M ANU AL E S P E CI AL

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIUIÇÃO
SUBSISTEMAS NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO

CÓDIGO

TÍTULO

E-313.0002

ESTRUTURAS PARA
DISTRIBUIÇÃO

1.

FOLHA

REDES

AÉREAS

CONVÊNCIONAIS

DE

1/120

FINALIDADE
Estabelecer as bases para a montagem de estruturas com o uso de isoladores Pilar, Isolador de
ancoragem polimérica (Bastão) e respectivos acessórios, para redes aéreas de distribuição de
energia elétrica com tensões nominais primárias de 13,8, 23,1 e 34,5 kV de distribuição de
energia elétrica da Celesc Distribuição S.A. doravante denominada de Celesc D.

2.

ÂMBITO DE APLICAÇÃO
Aplicam-se aos Departamentos da Diretoria de Distribuição, Agências Regionais e demais órgãos
usuários.
Esta Especificação aplica-se às redes novas, reformas e ampliações das redes já existentes,
localizadas nas áreas de concessão da Celesc D, obedecidas as Normas da ABNT e legislações
específicas.

3.

ASPECTOS LEGAIS
Os padrões de montagem devem atender aos requisitos mínimos estabelecidos na ABNT NBR
15688 e para trabalhos de construção, operação e manutenção, devem ser obedecidas as
exigências da Norma Regulamentadora nº 10 - Segurança em instalações e serviços em
eletricidade.
Esta Norma poderá, em qualquer tempo, sofrer alterações no todo ou em parte, por razões de
ordem técnica, para melhor atendimento às necessidades do sistema e segurança, motivos pelo
quais os interessados deverão, periodicamente, consultar a Celesc D quanto às eventuais
alterações. Este padrão é válido para redes construídas após a data de publicação desta norma,
redes antigas devem obedecer às normas da Celesc D e ABNT em vigor na época de sua
construção.

PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

4.

FL. 2/120

CONCEITOS BÁSICOS
Para os efeitos deste documento, aplicam-se os termos e definições das ABNT NBR 5460, ABNT
NBR 6547 e ABNT NBR 15688.

5.
5.1.

DISPOSIÇÕES GERAIS
Generalidades
A seleção da topologia de rede de média tensão a ser implementada deve seguir ao determinado
na instrução normativa I-313.0021 – Critérios para Utilização de Redes de Distribuição. Redes
secundárias devem obrigatoriamente ser isoladas conforme a NE-114E.
Para situações regionais especiais não previstas nesta Especificação, tais como áreas com
acentuada presença de substâncias corrosivas e/ou poluidoras poder-se-ão adotar, soluções
próprias até o desenvolvimento das etapas complementares da padronização.
O projeto poderá eventualmente sofrer alterações ou complementar detalhes para atender casos
especiais.
Nesta padronização foram consideradas redes urbanas com condutores nus de alumínio, CA e
CAA, conforme a especificação Celesc D E-313.0018 – Cabos de Alumínio Nu – CA e CAA e
de cobre, CU conforme a especificação Celesc D E-313.0032 – Especificação de Condutores de
Cobre Nu, nas seções indicadas na tabela 1.

Seção (mm2)
Seção
(AWG/MCM)

Tabela 1 - Condutores padrão
Condutores CA para redes urbanas
53,52
67,35
107,41
1/0

2/0

4/0

170,48
336,4

Condutores CAA para redes urbanas
2

Seção (mm )
Seção
(AWG/MCM)
2

Seção (mm )

39,19

62,44

125,09

198,38

2

1/0

4/0

336,4

Condutores CU para redes urbanas/litorâneas
25
35
50

120

PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 3/120

Para os cálculos mecânicos foram considerados:
a)

vão máximo: 80 metros;

b)

Velocidade máxima do vento: 80 km/h;

c)

características dos condutores conforme a tabela 2.

Tabela 2 - Trações de projeto
DADOS DOS CONDUTORES

ITEM
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12

TIPO
1/0 CA
2/0 CA
4/0 CA
336,4 CA
25 CU
35 CU
50 CU
120 CU
2 CAA
1/0 CAA
4/0 CAA
336,4
CAA

SEÇÃO DIÂMETRO PESO
(mm2)
53,52
67,35
107,41
170,48
23,33
34,36
49,48
125,50
39,19
62,44
125,09

(mm)
9,36
10,50
13,26
16,90
6,18
7,50
9,00
14,50
8,01
10,11
14,31

(daN)
0,147
0,185
0,296
0,470
0,212
0,312
0,449
1,138
0,136
0,216
0,433

198,38

18,31

0,688

REDES URBANAS
RUPTUR TRAÇÃO
MÓDULO DILATAÇÃO
PROJETO
A
(daN/mm2)
(m/°C)
(daN)
(daN)
6.000
2,30E-05
884
173
6.000
2,30E-05
1.112
218
6.000
2,30E-05
1.701
348
5.700
2,30E-05
2.727
526
10.890
1,70E-05
837
141
10.890
1,70E-05
1.215
208
10.890
1,70E-05
1.725
299
10.890
1,70E-05
4.414
758
7.900
1,91E-05
1.246
138
7.900
1,91E-05
1.904
193
7.900
1,91E-05
3.644
363
7.400

1,89E-05

6.181

561

As dimensões dos desenhos são em milímetros, salvo indicação em contrário.
No subitem 5.7. desta Especificação estão apresentadas sugestões para instalações de
equipamentos na rede de distribuição em condições normais.
São considerados normais os vãos primários de até 80 metros e secundários de até 40 metros.
Em projetos especiais, admitem-se vãos primários acima de 80 metros, alterando-se o
espaçamento nominal da rede primária para 1 (um) metro, conforme NBR 15688 e secundárias
de até 80 m, alterando-se o espaçamento para 400 milímetros, nestes casos deve ser realizado
estudo de suportabilidade mecânica específica.

PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 4/120

Para a montagem das estruturas a cruzeta de concreto de 2100 milímetros deve ser considera
igual a uma cruzeta de 2000 milímetros, uma vez que a diferença de dimensão se refere ao
reforço lateral da cruzeta e não influencia nas distancias entre os furos.
Onde é indicado cruzetas de aço ou concreto, podem ser utilizadas cruzetas poliméricas,
conforme especificação Celesc D NE-132E ou de madeira de lei conforme especificação Celesc
D E-313.0017 -Cruzetas de Madeira.
5.2.

Exigências

5.2.1.

A altura mínima dos postes utilizados nas redes de média tensão é de 11 metros.

5.2.2.

O poste mínimo a ser utilizado para instalação do transformador é o 12/300 daN (até
75 kVA), demais transformadores devem ser instalados conforme a tabela do Anexo 7.4.

5.2.3.

Postes de concreto circular deverão ser usados em saídas de subestação, em ângulos muito
acentuados, ou em situações especiais. Em situações normais recomenda-se o uso de postes
DT, os postes padronizados encontram-se no Anexo 7.3.

5.2.4.

Estrutura de fim de rede com transformador, além da instalação de para-raios no
transformador, deverá ser precedida de outra estrutura com para-raios.

5.2.5.

Devem ser mantidos os afastamentos mínimos estabelecidos no subitem 5.3.

5.2.6.

Nos casos em que for necessária a mudança de tipo de estrutura vertical, circuito duplo (2P2), para horizontal (dois níveis de cruzeta) deve-se usar estruturas de transferência antes e
depois da mudança.

5.2.7.

Nos casos em que for necessária a mudança de estrutura vertical para horizontal, deve-se
utilizar a estrutura de transferência conforme Figura 20 e iniciar e terminar em estrutura N4
ou N4-1.

5.2.8.

Considerando que o isolador Pilar possui uma resistência a flexão de 400 daN, nos circuitos
horizontais (com cruzeta), não deve ser utilizadas estruturas tipo 2, ou seja, N2, M2 ou B2.

5.2.9.

Nos fins de rede, usar obrigatoriamente as estruturas de ancoragem tipo 3 e as tipo 3-1 para
cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53,52 mm²) e de cobre até 25 mm².

5.2.10.

É imprescindível o uso de para-raios do tipo polimérico de 10 kA. Em redes sem circuito

PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 5/120

secundário, usar no mínimo um conjunto de para-raios a cada 500 metros de rede. Em regiões
com alta densidade de descargas atmosféricas devem ser instalados no mínimo um conjunto
de para-raios a cada 300 metros de rede.
5.2.11.

A estrutura (antiga) N2-3 será substituída pela N4 com uma cruzeta (N4-1) para cabos de
alumínio até 1/0 AWG CAA (53,52 mm²) e de cobre até 25 mm².

5.2.12.

No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53,52 mm²) e de cobre até 25
mm², aplicar estrutura N3, M3 ou B3 com uma cruzeta e estai de cruzeta. As cruzetas deverão
ser de concreto, polimérica ou aço.

5.2.13.

Os isoladores pilar padronizados pela Celesc D são: isolador pilar de porcelana e o isolador
pilar polimérico, conforme E-313.0049 - Isoladores.

5.2.14.

A amarração dos cabos aos isoladores deve ser realizada através de pré-formados, escolhidos
conforme a forma de instalação do isolador e o ângulo que o cabo faz com a estrutura, de
acordo com o subitem 5.10.

5.2.15.

O isolador pilar e de ancoragem padronizados para as redes com tensão nominal de 13,8 e
23,1 kV são os isoladores classe 25kV. Para as redes de 34,5 kV devem ser utilizados os
isoladores padronizados para esta classe de tensão.

5.2.16.

Os afastamentos referentes à faixa de ocupação da estrutura devem atender à instrução I313.0015 – Compartilhamento de Postes.

5.2.17.

O material olhal para parafuso (F-25) realiza a mesma função e pode ser substituído pela
porca-olhal (F-40), acrescentando-se duas arruelas quadradas à lista de material da estrutura
para cada troca. Deve-se observar ainda os parafusos utilizados, quando as duas porcas-olhal
estiverem no mesmo furo do poste DT ou da cruzeta, o parafuso utilizado deve ser de rosca
dupla (F-32).

5.2.18.

Em Estruturas de ancoragem com uma cruzeta (Ex: N3-1), deve ser utilizado olhal para
parafuso (F-25).

5.2.19.

Quando o transformador possuir suporte para-raios fixado no tanque, estes devem ser
instalados direto no mesmo, conforme a figura 1. Nos casos de manutenção, esta prática deve
ser adotada sempre que possível, de forma a melhorar a proteção contra sobretensões nos
transformadores.

PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 6/120

E-29

E-45

Figura 1 - INSTALAÇÃO DE PARA-RAIOS NO TANQUE DO TRANSFORMADOR

PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

3. distribuídos em 7. Não são permitidas construções civis sob as redes de distribuição.3.0002 5.3. convenientemente.2 900 5.800 U≤1 600 800 1. PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. novos loteamentos. para a implantação da rede. Em áreas não edificadas.000 1 < U ≤ 15 800 900 15 < U ≤ 36.5.4. devem ser observados as dimensões do passeio e recuo das edificações nos planos diretores dos municípios. Tabela 3 .2.3. 7/120 Afastamentos Mínimos 5.3. as situações apresentadas na Figura 2. devem ser obedecidos os valores da faixa de segurança. 5.500 1.2 Comunicação 600 1.3. atendendo-se assim aos requisitos de segurança de pessoas e bens. Quando não forem informados os afastamentos mínimos para 24.3.5 metros de cada lado em relação ao eixo da rede.3. FL. permitindo-se apenas o plantio de culturas rasteiras e vedando-se a construção de edificações e assemelhados na referida faixa.07/02/2014 DVEN DPEP . 5. e na área urbana. A largura da faixa de segurança para redes de distribuição rurais é no mínimo 15 metros. Os afastamentos mínimos que constam da Tabela 3 à Tabela 6 e da Figura 2 à Figura 10 são sempre relativos às partes energizadas e não ao ponto de fixação. Figura 3 e Figura 4. encostas.1. 5. devem ser adotados os definidos para 36. Figura 3 e Figura 4.3. 5.2 kV. podem ser aumentados.CÓDIGO: E-313. indicados. 5. dependendo das condições de operação e manutenção da rede. como terrenos baldios.6. Em área rural.7.2 kV. para que a rede projetada futuramente atenda os afastamentos mínimos indicados na Figura 2. DDI Nº 018/2014 .Entre condutores de circuitos diferentes Afastamento mínimo mm Tensão U Tensão U kV kV (circuito inferior) (circuito superior) U≤1 1 < U ≤ 15 15 < U ≤ 36. Os afastamentos mínimos.

000 6.Entre os condutores e o solo Afastamento mínimo mm Tensão U kV Natureza do logradouro Comunicação 1<U≤ e cabos U≤1 36.500 Vias exclusivas de pedestre em áreas 3.000 4. NOTA 3 Em rodovias estaduais.000 Entradas de prédios e demais locais de uso 4. Na falta de regulamentação estadual.2 aterrados Vias exclusivas de pedestre em áreas rurais 3. Tabela 5 . obedecer aos valores da Tabela 4.1 150 230 200 34.000 3.CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 .500 urbanas Locais acessíveis ao trânsito de veículos em 4.500 6.000 6. consultar a ABNT NBR 5422.000 9.000 Ferrovias não eletrificadas e não 6.500 5.Entre condutores de um mesmo circuito Tensão U Afastamento mínimo kV mm U≤1 200 1 < U ≤ 15 500 15 < U ≤ 36.500 5.000 eletrificáveis NOTA 1 Em ferrovias eletrificadas ou eletrificáveis.07/02/2014 DVEN DPEP .2 kV.000 6.2 600 Tabela 6 .8 125 190 170 23.000 restrito a veículos Rodovias federais 7.500 6.000 áreas rurais Locais acessíveis ao trânsito de máquinas e 6.0002 FL.2 kV.000 7. conforme ABNT NBR 14165.Entre partes energizadas à fase ou à terra em pontos fixos Afastamento mínimo Tensão suportável mm Tensão U nominal sob impulso kV atmosférico Fase-fase Fase-terra kV (Valor X) (Valor Y) 13.500 6.5 170 270 230 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.000 equipamentos agrícolas em áreas rurais Ruas e avenidas 5. 8/120 Tabela 4 . a distância mínima do condutor ao boleto dos trilhos é de 12 m para tensões até 36. NOTA 2 Para tensões superiores a 36.000 5.500 4.000 7. recomenda-se que a distância mínima do condutor ao solo atenda à legislação específica do órgão estadual.500 4.

9/120 D D C B a b c Afastamento horizontal e vertical entre os condutores do muro Afastamento vertical entre os condutores e piso da sacada.07/02/2014 DVEN DPEP . terraço ou janela das edificações A A A B B B d e Afastamento horizontal entre os condutores e piso da sacada.CÓDIGO: E-313. terraço e janela das edificações f Afastamento horizontal entre os condutores e parede de edificações Afastamento horizontal entre os condutores e cimalha e telhado de edificações A B Placa ou anúncio g Afastamento horizontal entre os condutores e placas de publicidade Figura nº a b c d e f g Afastamentos mínimos (mm) Primário 13. terraço ou janela das edificações Afastamento vertical entre os condutores e piso da sacada.5 kV A C A C 1 000 3 000 1 200 3 200 1 000 1 200 3 000 3 200 1 500 1 700 1 000 1 200 1 000 1 200 1 500 1 700 - Somente secundário B 500 1 200 1 000 1 000 1 200 D 2 500 500 2 500 - PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0002 C D C A FL.1 e 34. DDI Nº 018/2014 .8 kV 23.

beco. terraço ou janela da figura “d”.Se os afastamentos verticais das figuras “b” e “c” não podem ser mantidos. DDI Nº 018/2014 . exigem-se os afastamentos horizontais da figura ”d”. ou meio beco os valores se mantém. 3 . 4 .CÓDIGO: E-313. porém exige-se o afastamento da figura “e”.Para placas de publicidade utilizar prioritariamente os afastamentos indicados na figura “g”. 10/120 NOTAS: 1 . Para estruturas pilar. No caso de impossibilidades para o atendimento dos mesmos.Os desenhos são ilustrativos. Figura 2 . aplicar os afastamentos da Figura 3 “b” (placas e anúncios). terraços ou janelas for igual ou maior do que as dimensões das figuras “b” e “c”. 2 .Se o afastamento vertical entre os condutores e as sacadas.AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS ENTRE CONDUTORES E EDIFICAÇÕES PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0002 FL. não se exige o afastamento horizontal da borda da sacada.07/02/2014 DVEN DPEP .

Figura 3 .07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. DDI Nº 018/2014 . beco.Os desenhos são ilustrativos.Dimensões em milímetros.CÓDIGO: E-313. ou meio beco os valores se mantém.AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS VERTICAIS PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 11/120 NOTAS: 1 . 2 . Para estruturas pilar.

relógios.07/02/2014 DVEN DPEP . 3. Raio = 2 500 mín. 2 . pontos de taxi.Raio de 2. 12/120 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS 4. as demais devem atender os afastamentos mínimos padronizados. DDI Nº 018/2014 . Out-doors. AFASTAMENTOS MÍNIMOS DE EDIFICAÇÕES SOB AS REDES Figura 4 .Dimensões em milímetros. NOTAS: 1 . inclusive redes de telecomunicações e TV a cabo.As edificações indicadas na figura são somente para aparelhos de uso coletivo como paradas de ônibus. semáforos e radares 500 Limite inferior da faixa de ocupação Rede telefônica CÓDIGO: E-313. entradas de metrô.0002 FL. decorações temporárias.500 mm se aplica a qualquer estrutura.Não é de responsabilidade de Celesc D a instalação e montagem das redes de comunicação (telefônica) Calçada Pontos comerciais Edificações e paradas de ônibus 2 500 mín.Raio = 2 500 mín.

3 . 2 . Figura 5 . DDI Nº 018/2014 .000V consideram condutores nus.AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS ENTRE CONDUTORES DE CIRCUITO DIFERENTES PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 13/120 NOTAS: 1 .CÓDIGO: E-313.0002 FL.Os valores das cotas são para as situações mais desfavoráveis de flecha.Os afastamentos da classe 1.07/02/2014 DVEN DPEP .Dimensões em milímetros.

