You are on page 1of 44

CRONOGRAMA DA DISCIPLINA METODOLOGIA DA PESQUISA

Serão realizadas duas avaliações sobre o desenvolvimento da monografia nos dias
14/06/2013 e 4/10/2013.
O desenvolvimento do trabalho deve seguir a sequência abaixo, APRESENTANDO SEU
DESENVOLVIMENTO DIRETAMENTE NOS ITENS E NA FORMATAÇÃO ESPECIFICADA
NO DOCUMENTO:
1. ETAPA INICIAL – EQUIVALENTE AO PROJETO
1.1. Fase 1
1.1.1. Definir os OBJETIVOS ESPECÍFICOS (de 3 a 5);
1.1.2. Desenvolver uma proposta de PROCEDIMENTO

METODOLÓGICO,

apresentando uma sequência de atividades que serão utilizadas para atingir
cada Objetivo Específico;
1.1.3. Listar as seções (títulos) da REVISÃO DA LITERATURA;
1.2. Fase 2
1.2.1. Desenvolver a REVISÃO DA LITERATURA indicando nos parágrafos as
citações; e listar as Referencias Bibliográficas;
1.2.2. CARACTERIZAR O OBJETO DE ESTUDO;
1.2.3. Apresentar o PROCEDIMENTO METODOLÓGICO definitivo (apresentando
uma sequência de atividades que serão utilizadas para atingir cada Objetivo);
1.2.4. Apresentar a QUESTÃO DA PESQUISA;
 Apresentar o documento em Word os itens 1.1 e 1.2 nas aulas do meio do semestre
2. ETAPA INTERMEDIÁRIA - QUIVALENTE A QUALIFICAÇÃO
2.1. Desenvolver o trabalho e apresentar os RESULTADOS PARCIAIS no Capitulo 4
2.2. Definir o OBJETIVO GERAL;
2.3. Desenvolver o PROBLEMA DA PESQUISA (apresentar a problemática com foco no
geral para o específico);
2.4. Desenvolver a JUSTIFICATIVA (apresentar com foco do geral para o específico);
2.5. Apresentar o TÍTULO DO TRABALHO.
 Apresentar o documento em Word e os slides em Power Point dos RESULTADOS PARCIAIS
atualizando e completando relatório até o item 2.5; nas aulas do final do semestre.
3. ETAPA FINAL - RELATÓRIO FINAL - MONOGRAFIA
3.1. Desenvolver o trabalho e apresentar os RESULTADOS FINAIS no Capitulo 4
3.2. Desenvolver as CONCLUSÕES DO TRABALHO
3.3. Desenvolver as RECOMENDAÇÕES PARA TRABALHOS FUTUROS
3.4. Desenvolver o RESUMO e as PALAVRAS CHAVES;
3.5. ADEQUAR E ATUALIZAR TODO O RELATÓRIO
 Apresentar o documento em Word e os slides em Power Point dos RESULTADOS FINAS,
atualizar e completar todo o relatório para a data da defesa

RETIRAR ESTAS ORIENTAÇÕES APÓS FINALIZAR A MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO
FACULDADE DE ENGENHARIA E ARQUITETURA
CURSO DE ENGENHARIA E SEGURANÇA DO
TRABALHO
Documento orientador para o desenvolvimento e apresentação
da monografia adequada a um relatório condensado
Legenda utilizada nas cores do texto:
1 Preto: obrigatório;
2 Azul: já formatado e a ser elaborado;
3 Verde: orientação para a elaboração.
4 Vermelho: padrão de tamanho do texto a ser adotado

Retira esta caixa de texto antes de entregar o relatório

MONOGRAFIA DO CURSO DE
ENGENHARIA E SEGURANÇA DO TRABALHO
APRESENTADA NA FORMA DE UM RELATÓRIO CONDENSADO
MAPAS DE RISCOS DOS LABORATÓRIOS DO CETEC/ / UPF
(desenvolver na etapa final)
O título deve ser claro, conciso e suficientemente descritivo para representar o assunto e o problema a
ser estudado. Deve-se evitar o uso de chavões do tipo: Contribuição ao... Estudo de... Contribuição ao
estudo...

Aluno: Eduardo Basso, Eng. Civil
Orientador: Professor Matheus de Conto Ferreira, Eng. Civil e Eng. Seg. Trabalho

2

Passo Fundo, 2016

3

(desenvolver na etapa final)

Eduardo Basso

MAPA DE RISCOS DOS LABORATÓRIOS DO CETEC/ FEAR/ UPF

Orientador: Matheus de Conto Ferreira, titulação.

Monografia na forma de um relatório condensado 
apresentada ao Curso de Especialização em Engenharia e 
Segurança do Trabalho na Faculdade de Engenharia e 
Arquitetura da Universidade de Passo Fundo.

4

.. Data de apresentação: Passo Fundo. Orientador Universidade de Passo Fundo Nome do professor professo. Titulação. de. de 20.. Universidade de Passo Fundo Nome do professor professo. Titulação..Passo Fundo 2016 (desenvolver na etapa final) MAPA DE RISCOS DOS LABORATÓRIOS DO CETEC/ FEAR/ UPF Eduardo Basso Monografia na forma de um relatório condensado  apresentada ao Curso de Especialização em Engenharia e  Segurança do Trabalho na Faculdade de Engenharia e  Arquitetura da Universidade de Passo Fundo. Os membros componentes da Banca Examinadora abaixo aprovam o Trabalho de Conclusão de Curso Nome do professor orientador. Titulação.... 5 .

 Titulação. Universidade de Passo Fundo Passo Fundo 2016 6 .Universidade de Passo Fundo Nome do professor professo.

texto. texto. texto. texto. texto.. texto.. texto. Texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.. texto. texto. texto. Texto. 7 . texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.. texto.. texto.(desenvolver na etapa final) DEDICATÓRIA (S):  Elemento opcional: O autor presta homenagem ou dedica seu trabalho OK OKOKOKOKOK texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto..

Texto.. texto. texto. texto.. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.(desenvolver na etapa final) AGRADECIMENTO(S):  Elemento opcional: o autor faz agradecimentos dirigidos àqueles que contribuíram de maneira relevante à elaboração do trabalho.. texto. texto. Texto. texto. texto. texto.. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. 8 . texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. Texto. texto. texto.. texto. texto. texto.. texto. texto. texto. texto. texto.

