You are on page 1of 46

20 KN

30 KN

4

3

4

4,0 m

5




1

3
1

1

1

2

H1

2

30 KN

V1

V3
40 KN
4,0 m

4,0 m

1° passo determinação de V1, H1 e V3.
Cálculo das reações de apoio
Fx = 0
H1 - 30 = 0
H1 = 30 KN
FY = 0
V1 - 20 - 30 + V3 = 0
V1 + V3 = 50
1 = 0
-20 x 4 +30 x 4 -30 x 4 +8 x V3=0
V3=10 KN
V1 = 40 KN
Angulos das bases  = 45° Sen45°= Con45° = 0,707

A

B

N
3

5
6,
-5 KN

3
1

N

1
1

1

+

10
KN

30 KN
40 KN

30 KN

2° Passo isolamento dos nós arbitrando , para cálculo, os sentidos positivos
2.1 - Equilíbrio do nó 1
Fx = 0
+ 30 + N1 + N3 x Cos 45° = 0
N1 + 0,707 x N3 = -30
FY = 0
+40 + N3 x Sen 45° = 0
N3 = - 40/0,707
N3 = - 56,6 KN (compressão)
Logo N1 = - 30 - 0,707 x - 56,6
N1 = 10 KN

C

D

N

N

5
4

5

2
10 KN

3

N
2

10 KN

30 KN

10 KN

ando , para cálculo, os sentidos positivos (tração).
2.2 - Equilíbrio do nó 2
2.3 - Equilíbrio do nó 3
Fx = 0
Fx = 0
-10 + N2 = 0
-10 - N5 x Cos 45° = 0
N2 = 10
N5 = - 10/0,707 = - 14,1 KN
FY = 0
N4 - 30 = 0
N4 = 30

FY = 0
- 10 - N5 x Sen 45°
N5 = - 10 / 0,707
N5 = - 14,1 KN

4

3
0

+

4,0 m

6

,

6

5

-

-1
4,
1

1

3

+ 10

2

4,0 m
3° Valores dos esforços nas barras
Barra 1 - 2 = 10 KN - Tração
Barra 1 - 4 = -56,6 KN - Compressão
Barra 2 - 3 = 10 KN - Tração
Barra 2 - 4 = 30 KN - Tração
Barra 4 - 3 = -14,1 KN - Compressão

+ 10

4,0 m

3 = -14.3 = 10 KN .1 KN .Regime elástico  entre 40 e 63 .4 = 30 KN .Tração Barra 2 .Tração Barra 4 .Compressão Barra 2 .1 Anecessária 4° Passo .4 = -56.Regime plástico Como  = 131 estamos no regime elástico Para 5° Passo .Verificar se " " está no regime plástico ou elástico Para  entre 64 e 150 .2 = 10 KN .Tração Barra 1 .Compressão 4° Dimensionamento das barras Barras a tração 1-4 e 4-3 4.6 KN .3° Valores dos esforços nas barras Barra 1 .Cálculo da tensão admissível de flambagem .

252 KN/cm2 Redimensionar tensão maior que a admissível Barra 4 .6 KN .4 = -56.Cálculo da tensão atuante at = N/A Barra 1 .3 = -14.1 KN .Compressão .Compressão .063 KN/cm2 Dimensionamento OK tensão inferior a admissível . at = 56.Com  entre 64 e 150 usaremos a equação do regime elástico fl = ( x E) / (4 x  ) fl = (3.14 x 924.133 KN/cm 2 2 2 2 2 2 6° Passo .8 KN/cm ) x (4 x 131 ) = 0. at = 14.6 / 225 = 0.1 / 225 = 0.

Anecesária = 30/1.65 = 6.6 / 400 = 0.8 KN/cm2) x (4 x 95.36 x (566 cm / 20 cm) = 95.06 cm2 Usar área minima = 35 cm2 com lado mínimo de 2.Anecesária = 10/1.06 cm2 Barra 2-3 .14 2 x 924. aplicandose um coeficiente de segurança igual a 7 Para os valores de fb devemos consultar a publicação n° 1791 do IPT para a madeira verde Para este cálculo usaremos a espécie Itiuba fb = 115.madeira T.4 Mpa = 1154 kgf/cm2 = 11.65 KN/cm Anecesária = F/T.Anecesária = F/ T.4 = -56.54/7 = 1.Compressão -  at = 56.54 KN/cm2 T.madeira = fb/7 = 11.252 KN/cm2 Barra 1 .Anecesária = 10/1.08 fl = (3.madeira = fb/7 A tensão admissivel é determinada a partir a tensão de ruptura a flexão.65 = 6.142 KN/cm 2 - .65 = 18.6 KN Dois pranchões de 10 cm x 20 cm = 400 cm2  = 3.18 cm2 Barra 1-2 .082) = 0.6 KN .madeira 2 Barra 4-2 .56.5 cm Redimensionamento para a barra 1-4 = .

