- Três tipos de patrimônio: Patrimônio estético, Patrimônio-técnico e

patrimônio econômico.
- Revitalização dos centros históricos nos moldes europeus: gentrificação e
museificação das cidades.
- Globalização: padronização dos centros históricos, para atender aos
“padrões internacionais” de revitalização.
“Com o crescimento do turismo no Brasil nos centros urbanos, as
destinações turísticas se viram obrigadas a melhorar a infra-estrutura local
com obras de melhorias urbanas para manter a atratividade local. Na
realidade tais melhorias urbanas estão voltadas, especificamente, para o
mercado turístico, possuem caráter embelezador, de construção de um
lugar que chame atenção e ative o imaginário dos turistas. Lugares que se
diferenciem do cotidiano, da realidade, para serem apenas lugares de
lazer.” (LIMA, 2005.)
“Esse processo leva a criação do não-lugar, da não-identidade, pois não há
um vínculo com o indivíduo, não se caracteriza como um espaço de
produção humana, construído a partir da relação homem-espaço, através
dos tempos. São espaços não identificáveis pelo indivíduo que ali vive, não
produzem o sentimento de pertencimento, de identidade, já que são
voltados para atender a lógica do mercado.” (LIMA, 2005.)
O lugar é, em sua essência, produção humana, visto que se produz na
relação entre espaço e sociedade, o que significa criação, estabelecimento
de uma identidade entre comunidade e lugar, identidade essa que se dá por
meio de formas e apropriação para vida. (CARLOS, 1996, p. 28).
- O turismo não é o mal em si, porém como ele é abordado, um turismo
econômico, onde tudo está visando o mercado de turismo. Ou seja, a cidade
passa a ser um museu, onde a população do local não encontra uma
identidade com o lugar abordado.
- O próprio governo se adequa as exigências do “modelo internacional” de
revitalização de centros históricos, baseado no modelo europeu e norte
americano. para atrair mais investimentos, sucateando a população mais
carente, que vivia no lugar, e é obrigada a sair desse centro, pelo aumento
do poder de consumo desses lugares. Como vemos em salvador, no
pelourinho, onde a maior parte dos casarões na parte de baixo dos edifícios,
é usado para o comercio, e os andares de cima, ficam sem uso, isso é um
retrato de todos os centros históricos, que não escutam a população, pois
em um país onde o déficit de habitação é alto, principalmente para as
pessoas de renda mais baixa, esses lugares poderiam ser utilizados como
moradia, se houvesse também um planejamento por parte do governo para
assegurar essas pessoas nesses lugares.
- Gentrificação: O fenômeno afeta uma região ou bairro pela alteração das
dinâmicas da composição do local, tal como novos pontos comerciais ou

esse modelo acaba tornando todas essas áreas . As propostas do governo são insuficientes. 2000).cada vez mais semelhantes entre si. onde só pensa no mercado turista. ao preservar áreas históricas de forte importância cultural local. agora planejadores-empreendedores. Assim. os planejadores urbanos. pois seguem normas de intervenção internacionais. americana (Nova-York) e européia (a Paris do Beaubourg). entre outros é uma forma de revitalização. Tal valorização é seguida de um aumento de custos de bens e serviços. Lisboa e Berlim. tudo que o governo fez e depois os dados que é apresentado que pra população local nada melhorou.Cartas patrimoniais. (JAQUES) . . ao grande capital e aos promotores culturais. 2014. PERGUNTA: QUAL SERIA UMA MANEIRA DE INCORPORAR O TURISMO AOS CENTROS HISTÓRICOS SEM CAIR NO PATRIMONIO-ECONOMICO. dificultando a permanência de antigos moradores de renda insuficiente para sua manutenção no local cuja realidade foi alterada. por exemplo. . valorizando a região e afetando a população de baixa renda local.html .O modelo de gestão patrimonial mundial.Jogos olímpicos. e a população vive precariamente.br/artigos/patrimoniocultural. que passa invariavelmente pela gentrificação de áreas urbanas "degradadas" para torná-las novamente atraentes ao grande capital através de megaequipamentos culturais. e muitas vezes esquece a população.mostrar o caso de santos. tem dupla origem. Esse modelo de mão única. segue a mesma lógica de homogeneização.) Associados aos políticos. que não são adaptadas de acordo com as singularidades locais. 31) (ARANTES. (SANTOS.com. (p. E ASSIM NÃO CAUSA A GENTRIFICAÇÃO DESSAS ÁREAS? UMA VEZ QUE O TURISMO É UM ÓTIMO MEIO PARA CONSERVAÇÃO DO PATRIMONIO. copa de mundo. e difundindo-se pela Europa nas experiências de Bilbao.revistaturismo. atingindo seu ápice de popularidade e marketing em Barcelona. . tornaram-se peças-chave dessa dinâmica.em diferentes países de culturas das mais diversas . qual influência que ela tem sobre o turismo dos centros históricos? http://www.construção de novos edifícios.