Como ser mais criativo na solução de problemas

por JAIRO SIQUEIRA · 6 COMENTÁRIOS
em CRIATIVIDADE , TÉCNICAS E FERRAMENTAS

Obter soluções criativas e inovadoras para os problemas empresariais,
sociais, políticos e econômicos tem sido um dos desafios sempre
presentes nos dias atuais. Como analisar corretamente estes problemas
e chegar às melhores soluções? Como escapar dos bloqueios
mentais que nos tornam prisioneiros de ideias ultrapassadas e
ineficazes?

Qual a diferença entre boas e más soluções?

Uma boa resposta a esta questão pode ser obtida estudando alguns dos
grandes fracassos políticos e empresariais dos últimos anos,
excetuando, evidentemente, os notórios casos de fraude e corrupção
devidos a ausência de ética e não a falta de criatividade. Examine
alguns casos e em todos eles você encontrará pelo menos uma das três
falhas mais comuns:
1. Estreiteza de visão: a falha em enxergar o todo, ignorando as
complexidades, implicações e ramificações do problema examinado.
2. Desatenção aos detalhes, especialmente o desconhecimento
daqueles de pouca visibilidade mas críticos.
3. Incapacidade de escapar da mesmice e gerar soluções
inovadoras; falta de imaginação e coragem para romper as amarras
com o passado e superar os preconceitos.
Barry Welford, consultor em criatividade, define duas condições
básicas para uma boa técnica de solução criativa de problemas:

Ser agradável e fácil de usar.

Deve ajudar-nos a obter as melhores soluções.

Welford sugere um processo para a solução criativa de problemas
bastante simples, formado de três passos:
Pesquise como a águia – olhe de cima. Tenha uma visão
de todo o quadro, inclua tudo que for relevante, veja as
fronteiras, procure conhecer de modo global o que está
acontecendo.

Analise como a coruja Como todos sabem. Algumas podem detectar o ruído de pequenos animais se movimentando no mato e dar botes certeiros e mortais. tentar formar um quadro geral da situação e definir adequadamente o problema que deve ser resolvido.Analise como a coruja – com uma visão de 360º. O mesmo grau de precisão é necessário na análise de problemas. Use toda a sua imaginação. negligenciando o conhecimento do todo. Este primeiro passo não tem recebido a atenção adequada no processo de análise e solução de problemas. pessoas e processos. as implicações e os impactos sobre outras unidades. Este quadro geral deve mostrar as fronteiras do problema. pois pessoas de diversas origens e formação olharão o problema de diferentes ângulos. sem dúvida. Pesquise como a águia Este passo requer a habilidade de se afastar do problema e ver a floresta além das árvores. É neste ponto que o trabalho em equipe mostra toda a sua força. a . especialmente na identificação de suas possíveis causas. As consequências são a definição inadequada do problema e o desperdício de tempo e dinheiro em soluções erradas e ineficazes. é importante encontrar todos os fatores que possam influenciar a solução. mesmo os escondidos ou difíceis de localizar. discutidos e registrados é. esta etapa permite que cada um expresse sua visão da situação. muitas corujas podem girar a cabeça num ângulo de 360º sem mover o corpo. Nesta etapa é importante não se deixar cegar pelos detalhes. Com muita frequência as pessoas entram direto na discussão dos detalhes. Assim que o problema tenha sido corretamente definido. que poderão afetar suas análises e decisões. Solucione como humano – com engenhosidade e coragem. e assegurando a obtenção de consenso sobre o correto significado do problema que está sendo atacado. conhecimentos e experiência para escapar dos caminhos óbvios e encontrar soluções inovadoras.Esteja ciente de todos os fatores. A discussão aberta e livre em que todos os pontos de vista possam ser representados. Quando trabalhando em equipe.

emocionais. somos confrontados diariamente por desafios que precisam ser enfrentados. Ousar romper com os padrões estabelecidos. o mais importante é a tomada de consciência das barreiras que inibem a criatividade: os bloqueios mentais. Solucione como humano O passo final deve permitir a plena aplicação de todo o potencial criativo da mente humana. mas outros requerem soluções originais e inovadoras.melhor abordagem. a equipe pode optar por usar algumas das ferramentas e técnicasde auxílio à criatividade. culturais. Aqui há espaço tanto para a abordagem fundamentada na lógica como na intuição e imaginação. Todas as possíveis causas são identificadas e priorizadas. intelectuais etc. Alguns destes desafios são simples. Solução criativa de problemas – Parte 1 por JAIRO SIQUEIRA · 3 COMENTÁRIOS em CRIATIVIDADE . esta é a atitude que separa as soluções criativas da mesmice. Contudo. . o Brainstorming. Estes desafios podem ser problemas que nos causam prejuízos ou aborrecimentos. seja em casa ou no trabalho. fazer uso inteligente das novas tecnologias e ir além dos métodos tradicionais. Neste ponto. como o Mapa Mental. SCAMPER e outras. ou uma oportunidade que nos oferece a chance de fazer algo novo e diferente. TÉCNICAS E FERRAMENTAS No âmbito pessoal.

Introdução ao PIS – Pensamento Inventivo Sistematizado Os artigos apresentam uma visão geral da solução criativa e de suas principais técnicas. padrão. cujas soluções trazem novos desafios. A série é formada por 4 artigos: 1. a trajetória da humanidade é uma sucessão de desafios cada vez mais complexos e de soluções cada vez mais efêmeras. suficientemente importante para exigir uma ação corretiva. Pensando de forma positiva. Os textos trazem referências e links que permitem o acesso à descrição detalhada das ferramentas e suas aplicações. etc. Num nível bem amplo. Na maioria das vezes. gargalo. e cujas causas podem ser identificadas pela análise dos dados disponíveis. formando uma cadeia ininterrupta de problemas a serem resolvidos. insatisfação.) e o resultado realmente obtido. o objetivo  não será atingido. um problema não resolvido fornece oportunidades de se criar algo novo e original e de se diferenciar dos competidores. sofrimentos e prejuízos. Problema: definição e categorias Um problema pode ser definido como:  Uma discrepância entre o resultado esperado (objetivo.  norma. Introdução à solução criativa de problemas 2. defeito. Problemas bem estruturados: são problemas claramente definidos. Esta série é uma introdução ao conceito e técnicas de solução criativa de problemas.No âmbito social. Introdução ao SCP – Solução Criativa de Problemas 4. Nos artigos desta série abordaremos os métodos e ferramentas da solução criativa de problemas e como podem ser aplicados aos mais variados tipos de desafios e situações. no sentido de que se não for removido. O mesmo que conflito. falha. Os dois principais métodos de solução criativa de problemas 3. a solução decorre da . atraso. tanto no nível individual. desperdício e tudo o mais que nos causa dissabores. A habilidade de resolver problemas se tornou crítica. A solução de um desafio traz outros desafios. Um obstáculo. quanto no nível organizacional e social. os problemas podem ser classificados em duas categorias: 1.

Obtenção de informações relevantes sobre o problema e suas prováveis causas. se a definição do problema e a análise dos dados forem bem feitas. 2. Normalmente. Exemplos: uma torneira com vazamentos. Implementação da solução: planejamento e execução das medidas para solucionar o problema. Por que uma metodologia para solução de problemas? . Exemplos deste tipo de problema: Como melhorar os serviços aos clientes? Como aumentar as receitas com meu blog? Como enfrentar a concorrência estrangeira? Como reduzir a poluição ambiental? A solução criativa de problemas é mais apropriada para a resolução dos problemas do segundo grupo ou em qualquer situação onde se procura idéias novas e originais para se chegar ao resultado desejado. Problemas mal estruturados: estes problemas são ambíguos. sem uma definição muito clara dos caminhos a seguir para sua resolução e podem ter várias soluções com diferentes graus de eficácia. erros na entrega de uma mercadoria. No próximo artigo faremos a comparação entre os dois principais métodos de solução criativa de problemas. Solução do problema: geração de idéias para neutralização das causas e seleção da idéia mais apropriada. São problemas que requerem uma abordagem especulativa e a exploração de idéias sob diversas perspectivas. Os 3 passos para solução de problemas Qualquer que seja a natureza e complexidade do problema. presença de impurezas na preparação de alimentos.formulação do problema e da análise sistematizada dos dados coletados. a solução torna-se óbvia. sua solução efetiva se fundamenta em 3 estágios: Definição do problema: uma descrição clara do que está ocorrendo e precisa ser solucionado. Há diversas estratégias para a realização destes três estágios.

Na solução de problemas. o processo se mostra confuso. identificação das causas do problema. avaliação. a geração de soluções. Isto pode incluir: a definição do problema. a coleta e análise de informações. Os dois principais métodos de solução criativa de problemas . custoso e pouco eficiente. Contudo. diretrizes e ferramentas que ajudam a organizar o raciocínio e a apoiar e orientar a geração. a avaliação das soluções. um caminho na procura da solução. A ausência de uma metodologia torna muito difícil replicar os processos bem sucedidos e desenvolver as habilidades na solução de problemas. Mais especificamente. seleção e implementação de novas idéias. Estes métodos fornecem princípios. as pessoas seguem intuitivamente. O aprendizado é praticamente nulo e cada problema é um problema totalmente novo. métodos de solução criativa de problemas foram desenvolvidos para ajudar indivíduos e grupos quando se requer soluções originais. de alguma forma. Muitas vezes. a seleção de uma solução e sua implementação. Foram desenvolvidos vários métodos e ferramentas para ajudar as pessoas a se tornarem mais eficazes na solução de problemas. na sua maior parte elas não têm consciência da seqüência dos passos dados. A primeira coisa que um método de solução de problema deve nos dar é uma seqüência definida de passos a serem seguidos na procura de soluções. demorado. mesmo que seja a centésima repetição da mesma situação.

resultantes de suas especialidades. os conhecimentos trazidos para a mesa de trabalho são aqueles das pessoas que participam do projeto. geração de soluções e implementação da solução escolhida. é como trazer para a mesa de trabalho outras pessoas que já enfrentaram desafios semelhantes. mediante o uso de princípios e algoritmos apropriados. .Vários métodos de solução criativa de problemas foram desenvolvidos nos últimos 50 anos. apresentando algumas variantes em torno do modelo original. SCP e PIS. a diferença mais significativa está nos conhecimentos aplicados na análise e solução do problema. sistemas e tecnologias. No meu entendimento. são ainda agregados os conhecimentos e idéias aplicadas na solução de problemas análogos. sociais e ambientais. talentos e experiências. criador do Brainstorming. há muitas diferenças entre as duas escolas. constituído de três estágios: definição do problema. Como veremos. vimos a ampliação da aplicação destas técnicas na solução de problemas organizacionais. Na metodologia do SCP. Na sua origem. e Sidney Parnes. especialmente no desenvolvimento de novos produtos. Através destes princípios. Na metodologia do PIS. Pensamento Inventivo Sistematizado – PIS: este modelo se baseia em técnicas que utilizam a base de conhecimentos derivada das experiências inovadoras em diversos campos da atividade humana. Nesta série abordaremos as duas principais escolas: Solução Criativa de Problemas – SCP: baseia-se em modelo introduzido há mais de 50 anos por Alex Osborn. Nos últimos anos. A estratégia deste modelo é obter uma clara e precisa definição do problema e gerar várias opções de soluções. Seus fundamentos são os princípios inventivos identificados pelo engenheiro russo Genrich Altshuller mediante o exame de mais de duzentas mil patentes de inventos. Este é o método mais usado. De uma certa forma. as técnicas do PIS foram criadas para apoiar a solução de problemas técnicos mais complexos. A estratégia básica deste modelo é utilizar os princípios inventivos para adaptar soluções genéricas existentes a um problema específico. o pensamento criativo pode seguir as trilhas já percorridas por milhares de inventores e solucionadores de problemas e se inspirar nas suas idéias para solução de problemas similares.

Geração 5. O SCP é constituído de 3 estágios (definição do problema. Implementação da solução do de do de da problema dados problema idéias solução Estes seis passos guiam o processo criativo. Desenvolvimento 6. Nota: não confundir o nome desta metodologia com o título desta série de artigos. podem ser dados. divididos em 6 passos: 1. idéias. Cada passo é formado de duas fases: Pensamento divergente: fase de geração de muitas opções e possibilidades que. solução do problema e implementação da solução). definições do problema. identificar e vencer desafios e estabelecer e realizar objetivos. Formulação 4. passo a passo. Reconhecimento 2. para produzir uma ou mais soluções criativas e práticas. critérios de avaliação ou estratégias de . O SCP define o que fazer. O uso do SCP possibilita a indivíduos e organizações serem criativos e inovadores na resolução de problemas e no tratamento de novas oportunidades de negócios.SCP – Solução Criativa de Problemas SCP é um conjunto de processos para analisar e solucionar problemas. Obtenção 3. conforme o estágio.

artigos. Pensamento convergente: fase para avaliar e fazer escolhas entre as várias opções e possibilidades imaginadas na fase divergente. A seguir se elabora uma descrição preliminar do problema. das idéias mais promissoras.implementação. em que o julgamento é suspenso. clientes e fornecedores. Geralmente esta descrição inicial costuma ser incompleta. dos critérios e estratégias mais adequadas e viáveis. opiniões dos trabalhadores. Passo 3 – Formulação do problema Este passo é a conexão entre a obtenção de dados e a geração de possíveis soluções. Na fase divergente. esta descrição inicial parte da pessoa responsável pela unidade onde o problema ocorre. o “dono” do problema. parte-se para a seleção dos dados realmente relevantes que serão analisados no passo seguinte. neste . Tendo uma boa idéia dos fatos relevantes. que pode não ser necessariamente a melhor ou a mais precisa descrição do desafio. notícias. Nesta fase se faz a seleção dos dados mais relevantes. É uma fase de liberdade para imaginar. mau definida e complexa. Passo 1 – Identificação do problema O processo se inicia com o reconhecimento de uma situação problemática. Passo 2 – Obtenção de dados Este passo é a ponte entre o reconhecimento do problema e sua clara definição. Usualmente. Terminada a fase de prospecção de dados. deve-se explorar todas as possíveis fontes de informação sobre a situação problemática: registros. etc. gerentes. um desafio a enfrentar ou algum resultado insatisfatório. relatórios.

identificando o que será feito. Passo 5 – Desenvolvimento da solução Se o passo anterior se caracteriza pelo pensamento divergente. este passo é dominado pelo pensamento convergente. Este é o momento de colocar em ação toda sua capacidade de persuasão e suas habilidades de lidar com indiferença. Muitas vezes a definição inicial resulta de uma visão limitada ou deturpada da situação. Questionar a definição inicial é um importante passo e os dados obtidos na etapa anterior o ajudarão a definir adequadamente o problema real. Desta etapa nasce uma recomendação de ação específica para resolver o problema. quando. a maior causa de fracassos na solução de problemas é a falha em definir claramente o problema real a ser resolvido. argumentos infundados e objeções sinceras. prazos e aspectos organizacionais. Passo 6 – Implementação da solução Neste passo. Este plano deve ser apresentado e explicado a todas as pessoas envolvidas na sua implementação. por quem. desconfiança. mas não é. comparadas. um plano de ação é criado. Nota: no e-book Criatividade Aplicada você encontará um tutorial detalhado do SCP com orientações práticas para cada passo. onde e como. ou mesmo a confusão entre o problema real e seus sintomas. etc. Instrumentos de monitoramento são definidos para avaliação dos resultados obtidos e da eficácia do plano de ação. Isto pode parecer simples. bem como para identificação de eventuais medidas corretivas. uma grande quantidade de possíveis soluções pode ser gerada. usando-se técnicas de criatividade previamente selecionadas. Passo 4 – Geração de idéias Assim que o problema esteja claramente definido. em que as idéias geradas são avaliadas segundo critérios previamente definidos para comparar os benefícios. com a ajuda de ferramentas de criatividade mais apropriadas à situação. a mente trabalha livremente para gerar idéias que serão avaliadas. políticos. custos. .passo se procura aperfeiçoar a definição inicial do problema formulada no passo 1. Nesta etapa. humanos. melhoradas ou combinadas na etapa seguinte. bem como as que serão afetadas pelas mudanças.

