1

Page 1 of 15

DIREITO CONSTITUCIONAL – Parte II
www.didaticadosconcursos.com.br
1.
ORGANIZAÇÃO DO ESTADO: UNIÃO, ESTADOS, MUNICÍPIOS, DISTRITO FEDERAL E
TERRITÓRIOS
2.

ORGANIZAÇÃO DOS PODERES

3.

PODER EXECUTIVO

4.

DA DEFESA DO ESTADO E DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS.

1.

Organização do Estado: União, Estados, Municípios, Distrito Federal e Territórios
TÍTULO III - DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO
CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA

Art. 18. A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União, os
Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, nos termos desta Constituição.
República e União, portanto, não são sinônimos. A União é pessoa jurídica de Direito Público interno
com capacidade política, que ora se manifesta em nome próprio (como União), ora em nome da Federação
(como República). No âmbito interno, a União é apenas autônoma, como deixa claro o dispositivo. A
República é que é soberana. Para Celso Bastos, soberania é atributo que se confere ao poder do Estado em
virtude de ser juridicamente ilimitado. Já autonomia é margem de discrição de que uma pessoa goza para
decidir sobre seus negócios. União, Estados, Distrito Federal e Municípios atuam dentro de um quadro jurídico
definido pela Constituição Federal, e, portanto, não se pode falar em soberania da União, se exercita ela um
poder limitado. Uma outra observação importante é sobre o fato de querer-se considerar Municípios como
entes federativos. A opinião dominante na doutrina responde negativamente, suportando esse entendimento
como fato de que os Municípios não têm representação no Senado Federal (Art. 46, caput) e a intervenção
neles é competência dos Estados em que se situem (Art. 35)
§ 1º Brasília é a Capital Federal.
Apenas como observação, veja-se que não é o Distrito Federal a Capital Federal, e, sim,Brasília. O
Distrito Federal é um quadrilátero de segurança que envolve a Capital Federal.
§ 2º Os Territórios Federais integram a União, e sua criação, transformação em Estado ou reintegração ao
Estado de origem serão reguladas em lei complementar.
Os territórios federais, portanto, são meras autarquias territoriais da União, simples descentralizações
administrativas territoriais.
§ 3º Os Estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou
formarem novos Estados ou Territórios Federais, mediante aprovação da população diretamente interessada,
através de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar.
População diretamente interessada é aquela residente na área que se pretende incorporar, subdividir
ou desmembrar, e não toda a população do Estado ou Estados envolvidos.
A jurisprudência do STF já deixou assentado que não se pode instaurar o processo legislativo referente à lei
complementar de criação do Estado sem que tenha havido a aprovação da emancipação por plebiscito
homologado pela Justiça Eleitoral. Por outro lado, a aprovação da criação do Estado no plebiscito não obriga
o Congresso a aprovar a lei complementar respectiva, já que isso é ato político e discricionário do Legislativo,
a partir de critérios de conveniência e oportunidade.
§ 4º A criação, a incorporação, a fusão e o desmembramento de Municípios far-se-ão por lei estadual, dentro
do período determinado por lei complementar federal, e dependerão de consulta prévia, mediante plebiscito,
às populações dos Municípios envolvidos, apos divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal,
apresentados e publicados na forma da lei.
Art. 19. É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:
I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com
eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração
de interesse público;

https://www.antssoft.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii.htm

23/12/2008

participa de organizações internacionais.emitir moeda. trouxe também a possibilidade de delegação (Art. Dessas. indo além da técnica clássica e inspirada no constitucionalismo alemão. a definição de áreas comuns.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. nos casos previstos em lei complementar. a dupla posição da União: como pessoa de direito internacional (incisos I e II) e como pessoa de direito interno (III e seguintes). Na definição de Diógenes Gasparini. Está agindo como se o Brasil fosse um Estado unitário. Estados. Diante do Estado estrangeiro. 4º desta Constituição. a União exerce a soberania do Estado brasileiro. Vale dizer: exerce em nome do próprio a parcela de competência que lhe é atribuída pela Constituição.recusar fé aos documentos públicos. VII . a União é apenas autônoma.decretar o estado de sítio. São. Terras devolutas são aquelas que pertencem ao domínio público e não se encontram afetas a nenhuma destinação pública. 21. II . conforme o Art. III . 21 Compete à União: Este artigo enumera as competências administrativas. Distrito Federal e Municípios. tão-somente.permitir. Por isso mesmo. UNIÃO. a União atua como uma das pessoas jurídicas de direito público que compõem a Federação.1 Page 2 of 15 II . das fortificações e construções militares. CAPÍTULO II .htm 23/12/2008 . terra devoluta é a que não está destinada a qualquer uso público nem legitimamente integrada ao patrimônio particular. VI . V a XXV. os países estrangeiros não reconhecem nos Estados-Membros e Municípios personalidades de direito internacional. no âmbito interno. das vias federais de comunicação e à preservação ambiental. declara guerra e faz a paz. definidas em lei. IV . parágrafo único).DA UNIÃO Art. está representando a totalidade do Estado brasileiro. Note-se. I . ou materiais. como são autônomos os Estados-Membros e os Municípios. quando a União mantém relações com Estados estrangeiros. 24). ora se manifesta em nome da Federação. NATUREZA JURÍDICA A União é pessoa jurídica de direito público com capacidade política. os poderes do Município. o estado de defesa e a intervenção federal. Em síntese: a União pode ser definida como pessoa jurídica de direito público com capacidade política que exerce autonomamente em função das competências que lhe são deferidas pelos arts. 20. da União. explicitamente. Nessas ações internacionais deverá ser observado o Art. que ora se manifesta em nome próprio. São bens da União: I . Estados. IV. nitidamente. De fato. Art. em outros. https://www.antssoft.as terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras. Em conseqüência.os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem a ser atribuídos. ações a serem realizadas exclusivamente pela União. ou seja. O Ministro Carlos Velloso anota que a Constituição de 1988. Internamente.criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si. 23) e setores de legislação concorrente (Art. contudo. 142. além de definir. II . 137. que prevêem atuação paralela da União. são federais as "indispensáveis" aos fins identificados no inciso. que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente. estão sem utilização. Matérias previstas nos arts. 22. Essa relação é chamada de "poderes enumerados" pela doutrina especializada. pois. são componentes do Estado federal. III . A Constituição. aparece como um agrupamento de coletividades descentralizadas. fundou-se na técnica clássica de enumerar poderes à União e deixar os remanescentes aos Estados.declarar a guerra e celebrar a paz. fazendo valer os seus direitos e assumindo todas as suas obrigações. Uma das características do Estado federal é ele possuir uma dupla face: em certos aspectos ele se apresenta como um Estado unitário e. dentro de sua área de competência. ou seja. Distrito Federal e Municípios (Art. 136 e 34 respectivamente.manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais. no caso brasileiro. e 22 da Constituição. pessoas jurídicas de direito público do Brasil. ao estabelecer a repartição de competência entre União. As demais são bens dos Estados.assegurar a defesa nacional. Na forma do Art. V . 26.autorizar e fiscalizar a produção e o comércio de material bélico. cada qual.

