Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Número do

1.0024.09.747033-0/001

Relator:

Des.(a) Luciano Pinto

Relator do Acordão:

Des.(a) Luciano Pinto

Númeração

0506330-

Data do Julgamento: 21/10/2010
Data da Publicação:

19/11/2010

EMENTA: AGRAVO DE INSTRUMENTO - INCIDENTE DE IMPUGNAÇÃO
AO VALOR DA CAUSA - ALIENAÇÃO JUDICIAL - EXTINÇÃO DE
CONDOMÍNIO - BEM IMÓVEL - VALOR DA CAUSA - PROVEITO
ECONÔMICO - SIMILITUDE - OBSERVÂNCIA NECESSÁRIA.Em razão da
ausência de previsão legal expressa, por analogia, o valor da causa nas
ações de alienação judicial de imóvel corresponderá à estimativa oficial
utilizada para lançamento do imposto, consoante disposto no art. 295, VII, do
CPC.Na hipótese de extinção de condomínio, o valor da causa deverá
corresponder ao proveito econômico pretendido pelo autor da demanda.
AGRAVO DE INSTRUMENTO CÍVEL N° 1.0024.09.747033-0/001 COMARCA DE BELO HORIZONTE - AGRAVANTE(S): JOSE PAULO DE
SOUZA - AGRAVADO(A)(S): MARIA DE LOURDES COELHO VELLOSO RELATOR: EXMO. SR. DES. LUCIANO PINTO
ACÓRDÃO
Vistos etc., acorda, em Turma, a 17ª CÂMARA CÍVEL do Tribunal de Justiça
do Estado de Minas Gerais, sob a Presidência do Desembargador
EDUARDO MARINÉ DA CUNHA , incorporando neste o relatório de fls., na
conformidade da ata dos julgamentos e das notas taquigráficas, à
unanimidade de votos, EM DAR PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO.
Belo Horizonte, 21 de outubro de 2010.
DES. LUCIANO PINTO - Relator

1

manejou o impugnante agravo de instrumento. entendeu por correto o valor atribuído ao feito de R$1. LUCIANO PINTO: VOTO Cuida-se de agravo de instrumento manejado por José Paulo de Souza contra a decisão proferida pelo MM. ou seja. DES. O SR. o Dr.26. o processo de alienação judicial envolve divisão de bens e extinção de condomínio. que. o valor deve corresponder ao proveito econômico que a divisão outorgar.903. na alienação judicial de imóvel.00. o valor venal do imóvel que será dividido e alienado.Tribunal de Justiça de Minas Gerais NOTAS TAQUIGRÁFICAS Assistiu ai julgamento. consoante disposto no art. de modo que 1/8 de tal valor correspondia a R$362. que no incidente de impugnação ao valor da causa manejado pelo ora agravante em desfavor da agravada. Juiz de Direito da 29ª Vara Cível de Belo Horizonte/MG (f. firmou seu entendimento no sentido de que. 56-TJ). Prosseguiu asseverando que a participação da impugnada corresponde a 1/8 do imóvel. Ressaltou seu entendimento de que a decisão agravada se deu com equívoco. o valor do imposto sobre o imóvel era de R$2. José Humberto Souto Júnior. Dito isso. e. em síntese. asseverando. VII. de modo que deve ser dado à causa o valor correspondente ao que serve de base para o lançamento de imposto sobre o bem. no ano do ajuizamento da ação. Maria de Lourdes Coelho Velloso. Dessa forma. porque o juízo utilizou como base o valor do imposto do 2 . Inconformado. do CPC.000. o valor da causa deve corresponder ao valor do proveito econômico que a divisão outorgar. pelo agravante.90. 259.