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS ENTRE CONDUTORES E O SOLO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . DDI Nº 018/2014 .2 kV consultar a NBR-5422. 2 .2 kV 15 kV 1 kV Vias exclusivas Vias exclusivas de pedestre em de pedestre em áreas rurais áreas urbanas Locais acessíveis ao trânsito de veículos em áreas rurais Locais acessíveis Ruas e a o t r â n s i t o d e avenidas máquinas e equipamentos agrícolas em áreas rurais Entrada de prédios e demais locais de uso restrito a veículos Rodovias f ederais 6 000 6 000 9 000 9 000 7 000 7 000 7 000 7 000 4 500 6 000 6 000 4 500 5 000 5 500 6 000 6 000 6 000 6 000 6 000 6 000 6 000 4 500 6 000 4 500 5 500 3 500 5 500 3 000 5 500 4 500 5 500 3 000 Comunicação e cabos aterrados Ferrovias não eletrif icadas ou não eletrificáveis NOTAS: 1 .0002 FL. 4 . conforme ABNT NBR 14165. a distância mínima do condutor ao boleto dos trilhos é de 12 m para as tensões de até 34.Em ferrovias eletrificadas ou eletrificáveis.Os valores indicados pelas cotas são para as condições de flecha máxima (50° C). Figura 6 .CÓDIGO: E-313.Dimensões em milímetros.Para tensões superiores a 36. 14/120 36.5 kV. 3 .

3 .0002 FL.07/02/2014 DVEN DPEP .000 1. Figura 7 .000 1.AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS MÍNIMOS ENTRE REDES NA ESTRUTURA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Dimensões em milímetros.0015 – Compartilhamento de Postes.000 800 900 900 NOTAS: 1 . os valores devem ser mantidos também entre partes energizadas.No caso de cotas mínimas entre diferentes circuitos. independentemente do tipo de estrutura.8 23.CÓDIGO: E-313. 15/120 AFASTAMENTOS MÍNIMOS (mm) TENSÃO kV 13.1 34.000 800 1. 2 .As cotas “c” e “g” referem-se ao afastamento entre circuitos distintos. 4 .5 a b c e g h 305 305 370 700 900 900 800 900 900 800 1. DDI Nº 018/2014 .Os valores referentes à faixa de ocupação constam na instrução I-313.

deve ser utilizada cruzeta de 2. 2 .07/02/2014 DVEN DPEP .AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS DE CHAVES E PARA-RAIOS NO PRIMEIRO NÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. devido a dificuldade de manobra. 4 .Os afastamentos entre equipamentos devem atender em seu ponto mais crítico a Tabela 6. 5 .Dimensões em milímetros.8kV e de 400 mm para redes com tensão nominal de 23.000 mm na montagem normal.1kV e 34. 3 .0002 FL. DDI Nº 018/2014 .400 mm ou modificada a montagem. o uso do cabo 336.4 fica limitado a vãos de 40 metros. considerando as dimensões das partes energizadas das chaves e para-raios. utilizando-se meio-beco ou beco. Figura 8 .Evitar instalação de chave faca em estruturas tipo beco.CÓDIGO: E-313. 16/120 NOTAS: 1 . caso a distância não possa ser mantida nas cruzetas de 2.A distância mínima entre chaves fusíveis é de 300 mm para redes com tensão nominal de 13.Nas estruturas tipo beco.5kV.

Para as montagens de chaves fusíveis na estrutura tipo beco.0002 600 Cruzeta de 2000 mm 600 250 Cruzeta de 2400 mm NOTAS: 1 . 3. utilizar somente cruzetas de 2. 17/120 1 000 250 1 000 1 000 CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 .AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS AFASTAMENTOS DE CHAVES E PARA-RAIOS NO SEGUNDO NÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.450 250 500 250 250 450 500 250 250 250 600 600 250 1 000 1 000 250 1 000 FL.As estruturas apresentadas são orientativas.Dimensões em milímetros. 4 . portanto.07/02/2014 DVEN DPEP . Figura 9 . 2 – As mesmas distâncias mínimas definidas para as chaves fusíveis devem ser consideradas na instalação dos para-raios.400 mm. outras montagens podem ser previstas desde que atendam aos afastamentos mínimos definidos nesta Especificação.

AFASTAMENTOS MÍNIMOS PADRONIZADOS ESTRUTURA HT PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DDI Nº 018/2014 .Dimensões em milímetros. equivalente à estrutura com cruzeta. 18/120 6 000 5000 NOTAS: 1 .07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. Figura 10 . 2 . deve ser respeitado às distancias entre os isoladores (postes).CÓDIGO: E-313.O afastamento entre postes em uma estrutura alternativa “HT” estaiada. sem cruzeta com os isoladores diretamente instalados nos postes.

19/120 Engastamento de Postes Figura 11 .4.0002 5.CÓDIGO: E-313.07/02/2014 DVEN DPEP . DDI Nº 018/2014 . FL.ENGASTAMENTO DO POSTE LOCAÇÃO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

0002 FL.07/02/2014 DVEN DPEP . 20/120 Figura 12 .ENGASTAMENTO DO POSTE ENGASTAMENTO SIMPLES PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 .

0002 FL.ENGASTAMENTO DO POSTE ENGASTAMENTO COM BASE REFORÇADA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 3 . 21/120 NOTAS: 1 . a compactação do terreno deve ser feito em camadas de 200 mm até o fechamento completo da cava. DDI Nº 018/2014 . Figura 13 .Na implantação do poste.Dimensões em milímetros.07/02/2014 DVEN DPEP .A tora de madeira deve ser posicionada no sentido do esforço "F" do tracionamento de poste.CÓDIGO: E-313. 2 . Pode também ser utilizado um pré-moldado de concreto (código Celelsc D – 4784) no lugar da tora de madeira.

2 . 3 .ENGASTAMENTO DO POSTE ENGASTAMENTO COM MANILHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. Figura 14 .0002 FL.A escolha da manilha deve ser de acordo com o diâmetro da base do poste “b” respeitando-se a cota mínima “d” (diâmetro interno da cava). DDI Nº 018/2014 . 22/120 NOTAS: 1 .CÓDIGO: E-313.Na implantação do poste.A base de concreto deve ser tal que não possibilite o escape a areia por baixo da manilha. a compactação da areia deve ser feita em camadas de 200 mm até o fechamento completo da cava.07/02/2014 DVEN DPEP .

CÓDIGO: E-313.0002 FL. 23/120 NOTA: 1 . DDI Nº 018/2014 . Figura 15 .07/02/2014 DVEN DPEP .ENGASTAMENTO DO POSTE CONCRETAGEM DE CAVA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Dimensões em milímetros.

LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.07/02/2014 DVEN DPEP .Em postes circulares fixar uma cinta logo acima das toras de madeira.0002 FL. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.ENGASTAMENTO DO POSTE FUNDAÇÃO EM PÂNTANO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. Observação: É conveniente reforçar o fundo da cava c/ sapata de madeira.CÓDIGO: E-313. 24/120 NOTAS: 1 . A-02 16 ARRUELA QUADRADA S-08 04 F-30 08 PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA DESCRIÇÃO TORA DE MADEIRA PRESERVADA Figura 16 .Dimensões em milímetros. DDI Nº 018/2014 . 2 .

característica do terreno C=2. COMP.040 1. ENGAST.0 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.1 1.0 410 0. DO Nominal do POSTE L POSTE (m) (daN) 10 11 12 13 150 300 600 1.0 380 0.2 x 1.CÓDIGO: E-313. DA CAVA ENGAST.2 x 1.400 1.5 1.0 410 0. (daN) 160 240 240 270 280 280 320 320 320 350 370 400 440 REFORÇADO RESIST.200 2. ES ENGAST.2 x 1.2 x 1.0 520 0.2 x 1. Ø MÍNIMO MÁX.1 1.0002 FL.0 380 0.2 x 1.5 990 1.07/02/2014 DVEN DPEP . Tabela 7 – Resistencia de engastamento. para poste de seção DT.000 300 600 1.0 420 0.0 500 0.2 x 1. DDI Nº 018/2014 . (m) (daN) 910 1.500 SIMPLES RESIST.5 2.540 1.0 450 0.000 1. 25/120 Na Tabela 7 indicamos as resistências de engastamento do terreno com característica igual C=2.2 x 1.0 350 0.2 x 1.0 470 0. ESCORA (daN) (m) 350 0. DIMENSÕ MÁX.0 CONCRETADO RESIST. MÁX.5 950 1.440 1.2 x 1.000 600 1.1 1.0 420 0.000 300 600 1.000 daN/m3 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT RESIST.1 1.000 daN/m3.490 1.2 x 1.2 x 1.

ESTRUTURAS BÁSICAS SIMBOLOGIA BÁSICA PRIMÁRIO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.CÓDIGO: E-313. 26/120 Estruturas para Rede Primária NOTA: 1 .0002 5. Figura 17 .07/02/2014 DVEN DPEP .5. FL.Os afastamentos mínimos estão indicados no padrão de montagem. DDI Nº 018/2014 .

0002 FL. M3.CÓDIGO: E-313. usar estrutura N3 com 1 cruzeta. DDI Nº 018/2014 . Figura 18 . M3-1. M4 e B4 com 01(uma) cruzeta passam a ser denominados como: N3-1.ESTRUTURAS BÁSICAS SIMBOLOGIA BÁSICA PRIMÁRIO – CRUZETAS DE 2.As estruturas N3. B3. N4-1. 2 .000 mm E 2. aplicar uma única cruzeta nas estruturas N3. M4-1 e B4-1 respectivamente. B3-1. M4 e B4. 4 – Dimensões em milímetros. N4. N4. 3 .Quando for usado cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.52 mm²) e de cobre até 25mm².Nos fins de ramais com tração reduzida e a aplicação de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.52 mm²) e de cobre até 25mm².100 mm PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. M3. 27/120 NOTAS: 1 .07/02/2014 DVEN DPEP .

usar estrutura N3 com 01 (uma) cruzeta. 2 . Figura 19 .52 mm²) e de cobre até 25mm².As estruturas N3. M3-1. B3 e B4.400 mm PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. M4 e B4 com 01 (uma) cruzeta passam a ser denominados como: N3-1. M4.CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 . M3. 28/120 NOTAS: 1 .Quando for usado cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. M3. 3 . aplicar uma única cruzeta nas estruturas N3. N4.07/02/2014 DVEN DPEP .ESTRUTURAS BÁSICAS SIMBOLOGIA BÁSICA PRIMÁRIO – CRUZETAS DE 2. B3.Nos fins de ramais com tração reduzida e a aplicação de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.0002 FL. M4-1 e B4-1 respectivamente. N4.52 mm²) e de cobre até 25mm². N4-1. B3-1. 4 – Dimensões em milímetros.

DDI Nº 018/2014 .CÓDIGO: E-313.Distância mínima entre condutores fases de mesmo circuito: 600 mm. Figura 20 . 3 .Distância mínima entre condutores de circuitos diferentes: 1.52 mm²) e de cobre até 25mm² aplicar N4-1 (uma cruzeta). 2 .0002 FL.Para cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. 29/120 NOTAS: 1 .000 mm.07/02/2014 DVEN DPEP .ESTRUTURAS BÁSICAS ESTRUTURAS DE TRANSFERÊNCIA (CIRCUITO VERTICAL P/ HORIZONTAL OU VICEVERSA) PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DESCRIÇÃO ITEM POSTE DE CONCRETO P-02 01 I-05 DE SEÇÃO DT PINO P/ ISOLADOR F-38 01 PILAR QUANT.CÓDIGO: E-313. Para ângulos superiores a 20°.A estrutura UP1 é aplicada em tangentes podendo também ser empregada em ângulos de até 60°.0002 5. FL.6. DDI Nº 018/2014 . o condutor deve ser amarrado no topo do isolador conforme Figura 82. 30/120 Montagem de Estruturas NOTAS: 1 . alternativa 1.Dimensões em milímetros. DESCRIÇÃO 01 ISOLADOR PILAR Figura 21 – MONTAGENS ESTRUTURA UP1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . 2 .

MONTAGENS ESTRUTURA UP3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.A estrutura UP3 é aplicada em fins de linha e derivações. I-06 01 ISOLADOR TIPO BASTÃO 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT F-25 01 OLHAL P/ PARAFUSO P-02 F-30 01 PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA Figura 22 .Dimensões em milímetros. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DDI Nº 018/2014 .0002 FL. 2 . 31/120 NOTAS: 1 . DESCRIÇÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE 01 DISTR.07/02/2014 DVEN DPEP . DESCRIÇÃO ARRUELA A-02 01 QUADRADA MANILHA F-22 01 SAPATILHA ITEM M-01 QUANT.CÓDIGO: E-313.

DESCRIÇÃO I-06 01 F-22 01 MANILHA SAPATILHA M-01 01 F-25 01 OLHAL P/ PARAFUSO M-14 01 F-30 01 F-38 01 I-05 01 ISOLADOR TIPO BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR. 01 ARRUELA QUADRADA ITEM QUANT. LISTA DE MATERIAL ITEM A-02 DESCRIÇÃO QUANT.07/02/2014 DVEN DPEP . LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO PARAFUSO DE CABEÇA O-01 01 QUADRADA PINO P/ ISOLADOR P-02 01 PILAR ISOLADOR PILAR Figura 23 – MONTAGENS ESTRUTURA UP3-1 CONECTOR CUNHA POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 2 .CÓDIGO: E-313.Dimensões em milímetros. 32/120 NOTAS: 1 . DDI Nº 018/2014 .0002 FL.A estrutura UP3 é empregada em mudança de seção e instalação de chaves.

33/120 NOTAS: 1 .A estrutura UP3 é empregada em ÂNGULOS MAIORES QUE 60°. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DESCRIÇÃO ARRUELA A-02 02 I-06 02 ISOLADOR TIPO BASTÃO QUADRADA MANILHA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 02 M-01 02 SAPATILHA DISTR.CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 . DESCRIÇÃO ITEM QUANT. 2 .Dimensões em milímetros.07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. POSTE DE CONCRETO DE F-25 02 OLHAL P/ PARAFUSO P-02 01 SEÇÃO DT PARAFUSO DE F-30 02 CABEÇA QUADRADA Figura 24 – MONTAGENS ESTRUTURA UP3-UP3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 34/120

NOTAS:
1 - A estrutura UP4 é empregada em ancoragens de rede e mudança de seção do condutor;
3 - Dimensões em milímetros.
LISTA DE MATERIAL
ITEM QUANT. DESCRIÇÃO
ITEM QUANT. DESCRIÇÃO
F-22
02
MANILHA SAPATILHA
I-06
02
ISOLADOR TIPO BASTÃO
ALÇA PRÉ-FORMADA DE
F-25
02
OLHAL P/ PARAFUSO
M-01
02
DISTR.
PARAFUSO CABEÇA
LAÇO PRÉ-FORMADO DE
F-30
01
M-14
01
QUADRADA
TOPO
POSTE DE CONCRETO DE
F-38
01
PINO P/ ISOLADOR PILAR P-02
01
SEÇÃO DT
I-05
01
ISOLADOR PILAR
Figura 25 – MONTAGENS
ESTRUTURA UP4
PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 35/120

NOTAS:
1 - A estrutura P1 é empregada em tangente, podendo também ser aplicada em ângulos até 30°;
2 - Altura do poste a ser definido no projeto observando os critérios de distância mínima: topografia e futura
expansão da rede;
3 - Caso em que o cabo aplica um esforço de arrancamento do isolador, em ângulo compreendido entre 15° e
30°, usar duas alças pré-formadas no pescoço do isolador;
4 - Acima de 30°, usar P4;
5 – A estrutura P1 deve ser aplicada em redes rurais ou alimentadores onde não há previsão de construção de um
novo circuito, onde haver previsão de expansão a estrutura alternativa é a P2;
6 - Dimensões em milímetros.
LISTA DE MATERIAL
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
POSTE DE CONCRETO DE
P-02
01
I-05
03
ISOLADOR PILAR
SEÇÃO DT
F-38
03
PINO P/ ISOLADOR PILAR
M-14
03
LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO
Figura 26 - MONTAGENS
ESTRUTURA P1
PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 36/120

NOTAS:
1 - A estrutura P2 pode ser aplicada em ângulo horizontal de até 60°. Para ângulo superior a 15°, a amarração
deve ser feita no topo do isolador;
2 - Caso em que o cabo aplica um esforço de arrancamento do isolador, em ângulo compreendido entre 15° e
60°, usar duas alças no pescoço do isolador;
3 - Para vãos acima de 80 metros a distância entre fases deve ser aumentada para 1.000mm;
4 - Onde é prevista a ampliação da rede (P2 para 2P2) com construção de um novo circuito, deve ser instalada a
estrutura P2 com suporte na base do isolador, conforme Figura 31;
5 - Dimensões em milímetros.
LISTA DE MATERIAL
ITEM QUANT. DESCRIÇÃO
POSTE DE CONCRETO DE
P-02
01
SEÇÃO DT
F-38
03
PINO P/ ISOLADOR PILAR

ITEM QUANT.

DESCRIÇÃO

I-05

03

ISOLADOR PILAR

M-14

03

LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO

Figura 27 – MONTAGENS
ESTRUTURA P2
PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

A-02 03 ARRUELA QUADRADA M-01 03 F-22 03 MANILHA SAPATILHA I-06 03 F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO P-02 01 F-30 03 PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA DESCRIÇÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.Dimensões em milímetros.MONTAGENS ESTRUTURA P3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 2 .07/02/2014 DVEN DPEP . LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.CÓDIGO: E-313.0002 FL. DDI Nº 018/2014 . 37/120 NOTAS: 1 .A estrutura P3 é aplicada em fim de rede. ISOLADOR TIPO BASTÃO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT Figura 28 .

A estrutura P4 é geralmente aplicada para ancoragem.MONTAGENS ESTRUTURA P4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0002 FL.Para ângulo maior que 15°. PARAFUSO DE CABEÇA F-30 03 M-14 03 LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO QUADRADA POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO F-38 03 PINO P/ ISOLADOR PILAR P-02 01 DT I-05 03 ISOLADOR PILAR Figura 29 .Dimensões em milímetros.Para seção até 2 AWG. usar olhal para parafuso ou porca-olhal na posição horizontal. ângulo até 60° e instalação de chave fusível e chave faca. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. encabeçar diretamente no isolador pilar. 2 . DDI Nº 018/2014 .CÓDIGO: E-313. 3 . DESCRIÇÃO ITEM QUANT. DESCRIÇÃO F-22 06 MANILHA SAPATILHA I-06 06 ISOLADOR TIPO BASTÃO F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 06 ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR. 4 . 38/120 NOTAS: 1 .07/02/2014 DVEN DPEP .

2 .CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 .A estrutura TP é aplicada em tangente. podendo também ser aplicada em ângulo horizontal de até 20°. 39/120 NOTAS: 1 . LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DESCRIÇÃO A-02 02 ARRUELA QUADRADA PARAFUSO DE CABEÇA F-30 04 QUADRADA PINO P/ ISOLADOR F-38 03 PILAR I-05 03 ISOLADOR PILAR ITEM QUANT. DESCRIÇÃO F-51 01 SUPORTE VERTICAL F-52 02 M-14 03 P-02 01 SUPORTE HORIZONTAL LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT Figura 30 .Dimensões em milímetros.0002 FL.MONTAGENS ESTRUTURA TP PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP .

2 .CÓDIGO: E-313.Caso em que o cabo aplica um esforço de arrancamento do isolador.07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. DESCRIÇÃO PARAFUSO DE F-30 06 CABEÇA QUADRADA PINO P/ ISOLADOR F-38 06 PILAR SUPORTE F-52 06 HORIZONTAL ITEM QUANT. 40/120 NOTAS: 1 . em ângulo compreendido entre 15° e 30°.Dimensões em milímetros.MONTAGENS ESTRUTURA 2-P2 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DDI Nº 018/2014 . DESCRIÇÃO I-05 06 M-14 06 P-02 01 ISOLADOR PILAR LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT Figura 31 . usar duas alças pré-formadas no pescoço do isolador.A estrutura 2-P2 é aplicada para circuitos duplos. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. 3 .

DESCRIÇÃO A-02 03 ARRUELA QUADRADA I-05 09 ISOLADOR PILAR F-22 03 MANILHA SAPATILHA I-06 03 ISOLADOR TIPO BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 03 DISTR.A derivação não deve estar em uma altura superior à do tronco.0002 FL. PARAFUSO DE CABEÇA LAÇO PRÉ-FORMADO DE F-30 09 M-14 09 QUADRADA TOPO F-38 09 PINO P/ ISOLADOR PILAR O-01 03 CONECTOR CUNHA POSTE DE CONCRETO DE F-52 06 SUPORTE HORIZONTAL P-02 01 SEÇÃO DT Figura 32 – MONTAGENS ESTRUTURA 2-P2-P3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 2 .Dimensões em milímetros.07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT DESCRIÇÃO ITEM QUANT. DDI Nº 018/2014 . 41/120 NOTAS: 1 .

ângulo (entre 20° e 60°). 42/120 NOTAS: 1 . usar olhal para parafuso na posição horizontal.A estrutura 2-P4 é aplicada em ancoragem.200mm.0002 FL.MONTAGENS ESTRUTURA 2-P4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 2 . DESCRIÇÃO 12 ARRUELA QUADRADA I-06 12 ISOLADOR TIPO BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE 12 MANILHA SAPATILHA M-01 12 DISTR. 3 . 12 OLHAL P/ PARAFUSO R-04 03 CRUZETA DE CONCRETO PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO DE 12 P-02 01 QUADRADA SEÇÃO DT Figura 33 . ou instalação de chaves-faca ou fusível.Para ângulo maior que 20°.CÓDIGO: E-313.Dimensões em milímetros ITEM A-02 F-22 F-25 F-30 LISTA DE MATERIAL QUANT. aplicar cruzetas de 2.Na ausência da cruzeta de concreto R-04 de 1.07/02/2014 DVEN DPEP . quando houver mudança de seção. posicionando os isoladores de ancoragem a no máximo a 450 mm das extremidades.000 mm com mão francesa perfilada. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. DDI Nº 018/2014 . 4 .

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 43/120

NOTAS:
1 – A estrutura P2-P3 e aplicada em Fly-tap ou derivação;
2 - Dimensões em milímetros.
LISTA DE MATERIAL
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
A-02
03
ARRUELA QUADRADA
I-06
03
ISOLADOR TIPO BASTÃO
F-22
03
MANILHA SAPATILHA
O-01
03
CONECTOR CUNHA
ALÇA PRÉ-FORMADA DE
F-25
03
OLHAL P/ PARAFUSO
M-01
03
DISTR.
PARAFUSO DE CABEÇA
LAÇO PRÉ-FORMADO
F-30
03
M-15
03
QUADRADA
LATERAL
PINO P/ ISOLADOR
POSTE DE CONCRETO DE
F-38
03
P-02
01
PILAR
SEÇÃO DT
I-05
03
ISOLADOR PILAR
Figura 34 – MONTAGENS
ESTRUTURA P2-P3
PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 44/120

NOTAS:
1 - A estrutura P3-P3 é aplicada em ângulo maior que 60°;
2 - Dimensões em milímetros.
LISTA DE MATERIAL
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
A-02
06
ARRUELA QUADRADA
M-01
06
ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR.
F-22
06
MANILHA SAPATILHA
I-06
06
ISOLADOR TIPO BASTÃO
POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO
F-25
06
OLHAL P/ PARAFUSO
P-02
01
DT
PARAFUSO DE CABEÇA
F-30
06
QUADRADA

Figura 35 - MONTAGENS
ESTRUTURA P3-P3
PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

CÓDIGO: E-313.0002

FL. 45/120

NOTAS:
1 - A estrutura 2-P3-P3 é aplicada em ancoragem de circuito duplo e derivação;
2 - Para ângulo compreendido entre 15° e 70°, usar olhal para parafuso na posição horizontal;
3 - Na ausência da cruzeta de concreto R-04 de 1.200 mm, aplicar cruzetas de 2.000 mm com mão
francesa perfilada, posicionando os isoladores de ancoragem a no máximo a 450 mm das extremidades;
4 - Dimensões em milímetros

LISTA DE MATERIAL
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
ITEM QUANT.
DESCRIÇÃO
A-02
36
ARRUELA QUADRADA
I-06
12
ISOLADOR TIPO BASTÃO
ALÇA PRÉ-FORMADA DE
F-22
12
MANILHA SAPATILHA
M-01
12
DISTR.
POSTE DE CONCRETO DE
F-25
12
OLHAL P/ PARAFUSO
P-02
01
SEÇÃO DT
PARAFUSO DE CABEÇA
F-30
24
R-04
06
CRUZETA DE CONCRETO
QUADRADA
Figura 36 - MONTAGENS
ESTRUTURA 2-P3-P3
PADRONIZAÇÃO

APROVAÇÃO

ELABORAÇÃO

VISTO

DVCI

RES. DDI Nº 018/2014 - 07/02/2014

DVEN

DPEP

0002 FL. No caso da utilização em ângulo.07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.52 mm²) e de cobre até 25 mm². 46/120 NOTAS: 1 .100 PARAFUSO DE CABEÇA F-31 02 OU 01 mm OU CRUZETA DE AÇO 2.Dimensões em milímetros. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. a instalação dos condutores nos isoladores deverá ser feita lateralmente utilizando amarração apropriada. DESCRIÇÃO SELA P/ CRUZETA OU ISOLADOR A-02 02 ARRUELA QUADRADA F-45 01 PILAR CINTA P/ POSTE DE CONR. 0° a 55° para os cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.000 ABAULADA R-02 mm F-38 03 PINO P/ ISOLADOR PILAR Figura 37 .A estrutura N1 é aplicada em tangentes. 2 . LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. F-10 02 I-05 03 ISOLADOR PILAR CIRCULAR MÃO FRANCESA F-19 01 M-14 03 LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO PERFILADA POSTE DE CONCRETO P-01 01 PARAFUSO DE CABEÇA CIRCULAR F-30 01 QUADRADA R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2. para cabos acima até o limite do 336. podendo também ser empregada em ângulos.4 MCM CAA utilizar ângulos de 0° até 40°. DDI Nº 018/2014 .MONTAGENS ESTRUTURA N1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

07/02/2014 DVEN DPEP . 0° a 55° para os cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.A estrutura N1 é aplicada em tangentes.Dimensões em milímetros.100mm OU CRUZETA DE AÇO 2. No caso da utilização em ângulo. a instalação dos condutores nos isoladores deverá ser feita lateralmente utilizando amarração apropriada.4 MCM CAA utilizar ângulos de 0° até 40°. podendo também ser empregada em ângulos. DDI Nº 018/2014 .52 mm²) e de cobre até 25mm². 47/120 NOTAS: 1 .CÓDIGO: E-313.000mm PINO P/ ISOLADOR PILAR Figura 38 – MONTAGENS ESTRUTURA N1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. para cabos acima até o limite do 336. 2 . A-02 04 ARRUELA QUADRADA I-05 03 M-14 03 MÃO FRANCESA F-19 01 PERFILADA P-02 01 F-30 03 F-38 03 PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA R-01 OU R-02 01 DESCRIÇÃO ISOLADOR PILAR LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO 2. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.0002 FL.

000 PARAFUSO DE CABEÇA R-02 mm F-31 04 ABAULADA Figura 39 – MONTAGENS ESTRUTURA N3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.100 QUADRADA OU 02 mm OU CRUZETA DE AÇO 2.0002 FL.07/02/2014 DVEN DPEP . 2 .CÓDIGO: E-313. 48/120 NOTAS: 1 . aplicar a estrutura N3-1 com somente uma cruzeta. F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO P-01 01 POSTE DE CONCRETO CIRCULAR PARAFUSO DE CABEÇA F-30 02 R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2. 3 .A estrutura N3 é usualmente aplicada em fim de rede.52 mm²) e de cobre até 25mm².No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. DDI Nº 018/2014 .Dimensões em milímetros.52 mm2. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DESCRIÇÃO A-02 09 ARRUELA QUADRADA F-32 02 PARAFUSO DE ROSCA DUPLA CINTA P/ POSTE DE CONR. SELA P/ CRUZETA OU ISOLADOR F-10 02 F-45 02 CIRCULAR PILAR MÃO FRANCESA F-19 02 I-06 03 ISOLADOR BASTÃO PERFILADA F-22 03 MANILHA SAPATILHA M-01 03 ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. cabos inferiores a esta seção podem utilizar a estrutura equivalente com isolador pilar. para cabos acima da seção de 53.

3 . 2 .0002 FL.Dimensões em milímetros.07/02/2014 DVEN DPEP .100 PARAFUSO DE CABEÇA F-30 04 OU 02 mm OU CRUZETA DE AÇO 2. DESCRIÇÃO A-02 09 ARRUELA QUADRADA F-32 02 PARAFUSO DE ROSCA DUPLA MÃO FRANCESA F-19 02 I-06 03 ISOLADOR BASTÃO PERFILADA F-22 03 MANILHA SAPATILHA M-01 03 ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR.No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.CÓDIGO: E-313.52 mm2.000 QUADRADA R-02 mm Figura 40 – MONTAGENS ESTRUTURA N3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. para cabos acima da seção de 53. DDI Nº 018/2014 . POSTE DE CONCRETO DE F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO P-02 01 SEÇÃO DT R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. aplicar a estrutura N3-1 com somente uma cruzeta. cabos inferiores a esta seção podem utilizar a estrutura equivalente com isolador pilar.A estrutura N3 é usualmente aplicada em fim de rede. 49/120 NOTAS: 1 .52 mm²) e de cobre até 25mm².

4 . DDI Nº 018/2014 . PARAFUSO DE CABEÇA LAÇO PRÉ-FORMADO DE F-30 02 M-14 01 QUADRADA TOPO PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO F-31 04 P-01 01 ABAULADA CIRCULAR R-01 CRUZETA DE CONCRETO F-32 02 PARAFUSO DE ROSCA DUPLA OU 02 2. 50/120 NOTAS: 1 . DESCRIÇÃO A-02 06 ARRUELA QUADRADA F-38 01 PINO P/ ISOLADOR PILAR CINTA P/ POSTE DE CONR. SELA P/ CRUZETA OU F-10 02 F-45 02 CIRCULAR ISOLADOR PILAR F-19 02 MÃO FRANCESA PERFILADA I-05 01 ISOLADOR PILAR F-22 06 MANILHA SAPATILHA I-06 06 ISOLADOR BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 06 DISTR.52 mm2 (1/0 AWG CAA).A instalação dos isoladores nas fases das laterais deve ser realizada em circuitos duplos e em montagens onde se deseja aumentar o afastamento até o nível inferior ou rede secundária.Ancoragem da rede a cada ± 800 m.Dimensões em milímetros.100mmOU R-02 CRUZETA DE AÇO 2.A estrutura N4 é geralmente aplicada quando houver mudança de seção ou ambos os condutores forem de alumínio superiores ao limite de 53.07/02/2014 DVEN DPEP . 2 . 3 .000mm Figura 41 – MONTAGENS ESTRUTURA N4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.CÓDIGO: E-313. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.0002 FL. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.

Ancoragem da rede a cada ±800 m. LAÇO PRÉ-FORMADO DE F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-14 01 TOPO PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO F-30 04 P-02 01 QUADRADA SEÇÃO DT PARAFUSO DE ROSCA R-01 CRUZETA DE CONCRETO F-32 02 DUPLA OU 02 2.Dimensões em milímetros.000mm F-38 01 PINO P/ ISOLADOR PILAR Figura 42 – MONTAGENS ESTRUTURA N4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.A estrutura N4 é geralmente aplicada quando houver mudança de seção ou ambos os condutores forem de alumínio superiores ao limite de 53.100mm OU CRUZETA DE R-02 AÇO 2.CÓDIGO: E-313. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DESCRIÇÃO A-02 06 ARRUELA I-05 01 ISOLADOR PILAR MÃO FRANCESA F-19 02 I-06 06 ISOLADOR BASTÃO PERFILADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 06 MANILHA SAPATILHA M-01 06 DISTR. 51/120 NOTAS: 1 .A instalação dos isoladores nas fases das laterais deve ser realizada em circuitos duplos e em montagens onde se deseja aumentar o afastamento até o nível inferior ou rede secundária.52 mm2 (1/0 AWG CAA). 2 .07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. 4 . DDI Nº 018/2014 . 3 .

100 PARAFUSO DE CABEÇA F-31 02 OU 01 mm OU CRUZETA DE AÇO 2.MONTAGENS ESTRUTURA M1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DDI Nº 018/2014 . a instalação dos condutores nos isoladores deverá ser feita lateralmente utilizando amarração apropriada.A estrutura M1 é aplicada em tangentes. 52/120 NOTAS: 1 .A aplicação desta estrutura dar-se-á quando as condições de campo não forem preenchidas pela estrutura normal (N).CÓDIGO: E-313. 3 .0002 FL. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. CIRCULAR MÃO FRANCESA F-19 01 M-14 03 LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO PERFILADA PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO F-30 01 P-01 01 QUADRADA CIRCULAR R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2. para cabos acima até o limite do 336. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. podendo também ser empregada em ângulos.4 MCM CAA utilizar ângulos de 0° até 40°.000 ABAULADA R-02 mm F-38 03 PINO P/ ISOLADOR PILAR Figura 43 . DESCRIÇÃO SELA P/ CRUZETA OU A-02 02 ARRUELA QUADRADA F-45 01 ISOLADOR PILAR CINTA P/ POSTE DE F-10 02 I-05 03 ISOLADOR PILAR CONR.Dimensões em milímetros. 2 .52 mm²) e de cobre até 25 mm². 0° a 55° para os cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. No caso da utilização em ângulo.07/02/2014 DVEN DPEP .

para cabos acima até o limite do 336.100mm F-38 03 PINO P/ ISOLADOR PILAR OU 01 OU R-02 CRUZETA DE AÇO 2.000mm Figura 44 – MONTAGENS ESTRUTURA M1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.A aplicação desta estrutura dar-se-á quando as condições de campo não forem preenchidas pela estrutura normal (N). 2 . podendo também ser empregada em ângulos.52 mm²) e de cobre até 25 mm². 0° a 55° para os cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.07/02/2014 DVEN DPEP .4 MCM CAA utilizar ângulos de 0° até 40°. DDI Nº 018/2014 . a instalação dos condutores nos isoladores deverá ser feita lateralmente utilizando amarração apropriada.A estrutura M1 é aplicada em tangentes. 53/120 NOTAS: 1 .Dimensões em milímetros.0002 FL. No caso da utilização em ângulo. 3 . DESCRIÇÃO ITEM QUANT.CÓDIGO: E-313. DESCRIÇÃO A-02 04 ARRUELA QUADRADA I-05 03 ISOLADOR PILAR MÃO FRANCESA F-19 01 M-14 03 LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO PERFILADA PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO SEÇÃO F-30 03 P-02 01 QUADRADA DT CRUZETA DE CONCRETO R-01 2. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.

