A topologia de rede descreve como é o layout duma rede de computadores através da

qual há o tráfego de informações, e também como os dispositivos estão conectados a
ela.
Há várias formas nas quais se pode organizar a interligação entre cada um dos nós
(computadores) da rede. Topologias podem ser descritas fisicamente e logicamente. A
topologia física é a verdadeira aparência ou layout da rede, enquanto que a lógica
descreve o fluxo dos dados através da rede.
Na topologia linear (também chamada topologia em barramento), todas as estações
compartilham um mesmo cabo. Essa topologia utiliza cabo coaxial, que deverá possuir
um terminador resistivo de 50 ohms em cada ponta.
O tamanho máximo do trecho da rede está limitado ao limite do cabo, 185 metros no
caso do cabo coaxial fino. Este limite, entretanto, pode ser aumentado através de um
periférico chamado repetidor, que na verdade é um amplificador de sinais.
Na topologia em barra todos os computadores estão ligados a um cabo contínuo que
termina em ambas as extremidades por uma pequena ficha com uma resistência
ligada entre a malha e o fio central do cabo. Como vantagem, é muito fácil a sua
utilização, relativamente económica; utilização de menos cabos. Desvantagens
incluem a dificuldade de mudar ou mover nós; a interface é passiva - baixa tolerância a
falhas, uma vez que, se o cabo partir a rede fica inoperante, seja qual for o ponto de
ruptura do cabo; dificuldade em diagnosticar falhas e erros.
O desempenho da topologia em barra é determinado pelo número de estações
conectadas, meios de transmissão utilizados, tráfego, entre outros fatores.
Esse tipo de enlace é chamado Multiponto
Os computadores em uma topologia de barramento comunicam-se enviando dados
pelos cabos a um computador destinatário único. Isso significa que todos os
computadores podem “escutar” as informações transmitidas, mas apenas o
destinatário exato receberá os dados. Esta característica é aplicada em mensagens do
tipo broadcasting.
Topologia Linear - Problema
Como todas as estações compartilham um mesmo cabo, somente uma transação
pode ser efetuada por vez, isto é, não há como mais de um micro transmitir dados por
vez. Quando mais de uma estação tenta utilizar o cabo, há uma colisão de dados.
Quando isto ocorre, a placa de rede espera um período aleatório de tempo até tentar
transmitir o dado novamente. Caso ocorra uma nova colisão a placa de rede espera
mais um pouco, até conseguir um espaço de tempo para conseguir transmitir o seu
pacote de dados para a estação receptora.
As conexões são feitas com conectores em forma de T.
Normalmente, os sinais em uma rede de barramento são efetuados por meio de
broadcast (difusão) enviados nas duas direções do cabo, permitindo que todos os
dispositivos recebam o sinal diretamente.
Cada nó atende por um endereço na barra de transporte, portanto, quando uma
estação conectada no barramento reconhece o endereço de uma mensagem, esta a
aceita imediatamente, caso contrário, a despreza
MAC ADDRESS - Media Access Control

É um endereço de 48 bits, representado em hexadecimal. O protocolo é responsável
pelo controle de acesso de cada estação à rede. Este endereço é o utilizado na
camada 2 (Enlace) do Modelo OSI.
O princípio de funcionamento é bem simples: - se uma estação deseja transmitir, ela
verifica se o meio está ocupado. - se estiver desocupado, a estação inicia sua
transmissão. - se apenas aquela estação desejava transmitir, a transmissão ocorre
sem problemas.
A conseqüência direta desse problema é a velocidade de transmissão. Quanto mais
estações forem conectadas ao cabo, mais lenta será a rede, já que haverá um maior
número de colisões.
Caso o cabo se desconecte em algum ponto (qualquer que seja ele), a rede "sai do
ar", pois o cabo perderá a sua correta impedância (não haverá mais contato com o
terminador resistivo), impedindo que comunicações sejam efetuadas - em outras
palavras, a rede pára de funcionar.
 Possui interfaces passivas, ou seja, falhas ocorridas nos nós ou enlaces
não acarreta parada no rede;
E, por fim, outro sério problema em relação a esse tipo de rede é a segurança. Na
transmissão de um pacote de dados - por exemplo, um pacote de dados do servidor
de arquivos para uma determinada estação de trabalho -, todas as estações recebem
esse pacote. No pacote, além dos dados, há um campo de identificação de endereço,
contendo o número de nó de destino. Desta forma, somente a placa de rede da
estação de destino captura o pacote de dados do cabo, pois está a ela endereçada.
Se na rede você tiver duas placas com o mesmo número de nó, as duas captarão os
pacotes destinados àquele número de nó. É impossível você em uma rede ter mais de
uma placa com o mesmo número de nó, a não se que uma placa tenha esse número
alterado propositalmente por algum hacker com a intenção de ler pacotes de dados
alheios. Apesar desse tipo de "pirataria" ser rara, já que demanda de um extremo
conhecimento técnico, não é impossível de acontecer.
Reconfiguração
As redes de barramento podem ser de difícil reconfiguração. O acréscimo de novos
dispositivos geralmente implica no corte do cabo principal para adicionar um conector
T, mas, para isso, a rede deve estar desligada. É importante seguir os requisitos de
número máximo de dispositivos e de intervalo entre uma bifurcação e outra.
Benefícios:
-

Instalação é muito fácil e depende apenas de expandirmos o

cabo com mais conectores;
-

Existe uma economia substancial da quantidade de cabos

necessária, comparando com a topologia em estrela;
-

O investimento é pequeno para criarmos a rede.

-

Se o cabo partir, os pedaços da rede ficam completamente

Fraquezas:
isolados;

-

A administração da rede é excessivamente complexa, porque

fica difícil identificarmos os problemas.
-

Devido às limitações da mídia utilizada, não trabalha com

velocidades superiores a 10 Mbps.
-

Está sujeita a colisões, que diminui a performance.

-

Não conseguimos controlar, administrar e priorizar o consumo de

banda por usuário.