bem como as de seguros e de previdência privada.comércio exterior e interestadual. a Emenda Constitucional nº 19 manteve.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. concessão ou permissão: a) os serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens.nacionalidade. XXVI . XIV . um "fundo próprio". em todas as modalidades.jazidas.elimina-se o problema de existência do mesmo assunto tratado em duas partes diferentes da Constituição. XI . que trata especificamente do assunto segurança pública . comercial. a competência para organizar e manter as polícias civil e militar e o corpo de bombeiros militar do Distrito Federal. bem como prestar assistência financeira ao Distrito Federal para a execução de serviços públicos. que disporá sobre a organização dos serviços. XXII . X .explorar. 167. a criação de um órgão regulador e outros aspectos institucionais.desapropriação. diretamente ou mediante autorização.regime dos portos. a teor do Art.organização judiciária.prevendo.sistema estatístico. XVIII . XVI .registros públicos. nos termos da lei. XIII . VI . seguros e transferência de valores. XIII . eleitoral. agrário. convocação e mobilização das polícias militares e corpos de bombeiros militares. navegação lacustre. fluviais e lacustres. espacial e do trabalho. VIII . energia. outros recursos minerais e metalurgia.serviço postal. d) os serviços de transporte ferroviário e aquaviário entre os portos brasileiros e fronteiras nacionais. para captar as verbas federais com essa destinação. do Ministério Público e da Defensoria Pública do Distrito Federal e dos Territórios.administrar as reservas cambiais do País e fiscalizar as operações de natureza financeira. efetivos. processual. X . bem como organização administrativa destes. IX. aeroespacial e a infra-estrutura aeroportuária. IX . XI . de 16/8/95).normas gerais de licitação e contratação.elaborar e executar planos nacionais e regionais de ordenação do território e de desenvolvimento econômico e social.atividades nucleares de qualquer natureza.manter o serviço postal e o correio aéreo nacional. XII . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 8. IV . VII . Com a supressão. em caso de iminente perigo e em tempo de guerra. c) a navegação aérea. câmbio. V . XIV .diretrizes e bases da educação nacional.trânsito e transporte. XXI . 144.normas gerais de organização. marítima. para as administrações públicas https://www. II .sistemas de consórcios e sorteios.sistema monetário e de medidas.diretrizes da política nacional de transportes. Compete privativamente à União legislar sobre: I . XII . neste dispositivo. IX .htm 23/12/2008 . penal. III . a polícia militar e o corpo de bombeiros militar do Distrito Federal.antssoft. Art. câmbio e capitalização.sistemas de poupança.política de crédito. extradição e expulsão de estrangeiros. telecomunicações e radiodifusão. XX . títulos e garantias dos metais.explorar. material bélico. aérea e aeroespacial. garantias. especialmente as de crédito. concessão ou permissão. entrada. f) os portos marítimos. captação e garantia da poupança popular.competência da polícia federal e das polícias rodoviária e ferroviária federais. ou que transponham os limites de Estado ou Território. minas.águas. Prosseguindo. b) os serviços e instalações de energia elétrica e o aproveitamento energético dos cursos de água. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. da competência da União para organizar e manter a polícia federal e as polícias rodoviária e ferroviária federais .organizar e manter o Poder Judiciário. os serviços de telecomunicações.deslocadas para o Art. de 16/8/95). nesse inciso.organizar e manter a polícia civil. XXIII . XXIV . XIX . marítimo. sistema cartográfico e de geologia nacionais. diretamente ou mediante autorização. informática. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 8. A novidade foi a inclusão da obrigação da União de "prestar assistência financeira ao Distrito Federal" para a execução de serviços públicos. 22.seguridade social.emigração e imigração. XXV .populações indígenas. em articulação com os Estados onde se situam os potenciais hidroenergéticos. XVII .organização do sistema nacional de emprego e condições para o exercício de profissões. VIII . XV . Esse fundo deverá ser criado por lei específica. de 5/6/98) A primeira providência vem em benefício da estrutura da Constituição.1 Page 3 of 15 Na forma do Art.direito civil. aeronáutico. o Ministério Público e a Defensoria Pública do Distrito Federal e dos Territórios. 164. e) os serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros. XXVII . cidadania e naturalização.requisições civis e militares. por meio de fundo próprio. fluvial.

IX . Art. https://www. XI .registrar.fomentar a produção agropecuária e organizar o abastecimento alimentar.1 Page 4 of 15 diretas. ensino e desporto. tendo em vista o equilíbrio do desenvolvimento e do bem-estar em âmbito nacional.produção e consumo. Lei complementar poderá autorizar os Estados a legislar sobre questões específicas das matérias relacionadas neste artigo. estético. IV . § 4º .proporcionar os meios de acesso à cultura.No âmbito da legislação concorrente. garantias.propaganda comercial. a fauna e a flora. Parágrafo único. § 1º . constituídas por agrupamentos de municípios limítrofes. penitenciário. as obras e outros bens de valor histórico. funcionamento e processo do juizado de pequenas causas.educação. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 5. aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre: I . ou mediante concessão. VI . proteção do meio ambiente e controle da poluição. direitos e deveres das polícias civis. Os Estados organizam-se e regem-se pelas Constituições e leis que adotarem. artístico ou cultural.custas dos serviços forenses.antssoft. VIII . a competência da União limitar-se-á a estabelecer normas gerais. 173. III . à educação e à ciência.proteção e integração social das pessoas portadoras de deficiência. a destruição e a descaracterização de obras de arte e de outros bens de valor histórico. XVI . econômico e urbanístico. autárquicas e fundacionais da União. XII . X . Art. Parágrafo único. para atender a suas peculiaridades. acompanhar e fiscalizar as concessões de direitos de pesquisa e exploração de recursos hídricos e minerais em seus territórios.organização. II . financeiro.A competência da União para legislar sobre normas gerais não exclui a competência suplementar dos Estados.direito tributário. Compete à União. instituir regiões metropolitanas. conservação da natureza. a bens e direitos de valor artístico.Inexistindo lei federal sobre normas gerais. das leis e das instituições democráticas e conservar o patrimônio público. defesa marítima. XXIX . o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum. X . § 3º . os monumentos.proteger os documentos.previdência social. histórico. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. VII .procedimentos em matéria processual.criação. de 1998) XXVIII . V . turístico e paisagístico. cultura. XV . dos Estados. defesa aeroespacial.florestas.juntas comerciais. § 1º . VIII . III. 23.defesa territorial. II . Lei complementar fixará normas para a cooperação entre a União e os Estados. § 1°. do Distrito Federal e dos Municípios: I . Distrito Federal e Municípios. fauna. pesca. XII .orçamento.A superveniência de lei federal sobre normas gerais suspende a eficácia da lei estadual. no que lhe for contrário. da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência. III . caça. e para as empresas públicas e sociedades de economia mista. proteção e defesa da saúde.proteção ao patrimônio histórico. XI . IX . observados os princípios desta Constituição. VII . 24. os Estados exercerão a competência legislativa plena. XIV .proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer de suas formas.impedir a evasão.São reservadas aos Estados as competências que não lhes sejam vedadas por esta Constituição. de 1995) § 3º . ao consumidor. o Distrito Federal e os Municípios. artístico e cultural. os serviços locais de gás canalizado. V .combater as causas da pobreza e os fatores de marginalização.zelar pela guarda da Constituição. mediante lei complementar.responsabilidade por dano ao meio ambiente.promover programas de construção de moradias e a melhoria das condições habitacionais e de saneamento básico. para integrar a organização. obedecido o disposto no Art.DOS ESTADOS FEDERADOS Art. artístico. vedada a edição de medida provisória para a sua regulamentação. defesa do solo e dos recursos naturais. promovendo a integração social dos setores desfavorecidos.estabelecer e implantar política de educação para a segurança do trânsito. VI . 25.htm 23/12/2008 .preservar as florestas. CAPÍTULO III . XXI. as paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. defesa civil e mobilização nacional. aglomerações urbanas e microrregiões. 37.cuidar da saúde e assistência pública. turístico e paisagístico. § 2º . IV . § 2º . na forma da lei.proteção à infância e à juventude.assistência jurídica e Defensoria pública.Cabe aos Estados explorar diretamente. Estados.Os Estados poderão. nos termos do Art. cultural. XIII . É competência comum da União.

