Universidade Federal Fluminense

Instituto de Ciências Humanas e Filosofia
Programa de Pós-Graduação em Antropologia

DISCIPLINA: MÉTODOS EM ANTROPOLOGIA
CÓDIGO: EGH00086
CARGA HORÁRIA: 90 HORAS
TOTAL DE CRÉDITOS: 03
PROFs: Marco Antonio da Silva MELLO
Letícia de Luna FREIRE
EMENTA:
Questões teóricas e metodológicas na construção de problemáticas de investigação em
Antropologia. Relações entre sujeito e objeto. Análise e interpretações dos resultados de
pesquisa. Controle e limites da comparação e da generalidade em Antropologia.
PROPOSTA:
O curso terá como objetivo promover a discussão de questões teóricas e metodológicas
referentes à pesquisa antropológica, orientadas a partir de três gêneros de trabalhos
etnográficos realizados por pesquisadores brasileiros, contemplando distintos campos
empíricos, reunidos nos livros: “Gente das areias: história, meio ambiente e sociedade no litoral
brasileiro”, “A galinha d’angola: iniciação e identidade na cultura afro-brasileira” e “Quando a
rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro”.
PROGRAMA:
1ª sessão (01/04): Apresentação do curso
Unidade 1:

A pesquisa etnográfica em torno de questões ambientais.
Leituras orientadoras:
2ª sessão (08/04):
MELLO, Marco Antonio da Silva; VOGEL, Arno. Busca, encontro e vicissitudes do caminho. In:
Gente das Areias: história, meio ambiente e sociedade no litoral brasileiro. Maricá-RJ – 1975 a
1995. Niterói, EdUFF, 2004, p. 23-60.
____. A longa agonia. In: Gente das Areias: história, meio ambiente e sociedade no litoral
brasileiro. Maricá-RJ – 1975 a 1995. Niterói, EdUFF, 2004, p. 61-92.
3ª sessão (15/04):
MELLO, Marco Antonio da Silva; VOGEL, Arno. Natureza e sociedade. In: Gente das Areias:
história, meio ambiente e sociedade no litoral brasileiro. Maricá-RJ – 1975 a 1995. Niterói:
EdUFF, 2004, p.93-153.
____. Zacarias sitiada. In: Gente das Areias: história, meio ambiente e sociedade no litoral
brasileiro. Maricá-RJ – 1975 a 1995. Niterói: EdUFF, 2004, p.155-209.
4ª sessão (22/04):
MELLO, Marco Antonio da Silva; VOGEL, Arno. A aldeia dos irredutíveis. In: Gente das Areias:
história, meio ambiente e sociedade no litoral brasileiro. Maricá-RJ – 1975 a 1995. Niterói:
EdUFF, 2004, p. 211-290.

