ANALISTAS TRE/TRF/MPU

Disciplina: Direito Administrativo
Prof. Fabrício Bolzan
Aulas nº 03 e 04

MATERIAL DE APOIO – PROFESSOR

Agentes Públicos
1. Conceito:
-são as pessoas físicas que
remuneração

exercem funções estatais,

transitoriamente ou não,

com ou sem

2. Classificação:
2.1. Agentes políticos
2.2. Servidores públicos (também chamados de "agentes administrativos")
2.3. Particulares em colaboração com o Estado
2.4. Militares (para MSZP)
Agentes Públicos
RE 228977 / SP - SÃO PAULO EMENTA: - Recurso extraordinário. Responsabilidade objetiva. Ação
reparatória de dano por ato ilícito. Ilegitimidade de parte passiva. 2. Responsabilidade exclusiva do
Estado. A autoridade judiciária não tem responsabilidade civil pelos atos jurisdicionais praticados.
Os magistrados enquadram-se na espécie agente político, investidos para o exercício de
atribuições constitucionais, sendo dotados de plena liberdade funcional no desempenho de suas
funções, com prerrogativas próprias e legislação específica. 3. Ação que deveria ter sido ajuizada
contra a Fazenda Estadual - responsável eventual pelos alegados danos causados pela autoridade
judicial, ao exercer suas atribuições -, a qual, posteriormente, terá assegurado o direito de
regresso contra o magistrado responsável, nas hipóteses de dolo ou culpa. (...)
Servidores públicos/Agentes administrativos
dividem-se em:
a) servidores estatutários
b) empregados públicos
c) servidores temporários
Servidores Temporários
Art. 2º. Considera-se necessidade temporária de excepcional interesse público:
I-assistência a situações de calamidade pública;
II-saúde pública;
III-realização de recenseamentos e outras pesquisas de natureza estatística efetuadas pela
Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE;
IV-admissão de professor substituto e professor visitante;
V-admissão de professor e pesquisador visitante estrangeiro;
Servidores Temporários
STJ - CC 77941 / MG - CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. SERVIDOR. CONTRATO
TEMPORÁRIO. LEI ESPECIAL. VÍNCULO ESTATUTÁRIO. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA COMUM.
ANULAÇÃO DE SENTENÇA DE MÉRITO PROFERIDA PELO JUÍZO TIDO POR INCOMPETENTE. ART.
122, CAPUT, E PARÁGRAFO ÚNICO DO CPC.
1. Configurada hipótese de contratação temporária disciplinada por lei especial, o vínculo
estabelecido entre poder público e o servidor é estatutário, e não celetista, o que estabelece a
competência da justiça comum para o julgamento da causa.

ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. 03 e 04

Súmula Vinculante nº 6: “Não viola a Constituição da República o estabelecimento de remuneração inferior ao salário mínimo para os praças prestadores de serviço militar inicial”. DF e Territórios. como se fosse um agente público de direito. nomeados ou designados (ou agentes honoríficos) b) gestores de negócios públicos (tb chamados de “agentes de fato necessários”) c) delegatários Militares -excluídos do capítulo dos servidores públicos pela Emenda Constitucional n. com a anuência do Estado. Embora inicialmente a relação entre o poder público e a funcionária tenha cunho administrativo. CONTRATAÇÃO IRREGULAR.Servidores Temporários STJ . AUSÊNCIA DE APROVAÇÃO DE CONCURSO PÚBLICO.º 18/98 -MSZP: São os integrantes das forças armadas. confirmadas pelo poder público Disposições Constitucionais Regra Concurso Público: A investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos. Particulares em colaboração com o Estado dividem-se em: a) requisitados. serão confirmados pelo Poder Público. se não forem praticados com abuso. passando o vínculo entre as partes a ser regido pelas normas da Consolidação das Leis do Trabalho .CC 70226 / PA Ementa CONFLITO NEGATIVO DE COMPETÊNCIA. Agente de fato Aqueles agentes que. sob pena de caracterizar enriquecimento ilícito da Administração – STF-RMS 25104. a continuada prestação de serviços de forma habitual pela reclamante. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO.CLT. sem ter uma investidura regular. ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. em regra. SERVIDORA MUNICIPAL. CONTINUAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS SEM A PRÉVIA PRORROGAÇÃO DO PACTO. desnatura o primitivo contrato administrativo por tempo determinado. em situações excepcionais. EX: não prestou concurso público Agente de fato Efeitos: a) agentes necessários: os atos. como se fossem agentes públicos. com vínculo estatutário mas submetidos a um regime próprio. sendo suas ações. Agente de fato (DPF/Reg/2004/59/c) Um agente de fato necessário pratica atos e executa atividades em colaboração com o poder público. ADMISSÃO MEDIANTE CONTRATO ADMINISTRATIVO POR PRAZO DETERMINADO. Não precisa devolver a remuneração recebida pelo trabalho. policiais militares e corpos de bombeiros militares dos Estados. embora não tenham sua investidura dentro do procedimento legalmente exigido (JSCF). executam uma função pública em nome do Estado a) agentes necessários: praticam atos em situações excepcionais. 3. de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego. REGIME CELETISTA. 03 e 04 . b) agentes putativos: desempenham atividade pública na presunção de que há legitimidade. b) agentes putativos: Teoria da aparência: são válidos os atos perante terceiros de boa fé. EX: gestor de negócio público.

IV da CF: ao militar são proibidas a sindicalização e a greve Direito de greve Art.e. é direito garantido ao servidor público civil. 37. ou seja. 37. Estabilidade é o direito de permanência no serviço público outorgado a servidor nomeado para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público que tenha transposto o estágio probatório e obtido aprovação na avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade. 12. Prioridade na nomeação Art. 608 e 670). 142. prorrogável uma vez.112/90: O concurso público terá validade de até dois anos. CF). CF). caput. VII da CF: o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica. ministros do STF e ministros do STJ Prazo de validade do concurso público Art. II. não comportando qualquer exceção. 37. 37. II. i. Direito à associação sindical Art. CF) Exceções à regra do concurso público 1) cargos em comissão de livre nomeação e exoneração (art. O STF entendeu pela aplicação no que couber da Lei nº 7. 37.783/89. como regra. 37. É norma constitucional de eficácia limitada para o STF. III da CF: o prazo de validade do concurso público será de até dois anos. Aos militares são vedadas a sindicalização e a greve. por igual período.na forma prevista em lei. 41. 03 e 04 . um processo seletivo simplificado para sua contratação). podendo ser prorrogada uma única vez. IV da CF: durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação. são estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público (art.745/93. 2) servidores temporários (a Lei 8. Art.. §3º. O prazo começa a contar da homologação do concurso. VI da CF: é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical. na carreira. Estabilidade é o direito de permanência no serviço público outorgado a servidor nomeado para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público que tenha transposto o estágio probatório e obtido aprovação na avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade... até a edição de lei regulamentanto esse direito do servidor (Mandados de Injunção nºs 712. 3) cargos vitalícios preenchidos por membros do quinto constitucional dos tribunais. quando a autoridade competente certifica que o procedimento do concurso foi válido e regular. ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração (art. prevê. (. certos cargos de tribunais superiores (havendo alguns de ocupação temporária nos tribunais eleitorais). aplicável à esfera federal. Art. por igual período. É norma auto-aplicável.) Parágrafo 2º: Não se abrirá novo concurso enquanto houver candidato aprovado em concurso anterior com prazo de validade não expirado. aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego. da Lei 8. depende de lei ordinária específica. membros dos Tribunais de Contas.

