You are on page 1of 8

Ministro diz que é

preciso cuidado com a
proposta de
regulamentação do
trabalho doméstico
Garibaldi afirma que, a princípio, não irá se opor ao projeto
proposto pelo senador Romero Jucá
 Corrigir
 Imprimir
Diminuir fonteAumentar fonte

O ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves
Filho, disse nesta quarta-feira que é preciso
avaliar com cuidado os impactos que a proposta
do senador Romero Jucá (PMDB-RR) para
regulamentação do trabalho doméstico terão sobre
o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).
— Qualquer projeto que diga respeito à situação
da Previdência deve ser sempre encarado com
cuidado — disse o ministro.
Jucá apresentou a proposta para regulamentar a
Emenda Constitucional 72, que ampliou os
direitos trabalhistas dos empregados domésticos.
Pelo projeto de lei, a contribuição do empregador

seria melhor não regulamentar a multa por demissão ou mantê-la como encargo ao empregador do que deixar a Previdência arcar com a compensação pelo aumento na alíquota da contribuição para o FGTS. aumenta de 8% para 11% a contribuição do empregador para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O senador também extinguiu a multa de 40% que o patrão terá de pagar no caso de demissão sem justa causa. Além disso. de 60%. Na avaliação do ministro da Previdência. mas o empregado poderá sacar o excedente que foi recolhido ao FGTS toda vez que o contrato de trabalho for extinto. mas terá de pagar 1% de seguro contra acidente de trabalho. a Previdência terá de arcar com pelo menos três pontos percentuais de diferença no recolhimento das contribuições para esses trabalhadores. sobre a dívida. a proposta de Jucá prevê renegociação das dívidas previdenciárias dos empregadores. A renegociação incluirá o perdão de multas e a redução dos juros de mora. Com isso. — Eu optaria por permanecer a situação que não está regulamentada para nenhum empregado com relação a essa multa do FGTS — disse Garibaldi. — Essa multa. não só para o empregado . Por outro lado.para a Previdência será reduzida de 12% para 8%. ela não está regulamentada nem para os outros empregados.

Apesar de sua posição contrária. Na opinião dele.doméstico. ao projeto de Jucá. há uma disposição de que deveríamos ter a mesma multa. O ministro ressaltou que a intenção da presidente Dilma Rousseff é não mexer no que for decidido pelos parlamentares. a princípio. mas ela dará a última palavra. já que os outros têm. Garibaldi disse que não irá se opor. AGÊNCIA BRASIL   Corrigir Imprimir Relator adia apresentação de parecer sobre regulamentação da PEC das Domésticas O senador Romero Jucá disse que o governo pediu mais prazo para apresentar propostas sobre o assunto  Corrigir  Imprimir Diminuir fonteAumentar fonte . "o debate está apenas começando" e é preciso aguardar para ver como ele ficará ao final das negociações no Congresso. No entanto.

o senador disse que o governo pediu mais prazo para apresentar propostas sobre o assunto. Em reunião com os demais membros da comissão nesta quinta-feira.A comissão mista criada para regulamentar dispositivos constitucionais adiou para a próxima semana a apresentação do parecer do senador Romero Jucá (PMDB-RR) sobre o projeto de lei que irá disciplinar a emenda constitucional sobre trabalho doméstico. para que então tivéssemos condição. A Proposta de Emenda à Constituição das Domésticas foi aprovada no final de março por unanimidade no Senado. quando o governo entregaria oficialmente à comissão as contribuições para que pudessem fazer parte do debate. ainda no mês de maio. a PEC das Domésticas. de votar essa matéria — disse o relator. — A ministra pediu que aguardássemos até a próxima semana. A partir dela. Jucá disse que recebeu uma ligação da ministra Gleisi Hoffmann solicitando que ele aguarde a conclusão dos trabalhos da comissão interministerial criada para fazer sugestões ao projeto. Ele deverá conversar com a Casa Civil antes de apresentar aos demais parlamentares a proposta de regulamentação da emenda. os . mas ainda não foi marcada nova reunião para leitura do parecer.