 Devem ser apresentados: o  o tema.  [Tamanho: entre 150 e 250 palavras] Palavras­chaves: Texto.. mapa de risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho. Foi percebida a grande importância da elaboração e aplicação do mapa de risco e de uma atenção mais voltada à segurança do ambiente pesquisado. a partir do diagrama de causa e efeito.  9 . obtendo um melhor desempenho em suas atividades.  o os resultados e  o as conclusões alcançadas com o desenvolvimento do trabalho. que acarretam prejuízos à saúde dos trabalhadores.  ORIENTAÇÃO:   o   resumo   deve   ser   composto   de   uma   sequência   corrente   de   frases   concisas   e   ser   apresentado   como   um   único parágrafo.  É a apresentação concisa dos pontos relevantes do trabalho. com o levantamento dos aspectos causadores de possíveis acidentes. através dos quais foi possível detectar quais as causas dos riscos e os efeitos que  estes  interferem  na  problemática  em  questão.. Texto.. O resumo tem por finalidade apresentar uma noção geral do trabalho realizado e relatado do decorrer do tempo de modo que o leitor não precise ler todo o relatório para avaliar a importância do mesmo para sua área de interesse. O trabalho foi desenvolvido no Laboratório CETEC prédios R1 e R2. . integrando um conjunto de metodologias adequadas à prevenção de acidentes de trabalho. Texto.  o a metodologia. tem como objetivo informar uma situação de perigo através da indicação da localização. de caráter qualitativo. Com os resultados busca­se conscientizar aos usuários do ambiente... Assim. Sendo realizadas entrevistas com funcionários e diagramas.Resumo  (desenvolver para a etapa final) A   segurança   é   imprescindível   quando   se   trata   em   manter   um   ambiente   de   trabalho   saudável   e produtivo. Avaliar os riscos é uma obrigação e um processo de promover uma atitude positiva dos trabalhadores. fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho.. . . para que adotem normas de segurança no laboratório. Percebeu­se a necessidade de melhorias na área de segurança no trabalho.  o o problema. natureza e intensidade de um risco em um determinado ambiente.  o os objetivos. foi possível detectar quais as principais causas dos riscos na falta de segurança no ambiente de trabalho avaliado.

 Apresentar ao final do resumo três palavras­chaves. as quais são representativas do conteúdo do relatório. (desenvolver na etapa final) 10 .

....................................2 Objetivos Específicos.........................................................................................................4 Objetivos.................................................10 1................................................................16 5 conclusões..............................................................................................................................26 ANEXO A .................................................................................................14 3............................................................................1 Descrição do objeto de estudo...........................13 3 método do trabalho...................... texto............................................................................................................10 1.........2 Problema.............1 2..................................3......................................................14 4 APRESENTAÇÃO E ANÁLISE E DOS RESULTADOS.................................................................................................................................................................... texto.......................................9 1................................................................................................................3 Justificativas......................................................10 1..20 APÊNDICE A – Texto............2 Procedimento metodológico...................................Texto................................................Sumário 1 INTRODUÇÃO....11 2 revisão da LITERATURA............................19 REFERÊNCIASBIBLIOGRÁFICAS................................................................................................. texto...................................................9 1.......................................................1 Objetivo Geral...............1 Considerações Iniciais......................................................................................12 Titulo da seção terciária..............................................27 11 .......................................................................9 1...............3....1 Titulo da seção secundária............................................................................................................................................................................................................... texto.......................................................................................13 3.......................................1................................................................................................................................................12 2....................................................................................

causando lesões ou doenças chamadas profissionais ou do trabalho. vermelha. Depois da elaboração do mesmo deve ser feita a sua afixação em áreas acessíveis e de fácil visualização no ambiente de trabalho.1 INTRODUÇÃO 4. A intensidade do risco está representada por círculos de tamanhos proporcionalmente diferentes (maior o risco. sua elaboração passou a ser obrigatória para as empresas do país que tenham Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Conforme Zócchio (2002) apud Pavan (2011) a ideia do mapa surgiu na Itália a partir do relatório de uma vasta pesquisa feita neste país em 1967 sobre os diversos problemas para os trabalhadores nas empresas. que são consideradas acidentes do trabalho. amarela e azul) representam os diferentes agentes. Estes riscos podem afetar o trabalhador temporária ou permanentemente. De acordo com Araújo (2002) o Mapa de Riscos é uma representação gráfica que identifica e informa sobre os riscos existentes no local de trabalho. e teve como principal objetivo a identificação dos riscos presentes nos setores de forma a permitir elaboração do mapa de riscos dos mesmos. maior o círculo). Este trabalho foi realizado nos laboratórios do CETEC/UPF da Universidade de Passo Fundo. contribui para a eliminação ou controle dos riscos. a saúde dos trabalhadores e a produtividade das empresas. Deste modo. de forma a informar e orientar todos os trabalhadores e outras pessoas que transitem pelo local. marrom. E as cores (verde. 12 . comprometendo a segurança. O mapa de risco chegou ao Brasil na década de 80 incorporado à NR 5. Segundo Drummond (1994) apud Pavan (2011) o mapeamento ajuda a criar uma atitude mais cautelosa por parte dos trabalhadores diante dos perigos identificados e graficamente sinalizados. Considerações Iniciais (desenvolver para a etapa intermediária) Em todo e qualquer local de trabalho existe o risco de ocorrerem acidentes ou doenças ocupacionais.

 Ao apresentar o trabalho desenvolvido não indicar citações. que tem como objetivo identificar. texto. texto. texto.. texto. Por isso é importante o treinamento adequado e conscientização dos trabalhadores acerca de boas condutas no trabalho e uso correto dos EPI’s. texto. texto.. texto. texto.  Este item objetiva introduzir o assunto a ser tratado no trabalho. com o progresso da investigação. texto. texto. texto. texto.. texto.texto. texto. texto. texto. texto.. texto. operação de máquinas e procedimentos de segurança adequados. texto. Problema (desenvolver na etapa intermediária) Para Cardella (1999) segurança é um estado de baixa probabilidade de ocorrência de eventos que provocam danos e perdas. 13 . É o espaço destinado a relatar sobre o que se quer saber ou conhecer? Na prática. a maior parte dos casos porque o operador não recebeu a orientação necessária sobre o trabalho a realizar. texto. tornando o ambiente de trabalho mais seguro e saudável para as pessoas. texto.  Objetiva descrever sobre a área problemática onde está inserido o problema de pesquisa e formulá-lo de forma clara e delimitadamente. texto. Texto. texto. texto.  ORIENTAÇÃO: utilizar somente citações com base em outros trabalhos pesquisados.5 e 1 pagina] 5. texto. texto. texto. avaliar e controlar situações de risco. texto. podendo até mesmo ser reformulado. texto. pois são textos do aluno (autor). texto. texto. Segundo AYRES e CORRÊA (2001) a operação de máquinas e equipamentos na construção civil tem sido causa de acidentes fatais. Para trabalhar em um ambiente laboratorial em geral é necessário ter total conhecimento sobre as atividades a ser exercidas. texto.. texto. texto. texto. texto.. texto. É uma das áreas da segurança e saúde ocupacionais. o problema torna-se mais claro. texto. texto.   [Tamanho desta seção: entre 0. texto. texto. texto. Texto. texto. texto. texto.