emprego ou função com atribuições iguais ou semelhantes fica condicionada a um período de 4 anos. 41. Estabilidade Neste caso. de servidor celetista concursado. ao regime jurídico próprio das empresas privadas. II. § 1. inclusive quanto às obrigações trabalhistas e tributárias.º. DJ 20.09. A criação de outro cargo. Entretanto. 129/2005. CF). § 1. CF). assegurada ampla defesa (art. inciso II. § 1. III. tendo em vista tratar-se de empresa pública que presta serviço da competência da União Estabilidade e Celetistas ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. b) exoneração dos servidores não estáveis. Para respeitar esse limite devem ser adotadas as seguintes medidas: a) redução de 20% da despesa com cargo em comissão e função de confiança.09.00) Estabilidade e Celetistas PROC. REINTEGRAÇÃO.inserida em 20.2002 . 41 DA CF/1988. § 3. 03 e 04 . INAPLICÁVEL . mediante ato normativo motivado. DISPENSA IMOTIVADA.º.” Estabilidade e Celetistas S. após dois anos de efetivo exercício. Estados e Municípios: 60%. II.e 22 da SBDI-2 . ESTABILIDADE. A possibilidade da dispensa imotivada.50% da receita líquida. IMPOSSIBILIDADE. os servidores nomeados em virtude de concurso público. 173. 41 da CF/1988. (ex-OJs nºs 265 da SBDI-1 . 173. Estabilidade A Lei Complementar 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal) fixa em seu art. ART. § 4. 41. CF). § 1º. o servidor público perderá o cargo: a) em virtude de sentença judicial transitada em julgado (art.º. encontra justificativa no fato de que as sociedades de economia mista e as empresas públicas sujeitam-se. AUTÁRQUICA OU FUNDACIONAL. na forma de lei complementar.7 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS. autárquica ou fundacional é beneficiário da estabilidade prevista no art. 41.O servidor público celetista da administração direta. bem como o Tribunal Superior do Trabalho.Estabilidade Uma vez estável. 19 o limite de despesa de pessoal para cada ente da federação: União. 390/TST ESTABILIDADE. Nº TST-RR-675072/2000.º. conforme previsto no art. 169.” Atual redação com a EC 19/98: “Art. CF). da Constituição Federal não se aplica à ECT. c) se não for suficiente. já firmaram entendimento de que o disposto no art.Res. APROVAÇÃO EM CONCURSO PÚBLICO. c) mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho. I. Estabilidade e Celetistas Redação original do art. b) mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa (art.inserida em 27. d) se não for cumprido o limite com despesa de pessoal previsto no artigo 169 da Constituição. a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos possui particularidade que a distingue das demais. 41. 41. desligamento dos servidores estáveis. caso não sejam suficientes as medidas do artigo 169. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público.04. 41. o servidor terá direito a uma indenização correspondente a um mês de remuneração por ano de serviço e o cargo será extinto. APLICABILIDADE. 22 e 25. EMPREGADO DE EMPRESA PÚBLICA E SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. CELETISTA. ADMINISTRAÇÃO DIRETA. da Constituição. embora se trate de empresa pública. CF: “Art. O Supremo Tribunal Federal. São estáveis.2005 I .º (art.

