You are on page 1of 16

EXEMPLAR DE ASSINANTE VENDA PROIBIDA

Uma publicação trimestral do CENTRO BD DE EDUCAÇÃO EM DIABETES - Ano XV - Nº 66

EDIÇÃO ESPECIAL ATIVIDADE FÍSICA

• MUSCULAÇÃO ORIENTADA

• BENEFÍCIOS DE UMA VIDA ATIVA

• INSULINOTERAPIA E EXERCÍCIOS

• OS CAMINHOS PARA A BOA FORMA

Editorial
26 a 28 de julho de 2002
7º Congresso Brasileiro Multiprofissional em Diabetes - 7ª Exposição de Produtos e Alimentos Para Portadores de Diabetes. Promoção da Associação Nacional de Assistência ao Diabético-ANAD. Local: Fundação Álvares Penteado-FECAP, São Paulo, SP. Informações pelo tel. (0xx11) 5572-6559. Inscrições pela internet: www.anad.org.br/congres7.htm

É hora de se mexer!
M
udar um hábito não é fácil, principalmente quando exige determinação e força de vontade. Quando falamos em atividade física para quem não está acostumado a se exercitar, ou é sedentário, ou não tem tempo, pode parecer um pouco mais complicado. Mas não é tanto assim como parece. Nesta edição a revista BD Bom Dia aborda o tema Atividade Física devido à sua importância para nossa saúde, principalmente numa era onde as facilidades advindas da tecnologia de um mundo moderno querem nos acomodar tão confortavelmente e a preguiça acaba nos dominando. No que diz respeito ao portador de diabetes, tanto quanto uma boa alimentação, monitorização da glicemia e aplicação de insulina, a ativida física deve ocupar um espaço especial no seu cuidado pessoal. No começo, principalmente a determinação e força de vontade são fundamentais para você deixar de ser sedentário ou iniciar uma atividade física saudável e divertida. Atividade física não significa que você vai ter que se submeter a exaustivos exercícios. Durante sua leitura você vai ver que apenas 30 minutos diários podem ser suficientes. O importante é se mexer! Mas lembre-se, antes de começar você deve se informar com um professor de educação física qual a melhor e mais apropriada atividade física para você. Ah! Já ia me esquecendo: divirta-se!
por Ricardo Keller Gerente de Produtos - Diabetes Healthcare

Dias 28 e 29 de setembro
2º Encontro de Confraternização das Associações de Diabetes de Goiás (ECAD) Realização da Associação Goiana de DiabetesAGOD. Local: Ara Macao/Clube Jaó, Goiânia, GO. Informações e inscrições: (0xx62) 2418120 ou 943-3859

Em sintonia com o diabetes
Programa de Educação em Diabetes da ANAD Vai ao ar todas as segundas, quartas e sextasfeiras na rádio Trianon 740 AM, das 14h30 às 15 horas. O programa é apresentado pelo dr. Fadlo Fraige Filho com a participação de diversos entrevistados. Dicas para melhorar o controle do diabetes e sorteios de brindes. Para participar do programa ligue para (0xx11) 3253-4845, 289-3580 ou envie fax para 2893768 ou 5572-6559. Mande também suas mensagens pelo e-mail: anad@anad.org.br

Associação Municipal de Apoio às Pessoas com Diabetes de Andradina (AMADA_ Rua Presidente Vargas, 614, Andradina, SP, CEP 16901-005. Tels. (0xx18) 3722-1310 e 3722-1239. Presidente: Maristela Marinho. E-mail: maristela.marin@globo.com.br ou sandrafcamargo@uol.com.br Associação Sebastianense de Apoio ao Diabético (ASA-D) Av. Remo Correa da Silva, 471, sala 6, São Sebastião, SP, CEP 11600-000. Tels. (0xx12) 452-5014 e 462-1160. Presidente: Antonio Alves dos Santos Filho.

EXPEDIENTE
Publicação trimestral do Centro BD de Educação em Diabetes. Rua Alexandre Dumas, 1976, Chácara Sto. Antonio. CEP 04717-004. São Paulo, SP. Tel.: 0800-115097. Diretor da publicação: Rafaele Madormo Coordenação: Ricardo Keller Coordenação de Educação em Diabetes: Márcia Camargo de Oliveira Jornalista Responsável: Milton Nespatti (MTB 12460-SP) Revisão: Solange Eira Design e Editoração: RNnewad - (0xx11) 5641-6615 As matérias desta publicação podem ser reproduzidas, desde que citada a fonte. Tiragem: 100 mil exemplares.
Indispensável para a saúde humana