6 / 400 = 0.Anecesária = 10/1.Compressão .18 cm2 .06 cm2 .3 = Dois pranchões de 10 x 20 = 400 cm2 .65 = 18.Barra 1 . at = 56.Viga de 5 x 20 = 100 cm2 Barra 2-3 .142 KN/cm2 Dimensionamento OK tensão inferior a admissível Seções escolhidas Barra 4-2 .65 = 6.Anecesária = 10/1.4 = -56.Viga de 5 x 20 = 100 cm2 Barra 1-4 = Dois pranchões de 10 x 20 = 400 cm2 Barra 4 .Viga de 5 x 20 = 100 cm2 Barra 1-2 .06 cm2.65 = 6.Anecesária = 30/1.6 KN .

 Utilizaremos a relação de Euler para quando  estiver entre 64 e 150 c =  x (3/8) x (E/ compr) Utilizaremos o disposto na NBR-7190/1997 quando l estiver entre 40 e 63  = [3 x ( c .2 kgf/cm E = 9248 Mpa = 92480 kgf/cm2 = 924.Seções comerciais Barras a compressão Determinação do indice de esbeltez .40) x 2 x E] /(8 x  compr) Para a peroba tem-se . tem-se: compr = 0.8 KN/cm2 2 = 0.6 = 8.832 KN/cm2 .32 Mpa = 83.20 x 41.20 x fc = 0.

.

46 x lfl/hmin  = 3.8 KN/cm2/0.Cálculo do raio de giro "r" r= I/A Para seções retangulares r = h/3.Escolha de uma seção Caibro 15 cm x 15 cm = 225 cm2 2° Passo .14. 1° Passo . para seções retangulares  = 3.Cálculo da esbeltez " "  = lfl/rmin. então a equação de Euler é válida.46 = 4.46 on h = Lado menor r = 15/3.46 x (566 cm / 15 cm) = 131 .33 3° Passo .c =  x (3/8) x (924.832 KN/cm2)  c = 64.

.

.

.

7 fy aço = 2500 Kgf/cm2 = 25 Kn/cm2 T aço = fy/1.7 Kn/cm2 An = 2.7 Kn/cm2 2° Dedeterminação da área necessária An An = F/T aço An = 30 Kn / 14.17 .30 Kn 1° Dedeterminação da tensão do aço categoria A-36 T aço = fy/1.1/2" com A=2.17 4° Cálculo da esbeltez " " Para peças tracionadas "" deve ser menor ou igual a 400 lf / r lf = l .32 cm2 rx = ry = 1.Para peças bí-rotuladas = 4.Usar sempre o menor raio de giro 400/1.04 cm2 3° Escolha do perfil Escolhemos o perfil 1.Dimensionamento a tração da barra 4-2 .17 = 342 que é menor que 400 OK! Por tanto a seção satisfaz.7 = 25/1.0 m rx = ry = 1.7 = 14. .

.

.

.

51 e ry = 3.24 .79 lf / r Para a barra 1-4 lf = l = 4.6 que é maior ou igual a 106 e menor que 200 Neste caso a relação de Euler é válida . rx = 6.5 (H) com A = 29.65 = 400/3. neste caso ry = 3.46 neste caso devemos utilizar um perfil maior.79 2° Cálculo do indice de esbeltez " " Utilizamos o menor valor do raio de giro rx ou ry. ry = 1.65 = 109.65 2° Cálculo do indice de esbeltez " " Utilizamos o menor valor do raio de giro rx ou ry.0 m = 400 cm = 400/1. neste caso ry = 1.79 = 223.6 cm2 .1° Escolha do perfil Por exemplo um perfil "I" de "6 Dados do perfil: A = 23.0 cm 2 rx = 6. pois "" foi maior que 200 1° Escolha do perfil Escolha de um perfil açominas w 150 x 22.

.

.

.

6 Kn 223.56.5890411 .4636872 109.Dimensionamento a compressão da barra 1-4 .

.

.

.

023 x  fl = (2500 Kgf/cm /2) .56.023 x  Para aços ASTM A-36 fl = (3450 Kgf/cm /2) .6 Kn 3° Cálculo ou consulta da tensão adimissível de flambagem "  " Como o indice de esbeltez é maior ou igual a 106 e menor que 200 utilizamos a equação de Euler fl = ( 2 x E)/(2 x 2) E = 2100000 Kgf/cm2  = 3.0.0.023 x  fl = (1725 Kgf/cm ) .023 x  Para aços ASTM A-572 2 2 2 2 2 2 2 2 2 fl = (10363000 Kgf/cm /  fl = 862.0.0.1416 fl = (10363000 Kgf/cm 2) /  2 Se o indice de esbeltez fosse menor ou igual a 105 aplicariamos a fórmula abaixo para o cáculo das tensões de flambagem fl = (fy/2) .Dimensionamento a compressão da barra 1-4 .023 x  fl = (1250 Kgf/cm ) .88 Kgf/cm = 8.63 KN/cm 2) 2 2 2 .0.

.

.

.

6 Kn 862.8816719 .

.

.

.

95 KN/cm at é menor que fl a peça está ok! 2 .3° Cálculo da tensão atuante na peça at = F/A at = 56.6/29 = 1.

.

.

.

951724138 Consulta das tensões admissíveis para Aços ASTM A-36 .1.

.

.

.

-36 .