atendidos os princípios estabelecidos nesta Constituição.posse do Prefeito e do Vice-Prefeito no dia 1º de janeiro do ano subseqüente ao da eleição. § 4º.A lei disporá sobre a iniciativa popular no processo legislativo estadual. IV . O número de Deputados à Assembléia Legislativa corresponderá ao triplo da representação do Estado na Câmara dos Deputados e. setenta e cinco por cento daquele estabelecido. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. III.Dos Municípios Art. II . no caso de Municípios com mais de duzentos mil eleitores. XI. 153. observado o que dispõem os arts.número de Vereadores proporcional à população do Município.subsídios do Prefeito. § 4º. c) mínimo de quarenta e dois e máximo de cinqüenta e cinco nos Municípios de mais de cinco milhões de habitantes. neste caso. 38. e no último domingo de outubro. nas ilhas oceânicas e costeiras. 57. (Redação dada pela Emenda constitucional nº 19.as terras devolutas não compreendidas entre as da União. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. imunidades. de 1998) VI . do ano anterior ao do término do mandato de seus antecessores. perda de mandato.o subsídio dos Vereadores será fixado pelas respectivas Câmaras Municipais em cada legislatura para a subseqüente. do Vice-Governador e dos Secretários de Estado serão fixados por lei de iniciativa da Assembléia Legislativa. IV . que a promulgará. Art. excluídas aquelas sob domínio da União. de 1998) § 3º . em segundo turno. e aprovada por dois terços dos membros da Câmara Municipal. § 1º . § 2º. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a cinqüenta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. 28. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a vinte por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. no máximo. pela Emenda Constitucional nº 19. observado o que dispõem os arts. observado o que dispõem os arts. licença. ressalvadas. 77. ressalvada a posse em virtude de concurso público e observado o disposto no Art.sê-lhes as regras desta Constituição sobre sistema eleitoral. e 153. § 4º .com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. 39. observados os critérios estabelecidos na respectiva Lei Orgânica e os seguintes limites máximos: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 25. de 2000) https://www.htm 23/12/2008 .as águas superficiais ou subterrâneas. se houver. aplicadas as regras do Art. e 153. observados os seguintes limites: a) mínimo de nove e máximo de vinte e um nos Municípios de até um milhão de habitantes. I. mediante pleito direto e simultâneo realizado em todo o País. na razão de. aplicando. 29. III. em primeiro turno. que estiverem no seu domínio.as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à União. as decorrentes de obras da União. fluentes. § 4º. 39. votada em dois turnos. do Vice-Prefeito e dos Vereadores. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a trinta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais.Será de quatro anos o mandato dos Deputados Estaduais. II . quanto ao mais. 150. atingido o número de trinta e seis. II.eleição do Prefeito e do Vice-Prefeito realizada no primeiro domingo de outubro do ano anterior ao término do mandato dos que devam suceder. III. II. de 2000) c) em Municípios de cinqüenta mil e um a cem mil habitantes. com o interstício mínimo de dez dias. II. será acrescido de tantos quantos forem os Deputados Federais acima de doze. emergentes e em depósito. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a quarenta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16. de 1998) § 2º Os subsídios do Governador. na forma da lei. observado. do Vice-Prefeito e dos Secretários Municipais fixados por lei de iniciativa da Câmara Municipal. 37. § 2º O subsídio dos Deputados Estaduais será fixado por lei de iniciativa da Assembléia Legislativa. de 2000) b) em Municípios de dez mil e um a cinqüenta mil habitantes. 153. e prover os respectivos cargos. para mandato de quatro anos. § 7º. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. remuneração. I. para mandato de quatro anos. em espécie. 27. 37. para os Deputados Federais. b) mínimo de trinta e três e máximo de quarenta e um nos Municípios de mais de um milhão e menos de cinco milhões de habitantes. XI. na Constituição do respectivo Estado e os seguintes preceitos: I . Incluem-se entre os bens dos Estados: I . de 1998) CAPÍTULO IV . Art. § 2º. O Município reger-se-á por lei orgânica. polícia e serviços administrativos de sua secretaria. de 2000) a) em Municípios de até dez mil habitantes. (Renumerado do parágrafo único.as áreas. 26. observado o que dispõe esta Constituição. Municípios ou terceiros. o disposto no Art.1 Page 5 of 15 Art.eleição do Prefeito. de1997) III . 39. I.Compete às Assembléias Legislativas dispor sobre seu regimento interno. 150. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. 153. inviolabilidade. de 2000) d) em Municípios de cem mil e um a trezentos mil habitantes. § 2º.antssoft. V . IV e V. A eleição do Governador e do Vice-Governador de Estado. III . realizar-seá no primeiro domingo de outubro. I. e 153. e a posse ocorrerá em primeiro de janeiro do ano subseqüente. 77. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. impedimentos e incorporação às Forças Armadas. 150. de1997) § 1º Perderá o mandato o Governador que assumir outro cargo ou função na administração pública direta ou indireta.

pela Emenda Constitucional nº 1. III . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25.o total da despesa com a remuneração dos Vereadores não poderá ultrapassar o montante de cinco por cento da receita do Município. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a sessenta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais.cinco por cento para Municípios com população acima de quinhentos mil habitantes. (Renumerado do inciso XII. não poderá ultrapassar os seguintes percentuais.criar. de 2000) § 1o A Câmara Municipal não gastará mais de setenta por cento de sua receita com folha de pagamento. (Renumerado do inciso VI. e pelos sistemas de controle interno do Poder Executivo Municipal. de 2000) VII . diretamente ou sob regime de concessão ou permissão. de 2000) II . relativos ao somatório da receita tributária e das transferências previstas no § 5o do Art. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. de 1992) XII . de 1992) VIII . observada a legislação e a ação fiscalizadora federal e estadual. mediante controle externo. V . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25.inviolabilidade dos Vereadores por suas opiniões. https://www. similares. II .prestar.efetuar repasse que supere os limites definidos neste artigo. IX .organizar e prestar. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. programas de educação préescolar e de ensino fundamental. incluído o de transporte coletivo. cinco por cento do eleitorado. IV . 28. incluídos os subsídios dos Vereadores e excluídos os gastos com inativos. de 2000) f) em Municípios de mais de quinhentos mil habitantes. nos termos do Art. pela Emenda Constitucional nº 1. no que couber. organizar e suprimir distritos.suplementar a legislação federal e a estadual no que couber. da cidade ou de bairros. através de manifestação de.organização das funções legislativas e fiscalizadoras da Câmara Municipal. pela Emenda Constitucional nº 1. (Renumerado do inciso IX. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. O total da despesa do Poder Legislativo Municipal. 30. Compete aos Municípios: I . VII . (Renumerado do inciso VII. pela Emenda Constitucional nº 1. do parcelamento e da ocupação do solo urbano. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a setenta e cinco por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. de 2000) IV . de 2000) § 2o Constitui crime de responsabilidade do Prefeito Municipal: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. com a cooperação técnica e financeira da União e do Estado. bem como aplicar suas rendas.oito por cento para Municípios com população de até cem mil habitantes. pela Emenda Constitucional nº 1. A fiscalização do Município será exercida pelo Poder Legislativo Municipal. de 2000) § 3o Constitui crime de responsabilidade do Presidente da Câmara Municipal o desrespeito ao § 1o deste artigo. parágrafo único. VIII .enviá-lo a menor em relação à proporção fixada na Lei Orçamentária.htm 23/12/2008 . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. 29-A.julgamento do Prefeito perante o Tribunal de Justiça.não enviar o repasse até o dia vinte de cada mês. mediante planejamento e controle do uso. observada a legislação estadual. adequado ordenamento territorial. palavras e votos no exercício do mandato e na circunscrição do Município. pela Emenda Constitucional nº 1. 158 e 159.proibições e incompatibilidades. de 1992) X . Art. no que couber.promover. de 2000) III . serviços de atendimento à saúde da população. 31.antssoft.1 Page 6 of 15 e) em Municípios de trezentos mil e um a quinhentos mil habitantes.perda do mandato do Prefeito. pela Emenda Constitucional nº 1. que tem caráter essencial. VI .instituir e arrecadar os tributos de sua competência.sete por cento para Municípios com população entre cem mil e um e trezentos mil habitantes. de 2000) II . na forma da lei. no exercício da vereança. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 1. pelo menos. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. de 2000) III .promover a proteção do patrimônio histórico-cultural local. (Renumerado do inciso X. (Renumerado do inciso XI. de 2000) I . de 2000) Art. de 2000) I . de 1992) XIII .seis por cento para Municípios com população entre trezentos mil e um e quinhentos mil habitantes. de 1992) XIV . incluído o gasto com o subsídio de seus Vereadores. com a cooperação técnica e financeira da União e do Estado. de 1992) Art. os serviços públicos de interesse local. ao disposto nesta Constituição para os membros do Congresso Nacional e na Constituição do respectivo Estado para os membros da Assembléia Legislativa. 153 e nos arts.legislar sobre assuntos de interesse local. (Renumerado do inciso VIII. efetivamente realizado no exercício anterior: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. de 1992) IX . de 1992) XI .iniciativa popular de projetos de lei de interesse específico do Município. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. ou (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25.manter. sem prejuízo da obrigatoriedade de prestar contas e publicar balancetes nos prazos fixados em lei.cooperação das associações representativas no planejamento municipal.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii.