2

Entrevista

ATIVIDADE FÍSICA é o melhor remédio
O médico endocrinologista e coordenador do Acampamento para Portadores de Diabetes da UNIFESP-ADJ, dr. Marco Antonio Vívolo, é reconhecidamente um dos maiores conhecedores das questões que envolvem o diabetes e a atividade física. Desportista praticante de basquete e handebol, o dr. Vívolo preserva sua forma física com sessões de ginástica e corridas pelo menos 4 dias por semana. Nesta entrevista, ele explica por que a melhor fórmula para manter a saúde em dia é exercitar-se. BD Bom Dia: A atividade física é o melhor remédio para quem tem diabetes?
Dr. Vivolo: A atividade física é benéfica para todas as pessoas independente de serem portadoras de diabetes ou não. Para o portador de diabetes, por melhorar a sensibilidade à ação da insulina, promove uma melhor utilização desse hormônio e com isso uma redução dos níveis de glicemia. No tipo 1, mais presente entre os jovens, a atividade física reduz a pressão arterial, melhora os níveis de colesterol e triglicérides e também melhora a capacidade física geral. Além disso, há ganho no aspecto emocional, ou seja, os exercícios proporcionam sensação de bem-estar a quem os pratica. No tipo 2, além de todos os aspectos positivos já descritos para o tipo 1, a atividade física melhora o controle metabólico, melhora a circulação nas extremidades do corpo, beneficia o processo de coagulação, tudo isso levando a uma redução do risco do indivíduo desenvolver doença cardiovascular. não precisa mais se movimentar para executar simples tarefas como ir à biblioteca para consultar um livro, ou ir ao banco para pagar uma conta. Você faz tudo isso pelo computador. Não adianta termos uma grande quantidade de informações sobre atividade física, é preciso por isso em prática e isso é educação. Eu faço parte do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul, o CELAFISCS, grupo que coordena o programa Agita São Paulo. Nós desenvolvemos uma idéia na forma figurada de um “remédio” que se chama Agitol, cujo “princípio ativo” é a atividade física. Criamos algumas caixinhas deste “remédio” para serem distribuídas às pessoas que participam das atividades do Agita São Paulo. Na caixinha há uma bula com dicas para se obter os benefícios deste “remédio”, ou seja, através dos exercícios físicos. A proposta é que as pessoas dediquem pelo menos 30 minutos por dia para a prática dos exercícios. Com este recurso, nós procuramos fazer com que as pessoas entendam como melhorar a qualidade de vida através da atividade física. diabetes estiver descompensado, com a glicemia muito alta e com sinais de cetonúria. Neste caso, é preciso baixar a glicemia a níveis compensados e aí sim voltar a fazer os exercícios. A atividade física também deve ser evitada quando a pessoa apresentar alguma complicação crônica, como uma neuropatia ou retinopatia. Em tais situações, a atividade só pode ser realizada de forma compatível com as condições físicas. As recomendações médicas, nestes casos, sempre devem ser seguidas.

Para as crianças o que o dr. recomenda?
Neste caso, é preciso ter cuidados especiais, pois a atividade física na criança com diabetes tipo 1 deve estar relacionada ao controle diário da glicemia. Não importa muito o que a criança faça, pois tem as que gostam de jogar futebol, outras preferem basquete, natação, dança e assim por diante. Contudo, dependendo da faixa etária da criança, os seus responsáveis terão de verificar qual é o impacto da atividade física no controle dos níveis de glicemia. Nós esperamos sempre que o impacto seja positivo em relação a vários componentes de desenvolvimento e crescimento. Porém, pode ocorrer um impacto negativo em relação ao controle glicêmico. Muitas vezes, quando se trata de atividade física, o que é bom para uma criança pode não ser para
3

Se a atividade faz tão bem assim, então por que as pessoas não a praticam em maior escala?
Porque as pessoas estão se tornando cada vez mais passivas e menos ativas. Hoje, nós queremos que tudo chegue até nós. A Internet é um bom exemplo disso. Você

Em que situações os exercícios não são recomendados a quem tem diabetes?
De forma geral, naquelas condições em que o estado clínico impede a pessoa de praticálos. Por exemplo, quando o portador de

Entrevista
outra. Então é preciso ponderar bem as variáveis, até porque o impacto negativo em relação ao controle pode ser contornado, basta que conheçamos muito bem o que ocorre com a criança. Se a atividade física na criança tiver conseqüências negativas para o controle do diabetes, ela deve ser suspensa por um tempo para uma avaliação do que possa estar acontecendo e ser reintroduzida à medida que se consiga controlar o problema. uma análise de seu dia-a-dia e considere tudo o que possa ser incorporado de atividade física em sua rotina diária. Isso traz ótimos resultados práticos. Por exemplo, se a pessoa mora num prédio de apartamentos e costuma usar o elevador, utilize as escadas para descer. Devagar e com cuidado para não cair. Se a pessoa sai de carro para ir até o mercado ou à padaria que fica próximo de sua casa, deixe o carro na garagem e vá a pé. É lógico que isso não é prático e as pessoas sentem grande dificuldade de incorporar estes hábitos às suas rotinas. Então, que adotem o hábito de fazer uma caminhada diária durante 30 minutos ou uma hora, no máximo. Basta programar algum tipo de atividade física todos os dias. É preciso prestar atenção nas limitações de cada um e respeitá-las. Se a pessoa com diabetes tiver dificuldades visuais ou estiver com alguma lesão nos pés, devemos avaliar tais limitações. Porém, a maioria das pessoas pode ser perfeitamente ativa e tem condições de estar realizando qualquer atividade. Sempre é bom que as pessoas conversem com o médico, o professor de educação física e outros profissionais de saúde para obterem as orientações adequadas. Minha principal dica é que se inicie a prática dos exercícios físicos da forma mais simples e que dê o máximo prazer.

Que dicas o dr. daria a quem está interessado em praticar exercícios, ginástica ou um esporte?
A primeira grande dica é que a pessoa faça

Serviço

Agita São Paulo: um programa para agitar todo mundo
Com os objetivos aumentar o nível de conhecimento sobre os benefícios da atividade física para a saúde e levar o maior número possível de pessoas à prática dos exercícios, o programa Agita São Paulo tornou-se uma referência internacional. Contando com o apoio e parceria de cerca de 150 instituições brasileiras, o Agita São
Controle do peso corporal Melhora a mobilidade articular Diminui a pressão arterial

Paulo utiliza cartazes, volantes, material educativo e palestras para demonstrar à população a importância de um estilo de vida ativo. O programa adota o conceito básico de que acumular 30 minutos de atividade física todos os dias é essencial para manter uma vida saudável. O programa Agita São Paulo mostra a

importância da atividade física para sua saúde e qualidade de vida. Veja na ilustração os benefícios da atividade física.
Para obter maiores informações sobre o Agita São Paulo e formar parcerias com o programa, entre em contato com o CELAFISCS pelos tels. (0xx11) 42299643, ou 4229-8980. Visite os sites www.celafiscs.com.br e www.agitasp.com.br

Melhora a resistência à insulina Aumenta a densidade óssea

Aumenta a freqüência às aulas Reduz distúrbios do comportamento

Melhora o desempenho acadêmico/vocacional

Diminui o uso de drogas Aumenta a responsabilidade

BENEFÍCIOS BIOLÓGICOS

BENEFÍCIOS NA FASE ESCOLAR

Melhora o perfil dos lipídios

Melhora a resistência física Diminui a depressão

Melhora a força muscular

Diminui a delinqüência juvenil e reincidência

Melhora a relação com os pais

Aumenta a auto-estima Mantém a autonomia

30 minutos por dia
Alivia o estresse Reduz o isolamento social

BENEFÍCIOS PSICOLÓGICOS

30 MINUTOS QUE FAZEM A DIFERENÇA
Leve ou moderada

ATIVIDADE FÍSICA

Aumenta o bem-estar
4

Melhora a auto-imagem

Contínua ou acumulada

Maioria dos dias da semana

Educação

O apoio da BD
Há muitas opções para se exercitar
O Brasil é um país privilegiado pois seu clima agradável e sua geografia diversificada com regiões de campo e uma vasta faixa litorânea proporcionam uma enorme variedade de possibilidades, de exercer atividades físicas principalmente junto à natureza. Nas regiões serranas pode-se caminhar por trilhas, praticar montanhismo, e diversas outras modalidades. Já a longa faixa do nosso litoral oferece opções como futebol e vôlei nas praias, caminhadas, corridas e ciclismo nos calçadões e ciclovias na orla, sem falar em todo aquele mar azul para nadar, mergulhar, surfar e velejar. Mesmo em regiões metropolitanas há muitas alternativas em que podemos nos adaptar. A postura da BD em incentivar a prática de exercícios para o bom condicionamento físico faz parte de um amplo programa de responsabilidade social da companhia. Dentro desta proposta, a empresa oferece

à atividade física
aos seus funcionários condições para a pratica de atividade física na própria empresa. Além disso, a BD mantém convênio com academias de condicionamento físico para seus funcionários poderem fazer exercícios físicos com regularidade. Isto segue uma tendência verificada em várias companhias em todo o mundo, para que seus profissionais tenham mais saúde e, conseqüentemente, apresentem melhor rendimento em suas funções.

O pessoal da BD Curitiba se preparando para mais um dia de trabalho

Ginástica oriental na BD São Paulo

Curso de Capacitação na BD
O Centro BD de Educação em Diabetes, mantendo a sua proposta de educar, apoiou e disponibilizou espaço físico e toda a infraestrutura do seu escritório central, localizado na cidade de São Paulo para a realização do 2ª CEPAFIDIA - Curso de Capacitação Para a Prescrição e Acompanhamento da Atividade Física em Diabetes. O curso foi promovido pela ANAD no período de março a junho, com a participação de professores de educação física, enfermeiros, médicos, psicólogos e nutricionistas de várias regiões.
Participantes do 2º Curso de Capacitação Para a Prescrição e Acompanhamento da Atividade Física em Diabetes.
5

Orientação

Benefícios da
M
uitos médicos, professores de educação física e nutricionistas afirmam que a musculação pode ser benéfica à saúde das pessoas, inclusive as que têm diabetes, desde que sejam seguidas as recomendações dos profissionais de saúde. Embora os exercícios com pesos proporcionam benefícios à maioria das pessoas, todos os que praticam a musculação devem estar aptos a realizá-los. Para isso devem submeter-se a uma avaliação física com o médico. Já o portador de diabetes, além deste cuidado, também precisa tomar outras precauções, como medir a glicemia antes e após a prática. “Em caso de hipoglicemia, é preciso ingerir algum alimento com carboidrato simples. Se a glicemia estiver alta, acima de 250mg/dl e houver cetona, os exercícios físicos não devem ser praticados”, recomenda o professor de educação física e psicólogo, Cláudio Cancellieri, especialista em atividade física para portadores de diabetes. De acordo com prof. Cancellieri, o benefício da musculação ao portador de diabetes devese ao aumento da massa muscular que proporciona uma elevação da taxa metabólica basal. Em outras palavras: como os exercícios com peso exigem maior gasto de energia, ocorre maior “queima” de carboidratos e de gordura durante todo o dia. “Por isso, no diabetes, o desenvolvimento da massa muscular proporciona valores glicêmicos menores durante o dia”, explica. Os exercícios com pesos podem ajudar também quem tem diabetes tipo 2, inclusive com mais idade. O professor garante que a musculação provoca dois efeitos marcantes nessas pessoas. O primeiro benefício é o impedimento da perda de massa muscular
6