texto. texto. texto.. texto.. texto. texto. texto.. texto.   [Tamanho desta seção: entre 0. texto.5 e 1 pagina] 14 . No final aprestar este tópico focando no objeto de estudo e não indicar citações. texto.. texto. texto. texto. texto. Nesse contexto tem-se como Questão da Pesquisa: Texto. texto. texto.5 e 1 pagina] 6. Justificativas (desenvolver na etapa intermediária) Texto. texto.. texto.. texto. utilizando somente citações com base em outros trabalhos pesquisados. pois são textos do aluno (autor) assim desenvolve­se do geral para o particular. texto. ?  Responde-se a questão: o que se quer saber ou conhecer?  [Tamanho desta seção: entre 0. texto. texto. texto. com informações convincentes sobre a sua importância e de suas relações com a economia e os interesses da comunidade e o conhecimento técnicocientífico. texto. texto. texto. texto. utilizando somente citações com base em outros trabalhos pesquisados. texto. texto. texto. ORIENTAÇÃO: contextualizar a problemática com foco no mundo e no Brasil.  Este item objetiva  fornecer os argumentos que justificam a solução do problema de trabalho. texto. texto. No final aprestar este tópico focando no objeto de estudo e não indicar citações. texto. Texto. texto. texto. texto. pois são textos do aluno (autor) assim desenvolve­se do geral para o particular. texto. texto. texto.  Responde-se a questão: por que tal problema é investigado? Ou por que tal problema deve ser solucionado?  ORIENTAÇÃO: contextualizar a justificativa com foco no mundo e no Brasil. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. Ressalta a relevância de sua execução. texto.

texto.. texto. texto. texto. texto. texto.. texto.  Responde-se a questão: o que vai se concretizar com a execução do plano do trabalho?  ORIENTAÇÃO: os objetivos devem iniciar com um verbo no infinitivo... texto. texto.1.  Constituem-se nas propostas específicas de solução do problema e que dependem diretamente do autor.. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.2 Objetivos Específicos (desenvolver na etapa inicial) Os objetivos específicos são definidos como: 1 texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.7. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.  Responde-se a questão: quais serão os supostos benefícios que poderão ocorrer após a execução do plano do trabalho?  [Apresentar em 1 parágrafo] 1. texto. Define explicitamente o propósito do trabalho. texto. texto. texto. texto. 2 texto.. Objetivos 1. texto. texto.1 Objetivo Geral (desenvolver na etapa intermediária) Este trabalho tem como objetivo geral: texto.. 3 ..1.. texto. texto. texto. São propostas concretas de compromissos atingidos com a execução do trabalho. texto. texto. texto.  Constitui o benefício que ocorrera devido à execução do trabalho.  [Sugere-se apresentar de 3 a 5 objetivos específicos] 15 . texto. texto. texto. texto. texto.

1.   a  classificação  dos   riscos   ambientais  deve   ser  feita   de  acordo   com  o  especificado   no Quadro 1. são capazes de causar danos à saúde do trabalhador. em função de sua natureza.1 Riscos Ambientais De acordo com a norma regulamentadora NR 9 consideram-se riscos ambientais os agentes presentes nos ambientes de trabalho que.   de 29/12/1994. Quadro 1 – Classificação dos riscos ambientais 16 . CLASSIFICAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS Segundo   o   anexo   IV   da   Portaria   nº   25   da   Secretaria   de   Segurança   e   Saúde   no   Trabalho.2 REVISÃO DA LITERATURA (desenvolver na etapa inicial) 2. concentração ou intensidade e tempo de exposição.1.

RISCOS QUÍMICOS Os riscos químicos são definidos por Gana Soto et al (1982) como os diversos agentes químicos que podem poluir um local de trabalho e entrar em contato com o organismo dos trabalhadores. vibrações.º25 de 29/12/94 RISCOS FÍSICOS São representados por fatores ou agentes existentes no ambiente de trabalho que podem afetar a saúde dos trabalhadores. Podem ser encontrados na forma sólida. produzindo uma ação generalizada. podendo apresentar uma ação localizada ou serem distribuídos aos diferentes órgãos e tecidos. como: ruídos. Portaria n. radiações. líquida e gasosa. calor. pressões anormais e umidade. levados pelos fluídos internos (sangue e outros). frio. 17 .Fonte: ANEXO IV.

 texto. ou seja. A adoção desses   comportamentos   no   posto   de   trabalho   pode   criar   deformações   físicas. texto. e outras situações de risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes. texto. entretanto. material ou matéria prima fora de especificação.   atitudes   viciosas. texto. Deve incluir. Podem seguir uma ordem cronológica. pisos pouco resistentes ou irregulares. probabilidade de incêndio ou explosão. a malária. Para Köche (1999). modificações da estrutura óssea. máquina e equipamentos sem proteção. o mais importante é respeitar a seqüência natural do assunto tratado. no texto. Os trabalhos consultados devem ser citados. os quais podem refletir no esqueleto e órgão do corpo. lançar­se   em   uma   investigação   desconhecendo   as   contribuições   relevantes   já   existentes   é arriscar­se a perder tempo em busca de soluções que talvez outros já tenham encontrado.. com os quais pode o trabalhador entrar em contato. A revisão não deve ser uma simples seqüência impessoal de resumos de outros trabalhos. RISCOS MECÂNICOS OU DE ACIDENTES São muito diversificados e estão presentes no arranjo físico inadequado.  Sua   importância   destaca­se   pela   necessidade   de   se   conhecer   o   que   existe   na   bibliografia pertinente à área problemática em que está inserido o problema em estudo.1. texto. A revisão literatura deve ser atualizada e focalizar os assuntos que tenham relação direta e específica com a pesquisa.RISCOS BIOLÓGICOS São micro­organismos causadores de doenças.   Responde­se a questão: o que já foi publicado sobre o assunto pesquisado? 18 . no exercício de suas atividades profissionais. texto. se caracterizam por atitudes e hábitos profissionais prejudiciais a saúde.   contribuindo   para   a   construção   de   um   referencial   para   a   interpretação   dos resultados. incluem­se a tuberculose. texto.   instalações   elétricas defeituosas. de acordo com as normas da ABNT.5. texto. RISCOS ERGONÔMICOS Os riscos ergonômicos são agentes causadores de doença. texto. ou percorrer caminhos já trilhados com insucesso. texto. uma análise dos documentos. mas sim examinados e criticados objetivamente. Entre muitas doenças causadas por agentes biológicos. texto. também. ferramentas   impróprias   ou   defeituosas. texto. texto. a febre amarela e o carbúnculo. trabalhos que abordam enfoques semelhantes devem ser examinados conjuntamente. etc. 3. armazenamento inadequado.   iluminação   excessiva   ou   insuficiente. a brucelose. texto.. revelando que os mesmos não foram meramente catalogados. Texto. o tétano. texto. texto.

texto.3 Titulo da seção quaternária Texto. texto. texto. texto.1. texto. texto.1.. texto. texto.. texto. texto. texto. texto. texto. 19 . texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.. texto. texto. texto. texto. texto.. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.. texto. Texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto. texto.  [Tamanho desta seção: entre 4 e 5 paginas] 2. texto. texto. texto.1. texto. texto. texto.2 Titulo da seção terciária Texto. ORIENTAÇÃO: todos os parágrafos da Revisão da Literatura deverão ter a citação exceto algum comentário próprio do aluno (autor) baseado em alguma citação apresentada. texto. texto. texto. texto.1.... texto. texto. texto. 2. texto. texto. texto. texto. texto. Texto.

