VITILIGO

O Vitiligo é uma doença adquirida e idiopática (com causa ainda
desconhecida), caracterizada pela presença de manchas acrômicas e
que afeta meio a dois por cento da população mundial, sem
preferência por sexo, raça e acomete qualquer idade, apesar de se
iniciar mais comumente em torno dos 20 anos, ou seja,

em

indivíduos adolescentes e adultos jovens. É relativamente comum
acometimento familiar, em trinta por cento dos casos os pacientes
relatam ter casos de vitiligo na família. Outro fator referido pelos
pacientes

é

a

presença

de

um

fator

desencadeantes

como

traumas( queda de moto, queimaduras) ou até mesmo traumas
psicológicos.
1. ETIOPATOGENIA DO VITILIGO
A

etiopatogenia

do

vitiligo

ainda

não

foi

completamente

elucidada. Existem três teorias principais para explicar a causa do
vitiligo:
A primeira teoria é a teoria autoimune que diz que o
próprio individuo passa a produzir auto anticorpos contra os
melanócitos, por esse motivo, os melanócitos deixariam de funcionar
e a pessoa ficaria com as manchas acrômicas, como se fosse uma
doença autoimune.
A segunda teoria é a teoria citotóxica que diz que o
paciente

produziria

substancias

como

quimonas,

fenóis,

que

destruiriam os melanócitos por substancias envolvida s na formação
da melanina.
A terceira teoria é a teoria neural, onde existiria um
neuro químico mediador que causaria a destruição dos melanócitos
ou inibiria a produção da melanina.
Não se sabe ao certo as causas do vitiligo mas existem essas três
teorias que tentam explicar sua causa, sendo a mais aceita a teoria
autoimune.
2. QUADRO CLÍNICO

por as lesões serem bastante clássicas. lesões do vitiligo aparecerem. bem brancas e com bordas hiperpigmentadas. geralmente não se necessita de nenhum exame para diagnosticá-lo. a cor que volta acaba se tornando mais escura que a cor normal do paciente devido a uma hiperfunção da corrente de tratamento. vitiligo focal que é aquele que é bem localizado e pode ter um vitiligo unilateral ou segmentar que respeita os limites anatômicos. periocular. Fenômeno de Keubner – Quando eu tenho um trauma. A distribuição é geralmente simétrica e bilateral. um atrito. Em algumas situações durante o tratamento. dorso dos dígitos. Mas podemos também um vitiligo universal que é um vitiligo bem disseminado. geralmente o médico não pega o paciente nessa fase. Percebe-se nas fotos a presença de poliose( pelos brancos) que pode ocorrer em alguns casos de vitiligo devido a destruição de melanócitos do pelo. adora áreas de trauma. dos liquens. Fotos que mostram o quadro clinico do vitiligo. Percebe-se nas fotos a simetria e bilateralidade.O vitiligo é caracterizado pela presença de manchas hipocrômicas. Luz de Wood – É uma lâmpada que liga na tomada e examina o paciente com uma luz negra. O crescimento dessas manchas é centrífugo. dobras naturais da pele. É uma arma propedêutica que pode ser usada quando se tem dúvidas se trata de uma lesão de vitiligo ou de uma outra doença. entretanto. A mais comum é a vulgar. acometendo como se fosse um . O vitiligo tem algumas variantes. justamente pelo fato das lesões terem como fator desencadeante um trauma. O diagnostico do vitiligo é clinico. pode naquele local do atrito. quando ocorre o processo de repigmentação. são geralmente assintomáticas. Esse fenômeno é bem característico das verrugas. ou seja .Vitiligo segmentar lembra um pouco a disposição do herpes zoster. O paciente já chega com manchas acrômicas. Essa luz torna as lesões mais evidentes. Um terço dos pacientes com vitiligo apresenta fenômeno de Keubner. genitálias. O vitiligo tem predileção por região perioral.