percebidos cumulativamente ou não. que receberem recursos da União. 37. as parcelas de caráter indenizatório previstas em lei”.00) Prazo do estágio probatório e prazo de estabilidade STf e STJ equivalente à estabilidade (3 anos ou 36 meses) Teto Remuneratório Art.e 22 da SBDI-2 .O servidor público celetista da administração direta. dos Estados. dos Estados.04. para efeito dos limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput deste artigo. ART. e suas subsidiárias. as parcelas de caráter indenizatório previstas em lei”.S. ADMINISTRAÇÃO DIRETA. o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito do Poder Legislativo e o subsídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça.inserida em 20. e suas subsidiárias. do Distrito Federal ou dos Municípios para pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral”. dos Ministros do Supremo Tribunal Federal. em espécie. o STF suspendeu em sede de liminar na ADI nº 3854 a eficácia do disposto no inciso XI do art. do Distrito Federal ou dos Municípios para pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral”. 41 DA CF/1988. autárquica ou fundacional é beneficiário da estabilidade prevista no art. para efeito dos limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput deste artigo. incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza não poderão exceder o subsídio mensal. CF: “Não serão computadas. O Poder Judiciário é uno e não é possível fazer diferença entre a Justiça Federal e a Justiça Estadual Teto Remuneratório 37. CELETISTA. CF: “O disposto no inciso XI aplica-se às empresas públicas e às sociedades de economia mista. § 11. DJ 20. dos membros de qualquer dos Poderes da União. pensões ou outra espécie remuneratória.” Teto Remuneratório Art. o subsídio mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo. XI.inserida em 27. em espécie. 41 da CF/1988. nos Municípios. § 11. CF: “Não serão computadas. CF: “a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos. dos Estados. e nos Estados e no Distrito Federal. 37. que receberem recursos da União. 22 e 25. 03 e 04 . Teto Remuneratório 37. § 9º. 37. CF: “O disposto no inciso XI aplica-se às empresas públicas e às sociedades de economia mista. autárquica e fundacional. XI. 129/2005.09. Provimento Conceito: ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. do Distrito Federal e dos Municípios. aplicável este limite aos membros do Ministério Público. no âmbito do Poder Judiciário. § 9º. AUTÁRQUICA OU FUNDACIONAL.09.2002 . aos Procuradores e aos Defensores Públicos Teto Remuneratório Com relação ao Poder Judiciário. funções e empregos públicos da administração direta. 390/TST ESTABILIDADE. 37. o subsídio do Prefeito.2005 I . INAPLICÁVEL . EMPREGADO DE EMPRESA PÚBLICA E SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA. APLICABILIDADE. 37 da CF. dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos. (ex-OJs nºs 265 da SBDI-1 . CF: aplicando-se como limite.Res. dos Ministros do Supremo Tribunal Federal. limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal.

VIII-reintegração.112/90: “Art. dentro do número de vagas previstas em edital. Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança. possui direito líquido e certo à nomeação e à posse.RECURSO PROVIDO.º 8.099 de 10-08-2011 regime de Repercussão Geral aprovado dentro do número de vagas tem direito à nomeação. para tomar posse. 03 e 04 . É forma de ascender na carreira. Nomeação STF RE 598. deveres e responsabilidades do cargo público ao servidor.CONCURSO . Posse é o ato pelo qual são cometidas as atribuições. II-promoção. VI-reversão. O nomeado possui o prazo de 30 dias. 1.8. salvo em situações excepcionais. dentro da carreira a que pertence. VII-aproveitamento. o candidato aprovado em concurso público. O servidor tem o prazo de 15 dias da posse para entrar em exercício. contado da data de publicação do ato de provimento. Promoção Tais formas de provimento ensejavam ao preenchimento de cargos de natureza diversa daquele para o qual fora originariamente investido.SERVIDOR PÚBLICO . direitos. uma vez que eram inconstitucionais pelo fato de não respeitarem o princípio do concurso público. Promoção Ascensão: servidor passa de um cargo situado na classe mais elevada de uma carreira. Tranferência: servidor passa de um cargo efetivo para outro de igual denominação. Nomeação STJ RMS 20718 / SP (04/12/2007) ADMINISTRATIVO .-é o ato pelo qual o servidor é investido no cargo. IX-recondução” Nomeação I – nomeação: é o ato que materializa o provimento originário de um cargo.º São formas de provimento de cargo público: I-nomeação. Promoção II – promoção: (ou acesso no Estatuto Paulista) é forma de provimento pela qual o servidor passa para cargo de maior grau de responsabilidade e maior complexidade de atribuições.APROVAÇÃO DE CANDIDATO DENTRO DO NÚMERO DE VAGAS PREVISTAS EM EDITAL – DIREITO LÍQUIDO E CERTO À NOMEAÇÃO E À POSSE NO CARGO . A Lei 9527/97 aboliu as formas de provimento transferência e ascensão. ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. situado em quadro funcional diverso. para classe inicial de carreira diversa. Em conformidade com jurisprudência pacífica desta Corte. emprego ou função (MSZP) a) originário: vincula o servidor pela primeira vez b) derivado: exige um vínculo anterior com a Administração Formas de Provimento Lei n. V-readaptação.

