You are on page 1of 2

Pontifícia Universidade Católica do Paraná- Câmpus Maringá

Curso de Direito - Disciplina Ciência Política - Turma C - 1º Período 2010
Acadêmicas: Alicia Schimitd, Izadora Rezende, Raissa XXX, Sara Daniele.

Karl Marx
Contexto:
Esse tempo é marcado pela segunda fase da Revolução Industrial (aço, petróleo e
eletricidade), estruturação do capitalismo moderno e formação de uma população marginalizada que
não partilha dos benefícios gerados pelo progresso industrial e tem sua força de trabalho explorada
em
condições
subumanas.
Dentro desse contexto surgem variadas posturas ideológicas que buscam uma nova
interpretação dessa realidade. Dentre elas, o positivismo de Auguste Comte; o socialismo científico
de Karl Marx e Friedrich Engels e o evolucionismo de Charles Darwin.
Vida e Obra:
Karl Marx nasceu a 5 de maio de 1818 em Treves, capital da província alemã do Reno. Seu
Pai Hirschel, foi um advogado bem-sucedido e conselheiro de justiça, sua mãe Enriqueta Pressburg,
que dona de casa, apesar de descendente de rabinos não teve qualquer influência intelectual sobre
sua formação.
Em 1835, terminado o curso secundário em Treves, Marx matriculou-se na Universidade de
Bonn, com a intenção de estudar Direito. Em 1836, voltando de Bonn, ficou noivo da jovem Jenny
von Westphalen, com quem se casou oito anos mais tarde.
Em julho de 1836 Marx matriculou-se, na Universidade de Berlim, afastou-se do
Direito, apaixonou-se pela História e pela Filosofia. Depois de formado começa a se
dedicar ao jornalismo, sendo 1842 o redator da “Gazeta Renana”.
No fim de 1843 Marx parte então para Paris, lá estabelece contato com grupos
organizados de trabalhadores alemães que haviam emigrado e com várias seitas de
socialistas franceses.
Publicado em 1844 “Anais Franco-Alemães” pretendia ser uma ponte entre socialismo
francês e as idéias dos hegelianos radicais alemães. Porém a ousadia e o impacto da obra acabaram
por decretar o seu próprio fim, tendo sido publicado apenas um volume.
Marx também escrevia artigos políticos para o jornal dos artesãos alemães, o “Vorwärts“, o
qual tinha uma linha crítica-socialista e artigos de qualidade, a colaboração de Marx acabou por
inflamar novamente os ânimos dos poderosos, e ele é expulso da França em janeiro de 1845,
transferindo-se, então, para Bruxelas com Engels.
No exílio Marx e Engels redigiram “Ideologia Alemã”, um balanço de suas próprias
consciências filosóficas onde a ruptura com Feuerbach, por certo, ocupa o lugar mais importante.
Na conferência da Liga realizada em Londres em fins de 1847, Marx e Engels receberam a
incumbência de escrever “O Manifesto Comunista“.
Em 1852 escreveu “O Dezoito Brumário de Luís Bonaparte”onde analisa o golpe de estado
de Napoleão III e o bonapartismo. Em 1859 publica “Para a Crítica da Economia Política” e em
1864 apresenta no Saint Martin’s Hall o projeto de uma associação internacional de trabalhadores.
Em 1967 publica o primeiro volume de “O Capital”. O segundo e o terceiro volumes da
mesma obra são publicações póstumas, nos anos de 1885 e 1894 respectivamente. Morre em 14 de
março de 1883, em Londres.
Tema Político:

MOTTA.html> Acessado em 10 maio 2003. De tal modo que não se tratava de amenizar a exploração.ed. São Paulo: Nova Cultura. por mais democrático que seja é uma ditadura. os proletariados.terravista. Marx também acredita que o socialismo seria a primeira fase do comunismo. que seriam a única força capaz de destruir a sociedade. aboli-La. a sociedade. o fim da condição de proletário. isto é. demonstrando que o Estado é um dos responsáveis pela contradição entre estado e trabalho. estaria sempre voltado a cumprir os interesses gerais da classe dominante. Tem q colocar as outras Tb!) Os Pensadores: Marx. O Estado deverá ser reformulado pelo proletariado. mas a própria emancipação do mesmo. 2.. Sociologia Geral por Eva Maria Lakatos coma colaboração de Marina de Andrade Marconi. mas uma força externa da sociedade que se põe acima dela não para conciliar interesses. divisão dos súditos por território e uma força militar. mas para garantir a dominação. a comunista. onde ele só estava a serviço da burguesia. mas sim. 2000. Márcio Bilharinho. Eva Maria. LAKATOS. Marx. Acreditava também que o capitalismo causaria crises econômicas e que isso impediria o desenvolvimento das forças produtivas. mas acho q não podem ficar essas. Por fim. . 1978. São Paulo: Moderna. Seus pensamento político criticou os outros movimentos socialistas por terem um caráter reformador e não transformador. Por isso todo Estado. Não defendendo uma melhora das condições do proletariado. vou tentar achar a referencia do trabalho. para Marx sob qualquer forma. onde o Estado formado pelo e para a burguesia protege seus próprios interesses no caso a propriedade privada.pt/FerNoronha/1770/Marx. São Paulo: Atlas. A teoria marxista de política implica numa rejeição categórica de uma determinada concepção segundo a qual o Estado seria “agente da sociedade” como um todo e do “interesse nacional”. Referencias (essas são as referencias daquele arquivo que baixei da net e que usamos. seria uma continuação do Estado. Karl Marx revolucionou a teoria política onde o Estado deixou de ser entidade representativa dos interesses gerais e comuns da sociedade. Ele queria a inversão da pirâmide social. Benedicto. capitalista e construir uma nova sociedade sem classes. São Paulo: Ed Revista dos Tribunais. 1999. dando o poder à maioria. colocando portanto um fim ao capitalismo. A divisão do Estado era a burocracia.. Disponível em: <http://www. 1978. NAVES.Estado Para Marx o estado não é o ideal de moral ou razão. ciência e revolução. o direito em Marx. onde o ponto principal é acabar com a divisão entre classes. O Homem. Dessa maneira qualquer governo. seja ele democrático ou ditatorial.