Realização

:

Parceiro:

Tecnologia de sistemas prediais disponível no Brasil atendendo requisitos de sustentabilidade.
Eduardo Yamada – Eng. Civil, Mestre em Engenharia, Gerente de Sistemas Prediais e Energia do CTE – Centro
de Tecnologia de Edificações.
.

PREMISSAS BÁSICAS PARA
PROJETOS DE SISTEMAS PREDIAIS
SUSTENTÁVEIS

REDUÇÃO
DOS
IMPACTOS
AMBIENTAIS

Análogo ao sistema KERS da F1 (Kinetic Energy Recovering System ou Sistema de recuperação de energia cinética). (Digital Addressable Lighting Interface – Interface Digital de Endereçamento de Iluminação)      Endereçamento e agrupamento de controles. Possibilidade de interface com outros sistemas. Flexibilidade de layout para controle e setorização.  Redução média de energia na ordem de 25% da parcela de consumo dos elevadores. etc.  Inserção direta na rede ou com acumulação em banco de baterias ou capacitores.  Sistema D. .I.L. Monitoramento e controle dos dispositivos (reatores.A.SISTEMAS ELÉTRICOS Tecnologias  Sistema de Elevadores com Frenagem Regenerativa  Geração de energia com a frenagem – transformar energia cinética em energia elétrica .). lâmpadas. Todos os reatores e drivers (LED) são dimerizáveis.

A.I.SISTEMAS ELÉTRICOS Tecnologias  Arquitetura do Sistema D. .L.

Fluxo que “sai”da luminária (lm) __________________________ LOR = Fluxo total das lâmpadas (lm) x 100 FU Fluxo que “chega” no plano de referência (lm) = __________________________ x 100 Fluxo total das lâmpadas (lm) .000h  Especificação de luminárias mais eficientes resultando em menores valores de densidade de potência de iluminação (W/m2): .SISTEMAS ELÉTRICOS Estratégias de Eficiência  Lâmpadas e luminárias de maior eficiência energética  Especificação de lâmpadas com maior eficiência luminosa (lúmens/W). Fluorescente T5 28W Incandescente 100W 14 lm/W 1.000h 104 lm/W 24.Maior Fator de Utilização (FU).000h 130 lm/W 50.Maior LOR (Light Output Ratio).000h HID (Alta Intensidade de Descarga) 140W LED 19W 118 lm/W 32. .

.SISTEMAS ELÉTRICOS Estratégias de Eficiência  Aproveitamento da iluminação natural reduzindo o consumo da iluminação artificial:  Desligamento automático de circuitos perimetrais – Automação Predial ou Relé-fotoelétrico.  Dimerização de circuitos perimetrais com sensores analógicos de níveis de iluminância.

.0 Lpf) – “vácuo assistido”.dimensionado em função da especificação das espécies.SISTEMAS HIDRÁULICOS Tecnologias  Dispositivos com menor consumo de água     Metais hidro-sanitários com baixo consumo (vazão). Sistema de esgoto à vácuo – 1.  Sistema de irrigação automatizada: .somente quando necessário (sensores e atuadores). Mictório seco.6 Lpf. . Bacias sanitários de fluxo único (3.

. Placas Solares Tanque de Acumulação AQ Trocador de Calor Torre de Resfriamento TC B Chiller de Condensação à Água B Bomba de Calor .Backup de aquecimento com Bombas de Calor.  Aproveitamento de calor liberado de outros sistemas para pré-aquecimento de água quente:  Sistema Misto com Placas Solares: .  Captação da água condensada do sistema de ar condicionado.Pré-aquecimento de água através do circuito de condensação de chillers de condensação à água.SISTEMAS HIDRÁULICOS Estratégias de Eficiência  Aproveitamento de efluentes para re-uso em sistemas de irrigação. bacias sanitárias e mictórios:  Estação de tratamento de esgoto (águas cinzas e/ou negras).

Compressores de alta capacidade para instalação de múltiplas evaporadoras em longas extensões de rede frigorígena (até 1000m) e até 100m de desnível vertical. com diversas funções.SISTEMA DE AR CONDICIONADO Tecnologias  Sistema de Expansão Direta do tipo VRF Ciclo Esquemático Principais Características: VRF (Variable Refrigerant Flow) Compressor com variador (Inversor) de frequência. Permite instalação em edifícios de grande porte. Sistema de controle e monitoramento eletrônico e automatizado. Função de aquecimento – Heat Pump (reversão do ciclo) e resfriamento em diferentes evaporadoras numa mesma rede frigorígena (3 tubos). Sistema de aquecimento integrado sem necessidade de outros componentes. Otimiza a operação e facilita a manutenção e integração com outros sistemas. . Modula a vazão de compressão em função da demanda térmica variável → Otimização Energética.