" (in. por analogia. O valor da causa constará sempre da petição inicial e será: 3 . que estabelece: "Art. Vol. é importante observar que o CPC é omisso quanto ao valor que deve ser atribuído aos procedimentos especiais de jurisdição voluntária. como as possessórias. a usucapião. do disposto no art. VII.Tribunal de Justiça de Minas Gerais bem e não o valor venal do imóvel. 2006. a casos que tais.08. cabível a aplicação. conforme entendimento de Humberto Theodoro Junior.311) Assim. 259. 44. Forense. Pelo que dos autos consta. Não houve pedido de atribuição de efeito suspensivo.. p. deste TJMG: "Faltou ao Código estatuir regras pertinentes às ações de procedimento especial. depreende-se que a controvérsia gira em torno do valor que deve ser atribuído à ação de alienação judicial e extinção de condomínio. para que seja alterado o valor da causa. bem como aos procedimentos de jurisdição voluntária. na ausência de um parâmetro legal. conheço do recurso. Requereu o provimento e a reforma da decisão. Presentes os pressupostos de admissibilidade. 80). Em primeiro lugar. 259. citado no Agravo de Instrumento nº 1. Apesar de regularmente intimada (f. do CPC.0024. I.ed. não se manifestou a agravada (f. Da análise dos autos. Curso de Direito Processual Civil. a nunciação de obra nova. 81). que deverá corresponder ao valor de 1/8 (um oitavo) do valor venal do imóvel. os embargos de terceiros. estou que assiste parcial razão ao agravante.014817-4/001.

pois. era. inicialmente.R$1. No caso dos autos. que somados totalizam R$436. VII. naturalmente.00 (f. estabelece que deve ser considera a estimativa oficial para lançamento do imposto.000.. em que pretende a impugnada/agravada a alienação judicial de bens e.. 48-TJ). também.26.00. através das Guias de Recolhimento de IPTU/2005. estou que a decisão agravada merece ser reformada. 50TJ) e R$152. porém. Dito isso.519. há que se esclarecer que nenhum acréscimo patrimonial é pleiteado pela autora. 529.965.056. a estimativa oficial para lançamento do imposto".). na ação de alienação do imóvel. mas tão somente a alienação judicial do bem tido em condomínio.00... Logo.00 (f. 53-TJ). (Grifamos).903. R$76. de demarcação e de reivindicação. o valor da causa deve ser condizente com o proveito econômico que pretende obter com a demanda.na ação de divisão. à época do ajuizamento. ou seja. como se vê às f. o valor venal dos imóveis. no ano do ajuizamento da ação. a extinção do condomínio. o valor estimativo do imóvel que foi utilizado para o lançamento do imposto.) é certo que. encontra-se correto (. o valor do imposto sobre o imóvel era de R$2. 56). Nesse contexto. Como a autora é proprietária de 1/8 (um oitavo) do referido 4 . do CPC. No caso. haja vista que se deu com evidente equívoco.00 (f. finalizou no sentido de que "(. 48/53-TJ.. É de ver que o art... estabeleceu que "(. o valor atribuído a causa . sendo que 1/8 do aludido valor correspondia a R$362. de R$207. o valor da causa deva corresponder ao valor do proveito que a divisão outorgar" (f.498. objeto da ação de alienação judicial.) a participação da impugnada corresponde a 1/8 (um oitavo) e.Tribunal de Justiça de Minas Gerais (.90..) VII .

no caso. 5 .564. MÁRCIA DE PAOLI BALBINO: VOTO De acordo.564.87. à época do ajuizamento. quando do ajuizamento da demanda. Custas recursais pelas partes. DES. à época. É o meu voto. LUCAS PEREIRA: VOTO De acordo. ao valor venal dos imóveis. era de R$54.87 (cinquenta e quatro mil.00). dou parcial provimento ao agravo e reformo a decisão.Tribunal de Justiça de Minas Gerais patrimônio. para acolher parcialmente a impugnação ao valor da causa. o valor do proveito econômico que lhe cabia. e fixo o valor da ação originária em R$54.87. ao proveito econômico pretendido pela agravada nos autos da ação de alienação judicial e extinção de condomínio. objeto da alienação/divisão (R$436. DESª. e não. como pretendeu. estou que assiste parcial razão ao agravante.564. SÚMULA : DERAM PROVIMENTO PARCIAL AO RECURSO. A SRª. O SR.519. que correspondia. Isso posto. Dito isso. haja vista que o valor da causa deve corresponder ao proveito econômico pretendido pela autora/agravada. R$54. quinhentos e sessenta e quatro reais e oitenta e sete centavos).