29) e decorrerá de: a) inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. b5) haja cargo vago. Aproveitamento O retorno à atividade de servidor em disponibilidade far-se-á mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado. quando junta médica oficial declarar insubsistentes os motivos da aposentadoria. Lei 8. (art. -encontrando-se provido o cargo. 30 e 31. STJ – MS nº 8339. Reintegração é a reinvestidura do servidor estável no cargo anteriormente ocupado. IN nº 10 da AGU de 2004. Reversão b) . desde que: b1) tenha solicitado a reversão. ou. posto em disponibilidade. o servidor exercerá suas atribuições como excedente. desde que solicite a recondução dentro do período probatório. observado o disposto no art. Recondução Servidor estável que desiste do estágio probatório a que foi submetido em razão de ingresso em novo cargo público. b) reintegração do anterior ocupante.112/90) A readaptação será efetivada em cargo de atribuições afins. 03 e 04 . nível de escolaridade e equivalência de vencimentos e. na hipótese de inexistência de cargo vago. observado o disposto nos arts. Recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado (art. tem direito a ser reconduzido ao cargo anteriormente ocupado. atuará como excedente até o surgimento de uma vaga. 24. o servidor será aproveitado em outro.Súmula 685 do STF: É inconstitucional toda modalidade de provimento que propicie ao servidor investir-se. b4) a aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação da reversão. ainda. Se não existir cargo vago. o seu eventual ocupante será reconduzido ao cargo de origem. b3) estável quando na atividade. 25): a) de ofício: aposentadoria por invalidez. b2) a aposentadoria tenha sido voluntária. o servidor ficará em disponibilidade. 30).no interesse da administração. sem direito à indenização ou aproveitado em outro cargo. 28). quando invalidada a sua demissão por decisão administrativa ou judicial. respeitada a habilitação exigida. com ressarcimento de todas as vantagens (art. Enunciado nº 16 da AGU de 2002. ou no cargo resultante de sua transformação. em cargo que não integra a carreira na qual anteriormente investido. -encontrando-se provido o cargo de origem. 30. ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. sem prévia aprovação em concurso público destinado ao seu provimento. na hipótese de o cargo ter sido extinto. até a ocorrência de vaga Reversão é o retorno à atividade de servidor aposentado (art. Readaptação é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica (art.

III – promoção. Vacância (DPF/Nac/2004/61/e) 61.detentor de cargo efetivo de auditor fiscal da previdência social. ou de ofício (quando não satisfeitas as condições do estágio probatório. ou quando. 03 e 04 . no qual tomou posse. São ao mesmo tempo formas de vacância e de provimento. VI – readaptação. -readaptação. servidor público federal. Remoção ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. pela promoção. Paulo pode requerer a sua recondução ao cargo que ocupava anteriormente até 15/1/2009. o servidor não entrar em exercício no prazo estabelecido) b) de cargo em comissão e dispensa de função de confiança: –dá-se à juízo da autoridade competente. aposentadoria. Nessa situação.112/90: “Art. tendo tomado posse. VIII–posse em outro cargo inacumulável. Vacância é o ato administrativo pelo qual o servidor é destituído do cargo. 33. 8. II – demissão. VII –aposentadoria. assumindo a função em 15/1/2007. emprego ou função Lei n. ou sem extinção do vínculo. emprego ou função e pode ocorrer com extinção do vínculo pela exoneração. já havia adquirido a estabilidade no serviço público quando foi aprovado em concurso público para o cargo de analista do TCU.STF – MS nº 24. e -posse em outro cargo inacumulável. ou a pedido do próprio servidor Vacância Extinguem o vínculo com a administração (para Diógenes Gasparini): -exoneração -demissão -morte -aposentadoria Vacância Não extinguem o vínculo com a administração: -promoção. demissão e morte. conforme jurisprudência dos tribunais superiores. IX . mesmo sendo bem avaliado no estágio probatório em curso.falecimento” Exoneração a) de cargo efetivo: -dá-se a pedido do servidor. readaptação ou recondução.543-3 Recondução DPU/2007/145/C Paulo. A vacância é o ato administrativo pelo qual o servidor é destituído do cargo. A vacância do cargo público decorrerá de: I – exoneração.