1

In: Gente das Areias: história. ____. In: A galinha d’angola: iniciação e identidade na cultura afrobrasileira. Marco Antonio da Silva. os efeitos e a seita. p. Arno. In: Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. 5. SANTOS. Rio de Janeiro: IBAM.____. 2001. Arno. Rio de Janeiro: Editora Pallas. p. Arno. Maricá-RJ – 1975 a 1995. Rio de Janeiro: IBAM. José Flávio Pessoa de. Unidade 2 ■ A pesquisa etnográfica em torno de questões de ritual e simbolismo. MELLO. 2001. 31-66. Marco Antonio da Silva. In: Gente das Areias: história. ____. O caso de controle: a “Selva de Pedra”. Rio de Janeiro: Editora Pallas. In: A galinha d’angola: iniciação e identidade na cultura afro-brasileira. ____. 1981. Marco Antonio da Silva. 2001. 111-126. p.29. BARROS. BARROS. p. Leituras orientadoras: 6ª sessão (06/05): VOGEL. 1981. 291-327. Primeiros contatos. Orùko – o animal cerimonial. 361-381. Maricá-RJ – 1975 a 1995. Arno. 1981. Rio de Janeiro: IBAM. ____. VOGEL. p. 2001. p. 41-63. In: Gente das Areias: história. ____. MELLO. 11ª sessão (10/06): MELLO. In: A galinha d’angola: iniciação e identidade na cultura afro-brasileira. 121-168. 329-359. In: A galinha d’angola: iniciação e identidade na cultura afrobrasileira. 10ª sessão (03/06): MELLO. 65-110. In: Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. BARROS. Marco Antonio da Silva. SANTOS. p. Marco Antonio da Silva. p. Mirabilia Meleagrides ou. 1981. 1/7 e 8/7): Visitas guiadas a três campos empíricos relacionados às pesquisas debatidas 15ª sessão (15/7): Discussão sobre as visitas e a elaboração do trabalho final 2 . 1981. Rio de Janeiro: Editora Pallas. Marco Antonio da Silva. VOGEL. 21-40. Carlos Nelson Ferreira dos. p. meio ambiente e sociedade no litoral brasileiro. Rio de Janeiro: IBAM. p. In: A galinha d’angola: iniciação e identidade na cultura afro-brasileira.127-142. Unidade 4 ■ Atividades em campo: exercitando a etnografia 12ª a 14ª sessão (17/6. meio ambiente e sociedade no litoral brasileiro. Niterói: EdUFF. Introdução. VOGEL. 5ª sessão (29/04): MELLO. Conclusão: Rua ou “Selva de Pedra”? In: Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. Carlos Nelson Ferreira dos. MELLO. 8ª sessão (20/05): VOGEL. In: Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. O mercado – a dimensão sociológica e cosmológica de uma lição-de-coisas. Rio de Janeiro: Editora Pallas. Maricá-RJ – 1975 a 1995. Unidade 3 ■ A pesquisa etnográfica em torno de questões urbanas. José Flávio Pessoa de. Rio de Janeiro: Editora Pallas. 169-175. A lavoura do pescador. Os trabalhos e os dias. 2001. Conclusão. 2004. A Rua Emília Guimarães. 2004. José Flávio Pessoa de. 1981. In: Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. Arno. 7ª sessão (13/05): VOGEL. Carlos Nelson Ferreira dos. O conúbio das águas. Rio de Janeiro: IBAM. Arno. 24/6. Romaria – Porque iaô tem de ir à missa. Arno. VOGEL. p. Niterói: EdUFF. SANTOS. ____. 11-20. In: Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. Leituras orientadoras: 9ª sessão (27/05): MELLO. 67-119. p. p. Rio de Janeiro: IBAM. Niterói: EdUFF. 2004. p. meio ambiente e sociedade no litoral brasileiro. Marco Antonio da Silva. Borí – a divina proporção.

