1

Índice

Pág.

0.0 Introdução:...........................................................................................................................3
1.0 Manifesto do Partido Comunista..........................................................................................4
2.0 Burgueses e Proletariado......................................................................................................5
2.1 Proletários e comunistas.......................................................................................................6
2.0 O SOCIALISMO E O COMUNISMO CRÍTICO-UTÓPICOS..........................................9
3.0 Posição dos comunistas em relação aos diversos partidos oposicionistas.........................10
4.0 Conclusão:..........................................................................................................................12
5.0 Bibliografia:.......................................................................................................................13

2 .

que não trabalham ou trabalham pouco. Posição dos Comunistas diante dos diferentes Partidos de Oposição De acordo com Marx e Engels comunismo é a sucessão de lutas entre as classes trabalhadoras e sem posses. Dos servos da Idade Média nasceram os burgueses livres das primeiras cidades. e as classes exploradoras. O Socialismo e o Comunismo CRÍTICO-UTÓPICOS. Dando enfase Burgueses e Proletários. Proletários e comunistas.0 Introdução: No presente trabalho o grupo vai falar sobre o resumo de Manifesto do partido comunista (Marx e Engels).3 0. mas que dispõem dos meios matérias de produção. . desta população municipal. saíram os primeiros elementos da burguesia.

um processo revolucionário de quase um ano que atingiu os principais países Europeus. Duas de suas maiores reivindicações foram reformas sociais. em Londres. italiano. O comunismo já é reconhecido como força por todas as potências da Europa. seus fins e suas tendências. opondo um manifesto do próprio partido à lenda do fantasma do comunismo.4 1. . que será publicado em inglês. reuniram-se. francês. onde se conquista a diminuição das horas de trabalho de 12 h para 10 h e o voto universal. alemão. à face do mundo inteiro. embora apenas para homens. Metternich e Guizot. lançaram a seus adversários de direita ou de esquerda a reputação de comunista? Duas conclusões decorrem desses fatos: 1. seu modo de ver. É Tempo de os comunistas exporem. Todas as potências da velha Europa unem-se numa Santa Aliança para conjurá-lo: o papa e o czar. 2.0 Manifesto do Partido Comunista Marx e Engels O manifesto comunista foi escrito no meio do grande processo de lutas urbanas das revoluções de 1848. os radicais da França e os policiais da Alemanha. por sua vez. Os partidos da oposição foram acusados de comunista por seus adversários no poder? Os partidos da oposição. flamengo e dinamarquês. comunistas de várias nacionalidades e redigiram o manifesto seguinte. Com este fim.

condições de opressão. a aplicação da química à indústria e à agricultura. governos e tarifas aduaneiras diferentes. dividindo cada vez mais a sociedade em 2 vastos campos opostos: Burguesia e o proletariado. por uma transformação revolucionária da sociedade inteira ou pela destruição de duas classes. verificou. Apenas substitui as velhas classes. Senhores e servos. a navegação a vapor. acompanhado de um progresso politica correspondente. um só interesse nacional de classe. o Proletariado a classe dos operários modernos que vive da condição de trabalho e que sou o encontram. que saiu das ruinas da sociedade feudal. patrícios e plebeus. Tratou-se de uma guerra que terminou sempre. formas de luta por outras novas. as máquinas. uma só lei. Na medida em que cresce a burguesia o capital desenvolve-se. A burguesia desempenhou um papel eminentemente revolucionário.0. A sociedade burguesa moderna. o padre. uma só barreira alfandegária. centralizou os meios de produção e concentrou a propriedade em poucas mãos. a exploração de continentes inteiros. Durante seu domínio de classe. Províncias independentes. graças ao estabelecimento de grandes industrias e do mercado mundial. A burguesia impediu a dispersão dos meios de produção. apenas ligadas por débeis laços federativos. foram reunidas em uma só nação. as estradas de ferro.se em toda parte do mundo. se aumentar o . o telégrafo elétrico. Aglomerou as populações. conquistado a hegemonia exclusiva do poder politica no Estado representativo do poder moderno. possuindo interesses. Burgueses e Proletariado Nas primeiras épocas históricas. uma divisão das sociedades em 2 partes destintas (opressores e oprimidos) Homens livres e escravo.5 2. criou forças produtivas mais numerosas e mais colossais que todas as gerações passadas em conjunto. o sábio em assalariado ao seu serviço. o poeta. A subjugação das forças da natureza. da propriedade e da população. não aboliu os antagonismos de classes. transformou as actividades piedosas de respeito tais como medico. leis. também rasgou o véu de emocionante sentimentalismo que encobria as relações entre os homens e reduziu-as a simples relações de dinheiro. jurista. A consequência necessária dessas transformações foi a centralização política. populações inteira brotando na terra. a canalização dos rios. com um só governo.

