You are on page 1of 6

Carlos A Q Pereira – TCPIP Embarcado modo Client ( Setembro de 2015

)
================= ===========================================================

Parte 1 – O hardware
Para refletir
1945, finalmente chegava ao fim um dos momentos mais sombrios da humanidade, a segunda
grande guerra. O mundo olhava assombrado a destruição promovida pelas nações envolvidas.
Um número incontável de vidas perdidas, patrimônios esfacelados, culturas destruídas.
As duas maiores nações do planeta, aliados para o combate ao nazismo, se tornariam
adversárias e iriam a partir daí, iniciar uma disputa, desta vez no campo das informações
(devido ao fato de a vitória por qualquer das partes em uma guerra nuclear ser totalmente
inviável), que perduraria até o fim da União Soviética e a queda do muro de Berlim, por volta
de 1991.
A guerra fria marcaria o início de um novo e assustador conflito onde USA e União Soviética se
desafiavam construindo e exibindo um poderio destrutivo sem precedente em toda história.
O mundo assistia pelos noticiários, aos intimidadores debates entre as duas nações, as pessoas
já se preparavam para o inevitável trágico fim da história humana, pois já naquela época, o
poder destes dois países era suficiente para destruir tudo que o homem havia construído e
para dizimar grande parte da vida no planeta. Especialistas relatam que a desesperança das
pessoas nos Estados Unidos chegou ao nível de provocar um aumento no consumo dos bens
materiais como uma forma de aproveitar o tempo que lhes restava, e alguns até dizem que
este foi o marco para o início do consumismo que vivenciamos atualmente.
Nesta disputa, um conflito de ordem política, econômica e social, a informação estratégica era
o valor a ser preservado pois, diversos laboratórios de pesquisas, universidades, órgãos de
governo, e outros precisavam estar 24h em contato atualizando constantemente o status de
diversas situações. A destruição, por exemplo, de um sistema de comunicação, poderia causar
uma queda de grandes proporções nas comunicações entre estes grupos e impossibilitar
tomadas de decisão e ações para contra atacar uma ofensiva. Diante deste quadro, militares
chegaram a conclusão de que havia a necessidade urgente de se desenvolver uma forma de
manter os dados e a comunicação operantes caso parte das instalações fosse destruída.
Este momento pode ser considerado como sendo o marco do nascimento da rede de
computadores global que usamos hoje.
Para satisfazer as ordens militares foi criada uma rede, utilizando um protocolo comum, que
interligava todas as instituições de pesquisa, universidades, e governo, de tal forma que as
informações eram atualizadas de forma global na rede e todos os equipamentos envolvidos
estariam sempre atualizados. Assim, se uma parte da rede fosse destruída devido a um ataque,
as demais poderiam continuar operando com informação atualizada.
Com o final da guerra fria, está rede mais do que nunca, foi sendo desenvolvida, nas
universidades e em outros centros de pesquisa e veio a adquirir recursos diversos com o
passar do tempo, até se tornar a internet que temos disponível hoje.
A rede mundial de computadores, atualmente constando de mais de 40 mil redes interligadas
tendo em comum o protocolo TCP/IP, evolui de forma rápida e com os novos avanços na
tecnologia de chips e dispositivos eletrônicos, veio a dar asas à imaginação de muitas pessoas,

CAQP Setembro de 2015
=========================================================================