A aplicação desta estrutura dar-se-á quando as condições de campo não forem preenchidas pela estrutura normal (N). aplicar a estrutura M3-1 com somente uma cruzeta.0002 FL. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DDI Nº 018/2014 . para cabos acima da seção de 53. cabos inferiores a esta seção podem utilizar a estrutura equivalente com isolador pilar.100 PARAFUSO DE CABEÇA F-30 02 OU 02 mm OU CRUZETA DE AÇO QUADRADA R-02 2. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. F-22 03 MANILHA SAPATILHA I-06 03 ISOLADOR BASTÃO POSTE DE CONCRETO F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO P-01 01 CIRCULAR R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2. 54/120 NOTAS: 1 .No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. 4 .CÓDIGO: E-313. 2 .Dimensões em milímetros. 3 .52 mm2.07/02/2014 DVEN DPEP . DESCRIÇÃO PARAFUSO DE CABEÇA A-02 13 ARRUELA QUADRADA F-31 04 ABAULADA CINTA P/ POSTE DE F-10 02 F-32 03 PARAFUSO DE ROSCA DUPLA CONCR.52 mm²) e de cobre até 25mm².A estrutura M3 é usualmente aplicada em fim de rede.000 mm Figura 45 – MONTAGENS ESTRUTURA M3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. CIRCULAR MÃO FRANCESA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-19 02 M-01 03 PERFILADA DISTR.

POSTE DE CONCRETO DE F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO P-02 01 SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO R-01 PARAFUSO DE CABEÇA 2. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.A aplicação desta estrutura dar-se-á quando as condições de campo não forem preenchidas pela estrutura normal (N). DDI Nº 018/2014 .52 mm²) e de cobre até 25mm². DESCRIÇÃO PARAFUSO DE ROSCA A-02 13 ARRUELA QUADRADA F-32 03 DUPLA MÃO FRANCESA F-19 02 I-06 03 ISOLADOR BASTÃO PERFILADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 03 MANILHA SAPATILHA M-01 03 DISTR.No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.Dimensões em milímetros.52 mm2. 55/120 NOTAS: 1 .000 mm Figura 46 – MONTAGENS ESTRUTURA M3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . aplicar a estrutura M3-1 com somente uma cruzeta. cabos inferiores a esta seção podem utilizar a estrutura equivalente com isolador pilar. 4 .CÓDIGO: E-313.A estrutura M3 é usualmente aplicada em fim de rede. 3 . para cabos acima da seção de 53. 2 .0002 FL.100 mm F-30 07 OU 02 QUADRADA OU R-02 CRUZETA DE AÇO 2.

100mm F-32 03 OU R02 DUPLA OU 02 CRUZETA DE AÇO 2. CIRCULAR ISOLADOR PILAR MÃO FRANCESA F-19 02 I-05 02 ISOLADOR PILAR PERFILADA F-22 06 MANILHA SAPATILHA I-06 06 ISOLADOR BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 06 DISTR. 56/120 NOTAS: 1 . DDI Nº 018/2014 .A estrutura M4 é geralmente aplicada quando há mudança de seção ou ambos os condutores de alumínio forem superiores ao limite de 53.000mm Figura 47 .CÓDIGO: E-313.MONTAGENS ESTRUTURA M4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 3 .52mm2 (1/0 AWG CAA). PARAFUSO DE CABEÇA LAÇO PRÉ-FORMADO DE F-30 02 M-14 02 QUADRADA TOPO PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO F-31 04 P-01 01 ABAULADA CIRCULAR CRUZETA DE CONCRETO R-01 PARAFUSO DE ROSCA 2. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.Dimensões em milímetros.07/02/2014 DVEN DPEP .A instalação do isolador pilar na fase indicada deve ser realizada em circuitos duplos e em montagens onde se deseja aumentar o afastamento até o nível inferior ou rede secundária. 2 .0002 FL. DESCRIÇÃO A-02 10 ARRUELA QUADRADA F-38 02 PINO P/ ISOLADOR PILAR CINTA P/ POSTE DE SELA P/ CRUZETA OU F-10 02 F-45 02 CONCR.

A instalação do isolador pilar na fase indicada deve ser realizada em circuitos duplos e em montagens onde se deseja aumentar o afastamento até o nível inferior ou rede secundária.000mm R-02 F-38 02 PINO P/ ISOLADOR PILAR Figura 48 – MONTAGENS ESTRUTURA M4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP .52 mm2 (1/0 AWG CAA). LAÇO PRÉ-FORMADO DE F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-14 02 TOPO PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO DE F-30 04 P-02 01 QUADRADA SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO PARAFUSO DE ROSCA 2.100mm R-01 F-32 03 02 DUPLA OU OU CRUZETA DE AÇO 2.0002 FL. 2 . LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.A estrutura M4 é geralmente aplicada quando há mudança de seção ou ambos os condutores de alumínio forem superiores ao limite de 53.Dimensões em milímetros. 3 .CÓDIGO: E-313. DESCRIÇÃO A-02 10 ARRUELA QUADRADA I-05 02 ISOLADOR PILAR MÃO FRANCESA F-19 02 I-06 06 ISOLADOR BASTÃO PERFILADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 06 MANILHA SAPATILHA M-01 06 DISTR. DDI Nº 018/2014 . 57/120 NOTAS: 1 . DESCRIÇÃO ITEM QUANT.

CÓDIGO: E-313. edificações.07/02/2014 DVEN DPEP . 58/120 NOTAS: 1 . 2 .Esta estrutura é adequada para quando houver necessidade de se afastar os condutores das sacadas.Dimensões em milímetros. a instalação dos condutores nos isoladores deverá ser feita lateralmente utilizando amarração apropriada.4 MCM CAA utilizar ângulos de 0° até 40°. DDI Nº 018/2014 .MONTAGENS ESTRUTURA B1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.000 mm PINO P/ ISOLADOR PILAR Figura 49 . ARRUELA QUADRADA CINTA P/ POSTE DE CONCR. para cabos acima até o limite do 336.0002 FL. CIRCULAR MÃO FRANCESA PERFILADA PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA PARAFUSO DE CABEÇA ABAULADA DESCRIÇÃO SELA P/ CRUZETA OU ISOLADOR PILAR F-45 01 I-05 03 ISOLADOR PILAR M-14 02 LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO P-01 01 R-01 OU R02 01 POSTE DE CONR. etc. marquises. ITEM QUANT. No caso da utilização em ângulo. podendo também ser empregada em ângulos. A-02 02 F-10 02 F-19 01 F-30 01 F-31 02 F-38 03 LISTA DE MATERIAL DESCRIÇÃO ITEM QUANT. DE CIRCULAR CRUZETA DE CONCRETO 2.52 mm²) e de cobre até 25mm².A estrutura B1 é aplicada em tangentes.100 mm OU CRUZETA DE AÇO 2. 3 . 0° a 55° para os cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.

A estrutura B1 é aplicada em tangentes.52 mm²) e de cobre até 25mm².Dimensões em milímetros. ITEM A-02 F-19 F-30 LISTA DE MATERIAL QUANT.07/02/2014 DVEN DPEP . DESCRIÇÃO ITEM QUANT. No caso da utilização em ângulo.100mm OU CRUZETA DE AÇO 2. 59/120 NOTAS: 1 .MONTAGENS ESTRUTURA B1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.4 MCM CAA utilizar ângulos de 0° até 40°. 04 ARRUELA QUADRADA I-05 03 MÃO FRANCESA 01 M-14 03 PERFILADA PARAFUSO DE CABEÇA 03 P-02 01 QUADRADA F-38 03 PINO P/ ISOLADOR PILAR R-01 OU R-02 01 DESCRIÇÃO ISOLADOR PILAR LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO 2. 2 .Postes DT. 0° a 55° para os cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.CÓDIGO: E-313.000mm Figura 50 . marquises. podendo também ser empregada em ângulos. 3 . etc. para cabos acima até o limite do 336.Esta estrutura é adequada para quando houver necessidade de se afastar os condutores das sacadas. 4 . deverão ter capacidade mínima de 300 daN.0002 FL. a instalação dos condutores nos isoladores deverá ser feita lateralmente utilizando amarração apropriada. DDI Nº 018/2014 . edificações.

marquises. cabos inferiores a esta seção podem utilizar a estrutura equivalente com isolador pilar.A estrutura B3 é usualmente aplicada em fim de rede.Esta estrutura é indicada para quando houver necessidade de se afastar os condutores das sacadas.No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. CIRCULAR MÃO FRANCESA F-19 02 I-06 03 ISOLADOR BASTÃO PERFILADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 03 MANILHA SAPATILHA M-01 03 DISTR. LISTA DE MATERIAL ITE QUANT. etc. DESCRIÇÃO M PARAFUSO DE CABEÇA A-02 13 ARRUELA QUADRADA F-31 04 ABAULADA CINTA P/ POSTE DE F-10 02 F-32 03 PARAFUSO DE ROSCA DUPLA CONR. 4 . 3 . para cabos acima da seção de 53.0002 FL. POSTE DE CONCRETO DE F-25 04 OLHAL P/ PARAFUSO P-01 01 SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO R-01 PARAFUSO DE CABEÇA 2.07/02/2014 DVEN DPEP . 2 .52 mm2.MONTAGENS ESTRUTURA B3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.100mm F-30 02 OU 01 QUADRADA OU R-02 CRUZETA DE AÇO 2.52 mm²) e de cobre até 25 mm². DESCRIÇÃO ITEM QUANT. DDI Nº 018/2014 . aplicar a estrutura B3-1 com somente uma cruzeta. edificações.Dimensões em milímetros.000mm Figura 51 .CÓDIGO: E-313. 60/120 NOTAS: 1 .

edificações.52 mm²) e de cobre até 25 mm². 4 . aplicar a estrutura B3-1 com somente uma cruzeta.Postes DT deverão ter capacidade mínima de 300 daN acrescido do esforço dos condutores.A estrutura B3 é usualmente aplicada em fim de rede. 61/120 NOTAS: 1 .0002 FL. cabos inferiores a esta seção podem utilizar a estrutura equivalente com isolador pilar. 3 . DESCRIÇÃO ITEM QUANT.CÓDIGO: E-313.Esta estrutura é indicada para quando houver necessidade de se afastar os condutores das sacadas.000 R-02 mm Figura 52 – MONTAGENS ESTRUTURA B3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP .52 mm2. DESCRIÇÃO A-02 13 ARRUELA QUADRADA F-32 03 PARAFUSO DE ROSCA DUPLA MÃO FRANCESA F-19 02 I-06 03 ISOLADOR BASTÃO PERFILADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 03 MANILHA SAPATILHA M-01 03 DISTR. para cabos acima da seção de 53.Dimensões em milímetros. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. 5 .100 mm F-30 04 OU 01 QUADRADA OU CRUZETA DE AÇO 2. etc. marquises. POSTE DE CONCRETO DE F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO P-02 01 SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO R-01 PARAFUSO DE CABEÇA 2.No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. DDI Nº 018/2014 . 2 .

4 .0002 FL. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.CÓDIGO: E-313. marquises. edificações.Esta estrutura é indicada para quando houver necessidade de se afastar os condutores das sacadas. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. SELA P/ CRUZETA OU F-10 02 F-45 02 CIRCULAR ISOLADOR PILAR F-19 02 MÃO FRANCESA PERFILADA I-05 01 ISOLADOR PILAR F-22 06 MANILHA SAPATILHA I-06 06 F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 06 F-30 02 M-14 01 F-31 04 P-01 01 F-32 03 R-01 OU R-02 02 PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA PARAFUSO DE CABEÇA ABAULADA PARAFUSO DE ROSCA DUPLA ISOLADOR BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR. 3 .000 mm Figura 53 – MONTAGENS ESTRUTURA B4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP .100 mm OU CRUZETA DE AÇO 2.52 mm2 (1/0 AWG CAA) e instalações de chaves.Dimensões em milímetros. etc. DDI Nº 018/2014 . LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO POSTE DE CONCRETO CIRCULAR CRUZETA DE CONCRETO 2. DESCRIÇÃO PINO P/ ISOLADOR A-02 10 ARRUELA QUADRADA F-38 01 PILAR CINTA P/ POSTE DE CONR. 62/120 NOTAS: 1 .A estrutura B4 é geralmente utilizada quando houver mudança de seção ou ambos os condutores de alumínio forem superiores ao limite de 53.A instalação dos isoladores nas fases indicadas deve ser realizada em circuitos duplos e em montagens onde se deseja aumentar o afastamento até o nível inferior ou rede secundária. 2 .

A estrutura B4 é geralmente aplicada quando houver mudança de seção ou ambos os condutores de alumínio forem superiores ao limite de 53. DDI Nº 018/2014 . 3 . 4 .Dimensões em milímetros. I-05 01 ISOLADOR PILAR I-06 06 ISOLADOR BASTÃO F-22 06 MANILHA SAPATILHA M-01 06 F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-14 01 F-30 04 PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA P-01 01 F-32 03 PARAFUSO DE ROSCA DUPLA R-01 OU R-02 02 F-38 01 DESCRIÇÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR. LISTA DE MATERIAL ITEM A-02 F-19 QUANT DESCRIÇÃO .000mm PINO P/ ISOLADOR PILAR Figura 54 – MONTAGENS ESTRUTURA B4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 2 .A instalação dos isoladores nas fases indicadas deve ser realizada em circuitos duplos e em montagens onde se deseja aumentar o afastamento até o nível inferior ou rede secundária.Esta estrutura é indicada para quando houver necessidade de se afastar os condutores das sacadas.52 mm2 (1/0 AWG CAA) e instalações de chaves.100mm OU CRUZETA DE AÇO 2. marquises. LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO 2.CÓDIGO: E-313.07/02/2014 DVEN DPEP . etc. 63/120 NOTAS: 1 .0002 FL. 10 ARRUELA QUADRADA MÃO FRANCESA 02 PERFILADA ITEM QUANT. edificações.

F-19 02 F-22 06 LISTA DE MATERIAL DESCRIÇÃO ITEM QUANT.Dimensões em milímetros.ESTRUTURAS TE PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . ARRUELA F-51 01 MÃO FRANCESA I-05 01 PERFILADA MANILHA SAPATILHA I-06 06 F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO F-30 06 F-32 02 F-38 01 ITEM A-02 QUANT. 64/120 NOTA: 1 . DDI Nº 018/2014 .0002 FL.CÓDIGO: E-313.100 mm OU CRUZETA DE AÇO 2. LAÇO PRÉ-FORMADO DE TOPO POSTE DE CONCRETO SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO 2.000 mm Figura 55 . 09 PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA PARAFUSO DE ROSCA DUPLA PINO P/ ISOLADOR PILAR M-01 06 M-14 01 P-02 01 R-01 OU R02 02 DESCRIÇÃO SUPORTE VERTICAL ISOLADOR PILAR ISOLADOR BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR.

DESCRIÇÃO DT DT ARRUELA 10 I-06 06 QUADRADA MANILHA06 M-01 06 SAPATILHA OLHAL P/ 06 P-02 02 PARAFUSO PARAFUSO DE 02 CABEÇA 02 R-03 QUADRADA Ou R-02 PARAFUSO DE 03 ROSCA DUPLA DESCRIÇÃO ISOLADOR BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTR.000 mm Figura 56 . fibra ou madeira.ESTRUTURA HT PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. ITEM A-02 F-22 F-25 F-30 F-32 LISTA DE MATERIAIS HT QUANT. 65/120 A -0 2 e F-32 A -0 2 e F-40 o u F-25 I-06 F -22 M-01 A -0 2 e F-30 R -0 2 ou R -03 E stai lateral E stai lon gitudinal P -02 ou P -03 NOTA: 1 – Pode ser utilizado postes de concreto circular ou DT. POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT CRUZETA de 5. DDI Nº 018/2014 .CÓDIGO: E-313. 2 .07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. ITEM QUANT.Dimensões em milímetros.

Utilizar cabo coberto de cobre 16mm² .0002 5. 66/120 Instalação de Equipamentos NOTAS: 1 .CÓDIGO: E-313. DESCRIÇÃO A-02 02 ARRUELA QUADRADA I-05 01 ISOLADOR PILAR PARA-RAIOS DE LAÇO PRÉ-FORMADO DE E-29 01 M-14 01 DISTRIBUIÇÃO TOPO PARAFUSO DE CABEÇA ADAPTADOR ESTRIBO F-30 02 O-04 01 QUADRADA CUNHA CONECTOR DERIVAÇÃO F-38 01 PINO P/ ISOLADOR PILAR O-10 01 PARA LINHA VIVA POSTE DE CONCRETO DE F-57 01 SUPORTE LP P-02 01 SEÇÃO DT Figura 57 .INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO DE PARA-RAIOS EM ESTRUTURA MONOFÁSICA UP1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Cabos Cobertos para Redes de Distribuição Aérea Compacta em Espaçadores. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.0075 . LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.07/02/2014 DVEN DPEP . 2 .Dimensões em milímetros. conforme especificação E-313. FL.7.15kV (Cód. DDI Nº 018/2014 . 30377).

LAÇO PRÉ-FORMADO DE 01 MANILHA SAPATILHA M-14 01 TOPO ADAPTADOR ESTRIBO 01 OLHAL P/ PARAFUSO O-04 02 CUNHA PARAFUSO DE CABEÇA CONECTOR DERIVAÇÃO 03 O-10 02 QUADRADA PARA LINHA VIVA POSTE DE CONCRETO DE 01 PINO P/ ISOLADOR PILAR P-02 01 SEÇÃO DT Figura 58 . DESCRIÇÃO A-02 03 ARRUELA QUADRADA F-49 01 SUPORTE T E-09 01 CHAVE FUSÍVEL I-05 01 E-15 01 ELO FUSÍVEL I-06 01 E-29 F-22 F-25 F-30 F-38 ISOLADOR PILAR ISOLADOR TIPO BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA 01 PARA-RAIOS M-01 01 DISTRIB.15kV (Cód.15kV (Cód.Dimensões em milímetros. 30377). 3 .Utilizar cabo coberto de cobre 16mm² . 2 . LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT.0075.0002 FL. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.Utilizar cabo coberto de cobre 70mm² . conforme especificação E-313. DDI Nº 018/2014 . conforme especificação E-313.CÓDIGO: E-313. 31577).0075.07/02/2014 DVEN DPEP . 67/120 NOTAS: 1 .INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO DE CHAVE-FUSÍVEL E PARA-RAIOS EM ESTRUTURA MONOFÁSICA DE DERIVAÇÃO UP1-UP3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

15kV (Cód. DDI Nº 018/2014 .07/02/2014 DVEN DPEP . conforme especificação E-313. 3 . 68/120 NOTAS: 1 . o para-raios deve ser instalado no mesmo nível da chave fusível.CÓDIGO: E-313.INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO DE TRANSFORMADOR EM ESTRUTURA MONOFÁSICA UP1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Dimensões em milímetros. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. conforme detalhe. 5 .0002 FL.A chave-fusível deverá ser instalada do lado contrário do transformador. DESCRIÇÃO A-02 04 ARRUELA QUADRADA F-49 01 SUPORTE T E-09 01 E-15 01 E-29 01 E-45 01 F-30 04 F-38 01 CHAVE FUSÍVEL I-05 01 ISOLADOR PILAR LAÇO PRÉ-FORMADO ELO FUSÍVEL M-15 01 LATERAL PARA-RAIOS O-02 02 CONECTOR CUNHA RAMAL TRANSFORMADOR ADAPTADOR ESTRIBO O-04 01 DISTRIBUIÇÃO CUNHA PARAFUSO DE CABEÇA CONECTOR DERIVAÇÃO O-10 01 QUADRADA PARA LINHA VIVA POSTE DE CONCRETO DE PINO P/ ISOLADOR PILAR P-02 01 SEÇÃO DT Figura 59 .Utilizar cabo coberto de cobre 16mm² .0075. 4 . e se este possuir suporte para pararaios a instalação da chave poderá ser realizada utilizando o suporte LP.Caso o transformador não possua suporte para para-raios.Instalar o transformador no lado de maior resistência do poste. 30377). DESCRIÇÃO ITEM QUANT. 6 . A-31. F-57. 2 – Se necessário utilizar o suporte para transformador para poste seção DT.