TA

musculação orientada
nos mais idosos e até aumento dos músculos. O segundo efeito positivo é o aumento da densidade óssea. Além destes ganhos e do melhor controle da glicemia já citado, a musculação ajuda em muito na melhora da auto-estima. “Assim como para os mais jovens, os idosos e especialmente quem têm diabetes tipo 2, os exercícios com pesos promovem efeitos evidentes e vale ressaltar que os idosos fisicamente ativos são mais saudáveis que os sedentários”, comenta. para um problema que vem crescendo entre os praticantes de exercícios com pesos, obcecados em ter seus corpos ultramusculosos em pouco tempo através do consumo de drogas anabolizantes (hormônios sintéticos que alteram o metabolismo para provocar aumento da massa muscular). O prof. Cancellieri confirma que o uso de tais substâncias é nocivo à saúde. “Os anabolizantes podem causar efeitos danosos graves e não são raros os casos que comprovam isso”, alerta. Ele cita alguns efeitos colaterais provocados por estas drogas. “Podem ocorrer desde resfriados freqüentes, dificuldades para dormir e sangramento nasal e até câncer quando usadas por longo prazo”, adverte. Para quem tem diabetes, os efeitos dos anabolizantes são ainda mais nocivos. “O uso destas substâncias provocam aumento da glicemia e da resistência celular à insulina. Soma-se a isso os efeitos sobre as complicações decorrentes do diabetes mal controlado, como problemas nos rins (nefropatia) e no fígado (hepatopatia)”, ressalta. Já o consumo de suplementos nutricionais para quem quer aumentar a massa muscular deve ser criterioso e orientado. O professor garante que os suplementos podem ser obtidos com uma alimentação equilibrada indicada por um nutricionista. “A total integração entre o médico, o nutricionista e o profissional de Educação Física é fundamental para uma suplementação alimentar eficaz que ajudará nos efeitos da musculação, especialmente no diabetes, pois o uso destes produtos à base de creatinina e aminoácidos pode agravar algum problema associado, como a nefropatia”, explica.

Riscos
Embora os estudos científicos comprovem os benefícios da musculação, os exercícios com pesos (exercícios resistidos) devem ser praticados de forma moderada, com assistência e orientação de um professor de educação física que conheça bem este tipo de atividade. É fundamental também passar por uma avaliação médica e de aptidão física para praticar essa modalidade, assim como ocorre em outros esportes. Segundo Cancellieri, um dos riscos da musculação para quem tem diabetes é a hiperglicemia causada pelo exercício de força. Há também o risco de hemorragia retiniana em pessoas com retinopatia diabética proliferativa (problema ocular com aparecimento de pequenas veias na retina). “Durante o esforço no levantamento de pesos ocorre um bloqueio na respiração e isso pode provocar o rompimento de vasos sangüíneos que se formaram”, explica o professor. Portanto, nada de exercícios com pesos sem antes passar por oftalmologista a fim de se diagnosticar algum problema com a visão.

Perigo nos anabolizantes
Há algum tempo a revista VEJA alertou

Orientação

T

Dicas para praticar musculação
O prof. Cláudio Cancellieri dá um recado a quem já pratica ou quem pretende fazer exercícios com pesos. “Os exercícios físicos devem promover a saúde e não apenas a parte estética. Um corpo bonito pode nos dar prazer, mas um corpo saudável é que nos traz felicidade”, conclui. Veja algumas recomendações: • converse com seu médico sobre seu interesse em fazer exercícios com pesos; • procure um profissional de Educação Física com conhecimento sobre diabetes; • mescle exercícios de musculação com exercícios aeróbicos e de alongamento; • meça sua glicemia e utilize-a como parâmetro para reconsiderar mudanças e ajustes na medicação, na alimentação e na programação de exercícios; • estabeleça seus objetivos levando em consideração sua saúde e o controle do diabetes; • faça os exercícios com prazer, por gosto e não por obrigação.

Tirando proveito dos exercícios com pesos
Com 48 anos, o sr. Edmundo Prata pesava mais de 100 quilos, quando foi diagnosticado com diabetes tipo 2, há 13 anos. Depois de algum tempo ele teve de deixar os comprimidos para se tratar com insulina. Naquela época, havia iniciado um programa de treinamento físico com pesos. Hoje, com 61 anos, ele comprova na prática os benefícios musculação. Seu peso atual é 85 quilos e conseguiu reduzir suas doses de insulina de 12 para 8 unidades. “Se eu não tivesse praticado os exercícios até hoje, provavelmente agora estaria tomando mais insulina do que no início do tratamento”, diz o sr. Edmundo. Pelo menos 4 dias por semana, ele vai a uma academia próxima à sua casa, em Jundiaí, para uma rotina que executa com satisfação. “Minha esposa também tem diabetes e eu já lhe disse várias vezes que os exercícios físicos estimulam a circulação sanguínea e por isso nunca sinto minhas pernas ou meus braços formigando”, comenta. O sr. Edmundo acredita também que a musculação, quando acompanhada pelo médico, a nutricionista e o treinador, podem surtir melhores efeitos do que os esperados. “Sintome muito bem com estes exercícios, até porque os pratico regularmente porém com moderação”, Edmundo encontrou na musculação o prazer de praticar observa.

exercícios

7

Reportagem

São indiscutíveis os benefícios que uma vida ativa pode nos proporcionar como melhora da auto-estima, prevenção de problemas de saúde e maior sociabilização.
ara os portadores de diabetes, as vantagens da prática de exercícios ganham dimensão extra, principalmente por ser um dos princípios para o controle da glicemia, junto com a boa alimentação e o tratamento com medicamentos. A maioria das pessoas ainda resiste diante da idéia de dedicar alguns minutos para alguma atividade física diária. Contudo, esta situação está mudando, pois cada vez mais as pessoas procuram espaço e tempo para se exercitar nas entidades e associações comunitárias, nos clubes e até nas próprias empresas onde trabalham. Em tudo isso, é imprescindível a participação voluntária de profissionais com responsabilidade social, como empresários, treinadores e educadores, na criação de grupos de atividade física e de esportes. Até aquelas pessoas que hoje não têm uma atividade profissional formal, como é o caso dos aposentados, podem atuar na organização destes grupos e no incentivo à prática de exercícios.