Um sinal rodeado por uma mancha acrômica. a histopatologia vai mostrar a ausência de melanócitos na epiderme.dermátomo da pele. e então passa-se a acreditar que se trata de uma meningite viral. DIAGNOSTICOS DIFERENCIAIS Nevo acromico – se trata de uma mancha hipocrômica que se origina por desordem vascular e cujo diagnostico é muito precoce. o paciente abre um quadro de uveíte. por exemplo: DISTÚRBIOS VISUAIS: Geralmente nestes distúrbios a acuidade visual é preservada. NEVO HALO . O vitiligo segmentar é mais comum em crianças e adolescentes. 3. com o intuito de destruir os melanócitos do nevo. fazem a punção. Na eventualidade de ser feito uma biópsia. Então paciente fica com uma mancha de vitiligo na testa e poliose. Na periferia ou em lesões recentes ainda podem ser encontrados alguns melanócitos. na primeira consulta com suspeita de vitiligo. mas pode haver uveíte. dores pelo corpo. O paciente é tratado da meningite. pois são doenças autoimunes. vômitos). É bem rara. uma glicemia e um hemograma. Geralmente a biopsia só e feita em caso de duvidas. . pede-se um TSH. recebe alta e melhora. SINDROME DE VOGT KOYANAGI HARADA – Se caracteriza por uveíte. poliose e vitiligo. fotossensibilidade e estes distúrbios visuais estão presentes em 40 a 50 por cento dos pacientes. de moeda. ALOPECIA HAREATA. O paciente pode abrir o quadro com meningite( cefaleia. mas geralmente ocorre a ausência de melanócitos na epiderme. poliose e vitiligo. Por esse motivo geralmente.Queda de cabelo de causa idiopática e em forma de anel. DISFUNÇÕES TIREOIDIANAS: Doença de Addison. Ai é internado. DISTÚRBIOS AUDITIVOS 4. meningite asséptica. DESORDENS ASSOCIADAS O vitiligo pode ter algumas desordens associadas a ele como. Um tempo depois. não identificam nada.

Geralmente tem descamação associada. Hanseniase Indeterminada: Mancha hipocromica-acastanhada Pitiriase Alba: Manchas hipocrômicas. Piebaldismo: É uma doença genética. ptiriase versicolor. Piebaldismo – doença genética.Tenho que pensar em ptiríase Alba geralmente em crianças. histórico de asma ou pele ressacada. .Já o nevo anêmico é por agenesia vascular. cuja característica principal é uma mancha triangular na região frontal associada região frontal do couro cabeludo. Nevo Acrômico: Não é branco como o branco do vitiligo. ele some. com pele ressecada aparecem essas lesões. Percebe-se que ao apertar a pele ao redor. lúpus eritematoso. se apertar na pele ao redor do nevo. pelo ressecamento da pele. É uma mancha hipocrômica. a pele se iguala a cor do nevo anêmico. geralmente em pacientes com rinite alérgica. Hanseniase indeterminada – pode a poliose na haver manchas hipocromicas. É diferente do nevo acromico pois é uma desordem vascular. Ptiriase Versicolor – Micose superficial caracterizada por manchas hipocromicas. Caracterizada por uma mancha acrômica triangular na região frontal associada a poliose na região do couro cabeludo. Piebaldismo – É outra doença na qual a gente tem manchas acrômicas Albinismo parcial – No albinismo total dificilmente você vai ter dúvidas de que aquilo é uma pessoa albina.Nevo anêmico . Mais encontrada em pacientes melanodérmicos (morenos). Ptiriase Alba.manchas hipocromicas. Mais comum em pacientes morenos. eritematosas. Quando tenho um albinismo parcial deve-se pensar em diagnostico diferencial com vitiligo Desordens adquiridas. histórico de asma. E geralmente o paciente relata que tem esta mancha desde muitos anos Nevo Anêmico: É uma mancha hiprocrômica por agenesia vascular. acastanhadas. crianças e adolescentes. geralmente em pacientes com rinite alérgica. acastanhadas .