SISTEMA DE AR CONDICIONADO Tecnologias  Sistema de Expansão Direta do tipo VRF Sistema VRF de condensação à Ar Sistema VRF de condensação à Água .

• Baixo nível de ruído.SISTEMA DE AR CONDICIONADO Tecnologias  Sistema VRF à Gás Natural Motor Veicular de Combustão movido à GNV Características: • Operação do motor à combustão a GNV em regime variável (800 a 2. . • Possibilidade de gerar água gelada (Trocador de Calor Opcional) simultaneamente à expansão direta (Sistema Direto + Indireto). • Possibilidade de gerar energia elétrica também (Alternador Opcional).200 rpm).

96). • Alto Fator de Potência (Acima de 0. • Compressor com Variador de Frequência “de série”.SISTEMA DE AR CONDICIONADO Tecnologias  Sistema de Expansão Indireta com Chillers do tipo Frictionless (Mancal Eletromagnético) Características: Compressor Frictionless • Chillers com condensação à ar ou à água. • Elevada Eficiência em Cargas Parciais em relação aos chillers convencionais. • Compressor com Mancal Eletromagnético (Frictionless) → perda nula por atrito. .

SISTEMA DE AR CONDICIONADO Estratégias de Eficiência  Comparação de Eficiência dos Sistemas de Expansão Direta Capacidade Térmica (Wtérmico) ______________________________ COP = Eficiência a plena carga (100%)= Capacidade Elétrica (Welétrico) IPLV = Eficiência em cargas parciais segundo procedimentos AHRI Condições de Teste AHRI 210/240/340/360/365/1230 .

0 (0.8 Chiller à Água Centrífugo com Variador de Frequência 12.0 (0.44) COP=5.0 (1.2 10.4 IPLV=3.57) COP=5.0 IPLV=1.SISTEMA DE AR CONDICIONADO Estratégias de Eficiência  Comparação de Eficiência dos Sistemas de Expansão Indireta Eficiência COP (kW/TR) COP=7.0 Chiller de Absorção 25% 50% 75% 100% Capacidade Condições de Teste AHRI 550/590 .2 Chiller à Água Centrífugo 4.0 Chiller à Ar Parafuso COP=1.9 Chiller à Água Parafuso com Variador de Frequência 6.0 Chiller à Água Parafuso 2.3 IPLV=12.29) COP=6.6 IPLV=8.76) COP=2.5 IPLV=6.7 IPLV=6.0 (0.88) COP=5.0 IPLV=11.0 (0.0 (0.35) Chiller à Água Frictionless 8.

SISTEMA DE AR CONDICIONADO Eficiência Energética  Tratamento do ar externo para reduzir a demanda interna de carga térmica – Redução de calor latente e sensível:  Pré-resfriamento do Ar Externo: Fan-Coils ou Self Contained. .  Modular a entrada de carga térmica de ar externo em função da qualidade do ambiente interno .monitoramento dos níveis de CO2.  Equipamentos Dedicados de Tratamento de Ar Externo – Recuperação de calor com eliminação total de calor latente.

 Free-Cooling .SISTEMA DE AR CONDICIONADO Eficiência Energética  Aproveitamento das condições externas para redução de consumo energético das cargas internas de resfriamento:  Ciclo economizador . .resfriamento sem o acionamento de equipamentos de refrigeração (compressores):  Free-cooling de ar – Utilização da ventilação mecânica.  Free-cooling de água – Utilização de serpentinas de água interligadas às Torres de Resfriamento.  Night Cooling – Pré-resfriamento do ambiente antes da ocupação.equipamentos de ar condicionado + sistema de ventilação com aproveitamento das condições entálpicas externas (temperatura e umidade).

SISTEMA DE AR CONDICIONADO Eficiência Energética  Aproveitamento da carga térmica de resfriamento “expurgada” para pré-aquecimento do ar externo:  Sistema de recuperação de energia por placas (Recuperação de calor sensível) – Aplicação no Sistema VRF.  Sistema de recuperação de calor por Rodas Entálpicas (Recuperação de calor sensível e redução de calor latente). .