Posteriormente foram feitos os questionários presenciais. texto. Foi elaborada a planta baixa e posteriormente um croqui esquematizando todas as áreas. apresentado na Figura 1.. texto.  ORIENTAÇÃO: é a descrição da cidade e/ou empresa e/ou processo e/ou produto. texto.3 MÉTODO DO TRABALHO 3 Descrição do objeto de estudo (desenvolver na etapa inicial) Laboratórios CETEC/FEAR/UPF Texto. objeto de estudo ao qual foi desenvolvido o trabalho. texto. texto.  [Tamanho desta seção: 0. elaborados conforme orientações da CIPA. Foram entrevistados cinco colaboradores. texto. texto..Croqui dos Laboratórios com identificação de alguns itens 20 . texto. texto. de acordo com a percepção dos mesmos. texto. texto. texto. com as respostas obtidas. foi possível fazer o levantamento dos riscos presentes nos laboratórios. texto. texto. texto. Figura 1. texto.5 e 1 pagina] 4 Procedimento metodológico (desenvolver na etapa inicial) O primeiro passo na elaboração do trabalho foi o levantamento das áreas dos laboratórios.

deve-se apresentar uma descrição completa e concisa da metodologia a ser utilizada. texto. texto. texto. Por esta razão. bem como a eficiência do método utilizado.Texto. são os principais elementos de em trabalho científico. texto. texto.  É a descrição do caminho (método) e das técnicas (formas como percorrê-lo). texto. texto. texto.  [Tamanho desta seção: 2 paginas no mínimo] 21 . texto. texto. permitindo que o leitor compreenda o procedimento adotado. texto. O rigor das observações e a precisão dos dados coletados. texto.. como se fosse um passo-a-passo que descreve como os resultados foram obtidos os quais foram gerados para atenderem os objetivos específicos definidos. texto. texto. texto. texto.. bem como possibilite a reprodução do estudo ou a utilização do método e das técnicas em outros trabalhos  Responde-se a questão: como vai ser executado o plano do trabalho?  ORIENTAÇÃO:   o procedimento metodológico deve ser apresentado na seqüência cronológica em que o trabalho será conduzido.

Laboratório de materiais: Extintor de incêndio. grade no 22 . Laboratório de materiais: poeira proveniente da ruptura de corpos de prova.1. névoas. Como são manipulados os produtos químicos? Com o auxílio de máscaras e luvas Existem equipamentos de proteção coletiva na seção? Quais? Laboratório de solos: extintor de incêndio. Silicato de Sódio. solução para equivalente de areia. Titulo da seção secundária Tabela 1-Grupo 1: Riscos Químicos Perg unta Existem químicos Quais? S im N ão Observa ções produtos setor? Laboratório de solos: Percloroetileno. aditivos para concreto. Existem emanações de gases. da estufa. Hidróxido de Sódio.4 APRESENTAÇÃO E ANÁLISE E DOS RESULTADOS (desenvolver na etapa intermediaria e final) 4. neblinas e outros? De onde são provenientes? Laboratório de solos: vapores do banho-maria. vapores. Laboratório materiais: Metacaulim. do CAP aquecido e do solo. Laboratório de estruturas: Aditivo plastificante e superplastificante para concreto. vapores das misturas feitas com silicato e hidróxido de sódio. fumos.

Luvas. Climatização. exaustor. máscaras. Proteção com chapa metálica nos ensaios com estruturas. os de – na Existem riscos de respingos na seção? Por quê? Existe risco contaminações? meio de quê? Laboratório de solos: durante a manipulação de produtos químicos. Laboratório de estruturas: Isolamento dos materiais. de Por Usam óleos/graxas e lubrificantes em geral? Usam Quais? solventes? Sobre os processos de fabricação.Grupo 2: Riscos físicos Perg unta S im N ão Observa ções Existe ruído constante na seção? Existe ruído intermitente na seção? Indique os 23 . óculos de segurança. protetor auricular. existem outros riscos a considerar? Tabela 2 . Laboratório de materiais: quando são feitas as misturas. sapato de segurança.Quais são Equipamentos Proteção Individual EPIs – utilizados seção? de proteção utilizada na prensa.

bactérias. fungos e bacilos na seção? Existe problema parasitas? de Existe problema de aparecimento de ratos? 24 .equipamentos ruidosos mais Os funcionários utilizam protetor de ouvido? Existe calor excessivo na seção? Existem problemas com o frio na seção? Existe seção? radiação na Existem problemas de vibrações? Existe seção? umidade na Existem Equipamentos de Proteção Coletiva na seção? Eles são eficientes? Se não.Grupo 3: Riscos Biológicos Perg unta S im N ão Observa ções Existe problema de contaminação por vírus. indique as causas. protozoários. Tabela 3 .

-Laboratório de materiais: Dificuldade de acesso ao tanque de armazenamento de amostras. postura incorreta no manuseamento de peso.Grupo 4: Riscos ergonômicos Perg unta S im N ão Observa ções O trabalho exige esforço físico pesado? Indique as funções e o local relativos a esforços físicos. brita e de corpos-de-prova. areia. -Laboratório de materiais: transporte de sacos de cimento. em geral o equipamento é pesado. o local e os equipamentos ou objetos relativos à posição incômoda? O ritmo de trabalho é excessivo? Em que funções? O trabalho monótono? Em é que 25 . ensaios de compactação.Tabela 4 . ensaio de CBR. Indique as causas da postura incorreta? -Laboratório de solos: ensaios em que é necessário ficar sentado ou precisa dar golpes. O trabalho é exercido em posição incômoda? Indique a função. -Laboratório de solos: Coleta e transporte de amostras de solos e agregados. -Laboratório de estruturas: postura incorreta no manuseamento de peso.

os corredores e passagens estão desimpedidos e sem obstáculos? Indique os pontos onde aparecem estes problemas Os materiais ao lado das passagens estão convenientemente arrumados? Os produtos químicos estão convenientemente guardados? Os serviços de limpeza são organizados na seção? O piso oferece segurança aos trabalhadores? Existem chuveiros de emergência e lavaolhos? 26 .funções? Há excesso de responsabilidade ou acúmulo de função? Há problema de adaptação com EPIs? Quais? Tabela 5 -Grupo 5: Riscos mecânicos ou de acidentes Perg unta S im N ão Observa ções Com relação ao arranjo físico.

explique por quê. O botão de parada de emergência da máquina é visível? A chave geral das máquinas é de fácil acesso? Indique problemas acionamento desligamento equipamentos. 27 . ao operar com alta tensão? Indique onde falta. contra estilhaços)? Os operadores desligam as máquinas para limpá-las. correias. os operadores usam EPIs? Quanto aos riscos com eletricidade. ajustálas ou consertá-las? Os dispositivos de segurança das máquinas atendem às necessidades de segurança? Nas operações que oferecem perigo. polias. Existem cadeados de segurança nas caixas de chaves elétricas. outros de ou de As máquinas têm proteção (nas engrenagens.Os operadores param as máquinas para lubrificá-las? Se não. existem máquinas ou equipamentos com fios soltos sem isolamento? Indique onde.