direta e indireta. de representação do Procurador-Geral da República. nem a União nos Municípios localizados em Território Federal. a dívida fundada. aos quais se aplicará. além do Governador nomeado na forma desta Constituição. A decretação da intervenção dependerá: I . Seção II . o disposto no Capítulo IV deste Título.DOS TERRITÓRIOS Art. para mandato de igual duração.DA INTERVENÇÃO Art. O Estado não intervirá em seus Municípios. § 1º . reger.As contas do Governo do Território serão submetidas ao Congresso Nacional.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. § 4º . II . II . exceto quando: I . A lei disporá sobre a organização administrativa e judiciária dos Territórios. Conselhos ou órgãos de Contas Municipais. § 2º . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 29. CAPÍTULO V .As contas dos Municípios ficarão. a lei disporá sobre as eleições para a Câmara Territorial e sua competência deliberativa.não forem prestadas contas devidas.É vedada a criação de Tribunais. atendidos os princípios estabelecidos nesta Constituição. onde houver.Aos Deputados Distritais e à Câmara Legislativa aplica-se o disposto no Art.1 Page 7 of 15 § 1º . § 3º . VI .O controle externo da Câmara Municipal será exercido com o auxílio dos Tribunais de Contas dos Estados ou do Município ou dos Conselhos ou Tribunais de Contas dos Municípios. na https://www. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 29. para exame e apreciação. o qual poderá questionar-lhes a legitimidade. II . sistema representativo e regime democrático.A eleição do Governador e do Vice-Governador.DO DISTRITO FEDERAL Art. pelo Governo do Distrito Federal. na manutenção e desenvolvimento do ensino e nas ações e serviços públicos de saúde.reorganizar as finanças da unidade da Federação que: a) suspender o pagamento da dívida fundada por mais de dois anos consecutivos. no que couber. dentro dos prazos estabelecidos em lei. 34. § 3º .O parecer prévio. membros do Ministério Público e defensores públicos federais. § 2º .htm 23/12/2008 . § 2º .no caso do Art. VII .deixar de ser paga. nos termos da lei. 35.Lei federal disporá sobre a utilização. O Distrito Federal. § 3º .no caso de desobediência a ordem ou decisão judiciária. Art. 77. durante sessenta dias. à disposição de qualquer contribuinte. V . 36. votada em dois turnos com interstício mínimo de dez dias. se a coação for exercida contra o Poder Judiciário. haverá órgãos judiciários de primeira e segunda instância. IV . salvo motivo de força maior. e dos Deputados Distritais coincidirá com a dos Governadores e Deputados Estaduais.antssoft.assegurar a observância dos seguintes princípios constitucionais: a) forma republicana. por dois anos consecutivos. ou de requisição do Supremo Tribunal Federal. b) direitos da pessoa humana. com parecer prévio do Tribunal de Contas da União.Os Territórios poderão ser divididos em Municípios. e) aplicação do mínimo exigido da receita resultante de impostos estaduais. c) autonomia municipal. compreendida a proveniente de transferências. 32. só deixará de prevalecer por decisão de dois terços dos membros da Câmara Municipal. anualmente. b) deixar de entregar aos Municípios receitas tributárias fixadas nesta Constituição. de ordem ou de decisão judicial. III . ou para prover a execução de lei.Nos Territórios Federais com mais de cem mil habitantes. III . de solicitação do Poder Legislativo ou do Poder Executivo coacto ou impedido. pelo Supremo Tribunal Federal.pôr termo a grave comprometimento da ordem pública. ordem ou decisão judicial.Ao Distrito Federal são atribuídas as competências legislativas reservadas aos Estados e Municípios. de 2000) Art.repelir invasão estrangeira ou de uma unidade da Federação em outra.manter a integridade nacional. 33. exceto para: I .o Tribunal de Justiça der provimento a representação para assegurar a observância de princípios indicados na Constituição Estadual. § 4º .prover a execução de lei federal. sem motivo de força maior. d) prestação de contas da administração pública.garantir o livre exercício de qualquer dos Poderes nas unidades da Federação. de requisição do Supremo Tribunal Federal.se-á por lei orgânica. A União não intervirá nos Estados nem no Distrito Federal. emitido pelo órgão competente sobre as contas que o Prefeito deve anualmente prestar. CAPÍTULO VI . vedada sua divisão em Municípios. do Superior Tribunal de Justiça ou do Tribunal Superior Eleitoral. na forma da lei. que a promulgará. de 2000) IV . e aprovada por dois terços da Câmara Legislativa.DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS Seção I . 34.não tiver sido aplicado o mínimo exigido da receita municipal na manutenção e desenvolvimento do ensino e nas ações e serviços públicos de saúde. III de provimento. 27. IV. § 1º . das polícias civil e militar e do corpo de bombeiros militar. observadas as regras do Art.

