sozinho tal caminho fazia,
pois Mercúrio e Minerva
a ele se associaram.
Quando à margem do Estige chegou,
Hércules ao barco de Caronte subiu,
para que à outra margem fosse levado.
Mas como Hércules fosse um homem
de grande magnitude de corpo,
Caronte navegar não queria;
pois muitíssimo temia
que seu barco, com tanto peso onerado,
no meio do rio afundaria.
Mas enfim, pelas ameaças de Hércules
aterrorizado, Caronte o barco lançou
e ele, incólume,
à margem ulterior conduziu.

43

42. O último trabalho é completado
Postquam flumen Stygem
hoc modo transiit,
Hercules in sedem
ipsius Plutonis venit;
et postquam causam veniendi
docuit, ab eo petivit ut Cerberum
auferre sibi liceret.
Pluto, qui de Hercule
famam acceperat,
eum benigne excepit,
et facultatem quam ille petebat
libenter dedit.
Postulavit tamen ut Hercules ipse,
cum imperata Eurysthei fecisset,
Cerberum in Orcum
rursus reduceret.
Hercules hoc pollicitus est,
et Cerberum, quem non sine magno
periculo manibus prehenderat,
summo cum labore ex Orco
in lucem et ad urbem Eurysthei traxit.
Eo cum venisset,
tantus timor animum
Eurysthei occupavit ut
ex atrio statim refugerit;
cum autem paulum
se ex timore recepisset,
multis cum lacrimis obsecravit
Herculem ut monstrum sine mora
in Orcum reduceret.
Sic contra omnium opinionem
duodecim illi labores
quos Pythia praeceperat
intra duodecim annos
confecti sunt;
quae cum ita essent,
Hercules servitute tandem liberatus
magno cum gaudio Thebas rediit.

Depois de o rio Estige
desse modo ter cruzado,
Hércules ao palácio
do próprio Plutão chegou;
e depois de a causa da vinda
expor, a ele pediu que o Cérbero
consigo fosse permitido levar.
Plutão, que de Hércules
a fama ouvira,
a ele benignamente recebeu,
e o direito que ele pedia
de bom grado deu.
Exigiu no entanto que o próprio Hércules,
quando a ordem de Euristeu cumprisse,
o Cérbero ao Orco
de volta trouxesse.
Hércules isso prometeu
e o Cérbero, que não sem grande
perigo com as mãos prendera,
com grande trabalho do Orco
à luz e à cidade de Euristeu carregou.
Ele, como chegasse,
tanto temor no espírito
de Euristeu encheu que
do átrio rapidamente fugira;
como porém aos poucos
se recobrasse do temor,
com muitas lágrimas pediu
a Hércules que o monstro sem demora
ao Orco reconduzisse.
Assim, contra toda opinião
doze daqueles trabalhos
que a Pítia prescreveu
em doze anos
foram completados;
e assim sendo,
Hércules, enfim livre da servitude,
com grande alegria a Tebas voltou.

44

43. O centauro Nesso
Postea Hercules multa alia
praeclara perfecit,
quae nunc perscribere
longum est.
Tandem iam aetate provectus
Deianiram, Oenei filiam,
in matrimonium duxit;
post tamen tris annos accidit
ut puerum quendam,
cui nomen erat Eunomus,
casu occiderit. Cum autem
mos esset ut si quis
hominem casu occidisset,
in exsilium iret,
Hercules cum uxore sua
e finibus eius civitatis
exire maturavit.
Dum tamen iter faciunt,
ad flumen quoddam pervenerunt
in quo nullus pons erat;
et dum quaerunt quonam modo
flumen transeant,
accurrit centaurus Nessus,
qui viatoribus auxilium obtulit.
Hercules igitur uxorem suam
in tergum Nessi imposuit;
tum ipse flumen tranavit.
Nessus autem paulum in aquam
progressus ad ripam
subito revertebatur
et Deianiram auferre conabatur.
Quod cum animadvertisset Hercules,
ira graviter commotus
arcum intendit et pectus Nessi
sagitta transfixit.

Depois, Hércules muitas outras coisas
importantes fez,
as quais agora descrever completamente
é comprido demais.
Enfim, já em idade adiantado,
Dejanira, de Eneu filha,
em matrimônio conduziu;
mas depois de três anos aconteceu
que um certo menino,
cujo nome era Eunomo,
por acidente matasse. Como também
costume era que se alguém
um homem por infortúnio matasse,
em exílio devesse partir,
Hércules com sua esposa
para longe dos limites de sua cidade
apressou-se a ir.
Mas enquanto caminham,
a um certo rio chegam
sobre o qual não havia qualquer ponte;
e enquanto pesquisam de que modo
o rio atravessem,
acudiu o centauro Nesso,
que aos viajantes auxílio deu.
Hércules então sua esposa
nas costas de Nesso pousou
e então o próprio cruzou a nado o rio.
Mas Nesso pouco na água
progredindo em direção à margem,
subitamente mudou de direção
e Dejanira raptar tentou.
Tal coisa, como Hércules a percebesse,
grandemente tomado pela ira
distendeu o arco e o peito de Nesso
com uma seta transpassou.