Quanto à edificação. A representação dos riscos nos croquis é feita através de círculos de diferentes cores e tamanhos. já a cor do círculo representa o tipo de risco. texto. texto. texto. existem riscos aparentes? A iluminação é adequada e suficiente? Texto... texto. texto. 4. texto. texto. texto. texto. texto. texto. Texto. texto. texto. Laboratório de Geotecnia e Infraestrutura de Transportes 28 . texto.2. texto.Há instalações elétricas provisórias? Indique pontos com sinalização insuficiente ou inexistente.. texto. O tamanho do círculo representa o grau do risco. texto. texto. texto. texto.. texto. texto. texto. texto. DISCUSSÃO Após a obtenção dos dados cada setor foi analisado individualmente. texto.1. texto. texto. 4. texto. texto. texto. texto.1. texto.

NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS: 4 Agen EPI/EPC/Recomend ip tes rau o Causado de d res Ris e ações co R is c o Calor proveniente ís estufa e banho-maria. e o mapa de risco está representado no Quadro 2.O Laboratório de Solos e Pavimentação atua na elaboração de projetos. 2 ESTAGIÁRIOS. protetor auricular. fiscalização e controle de qualidade de pavimentos rodoviários para empresas privadas. órgãos públicos. empresas privadas de consultoria e empreiteiras. ic da . uí Solução para Utilizar EPI’s: máscara de proteção 29 .Mapa de risco: Laboratório de Geotecnia e Infraestrutura de Transportes Mapa de risco – Laboratório de Geotecnia e Infraestrutura de Transportes FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 2 TRABALHADORES. Quadro 2 . O layout do laboratório está representado na Figura 2.Utilizar EPI’s: (Luvas de proteção contra o calor). Ruídos provenientes do os agitador de peneiras e do soquete elétrico Marshall.

exercícios Utilizar carrinho de mão para o transporte de materiais pesados. Vapor proveniente das os estufas. Utilizar o extintor de incêndio. respiratória para poeira. ERGONÔMI COS Esforço físico (coleta e transporte de materiais pesados). Movimentos repetitivos. 30 . es . Postura incorreta no trabalho Receber orientação sobre preventivos específicos. c ac Usar EPIs: Calçado de segurança.m equivalente ic de Percloroetileno. Qued ec a de â materiai ni s Uso os incorreto o de u aparelho d s e id e nt Ter cuidado e atenção na realização das atividades. areia. do aquecimento de materiais (solos. do banho-maria. concreto asfáltico de petróleo e outros). Perig o de incêndio . gases e fumos.

2 ESTAGIÁRIOS.Utilizar EPI’s: (Luvas de proteção contra o calor).Croqui do Laboratório de materiais de construção com a representação dos riscos Quadro 3 .Mapa de risco: Laboratório de materiais de construção civil Mapa de risco – Laboratório de materiais de construção civil FUNCIONÁRIOS EXPOSTOS: 2 TRABALHADORES. NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS: 4 Agen EPI/EPC/Recomend ip tes rau o Causado de d res Ris e ações co R is c o Calor proveniente ís estufa e banho-maria. Os ensaios desenvolvidos são balizados pelas principais normas adotadas na construção civil. Ruídos provenientes do os agitador de peneiras e 31 . e o respetivo mapa de risco está representado no Quadro 3. protetor auricular. ic da . O Layout do laboratório está representado na Figura 3. Figura 3.LABORATÓRIO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL O laboratório de materiais de construção civil presta serviços de controle de materiais e consultoria na área da construção para as diversas empresas locais e das regiões circunvizinhas.

Perig o de incêndio . Postura incorreta no trabalho Receber orientação sobre preventivos específicos. 32 . os do ERGONÔMI COS Esforço físico (coleta e transporte de materiais pesados). exercícios Utilizar carrinho de mão para o transporte de materiais pesados. es . aquecimento de materiais (solos. Movimentos repetitivos. concreto asfáltico de petróleo e outros). elétrico Solução uí equivalente m de Percloroetileno. c ac Usar EPIs: Calçado de segurança. Qued ec a de â materiai ni s Uso os incorreto o de u aparelho d s e id e nt Ter cuidado e atenção na realização das atividades. Utilizar EPI’s: máscara de proteção respiratória para poeira. Utilizar o extintor de incêndio. para areia. do banho-maria.do soquete Marshall. gases e fumos. ic Vapor proveniente das estufas.

A descrição pode ter o apoio de recursos estatísticos. tabelas e ilustrações. A Figura 5 mostra a distribuição em percentagem de cada risco registrado.  ORIENTAÇÃO: os resultados devem se apresentados na forma textual e gráfica. Os resultados devem estar divididos por tópicos com títulos logicamente formulados  [Tamanho desta seção: 8 paginas no mínimo] 33 . os objetivos a revisão bibliográfica apresentada e fundamentalmente o procedimento metodológico. a seguir devem ser analisados e por fim discute-se a análise dos resultados da pesquisa com outros trabalhos desenvolvidos neste tema.  Com base nas informações desenvolvidas e observadas no trabalho apresenta-os resultados alcançados. O maior número de registros foi relacionado a riscos de acidentes. A descrição pode ter o apoio de recursos estatísticos. a questão de pesquisa. os físicos e químicos tiveram 14 registros cada e dos riscos ergonômicos foram apontados 10. tabelas e ilustrações elaboradas no decorrer da tabulação dos dados.Num total de 63 registros de riscos. Na análise dos resultados se estabelecem as relações entre as informações obtidas.