o presidencial. observar as leis. o Executivo e o Judiciário. § 2º . de 2004) § 1º . além de crimes comuns. o prazo e as condições de execução e que.de provimento. primeira parte aos Ministros. IV. apuradas em processo político-administrativo realizado pelas Casas do Congresso. nos casos de morte. § 4º . pelo Superior Tribunal de Justiça. 84. do qual tomará posse. que o executará ou não. Organização dos poderes Poderes da União: são independentes e harmônicos entre si.Cessados os motivos da intervenção. Perda ou suspensão dos direitos políticos e perda da nacionalidade brasileira. definidos na legislação penal. o parlamentar e o convencional. eventual plano de governo. cumpre um mandato por tempo fixo. Chefe de Governo e Chefe da Administração. ao Procurador-Geral ou ao Advogado-Geral. Atribuições do Presidente da República: são as enumeradas no art. o mandato é de 4 anos (art. perante o CN. no prazo de vinte e quatro horas. que serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência. extinção. sem licença do CN (art. sem dar satisfação jurídica a outro poder. Poder Executivo Eleição e mandato do Presidente da República: é eleito. simultaneamente com o Vice-presidente. IV . que observarão os limites traçados nas respectivas delegações. (art. declaração de vacância do cargo pelo CN (arts. o Legislativo. o decreto limitar-se-á a suspender a execução do ato impugnado. os outros substitutos são: o Presidente de Câmara. Perda do mandato do Presidente e do Vice: cassação. as autoridades afastadas de seus cargos a estes voltarão. o Presidente do Senado e o Presidente do STF. Responsabilidade do Presidente da República: no presidencialismo.com. e no caso de recusa à execução de lei federal. ou do Art. Parlamentarismo é típico das monarquias constitucionais. promover o bem geral do povo. dispensada a apreciação pelo Congresso Nacional ou pela Assembléia Legislativa. em sessão conjunta. no caso de recusa à execução de lei federal. de representação do Procurador-Geral da República. será submetido à apreciação do Congresso Nacional ou da Assembléia Legislativa do Estado. ausência de Pais por mais de 15 dias. em primeiro turno. o processo divide-se em duas partes: juízo de admissibilidade do processo e https://www. mesmo quando aprovado por lei. se ocorrer o impedimento concomitante do Presidente e do Vice ou no caso de vacância de ambos os cargos. no dia 01/01 do ano seguinte ao de sua eleição. o Presidente exerce o Poder Executivo. 34. e suceder-lhe no caso de vaga. § 3º. dentre brasileiros natos que preencham as condições de elegibilidade previstas no art. nos casos de impedimento. acumula as funções de Chefe de Estado. como privativas do Presidente. se couber. depende exclusivamente da coordenação do Presidente. VI e VII. o órgão do Poder Legislativo não é Parlamento. 35. o próprio Presidente é responsável. 83). defender e cumprir a Constituição.antssoft.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. Substitutos e sucessores do Presidente: ao vice cabe substituir o Presidente. 34. 3. prestando o compromisso de manter.1 Page 8 of 15 hipótese do Art. sustentar a união. VIII). Subsídios: o Presidente e o Vice têm direito a estipêndios mensais. no primeiro domingo de outubro e. cujo parágrafo único permite que eles deleguem as mencionadas nos incisos VI e XXV. renúncia. que especificará a amplitude. VII. bem ou mal. vamos discorrer sobre algumas características de cada sistema: Presidencialismo. e.htm 23/12/2008 . além de outras atribuições que lhe forem conferidas por lei complementar. no mesmo prazo de vinte e quatro horas. 49. 2º).didaticadosconcursos. em segundo turno. 14. DIREITO CONSTITUCIONAL – Parte II www. far-se-á convocação extraordinária. 82). Sistema de governo: são técnicas que regem as relações entre o Legislativo e o Executivo no exercício das funções governamentais. ficando sujeito a sanções de perda do cargo por infrações definidas como crimes de responsabilidade. se houver. sempre que por ele for convocado para missões especiais (79. em forma de subsídios em parcela única. do ano anterior ao do término do mandato presidencial vigente. no último domingo de outubro. salvo impedimento legal. que serão fixados pelo CN (art. 78 e 82). são três os sistemas básicos.Nos casos do Art. o Executivo se divide em duas partes: um Chefe de Estado e um Primeiro Ministro. Parágrafo Único).O decreto de intervenção. § 3º . auxiliará o Presidente.br 2. se essa medida bastar ao restabelecimento da normalidade. a eleição realizar-seá. nomeará o interventor.Se não estiver funcionando o Congresso Nacional ou a Assembléia Legislativa. a integridade e a independência do Brasil. (Revogado pela Emenda Constitucional nº 45.

mas que tenham limites. variando apenas em detalhes de adaptação às particularidades regionais. juntamente com o Vice-Presidente. uma vez que o primeiro-ministro e os membros do governo provêm do Parlamento. e por garantias constitucionais dos direitos fundamentais. e 16)editar medidas provisórias com força de lei. prestam serviços públicos ou de interesse público. Legislativo e Judiciário no governo nacional. tem a seu cargo a execução das leis. Os Estados e municípios também tem seus poderes legislativos. são eleitos pelo voto direto e secreto para um período de quatro anos. Dessa forma. o presidente é eleito separadamente dos membros do Legislativo.htm 23/12/2008 . os seus líderes podem agir com grande autoridade e confiança. bem como o governo e a administração dos negócios públicos.antssoft. Nestes sistemas. que divide o poder entre o governo federal e os governos estaduais/locais. total ou parcialmente projetos de lei. 14)declarar guerra. Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista) que. 12)iniciar o processo legislativo.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. O Poder Executivo nas democracias modernas é geralmente organizado de uma ou duas maneiras: como um sistema parlamentarista ou presidencialista. no âmbito Estadual. Por conseqüência. que compreende a estrutura administrativa da Presidência da República e dos Ministérios e Indireta. As democracias não exigem que os seus governos sejam fracos. • Em um sistema presidencialista. 13)vetar. quando o fazem. sendo permitida a reeleição para um único mandato subseqüente. chefiado por um primeiro-ministro. • Em um sistema presidencialista. 2)pelo federalismo. O exercício das funções relativas ao Poder Executivo é feito através da Administração Direta. Fundações Públicas. Competências: https://www. • Em um sistema parlamentarista. pelo Presidente da República auxiliado pelos Ministros de Estado. o partido da maioria nessa legislatura constitui o Poder Executivo do governo. que servem para controlar e se auto-equilibrar. Estados e Municípios A estrutura político-administrativa dos Estados. o Poder Executivo é geralmente limitado de três formas: 1)por um sistema de controle que separa os Poderes Executivo. o Executivo é limitado pela autoridade constitucional conferida ao poder Legislativo e 4)por um Poder Judiciário independente. Compete ao Presidente da República entre outros: 9)chefiar o governo. contudo. o chefe do Poder Executivo é o Governador de Estado auxiliado pelos Secretários Estaduais e no âmbito Municipal o representante do Poder Executivo é o Prefeito auxiliado pelos Secretários Municipais. os Poderes Legislativo e Executivo não estão totalmente separados um do outro. Em democracias constitucionais. 15)prover e extinguir cargos públicos federais. tanto o presidente como o Poder Legislativo têm as suas próprias bases de poder e eleitorado político. O Presidente da República. Poder Executivo Federal É aquele que. que é o conjunto dos entes personalizados (Autarquias. no sistema presidencialista. a oposição política é o meio principal de limitar ou controlar o Poder Executivo. • Em um sistema parlamentarista. as democracias podem levar algum tempo para chegar a um acordo sobre assuntos de interesse nacional. 3)Em nível nacional. Os líderes de uma democracia constitucional agem sempre de acordo com a lei que define e limita a sua autoridade. segundo a organização constitucional do Estado. 10)administrar a coisa pública. 11)aplicar as leis.1 Page 9 of 15 processo e julgamento. nas Assembléias Estaduais e Câmaras Municipais. vinculados a um ministério. O Poder Executivo Federal é exercido. do Distrito Federal e dos Municípios é semelhante à federal.