P

entidades mantêm uma programação para seus associados se exercitarem e os resultados são surpreendentes. É preciso encontrar professores de educação física ou treinadores dispostos a participar como voluntários. Na falta de espaço, as associações solicitam áreas públicas do Município ou do Estado (como praças e parques) para as pessoas praticarem seus exercícios. Se não há equipamento básico, há sempre a possibilidade de se obter uma doação para a compra de material como colchonetes, bastões e bolas para as sessões de ginástica. Veja a seguir como algumas associações estão conseguindo agitar as pessoas.

ASDITA – Associação dos Diabéticos de Itabuna
Há cerca de 10 anos esta associação criou um grupo de atividade física sob a coordenação da fisioterapeuta Leda Alves Lisboa. A experiência foi tão bem sucedida que ainda hoje os associados se reúnem todos os dias pela manhã para a sessão de exercícios.

Exercícios nas associações
Embora hoje existam associações de diabetes em várias cidades do Brasil, ainda são poucas as entidades deste tipo que mantêm grupos de atividade física programadas. Falta de estrutura e de recursos financeiros são os principais fatores alegados para tal lacuna. Além disso, faltam também voluntários preparados para orientar os exercícios físicos. No entanto, algumas destas

A Prefeitura de Itabuna cedeu um dos seus imóveis para a associação executar suas atividades e assim foi resolvido o problema do espaço. Os próprios associados juntaram dinheiro e compraram equipamentos, como um aparelho de CD para marcação musical dos movimentos e colchonetes para exercícios de solo. A professora de educação física, Maria Conceição Silva, conta com dois assistentes, Juarez Barros Batista e Antônio Francisco da Silva, ambos portadores de diabetes tipo 2, que demonstram aos participantes como os exercícios devem ser feitos. “Nossos resultados têm sido positivos graças à participação dos associados, conscientes dos benefícios que a atividade física fornece ao tratamento do diabetes”, assegura a presidente da ASDITA, enfermeira Tânia Dantas Soares. Ela ressalta que através dos exercícios, muitas pessoas estão conseguindo melhor controle da pressão arterial, redução do peso e até alívio das dores articulares causadas por neuropatia diabética. Aulas diárias de ginástica na ASDITA ocorrem das 7 às 8 horas, na rua Antonio Muniz/SEMESP, 285, Pentolzinho, Itabuna, BA, CEP 45600-000. Os tels. são (0xx73) 212-3341 e 2217337.

ADJ – Associação de Diabetes Juvenil
Na opinião da diretora executiva da ADJ, Graça Maria de Carvalho Câmara, as próprias entidades de apoio a portadores de diabetes devem encontrar caminhos e alternativas para
ASDITA: atividade física todas as manhãs

8

ADJ agita a galera tornar a atividade física um hábito estimulante aos seus associados. “É importante divulgar em palestras, jornais e material educativo os benefícios dos exercícios para o bom controle do diabetes. Quando isso é comprovado através de testes de glicemia capilar antes e após a prática física, as pessoas acabam se interessando e participando efetivamente das atividades”, afirma. Graça comenta que a ADJ vem atingindo bons resultados com os grupos de atividade física também de uma questão de “consciência graças às parcerias com empresas que atuam corporal”. A assistente social e terapeuta no mercado de produtos para diabetes. corporal, Meireluci Ribeiro, coordenadora A ADJ está formando um grupo para o de grupos de vivência de consciência Programa de Atividade Física Para Adultos Corporal na ANAD, observa que, Portadores de Diabetes, cujas sessões serão basicamente, é preciso sentir que a atividade realizadas duas vezes por semana, com física está fazendo bem ao organismo. “O alongamentos, caminhadas e exercícios de contato consigo mesmo, reconhecendo-se resistência muscular. Também organiza física e emocionalmente com seus limites e grupos de jovens maratonistas, com possibilidades possibilita ao indivíduo a supervisão médica e nutricional. Além disso, tomada da responsabilidade do tratamento às quartas-feiras ocorre o Dia-a-Dia com do diabetes”, comenta. diversas atividades educacionais, inclusive A partir desta consciência, a pessoa deixa sessões de ginástica. A sede da associação de ser passiva e procura alternativas para fica na av. Dr. Arnaldo, 2052, São Paulo, cuidar do seu corpo. “Nesse sentido, SP, CEP 01255-0000. Informações pelos exercitar-se adquire um sentido mais amplo, tels. 0800-100627 ou (0xx11) 3675-3266. através de exercícios respiratórios, automassagens nos pés, alongamentos e ANAD - Associação Nacional de atividades que podem ser incluídas Assistência ao Diabético facilmente na rotina diária de quem tem Querer praticar exercícios físicos trata-se diabetes”, esclarece Meireluci. As vivências de consciência corporal realizadas pela ANAD envolvem relaxamento, alongamento, exercícios respiratórios, automassagens e caminhadas. O grupo é formado por associados e reúnese todas as segundas-feiras das 9 às 10 horas. O endereço é rua Eça de Queirós, 198, Vila Mariana, São Paulo, SP, CEP 04011-031. Informações pelos tels. (0xx11) 5572-8985, 5572-6559, 5572-7138 Consciência corporal na ANAD

Motivação
Para a psicóloga Maristela Bittar Caíres Cancelieri, do Centro de Controle, Educação e Assistência em Diabetes de Jundiaí (SP), é preciso adequar o diabetes aos exercícios físicos e não o contrário, como muita gente pensa. “Cada um deve escolher aquilo que vai lhe dar mais prazer, que vai lhe motivar e promover a sua aderência ao hábito de praticar esta ou aquela atividade física ou esportiva”, ressalta. Neste aspecto, o trabalho do professor de educação física com especialização em diabetes torna-se fundamental, pois é ele quem irá prescrever os exercícios de acordo com as restrições que a pessoa poderá apresentar. Portanto, só falta você se animar um pouquinho, colocar uma roupa confortável, calçar seu par de tênis e procurar um local perto de sua casa ou do trabalho para exercitar-se. Vale ainda uma recomendação: ao praticar atividade física, não esconda seu diabetes de seu treinador, converse com ele sobre suas condições e o que você está sentindo antes de cada sessão de exercícios.
9

Insulinoterapia

POSIÇÕES QUE FACILIT
Os exercícios físicos aumentam o consumo de glicose pelos músculos e aumentam a sensibilidade das células à insulina. A prática de exercícios torna a ação da insulina mais eficiente e ajuda a controlar a glicemia. Porém, para aproveitar melhor os benefícios dos exercícios, é preciso seguir alguns cuidados nas aplicações de insulina. Veja aqui as recomendações para você escolher os melhores locais para a sua aplicação subcutânea de insulina de acordo com alguns tipos de exercícios e modalidades esportivas. Conheça tambem as posições e os cuidados recomendados para que sua aplicação seja segura e confortável. Locais e posições recomendados para aplicar insulina
Os locais mais adequados para a sua aplicação de insulina são os que ficam afastados das articulações, dos nervos , dos grandes vasos sanguíneos e devem ser de fácil acesso para você realizar autoaplicação. Veja a seguir os locais e posições recomendados para facilitar a autoaplicação e garantir que o procedimento seja correto e confortável:

Braços:

• Braços: região posterior
externa do braço, no espaço entre três dedos abaixo do ombro e três dedos acima do cotovelo.

• Coxas: região frontal e
lateral superior da coxa, no espaço entre três dedos abaixo da região inguinal (virilha) e três dedos acima do joelho.

espaço entre três dedos à direita ou à esquerda do umbigo. Não recomendamos aplicar nem acima nem abaixo do umbigo por ser desconfortável.

Coxas:

• Nádegas: região
superior lateral externa do glúteo, tendo como referência a prega interglútea.

• Abdome: região
abdominal, exceto no

Nádegas:

10

AM A AUTOAPLICAÇÃO
Márcia Camargo de OliveiraCentro BD de Educação em Diabetes

É MUITO IMPORTANTE PLANEJAR E REVEZAR OS LOCAIS DE SUAS APLICAÇÕES

Dicas que melhoram os efeitos dos exercícios
Como a atividade física aumenta a velocidade de absorção da insulina, você não deve fazer as aplicações nas regiões do corpo que serão mais utilizadas durante a sessão de exercícios, pois isso pode levar à hipoglicemia. Veja a seguir algumas dicas de locais mais apropriados de acordo com o tipo de exercício ou de esporte que você pratica. • Se você está planejando exercitar-se na esteira ou bicicleta, caminhar, correr ou andar de bicicleta não aplique insulina na coxa ou na nádega. Neste caso você poderá aplicar no braço ou no abdome. • Se a sua opção for exercícios de musculação para os braços, costas, peito e ombros ou mesmo nas tarefas cotidianas em que são utilizados os braços (como fazer a faxina de casa ou lavar o carro), aplique a insulina no abdome, nas pernas ou nas nádegas. • Nos exercícios que utilizam vários músculos do corpo como natação, tênis, peteca, esportes coletivos como basquete, vôlei e futebol ou algumas modalidades de dança, o local mais adequado para a aplicação é o abdome. Devido à absorção mais rápida da insulina durante o exercício físico, não é recomendado o uso de insulinas de ação rápida (Regular) ou ultra rápida (Lispro) imeditamente antes da atividade física, para não ocorrer hipoglicemia. Fique atento também para que o horário de pico de ação da insulina aplicada (Regular,

NPH, Pré-misturas) não coincida com o horário da atividade física.

Outras recomendações importantes
• Não pratique exercícios em jejum, poderá ocorrer hipoglicemia. • Escolha a agulha BD Ultra Fine® adequada para o seu tipo corpóreo para evitar aplicações na pele ou no músculo e garantir aplicação no tecido subcutâneo, evitando a hipo ou hiperglicemia. • Faça testes de glicemia (ponta de dedo) antes e após os exercícios sempre que possível.

Planeje e reveze sempre os locais de sua aplicação
Revezar os locais de aplicação e não reutilizar agulhas evitam as lipodistrofias (alterações no tecido subcutâneo) e proporcionam aplicações seguras e confortáveis. • Uma opção de revezamento é aplicar insulina em uma mesma região do corpo ao longo do dia, mudando somente os pontos de aplicação. • Outra alternativa é aplicar em diferentes regiões do corpo em horários diferentes do dia, alternando os pontos de aplicação nos dias seguintes. • É importante você lembrar sempre de mudar o local de cada aplicação para não atingir o mesmo ponto num intervalo de quinze dias. Por isso, mantenha uma distância de aproximadamente dois dedos entre um ponto e outro de aplicação.
D I S Q U E
DE EDUCAÇÃO EM

Abdome:

Lembre-se! Os profissionais da equipe de saúde são pessoas preparadas para indicar e orientar os cuidados adequados para cada caso. Portanto, converse com um educador em diabetes para esclarecer suas dúvidas. Conte sempre também com os serviços e as orientações do Centro BD de Educação em Diabetes.