6. a mancha fica muito vermelha. podendo causar queimadura. progredir ou regredir. Nevo Halo: um nevo com uma mancha acrômica ao redor. A repigmentação ocorre pela ativação e migração de melanócitos dos folículos pilosos para a camada basal da pele. eritematosas. Não é vitiligo.  Se a lesão é localizada: Faz-se tratamento tópico. braços e pernas. geralmente com descamação associada. como clobetasol e betametasona. TRATAMENTO Apoio psiológico é fundamental. é mais fácil da cor voltar. EVOLUÇÃO Infelizmente não sabe se dizer qual será a evolução do paciente. Por isso que áreas com poucos folículos pilosos. que é tacrolimo ( Protopic) e pimecrolimo (Elidel).Ptiriase versicolor: Micose superficial. E áreas com muito folículos. Se o paciente não melhorar após 2 ou 3 meses. como mãos e pés. No caso do UVA. Liquen Escleroso: A diferença é que ao examinar percebe-se que a pele é esclerótica. caracterizada por manchas hipocrômicas acastanhadas. A doença pode estacionar. por isso prefere pacientes adolescentes Lupus cutâneo crônico: pode apresentar leões vitiligosas na sua fase avançada. Geralmente a repigmentação ocorre pelo folículo piloso.já que a lesão é mancha acromica e com a exposição solar. após passar o puva tópico. a pele é exposta à . troca o tratamento pelo imunomodulador. No líquen. Prefere pacientes com pele oleosa. No vitiligo não há alteração do relevo ou da textura da pele. com primeira escolha os corticóides de alta potencia. 5. Os pacientes em geral são muito discriminados. por ser esclerótica. como face. Inicia-se o tratamento com o protetor. percebe-se que não consegue pinçar a pele. Pode-se fazer também PUVA tópico (8-MOP + sol ou UVA). são super difíceis de repigmentar.

E um dos mais usados é o trimetilpsolareno e o 8-MOP. porque percebeu um grande número de queimaduras). . prednisona oral na dose de 0. estiver regredindo ou repigmentando. usa-se corticóide. quando acomete mais 80 % da área corporal. Depois realiza-se o desmame do corticóide quando os  outros tratamentos vão acumulando. 7. oral.radiação ultravioleta. A luz funciona como estimulador para os melanócitos voltarem a funcionar. Nunca tomar o sol de meio dia a 14h. (A professora não gosta deste último método.5 a 1mg/kg e vou imunossuprimir o paciente. Não tem no PI do SUS. DESPIGMENTAÇÃO Indicada no vitiligo extenso. Ai faz-se o transplante autólogo de melanocito Camuflagem: Caso da Luiza Brunet. O Maximo é de 30 min. mas sobrou uma lesão que não pigmenta de jeito nenhum. É uma maquiagem desenvolvida para pacientes com vitiligo que esconde a lesão  Tratamento sistêmico:  Indicado em casos universais.  Se o paciente está com as lesões em evolução. Quando a lesão parar de progredir. Então termina mandando o paciente pegar sol 2h depois de tomar o comprimido de trimetilpsolareno. O Ideal é o paciente tomar o tratamento e 2h depois fazer a exposição na cabine de puva. deve-se ir tirando o corticóide e adotando outros tratamentos. Em pacientes acima de 40 anos e pode ser feita com Monobenzil éter de hidroquinona ou laser ruby Q-switched Principalmente em casos de vitiligo que não se tem mais o que fazer. UVB narrow-band é uma câmara de luz UVB. Ou pode-se passar o PUVA tópico nas lesões e mandar o paciente pegar sol. É uma ótima opção para vitiligo localizado. Laser excrimer é muito bom mas é muito caro Cirurgia: transplante autólogo: realizada em casos que o paciente fez-se o tratamento. Começa pegando 10 minutos de sol e vai aumentando. disseminados. Mas no PI não tem PUVA.