sem licença do Congresso Nacional. PCdoB. e suceder. os eleitos deverão completar o período de seus antecessores. a eleição para ambos os cargos será feita trinta dias depois da última vaga. O Presidente e o Vice-Presidente da República não poderão. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16. sustentar a união. desistência ou impedimento legal de candidato.2% dos votos válidos. § 2º . salvo motivo de força maior. § 3º . PL. XIV) • controla o Legislativo: 1. 82. concorrendo os dois candidatos mais votados e considerando-se eleito aquele que obtiver a maioria dos votos válidos.Se. único art. 52. de 1997) § 1º . simultaneamente. Parágrafo único. participando da escolha dos ministros do Tribunal de Contas da União. far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga. além de outras atribuições que lhe forem conferidas por lei complementar. O Presidente e o Vice-Presidente da República tomarão posse em sessão do Congresso Nacional. obtiver a maioria absoluta de votos. decorridos dez dias da data fixada para a posse. far-se-á nova eleição em até vinte dias após a proclamação do resultado. registrado por partido político. § 1º . através da sanção ou veto aos projetos de lei aprovados (CF. remanescer. antes de realizado o segundo turno. 79.Se nenhum candidato alcançar maioria absoluta na primeira votação. Parágrafo único. 104. paticipando da elaboração das leis. o de maior votação.lhe-á.htm 23/12/2008 . José Alencar Gomes da Silva: Vice-Presidente da República Preceitua. Art. A eleição do Presidente e do Vice-Presidente da República realizar-se-á. em segundo lugar. em primeiro turno. no caso de impedimento. convocar-se-á. ocorrer morte. art. qualificar-se-á o mais idoso. § 4º . sob pena de perda do cargo. O Poder Executivo é exercido pelo Presidente da República. dentre os remanescentes. parág. ou vacância dos respectivos cargos. Art. na forma da lei.DO PRESIDENTE E DO VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA Art. e no último domingo de outubro. Art. 83. 76. a integridade e a independência do Brasil. ausentar-se do País por período superior a quinze dias. 101.Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial. auxiliado pelos Ministros de Estado. observar as leis. não computados os em branco e os nulos. do ano anterior ao do término do mandato presidencial vigente. prestando o compromisso de manter. o Presidente ou o Vice-Presidente. Em caso de impedimento do Presidente e do Vice-Presidente.Será considerado eleito Presidente o candidato que. sempre que por ele convocado para missões especiais. O mandato do Presidente da República é de quatro anos e terá início em primeiro de janeiro do ano seguinte ao da sua eleição. defender e cumprir a Constituição. Seção II .Em qualquer dos casos.79 milhões de votos. promover o bem geral do povo brasileiro. Art. único art. a Constituição Federal DO PODER EXECUTIVO Seção I .Das Atribuições do Presidente da República Art. Candidato da aliança PT. Se. 84. Art. § 5º . nomeando os ministros do STF e dos demais tribunais superiores (CF. Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República. serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência o Presidente da Câmara dos Deputados. na hipótese dos parágrafos anteriores. IV e V) 2. 77. no primeiro domingo de outubro. 84. não tiver assumido o cargo. O Vice-Presidente da República. Art. se houver.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16. auxiliará o Presidente.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. no de vaga. este será declarado vago. Substituirá o Presidente. 78. de 1997) Art. mais de um candidato com a mesma votação. § 2º . em segundo turno. o do Senado Federal e o do Supremo Tribunal Federal. 80. parag. o Vice-Presidente. art. 84. PCB e PMN.A eleição do Presidente da República importará a do Vice-Presidente com ele registrado. Composição do Executivo brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva Presidente da República Federativa do Brasil desde 1º de janeiro de 2003. 81. Compete privativamente ao Presidente da República: https://www.1 Page 10 of 15 PODER EXECUTIVO: • controla o Judiciário: 1. foi eleito no segundo turno em 27 de outubro de 2002 com 61. pelo Congresso Nacional.antssoft.Se.

nos termos do art. XXIV . (Incluída pela Emenda Constitucional nº 32. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23.Se.prover e extinguir os cargos públicos federais. se necessário.editar medidas provisórias com força de lei. VIII . convenções e atos internacionais.conferir condecorações e distinções honoríficas. na forma da lei.dispor.iniciar o processo legislativo.nomear. XXVI . XI . autorizado ou com o referendo do Congresso Nacional.nomear e exonerar os Ministros de Estado.nomear. as contas referentes ao exercício anterior.htm 23/12/2008 .o livre exercício do Poder Legislativo. aos Ministros de Estado. que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente. anualmente. II . 85.a probidade na administração. VI . promover seus oficiais-generais e nomeá-los para os cargos que lhes são privativos. 86. X . promulgar e fazer publicar as leis.a segurança interna do País. 89.nomear os magistrados. dentro de sessenta dias após a abertura da sessão legislativa. cessará o https://www.decretar e executar a intervenção federal.declarar guerra. do Exército e da Aeronáutica. total ou parcialmente. de 2001) VII .nos crimes de responsabilidade.sancionar. quando ocorrida no intervalo das sessões legislativas. a mobilização nacional. nos termos do art. primeira parte. VII. O Presidente da República poderá delegar as atribuições mencionadas nos incisos VI. após a instauração do processo pelo Senado Federal.(Incluída pela Emenda Constitucional nº 32.nas infrações penais comuns.exercer outras atribuições previstas nesta Constituição. os Ministros do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores. V . autorizado pelo Congresso Nacional ou referendado por ele. total ou parcialmente. XIX . a direção superior da administração federal. na forma e nos casos previstos nesta Constituição.1 Page 11 of 15 I . III . Parágrafo único. ao Congresso Nacional. após aprovação pelo Senado Federal. os Ministros do Tribunal de Contas da União.enviar ao Congresso Nacional o plano plurianual. Seção III . XVII . XXV .a existência da União. 73. por dois terços da Câmara dos Deputados. III . XXVII . sujeitos a referendo do Congresso Nacional. do Poder Judiciário. nas infrações penais comuns. o projeto de lei de diretrizes orçamentárias e as propostas de orçamento previstos nesta Constituição.manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos. nos crimes de responsabilidade. contra: I . Esses crimes serão definidos em lei especial.exercer.antssoft. e. VII .vetar projetos de lei. XXII . o presidente e os diretores do Banco Central e outros servidores. IV . decretar. Admitida a acusação contra o Presidente da República. § 1º . nos casos previstos em lei complementar. o Procurador-Geral da República. dos órgãos instituídos em lei. XII . e o Advogado-Geral da União. quando vagos. especialmente. de 02/09/99) XIV . V . com audiência.celebrar tratados.prestar. que estabelecerá as normas de processo e julgamento. com o auxílio dos Ministros de Estado. VI .a lei orçamentária. decorrido o prazo de cento e oitenta dias. XII e XXV. XIII .decretar o estado de defesa e o estado de sítio. XXIII .exercer o comando supremo das Forças Armadas. XX .o exercício dos direitos políticos. que observarão os limites traçados nas respectivas delegações.nomear membros do Conselho da República.conceder indulto e comutar penas.remeter mensagem e plano de governo ao Congresso Nacional por ocasião da abertura da sessão legislativa. ao Procurador-Geral da República ou ao Advogado-Geral da União.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. Art. nomear os Comandantes da Marinha. o julgamento não estiver concluído. IX .permitir. II . nos casos previstos nesta Constituição.o cumprimento das leis e das decisões judiciais. quando não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos. 62. XXI . sobre:(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 32.convocar e presidir o Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional. XVI . nas mesmas condições. será ele submetido a julgamento perante o Supremo Tribunal Federal. IV . se recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal. bem como expedir decretos e regulamentos para sua fiel execução. § 2º . individuais e sociais. expondo a situação do País e solicitando as providências que julgar necessárias. os Governadores de Territórios. de 2001) a) organização e funcionamento da administração federal. de 2001) b) extinção de funções ou cargos públicos. ou perante o Senado Federal. no caso de agressão estrangeira.O Presidente ficará suspenso de suas funções: I . II . quando determinado em lei. observado o disposto no art. mediante decreto. São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentem contra a Constituição Federal e. XV . XVIII . do Ministério Público e dos Poderes constitucionais das unidades da Federação.Da Responsabilidade do Presidente da República Art. Parágrafo único.celebrar a paz.