DDI Nº 018/2014 .Dimensões em milímetros. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. 69/120 NOTA: 1 .INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO DE CHAVE-FACA UNIPOLAR EM ESTRUTURA MONOFÁSICA UP4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. ARRUELA A-02 02 F-50 01 QUADRADA CHAVE-FACA E-11 01 I-06 02 UNIPOLAR MANILHA F-22 02 M-01 02 SAPATILHA OLHAL P/ F-25 02 O-01 02 PARAFUSO PARAFUSO DE F-30 03 CABEÇA P-02 01 QUARDADA DESCRIÇÃO SUPORTE TL ISOLADOR TIPO BASTÃO ALÇA PRÉ-FORMADA DISTRIB. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.0002 FL.CÓDIGO: E-313. CONECTOR CUNHA DE ALUMÍNIO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT Figura 60 .07/02/2014 DVEN DPEP .

0002 FL. LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. conforme especificação E-313. 70/120 NOTAS: 1 .Dimensões em milímetros. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.0075. 2 – O Adaptador estribo cunha e o grampo de linha viva do lado da carga podem ser substituídos por um conector cunha. DDI Nº 018/2014 . 3 . 31577). DESCRIÇÃO A-02 03 ARRUELA QUADRADA I-05 01 ISOLADOR PILAR CHAVE FUSÍVEL E-07 01 I-06 02 ISOLADOR TIPO BASTÃO RELIGADORA ALÇA PRÉ-FORMADA E-15 03 ELO FUSÍVEL M-01 02 DISTRIB.100mm 0U CRUZETA DE OU R-02 AÇO 2.INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA EM ESTRUTURA MONOFÁSICA UP4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.15kV (Cód. MÃO FRANCESA LAÇO PRÉ-FORMADO F-19 01 M-15 01 PERFILADA LATERAL ADAPTADOR ESTRIBO F-22 02 MANILHA SAPATILHA O-04 02 CUNHA CONECTOR DERIVAÇÃO F-25 02 OLHAL P/ PARAFUSO O-10 02 PARA LINHA VIVA PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO DE F-30 04 P-02 01 QUARDADA SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO R-01 F-38 01 PINO P/ ISOLADOR PILAR 02 2.Utilizar cabo coberto de cobre 70mm² .07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.000mm F-47 02 SUPORTE L Figura 61 .

LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. 3 .0002 FL.Dimensões em milímetros. DESCRIÇÃO LAÇO PRÉ-FORMADO DE A-02 06 ARRUELA QUADRADA M-14 03 TOPO E-29 03 PARA-RAIOS O-02 05 CONECTOR CUNHA RAMAL MÃO FRANCESA F-19 02 O-04 03 CONECTOR CUNHA ESTRIBO PERFILADA PARAFUSO DE CABEÇA F-30 06 O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA QUARDADA POSTE DE CONCRETO DE F-38 03 PINO P/ ISOLADOR PILAR P-02 01 SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO R-01 F-47 03 SUPORTE L 01 2100mm 0U CRUZETA DE AÇO OU 2000mm R-02 I-05 03 ISOLADOR PILAR Figura 62 .CÓDIGO: E-313. conforme especificação E-313. 2 . 30377).15kV (Cód. DDI Nº 018/2014 .Utilizar cabo coberto de cobre 16mm² . DESCRIÇÃO ITEM QUANT.Os para-raios podem ser instalados no suporte horizontal para 35kV (FC-11 – NE-105E).INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO DE PARA-RAIOS EM ESTRUTURA TRIFÁSICA M1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . 71/120 NOTAS: 1 .0075.

30377).INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS – CHAVE NO SEGUNDO NÍVEL INSTALAÇÃO DE TRANSFORMADOR EM ESTRUTURA TRIFÁSICA M1 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DDI Nº 018/2014 .0002 FL.Dimensões em milímetros. com cruzetas de 2.Caso o transformador não possua suporte para para-raios.07/02/2014 DVEN DPEP . este deve ser instalado no mesmo nível da chave fusível conforme detalhe. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. 2 . B1. 4 . 72/120 NOTA: 1 . 3 – Esta estrutura pode ser montada utilizando a estrutura tipo beco.400 mm. A-02 06 ARRUELA QUADRADA F-38 03 PINO P/ ISOLADOR PILAR SUPORTE PARA A-31 02 TRANSFORMADOR EM I-05 03 ISOLADOR PILAR POSTE DT LAÇO PRÉ-FORMADO DE E-09 03 CHAVE-FUSÍVEL M-14 03 TOPO E-15 03 ELO FUSÍVEL O-02 08 CONECTOR CUNHA RAMAL E-29 03 PARA-RAIOS ZnO-10Ka O-04 03 ADAPTADOR ESTRIBO TRANSFORMADOR DE E-45 01 O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA DISTRIBUIÇÃO POSTE DE CONCRETO DE F-19 02 MÃO FRANCESA PERFILADA P-02 01 SEÇÃO DT PARAFUSO DE CABEÇA R-01 CRUZETA DE CONCRETO F-30 06 02 QUARDADA OU 2.000mm F-47 06 SUPORTE L Figura 63 .Utilizar cabo coberto de cobre 16 mm² 15kV (Cód.0075.CÓDIGO: E-313. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.100mm OU CRUZETA DE R-02 AÇO 2. conforme especificação E-313.

DDI Nº 018/2014 .A chave faca também pode ser instalada em estrutura M4 e B4.0002 FL. 2 . respeitando-se os afastamentos estabelecidos na Figura 8.Dimensões em milímetros.INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO CHAVE-FACA UNIPOLAR EM ESTRUTURA TRIFÁSICA N4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. ITEM QUANT. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.07/02/2014 DVEN DPEP . POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO 2100m OU CRUZETA DE AÇO 2000mm PARAFUSO DE CABEÇA QUARDADA PARAFUSO DE ROSCA DUPLA Figura 64 .CÓDIGO: E-313. 73/120 NOTAS: 1 . DESCRIÇÃO A-02 06 ARRUELA QUADRADA I-06 06 ISOLADOR TIPO BASTÃO E-11 03 CHAVE-FACA UNIPOLAR O-01 06 E-19 02 MÃO FRANCESA PERFILADA M-01 06 E-22 06 MANILHA SAPATILHA P-02 01 F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO R-01 OU R-02 02 F-30 04 F-32 02 CONECTOR CUNHA ALÇA PRÉ-FORMADA PARA DIST.

Dimensões em milímetros.07/02/2014 DVEN DPEP .400 m DUPLA R-02 Figura 65 .CÓDIGO: E-313. DESCRIÇÃO ITEM QUANT DESCRIÇÃO A-02 04 ARRUELA QUADRADA F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO CHAVE-FACA E-11 03 I-06 06 ISOLADOR TIPO BASTÃO UNIPOLAR MÃO FRANCESA ALÇA PRÉ-FORMADA PARA F-19 01 M-01 06 PERFILADA DIST. ITEM QUANT.0002 FL.INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOSINSTALAÇÃO CHAVE-FACA UNIPOLAR EM ESTRUTURA TRIFÁSICA M4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DDI Nº 018/2014 . 74/120 NOTA: 1 . F-22 06 MANILHA SAPATILHA O-1 06 CONECTOR CUNHA PARAFUSO DE POSTE DE CONCRETO DE F-30 04 P-02 01 CABEÇA QUARDADA SEÇÃO DT R-03 PARAFUSO DE ROSCA F-32 03 OU 02 CRUZETA DE 2.

75/120 NOTAS: 1 .000mm R-02 0 PARAFUSO DE CABEÇA F-30 6 QUARDADA Figura 66 .0002 FL. ITEM Q DESCRIÇÃO ITEM Q DESCRIÇÃO 0 A-02 ARRUELA QUADRADA I-06 06 ISOLADOR TIPO BASTÃO 4 0 ALÇA PRÉ-FORMADA PARA E-11 CHAVE-FACA UNIPOLAR M-01 06 3 DIST.INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS INSTALAÇÃO CHAVE-FACA UNIPOLAR EM ESTRUTURA TRIFÁSICA B4 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.CÓDIGO: E-313.000 mm face “A” deve ficar voltada para cima. DDI Nº 018/2014 . 2 – Para a montagem com cruzetas de aço ou polimérica de 2.Dimensões em milímetros.07/02/2014 DVEN DPEP . 0 MÃO FRANCESA E-19 O-1 06 CONECTOR CUNHA 2 PERFILADA 0 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO F-22 MANILHA SAPATILHA P-02 01 6 DT R-01 0 CRUZETA DE CONCRETO 2.100m F-25 OLHAL P/ PARAFUSO OU 01 6 OU CRUZETA DE AÇO 2.

3 .0075.O grampo de linha viva no lado da carga pode ser dispensado. DESCRIÇÃO A-02 10 ARRUELA QUADRADA F-47 03 SUPORTE L E-09 03 CHAVE-FUSÍVEL I-05 03 ISOLADOR PILAR E-15 03 I-06 06 ISOLADOR TIPO BASTÃO F-19 04 O-4 06 ADAPTADOR ESTRIBO F-22 06 ELO FUSÍVEL MÃO FRANCESA PERFILADA MANILHA SAPATILHA O-10 06 F-25 06 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 06 GRAMPO DE LINHA VIVA ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTRIBUIÇÃO F-30 08 M-14 03 LAÇO PRÉ-FROMADO DE TOPO F-32 02 P-02 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT F-38 03 PARAFUSO DE CABEÇA QUARDADA PARAFUSO DE ROSCA DUPLA R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2. 4 . 2 . 76/120 NOTAS: 1 .INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ESTRUTURA N4 COM CHAVE FUSÍVEL EM SEGUNDO NÍVEL PINO PARA ISOLADOR PILAR PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.000mm R-02 Figura 67 .100m OU 04 OU CRUZETA DE AÇO 2.07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. DDI Nº 018/2014 . ITEM QUANT. conforme especificação E-313.Utilizar cabo coberto de cobre 70mm² .CÓDIGO: E-313.A chave fusível também pode ser instalada em estrutura M4 e B4. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. 31577). respeitando-se os afastamentos estabelecidos na Figura 8.Dimensões em milímetros.15kV (Cód.

2 – A quantidade de células de capacitores depende da potencias das mesmas. ITEM QUANT. DESCRIÇÃO ITEM QUANT. 77/120 NOTAS: 1 .0002 FL.INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS BANCO DE CAPACITORES EM REDE EXISTENTE PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DESCRIÇÃO A-02 09 ARRUELA QUADRADA F-32 02 PRAFUSO DE ROSCA DUPLA SUPORTE DE TD PARA A-31 02 F-47 03 SUPORTE L POSTE DT SUPORTE PARA BANCO DE 4-41 01 I-06 03 ISOLADOR TIPO BASTÃO CAPACITORES ALÇA PRÉ-FORMADA DE E-05 Nota 2 CAPACITORES M-01 03 DISTRIBUIÇÃO E-29 03 PARA-RAIOS O-01 3 CONECTOR CUNHA MÃO FRANCESA F-19 02 O-02 04 CONECTOR CUNHA RAMAL PERFILADA POSTE DE CONCRETO DE F-22 03 MANILHA SAPATILHA P-02 01 SEÇÃO DT F-25 03 F-30 04 OLHAL P/ PARAFUSO R-01 OU R-02 CRUZETA DE CONCRETO 2100m 02 PARAFUSO DE CABEÇA OU CRUZETA DE AÇO 2000mm QUARDADA Figura 68 . DDI Nº 018/2014 .Dimensões em milímetros.CÓDIGO: E-313.07/02/2014 DVEN DPEP .

5 .000mm R-02 Figura 69 – DERIVAÇÃO ESTRUTURA N1-N3 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Utilizar cabo coberto de cobre 70mm² .CÓDIGO: E-313. 2 . DESCRIÇÃO A-02 13 ARRUELA QUADRADA F-47 03 SUPORTE L E-09 03 CHAVE-FUSÍVEL I-05 04 ISOLADOR PILAR E-15 03 ELO FUSÍVEL I-06 03 ISOLADOR TIPO BASTÃO MÃO FRANCESA F-19 03 O-4 03 ADAPTADOR ESTRIBO PERFILADA F-22 03 MANILHA SAPATILHA O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 03 DISTRIBUIÇÃO PARAFUSO DE CABEÇA F-30 07 M-14 04 LAÇO PRE-FORMADO DE TOPO QUARDADA POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO F-32 02 PARAFUSO ROSCA DUPLA P-02 01 DT R-01 PINO PARA ISOLADOR QUANT CRUZETA DE CONCRETO 2. respeitando-se os limites de corrente do conector (máximo 300A).100m F-38 04 OU PILAR 03 OU CRUZETA DE AÇO 2.Esta derivação também pode ser montada com estrutura tipo M e B.Nos locais em que não for possível instalar a chave fusível do lado do passeio.Dimensões em milímetros.0075. respeitando-se os afastamentos mínimos do item 1.A conexão da derivação deve ser feita com adaptador estribo com grampo de linha viva.400 m para instalar do lado da rua. ITEM QUANT. instalar na primeira estrutura após a derivação ou utilizar cruzeta de 2.0002 FL. DDI Nº 018/2014 . DESCRIÇÃO ITEM QUANT.15kV (Cód. 31577).07/02/2014 DVEN DPEP . 4 .2. 3 . 78/120 NOTAS: 1 . conforme especificação E-313.

3 .07/02/2014 DVEN DPEP .400 mm Figura 70 – DERIVAÇÃO N1-N3 COM CHAVE FUSÍVEL RELIGADORA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0075.Utilizar cabo coberto de cobre 70 mm² . 79/120 NOTAS: 1 . DDI Nº 018/2014 .A distância mínima entre os níveis de cruzeta é de 900 mm.Colocar para-raios na estrutura anterior ou posterior no tronco e na primeira estrutura após a chave na derivação. conforme especificação E-313. QUA ITEM DESCRIÇÃO ITEM QUANT. 2 .0002 FL. A-02 13 ARRUELA QUADRADA I-05 04 ISOLADOR PILAR CHAVE-FUSÍVEL E-07 03 I-06 03 ISOLADOR TIPO BASTÃO RELIGADORA E-15 09 ELO FUSÍVEL O-4 03 ADAPTADOR ESTRIBO MÃO FRANCESA F-19 03 O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA PERFILADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 03 MANILHA SAPATILHA M-01 03 DISTRIBUIÇÃO F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO M-14 04 LAÇO PRE-FORMADO DE TOPO PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO DE F-30 09 P-02 01 QUARDADA SEÇÃO DT R-01 PINO PARA ISOLADOR F-38 04 OU 01 CRUZETA DE 2. DESCRIÇÃO NT.15kV (Cód.000 mm PILAR R-02 F-47 03 SUPORTE L 02 CRUZETA DE 2.CÓDIGO: E-313. 31577).

31577). conforme especificação E-313. DDI Nº 018/2014 . DESCRIÇÃO A-02 11 ARRUELA QUADRADA F-38 03 PINO PARA ISOLADOR PILAR GRAMPO DE AC03 ANCORAGEM CABO F-47 03 SUPORTE L 06 COBERTO E-09 03 CHAVE-FUSÍVEL I-05 03 ISOLADOR PILAR E-15 03 F-19 03 E-22 F-25 04 04 F-30 07 F-32 02 ELO FUSÍVEL MÃO FRANCESA PERFILADA MANILHA SAPATILHA OLHAL P/ PARAFUSO PARAFUSO DE CABEÇA QUARDADA PARAFUSO ROSCA DUPLA I-06 03 ISOLADOR TIPO BASTÃO M-14 03 LAÇO PRE-FORMADO DE TOPO O-4 O-10 03 03 P-02 01 ADAPTADOR ESTRIBO GRAMPO DE LINHA VIVA POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT R-01 OU R-02 03 CRUZETA DE CONCRETO 2.15kV (Cód. 3 . 80/120 I-05 M-14 A-02 e F-30 O-04 e O-10 F-38 1050 F-19 600 F-47 A-02 e F-32 600 F-25 ou F-40 Nota 2 R-01 ou R-02 F-22 E-09 e E-15 DETALHE "A" DETALHE "A" I-06 F-25 AC-06 P-02 F-22 M-02 Ancoragem do cabo mensageiro da rede primária compacta NOTAS: 1 .Utilizar cabo coberto de cobre 70 mm² .Colocar para-raios na estrutura anterior ou posterior no tronco e na primeira estrutura após a chave na derivação.Dimensões em milímetros. 2 . ITEM QUANT.000mm Figura 71 – DERIVAÇÃO N1-CE3 COM CHAVE FUSÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0002 FL.CÓDIGO: E-313. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.07/02/2014 DVEN DPEP .0075.100m OU CRUZETA DE AÇO 2.

