Síndrome de Alienação Parental.

Representações & Impacto Psicológico na Criança

Equipa de investigação: Alexandra Serra (IR); Cathia Chumbo (Mestrado em Psicologia Forense e da Transgressão); Amélia Brandão (IE)

Alienação Parental & Síndrome de Alienação Parental (Gardner, 1995)
Conjunto de comportamentos de crítica e denegrição, sem justificação comprovada, por parte de uma figura parental (progenitor-alienador) relativamente à outra (progenitor-alvo), com a possibilidade de envolvimento directo e contribuição activa da(s) criança(s).

Fenómeno comum nos processos judiciais de divórcio litigioso e de regulação do poder paternal e emergente nas entidades de apoio às crianças (p.e. CPCJs)

Problemática desconhecida em contexto nacional e polémica no domínio da Psicologia Forense

Método

Objectivos & Racional da Investigação
Estudo 1. Análise da representação de Alienação Parental junto de profissionais e leigos Construção de Questionário de Crenças face a Alienação Parental Estudo 2. (a decorrer) Avaliação de Crenças face a Alienação Parental

Participantes
60 participantes (42 sexo feminino; 18 sexo masculino) divididos por quatro Grupos

Leigos: Solteiros e sem filhos Profissionais (Social/Legal): Sem situação divórcio

Idade

Até 25 anos 14 Leigos

26- 35 anos 20 Prof. Área Social 15

36-45 anos 13 Prof. Área Legal 15

Mais de 45 13 Divorciados 15

Grupos

15

Intrumentos & Procedimento
Questionário de associação livre sobre Alienação Parental e sobre Divórcio (Chumbo & Serra, 2009) Três partes:
i) Evocação de palavras ou expressões sobre Alienação Parental ii) Evocação de palavras ou expressões sobre Divórcio iii) Evocação de palavras ou expressões sobre Alienação Parental, após fornecimento de definição
. Participação voluntária e anónima . Vários locais de recolha de dados . Administração individual ou colectiva, com instrução de preenchimento sequencial

Resultados

Face a questão « Já ouviu falar de Alienação Parental? », 45% dos inquiridos responderam afirmativamente, 66.7% Profissionais área Social 60% Divorciados 40% Profissionais área Legal Contacto pessoal e profissional com este tipo 13.3% Leigos
de situações parece estar associado a níveis superiores de identificação da Alienação Parental.

Análise do “campo lexical”

(1) Palavras/expressões evocadas sobre AP na primeira parte do questionário (2) Palavras/expressões evocadas sobre Divórcio (3) Palavras/expressões evocadas sobre AP na segunda parte do questionário (após fornecimento definição)

Evocação sobre Divórcio: Nº de palavras

Leigos Total M (DP) 69 4.60 (2.56)

Prof. Área Prof. Área Social Legal 56 58 3.73 3.87 (1.28) (2.06) F (3, 56) = 2.49, ns

Divorciados 41 2.73 (1.33)

Evocação sobre Alienação Parental: Nº de palavras
Leigos Total M1 M (DP) Total M2 M (DP) 5 0.33 (0.90) Prof. Área Social 43 2.87 (2.06) Prof. Área Legal 27 1.80 (2.70) Divorciados 16 1.07 (1.22)

37 54 37 20 2.47* 3.60 2.47 1.33 (0.91) (2.20) (1.30) (0.90) Momento: F (1, 56) = 15.56, p < .001, η2 = .22 Grupo: F (3, 56) = 6.73, p = .001, η2 = .27 Momento x Grupo: F (3, 56) = 2.87, p = .045, η2 = .13
* t (14) = -6.96, p < .001 (maior restante, t14 = -1.20, ns)

(4) Acordo de Juízes sobre Palavras/expressões Evocadas
As palavras evocadas foram agrupadas mediante os seguintes critérios: (1) as palavras só eram agrupadas se obtivessem acordo dos 3 juízes; (2) uma vez agrupadas, a redacção definida para o “conceito” devia ser sobretudo determinada pela resposta mais frequente de entre as que foram agrupadas; (3) a redacção do “conceito” devia ser reformulada para optimizar a sua utilização no questionário posterior

Evocação sobre Alienação Parental: Após acordo juízes
Leigos M (DP) M (DP) 0.33 (0.90) Prof. Área Social 2.67 (1.91) Prof. Área Legal 1.67 (2.44) Divorciados 1.07 (1.22)

2.40* 3.13 2.47 1.33 (0.99) (1.85) (1.30) (0.90) Momento: F (1, 56) = 14.19, p < .001, η2 = .21 Grupo: F (3, 56) = 5.89, p = .001, η2 = .24 Momento x Grupo: F (3, 56) = 2.98, p = .039, η2 = .14
* t (14) = -6.55, p < .001 (maior restante, t14 = -1.63, ns)

Alienação Parental: “Conceitos” mais evocados (percentagens)
Alienação Parental Manipulação Egoísmo Denegrição da imagem Chantagem emocional Ruptura de vínculo Falta de carácter Distorção Degradação emocional da criança Conflito parental Vingança M1 31.7 10.0 16.7 6.7 6.7 M2 43.3 20.0 18.3 16.7 13.3 13.3 10.0 6.7 5.0 Divórcio Ruptura Conflito Sofrimento Disputa de custódia Divisão de património Nova fase Relacionamento extraconjugal Dificuldades financeiras 53.3 41.7 36.7 26.7 25.0 18.3 13.3 10.0

Estudo 2: Questionário de Crenças sobre Alienação Parental (Q-CAP)
(Serra, Chumbo & Serôdio, 2009)
http://spreadsheets.google.com/viewform?hl=pt_PT&for mkey=dHFwSEhRLUdBcWNDMUdLVGllTXhZbFE6MA.

Professores, profissionais de saúde, advogados

Conclusões

. Terminologia Alienação Parental pouco conhecida mas fenómeno relativamente reconhecido

. Representação consistente em determinadas dimensões da Alienação Parental como “Manipulação” e “Egoísmo” em detrimentos de outras, como as consequências, ao contrário do que acontece com o Divórcio: “Ruptura”, “Conflito”, “Sofrimento”

. Necessidade de avaliar as crenças que os indivíduos detêm sobre este fenómeno para sensibilizar, sinalizar atempadamente e intervir preventivamente.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful