You are on page 1of 5

BFT2

1/7

AUDITORES E CONSULTORES INDEPENDENTES

Salvador, 20 de agosto de 2009.

AOS ADMINISTRADORES DA EXEMPLO C LIMITADA.

REF: RELATÓRIO DA ANALÍSE DO IRPJ E DA CSLL- EXERCÍCIO DE 2003.

Prezados Senhores: Em anexo, apresentamos o Relatório dos Auditores Independentes, relativo ao exercício de 2003, no qual trazemos nossas observações sobre pontos de natureza relevante quanto à apuração do IRPJ e da CSLL da entidade, para os quais formulamos as recomendações necessárias visando aumentar a segurança, o controle e a confiabilidade das informações que se acham registradas.

Atenciosamente, BFT2 AUDITORES E CONSULTORES INDEPENDENTES

Rua do Salete, s/n - Barris – Salvador – Bahia - CEP 40150-230 – Telefone 2103-8500

BFT2
2/7

AUDITORES E CONSULTORES INDEPENDENTES

1. OBJETIVO O nosso trabalho objetivou verificar a apuração do IRPJ e da CSLL observando os pontos a seguir relacionados, aplicáveis ao período base de 01 de janeiro de 2003 a 31 de dezembro de 2003:

Obtenção e exame das informações sobre a apuração do IRPJ e da CSLL, verificando a observância dos normativos que regem a matéria; Análise dos livros fiscais; DIPJ,Apuração do ICMS. Analise dos balancetes relativos ao período.

• •

1.1. Sumário Este estudo detectou as seguintes inconformidades: O valor do lucro real escriturado no LALUR não corresponde ao apurado. Lucro Real escriturado no LALUR Lucro Real Apurado Valor não pago referente a IRPJ. IRPJ A PAGAR Valor do Principal Valor não pago referente a CSLL CSLL A PAGAR Valor do Principal Para atingir estes objetivos, foram realizadas as seguintes atividades: 18.733,98 8.930,69 (353.819,40) 247.077,18

1.2. Execução dos trabalhos de Auditoria Externa a) Análise Específica de Riscos:

Rua do Salete, s/n - Barris – Salvador – Bahia - CEP 40150-230 – Telefone 2103-8500

BFT2
3/7

AUDITORES E CONSULTORES INDEPENDENTES
• Mapeamento dos riscos específicos existentes nos processos e subprocessos analisados, considerando a probabilidade versus impacto da sua materialização (ex. criticidade das atividades, volume de recursos envolvidos, volume de transações, etc.); • Análise da estrutura de controles em operação, avaliando a sua eficácia na minimização dos riscos mapeados, identificando os riscos não adequadamente cobertos por tal estrutura (vulnerabilidades a serem endereçadas na auditoria).

b) Definição, Elaboração e Execução dos Testes:

Elaboração de um programa de trabalho detalhado endereçado as vulnerabilidades detectadas na avaliação dos riscos, bem como os requerimentos definidos nas normas e procedimentos aprovados pela Administração; Solicitação das bases de dados em meio digital, bem como documentação suporte das transações (não fornecidas); Realização dos testes de auditoria; Confronto das eventuais inconsistências e/ou não conformidades identificadas com a sua respectiva documentação suporte para validação e documentação dos trabalhos de auditoria; Conclusão sobre a existência dos riscos residuais com base no resultado dos testes e reporte das eventuais inconsistências e/ou não conformidades identificadas e devidamente validadas.

• •

c) Resultados, Conclusões e Relatório Final: • Compilação dos resultados e consolidação das conclusões; • Elaboração das recomendações de controle para eliminação das falhas identificadas e conseqüentes minimização dos riscos; • Discussão do relatório com a unidade auditada, obtendo o posicionamento desta em relação aos resultados, através de comentários formais; • Emissão do relatório final; • Apresentação dos resultados.

2. PRINCIPAIS ASPECTOS Considerando a importância do processo de controle das operações realizadas pela EXEMPLO C LIMITADA, entendemos ser necessária a atenção da administração da entidade para as principais não conformidades detectadas durante nossos trabalhos, a seguir detalhados.

3. APURAÇÃO IR E CSLL

Rua do Salete, s/n - Barris – Salvador – Bahia - CEP 40150-230 – Telefone 2103-8500

BFT2
4/7

AUDITORES E CONSULTORES INDEPENDENTES

Apresentamos a seguir, o resultado da apuração do imposto de renda e da contribuição social relativos aos meses de janeiro a dezembro de 2003(ver planilha anexa folhas 5 e 6).

3.1. Imposto de Renda Ver planilha anexa folha 7, na qual constam os valores recolhidos a menor, bem como os valores atualizados com base em recolhimento espontâneo com multa de 20% e com a multa de ofício de 50%. 3.2. Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido Ver planilha anexa folhas 7, na qual constam os valores recolhidos a menor, bem como os valores atualizados com base em recolhimento espontâneo com multa de 20% e com a multa de ofício de 50%. 4. RECOMENDAÇÕES Com respaldo na nova apuração do Lucro Real e obtendo diferenças encontradas, recomendamos a essa Administração que recolha o valor das diferenças encontradas de forma expontânea, já que a mesma é a forma mais econômica para a empresa.bem como fazer as compensações devidas. Retificar as obrigações acessórias do exercício de 2003.:    DIPJ – Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica; DCTF – Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais PER-DCOMP – Pedido Eletrônico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação DIRF – Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DACON – Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sociais

 

Por oportuno, informamos, que a multa espontânea é de 20% e que a multa de ofício é de 50%, podendo ainda, devido às circunstâncias, gerar processo penal. 5. BASE LEGAL RIR/99 Lei nº. 8.212/91 Decreto-lei nº1.598/77 Lei nº 9.430/96
Rua do Salete, s/n - Barris – Salvador – Bahia - CEP 40150-230 – Telefone 2103-8500

BFT2
5/7

AUDITORES E CONSULTORES INDEPENDENTES

LEI Nº 11.488, DE 15 DE JUNHO DE 2007

Rua do Salete, s/n - Barris – Salvador – Bahia - CEP 40150-230 – Telefone 2103-8500