39. de acordo com norma preestabelecidas pelo órgão ou entidade em que aqueles estejam lotados). III da Lei n. § 3. CF) e) membros do Ministério Público (art. verba de representação ou outra espécie remuneratória (art. II) por motivo de saúde do servidor. §§ 4. prêmio. 37) O servidor que não for redistribuído ficará em disponibilidade com proventos proporcionais até seu aproveitamento ou desempenhará exercício provisório em outro órgão ou entidade até o seu adequado aproveitamento. no âmbito do mesmo quadro. c) a pedido: independentemente de interesse da Administração (art. na hipótese em que o número de interessados for superior ao número de vagas. § 4. do DF e dos Municípios. “c”) f) advogados públicos federais. III) em virtude de processo seletivo promovido. com prévia apreciação do órgão central do SIPEC (art. com ou sem mudança de sede (art. companheiro ou dependente que viva às expensas e conste do seu assentamento funcional. 36) A remoção pode ser: a) de ofício: no interesse da Administração.112/90). ajudas de custo) e direitos previstos no artigo 39.º. nas seguintes hipóteses: Remoção I) para acompanhar cônjuge ou companheiro. da CF) -o subsídio não impede o recebimento de vantagens de caráter indenizatório (diárias. 8. de qualquer dos Poderes da União.º. 36. 135) Subsídio ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. 128.º. único. dos Estados.º e 8. 39. ocupado ou vago no âmbito do quadro geral de pessoal.Remoção: -é o deslocamento do servidor. que foi deslocado no interesse da Administração.º. § 5. sendo vedado o acréscimo de qualquer gratificação. estaduais e distritais e aos defensores públicos (art. 03 e 04 . também servidor público civil ou militar. adicional. para outro órgão ou entidade do mesmo Poder. cônjuge. b) a pedido: a critério da Administração. adicional noturno) Subsídio devido a: a) membro de poder b) detentor de mandato eletivo c) ministros de Estado d) secretários estaduais e municipais (art. Redistribuição é o deslocamento de cargo de provimento efetivo. abono. da CF (13. I.º salário. licença-gestante. par. a pedido ou de ofício. Sistema remuneratório Formas de remuneração dos servidores: -subsídio -remuneração Subsídio fixado em parcela única. condicionada à comprovação por junta médica oficial.