Para que haja uma diminuição dos riscos existentes são necessárias várias medidas conjuntas. estando ausente somente o risco biológico. pois melhoram as condições de trabalho.5 CONCLUSÕES (desenvolver na etapa final) 5. devido à presença de diversos produtos químicos com maior ou menor grau de toxicidade. A classificação do grau de risco em pequeno e médio foi baseada na opinião dos entrevistados. enquanto que os outros apresentaram somente grau pequeno. e armazená-los adequadamente para evitar deterioração. E a inclusão dos trabalhadores em todos os processos relativos à segurança é importante para mantê-los conscientes em relação aos riscos a que estão expostos no ambiente laboral e para que aceitem com mais facilidade o uso dos EPI’s 34 . Dos cinco riscos. o que gera aumento na produtividade. Recomenda-se treinamento adequado sobre procedimentos de operação dos aparelhos laboratoriais visando minimizar os riscos de acidentes e orientações sobre posturas mais adequadas durante as atividades em geral. Por isso é importante manter todos os produtos químicos devidamente identificados para evitar enganos. quebra de frascos e facilitar a localização dos mesmos. Investimentos em segurança são importantes e necessários. Conclusões do trabalho A análise dos dados demonstrou que os riscos de acidentes apresentaram grau pequeno e médio. Em alguns aspectos os Laboratórios da engenharia civil se assemelham a Laboratórios químicos.1. satisfação dos trabalhadores e diminuem ou evitam gastos com acidentes. quatro estão presentes de forma significativa em todos os laboratórios. levando em consideração o nível de incômodo demonstrado por eles.

texto.. texto. texto. texto. Deve constar da conclusão uma autocrítica. texto. texto. texto. e convincente.   ampliando assim seu escopo. texto.  [Tamanho desta seção: até 0. texto. texto.  [Tamanho desta seção: entre 0. onde será mostrado como os objetivos foram atingidos.. texto. texto. texto. texto. texto. Recomendações para trabalhos futuros Texto.5 pagina] 35 . texto. texto. onde será feita uma avaliação dos resultados obtidos no trabalho. texto. texto. texto.5 e 1 pagina] 5. texto.2. e pode referir-se a cada objetivo específico.ORIENTAÇÃO: apresenta-se uma síntese interpretativa dos resultados. texto. texto. texto. Texto. texto. texto. A conclusão deve ser breve..  ORIENTAÇÃO:   Apresentam­se   sugestões   para   a   continuação   do   trabalho.. texto. texto. texto. texto. texto. texto.

texto. São Paulo: Atlas. 2010. Manual de prevenção de acidentes do trabalho: aspectos técnicos e legais. 314 p. CONSIDERAÇÕES GERAIS 1. 2. Mário Luiz. 4. FANTAZZINI.N. texto. texto. São Paulo: Atlas. Riscos químicos.p df. texto.gov. Os prenomes dos autores podem ser apresentados de forma abreviada ou não. Ministério do Trabalho e emprego. texto. Dennis de Oliveira. 3. texto. José Aldo Peixoto. substitui­se o nome do autor pelo traço de mais ou menos 1 cm. Acessado a 14/11/2013.. Usar espaço 1. Relacionar as referências em ordem alfabética de sobrenome do primeiro autor. texto. Para a ordenação. São Paulo: FUNDACENTRO. Benedito. utiliza­se ano de publicação em ordem cronológica crescente: 36 . 3ª ed.0 (simples) entre as linhas das referências bibliográficas. Jose Manuel Oswaldo. GANA SOTO. texto. texto. CORRÊA.br/data/files/FF8080812BE914E6012BEF1CA0393B27/nr_09_at. preservação ambiental e desenvolvimento de pessoas. Segurança do trabalho & gestão ambiental. BARBOSA FILHO. qualidade. 2001. A. texto. SAAD. Segurança no trabalho e prevenção de acidentes: uma abordagem holística: segurança integrada à missão organizacional com produtividade. CARDELLA.mte. texto. texto. Quando houver mais de uma referência do mesmo autor.  ORIENTAÇÃO: Apresentar somente as referências de todas as citações informadas no relatório 1. 243 p. São Paulo: Atlas. texto. texto.. texto. 1999. Texto. Disponível em: http://portal.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AYRES.. As referências devem ser separadas entre si por dois espaços simples. 100 p. 1982. Legislação. Irene Ferreira de Souza Duarte. texto.

 1993a.]: [s. 10.   SOUZA. 13. [S. 15. sem espaçamento: 8. Piracicaba. SOUZA.n. Quando houver referências bibliográficas com autores e datas coincidentes.   C.   L..] = sem editora e sem data. [ca 1960] para data aproximada. ______. N. [197­?] para década provável. 11. 20. ______. p. 6. Em caso de homônimos de cidades.  Summa Phytopathologica.] = sem notas tipográficas (na falta dos três dados: local. 14. phaseoli. [s. 1995.. Piracicaba. [S.   a.5. LEFÉVRE.. deve­se acrescentar o nome do estado ou país.   phaseoli  em   sementes   de   feijoeiro   e   conseqüências epidemiológicas. maio. Na falta de dados tipográficos.  Fitopatologia Brasileira.] = sem local (Sine loco). 7. 19. indica­se: [1981?] para data provável. A abreviação dos meses se faz utilizando as três letras iniciais do nome do mês seguido de ponto. 16."   ou   "pág. v. AL. 1993b.] = sem data. Efeitos da solarização sobre algumas variáveis do solo. jul.t. v. MG. Efeitos da solarização sobre algumas variáveis do solo. 107­112.   H. 449­457. v.  Summa Phytopathologica. 20. 1993a. que não deve ser abreviado. LEFÉVRE. com exceção do mês de maio.n.  Summa Phytopathologica.l.....   registrar   da   seguinte   forma:   "não   pág.. 1993b.   Variabilidade   sorológica   entre   isolados   de Xanthomonas campestris pv. v. irregular". p. p. 19.   Presença  de   Xanthomonas   campestris  pv. Brasília. Determinação da temperatura letal para Rhizoctonia solani e Sclerotium rolfsii e efeito da solarização sobre a temperatura do solo.   V.  Summa Phytopathologica. RJ. v. Summa Phytopathologica. [s.   N. MARINGONI. 113­118. Quando houver dúvida quanto à data de publicação. 37 .  Piracicaba. p.C. Viçosa.n. [s. [s.. jun.   A.] = sem local e sem editora.. 1994.] = sem editora (Sine nomine). Ex: abr. Piracicaba. 12. 174­178. 107­112.   Determinação   da   temperatura   letal   para  Rhizoctonia   solani   e Sclerotium rolfsii e efeito da solarização sobre a temperatura do solo. A. L.   KUROZAWA. [18­­] para século certo. editora e data). [197­] para década certa. [18­­?] para século provável.   KIMATI.d. 113­118. F. Publicação  com   paginação   irregular   ou   não   paginada. ______.. p. usa­se o título da obra ou artigo para a ordenação e acrescenta­se letra minúscula do alfabeto após a data. 9.  v. 19. Piracicaba. 19.l.n..   F. p. indica­se em seu lugar: [S. Viçosa.].. Ex: Viçosa.d. V...