5

dispositivos eletrônicos de dimensões reduzidas. anjos e outros. a única que citava na época algo sobre microcomputadores ou microcprocessadores era a Nova Eletrônica. tive a oportunidade de fazer o meu primeiro curso de programação. Agora. via o seu endereço IP.org/details/byte-magazine Das editadas aqui no Brasil. e isso dá a este elemento a capacidade de ser plugado à rede Internet e então. Talvez por isso os estúdios Hollywodianos estejam recorrendo tanto a histórias sobre fadas. de montar uma placa eletrônica com capacidade para acionar um conjunto de atuadores e ao mesmo tempo poder receber sinais de um conjunto de sensores e ainda ter estrutura eletrônica suficiente para possibilitar a monitoração destes sensores e a interação com os atuadores via Ethernet ou Internet? Para dizer a verdade. Trend Radio Shake. vampiros. máquinas fantásticas para aquela época. que carregam um servidor dentro da memória de seu componente central.Carlos A Q Pereira – TCPIP Embarcado modo Client ( Setembro de 2015 ) ================= =========================================================== fazendo surgir um sem números de aparelhos com capacidade de comunicação utilizando o canal Internet. Eu iniciei meus estudos com a eletrônica em 1974 e logo nos primeiros anos. Nova Eletrônica. das quais obtinha informação via revistas importadas. na minha época de estudante isso não passava de história de ficção. haja imaginação para criar algo capaz de impressionar os jovens deste tempo. estar habilitado a fornecer serviços e recursos para a rede. a ficção é que está se tornando difícil de ser escrita. guerreiros. publicado mês a mês. Dentre as que tive acesso lembro da revista Byte. um microcontrolador. me apaixonei pelos microcomputadores. Imagens de arquivo obtidas em https://archive. então. CAQP Setembro de 2015 ========================================================================= 6 . tinha a Saber Eletrônica. O que você acha. mas. Através desta publicação. muito menos da forma como é atualmente. Nem poderíamos imaginar que algo como a Internet poderia ser uma realidade na vida de todos. nas edições. Electronic. Antena. Existem hoje.

eram inalcançáveis pela maioria de nós brasileiros. em qualquer lugar. mortais e necessitados de trabalho e estudo dia a dia para seguir em frente. o TRS. podem estar conectados. de qualquer lugar onde haja um ponto de conexão à internet? A sequência de estudos que iremos iniciar aqui tem o objetivo de guiar cada um de vocês a alcançar este objetivo. era acessível somente para as grandes empresas e suas salas mágicas. utilizando o Stack TCPIP Microchip junto com outras ferramentas de software e hardware que irão formar a plataforma para o desenvolvimento de uma aplicação funcional. O CP-500 era um produto fabricado no Brasil com base no circuito e software do Radio Shake 3. Todos baseados em idéias brilhantes de pessoas como Bill Gates. vem me dominando a bastante tempo e hoje. com botões e monitoramentos. cuja imagem aparece na imagem central . Qual de vocês não gostaria de ver então. A imaginação destas pessoas levou aos lares o acesso à informação de forma revolucionária. CAQP Setembro de 2015 ========================================================================= 7 . participando de seminários e palestras e passando horas na bancada envolvido com experiências de tentativa e erro . O desejo de ver um aparato como este funcionando. uma placa. com os quais se pode ver o que acontece e então interagir fazendo os acionamentos necessários. Steve Wozniac. proporcionando todas estás possibilidades de controle. fazendo cursos. como um CP-500. Steve Jobs.Carlos A Q Pereira – TCPIP Embarcado modo Client ( Setembro de 2015 ) ================= =========================================================== Imagens de arquivo da revista Nova Eletrônica. conhecimento e tempo para construir um primeiro projeto funcional o qual descreverei em detalhes aqui neste texto. ou uma destas que já vêm prontas para ser programada. o inesquecível TK. que virão na tecnologia dos microprocessadores à oportunidade de juntar partes e dar origem ao dispositivo que até então. montada peça por peça na sua bancada. foi extinto pouco tempo após o final da reserva de mercado para informática. tornou possível o conceito de globalização e agora tornará realidade o IoT. aparecendo em uma página web. com suas máquinas maravilhosas. gigantes. Microcomputadores. finalmente consegui juntar infraestrutura. onde todos e tudo. Entre os importados havia o Apple. tudo isso. diminuiu as distâncias de forma inimaginável. entre outros.

sempre aparece uma coisa melhor a ser feita. Vamos entender como a placa é montada e quais os recursos disponibilizados pelo fabricante. relógio de tempo real. Você vai precisar ter instalado em seu computador o MPLABX da Microchip. portanto. com modem banda larga. Precisa também uma infra estrutura de rede. SD Card. Se você pretende usar um outro gravador..microchip. cada qual com suas vantagens e desvantagens. Outros modelos já são bem simplificados e apresentam apenas um led e um ou dois botões na placa. são necessários alguns matérias e softwares: As placas de circuito listadas a seguir.com. um ambiente tipo IDE que vai facilitar muito o trabalho. Alguns modelos possuem no circuito relés. a atividade de programação exige constante trabalho e atualização. O mapa de conexões é o seguinte: BT1 Pino RD6 BT2 Pino RD7 BT3 Pino RA7 BT4 Pino RD13 Na configuração dos arquivos no Stack você vai utilizar este mapa de ligações.br XBEENET + Gravador – Placas fabricadas pela Microgenios . É preciso ter domínio total sobre o circuito eletrônico da placa que você vai utilizar. vai precisar do software de controle para o PICKIT3 também instalado. mesmo quando você acha que seu código está perfeito. CAQP Setembro de 2015 ========================================================================= 8 . Para aqueles que farão uso de outra placa. você pode usar qualquer outra a partir do entendimento de como configurar os arquivos da pilha TCPIP para encontrar as suas necessidades. teclado matricial.microchip. LCD.. e sem as ferramentas para colocar no ar o seu trabalho.Carlos A Q Pereira – TCPIP Embarcado modo Client ( Setembro de 2015 ) ================= =========================================================== Para levar a cabo tudo que iremos debater aqui.com Tudo o que vamos fazer neste estudo é baseado nestas ferramentas. existem 4 botões disponíveis para a aplicação e um quinto botão reservado ao reset do micrococontrolador.mosaico. instale em seu PC o programa de controle deste. roteador e cabos de conexão. etc.br Gravador PICKIT3 – Fabricado pela Microchip – www.com. a coisa fica complicada.www.com TCPIP Stack Versão 2013-06-15 – Microchip – www. seguir o mesmo caminho descrito aqui. botões. Você deve escolher aquela que ofereça recursos suficientes para colocar a sua ideia em prática. existem muitas outras disponíveis no mercado nacional. você vai precisar ter uma delas em mãos para poder praticar e dar dinâmica a leitura. Explorer16BR – Placa com PIC24 fabricada pela empresa Mosaico – www. Nosso primeiro estudo começa agora e vai focar no hardware da placa EXPLORER16BR. BOTÕES Na explorer16BR. leds. display 7 segmentos.microgenios. Lembre-se.

USART O canal de comunicação USART do microcontrolador se apresenta da seguinte forma: T2IN RF5/PMA8/U2TX R2OUT RF4/PMA9/U2RX T1IN RF13/U2RTS R1OUT RF12/U2CTS A placa dispõe de dois tipos de conexão para display.Carlos A Q Pereira – TCPIP Embarcado modo Client ( Setembro de 2015 ) ================= =========================================================== LEDs Existem oito LEDs disponíveis e estão conectados da seguinte forma: LED1 RA0 LED2 RA1 LED3 RA2 LED4 RA3 LED5 RA4 LED6 RA5 LED7 RA6 LED8 RA7 TRIMPOT DO CANAL ANALÓGICO Um trimpot para testes com o canal analógico. está conectado ao pino RB5/AN5. o LCD e o display gráfico: LCD e DISPLAY GRÁFICO As conexões são as seguinte: LCD: RE0 – RE7 = Pinos de dados do display RB15 = RS do display RD5 = EM do display RD4 = WR do display CAQP Setembro de 2015 ========================================================================= 9 .

via cabo fornecido. com o cabo fornecido pelo fabricante. o outro lado do cabo deve ser ligado a uma porta USB em seu computador. Nas imagens estão ilustrados o Modem. CAQP Setembro de 2015 ========================================================================= 10 . ligue PICKIT3 ao conector correspondente na placa EXPLORER16BR. nos experimentos em que a placa explorer16BR estará configurada como server. TX RF1 RX RF0 A placa Explorer16BR possui um conector RJ45 pronto para ser plugado ao seu roteador via cabo de rede. A Entrada WAN de seu roteador deve ser ligada à saída LAN do Modem. Com um cabo de rede. interface com a camada física de rede. o Roteador. o PICKIT3 e a Placa EXPLORER16BR. internamente e por isso existe na placa o ENC28J60 que faz essa interface: SO RD7 SI RF8 SCK RF6 CS RC4 MEMÓRIA SERIAL MCP2551 A memória serial será usada para armazenar os dados referentes a uma página WEB que produziremos em nosso desenvolvimento.Carlos A Q Pereira – TCPIP Embarcado modo Client ( Setembro de 2015 ) ================= =========================================================== CONTROLADOR ETHERNET ENC28J60 O microcontrolador PIC24 instalado na placa não possui o PHY. Se a sua rede estiver operante. ligue a EXPLORER16BR a uma saída LAN de seu roteador. estas ligações serão o suficiente para começar as experiências.