o Ministro do Planejamento.o Ministro das Relações Exteriores. IV .expedir instruções para a execução das leis. nos termos desta Constituição. III . VII . § 2º .Compete ao Conselho de Defesa Nacional: I .1 Page 12 of 15 afastamento do Presidente.os Comandantes da Marinha. Art. e dele participam como membros natos: I .os líderes da maioria e da minoria no Senado Federal. II . na vigência de seu mandato. 89.Do Conselho da República Art. II . 90.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23. propor e acompanhar o desenvolvimento de iniciativas necessárias a garantir a independência nacional e a defesa do Estado democrático.seis cidadãos brasileiros natos.o Presidente do Senado Federal. 91.apresentar ao Presidente da República relatório anual de sua gestão no Ministério.os líderes da maioria e da minoria na Câmara dos Deputados.DOS MINISTROS DE ESTADO Art. § 4º . II .o Vice-Presidente da República. de 1999) § 1º . III .O Presidente da República. A lei disporá sobre a criação e extinção de Ministérios e órgãos da administração pública. vedada a recondução. Estado de defesa Instrumento que o Presidente da República pode utilizar. de 2001) Seção V .(Incluído pela Emenda Constitucional nº 23. estado de defesa e estado de sítio. Parágrafo único. 4. ouvidos o Conselho da República e o https://www.DO CONSELHO DA REPÚBLICA E DO CONSELHO DE DEFESA NACIONAL Subseção I . II .intervenção federal. Subseção II . Art. decretos e regulamentos.Do Conselho de Defesa Nacional Art. Da Defesa do Estado e das Instituições Democráticas. V .htm 23/12/2008 . do estado de sítio e da intervenção federal.opinar nas hipóteses de declaração de guerra e de celebração da paz. § 3º . sendo dois nomeados pelo Presidente da República. II . não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções. quando constar da pauta questão relacionada com o respectivo Ministério.o Ministro de Estado da Defesa. VIII . III .praticar os atos pertinentes às atribuições que lhe forem outorgadas ou delegadas pelo Presidente da República. coordenação e supervisão dos órgãos e entidades da administração federal na área de sua competência e referendar os atos e decretos assinados pelo Presidente da República. VI . especialmente na faixa de fronteira e nas relacionadas com a preservação e a exploração dos recursos naturais de qualquer tipo. O Conselho de Defesa Nacional é órgão de consulta do Presidente da República nos assuntos relacionados com a soberania nacional e a defesa do Estado democrático.A lei regulará a organização e o funcionamento do Conselho da República. IV . 88. Compete ao Conselho da República pronunciar-se sobre: I . com mais de trinta e cinco anos de idade.O Presidente da República poderá convocar Ministro de Estado para participar da reunião do Conselho. do Exército e da Aeronáutica.Enquanto não sobrevier sentença condenatória. § 1º .estudar. sem prejuízo do regular prosseguimento do processo. 87.exercer a orientação. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 32.antssoft. nas infrações comuns.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. O Conselho da República é órgão superior de consulta do Presidente da República.propor os critérios e condições de utilização de áreas indispensáveis à segurança do território nacional e opinar sobre seu efetivo uso. VII . IV . V . § 2º . todos com mandato de três anos. Compete ao Ministro de Estado.as questões relevantes para a estabilidade das instituições democráticas. além de outras atribuições estabelecidas nesta Constituição e na lei: I .o Presidente da Câmara dos Deputados.A lei regulará a organização e o funcionamento do Conselho de Defesa Nacional.o Ministro da Justiça. e dele participam: I . de 1999) VI . Os Ministros de Estado serão escolhidos dentre brasileiros maiores de vinte e um anos e no exercício dos direitos políticos. Seção IV . III . o Presidente da República não estará sujeito a prisão.o Presidente da Câmara dos Deputados. IV .opinar sobre a decretação do estado de defesa.o Ministro da Justiça.o Vice-Presidente da República.o Presidente do Senado Federal. dois eleitos pelo Senado Federal e dois eleitos pela Câmara dos Deputados.

submeterá o ato com a respectiva justificação ao Congresso Nacional. podendo ser prorrogado uma vez. Marinha e Aeronáutica. dentre as seguintes: I . extraordinariamente. polícia rodoviária federal.a prisão ou detenção de qualquer pessoa não poderá ser superior a dez dias.a prisão por crime contra o Estado. a lei e a ordem. devendo continuar funcionando enquanto vigorar o estado de defesa. facultado ao preso requerer exame de corpo de delito à autoridade policial. ainda que exercida no seio das associações. organizadas com base na hierarquia e na disciplina. b) sigilo de correspondência. Segurança pública Dever do Estado. § 6º O Congresso Nacional apreciará o decreto dentro de dez dias contados de seu recebimento. § 3º Na vigência do estado de defesa: I . o Presidente da República. c) sigilo de comunicação telegráfica e telefônica. IV .restrições aos direitos de: a) reunião. que a relaxará. através dos seguintes órgãos: polícia federal. a ordem pública ou a paz social ameaçadas por grave e iminente instabilidade institucional ou atingidas por calamidades de grandes proporções na natureza. O Presidente da República pode. por igual período.Da Defesa do Estado e das Instituições Democráticas Capítulo I . as áreas a serem abrangidas e as respectivas medidas coercitivas. no prazo de cinco dias. § 7º Rejeitado o decreto. as medidas coercitivas a vigorarem.htm 23/12/2008 . especificará as áreas a serem abrangidas e indicará. a garantir os poderes constitucionais. 137. decretar estado de defesa para preservar ou prontamente restabelecer.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii.1 Page 13 of 15 Conselho de Defesa Nacional. será por este comunicada imediatamente ao juiz competente. para preservar ou prontamente restabelecer. a ordem pública ou a paz social ameaçadas por grave e iminente instabilidade institucional ou atingidas por calamidades de grandes proporções na natureza. § 4º Decretado o estado de defesa ou sua prorrogação. A decretação do estado de sítio é solicitada pelo Presidente da República ao Congresso Nacional. em locais restritos e determinados. 136. É instituído através de decreto que deverá indicar a sua duração. ouvidos o Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional.declaração de estado de guerra ou resposta a agressão armada estrangeira. nos casos de: a) comoção grave de repercussão nacional ou ocorrência de fatos que comprovem a ineficácia de medida tomada durante o estado de defesa e b) declaração de estado de guerra ou resposta a agressão armada estrangeira. dentro de vinte e quatro horas. determinada pelo executor da medida. pela autoridade. § 5º Se o Congresso Nacional estiver em recesso. § 1º O decreto que instituir o estado de defesa determinará o tempo de sua duração.é vedada a incomunicabilidade do preso. polícias militares e corpos de bombeiros militares.comoção grave de repercussão nacional ou ocorrência de fatos que comprovem a ineficácia de medida tomada durante o estado de defesa. do estado físico e mental do detido no momento de sua autuação.Do Estado de Sítio Art. cessa imediatamente o estado de defesa. na hipótese de calamidade pública. polícia ferroviária federal. se não for legal. em locais restritos e determinados. Estado de sítio Instrumento que pode ser utilizado pelo Presidente da República. O Presidente da República pode. solicitar ao Congresso Nacional autorização para decretar o estado de sítio nos casos de: I . dentro dos limites da lei se destinando a defender a Pátria.Do Estado de Defesa Art. Seção II . sendo instituições nacionais permanentes. ouvidos o Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional. https://www. II . que decidirá por maioria absoluta.Do Estado de Defesa e do Estado de Sítio Seção I . sob a autoridade suprema do Presidente da República. será convocado. Título V .a comunicação será acompanhada de declaração.antssoft. se persistirem as razões que justificaram a sua decretação. polícias civis. direito e responsabilidade de todos. II . II .ocupação e uso temporário de bens e serviços públicos. nos termos e limites da lei. Forças Armadas São constituídas essencialmente pelo Exército. III . salvo quando autorizada pelo Poder Judiciário. respondendo a União pelos danos e custos decorrentes. ouvidos o Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional. § 2º O tempo de duração do estado de defesa não será superior a trinta dias. é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

