You are on page 1of 4

Exame 2010.

1 – Curso Regular Modular Direito Constitucional 3/7

Sumário: Sumário: 1. Controle de Constitucionalidade. 2. Resumo das Ações do Controle Concentrado. 2.1. ADIN/ADI Genérica – Ação Direta de Inconstitucionalidade Genérica. 2.2. ADIN/ADI Interventiva. 2.3. ADIN/ADI Por Omissão/Supridora da Omissão. 2.4. ADECON/ADECO/ADC – Ação Declaratória de Constitucionalidade. 2.5.. ADPF – Arquição de Descumprimento de Preceito Fundamental. 3. Federalismo/Estado Federal Brasileiro. 3.1. Vedações Ao Federalismo Brasileiro

1. CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE:

Preventivo, Priore ou Priorístico

Atuação direta do Poder Legislativo e Executivo Poder Legislativo: controle através da CCJ Poder Executivo: controle através do veto jurídico

Controle Porteriore, Sucessivo

Repressivo, A Posterior,

Realizado sobre lei ou ato normativo em vigor Pode ser difuso ou concentrado

Poder Judiciário Controle Repressivo

Controle Difuso Controle Concentrado

REDE LFG – EXAME DE ORDEM – REGULAR MODULAR

Direito Constitucional– 3/7
Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG – www.lfg.com.br/areadoaluno

- Não exige legitimidade especial, pode ser proposto por qualquer pessoa; - Perante qualquer magistrado (inclusive o STF); - O magistrado tem que ser competente; Controle Difuso - O efeito atinge as partes (inter partes); - É julgado com base em um fato concreto; - É, também, conhecido como controle Norte-Americano, pois surgiu nos EUA; - Exemplo de controle difuso: Recurso Extraordinário – RE, Mandado de Segurança – MS, Habeas Corpus – HC, Mandado de Injunção – MI.

- São legitimadas as pessoas do art. 103, CF, em regra, salvo a ADIN Interventiva Federal, pois a única pessoa legitimada é o Procurador Geral da República – PGR; - O STF será o foro competente caso a matéria diga respeito a algo contrário a Constituição Federal; Controle Concentrado - Se for algo contrário à Constituição Estadual o foro competente será o Tribunal de Justiça dos Estados e no caso de Lei Orgânica Distrital o foro competente será o do Tribunal de Justiça do DF; - Efeito erga omnes, ou seja, para todos e vinculante

Ler: Arts. 97,102 e 103, CF/88; Leis: 9868/99 e 9882/99 DICA DO CONTROLE PREVENTIVO: Não existe proibição para que o Poder Judiciário realize o controle preventivo, mas para tanto deve ser acionado (Projeto de Lei inconstitucional – violação do processo legislativo – Mandado de segurança - proposto por Deputado Federal ou Senador – no STF – pedido de arquivamento);

REDE LFG – EXAME DE ORDEM – REGULAR MODULAR

Direito Constitucional– 3/7
Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG – www.lfg.com.br/areadoaluno

DICAS DO CONTROLE REPRESSIVO: - O Poder Legislativo realiza o controle repressivo nas seguintes situações: 1. A Câmara dos Deputados ou o Senado podem rejeitar Medida Provisória (art. 62, §5º, CF);

2. O Congresso Nacional pode sustar os atos do Presidente da República que exorbitem o poder regulamentar (art. 49, V e art. 84, IV, CF) – O congresso vai sustar os atos do PR;

3. Resolução do Senado que suspende a execução, no todo ou em parte, de uma lei declarada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal – STF, em controle difuso de constitucionalidade (STF quando julga qualquer RE - art. 52, X, CF).

Cuidado!! Tem-se a ampliação dos efeitos, aquele caso que atingia somente as partes, passa a ter efeito erga omnes (para todos), quando a decisão do RE é passada para o Senado, o qual suspende a execução da lei.

2. RESUMO DAS AÇÕES DO CONTROLE CONCENTRADO: 2.1. ADIN/ADI Genérica – Ação Direta de Inconstitucionalidade Genérica: art. 102, I,”a”, CF - Legitimidade: art. 103, CF; - Foro competente: STF; - Efeitos: erga omnes (contra todos), vinculante e ex tunc (retroativo); Pertinência temática: pessoas previstas nos incisos IV, V e IX do art. 103, CF. Modulação temporal ou mudança de efeitos

DICAS

2.2. ADIN/ADI Interventiva: a) Federal: violação aos princípios constitucionais sensíveis (art. 34, VII, CF). - Legitimidade: Procurador Geral da República - PGR;

REDE LFG – EXAME DE ORDEM – REGULAR MODULAR

Direito Constitucional– 3/7
Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG – www.lfg.com.br/areadoaluno

- Foro: STF – o STJ julga e determina que o Presidente da República que faça um Decreto; b) Estadual: Intervenção dos Estados nos Municípios, os quais violaram princípios constitucionais sensíveis, expressos na Constituição Estadual. - Legitimidade: Procurador Geral de Justiça - PGJ; - Foro competente: Tribunal de Justiça – TJ, o qual determinará que o Governador faça um Decreto.

2.3. ADIN/ADI Por Omissão/Supridora da Omissão: - Legitimidade: art. 103, CF; - Foro competente: STF; - Efeitos: art. 103, §2º, CF 2.4. ADECON/ADECO/ADC – Ação Declaratória de Constitucionalidade: - Legitimidade: art. 103, CF; - Foro competente: STF; - Efeitos: erga omnes (para todos), vinculante e ex tunc (retroativo). 2.5.. ADPF – Arquição de Descumprimento de Preceito Fundamental (art. 102, § 1º, CF): - Julgamento pelo STF, nos termos da L. 9882/99; - Legitimidade: art. 103, CF; - Foro competente: STF; - Efeitos: erga omnes (para todos), vinculante e ex tunc (retroativo); - Com relação à ADPF existe ainda o princípio da subsidiariedade.

3. FEDERALISMO/ESTADO FEDERAL BRASILEIRO: Ler: Art. 1º, CF; Art. 18, caput, CF; Art. 18, § 3º, CF; Art. 18, § 4º, CF; 3.1. Vedações Ao Federalismo Brasileiro (ART. 19, CF)
REDE LFG – EXAME DE ORDEM – REGULAR MODULAR

Direito Constitucional– 3/7
Material de apoio disponibilizado na Área do Aluno LFG – www.lfg.com.br/areadoaluno