de forma isolada ou combinada. especialmente os métodos intuitivos. O processo criativo consiste em identificar os princípios inventivos que podem ser aplicados a um problema específico. gerar uma solução genérica e adaptá-la ao problema real.000 mil invenções. que ele acreditava existir. Altshuller. Após o estudo de mais de 200. O Pensamento Inventivo Sistematizado começou a ser desenvolvido durante os anos 50. Altshuller procurou na literatura existente alguma espécie de método para inventar. se desenvolveu uma corrente de pensamento criativo que se fundamenta na identificação e sistematização de princípios inventivos que estão presentes. pelo engenheiro e inventor Genrich S. ele chegou à sua mais importante . ele não encontrou nenhuma pista sobre tal método e concluiu que ele mesmo teria que desenvolvê-lo. em todas as invenções ou inovações. O Pensamento Inventivo Sistematizado Desde os meados do século passado. Os princípios inventivos funcionam como direcionadores do processo de geração de idéias. Altshuller estudou patentes de diferentes áreas.No próximo artigo abordarmos o PIS – Pensamento Inventivo Sistematizado. com o objetivo de buscar alternativas mais eficazes aos métodos de solução criativa de problemas tradicionais. na extinta União Soviética. Para sua decepção. como Brainstorming e ferramentas de criatividade similares Nas suas pesquisas.

tornar um objeto facilmente desmontável. construção. ele concluiu. Alguns exemplos para ilustrar o significado e aplicação dos Princípios Inventivos:  O princípio da Segmentação (1) significa dividir um objeto em partes independentes. Para desenvolver um método de invenção. Princípios Inventivos Altshuller identificou 40 Princípios Inventivos. identificar as contradições presentes e formular os princípios que os inventores usaram para remoção das contradições. . GPS. menor a sua segurança. Um bom exemplo de contradição técnica pode ser encontrado na informática: quanto mais fácil o acesso a um sistema. como fotografia. etc.conclusão: Uma invenção é a remoção de uma contradição técnica com a ajuda de certos princípios. A criatividade está em conseguir a facilidade de acesso com uma maior segurança. Destas conclusões. e também concluiu que os princípios de um ramo de atividades. Altshuller desenvolveu a metodologia TRIZ (do russo Teoryia Reshenyia Izobretatelskikh Zadach). etc. podem ser aplicados em outros setores distintos como hotelaria. O telefone celular é um bom exemplo de remoção de contradições técnicas: suas dimensões têm diminuído apesar da agregação de novas funções. listados no quadro a seguir. como mecânica ou transporte. MP3. deve-se analisar um grande número de invenções. que podemos traduzir por Teoria de Solução Inventiva de Problemas.

. Método dos Princípios Inventivos (MPI) O MPI foi idealizado por Altshuller e é o mais difundido dos métodos da TRIZ. Exemplo: irrigar um jardim com um fluxo contínuo de água pode erodir o solo. TRIZ – Teoria de Solução Inventiva de Problemas TRIZ é uma metodologia. conseqüentemente. Considera que há um número limitado de princípios inventivos e. tocador de MP3. GPS e rádio comunicador. Uma boa fonte de informações é o TRIZ Journal ( http://www. fotografia. Não é propósito deste artigo abordar todas estas ferramentas. conexão com a Internet. A forma mais simples de utilização dos Princípios Inventivos é o uso direto.com/ ). Os Princípios Inventivos são heurísticas. Exemplo: celular com funções de telefone. Exemplos: substituição de um grande computador central (mainframe) por computadores pessoais. A abordagem do MPI tem por base que muitos dos problemas que encontramos já foram resolvidos num sentido genérico. eliminar a necessidade de outras partes. A descrição destes princípios pode ser encontrada na internet a partir da pesquisa pelo termo TRIZ. como em outros campos técnicos e não técnicos.  O princípio da Ação Periódica (19) significa substituir uma ação contínua por uma ação periódica ou intermitente. ou sugestões de possíveis soluções para um determinado problema. móveis modulados.triz-journal. um conjunto de ferramentas e uma base de conhecimentos para gerar idéias inovadoras e para a solução criativa de problemas. A figura a seguir ilustra este processo. divisão de grandes cargas em containeres. Desde sua formulação em meados do século 20. que consiste em simples análise de cada um dos princípios e a tentativa de aplicá-los para a melhoria do sistema estudado. Um sprinkler elimina o problema. o foco da solução do problema é formular corretamente o problema e usar um mais dos princípios inventivos já catalogados para resolvê-lo. Suas ferramentas têm sido usadas tanto na engenharia. Limitar-nos-emos ao Método dos Princípios Inventivos.  O princípio da Universalização (6) significa fazer com que uma parte ou objeto desempenhe múltiplas funções. a TRIZ evoluiu incorporando vários conceitos e ferramentas usadas para apoiar os inventores e solucionadores de problemas.aumentar o grau de fragmentação ou segmentação.

procura-se uma solução genérica a partir da aplicação de um mais dos 40 Princípios Inventivos. Separar o controle de fluxo da água (movimento vertical) do controle de temperatura (movimento circular).  Problema genérico: controle independente de fluxo e temperatura. Controlar a temperatura envolve aumentar ou reduzir o fluxo de água. A solução genérica escolhida é trabalhada para se obter uma solução específica para o problema real. Exemplo:  Problema específico: dificuldade em obter o fluxo e a temperatura ideais da áqua na torneira. com exemplos e orientações práticas sobre suas aplicações. No e-book Criatividade Aplicada você encontra um tutorial detalhado sobre o Pensamento Inventivo Sistematizado. e vice-versa. .  Solução genérica: combinar os princípios de Consolidação e Segmentação  Solução específica: consolidar os dois registros (água quente e água fria) num único.Um problema específico é expresso de forma genérica. Em seguida.

estamos perdendo tempo e dinheiro. Quando recebemos um problema para solucionar. Este é um dos erros mais comuns na solução de problemas: pensar qu que está acontecendo sem olhar com profundidade ou sem obter infor bastante para entender a situação. tem suas raízes em falhas nas comu desmotivação. se estivermos trabalhando no problema errado. Regra 1: Não suponha que você compreende o problema. você estará tomando um caminho que o afasta do problema real e de qualquer possibilidade de solução. Antes de começar a solucionar qua problema. solução e verificação de problemas. Mui problema aparentemente técnico. Lembre-se de que as aparências enganam. Assim. Espero que elas lhe sejam úteis. Regra 2: Não suponha que a pessoa que relata o problema também o . liderança fraca.Mesmo que sejamos muito criativos e brilhantes em encontrar soluções. Ao definir mal um problema. aprendi algumas regras que podem facilitar a identificação. o primeiro e o mais importante passo é obter uma definição correta e em que você possa trabalhar objetivamente. Depois de mais de 30 anos trabalhando em empresas de diversos setores. compreensão. ou outras causas de natureza organizac gerencial. dedique algum tempo para estar absolutamente certo de vo que está acontecendo. é muito provável que ele venha definido de uma forma vaga e enganosa.