Utilizar cabo coberto de cobre 15kV conforme especificação E-313.CÓDIGO: E-313. 2 . ITEM QUANT.0075 3 . 30377). DDI Nº 018/2014 .0075.Dimensões em milímetros. DESCRIÇÃO A-02 09 ARRUELA QUADRADA I-05 03 ISOLADOR PILAR SUPORTE PARA MUFLA ou A-33 03 O-4 06 ADAPTADOR ESTRIBO CABO ISOLADO E-09 03 CHAVE-FUSÍVEL O-02 04 CONECTOR CUNHA RAMAL E-15 03 ELO FUSÍVEL MÃO FRANCESA PERFILADA O-10 06 F-19 03 O-33 03 F-22 01 MANILHA SAPATILHA O-43 03 F-25 01 OLHAL P/ PARAFUSO M-01 01 F-30 10 PARAFUSO DE CABEÇA QUARDADA P-02 01 F-38 03 PINO PARA ISOLADOR PILAR R-01 OU R-02 03 F-47 09 SUPORTE L GRAMPO DE LINHA VIVA TERMINAL ESPADA A COMPRESSÃO TERMINAL PARA USO EXTERNO (mufla) ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTRIBUIÇÃO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO 2. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.100m OU CRUZETA DE AÇO 2.0002 FL. conforme especificação E-313.000mm Figura 72 – DERIVAÇÃO N1-MI3 COM CHAVE FUSÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.15kV (Cód. 81/120 I-05 A-02 e F-30 O-04 e O-10 F-38 F-47 1000 F-19 Nota 2 Nota 1 E-29 E-09 e E-15 O-02 1000 R-01 ou R-02 1700 O-43 F-47 A-33 M-01 F-22 F-25 ou F-40 P-02 NOTAS: 1 .Utilizar cabo coberto de cobre 16 mm² .07/02/2014 DVEN DPEP .

DDI Nº 018/2014 .0002 FL. 30377).Dimensões em milímetros.CÓDIGO: E-313. conforme especificação E-313.100m OU CRUZETA DE AÇO 2. 2 .Utilizar cabo coberto de cobre 15 kV conforme especificação E-313.15 kV (Cód.000mm N1-SUBTERRÂNEO COM CHAVE FUSÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. ITEM QUANT. DESCRIÇÃO A-02 08 ARRUELA QUADRADA I-05 03 ISOLADOR PILAR SUPORTE PARA MUFLA A-33 03 O-4 06 ADAPTADOR ESTRIBO ou CABO ISOLADO E-09 03 CHAVE-FUSÍVEL O-02 04 CONECTOR CUNHA RAMAL E-15 03 F-19 03 F-22 01 F-30 09 F-38 03 F-47 09 ELO FUSÍVEL MÃO FRANCESA PERFILADA MANILHA SAPATILHA PARAFUSO DE CABEÇA QUARDADA PINO PARA ISOLADOR PILAR SUPORTE L O-10 06 O-33 03 O-43 03 M-01 01 P-02 01 R-01 OU 03 R-02 Figura 73 – DERIVAÇÃO GRAMPO DE LINHA VIVA TERMINAL ESPADA A COMPRESSÃO TERMINAL PARA USO EXTERNO (mufla) ALÇA PRÉ-FORMADA DE DISTRIBUIÇÃO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT CRUZETA DE CONCRETO 2. 3 .0075.07/02/2014 DVEN DPEP . DESCRIÇÃO ITEM QUANT.Utilizar cabo coberto de cobre 16 mm² . 82/120 I-05 A-02 e F-30 O-10 1 000 F-38 F-19 F-47 Nota 1 Nota 2 E-29 R-01 ou R-02 F-47 O-33 1000 E-09 e E-15 O-02 O-43 A-33 P-02 NOTAS: 1 .0075.

DESCRIÇÃO A-02 18 ARRUELA QUADRADA I-06 06 ISOLADOR TIPO BASTÃO GRAMPO DE ANCORAGEM AC-06 03 O-1 06 CONECTOR CUNHA CABO COBERTO E-11 03 CHAVE SECCIONADORA O-2 05 CONECTOR CUNHA RAMAL E-29 03 PARA-RAIOS O-4 03 ADAPTADOR ESTRIBO CUNHA MÃO FRANCESA F-19 03 O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA PERFILADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-22 07 MANILHA SAPATILHA M-01 03 DISTRIBUIÇÃO F-25 07 OLHAL P/ PARAFUSO M-02 01 ALÇA PRÉ-FORMADA DE ESTAI PARAFUSO DE CABEÇA POSTE DE CONCRETO DE F-30 07 P-02 01 QUARDADA SEÇÃO DT R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.0002 5.000mm R-02 F-47 03 SUPORTE L Figura 74 – TRANSIÇÃO N3-CE3 COM CHAVE-FACA UNIPOLAR PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 2 . ITEM QUANT.100m F-32 04 PARAFUSO ROSCA DUPLA OU 03 OU CRUZETA DE AÇO 2.8.Utilizar cabo coberto de cobre 16mm² . FL. conforme especificação E-313. 30377).0075.07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.Dimensões em milímetros. DDI Nº 018/2014 . 83/120 Estruturas de Transição F-25 ou F-40 M -01 I-06 F-22 O -04 e O -10 F -19 E -11 1200 O -01 F-47 E -29 N ota 1 A -02 e F-30 R -01 ou R-02 O -02 600 P -02 A -10 600 M -02 A C -06 F-32 NOTAS: 1 .15kV (Cód.

DESCRIÇÃO NT.Utilizar cabo coberto de cobre 16 mm² . 2 .100m F-47 03 SUPORTE L 03 R-01 OU CRUZETA DE AÇO 2.CÓDIGO: E-313.000mm OU ISOLADOR ANCORAGEM R-02 I-06 03 POLIMÉRICA Figura 75 – TRANSIÇÃO N3-MI3 COM CHAVE-FACA UNIPOLAR em 1º NÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DDI Nº 018/2014 . 84/120 F -2 5 o u F -4 0 I-0 6 F -2 2 O -0 4 e O -1 0 F -1 9 O -0 1 E -1 1 O -4 3 O -3 3 1200 M -0 1 E -2 9 A -0 2 e F -3 0 N o ta 1 R -0 1 o u R -0 2 F -4 7 O -0 2 P -0 2 M -0 1 O -0 2 F -3 0 NOTAS: 1 .07/02/2014 DVEN DPEP .0075.15kV (Cód.Dimensões em milímetros. conforme especificação E-313. A-02 10 ARRUELA QUADRADA O-01 06 CONECTOR CUNHA E-11 03 CHAVE SECCIONADORA O-02 09 CONECTOR CUNHA RAMAL E-29 03 PARA-RAIOS O-04 03 ADAPTADOR ESTRIBO MÃO FRANCESA F-19 03 O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA PERFILADA TERMINAL ESPADA A F-22 04 MANILHA SAPATILHA O-33 03 COMPRESSÃO TERMINAL PARA USO EXTERNO F-25 04 OLHAL P/ PARAFUSO O-43 03 (mufla) PARAFUSO DE CABEÇA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-30 6 M-01 01 QUARDADA DISTRIBUIÇÃO PARAFUSO ROSCA POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO F-32 04 P-02 01 DUPLA DT CRUZETA DE CONCRETO 2.0002 FL. 30377). QUA ITEM DESCRIÇÃO ITEM QUANT.

aplicar a estrutura B3-1 com somente uma cruzeta. ITEM QUANT. 3 .Dimensões em milímetros. DDI Nº 018/2014 .000mm Figura 76 – TRANSIÇÃO N3-MI3 COM CHAVE-FACA UNIPOLAR NO 2º NÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.52 mm²) e de cobre até 25 mm². DESCRIÇÃO ITEM QUANT. 85/120 N o ta 2 E -2 9 I-0 6 F -4 7 A -0 2 e F -3 2 M -0 1 F -2 2 1000 1000 F -1 9 E -1 1 A -3 5 O -3 3 O -4 3 O -0 2 1700 O -0 1 1000 R -0 1 o u R -0 2 A -3 3 P -0 2 F -4 7 M -0 1 F -2 2 F -2 5 o u F -4 0 NOTAS: 1 .No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53.CÓDIGO: E-313. 2 – Os para-raios devem ser instalados em primeiro nível ou na estrutura imediatamente anterior.0002 FL.100m OU CRUZETA DE AÇO R-02 2.07/02/2014 DVEN DPEP . DESCRIÇÃO ISOLADOR ANCORAGEM A-02 14 ARRUELA QUADRADA I-06 03 POLIMÉRICA SUPORTE PARA MUFLA A-33 03 O-01 06 CONECTOR CUNHA ou CABO ISOLADO SUPORTE INCLINADO A-35 03 O-02 04 CONECTOR CUNHA RAMAL PARA CHAVE FACA E-11 03 CHAVE SECCIONADORA O-04 03 ADAPTADOR ESTRIBO MÃO FRANCESA F-19 04 O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA PERFILADA TERMINAL ESPADA A F-22 04 MANILHA SAPATILHA O-33 03 COMPRESSÃO TERMINAL PARA USO F-25 04 OLHAL P/ PARAFUSO O-43 03 EXTERNO (MUFLA) PARAFUSO DE CABEÇA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-30 10 M-01 04 QUARDADA DISTRIBUIÇÃO PARAFUSO ROSCA POSTE DE CONCRETO DE F-32 02 P-02 01 DUPLA SEÇÃO DT R-01 CRUZETA DE CONCRETO F-47 03 SUPORTE L OU 04 2.

0002 FL.CÓDIGO: E-313.000mm R-02 Figura 77 – TRANSIÇÃO N3-SUBTERRÂNEO COM CHAVE-FACA UNIPOLAR NO 2º NÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.52 mm²) e de cobre até 25 mm². aplicar a estrutura N3-1 com somente uma cruzeta.Dimensões em milímetros. DESCRIÇÃO ISOLADOR ANCORAGEM A-02 13 ARRUELA QUADRADA I-06 03 POLIMÉRICA SUPORTE PARA MUFLA ou A-33 03 O-01 06 CONECTOR CUNHA CABO ISOLADO SUPORTE INCLINADO A-35 03 O-02 04 CONECTOR CUNHA RAMAL PARA CHAVE FACA E-11 03 CHAVE SECCIONADORA O-04 03 ADAPTADOR ESTRIBO MÃO FRANCESA F-19 04 O-10 03 GRAMPO DE LINHA VIVA PERFILADA TERMINAL ESPADA A F-22 03 MANILHA SAPATILHA O-33 03 COMPRESSÃO TERMINAL PARA USO EXTERNO F-25 03 OLHAL P/ PARAFUSO O-43 03 (MUFLA) PARAFUSO DE CABEÇA ALÇA PRÉ-FORMADA DE F-30 9 M-01 03 QUARDADA DISTRIBUIÇÃO POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO F-32 02 PARAFUSO ROSCA DUPLA P-02 01 DT R-01 CRUZETA DE CONCRETO 2.No encabeçamento de cabos de alumínio até 1/0 AWG CAA (53. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.07/02/2014 DVEN DPEP . ITEM QUANT. DDI Nº 018/2014 . 3 . 2 – Os para-raios devem ser instalados em primeiro nível ou em segundo nível na estrutura imediatamente anterior. 86/120 E -2 9 I-0 6 F -4 7 A -0 2 e F -3 2 F -2 2 1 000 M -0 1 F -1 9 F -2 5 o u F -4 0 E -1 1 A -3 5 R -0 1 o u R -0 2 F -4 7 A -0 2 e F -3 0 O -4 3 1000 O -3 3 O -0 1 O -0 2 A -3 3 P -0 2 NOTAS: 1 .100m F-47 03 SUPORTE L OU 04 OU CRUZETA DE AÇO 2.

CÓDIGO: E-313. PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. consultar a I-313.9. Utilizar um conjunto de para-raios no mínimo a cada 500 m. Os casos de aplicação de cabo de guarda deverão ser objeto de estudos específicos de engenharia. FL. O cabo deve ser aterrado em todas as estruturas e seu aterramento conectado ao neutro da rede. DDI Nº 018/2014 .0003. A distância vertical entre o cabo guarda e as fases é definida utilizando-se o ângulo α ≤30° com uma distância mínima de 900 mm. cruzamentos com Linhas de Transmissão e outros. 87/120 Utilização do Cabo Guia O cabo a ser instalado deve ser o cabo 4 CAA.07/02/2014 DVEN DPEP . Nos cálculos de trações e flechas.0002 5. normalmente utilizados em regiões com alta densidade de descargas atmosféricas.

4 .Dimensões em milímetros. 3 . se refere a locais acessíveis exclusivamente a pedestres (área rural A). DDI Nº 018/2014 .ESTRUTURAS BÁSICAS ESTRUTURAS P1. P2.A altura do poste dependerá do projeto. 2P2 COM CABO GUARDA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Estruturas com uso de cabo guarda são indicadas para regiões com altas densidades de descargas atmosféricas. Figura 78 . indicada na figura.07/02/2014 DVEN DPEP . 2 . 88/120 NOTAS: 1 .0002 FL.A distância ao solo.CÓDIGO: E-313.

07/02/2014 DVEN DPEP . 89/120 LISTA DE MATERIAL ITEM QUANT. DDI Nº 018/2014 .MONTAGENS INSTALAÇÃO DO CABO GUARDA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. ITEM QUANT. DESCRIÇÃO A-02 01 ARRUELA QUADRADA F-30 01 A-25 02 SAPATILHA M-02 02 F-25 01 OLHAL P/ PARAFUSO O-04 01 F-40 01 PORCA OLHAL P-02 01 DESCRIÇÃO PARAFUSO DE CABEÇA QUADRADA ALÇA PRÉ-FORMADA DE ESTAI CONECTOR CUNHA POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DT Figura 79 .CÓDIGO: E-313.0002 FL.

DETALHES DE AMARRAÇÃO AMARRAÇÃO EM ISOLADOR BASTÃO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.10. DDI Nº 018/2014 .0002 5. FL. 90/120 Amarrações e Ligações Figura 80 .07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.

DETALHES DE AMARRAÇÃO AMARRAÇÃO LATERAL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 91/120 NOTA: 1 .07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.Dimensões em milímetros. DDI Nº 018/2014 .0002 FL. Figura 81 .

Figura 82 .Dimensões em milímetros.0002 FL. DDI Nº 018/2014 . 92/120 NOTA: 1 .07/02/2014 DVEN DPEP .DETALHES DE AMARRAÇÃO AMARRAÇÃO DE TOPO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.CÓDIGO: E-313.

93/120 NOTA: 1 . Figura 83 .07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.Dimensões em milímetros.MONTAGEM CHAVE FUSÍVEL E PARA-RAIOS NO MESMO NÍVEL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0002 FL. DDI Nº 018/2014 .

0002 FL.LIGAÇÃO DE CHAVE FACA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . Figura 84 – Ligação de chave fusível no 2º Nível Figura 85 . DDI Nº 018/2014 . 94/120 Nota: 1 – O grampo de linha viva e o adaptador estribo podem ser substituídos por um conector cunha no lado da carga.CÓDIGO: E-313.

0002 FL. 95/120 Fio terra passando pelos furos do poste Haste de aterramento instalada em solo firme Figura 86 .CÓDIGO: E-313.07/02/2014 DVEN DPEP . DDI Nº 018/2014 .AMARRAÇÕES E LIGAÇÕES AMARRAÇÃO E LIGAÇÃO DO ATERRAMENTO – POSTE DE CONCRETO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

96/120 NOTAS: 1 . Figura 87 .CÓDIGO: E-313. de forma a evitar desligamentos oriundos da presença de pássaros na rede.O suporte deve ser instalado preferencialmente com o isolador para dentro do poste.DETALHE DA INSTALAÇÃO SUPORTE PILAR VERTICAL PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.O desenho é ilustrativo. DDI Nº 018/2014 .07/02/2014 DVEN DPEP . 2 .0002 FL.

CÓDIGO: E-313.ESTAIAMENTO ESTAI DE ÂNCORA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. conservar constante o ângulo de 45º. DESCRIÇÃO A-02 1 Arruela quadrada F-16 1 Haste de âncora Parafuso de cabeça A-06 1 Chapa de estai F-30 1 quadrada A-25 2 Sapatilha M-02 2 Alça pré-formada de estai C-01 Cabo de aço S-05 1 Placa de concreto Figura 88 . 97/120 Estaiamento A-2 A-6 F-30 A-6 F-30 A-25 M-2 e A-25 M-2 C-1 Detalhe M-2 A-25 F-16 S-5 ou S-8 Característica do terreno Esforço (daN) (Taxa de trabalho) Nominal Mínimo daN / cm 1 250 1 000 2 500 2 000 2 500 5 000 NOTA: 1 .O desenho supõe terreno plano.07/02/2014 DVEN DPEP . DDI Nº 018/2014 .11. Em terrenos acidentados. FL. DESCRIÇÃO ITEM QUANT.0002 5. LISTA DE MATERIAIS ITEM QUANT.

Dimensões em milímetros.0002 FL. DDI Nº 018/2014 . 2 . Figura 89 .A parte dobrada do parafuso ou da haste deve ser engastada no concreto a uma profundidade mínima de 10 mm.ESTAIAMENTO ÂNCORA EM ROCHA E PÂNTANO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . 98/120 F-25 ou F-40 45º 45º Vide Nota F-16 ou F-30 F-16 ou F-30 Terra compactada Argamassa de cimento/areia 1:4 Solo Rocha 500 Rocha Ver nota 1 Argamassa de cimento/areia 1:4 Âncora em rocha F-16 ou F-30 45º 1 000 Vide Nota Concreto com traço adequado Sapata de concreto 500 Âncora em pântano NOTAS: 1 .CÓDIGO: E-313.