FGTS e IR dos domésticos . a comissão mista vem trabalhando em um projeto de lei para regulamentar os novos direitos desses trabalhadores. PEC das Domésticas21/05/2013 | 17h31 Governo lançará portal para unificar pagamento do INSS. como horas extras remuneradas e indenização por demissão sem justa causa.trabalhadores que prestam serviços domésticos passam a ter todos os direitos previstos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O relator declarou que considera a multa de 40% sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) excessiva para as famílias que contratam esses tipo de empregado e sugere que a multa seja de 5%. Outros pontos como descontos sobre juros e multas para os empregadores em atraso com contribuições previdenciárias e o boleto único para as contribuições de FGTS e Previdência estão sendo discutidos com o governo. Desde então.

e do Imposto de Renda dos trabalhadores domésticos. o portal na internet será mantido pela Receita Federal. A ministra explicou que. Isto vai gerar uma folha de pagamento por empregado e possibilitará a unificação do pagamento das contribuições e impostos relativos à relação de trabalho — explicou Gleisi durante coletiva. do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço(FGTS). não será possível o pagamento unificado. Segundo a ministra da Casa Civil. o sistema é simples vai facilitar as relações entre empregador e trabalhador  Corrigir  Imprimir Diminuir fonteAumentar fonte O governo federal vai lançar. em conjunto com os ministérios do Trabalho e da Previdência. o sistema é simples vai facilitar as relações entre empregador e trabalhador. Gleisi Hoffmann. um site na internet para unificar o recolhimento do INSS.Segundo a ministra da Casa Civil. na primeira semana de junho. o empregador poderá controlar todas as obrigações . mas o portal estará no ar para que as pessoas possam conhecêlo e aprender a usá-lo. Gleisi Hoffmann. até a votação da Emenda Constitucional 72 pelo Congresso. Segundo ela. Por meio da internet. — O empregador poderá registrar os seus empregados. após entrega ao Congresso de documento com sugestões do governo sobre a regulamentação do trabalho doméstico.

nos casos de demissão sem justa causa  Corrigir  Imprimir Diminuir fonteAumentar fonte A presidente Dilma Rousseff entregou nesta terça-feira ao presidente da Comissão Mista de Consolidação das Leis e Regulamentação da Constituição. A ministra da Casa Civil. senador Romero Jucá (PMDBRR). . deputado Cândido Vaccarezza (PTSP). sugestões do governo para regulamentação da Emenda Constitucional 72. que estende aosempregados domésticos os mesmos direitos dos demais trabalhadores. Gleisi Hoffmann. e o relator.trabalhistas e fiscais e fazer o cálculo automático dos valores e emissão de guia de recolhimento com código de barras. PEC das Domésticas21/05/2013 | 17h37 Governo apresenta sugestões para regulamentação do trabalho doméstico Relatório defende o pagamento de multa rescisória de 40% do saldo do FGTS. disse que a presidente ressaltou a importância da relação com o Congresso e que o governo vai fazer um debate com a comissão mista sobre a proposta.

regime de revezamento de 12 horas diárias por 36 horas de descanso e banco de horas. Gleisi Hoffmann explicou que foram apresentadas três alternativas de jornada de trabalho. preferencialmente aos domingos. que devem ser decididas entre empregador e empregado: oito horas diárias e 44 horas semanais.— A presidenta considera que este é um momento histórico em que o Brasil está reconhecendo um contingente expressivo de trabalhadores. pelo texto apresentado. com até quatro horas extras por dia. O intervalo de descanso deve ser uma hora. auxílio-acidente. Ficam assegurados também. nos casos de demissão sem justa causa. que ainda não têm acesso aos direitos da formalidade — afirmou. O governo defende a contribuição patronal ao INSS de 12%. . com um dia de descanso semanal. podendo ser reduzido para 30 minutos por acordo ou 11 horas entre as jornadas. salário-família e previdência social. assim como o pagamento de multa rescisória de 40% do saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). segurodesemprego.