quebram as maquinas. independentemente da nacionalidade. O emprego crescente das máquinas e divisão de trabalho fez com que o proletariado perdesse o caracter de autonomia e o atrativo para o operário. portanto o que custa operário reduz se pouco mais ou menos a custo de meios de subsistência indispensáveis para sobreviver.6 capital. da marcha e dos fins gerais do movimento proletário. e a todas flutuações do mercado. destacam e fazem prevalecer os interesses comuns do proletariado. . pois. quanto mais desenvolve se a maquinaria mais aumenta a quantidade de trabalho. os comunistas constituem. estes operários são uma mercadoria e artigo do comércio como qualquer outro sujeito a concorrência. teoricamente têm sobre o resto do proletariado a vantagem de uma compreensão nítida das condições. Visto quanto mais fastidioso (aborrecimento) for o trabalho mais baixo é o salario. e depois da mesma fábrica e mais tarde do mesmo ramo da indústria e mais tarde contra os burgueses que os explora directamente. a jornada do trabalho. incendeiam as fabricas 2. mas ainda.1 Proletários e comunistas Os comunistas não formam um partido à parte. oposto aos outros partidos operários. 2) Nas diferentes fases por que passa a luta entre proletários e burgueses. Os comunistas só se distinguem dos outros partidos operários em dois pontos: 1) Nas diversas lutas nacionais dos proletários. Não têm interesses que os separem do proletariado em geral. A luta dos operários inicia com os operários isolados. não se contentaram contra as relações burguesas de produção e dirige-se contra os próprios instrumentos de produção. a fração que impulsiona as demais. Não proclamam princípios particulares. os interesses do movimento em seu conjunto. sempre e em toda parte. segundo os quais pretenderiam modelar o movimento operário. destruindo mercadorias estrangeiras que lhes fazem concorrência. representam. Praticamente. a fração mais resulta dos partidos operários de cada país.

não se lhes pode tirar aquilo que não possui. derrubada da supremacia burguesa. O comunismo não retira a ninguém o poder de apropriar-se de sua parte dos produtos sociais. e para aumentar. isto é. nos países mais adiantados. Na sociedade comunista. ultrapassarão a si mesmas e serão indispensáveis para transformar radicalmente todo o modo de produção. Mas qualquer que tenha sido a forma desses antagonismos. em poder social capaz de ser monopolizado. o total das forças produtivas. desde que a propriedade individual não possa mais se converter em propriedade burguesa. O proletariado utilizará sua supremacia política para arrancar pouco a pouco todo capital à burguesia. Todavia. o trabalho acumulado é sempre um meio de ampliar. Os operários não têm pátria. em dinheiro. a exploração de uma parte da sociedade por outra é um fato comum a todos os séculos anteriores. a conquista da democracia. Os comunistas são acusados de querer abolir a pátria. para centralizar todos os instrumentos de produção nas mãos do Estado. isto é. conquista do poder político pelo proletariado. . enriquecer e melhorar cada vez mais a existência dos trabalhadores. A revolução comunista é a ruptura mais radical com as relações tradicionais de propriedade. o mais rapidamente possível. isto é. antagonismos que se têm revestido de formas diferentes nas diferentes épocas. Desde que o trabalho não mais pode ser convertido em capital. Expropriação da propriedade latifundiária e emprego da renda da terra em proveito do Estado. declarais que a individualidade está suprimida. numa palavra. A história de toda a sociedade até nossos dias consiste no desenvolvimento dos antagonismos de classe. por uma violação despótica do direito de propriedade e das relações de produção burguesas. em renda da terra. a princípio. a nacionalidade. O que caracteriza o comunismo é a abolição da propriedade privada. do proletariado organizado em classe dominante. do ponto de vista econômico. Vimos acima que a primeira fase da revolução operária é o advento do proletariado como classe dominante.7 O objetivo imediato dos comunistas é o mesmo que o de todos os demais partidos proletários: constituição dos proletários em classe. pela aplicação de medidas que. as seguintes medidas poderão geralmente ser postas em prática: 1. Mas isto só foi possível. apenas suprime o poder de escravizar o trabalho de outrem por meio dessa apropriação.