.  Sem indicação de autoria ou entidades coletivas (órgãos governamentais. C.A. (Coleção Meio Ambiente. M.R.   A. 1966. (Org. B. São Paulo: Instituto Brasileiro de Potassa.   H. Fruticultura Brasileira.. ed. MADALOZZO. P.  Com duas editoras em locais diferentes MEDEIROS. Brasília: Frupex.   S.". (Coleção ou Série). MATOS.   MATTHEWS. Brasília: Terra Viva. M. J. O setor de produção de frutas frescas no contexto da economia agrícola brasileira. C..  Título do livro. e sim um responsável intelectual.. empresas."   ou   "pág.   A.).  Com indicação do tradutor ou revisor MANTELL. 1992.  Capítulo de livro com título próprio Mesmo(s) autor (es) para todos os capítulos 38 . Programa de Apoio à Produção e Exportação Frutícola. Brasília: Ibama. coordenador. Publicação  com   paginação   irregular   ou   não   paginada. 11. Série Estudos Floresta.   EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Nº da edição (deve ser suprimido quando for 1ª edição).A. E. et al.   MCKEE. A. MELO. Pimentel. de Azevedo.. 1).). 1985. 1985. RASEIRA.). Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. 1994. cita­se este responsável seguido da abreviação que caracteriza o tipo de responsabilidade entre parênteses: organizador (Org.  A cultura do pessegueiro. editor (Ed..L. J. Atlas do meio ambiente do Brasil. do C. São Paulo: Livraria Nobel. coordenador (Coord. Fruticultura Brasileira. 1993. 1998.   J. compilador (Comp. Porto Alegre: Edipucrs.  Local de publicação: Editora. 1997. Pelotas: Embrapa­CPACT. São Paulo: Livraria Nobel.  Com indicação de responsabilidade intelectual (organizador. compilador. editor. etc. Brasília: Embrapa­SPI. de.). A. de.   R.). D.) BRASIL. Da inteligência ao coração e à ação. PADRÕES PARA AS REFERENCIAS LIVRO Livro no todo AUTOR (ES). J. Cultura e adubação do milho. ano de publicação. Aguiar­Perecin e N. M. C.  GOMES.).L. ed. etc. Trad. de J. L. 11. irreg. Ribeirão Preto: SBG. Vello. Com um autor GOMES.  Princípios   de   biotecnologia   em   plantas:  uma introdução à engenharia genética em plantas. Com mais de três autores KRUG. B. 2..17. 1994.   registrar   da   seguinte   forma:   "não   pág.  Quando não há autor.  Com dois ou três autores LISBOA. Amostragem e propriedades físico­mecânicas de madeiras amazônicas.

 Cordeirópolis: GCONCI. 36­39.   Título do capítulo. 211­215.   L. ano de publicação. Título do trabalho. CITRICULTURA ATUAL. Passo Fundo. 1999. p. número da página inicial e final.   Tipo   de   fascículo (número especial. tecnologia e produção. ano de publicação. Secagem de sementes. boletim técnico. Passo Fundo. O Nacional. 1995. volume..   Título do livro: subtítulo do livro. ZOOTECNIA E VETERINÁRIA. 66.   R. da edição. seção ou suplemento.  STEHMANN. n. abr. v.  Título do periódico. 57. mês e ano). J.   BRANDÃO. p. v. Campinas: Fundação Cargill. p.  Título do artigo. etc. O Nacional. C. 1985.   Título do capítulo. CUNHA. Artigo publicado em suplemento ou edição especial AUTOR (ES). Nº da edição. 1983. São Paulo. número da página inicial e final. Revista Brasileira de Fruticultura.   G. número. N. Protomártires do Brasil. 313­339. v. N..   número. B. P. 1996.). J.. 39 . 1999.  2. local de publicação. ano. 3. ALLGAYER. VALLE. 1.    Medicinal   plants   of   Lavras   Novas   (Minas   Gerais.   Armazenamento   de   maçãs   ‘Jonagold’   em   condições   de   atmosfera controlada. 4 set. 1998. CARVALHO..  Título do periódico. Adubação do mamoeiro. M. 121­126. 21. p. circular. página. Título do artigo.  Local de publicação: editora. Suplemento. JORNAIS) Fascículo de periódico citado no todo TÍTULO   DO   PERIÓDICO. local de publicação. 1978. Resumos publicados em bibliografias ou abstracts AUTOR (ES). 952. volume. Resumo nº em  Título do periódico de bibliografias ou abstracts. U. R. Local da publicação: editora. PERIÓDICOS (REVISTAS. 1999. ed. Fitoterapia.  Artigo de periódico AUTOR (ES).  Artigo de jornal AUTOR (ES). número. In: ______.  Título do jornal.   volume. p.  Título do artigo. out. Resumo n. Cultura do mamoeiro. local. 515­20. Autor de capítulo diferente do responsável pelo livro no todo AUTOR(ES) DO CAPÍTULO. Artigo de jornal sem autor LIVRO conta a história dos velhos carnavais.  São Paulo: Unesp. 1. suplemento. mês e ano. BRACKMANN.   In: AUTOR (ES) DO LIVRO. 04/05 set. Piracicaba: Livroceres. p. Tipo de fascículo (Suplemento ou Edição especial). LEITE.  Nº. p.  Sementes:  ciência. 6. Ciência e Cultura. Caderno 2. Número ou título do caderno. Jaboticabal.   R. página. 32.   LUNARDI. Opinião. v. R.  p. 1980. volume.   Brazil). Circular. mês e ano. v. volume. Livro.  Página inicial e final. local de publicação. 6954 em Forest Abstracts.AUTOR (ES). data (dia. J.   M.   Local   da   publicação:   editora. In: ______.   A. Possíveis ações psicotrópicas do maracujá (Passiflora edulis). número. 2. número. mês e ano. página inicial e final.   Título do livro. NAKAGAWA. In: RUGGIERO. n.  Página inicial e final.   mês   e   ano.   T.  Título do periódico em que o trabalho é publicado na íntegra.