Dimensões em milímetros..1 CIRCULAR Cinta para poste S-1 circular Parafuso de cabeça .1 A-25 .2 .Parafuso de cabeça abaulada 1 Parafuso para madeira .A fundação do contraposte deve obedecer aos mesmos critérios da fundação para poste. 200 M-2 ou M-9 F-33 ou F-30 e A-2 S-1 ou S-3 d) Madeira ou concreto NOTAS: 1 .S-3 . 3 .1 .Alça pré-formada de estai Fixador pré-formado de .0002 FL. DDI Nº 018/2014 .Sapatilha C-1 Variável F-10 ..4 A-6 . próximo ao neutro.1 . como medida de segurança.1 . 2 .CÓDIGO: E-313.Para estaiamento de poste que sustenta exclusivamente rede secundária aplicam-se os detalhes e relação de materiais deste desenho.- F-30 Cabo de aço F-31 F-33 M-2 M-9 C 2 M 2 - C 2 2 M 2 C - M .1 . devendo o estai ser fixado no poste.. LISTA DE MATERIAIS Quantidade Quantidade Item Item a b c D Descrição a b c d Descrição C MC A-2 .Em redes que apresentam neutro contínuo deve ser realizado.1 .2 . 99/120 3 Voltas F-31 F-33 ou F-30 e A-2 A-6 F-10 A-6 F-30 e A-2 A-25 M-9 A-25 M-2 M-2 C-1 a) Madeira ou concreto C-1 b) Concreto c) Madeira Detalhe para fixação no poste 30º 2 500 mín.. 4 .1 1 estai Contraposte concreto de 1 .Arruela quadrada .ESTAIAMENTO ESTAI COM CONTRAPOSTE DE CONCRETO CIRCULAR OU DE MADEIRA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Chapa de estai .1 Contraposte de madeira quadrada Figura 90 .. o aterramento do estai através do neutro.07/02/2014 DVEN DPEP .1 M 1 1 1 C - M .

A fixação do estai no contraposte pode ser feita alternativamente com cabo de aço. o aterramento do estai através do neutro.07/02/2014 DVEN DPEP .0002 FL. passando pela furação apropriada do contraposte e amarrada com fixador pré-formado de estai. DDI Nº 018/2014 . LISTA DE MATERIAIS DESCRIÇÃO ITEM QUANTID. 2 . 100/120 F-30 A-2 A-25 M-2 C-1 A-6 30º C-1 150 M-2 ou M-9 e A-2 M-9 F-40 ou F-25 e A-2 2 500 F-30 S-2 S-2 Alternativa NOTAS: 1 . A-2 2 Arruela quadrada F-30 2 A-6 1 Chapa de estai F-40 1 A-25 2 Sapatilha M-2 2 C-1 Variável Cabo de aço M-9 1 F-25 1 Olhal para parafuso S-2 1 DESCRIÇÃO Parafuso de cabeça quadrada Porca olhal Alça pré-formada de estai Fixador pré-formado de estai Contraposte de concreto DT Figura 91 – ESTAIAMENTO ESTAI COM CONTRAPOSTE DE CONCRETO SEÇÃO PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Dimensões em milímetros. 4 .CÓDIGO: E-313. 3 . ITEM QUANTID. como medida de segurança.A fundação do contraposte deve obedecer aos mesmos critérios da fundação para poste.Em redes que possuem neutro contínuo deve ser realizado.

101/120 10º máx. praticamente todos os esforços da rede primária nua.O estai de cruzeta aplica-se analogamente à estrutura tipo meio beco. CÓDIGO: E-313.O estai de cruzeta a poste absorve. 3 . portanto. 2 . na dependência dos esforços provenientes da rede secundária nua. QUANTID. o aterramento do estai através do neutro.O poste que recebe o esforço do estaiamento exige cálculo e provável reforço.Em redes que possuem neutro contínuo deve ser realizado. LISTA DE MATERIAIS QUANTID.Quando o estai é fixado na posição alternativa. O estaiamento do poste fica. 5 . ITEM DESCRIÇÃO ITEM DESCRIÇÃO C M C M A-25 1 1 Sapatilha F-40 1 1 Porca olhal C-1 variável Cabo de aço M-2 1 1 Alça pré-formada de estai F-25 1 1 Olhal para parafuso M-9 1 1 Fixador pré-formado de estai Figura 92 –ESTAIAMENTO CRUZETA A POSTE DE CONCRETO CIRCULAR OU DE MADEIRA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. os esforços são divididos entre o poste principal e o poste do estai. quando instalado na posição principal.FL. DDI Nº 018/2014 . como medida de segurança.07/02/2014 DVEN DPEP . 4 .0002 2 voltas com o cabo de aço no contraposte Ver nota 5 Corte AA M-9 C-1 F-25 ou F-40 A-25 A DT A M-2 Alternativa de fixação do estai NOTAS: 1 .

Em redes que possuem neutro contínuo deve ser realizado. quando instalado na posição principal. como medida de segurança.Quando o estai é fixado na posição alternativa.O poste que recebe o esforço do estaiamento exige cálculo e provável reforço. 102/120 10º má x.O estai de cruzeta a poste absorve. ITEM DESCRIÇÃO ITEM DESCRIÇÃO DT DT A-2 2 Arruela quadrada F-30 1 Parafuso de cabeça quadrada A-25 2 Sapatilha F-40 2 Porca olhal C-1 variável Cabo de aço M-2 2 Alça pré-formada de estai F-25 2 Olhal para parafuso Figura 93 – ESTAIAMENTO CRUZETA A POSTE DE CONCRETO SEÇÃO DT PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. LISTA DE MATERIAIS QUANTID.07/02/2014 DVEN DPEP .FL. O estaiamento do poste fica. o aterramento do estai através do neutro.0002 A-25 M-2 F-25 ou F-40 e A-2 A-2 e F-40 ou F-25 F-30 A-2 C-1 M-2 A-25 Alternativa de fixação do estai NOTAS: 1 . na dependência dos esforços provenientes da rede secundária nua. QUANTID. 2 . praticamente todos os esforços da rede primária nua.O estai de cruzeta aplica-se analogamente à estrutura tipo meio beco. 3 . 5 . 4 . CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 . os esforços são divididos entre o poste principal e o poste do estai. portanto.

FL.SECCIONAMENTO DE CERCA CERCA PARALELA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Os procedimentos para aterramento estão descritos na I-313.0002 5.0002. Figura 94 . 103/120 Seccionamento e Aterramento de Cerca Rede de distribuição 30 m Eixo da rede Seccionador pré-formado para cerca Cerca bifurcada Cada 250 m Detalhe do aterramento NOTA: 1 .12. DDI Nº 018/2014 .CÓDIGO: E-313.07/02/2014 DVEN DPEP .

104/120 A-26 Vista frontal xo Ei da Detalhe do aterramento d re e 50 50 Re de de ibu str Di A-26 içã o Planta Aterramento de porteira NOTA: 1 . Figura 95 .0002.ATERRAMENTO DE CERCAS CERCAS TRANVERSAIS PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP . DDI Nº 018/2014 .CÓDIGO: E-313.Os procedimentos para aterramento estão descritos na I-313.0002 FL.

Via férrea – Travessia Elétrica – Requisitos ABNT NBR 15237 .Projeto de Linhas Aéreas de Transmissão de Energia Elétrica – Procedimento ABNT NBR 5460 .0021 .Postes de Concreto Armado para Redes de Distribuição de Energia Elétrica – Padronização ABNT NBR 14165 .Sistemas Elétricos de Potência – Terminologia ABNT NBR 6535 .Postes de Concreto Armado para Redes de Distribuição de Energia Elétrica – Especificação ABNT NBR 8452 . 105/120 DISPOSIÇÕES FINAIS ABNT NBR 5101 .0002 6.Compartilhamento de Postes I-313.Critérios para Utilização de Redes de Distribuição E-313.CÓDIGO: E-313.Redes de Distribuição Aérea de Energia Elétrica com Condutores Nus I-313.07/02/2014 DVEN DPEP .Ferragem de Linha Aérea – Terminologia ABNT NBR 7276 .Iluminação Pública – Procedimento ABNT NBR 5422 . DDI Nº 018/2014 .Sinalização de Advertência em Linhas Aéreas de Transmissão de Energia Elétrica – Procedimento ABNT NBR 8451 .0015 .Esfera de Sinalização Diurna para Linhas Aéreas de Transmissão de Energia Elétrica – Especificação ABNT NBR 15238 .Acessórios e Ferragens de Distribuição PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.Sinalização de Linhas Aéreas de Transmissão de Energia Elétrica com Vista à Segurança da Inspeção Aérea – Procedimento ABNT NBR 6547 .0007 . FL.Sistema de Sinalização para Linhas Aéreas de Transmissão de Energia Elétrica ABNT NBR 15688 .

Cabos de Alumínio Nu .0036 . DDI Nº 018/2014 .0025 .Especificação de Postes de Concreto Armado E-313.Cruzetas de Concreto Armado E-313.Conector Cunha E-313.Postes de Eucalipto Preservado E-313.Cruzetas Poliméricas NR-10 .CÓDIGO: E-313.0032 .0010 .0075 .07/02/2014 DVEN DPEP .0022 .0018 .0046 .0066 – Postes Polimérico de Poliéster Reforçado com Fibra de Vidro E-313.0017 .0048 .Equipamentos E-313.0002 FL.Cabos Cobertos para Redes de Distribuição Aérea Compacta em Espaçadores NE-114E – Estruturas para Redes Multiplexadas de BT NE-132E.0049 .CA e CAA E-313.Isoladores E-313.0041 .Isoladores de Ancoragem Poliméricos para Redes de Distribuição E-313.Cruzetas de Madeira E-313.Especificação de Condutores de Cobre Nu E-313. 106/120 E-313.Cruzetas de Aço Tubular E-313.Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

5.1. Trações e Flechas dos Cabos para Montagem 7. FL. Controle de Revisões e Alterações PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. Trações Cabos 4CAA Swan e Fio 6AWG Cu 7. 107/120 ANEXOS 7.3. Resistência Nominal dos Postes de Concreto Armado para a Instalação de Transformadores 7. DDI Nº 018/2014 .2.4.CÓDIGO: E-313.0002 7.07/02/2014 DVEN DPEP . Postes de Concreto Armado Padronizados 7.

08 1.70 0.90 1.02 1.54 0.13 0.45 0.06 1. FL.31 0.69 1.89 1.98 1.03 0.01 0.33 0.14 0.65 0.42 0.58 0.43 0.19 0.60 35 0.64 0.60 0.12 1.17 0.28 0.75 0.62 1.39 0.41 0.44 0.98 1.04 0.26 1.44 0.82 50 0.32 0.01 0.56 0.25 0.04 0.94 1.11 0.50 0.87 0.12 0.56 0.00 0.16 0.50 1.35 20 0.60 0.40 1.33 1.02 0.03 0.0002 7. Sem Vento) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 -5 0.26 15 0.35 0.06 0.04 0.64 0.19 1.20 0.00 0.50 0.27 0.79 0.55 0.84 0.08 1.10 0.40 0.24 0.52 30 0.36 0.39 0.1.08 0.07/02/2014 DVEN DPEP .01 1.27 0.81 0.12 0.44 25 0.90 1.16 0.73 0.03 0.96 1.38 0.98 0 0.34 0.17 0.04 0.21 0.74 0.REDES URBANAS Cabo Básico: 2 CA FLECHAS (m) TEMPERATURAS (°C.35 0.62 0.97 1.14 1.00 0.54 0.64 0.16 1.07 0.63 0.08 0.48 0.01 0.07 0.72 0.47 0.41 0.60 0.31 0.13 0.44 1.20 1.07 1.91 1.05 0.01 0.55 1.47 0.08 0.22 0.38 0.08 0.09 0.70 0.86 0.20 0.96 1.32 0.24 0.24 1.11 0. DDI Nº 018/2014 .72 0.21 0.47 0.10 0.22 1.17 10 0.89 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.06 0.29 0.07 0.34 0.57 0.70 0.24 0.26 0.17 0.85 0.65 0.29 1.49 0.74 0.30 0.89 1.77 0.41 0.05 0.55 0.80 0. baseadas no cabo 2CA FLECHAS .32 1.27 0.02 0.51 0.47 0.75 45 0.13 0.80 0.67 40 0.15 0.37 1. 108/120 Trações e Flechas dos Cabos para Montagem Trações e flechas de montagem para a rede urbana nua.80 0.18 0.07 0.14 0.26 0.67 0.23 0.14 1.34 0.48 1.CÓDIGO: E-313.05 1.23 0.81 0.52 0.18 0.14 0.08 5 0.

CÓDIGO: E-313.MÁX. 15 53 73 90 106 120 132 144 154 164 173 182 190 197 196 194 193 Montagem sem vento -5 218 218 217 216 214 213 211 209 207 205 203 201 199 179 163 151 0 172 172 172 172 172 172 172 172 173 173 173 173 173 158 147 138 5 126 127 129 131 134 136 139 141 144 146 148 150 151 141 133 127 10 81 85 91 96 102 107 112 117 121 125 128 131 134 127 122 118 15 41 52 62 71 79 86 92 98 103 108 113 117 120 116 113 110 20 20 34 45 55 64 71 78 85 91 96 101 105 109 107 105 103 25 14 26 36 45 54 61 68 75 81 86 91 96 101 100 99 98 30 11 21 30 39 47 54 61 67 73 79 84 89 93 93 93 93 35 9 18 27 34 42 49 55 62 67 73 78 83 87 88 88 89 40 8 16 24 31 38 45 51 57 62 68 73 78 82 83 84 85 45 8 15 22 29 35 41 47 53 58 64 69 73 78 79 81 82 50 7 14 20 27 33 39 44 50 55 60 65 70 74 76 77 79 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 15 43 61 76 89 100 111 121 130 138 146 153 160 167 166 165 164 Montagem sem vento -5 173 173 172 171 170 169 167 166 164 162 161 159 157 142 129 119 0 137 137 137 137 137 137 137 137 137 137 137 137 137 125 116 109 5 100 101 102 104 106 108 110 112 114 115 117 118 120 111 105 100 10 64 67 72 76 81 85 89 92 95 98 101 104 106 100 96 93 15 32 41 49 56 62 68 73 78 82 85 89 92 95 92 89 87 20 16 27 36 43 50 56 62 67 71 76 80 83 86 84 83 82 25 11 20 28 36 42 48 54 59 64 68 72 76 79 79 78 77 30 9 17 24 31 37 43 48 53 58 62 66 70 74 74 73 73 35 7 14 21 27 33 39 44 49 53 57 61 65 69 69 70 70 40 7 13 19 25 30 35 40 45 49 53 57 61 65 66 66 67 45 6 12 17 23 28 33 37 42 46 50 54 58 61 63 64 64 50 5 11 16 21 26 31 35 39 43 47 51 55 58 60 61 62 TRAÇÕES .0002 FL. 109/120 TRAÇÕES .07/02/2014 DVEN DPEP .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 218 daN 2/0 CA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 173 daN 1/0 CA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V . DDI Nº 018/2014 .MÁX.

MÁX.REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 348 daN 4/0 CA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 526 daN 336.4 CA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .0002 FL. DDI Nº 018/2014 .MÁX.07/02/2014 DVEN DPEP . 15 78 107 131 153 172 190 206 221 234 247 259 270 280 276 273 270 Montagem sem vento -5 348 347 346 344 342 339 336 333 330 327 323 320 317 286 261 241 0 274 274 274 274 275 275 275 275 275 275 275 275 275 252 234 219 5 201 203 206 209 213 217 221 225 229 232 235 238 241 225 212 202 10 129 136 144 154 163 171 179 186 192 198 204 209 214 203 194 187 15 65 83 99 113 126 137 147 156 165 173 180 186 192 185 180 175 20 33 54 72 88 101 114 125 135 144 153 161 168 174 171 167 165 25 22 41 57 72 86 98 109 119 129 138 146 153 160 159 157 156 30 18 34 48 62 75 86 97 107 117 126 134 142 149 149 148 148 35 15 29 42 55 67 78 88 98 107 116 124 132 139 140 141 141 40 13 26 38 50 61 71 81 91 100 108 116 124 131 133 134 135 45 12 24 35 46 56 66 75 85 93 101 109 117 124 126 128 130 50 11 22 32 42 52 62 71 80 88 96 104 111 118 121 123 125 TRAÇÕES . 110/120 TRAÇÕES . 15 115 156 191 222 249 274 297 318 337 355 372 387 402 394 388 383 Montagem sem vento -5 526 526 525 523 521 519 515 512 509 505 501 497 494 447 409 379 0 414 416 417 419 420 422 424 425 426 428 429 430 431 396 368 346 5 304 308 314 321 329 336 344 351 357 363 369 374 379 354 335 319 10 195 208 223 238 253 267 279 291 302 312 321 329 337 320 307 297 15 100 129 155 177 197 215 232 246 260 272 283 294 303 293 284 278 20 51 86 114 138 160 180 197 213 228 242 254 265 276 270 265 261 25 35 65 91 114 135 155 172 189 204 218 231 243 254 251 249 247 30 28 53 77 98 118 137 154 170 185 199 212 224 236 236 235 235 35 24 46 67 87 106 123 140 155 170 184 197 209 221 222 223 224 40 21 41 61 79 96 113 129 144 158 172 184 196 208 211 213 215 45 19 38 55 73 89 105 120 134 148 161 174 185 197 201 204 206 50 18 35 51 67 83 98 112 126 140 152 164 176 187 192 196 199 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.CÓDIGO: E-313.