o poder público perderá seu caráter político. Imposto fortemente progressivo. Educação pública e gratuita de todas as crianças. em sua luta contra a burguesia. 3. 7. Se o proletariado. 9. medidas tendentes a fazer desaparecer gradualmente a distinção entre a cidade e o campo. Combinação do trabalho agrícola e industrial. Multiplicação das fábricas e dos instrumentos de produção pertencentes ao Estado 8. Centralização do crédito nas mãos do Estado por meio de um banco nacional com capital do Estado e com o monopólio exclusivo. se converte por uma revolução em classe dominante e. 10. destrói violentamente as antigas relações de produção. Confiscação da propriedade de todas os emigrados e sediciosos. 6. Uma vez desaparecidos a luta de classe no curso do desenvolvimento e sendo concentrada toda a produção propriamente dita nas mãos dos indivíduos associados. particularmente para a agricultura. organização de exércitos industriais.8 2. Centralização. nas mãos do Estado. tal como é praticado hoje. 5. E surge uma associação onde o livre desenvolvimento de cada um é a condição do livre desenvolvimento de todos. Trabalho obrigatório para todos. 4. Combinação da educação com a produção material. . O poder político é o poder organizado de uma classe para a opressão de outra. Abolição do direito de herança. etc. de todos os meios de transporte. como classe dominante. abolição do trabalho das crianças nas fábricas. se constitui forçosamente em classe.

Estes movimentos desejavam melhorar as condições materiais de vida para todos os membros da sociedade. como a acção dos elementos dissolventes na própria sociedade dominante. a proclamação da harmonia social e a transformação do Estado numa simples administração da produção. na França. mas com o desenvolvimento do antagonismo de classe. os owenistas.9 2. abrindo caminho a novo vida social. a abolição da família. . estes preconizava um ascetismo geral e um grosseiro igualitarismo. nenhum movimento político que lhe seja próprio.0 O SOCIALISMO E O COMUNISMO CRÍTICO-UTÓPICOS As primeiras tentativas directas do proletariado para fazer prevalecer seus próprios interesses de classe. na Inglaterra. antagonismo. do lucro privado e do trabalho assalariado. compreendiam a separação das classes. essas propostas têm um sentido puramente utópico. condições que apenas surgem como produto do advento da época burguesa. todas essas propostas apenas anunciam o desaparecimento do antagonismo entre as classes. atacando a sociedade existente em suas bases. e os Fourieristas. Os fundadores desses sistemas eram revolucionários. os de Saint-Simon. aparecem no primeiro período da luta entre o proletariado e a burguesia. Os sistemas socialistas e comunistas propriamente ditos. mesmo dos mais privilegiados. assim. devido à falta de condições materiais de sua emancipação. (Burguesia e o proletariado). foram feitas num período da derrubada da sociedade feudal. A importância do socialismo e do comunismo crítico-utópicos está na razão inversa do desenvolvimento histórico das duas classes antagónicas. procuravam atingir seu fim por meios pacíficos. da indústria. esta acção corresponde às primeiras aspirações instintivas dos operários a uma completa transformação da sociedade. com prioridade de defender antes de tudo os interesses da classe operaria que é a mais sofredora. fornecendo materiais de grande valor para esclarecer os operários sobre suas propostas positivas relativas à sociedade futura. o proletariado põem-se a procura de uma ciência social de leis que permitem criar essas condições. tais como a distinção entre a cidade e o campo. Essas obras socialistas e comunistas encerraram elementos críticos. mas não percebiam no proletariado nenhuma iniciativa histórica. tendo o fracassado.