Crimes Não-Funcionais: Art. doloso ou culposo. 03 e 04 . Sindicância a) Espécies: Sindicância investigativa: meio sumário de apuração de infração disciplinar sem imposição de penalidade. Processo Administrativo Disciplinar É meio de apuração de infração disciplinar e imposição de penalidades graves (demissão. * A responsabilidade civil resulta de ato omissivo ou comissivo. poderá ser atribuído aos servidores organizados em carreira (art. a critério da autoridade superior. acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei”. I.º 8. nessa qualidade.º. “b”. Tem uma parte fixa (vencimento) e outra variável (vantagens pecuniárias) Lei n. Regime Disciplinar Art. Instauração de processo administrativo disciplinar: quando se chegar à conclusão de que há a necessidade de imposição de penalidades mais graves. penal e administrativamente pelo exercício irregular de suas atribuições * A responsabilidade penal abrange os crimes e contravenções imputadas ao servidor.112/90: “Art. * A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. função pública ou mandato eletivo quando aplicada pena privativa de liberdade por tempo superior a quatro anos. CP: São efeitos da condenação a perda de cargo. 41. § 9. 117: proibições * O servidor responde civil. Sindicância investigativa e punitiva: meio sumário de apuração de infração disciplinar e imposição de penalidades leves (advertência e suspensão até trinta dias) b) Conseqüências da Sindicância: Arquivamento: quando não constatar a ocorrência de infração disciplinar ou a identificação da autoria. penais e administrativas poderão cumular-se. c) Prazo: a sindicância deverá ser concluída no prazo de trinta dias. praticado no desempenho do cargo ou função * As sanções civis. 116: deveres do servidor: Art. Aplicação de penalidades leves (advertência ou suspensão de até 30 dias). Remuneração não poderá ser inferior a um salário mínimo. § 8. 92.devido a: g) aos policiais membros das polícias indicadas no artigo 144.º) Remuneração resulta da soma do vencimento do cargo com as demais vantagens pecuniárias. 39. cassação ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. podendo ser prorrogado por igual período. sendo independentes entre si. h) facultativamente. Remuneração é o vencimento do cargo efetivo.

A simples alegação de injustiça da penalidade não constitui fundamento para a revisão.art. (Analista Judiciário CESPE 2008) Tânia. a qualquer tempo. abandono cargo ou inassiduidade habitual (art. 8. Revisão O processo disciplinar poderá ser revisto. STF . 03 e 04 . com 30 vagas. quando se aduzirem fatos novos ou circunstâncias suscetíveis de justificar a inocência do punido ou a inadequação da penalidade aplicada. foi aprovada. Fases: I – Fase de Instauração: publicação da portaria de constituição da comissão processante (03 servidores estáveis . . Julgada procedente a revisão. Súmula 343 STJ (09/2007) “É obrigatória a presença de advogado em todas as fases do processo administrativo disciplinar”. que será convertida em exoneração. ou ter nível de escolaridade igual ou superior a este. bem como especificados os fatos imputados ao servidor. no prazo de 20 (vinte) dias. cujo edital não prevê qualquer formação específica. por sua vez. destituição de cargo em comissão e suspensão superior a trinta dias).posição de penalidades mais graves. exceto em relação à destituição do cargo em comissão. sem prejuízo da remuneração. podendo ser prorrogado por igual período quando as circunstâncias o exigirem.Rito sumário: acumulação ilicita de cargos públicos. PAD . Pedro foi aprovado em segundo lugar nas vagas para deficientes físicos. a pedido ou de ofício. restabelecendo-se todos os direitos do servidor.. contado do recebimento do processo. Afastamento preventivo: prazo de até 60 dias (prorrogável por igual período). caberá à autoridade que aplicou a penalidade. Revisão Da revisão do processo não poderá resultar agravamento de penalidade (princípio do non reformatio in pejus). Defesa: o servidor será citado para apresentar a sua defesa. sendo 5% para os portadores de deficiência física. O presidente da comissão deverá ser ocupante de cargo superior ou de mesmo nível do indiciado.e. i. que traz a seguinte redação: “A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição”. mas apenas formação em nível superior. admitida a prorrogação por até 15 dias. Com referência à situação acima apresentada ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. em concurso público para o provimento de cargo de analista judiciário do TJRJ. que é professora em uma escola secundária do município do Rio de Janeiro. Seu prazo máximo é de 30 dias. Relatório da comissão processante que deverá ser conclusivo. 149 da Lei 8112/90). na 29. O prazo para conclusão do PAD é de sessenta dias. III – Fase de Julgamento: a autoridade competente possui o prazo de 20 (vinte) dias para julgar. será declarada sem efeito a penalidade aplicada.Súmula vinculante nº 5 (05/2008). II . 133 da Lei n.QUESTÕES 1. Revisão O julgamento da revisão.de aposentadoria ou disponibilidade.112/90).Fase de inquérito administrativo: Instrução: nesta fase serão apuradas as provas. manifestar sobre a responsabilidade ou inocência do servidor.ª colocação.