CENTRO BD

DIABETES

11

Novidade

NOVAS EMBALAGENS
Seringas BD Ultra-Fine®
BD pensando no que é melhor para quem utiliza seringas nas aplicações de insulina está mudando as suas embalagens. As alterações além de estéticas, que as tornaram mais bonitas e modernas, também visaram facilitar a identificação. A principal vantagem é que agora são identificadas por unidades ao invés de cc

A

(centímetro cúbico), mesmo porque os profissionais de saúde falam em unidades de insulina, os médicos prescrevem em unidades e as seringas são graduadas em unidades. Por isso as novas embalagens indicam a capacidade em unidades. Muito mais fácil ! Outra mudança é referente ao comprimento e o calibre das agulhas com destaque para

as informações em mm (milímetros), além disso a um outro destaque para as agulhas curtas. As cores das embalagens foram mantidas: • verde para as seringas com capacidade para 100 unidades; • azul para seringas de 50 unidades; • lilás para 30 unidades.

Principais alterações
Indicação de agulha curta

A capacidade da seringa em unidades (100 unidades, 50 unidades e 30 unidades) O comprimento e o calibre da agulha (em mm)

Cada um dos tamanhos com cores diferentes (verde, azul e lilás) As novas embalagens já estão chegando ao mercado, mas todo o processo de mudança será gradativo. Por alguns meses você poderá encontrar tanto as embalagens antigas como as novas. Fique tranquilo em continuar usando as seringas com embalagens antigas pois as mudanças foram só nas embalagens, as seringas BD Ultra Fine® continuam proporcionando a mesma precisão, segurança, economia e conforto nas aplicações de insulina que você já conhece!

12

Em Atividade

Os caminhos
Há poucos meses a professora de educação física Marcela de Marco Sobral vem administrando atividade física a portadores de diabetes. É sua primeira experiência neste tipo de trabalho e reflete a importância da participação destes profissionais na educação em diabetes. Os participantes de seu grupo, denominado Doces Amigos, são funcionários da Prefeitura Municipal de São Sebastião (litoral Norte de São Paulo). A cada 15 dias, o grupo se reúne para os encontros do projeto Qualidade de Vida promovido pelo município. Nessas ocasiões, as pessoas com diabetes passam por teste de glicemia capilar e exame de fundo de olho e a seguir são encaminhados para a sessão de exercícios físicos. Segundo a professora, os resultados deste programa têm sido excelentes, especialmente por ter reduzido os pedidos de dispensa de funcionários descompensados. “As pessoas estão entusiasmadas com os exercícios físicos e isso faz com que se interessem mais sobre o controle do diabetes”, comenta Marcela. A própria professora também sentiu a necessidade de buscar maiores conhecimentos sobre o assunto. Por isso, decidiu participar do curso de Capacitação Para Prescrição e Acompanhamento da Atividade Física em Diabetes-CEPAFIDIA. Ela acredita que as informações sobre educação em diabetes serão úteis no

para a boa forma
trabalho que em breve desenvolverá na recém-criada Associação Sebastianense de Apoio ao Diabético (ASA-D). A entidade reúne cerca de 200 associados e o seu presidente, Antônio Alves dos Santos Filho, afirma que estão sendo programadas sessões de exercícios físicos. A seguir a profª Marcela comenta algumas das sugestões que faz para os seus alunos aproveitarem os benefícios da atividade física: • se você vai de ônibus ao trabalho, desça sempre um ponto antes e caminhe um pouco mais; • quem vai ao trabalho de bicicleta, deve aumentar o percurso e pedalar Os exercícios orientados pela Profª. Marcela alguns poucos quilômetros a mais; tornaram-se indispensáveis no tratamento do • ao ir à igreja, caminhe um pouco mais sr. José Benedito e passe na casa das pessoas amigas Há cerca de três anos ele foi encaminhado para convidá-las a irem junto; • leve a namorada ou a esposa para dançar à Unidade de Saúde Ocupacional e recebeu o diagnóstico de diabetes tipo 2. Como não nos finais-de-semana; • procure adaptar algum tipo de atividade conseguia manter um bom controle glicêmico, o sr. José Benedito seguiu as física aos afazeres do cotidiano. Estas dicas podem ajudar a nos manter em recomendações de integrar o grupo Doces forma e melhorar nossa qualidade de vida. Amigos e há alguns meses começou a praticar exercícios. Tornou-se um adepto incondicional da atividade física e até Controlando com exercícios e boa comprou uma esteira ergométrica para fazer alimentação José Benedito de Souza, de 54 anos, é um caminhadas diárias em sua casa. “Consegui baixar as taxas de açúcar e hoje me trato dos funcionários da Prefeitura de São só com boa alimentação e exercícios, sem Sebastião que está tendo grande proveito das aulas de ginástica com a profª. Marcela. utilizar hipoglicemiantes orais”, garante.

Panqueca de milho
Ingredientes • 1 lata de milho em conserva no vapor • 1 copo (tipo americano) de água • 1/2 copo (tipo americano) de farinha de trigo • 1 ovo • 1 colher (chá) de sal • 1 colher (café) de óleo de canola Para o recheio • 1 e 1/2 xícara (chá) de queijo cottage • 2 tomates sem pele e sem sementes cortados em cubos pequenos • 1 cebola cortada em cubos • 1 colher (sopa) de alecrim picado • Sal a gosto • 1/2 colher (café) de noz-moscada • 1 xícara (chá) de alface cortada bem fininho (como couve) Para decorar: Galhos de alecrim P re p a ro

Receita
Preparo da panqueca: bata no liquidificador o milho e a água por 4 minutos. Passe pela peneira. Misture os demais ingredientes e bata no liquidificador por 2 minutos. Coloque em uma vasilha tampada e leve à geladeira por 15 minutos. Retire da geladeira e frite. Prepare o recheio: misture o queijo cottage, o tomate, a cebola, o alecrim, o sal e a noz-moscada. Mexa com um garfo. Montagem: espalhe 1 colher (sopa) de recheio sobre metade da panqueca. Na outra metade, coloque o alface. Feche formando uma meialua e corte ao meio. Decore com galhos de alecrim. Sirva fria ou quente. Rende: 10 panquecas Valor energético por panqueca: 78 Cal

Prato energético para você malhar Esta receita é de autoria da nutricionista Celeste Elvira Viggiano e faz parte do receituário que ela está lançando. Para obter este receituário, adquira-o pelos telefones (0xx11) 3884-1957 ou 3901-2771 ou pelo e mail: saluteconsultoria@ig.com.br

13

Nutrição

Alimentos
Lísia Kiehl – Nutricionista

para manter a forma

Se você pratica esportes ou pretende iniciar um programa de atividade física, procure seguir as recomendações do médico e do nutricionista. Eles poderão elaborar um plano de alimentação que irá lhe proporcionar melhor rendimento nos exercícios e resultados no controle do diabetes.
cruas (com pouco temperos e sem molhos oleosos ou ricos em gordura), além de frutas. Beba de 3 a 4 copos de água de 250ml, de preferência meia hora após a refeição, pois a ingestão de líquidos junto com a comida prejudica a digestão. Quem tem diabetes deve fazer pequenos lanches durante o dia. Seguindo este princípio, uma hora antes da sessão de exercícios ou da prática esportiva, você pode comer algum alimento leve, por exemplo, uma fatia de pão de aveia torrado com geléia diet ou um copo de 250ml de suco de fruta. Se sua glicemia estiver baixa de 15 a 30 minutos antes do início do exercício, você deve ingerir algo e, neste caso, uma boa escolha pode ser uma caixinha de suco de maçã natural, ou 4 bolachas tipo cream cracker integral. Isso poderá prevenir a ocorrência de hipoglicemia durante ou após a prática física.

E

xistem algumas recomendações básicas que envolvem alimentação e prática de exercícios físicos. Se os exercícios são praticados de manhã, faça o desjejum pelo menos uma hora antes de realizá-los. Se a atividade física for feita no final da tarde, o almoço poderá ser à base de carboidratos encontrados nas massas, pães ou batatas. Para acompanhar, inclua uma pequena porção de carne magra (aves ou peixes), vegetais cozidos, saladas

Hidratando
A hidratação é fundamental para manter o corpo resfriado durante o exercício, garantindo um desempenho adequado além da preservação das funções muscular e cerebral. O Colégio Americano de Medicina Esportiva recomenda 600ml de água duas horas antes do exercício. Durante a atividade, deve-se também beber um pouco de água (entre 150 a 350 ml) pelo menos a cada 15 ou 20 minutos. Após os exercícios, beba de dois a três copos de água (entre 450 a 600 ml). Bebidas que variam de 5 a 8% na concentração de carboidrato como Gatorade, Hydrafuel e Carbup, entre outras, podem ser usadas durante o exercício para prevenir a hipoglicemia e retardar a fadiga muscular. Se o tempo de exercício for maior ou a atividade for mais intensa que o normal, você também poderá usar estas bebidas à base de carboidrato e eletrólitos antes, durante e após o exercício.
14

Suplementos
As barras de cereais assim como suplementos à base de carboidratos e proteínas podem ser usados por quem tem diabetes, desde que estes alimentos e suplementos estejam inseridos num plano de alimentação individualizado e que leve em consideração o tipo, a duração e a freqüência do exercício físico. Isto significa que existem critérios individuais para cada pessoa. Portanto, não utilize tais produtos sem orientação profissional. Se você pretende consumir barrinhas de cereais e complementos nutricionais, pergunte primeiro ao médico e ao nutricionista e siga suas indicações.

Atletas
Aí vão algumas dicas que podem ser úteis na preparação de um atleta com diabetes. Nos dias que antecedem ao evento esportivo, coma a cada 3 horas, inserindo alimentos ricos em carboidratos e fibras solúveis (por exemplo, pães ou cereais a base de aveia) além de suco de frutas ou sucos a base de soja. Combine a estes carboidratos as proteínas animais pobres em gordura saturada e colesterol como atum, salmão, frango sem pele e gordura, leite desnatado ou iogurte magro. Nas refeições antes da prova esportiva, consuma legumes ou verduras cozidas em pequenas quantidades. Após a competição, coma vegetais coloridos, crus e cozidos, o que irá ajudar a repor os nutrientes gastos na prova. Sucos e frutas frescas podem ser distribuídos nas refeições, segundo as necessidades individuais de cada atleta. Siga as orientações do médico e do nutricionista e use a imaginação para preparar seus pratos. Isso poderá transformar cada refeição num momento de grande satisfação, da mesma forma que os exercícios físicos nos proporcionam prazer e bemestar.

Criança

15

Não reutilize lancetas, agulhas e seringas
D I S Q U E
DE EDUCAÇÃO EM

CENTRO BD

DIABETES

A reutilização causa sérios danos à sua saúde, tais como: • Infecções e problemas dermatológicos; • Aplicações dolorosas; • Hiperglicemia devido a perda e absorção irregular da insulina.
Diabetes Healthcare