não assuma que se trata de uma ação m intencionada. Ao delegar o problema. Regra 3: Não suponha que alguém mais entende o problema Se você necessita delegar o problema. Regra 7: Não suponha que se trata de um problema simples ou comp Um problema é o que ele é. Regra 8: Não confie no que está nos papéis Não tire conclusões com base somente em relatórios. nada mais. Regra 4: Não suponha que você tem um único problema Às vezes. baseadas no que ouviram ou no que elas pen sabem. e não em suposições ou em suposições de terceiros. Geralmente. memorandos e e Saia da sua sala e vá ao campo para ver o problema real. Outras vezes elas informações desconexas. não suponha que há mais de um problema. Alguns são simples. não suponha que elas sab estão falando. Regra 10: Investigue as causas do problema Faça uma exaustiva investigação para identificar as verdadeiras causa . Supor que o problema atual é seme outro anterior pode levar a replicação de uma solução inadequada.compreende As pessoas descrevem os problemas de muitas formas diferentes. Durante todo o proc solução do problema. converse com que vivenciam e são afetadas pelo problema. Como c regras 4 e 5? Baseie suas conclusões somente no que existe. algu a serem bizarras. Muitas vezes elas apresentam percepções superficia distorcidas que nada têm a ver com o problema real. mantenha seus olhos abertos para identificar pr adicionais. Se for o caso. os erros humanos resultam de despreparo desinformação. Regra 6: Não suponha que o problema seja igual a outro anterior Nenhum problema é igual a outro. Regra 9: Não suponha má intenção Se encontrar um erro humano. Não é uma supor que há um único problema a ser resolvido. ou se você está recebendo instru outras pessoas para solucionar o problema. Regra 5: Não suponha que você tem mais de um problema Do mesmo modo. as coisas são mais complicadas do que parecem. outros com assuma nada até concluir suas análises. corrija os erros pela melhor informação treinamento dos operários. certifique-se de que suas instru bem entendidas.

Plano de ação: conceber um plano para eliminar as causas. 2. fornecendo subsídios para analisá-los e priorizá-los. 5. perg que” várias vezes até chegar à causa raiz do problema. identificando situações que não foram bem definidas e exigem atenção. sendo que cada uma delas contribui para a identificação dos problemas e a elaboração de ações corretivas e preventivas para eliminá-los ou minimizálos. 4. Verificação: confirmar a eficácia da ação. a estrada de acesso está pavimentada por boas ideias mal implementadas. dividindo-o em partes para ser analisado. 8. Para isto. Regra 11: Não aceite o argumento que sua idéia já foi tentada e não fu Muitas idéias boas são destruídas por implementação mal planejada o desistência na primeira dificuldade encontrada. 7. Problema: identificar o problema. MASP (Método de Análise e Solução de Problemas) – parte 1 MASP (Método de Análise e Solução de Problemas) é um processo de melhoria que apresenta 8 etapas. Ação: agir para eliminar as causas. Este método auxilia os gerentes na solução de problemas. Conclusão: recapturar as atividades desenvolvidas e planejar para o futuro. apresentando respostas que ajudam na priorização de problemas que exijam atenção.problema. Padronização: eliminar definitivamente as causas. Observação: apreciar as características do problema. 3. SEQUÊNCIA DO MASP 1. 6. Procure saber com de foi planejada e executada sua implementação. Aja sobre as causas e não sobre os sintomas. Análise: determinar as causas principais. Se o Inferno está cheio intenções. Estabelece rápido controle das situações e planeja o trabalho que será realizado. Vamos analisar um exemplo do MASP em uma tabela orientativa que apresenta as etapas e uma descrição do seu funcionamento: .