DDI Nº 018/2014 .CÓDIGO: E-313.REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 141 daN 25 CU TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V . 15 28 51 70 87 103 117 130 143 154 165 175 185 193 194 193 193 Montagem sem vento -5 88 102 116 129 140 151 162 171 180 188 195 202 208 201 196 191 0 62 80 96 110 123 135 146 156 165 174 181 189 195 191 187 183 5 42 63 80 95 109 121 133 143 153 161 170 177 184 181 178 176 10 30 51 68 83 97 110 121 132 142 151 159 167 174 172 171 169 15 24 43 59 74 88 100 112 123 132 142 150 158 166 165 164 163 20 20 37 53 67 80 93 104 114 124 133 142 150 158 158 158 157 25 17 33 48 61 74 86 97 107 117 126 135 143 151 151 152 152 30 16 30 44 57 69 80 91 101 111 120 129 137 144 146 147 148 35 14 28 41 53 65 76 86 96 106 115 123 131 139 140 142 143 40 13 26 38 50 61 72 82 92 101 110 118 126 133 136 138 139 45 12 24 36 47 58 68 78 87 96 105 113 121 129 131 134 136 50 12 23 34 45 55 65 75 84 93 101 109 117 124 127 130 132 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0002 FL.MÁX. 15 20 36 50 62 74 84 93 102 111 118 126 132 139 139 139 140 Montagem sem vento -5 60 69 79 87 95 103 110 116 122 127 132 137 141 137 133 130 0 42 54 65 75 84 92 99 106 112 118 123 128 133 130 127 124 5 28 42 54 65 74 82 90 97 104 110 115 120 125 123 121 119 10 20 34 46 57 66 75 82 90 96 103 108 114 119 117 116 115 15 16 29 40 51 60 68 76 83 90 96 102 107 113 112 111 111 20 14 25 36 46 55 63 71 78 84 91 97 102 107 107 107 107 25 12 23 33 42 50 58 66 73 80 86 92 97 102 103 103 104 30 11 21 30 39 47 55 62 69 75 82 87 93 98 99 100 100 35 10 19 28 36 44 51 59 65 72 78 84 89 94 95 96 97 40 9 18 26 34 41 49 56 62 68 74 80 86 91 92 93 95 45 8 17 24 32 39 46 53 59 66 71 77 82 87 89 91 92 50 8 16 23 30 37 44 51 57 63 69 74 79 84 86 88 90 TRAÇÕES .07/02/2014 DVEN DPEP . 111/120 TRAÇÕES .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 208 daN 35 CU TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .MÁX.

112/120 TRAÇÕES .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 758 daN 120 CU TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.MÁX.MÁX.REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 299 daN 50 CU TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V . DDI Nº 018/2014 . 15 92 165 229 286 337 385 429 470 508 543 576 607 636 633 631 629 Montagem sem vento -5 323 372 422 469 513 553 590 624 655 684 711 735 758 734 714 697 0 225 290 349 402 449 493 532 569 603 633 662 688 713 696 680 668 5 152 228 292 347 397 442 484 522 557 589 619 647 672 661 650 641 10 110 185 249 305 355 401 443 481 517 550 581 610 636 629 623 617 15 87 156 217 271 321 366 408 447 483 517 548 577 604 601 598 595 20 73 136 193 245 293 337 379 417 453 487 518 548 575 575 575 574 25 64 121 175 224 270 314 354 392 427 461 492 522 550 552 554 556 30 57 110 160 207 252 293 333 370 405 438 469 499 526 531 535 539 35 52 102 149 193 236 276 314 351 385 418 449 478 505 512 518 523 40 48 95 139 182 223 261 298 334 368 400 430 459 486 495 502 508 45 45 89 131 172 211 249 285 319 352 383 413 442 469 479 487 494 50 43 84 124 163 201 237 272 306 338 369 398 426 453 464 473 482 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0002 FL. 15 39 70 96 120 142 162 180 197 213 228 242 255 267 267 267 266 Montagem sem vento -5 127 147 166 185 202 218 233 246 258 270 280 290 299 290 282 275 0 89 114 138 158 177 194 210 224 238 250 261 272 281 274 268 263 5 60 90 115 137 157 175 191 206 220 232 244 255 265 261 256 253 10 43 73 98 120 140 158 175 190 204 217 229 241 251 248 246 243 15 34 62 86 107 127 144 161 176 191 204 216 228 238 237 236 235 20 29 54 76 97 116 133 149 165 179 192 205 216 227 227 227 227 25 25 48 69 88 107 124 140 155 169 182 194 206 217 218 219 219 30 23 44 63 82 99 116 131 146 160 173 185 197 208 210 211 212 35 21 40 59 76 93 109 124 138 152 165 177 189 199 202 204 206 40 19 37 55 72 88 103 118 132 145 158 170 181 192 195 198 200 45 18 35 52 68 83 98 112 126 139 151 163 174 185 189 192 195 50 17 33 49 64 79 94 107 121 133 145 157 168 179 183 187 190 TRAÇÕES .

15 24 41 54 66 77 87 96 104 112 119 126 132 138 138 138 138 Montagem sem vento -5 101 101 102 103 104 106 107 108 109 111 112 113 114 106 99 94 0 72 74 77 80 83 86 89 92 94 96 99 101 102 97 92 88 5 44 50 55 61 66 70 75 78 82 85 88 91 93 89 86 83 10 23 33 41 48 54 59 64 68 72 76 79 83 85 83 81 79 15 14 24 32 39 45 51 56 61 65 69 73 76 79 77 76 75 20 10 19 26 33 39 45 50 55 59 63 67 70 74 73 72 72 25 8 16 23 29 35 40 45 50 54 59 62 66 69 69 69 69 30 7 14 20 26 32 37 42 46 51 55 58 62 65 66 66 66 35 6 13 18 24 29 34 39 43 47 51 55 59 62 63 63 64 40 6 12 17 22 27 32 36 41 45 49 52 56 59 60 61 61 45 5 11 16 21 25 30 34 38 42 46 50 53 56 58 59 59 50 5 10 15 20 24 28 33 37 40 44 48 51 54 55 57 58 TRAÇÕES .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 193 daN 1/0 CAA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V . DDI Nº 018/2014 .CÓDIGO: E-313.MÁX. 113/120 TRAÇÕES . 15 34 57 76 93 108 122 135 146 157 167 176 185 193 192 192 191 Montagem sem vento -5 161 161 163 164 166 168 170 172 174 176 178 180 181 168 158 150 0 114 118 122 127 132 137 141 146 150 154 157 160 163 154 146 140 5 70 79 88 97 105 112 119 125 130 135 140 144 148 142 136 132 10 36 52 65 76 85 94 102 109 115 121 127 131 136 132 128 125 15 22 38 51 62 72 81 89 97 104 110 116 121 126 123 121 119 20 16 30 42 53 63 71 80 87 94 101 107 112 117 116 115 114 25 13 25 36 46 56 64 72 80 87 93 99 105 110 110 109 109 30 12 22 32 42 50 59 66 74 81 87 93 99 104 104 105 105 35 10 20 29 38 46 54 62 69 75 82 88 93 99 100 100 101 40 9 18 27 35 43 51 58 65 71 77 83 89 94 95 97 98 45 9 17 25 33 40 48 55 61 67 73 79 85 90 92 93 94 50 8 16 24 31 38 45 52 58 64 70 76 81 86 88 90 92 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.07/02/2014 DVEN DPEP .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 138 daN 2 CAA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .MÁX.0002 FL.

REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 363 daN 4/0 CAA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .CÓDIGO: E-313. DDI Nº 018/2014 .07/02/2014 DVEN DPEP .MÁX.REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 363 daN 4/0 CAA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 C/ V .0002 FL.MÁX. 114/120 TRAÇÕES . 15 58 98 132 161 187 211 232 252 270 287 303 317 331 327 325 322 Montagem sem vento -5 322 323 326 329 333 337 341 345 349 353 356 360 363 336 316 300 0 229 235 244 254 264 274 283 292 300 308 314 321 326 308 293 281 5 141 158 176 194 210 225 238 250 261 271 281 289 297 284 273 265 10 73 104 130 152 171 188 204 218 231 243 253 263 272 264 257 251 15 44 75 101 124 144 162 179 194 207 220 231 242 252 247 242 239 20 32 60 84 106 125 143 160 175 189 202 213 225 235 232 230 228 25 27 51 73 93 111 129 145 160 174 187 199 210 220 220 219 219 30 23 45 65 83 101 118 133 148 161 174 186 197 208 209 210 210 35 21 40 59 76 93 109 124 138 151 164 176 187 197 199 201 202 40 19 37 54 71 86 101 116 129 142 155 166 178 188 191 193 195 45 17 34 50 66 81 95 109 122 135 147 159 169 180 183 186 189 50 16 32 47 62 76 90 104 116 129 140 152 162 173 177 180 183 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. 15 58 98 132 161 187 211 232 252 270 287 303 317 331 327 325 322 Montagem sem vento -5 322 323 326 329 333 337 341 345 349 353 356 360 363 336 316 300 0 229 235 244 254 264 274 283 292 300 308 314 321 326 308 293 281 5 141 158 176 194 210 225 238 250 261 271 281 289 297 284 273 265 10 73 104 130 152 171 188 204 218 231 243 253 263 272 264 257 251 15 44 75 101 124 144 162 179 194 207 220 231 242 252 247 242 239 20 32 60 84 106 125 143 160 175 189 202 213 225 235 232 230 228 25 27 51 73 93 111 129 145 160 174 187 199 210 220 220 219 219 30 23 45 65 83 101 118 133 148 161 174 186 197 208 209 210 210 35 21 40 59 76 93 109 124 138 151 164 176 187 197 199 201 202 40 19 37 54 71 86 101 116 129 142 155 166 178 188 191 193 195 45 17 34 50 66 81 95 109 122 135 147 159 169 180 183 186 189 50 16 32 47 62 76 90 104 116 129 140 152 162 173 177 180 183 TRAÇÕES .

5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 15 82 141 190 233 271 306 337 367 393 418 441 462 482 477 472 468 Montagem sem vento -5 464 469 477 486 495 505 514 524 532 540 548 555 561 523 494 470 0 329 342 360 379 397 415 432 447 462 475 487 498 508 481 459 442 5 201 232 264 294 320 345 367 387 405 422 437 451 464 445 430 418 10 107 157 198 233 264 292 317 340 360 379 397 412 427 415 404 396 15 67 116 157 193 225 253 280 303 325 345 364 381 396 389 383 378 20 51 94 132 166 197 225 251 275 297 317 336 354 370 367 364 361 25 42 80 114 146 176 203 228 252 274 295 314 332 348 348 347 346 30 36 70 102 132 160 186 210 234 255 275 295 313 329 331 332 333 35 33 64 93 121 147 172 196 218 239 259 278 296 313 316 319 321 40 30 58 86 112 137 161 184 205 226 245 264 282 298 303 307 310 45 28 54 80 105 129 151 173 194 214 233 252 269 286 291 296 300 50 26 51 75 99 122 143 165 185 204 223 241 258 274 281 286 291 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.MÁX. 115/120 TRAÇÕES . DDI Nº 018/2014 .0002 FL.CÓDIGO: E-313.REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 561 daN 336.4 CAA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) C/ V .07/02/2014 DVEN DPEP .

TRAÇÕES .REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 81 daN 6 CU TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) C/ V MÁX.084 (m/°C) 17.30 24.116 0. FL.71 6 Cu 4 CAA (mm) 4.1. 116/120 Trações Cabo 4CAA Swan e Fio 6AWG Cu DADOS DOS CONDUTORES ESPECIAIS ITEM 1 2 TIPO SEÇÃO DIÂMETRO PESO (mm2) 13.2.0002 7.36 MÓDULO DILATAÇÃO RUPTURA (daN/mm2) 9000 7900 (daN) 0.0E-5 19.CÓDIGO: E-313.12 6.07/02/2014 DVEN DPEP .1E-5 (daN) 570 812 TRAÇÃO PROJETO (daN) 81 101 As Flechas são as mesmas indicadas na tabela correspondente no Anexo 7. 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 15 12 21 29 36 42 48 54 59 63 68 72 76 80 80 81 81 Montagem sem vento -5 29 35 40 45 49 54 58 61 64 67 70 73 75 73 72 70 0 21 28 34 39 44 48 52 56 60 63 66 69 71 70 68 67 5 15 22 29 34 39 44 48 52 55 59 62 65 67 66 66 65 10 11 18 25 30 35 40 44 48 52 55 58 61 64 63 63 62 15 9 16 22 27 32 37 41 45 49 52 55 58 61 61 60 60 20 7 14 19 25 30 34 38 42 46 49 52 55 58 58 58 58 25 6 12 18 23 27 32 36 40 43 47 50 53 56 56 56 56 30 6 11 16 21 26 30 34 38 41 44 48 51 53 54 54 55 35 5 10 15 20 24 28 32 36 39 42 46 49 51 52 53 53 40 5 10 14 18 23 27 30 34 37 41 44 47 49 50 51 52 45 5 9 13 18 21 25 29 32 36 39 42 45 48 49 50 50 50 4 9 13 17 20 24 28 31 34 38 41 43 46 47 48 49 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES. DDI Nº 018/2014 .

REDES URBANAS CONDUTOR: VENTO MÁXIMO: 80 km/h TRAÇÃO DE PROJETO: 101 daN 4 CAA TRAÇÕES DE MONTAGEM (daN) TEMPERATURAS (°C) VÃOS (m) C/ V .07/02/2014 DVEN DPEP . DDI Nº 018/2014 .0002 FL. 5 10 15 20 25 30 35 40 45 50 55 60 65 70 75 80 15 18 29 39 48 55 62 69 75 81 86 91 95 100 100 101 101 Montagem sem vento -5 64 64 64 65 66 66 67 68 69 70 70 71 72 66 62 59 0 45 46 48 50 52 54 56 58 59 61 62 63 64 61 58 55 5 28 31 35 38 41 44 47 49 52 54 55 57 59 56 54 52 10 14 21 26 30 34 37 40 43 46 48 50 52 54 52 51 50 15 9 15 20 24 28 32 35 38 41 43 46 48 50 49 48 47 20 6 12 17 21 25 28 31 34 37 40 42 44 46 46 45 45 25 5 10 14 18 22 25 29 31 34 37 39 41 43 43 43 43 30 5 9 13 16 20 23 26 29 32 34 37 39 41 41 41 41 35 4 8 12 15 18 21 24 27 30 32 35 37 39 39 40 40 40 4 7 11 14 17 20 23 26 28 31 33 35 37 38 38 39 45 3 7 10 13 16 19 22 24 27 29 31 33 35 36 37 37 50 3 6 9 12 15 18 20 23 25 28 30 32 34 35 36 36 PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.MÁX. 117/120 TRAÇÕES .CÓDIGO: E-313.

6 – Os postes da tabela acima podem ser substituídos por postes poliméricos em PRFV (fibra). 7 – Nas redes monofásicas em áreas rurais deve-se utilizar preferencialmente postes de madeira de eucalipto preservado conforme a E-313. fica restrito a áreas rurais. deve ocorrer obrigatoriamente com o poste implantado.5 8 9 12 10 11 13 12 13 15 14 Comprimento nominal Código CELESC Item daN m 1 Postes Circulares B L ± 0. 4 – O poste duplo T 10/150 tipo D e do circular 10/150 não poderá ser utilizado em áreas urbanas e loteamentos. periferias de áreas urbanas onde não exista a previsão de lançamento do 2º circuito dentro do prazo mínimo de 10 anos. DDI Nº 018/2014 .07/02/2014 DVEN DPEP .5 1 000 4879 13 Notas: 1 – Postes distintos desta lista serão considerados especiais e devem ser tratados pontualmente.05 Tipo m 150 4798 1 300 4800 2 600 4804 1 000 4801 3 4 300 4807 5 600 4815 6 1 000 4818 7 300 4820 8 Carga nominal Cn Código CELESC daN 10 11 12 C-14 150 4627 C-29 1 500 4695 C-33 2 000 4697 C-17 C-19 C-23 300 600 4640 1 000 4644 C-29 1 500 4645 C-33 2 000 4652 4642 600 4851 9 C-39 2 500 4704 B-1. 5 – Nos loteamentos. 3 – A montagem das estruturas em poste duplo T 10/150 tipo D e do circular 10/150.CÓDIGO: E-313.05 Item Cn Tipo D 2 10 3 4 B B-1.5 1 000 4823 10 C-29 1 500 4685 B 600 4819 11 C-33 2 000 4652 B-1.0002 7. 118/120 Postes de Concreto Armado Padronizados Postes Duplo T Carga nominal Comprimento nominal L±0.3.5 5 6 11 7 B B-1. PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.0025.5 1 000 4824 12 C-39 2 500 4689 B 600 4839 13 C-43 3 000 13795 B-1. a critério do empreendedor. FL. poder-se-á utilizar postes circulares com o mesmo carregamento dos postes duplo T. respeitando-se as exigências e distancias mínimas constantes nesta especificação. 2 – A utilização do poste duplo T 10/150 tipo D e do circular 10/150.

2 .0002 7.5 a 225 225 a 300 Resistência mecânica mínima do poste (daN) 300 600 1000 Massa máxima do transformador (kg) 600 1200 1500 NOTAS: 1 .Para transformadores mais antigos é imprescindível a conferência da massa do mesmo para a aplicação do poste.07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313. são para estruturas tangentes ou passantes. FL. 119/120 Resistência Nominal dos Postes de Concreto Armado Para a instalação de Transformadores Potência do transformador (kVA) até 75 112.Os postes indicados na tabela acima.4. Situações distintas devem ser calculadas particularmente. com ângulo máximo de 5°. DDI Nº 018/2014 . PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.

120/120 Controle de Revisões e Alterações Histórico das revisões REVISÃO RESOLUÇÃO .3 118 Adicionadas notas de utilização do poste duplo T 10/150. DESCRIÇÃO 7.07/02/2014 DVEN DPEP .CÓDIGO: E-313.5 FL. DDI Nº 018/2014 . 7.DATA ELABORAÇÃO VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO 0 DDI Nº 092/13 .0002 7.15/10/2013 APD GMTK SLR Alterações realizadas nesta revisão DETALHES DAS ALTERAÇÕES ITEM PÁG.3 118 Introdução do poste duplo T 10/150 na tabela. PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO DVCI RES.