em outras tantas armas voltadas contra a burguesia. para que. sem deixar de reconhecer que esse partido comporta elementos contraditórios. o mesmo partido que gerou a insurreição cracoviana de 1846. depois da derrubada das classes reacionárias na Alemanha. E em primeiro lugar para a Alemanha que os comunistas dirigem sua atenção.0 Posição dos comunistas em relação aos diversos partidos oposicionistas A relação dos comunistas com os partidos operários já constituídos. Na Alemanha. apoiam os radicais. Eles lutam para alcançar os objetivos e os interesses imediatos da classe operária. Na França os comunistas aliam-se ao partido social-democrata contra a burguesia conservadora e radical. produzidas necessariamente pelo domínio burguês. porque a Alemanha está às vésperas de uma revolução burguesa e porque realiza esse revolucionamento sob condições mais avançadas da civilização européia em geral e com um proletariado muito mais desenvolvido do que a Inglaterra no século XVII e a França no . Entre os poloneses. em parte burgueses radicais. para que os operários alemães possam converter de imediato as condições sociais e políticas. sem que por isso abram mão do direito de se relacionar criticamente com a fraseologia e as ilusões legadas pela tradição revolucionária. os comunistas apoiam o partido que faz de uma revolução agrária condição de libertação nacional. Mas em momento algum deixa de elaborar nos operários uma consciência a mais clara possível a respeito da oposição hostil entre burguesia e proletariado.10 3. o partido comunista luta em comum com a burguesia contra a monarquia absoluta. logo que a burguesia entra em cena revolucionariamente. a propriedade rural feudal e a pequena-burguesice (Kleinbürgerei). mas no movimento presente representam ao mesmo tempo o futuro do movimento. em parte socialistas democráticos no sentido francês. com os cartistas na Inglaterra e os reformadores agrários na América do Norte. a sua relação. portanto. Na Suíça. comece imediatamente a luta contra a própria burguesia.

como sendo a questão fundamental do movimento. só podendo ser portanto. . não importa a forma mais ou menos desenvolvida que esta possa ter assumido. numa palavra. apoiam por toda parte todo movimento revolucionário contra as condições sociais e políticas vigentes. Os comunistas. Que tremam as classes dominantes em face de uma revolução comunista. a revolução burguesa alemã. Nela o proletário nada tem a perder senão as suas cadeias. Eles têm um mundo a ganhar.11 século XVIII. o prelúdio imediato de uma revolução proletária. por fim. Declaram abertamente que os seus objetivos só podem ser alcançados pela derrubada violenta de toda a ordem social vigente até aqui. Em todos esses movimentos eles enfatizam a questão da propriedade. Os comunistas. Os comunistas recusam-se a dissimular suas visões e suas intenções. trabalham em toda parte pela união e pelo entendimento dos partidos democráticos de todos os países.

12 4.0 Conclusão: .

Publicado pela primeira. Traduzido do espanhol. Vez em Londres em fevereiro de 1848. Confrontado com a edição inglesa de 1888. editada por Friedrich Engels. . traduzida da edição alemã de 1848.13 5. Publicado de acordo com o texto da edição soviética em espanhol de 1951.janeiro 1848.0 Bibliografia: Escrito por Karl Marx e Friedrich Engels em dezembro de 1847 .

14 .

15 .