requereu licença para acompanhar seu enteado. (C) Marilda pode se licenciar sem remuneração por um período de até 120 (cento e vinte) dias. (B) reintegração (C) redistribuição. e o eventual ocupante da vaga. B) Colocado em disponibilidade. (Analista Judiciário TRE/PA – 2011) Marilda da Silva. servidor público do Tribunal de Justiça do Pará aposentado por invalidez. sendo servidora municipal. (Analista Judiciário . (D) aproveitamento (E) readaptação. consecutivos ou não. corresponde à: (A) reversão. o padrasto e a madrasta do servidor. não poderá ser fixada em subsídio. caso ocupado o de origem por servidor.e acerca dos servidores públicos e dos precedentes dos tribunais superiores. a critério da Administração. ainda que não estável. mesmo não exigindo qualquer formação específica de conhecimento. sem direito a indenização. Antônio. (E) o período de 12 meses a que alude a lei coincide com o ano civil ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. C) Aposentado. Assim. Com base nessa situação específica e na Lei 8. é correto afirmar que: (A) a Administração Pública pode conceder licença remunerada a Marilda por até 90 (noventa) dias. D) Readaptado em cargo semelhante. E) Reintegrado. consecutivos ou não. (D) Caberá ao governador do estado do Rio de Janeiro empossar Tânia ou Pedro. se estável. ocorreu a (A) reversão. em um tratamento para leucemia que envolve transplante de medula óssea. será ele: A) Transferido para o cargo de origem. até seu adequado aproveitamento em outro cargo de livre nomeação. retornou à atividade porque uma junta médica oficial declarou insubsistente os motivos da sua aposentadoria. (E) recapacitação. com remuneração proporcional ao tempo de serviço. aproveitado em outro cargo ou posto em disponibilidade com remuneração proporcional ao tempo de serviço. na qualidade de Analista Judiciário – estável – do Tribunal Regional do Mato Grosso do Sul. reconduzido ao cargo de origem. (B) Tânia. mas de seu enteado. Neste caso.112/90. a cada período de 12 (doze) meses. (C) reintegração. nomeado ou readaptado a outro de livre provimento. 4. (B) readaptação. (A) Sendo nomeado. (C) É pacífica a jurisprudência do STF de que o candidato aprovado em concurso público. quando invalidada sua demissão. sem direito a indenização. fará jus a ser provido no respectivo cargo. a cada período de 12 (doze) meses. assinale a opção correta.TRE/MS – 2007) “X”. além do enteado. uma vez que este é considerado cargo técnico científico. Pedro fará jus a ser empossado na segunda vaga para os deficientes físicos. mesmo sendo este organizado em carreira. teve invalidada por sentença judicial sua demissão. 5. 03 e 04 . com a remuneração integral do cargo anteriormente em exercício. (D) recondução. poderá acumular o seu cargo efetivo com o cargo efetivo de analista judiciário. servidora pública federal com estabilidade. (B) Marilda não tem direito à licença pois não se trata de seu filho. indiscriminadamente. sem direito a indenização. Servidor Público. (Analista Judiciário TRE/PA – 2011) O retorno de servidor à atividade. caso o cargo de origem esteja ocupado por outro funcionário estável. (Analista Judiciário FCC 2009 TJ/PA) Deoclécio. (D) a licença por motivo de doença em pessoa da família inclui. (E) A remuneração do cargo de analista judiciário. 3. 2. dentro do número de vagas.

2. 4. A A E C D ANALISTAS TRE/TRF/MPU – Direito Administrativo – Fabrício Bolzan – Aulas n. 5. 3. 03 e 04 .GABARITO 1.