0 Δt1=10-6= 4 C CHILLER 1 CHILLER 2 CHILLER 2 Δt2= 4 C 15 C 10 C COP = 6.0 IPLV= aprox.SISTEMA DE AR CONDICIONADO Eficiência Energética  Composição de Chillers da Central de Água Gelada: Sistema de Chillers em “paralelo” (Convencional) CHILLER 1 ΔT= 9 C CHILLER 1 COP = 5.0 IPLV= 12.0 ΔT=15-6= 9 C Δt1=15-10= 5 C MÁXIMA EFICIÊNCIA DO “CHILLER RESULTANTE” 6C COP = 7.5 IPLV= acima 12.0 IPLV= 9.0 IPLV= 11.0 COP = 6. 9.0 IPLV= 7.0 .0 CHILLER 2 CHILLER 2 ΔT= 9 C 15 C 6C Sistema de Chillers em “série” contra-fluxo ΔT=15-6= 9 C CHILLER 1 Δt1= 5 C COP = 6.0 MÁXIMA EFICIÊNCIA DO “CHILLER RESULTANTE” COP = 6.

SISTEMA DE AR CONDICIONADO Eficiência Energética  Sistema de Co-geração de energia elétrica e energia térmica de resfriamento e/ou aquecimento: .

METODOLOGIAS DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL QUANTO A MAIS CUSTA UM PROJETO SUSTENTÁVEL E EFICIENTE ????? ®  LEED Leadership Environmental Design in Energy and  ENCE – PROCEL EDIFICA  PROCESSO AQUA AMBIENTAL – ALTA QUALIDADE .

METODOLOGIAS DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL Você sabia que os Projetos de Arquitetura representam. no mínimo. cerca de 25% do consumo de energia de um empreendimento?? X .

ESTUDO DE CASO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Condição Inicial do Projeto Condição Final do Projeto 4000 3750 3500 Demanda Térmica De Resfriamento (TR) 3250 Vidro Fator Solar 45% 3000 Economia de 899 TR!! Vidro Fator Solar 30% Vidro Fator Solar 25% 2750 2500 2250 2000 32% 36% 40% 44% 48% 55% Porcentagem Média de Área Transparente das Fachadas Condição Inicial do Projeto Condição Final do Projeto 19 m²/TR 26 m²/TR .

proteção solar PROJETOS ELÉTRICOS Equipamentos.SINERGIA DOS PROJETOS PROJETOS SEM SINERGIA PROJETOS HIDRÁULICOS Bombas Hidr. Aquec. Elevadores PROJETOS LUMINOTÉCNICOS Iluminação Interna e Externa PROJETOS AR CONDICIONADO Equipamentos de Resfriamento e Ventilação Mecânica . água PROJETOS ARQUITETÔNICOS Conceito do edifício ORIENTAÇÃO SOLAR Orientação do edifício ENVOLTÓRIA Materiais da Fachada.. Vidro.

. Aquec. água PROJETOS COM SINERGIA PROJETOS ELÉTRICOS Equipamentos.SINERGIA DOS PROJETOS PROJETOS HIDRÁULICOS Bombas Hidr. Vidro. proteção solar ORIENTAÇÃO SOLAR Orientação do edifício PROJETOS ARQUITETÔNICOS . Elevadores PROJETOS LUMINOTÉCNICOS Iluminação Interna e Externa PROJETOS AR CONDICIONADO Equipamentos de Resfriamento e Ventilação Mecânica ENVOLTÓRIA Materiais da Fachada.

FERRAMENTAS PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO DE SISTEMAS  ANÁLISES E ESTUDOS DE ORIENTAÇÃO SOLAR .

FERRAMENTAS PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO DE SISTEMAS  ESTUDO DE INCIDÊNCIA DE RADIAÇÃO SOLAR NAS FACHADAS .

FERRAMENTAS PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO DE SISTEMAS  SIMULAÇÕES COMPUTACIONAIS DE DESEMPENHO ENERGÉTICO .

que por consequência . mal concebidos resultará em Sistemas de Ar Condicionado de elevado custo. resultando na redução da parcela de consumo desses sistemas. aumentará a parcela de demanda e consumo do sistema de ar condicionado – Isto resultará no maior “peso” e responsabilidade da arquitetura de envoltória”.  “Projetos Arquitetônicos de “Envoltória”  “O avanço incessante da Tecnologia e Microeletrônica fará com que equipamentos de escritórios e de sistemas estejam cada vez mais eficientes e menos “ávidos” por energia. do projeto ser ou não VERDADES absolutas e convenientes:  concepção inicial da “Envoltória” dos projetos de arquitetura é fundamental para definir o dimensionamento racional dos Sistemas “A Prediais”. .  “Sustentabilidade  “A Eficiência Energética independe ‘Sustentável’ ”. que implicará em Instalações Elétricas caras”.METODOLOGIAS DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL “MITOS” a serem desmistificados: não necessariamente significa custos elevados de Instalações Prediais” e alta tecnologia incorporada nos projetos.

br .com. Eduardo Seiji Yamada Email: eduardoyamada@cte.OBRIGADO!! Eng. MSc.