VII . de cada vez. XII. IV . contando-se-lhe o tempo de serviço apenas para aquela promoção e transferência para a reserva. II .htm 23/12/2008 . Art. § 1º O estado de sítio. As Forças Armadas. ao solicitar autorização para decretar o estado de sítio ou sua prorrogação. com especificação e justificação das providências adotadas. II .suspensão da liberdade de reunião.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. emprego ou função pública civil temporária. nos termos da lei.Das Forças Armadas Art. radiodifusão e televisão. I. não pode estar filiado a partidos políticos. da lei e da ordem. ouvidos os líderes partidários. as seguintes disposições: I . e no art.aplica-se aos militares o disposto no art.restrições relativas à inviolabilidade da correspondência. § 3º Os membros das Forças Armadas são denominados militares. o uso dos uniformes das Forças Armadas. de imediato. III . Cessado o estado de defesa ou o estado de sítio. em tempo de paz. transferido para a reserva. à garantia dos poderes constitucionais e. e.o oficial só perderá o posto e a patente se for julgado indigno do oficialato ou com ele incompatível. Seção III . § 2º Não caberá habeas corpus em relação a punições disciplinares militares.1 Page 14 of 15 Parágrafo único.Disposições Gerais Art. tomar posse em cargo. ficará agregado ao respectivo quadro e somente poderá. sendo depois de dois anos de afastamento. em mensagem ao Congresso Nacional. § 1º Lei complementar estabelecerá as normas gerais a serem adotadas na organização. ser promovido por antigüidade. incisos VIII. sem prejuízo da responsabilidade pelos ilícitos cometidos por seus executores ou agentes. 141. ou de tribunal especial. Parágrafo único. e destinam-se à defesa da Pátria. poderá ser decretado por todo o tempo que perdurar a guerra ou a agressão armada estrangeira. ainda que da administração indireta. 139. enquanto em serviço ativo. desde que liberada pela respectiva Mesa. VIII . juntamente com os demais membros.o militar da ativa que.intervenção nas empresas de serviços públicos. só poderão ser tomadas contra as pessoas as seguintes medidas: I . ao sigilo das comunicações. por prazo superior.requisição de bens. VI . de acordo com a lei. IV . não eletiva. III . no preparo e no emprego das Forças Armadas. nos termos da lei. por sentença transitada em julgado. constituídas pela Marinha.o oficial condenado na justiça comum ou militar à pena privativa de liberdade superior a dois anos. V . relatará os motivos determinantes do pedido. a fim de apreciar o ato. § 3º O Congresso Nacional permanecerá em funcionamento até o término das medidas coercitivas. será submetido ao julgamento previsto no inciso anterior.busca e apreensão em domicílio. XVIII. Parágrafo único. o Presidente da República designará o executor das medidas específicas e as áreas abrangidas.detenção em edifício não destinado a acusados ou condenados por crimes comuns. na forma da lei. 137.o militar. depois de publicado. enquanto permanecer nessa situação. à prestação de informações e à liberdade de imprensa. 142. https://www. 137. § 2º Solicitada autorização para decretar o estado de sítio durante o recesso parlamentar. com relação nominal dos atingidos e indicação das restrições aplicadas. XVII. contínuos ou não. são instituições nacionais permanentes e regulares. da reserva ou reformados. 140. 7º. as medidas aplicadas em sua vigência serão relatadas pelo Presidente da República. Logo que cesse o estado de defesa ou o estado de sítio.ao militar são proibidas a sindicalização e a greve. Na vigência do estado de sítio decretado com fundamento no art. no caso do art. 37. são conferidas pelo Presidente da República e asseguradas em plenitude aos oficiais da ativa. cessarão também seus efeitos. 138. O Presidente da República. VI .o militar em atividade que tomar posse em cargo ou emprego público civil permanente será transferido para a reserva. aplicando-se-lhes.antssoft. o Presidente do Senado Federal. não poderá ser decretado por mais de trinta dias. Art. I. com prerrogativas. sob a autoridade suprema do Presidente da República. A Mesa do Congresso Nacional. pelo Exército e pela Aeronáutica. VII . em tempo de guerra. Não se inclui nas restrições do inciso III a difusão de pronunciamentos de parlamentares efetuados em suas Casas Legislativas. além das que vierem a ser fixadas em lei.obrigação de permanência em localidade determinada. direitos e deveres a elas inerentes. por iniciativa de qualquer destes.as patentes. por decisão de tribunal militar de caráter permanente. organizadas com base na hierarquia e na disciplina. as normas necessárias a sua execução e as garantias constitucionais que ficarão suspensas. Art. Capítulo II . V . XIX e XXV. designará Comissão composta de cinco de seus membros para acompanhar e fiscalizar a execução das medidas referentes ao estado de defesa e ao estado de sítio. devendo o Congresso Nacional decidir por maioria absoluta. nem prorrogado. convocará extraordinariamente o Congresso Nacional para se reunir dentro de cinco dias. O decreto do estado de sítio indicará sua duração. no do inciso II. sendo-lhes privativos os títulos e postos militares e.

IX .htm 23/12/2008 . XIV e XV. alegarem imperativo de consciência. assim como outras infrações cuja prática tenha repercussão interestadual ou internacional e exija repressão uniforme.polícias militares e corpos de bombeiros militares. § 1º Às Forças Armadas compete. organizado e mantido pela União e estruturado em carreira. aos corpos de bombeiros militares.com.apurar infrações penais contra a ordem política e social ou em detrimento de bens. serviços e instalações. entendendo-se como tal o decorrente de crença religiosa e de convicção filosófica ou política. II . A segurança pública.polícia rodoviária federal.exercer. § 9º A remuneração dos servidores policiais integrantes dos órgãos relacionados neste artigo será fixada na forma do § 4º do art. aos Governadores dos Estados. forças auxiliares e reserva do Exército. com exclusividade.polícia federal. 39. órgão permanente. os direitos. na forma da lei. § 1º A polícia federal. sem prejuízo da ação fazendária e de outros órgãos públicos nas respectivas áreas de competência. a estabilidade e outras condições de transferência do militar para a inatividade. além das atribuições definidas em lei. § 3º A polícia ferroviária federal. as prerrogativas e outras situações especiais dos militares. através dos seguintes órgãos: I . do Distrito Federal e dos Territórios. DIREITO CONSTITUCIONAL – Parte II www. atribuir serviço alternativo aos que. órgão permanente. § 8º Os Municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens. aeroportuária e de fronteiras. 144. § 2º As mulheres e os eclesiásticos ficam isentos do serviço militar obrigatório em tempo de paz. § 7º A lei disciplinará a organização e o funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública. serviços e interesses da União ou de suas entidades autárquicas e empresas públicas. em tempo de paz. instituída por lei como órgão permanente. porém. III . na forma da lei. destina-se a: I . sujeitos. direito e responsabilidade de todos. inclusive aquelas cumpridas por força de compromissos internacionais e de guerra. a remuneração. o contrabando e o descaminho.didaticadosconcursos. IV . juntamente com as polícias civis. na forma da lei. ao patrulhamento ostensivo das rodovias federais.prevenir e reprimir o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins. para se eximirem de atividades de caráter essencialmente militar.(Revogado). dever do Estado. organizado e mantido pela União e estruturado em carreira. destina-se.antssoft. § 6º As polícias militares e corpos de bombeiros militares. dirigidas por delegados de polícia de carreira.a lei disporá sobre o ingresso nas Forças Armadas. § 4º Às polícias civis. IV . O serviço militar é obrigatório nos termos da lei. os limites de idade. Capítulo III . os deveres. exceto as militares. III . a outros encargos que a lei lhes atribuir. as funções de polícia judiciária da União. de maneira a garantir a eficiência de suas atividades. é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio. organizado e mantido pela União e estruturado em carreira. Art. V . após alistados. § 5º Às polícias militares cabem a polícia ostensiva e a preservação da ordem pública.Da Segurança Pública Art. 143. XIII.polícias civis. ressalvada a competência da União.1 Page 15 of 15 incisos XI. conforme dispuser a lei. destina-se. II .exercer as funções de polícia marítima. ao patrulhamento ostensivo das ferrovias federais. X . segundo se dispuser em lei.com/4%20direito%20constitucional_depen_parte%20ii. incumbem. as funções de polícia judiciária e a apuração de infrações penais.br https://www. subordinam-se. incumbe a execução de atividades de defesa civil. consideradas as peculiaridades de suas atividades. § 2º A polícia rodoviária federal.polícia ferroviária federal.