Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz

questionar a pertinência de estarem, muitos deles, juntos numa mesma classe deseres.
Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. A literatura – e
tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se
denominem “não-ficção”, um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de
espelhar a realidade, o que significa apenas um desconhecimento de sua própria
prática).
Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz
questionar a pertinência de estarem, muitos deles, juntos numa mesma classe deseres.
Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. A literatura – e
tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se
denominem “não-ficção”, um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de
espelhar a realidade, o que significa apenas um desconhecimento de sua própria
prática).
Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz
questionar a pertinência de estarem, muitos deles, juntos numa mesma classe deseres.
Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. A literatura – e
tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se
denominem “não-ficção”, um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de
espelhar a realidade, o que significa apenas um desconhecimento de sua própria
prática).
Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz
questionar a pertinência de estarem, muitos deles, juntos numa mesma classe deseres.
Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. A literatura – e
tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se
denominem “não-ficção”, um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de
espelhar a realidade, o que significa apenas um desconhecimento de sua própria
prática).
Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz
questionar a pertinência de estarem, muitos deles, juntos numa mesma classe deseres.
Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. A literatura – e
tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se
denominem “não-ficção”, um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de
espelhar a realidade, o que significa apenas um desconhecimento de sua própria
prática).
Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz
questionar a pertinência de estarem, muitos deles, juntos numa mesma classe deseres.
Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. A literatura – e
tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se
denominem “não-ficção”, um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de

um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. V . um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. juntos numa mesma classe deseres. muitos deles. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. juntos numa mesma classe deseres. muitos deles. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. juntos numa mesma classe deseres. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. v Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. muitos deles. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática).espelhar a realidade. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. juntos numa mesma classe deseres. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. juntos numa mesma classe deseres. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. muitos deles. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). muitos deles. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem.

um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de . A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. muitos deles. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. juntos numa mesma classe deseres. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. juntos numa mesma classe deseres. muitos deles. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). muitos deles. juntos numa mesma classe deseres. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. muitos deles. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”.Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. juntos numa mesma classe deseres. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). muitos deles. juntos numa mesma classe deseres. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. juntos numa mesma classe deseres. muitos deles. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem.

o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). juntos numa mesma classe deseres. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. muitos deles. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. juntos numa mesma classe deseres. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. juntos numa mesma classe deseres. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. juntos numa mesma classe deseres. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. muitos deles. V Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem. juntos numa mesma classe deseres.espelhar a realidade. . muitos deles. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. muitos deles. A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). muitos deles. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. um tipo de realismo jornalístico cuja pretensão maior é a de espelhar a realidade. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca. o que significa apenas um desconhecimento de sua própria prática). A literatura – e tudo o que podemos agrupar sob esse nome – é ficção (mesmo que haja vertentes que se denominem “não-ficção”. Um termo tão geral só pode designar uma generalidade que os convoca.v Os objetos que agrupamos sob o nome de “literatura” comportam diferenças que nos faz questionar a pertinência de estarem.