G

GUIA PRÁTICO
DO USO DA PATESCA
Como reduzir 50% ou mais
a carga no guincho e no cabo
de maneira fácil e barata
João Carlos Teixeira - 2015

Esta vantagem é bastante útil na trilha multiplicando a força do guincho para poupá-lo ou para permitir seu uso em situações que excedam sua capacidade. Temos uma vantagem mecânica quando uma força aplicada a um dispositivo é multiplicada por um número maior que um. para entender melhor. vamos observar algumas das configurações mais comuns. aumenta. ou seja.Introdução Indispensável na caixa de ferramentas de um jipeiro. A vantagem mecânica obtida com uma patesca depende da configuração adotada e. a patesca é uma máquina simples capaz de proporcionar o que na Física chamamos de vantagem mecânica. .

É importante que os cabos fiquem o mais paralelo possível. além de manter a vantagem mecânica. No exemplo acima. será dividida por dois cabos cabendo 1 tonelada para cada um deles. passe o cabo do guincho pela patesca e retorne até um ponto de ancoragem no veículo de resgate (fixo) ou um ponto fixo próximo a ele (veja detalhe na figura). isto é. A outra força será aplicada ao ponto de ancoragem. esta será a força à qual o guincho estará submetido. . uma força de 2 toneladas. Importante! A extremidade do cabo sendo presa a um ponto de ancoragem fora do veículo de resgate (veja detalhe na figura). a soma das forças de um lado será igual à soma das forças do lado oposto. As forças na patesca estarão em equilíbrio. Neste caso a vantagem mecânica será 2:1. necessária para deslocar o veículo em apuros. Isto significa que a força de arraste será o dobro da força no guincho e que a velocidade de deslocamento do veículo guinchado será a metade da velocidade do cabo junto ao guincho.Ajudando um amigo na trilha Prenda a patesca no veículo a ser resgatado (móvel). diminuirá a chance de arrastá-lo já que estará sujeito a apenas à metade da força total de tração. Como um dos cabos é o do guincho.

. necessária para deslocar o veículo. A força total de tração sobre o veículo será de 2 toneladas. realizará um auto-resgate. passe o cabo pela patesca e retorne a um ponto de ancoragem no próprio veículo que.Salvando a própria pele Prenda a patesca a um ponto de ancoragem resistente distante do veículo. Do mesmo modo que na configuração anterior. No exemplo acima. será dividida por dois cabos cabendo 1 tonelada para cada um deles. Neste caso a vantagem mecânica também será 2:1 e a velocidade de deslocamento do veículo será a metade da velocidade do cabo junto ao guincho. a vantagem mecânica será anulada completamente e o veículo estará sujeito apenas à força do guincho. neste caso. uma força de 2 toneladas. É importante que os cabos fiquem o mais paralelo possível. um dos cabos é o do guincho e esta será a força à qual o guincho estará submetido. Importante! Se a extremidade do cabo for presa a um ponto de ancoragem fora do veículo (não está na ilustração).

Se em uma extremidade do cabo tivermos 2 toneladas. necessária para equilibrar o sistema. Prenda a patesca a um ponto de ancoragem resistente que fique convenientemente posicionado em relação aos dois veículos. na outra extremidade também teremos obrigatoriamente 2 toneladas. passe o cabo do guincho pela patesca e prenda-o no veículo a ser resgatado tomando o cuidado de deixar o veículo de resgate o mais alinhado possível com o cabo. A velocidade de deslocamento do veículo guinchado também será igual à velocidade do cabo junto ao guincho.Mudando de direção Nem sempre podemos posicionar o veículo de resgate diretamente à frente do veículo em apuros e esta configuração serve para uma mudança de direção do cabo por comodidade ou necessidade. As forças em ambos os segmentos do cabo serão iguais. Neste caso não há vantagem mecânica e a força de arraste será igual à força no guincho. será no máximo igual ao dobro da força no cabo. . A força X no ponto de ancoragem fixo.

Passe o cabo do guincho pelas duas patescas e fixe sua extremidade em um ponto de ancoragem no veículo a ser resgatado.Ajudando um amigo peso pesado Quando a coisa fica mais difícil pode-se usar duas patescas como na figura acima. O guincho. A figura acima ilustra o caminho do cabo indicando as forças em cada segmento. além de manter a vantagem mecânica. mantendo-se o paralelismo dos cabos o mais possível. diminuirá a chance de arrastar o próprio veículo de resgate já que este estará sujeito a apenas 1/3 da força total de tração. Uma delas presa ao veículo a ser resgatado e outro ao veículo de resgate. Observe que em cada patesca temos um equilíbrio de forças e que tanto o veículo de resgate quanto o veículo resgatado estarão sujeitos a 3 toneladas. estará sujeito a apenas 1 tonelada. Isto significa que a força de arraste será o triplo da força no guincho e que a velocidade de deslocamento do carro guinchado será um terço da velocidade do cabo junto ao guincho. Importante! A patesca próxima ao veículo de resgate (fixo) sendo presa a um ponto de ancoragem fora do veículo (veja detalhe na figura). no entanto. . Neste caso a vantagem mecânica será 3:1.

Observe que aqui também teremos um equilíbrio de forças e que tanto o veículo quanto o ponto de ancoragem estarão sujeitos a 3 toneladas. no entanto. Isto significa que a força de arraste será o triplo da força no guincho e que a velocidade de deslocamento do veículo guinchado será um terço da velocidade do cabo junto ao guincho. Neste caso a vantagem mecânica também será 3:1. A figura acima ilustra o caminho do cabo indicando as forças em cada segmento.Saindo de uma enrascada maior Para sair desta usando duas patescas. O guincho. Passe o cabo pelas duas patescas e fixe sua extremidade em um ponto de ancoragem próximo ao primeiro. prenda uma delas em um ponto de ancoragem resistente distante do veículo e outra no próprio veículo. . Importante! Se a patesca próxima ao veículo for presa a um ponto de ancoragem fora do veículo (não está na ilustração). está sujeito a apenas 1 tonelada. a vantagem mecânica será anulada completamente e o veículo estará sujeito apenas à força do guincho. mantendo os cabos o mais paralelo possível.

envie e-mail para contato@cabospatanegra.br © 2015 JCTeixeira . Mande seus comentários para contato@jcteixeira. Ele é mais seguro e muito mais fácil de manusear do que o cabo de aço. etc. como uma lona. Nunca prenda o gancho do cabo ou a patesca no quebra-mato.com. coloque sobre o cabo alguma coisa pesada. o gancho não sair voando.br * * * Gostaria de saber de suas impressões sobre este guia. Prefira o uso do cabo sintético no seu guincho.com.Segurança em primeiro lugar! Nunca fique na direção de um cabo de aço e. * * * Se você quer saber mais sobre os cabos sintéticos de guincho e patescas. uma jaqueta. no caso de uma ruptura do cabo. sempre que possível. para.br e maceral@maceral. Sempre que prender o gancho do cabo ou a patesca certifique-se que o ponto de ancoragem é suficientemente robusto para aguentar o esforço.com.