45

44. A veste envenenada
Nessus igitur
sagitta Herculis transfixus
moriens humi iacebat;
at ne occasionem
sui ulciscendi dimitteret,
ita locutus est:
"Tu, Deianira, verba
morientis audi.
Si amorem mariti tui
conservare vis,
hunc sanguinem qui nunc
e pectore meo effunditur
sume ac repone;
tum, si umquam in suspicionem
tibi venerit, vestem mariti
hoc sanguine inficies.
Haec locutus Nessus
animam efflavit;
Deianira autem
nihil mali suspicata
imperata fecit.
Paulo post Hercules bellum
contra Eurytum, regem Oechaliae,
suscepit; et cum regem ipsum
cum filiis interfecisset,
Yolen eius filiam captivam
secum reduxit.
Antequam tamen domum venit,
navem ad Cenaeum promunturium
appulit, et in terram egressus
aram constituit
ut Jovi sacrificaret.
Dum tamen sacrificium parat,
Licham comitem suum
domum misit,
qui vestem albam referret;
mos enim erat apud antiquos,
dum sacrificia facerent,
albam vestem gerere.
At Deianira verita
ne Hercules amorem
erga Yolen haberet,
vestem priusquam Lichae dedit,
sanguine Nessi infecit.
46

Nesso então
pela flecha de Hércules transpassado
morrendo no chão jazia;
mas nessa oportunidade
para sua vingança executar
assim falou:
"Tu, Dejanira, as palavras
de um moribundo ouve.
Se o amor de teu marido
conservar desejas,
este sangue que agora
de meu peito escorre
colhe e guarda;
então, se alguma vez em suspeita
estiveres, as vestes de teu marido
com este sangue molhes."
Assim tendo falado, Nesso
exalou a alma;
Dejanira por seu lado,
nada de mau suspeitando
a ordem executou.
Pouco depois Hércules uma guerra
contra Eurito, rei de Ecália,
empreendeu; e como o próprio rei
com os filhos matasse,
Iole, sua filha, cativa,
consigo trouxe.
Mas antes de voltar para casa
um barco para o promontório Ceneu
tomou e, já em terra,
um altar fez
para que a Júpiter sacrificasse.
Mas enquanto o sacrifício prepara,
Licas, seu companheiro,
a sua casa despacha,
para que uma veste branca trouxesse;
pois costume era entre os antigos,
quando sacrifícios fizessem,
veste branca usar.
Mas Dejanira temendo
que Hércules amor
com respeito a Iole tivesse,
a veste antes que a Licas desse,
com o sangue de Nesso impregnou.

45. A morte de Hércules
Hercules nihil mali suspicans
vestem quam Lichas attulerat
statim induit;
paulo post tamen dolorem
per omnia membra sensit,
et quae causa esset eius rei
magnopere mirabatur.
Dolore paene exanimatus
vestem detrahere conatus est;
illa tamen in corpore haesit,
neque ullo modo
abscindi potuit.
Tum demum Hercules
quasi furore impulsus
in montem Octam se contulit,
et in rogum,
quem summa celeritate exstruxit,
se imposuit. Hoc cum fecisset,
eos qui circumstabant oravit
ut rogum quam celerrime
succenderent.
Omnes diu recusabant;
tandem tamen pastor quidam
ad misericordiam inductus
ignem subdidit.
Tum, dum omnia fumo
obscurantur,
Hercules densa nube velatus
a Jove in Olympum abreptus est.

Hércules, nada de mau suspeitando,
a veste que Licas trouxe
imediatamente vestiu;
mas pouco depois uma dor
por todos os membros sentiu
e qual a causa fosse disso
grandemente se admirava.
Pela dor quase exânime,
a veste desvestir tentou;
ela no entanto ao corpo aderiu,
de tal forma que de jeito nenhum
pôde tirá-la.
Por fim Hércules
quase por furor levado
ao monte Octa se dirigiu,
e em uma pira
que com máxima rapidez construiu
colocou-se. Como isso fizesse,
àqueles que ali estavam apelou
para que a pira o mais rapidamente
acendessem.
Todos por muito tempo recusavam;
mas um certo pastor
pela misericórdia induzido
o fogo ateou.
Então, enquanto tudo pela fumaça
era obscurecido,
Hércules, por densa nuvem envolto,
por Zeus, para o Olimpo, foi arrebatado.

para sugestões de correção: vittoriopastelli(et)gmail(dot)com

47