In: Questões de Sociologia. A análise de uma situação social na Zululândia moderna. Falando sobre a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. In: GUIMARÃES. São Paulo. Aaron (1990 [1969]). Desvendando máscaras sociais.. p. Émile. Dicionário de cultos afro-brasileiros. p. São Paulo: Editora UNESP. In: Argonautas do Pacífico Ocidental. Max (1990 [1975]). DOUGLAS.) (1991). Roberto (2000). Paris: Éditions du Seuil. Antropólogos e Antropologia. M. Marcel. ou como ter “anthropological blues”. p. 1987. São Paulo: Editora Hucitec. Alba Zaluar (org. Rio de Janeiro: Francisco Alves Editora. (1978). Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora. A Interpretação das Culturas. Desvendando máscaras sociais. In: RODRIGUES.. São Paulo: Global. O material etnográfico na Antropologia Social Inglesa. ____ (1977). Dictionaire de l’ethnologie et de l’anthropologie. FOOTE-WHITE. p. James (2008). Marco Antonio da Silva. BONTE. J.227-344. CLIFFORD. ____ ( ). 3ª edição. MAUSS. Alba Zaluar (org). Um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da nova Guiné Melanésia. Pós-escrito a O Nome da Rosa. JOHNSON. In: Uma teoria da ação coletiva. MAGET. Albertino.135-152. Pierre. In: GUIMARÃES. p. Brasília: Paralelo 15. O trabalho do antropólogo. GRIAULE. In: GUIMARÃES. Etnografia e controle de impressões em uma aldeia do Himalaia. Rio de Janeiro: Zahar. Bela. oráculos e magia entre os Azande.. São Paulo: Abril Cultural. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves. improviso e método na pesquisa social. (1990 [1962]).). p. 63-76. DURKHEIM. Paris: PUF. São Paulo: Terceira Margem. Rio de Janeiro: ZAHAR. paixão. EVANS-PRITCHARD. Sistemas de ensino e sistemas de pensamento. MAUSS. Perspectiva. de O. Jane (2000). Marcel (1957). Alba Zaluar (org). ECO. São Paulo: Editora Perspectiva.). Durkheim. MELLO. Pureza e Perigo: ensaio sobre a noção de poluição e tabu. Alba Zaluar (org. In: Métodos de pesquisa em ciências sociais. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. Manual de etnografia. pp. (1972 [1947]). Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira. Rio de Janeiro: Francisco Alves. Willian (1975 [1943]). GEERTZ. Allen W. CICOUREL.87-121. 137-157 BERREMAN. p. 1975. Mary (1976). O pensamento selvagem. Morte e vida de grandes cidades. Umberto (1985). Paul (s/d). Gerald D. Méthode de l’Ethnographie. São Paulo: Editora Martins Fontes. 77-86. Coleção Os Pensadores. (1962). Carlos Nelson Ferreira dos (1981). In: A economia das trocas simbólicas. (org. Roberto (1985). Rio de Janeiro: Forense Universitária.23-35. São Paulo: Editora Moraes.. ____. 2ª edição. Teoria e método em pesquisa de campo. Paris: CNRS. A aventura sociológica: objetividade. MALINOWSKI. (2005). LECLERC. A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Antropologia das sociedades contemporâneas . VOGEL. Coleção Grandes Cientistas Sociais. Clifford (1989). LAPLANTINE. Guide d’ethude direct des comportements culturels.BIBLIOGRAFIA GERAL: BECKER. IZARD. Olga Gudolle (1977). Claude (2007 [1962]). Bronislaw (1978 [1921]). CACCIORE. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves. L’observation de l’homme: une histoire des enquêtes sociales. Marcel (1984 [1903]). método e alcance desta pesquisa. Arno. LÉVI-STRAUSS. Bruxaria. Research methods in social anthropology. Adam (1978).Alta costura. Organizado por José Reginaldo Santos Gonçalves. MERCIER. Edward E. Michel (orgs. História da Antropologia.Métodos. George (1979). DAMATTA. Desvendando máscaras sociais. 2ª edição. SANTOS. 3 . Howard (1997).). Desvendando máscaras sociais. 137p. 183-203. Paris: PUF. Brasília: Editora Pórtico. KUPER. BORDIEU. François (2004). Pierre (1974). p.123-174. CARDOSO DE OLIVEIRA. São Paulo: Editora Papirus. In: NUNES. JACOBS. Treinando a observação participante. In: FELDMAN-BIANCO. In: GUIMARÃES. A descrição etnográfica. GLUCKMAN. Algumas formas primitivas de classificação: contribuição para o estudo das representações coletivas. alta cultura. Problemas relativos. Introdução: objeto. O ofício do etnólogo. pp. E. p. London: Edward Arnold. Rio de Janeiro: LTC Editora.

In: FELDMAN-BIANCO. A dança kalela: aspectos das relações sociais entre africanos urbanizados na Rodésia do Norte. VOGEL. Paris: Robert Laffont. STOCKING JR. Colette (2008). Ed.436. Wisconsin: The University of Wisconsin Press. Observers Observed: essays on ethnographic field work.. The method of sociology. ZNANIECKI. José Flávio Pessoa de (2001). São Paulo: Global universitária. PÉTONNET. A galinha d’angola. 2º 2008. meio ambiente e sociedade no litoral brasileiro. TOPALOV. MELLO. 365. Florian (1934). In: FELDMAN-BIANCO. Laurent Cooudroy.99-112. Antropologia das sociedades contemporâneas . Rio de Janeiro: IBAM. Bela.Métodos. MELLO. Gente das Areias: história. L'Aventure des Mots de la Ville. Jaap (1987). MARIN. Arno. Niterói: EDUFF. 4 .345-374. VOGEL. Maricá-RJ – 1975 a 1995.Métodos. Niterói: EdUFF. DEPAULE. Christian. UNESP. Rio de Janeiro: Editora Pallas. p. p. Brigitte (2010). A análise situacional e o método de estudo de caso detalhado. São Paulo. Antropolítica: Revista Contemporânea de Antropologia. (1983).Quando a rua vira casa: a apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro. Antropologia das sociedades contemporâneas . Niterói: EdUFF. Marco Antonio da Silva. 25. MICHELL. Iniciação e identidade na Cultura Afro-Brasileira. Jean-Charles. n. Bela (org). DeLille. ____ (2005). campos e metáforas: ação simbólica na sociedade humana. Observação flutuante: o exemplo de um cemitério parisiense [tradução de Soraya Silveira Simões]. Victor (2008[1974]). VAN VELSEN. BARROS. Floresta de símbolos: aspectos do ritual Ndembu. New York: Farrar & Rinehart. Marco Antonio da Silva. p. . Arno (2004). James Clyde (2009 [1956]). TURNER. Dramas. George (edit).