 Ano de apresentação. de. p. S. Estudo do forçamento químico da brotação em batatas­semente (Solanum tuberosum L. (Modelo da publicação. Anais. Local de apresentação. M.   Diagnóstico   diferencial   das   principais   doenças   entéricas   em   suínos. Dados da publicação oficial). AZEVEDO. O. L. Ciências Florestais. etc. Umatic. 1998. 66)... Brasília: PNUD/Fao. ESTADO OU MUNICÍPIO). F. Veranópolis. pt. Título: subtítulo. Ementa.. SOUZA. Depto. CAMARGO. 1981. 1. POGGIANI. 8 abr.  In: NOME DO EVENTO.. 1983. B. Propagação vegetativa do abacateiro (Persea sp. Local da publicação: editora. A.     In:   SIMPÓSIO   DO CENTRO   NACIONAL   DE   PESQUISA   DE   SUÍNOS   E   AVES. 85­87.  Cooperação   técnica   na   implementação   do   Programa Integrado de Desenvolvimento – Polonordeste.  Esalq: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (vídeo).   SIMPÓSIO   CATARINENSE   DE SANIDADE SUÍNA. P. Título. REGHIN.. A. Cubatão). Piracicaba: Ipef/Esalq. M. Botucatu. n. 1982. BOLETIM TÉCNICO. Curso / Área de Concentração) ­ Nome da Escola. O.   2423. V..  Título do trabalho. Concórdia: CNPSA/Embrapa. Proceedings). L.. Universidade Estadual Paulista. Local de publicação: editora. 1982. 126. TRABALHO APRESENTADO E PUBLICADO EM EVENTOS (congressos. BRASIL. SILVEIRA. DISSERTAÇÃO OU TESE   AUTOR.. Seção 1. Martirani. 66.). Porto Alegre: Fepagro. decretos.T. Tipo de publicação (Anais. Y. jornadas. número).  MONOGRAFIA. H. P. C. J. coordenação de produção de J. 6009.  Anais. ano. G. local da realização.   3. Categoria (Nível. Nunes.   G. Concórdia. RIBEIRO.   L. Diário Oficial da União. simpósios. Parecer sobre o Projeto de Revegetação nas Áreas do Gasoduto de Merluza. de Azevedo e L. Título (especificação da legislação. 1990.   VIANA. Brasília. ano. RELATÓRIOS E PARECERES TÉCNICOS CASTRO.   Decreto­lei   nº. portarias. 1998. 1992. Página inicia e final. 1992. de Moura. 5.   Estabelece   critérios   para   pagamento   de   gratificações   e vantagens pecuniárias aos titulares de cargos e empregos da Administração Federal direta e autárquica e dá outras providências. Vídeo. nº e data. H.  (Boletim Técnico. D.) por estaquia... L. Dissertação (Mestrado em Agronomia / Horticultura) ­ Faculdade de Ciências Agronômicas. MARTIRANI. ano de publicação.   A.. 2. Eventos simultâneos SONCINI. R. Instituição. V. ano. Resumos. Evento isolado AUTOR (ES). etc. de. da.   R. v. 55­72. B. KOLLER. MOURA. p. 40 .. Direção geral de M. (Parecer técnico apresentado à Petrobrás.Y.Referência legislativa (leis. CIRCULAR AUTOR(ES). (Relatório da Missão de Avaliação do Projeto Bra/87/037). KAGEYAMA. nº do evento em arábico.   de   7   de   abril   1988. A. 1980. Campinas: Instituto Agronômico. p. 36 min. R. Piracicaba.   C. roteiro de J. J.   M.).   A. L. Análise de um modelo envolvendo cinética e equilíbrio para estudo do movimento do fósforo no solo. L. 1988.   C. VÍDEOS NUNES. In: REUNIÃO TÉCNICA DE FRUTICULTURA..) LOCAL (PAÍS. de.   GOMES.

 Belo Horizonte.  Anais.   R. REFERÊNCIA DE DOCUMENTOS OBTIDOS VIA Internet Especificações e exemplos segundo CRUZ. 1996. A linguagem racista no futebol brasileiro. PEROTA e MENDES apud RAUBER et al. 1 CD­ROM.cjb. P.br/redac/manual..  Título: subtítulo. São Paulo: Companhia das Letras. Rio de Janeiro.   Rio   de   Janeiro. Disponível em: <http://biblioteconomia. In: ______. Acesso em: (data de acesso).   Disponível   em: <http://www1.htm>.  Anais eletrônicos.   1997. Recife. 2000. G. Acesso em: 9 ago. 1 CD­ROM. N. Parte de um trabalho ARINOS. Formato Geral: AUTOR (ES). 1997. A. São Paulo: Globo Multimídia. Acesso em: 14 abr. 1997. Recife: UFPe. Artigo periódico MANSUR. Guia da Internet br. 1 CD­ROM.geocities. Disponível em: <http://www.com.propesq.ufpe. Trabalho apresentado em evento LIMA NETO.. Disponível em: <endereço eletrônico entre brackets>. Trabalhos apresentados em eventos FIGUEIREDO. 49. Parte de um trabalho SILVA. 1991. 1998. 41 . ano.   N. Viagem pela história do Brasil. ago. 2000. ano 3. C. et al. S.  Belo Horizonte: Videolar. (2002). In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA.html>.   In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe. Acesso em: 21 jan. 1997. A universidade e os trabalhadores.REFERÊNCIAS DE DOCUMENTOS DISPONÍVEIS EM CD­ROOM AUTOR. DF: Senado Federal.   1998.   Lazer   e   Educação   Física. n.net >.   Os   limites   pedagógicos   do   paradigma   da   qualidade   total   na   educação. Quantidade de CD­ROM..   São   Paulo:   O   Estado   de   São   Paulo. Autor pessoal MÜELLER. 1 CD­ROM. 27. Trabalho apresentado no IV Congresso Brasileiro de   História   do   Esporte. J. M. Título: subtítulo. Sem indicação de autoria MANUAL   de   redação   e   estilo..   R.  Grandes momentos do parlamentarismo brasileiro.html>.. Cruzando o sertão. Brasília.com/Athens/Stux/9231/racismo. Sem indicação de autoria FILÓSOFOS gregos. Local de publicação: Editora. A pesquisa na formação do bibliotecário.br/anais/educ/ce04.   OLIVEIRA. In: AVENTURA visual: história do mundo. Repúdio ao atentado da Rua Toneleros. 1 CD­ ROM. Autor pessoal CALDEIRA.   Disponível   em: <http://www. 4. Acesso em: 19 maio 1998. 1998.estado. 1996. 1997.

Trabalhos acadêmicos: monografias. dissertações e teses. Tese (Doutorado) –   Universidade   Federal   de   Santa   Catarina.br/artigos/protese­fixas­individuo­idoso.html>. Acesso em: 21 jul.   Disponível   em: <http://jb.html>. [artigo científico].   1995. jun. Acesso em: 4 jul. C. n. 1995.   Florianópolis. de. Simulação cognitiva da tomada de decisão em situações complexas.br/frame­artig. S.br> em 8 jan. 2000.   2000. V. Campina Grande.  Condições clínicas de próteses fixas no indivíduo idoso. M. Artigo de jornal DUARTE.com. Artigo de periódico SOUZA. Re: Jongg CD [mensagem pessoal]. 2000.   Rio   de   Janeiro. 2000.   6   ago.com.inf.eps. Mensagem recebida por <mtmendes@grupos.datavenia. Re – A expressão Re (replay). Penhora e avaliação. VERGARA. Acesso em: 31 jul. 2000.   Disponível   em: <http://www.   N.ufsc. que precede o assunto da mensagem está indicando que se trata de uma mensagem resposta.com. 1997.   S. F.br/lingua. 2000.  Jornal   do   Brasil. E.odontologia. A. ano 4.html>.bt/teses/vergara/index/index. Dataveni@. 33.   Língua   viva. 42 .html>. Acesso em: 6 ago. Disponível em: <http://www. Mensagem pessoal MORAFF.Artigo científico GUERRA. Disponível em: <http://www. Quando não for uma mensagem resposta não é colocada esta expressão.

 travessão e pelos respectivos títulos. O(s) apêndice(s) é identificado por letras maiúsculas consecutivas. 43 ... texto. (Elemento opcional. texto.APÊNDICE A – Texto. São utilizados de acordo com a necessidade e natureza do trabalho).

44 .   travessão   e   pelos respectivos títulos.. texto.   O(s)   anexo(s)   é   identificado   por   letras   maiúsculas   consecutivas.ANEXO A ­ Texto. (Elemento   opcional. São utilizados de acordo com a necessidade e natureza do trabalho).. texto.