You are on page 1of 46

CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016

Prof. Ted Jefferson

www.thcursos.com.br

AULA 1
APRESENTAÇÃO
Saudações queridos alunos, eu sou O PROF. TED JEFFERSON e estou aqui
para ajudá-los com a disciplina de AUDITORIA para realização do CONCURSO
DE

AUDITOR

FISCAL

TRIBUTÁRIO

DA

RECEITA

MUNICIPAL

da

SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA – DA PREFEITURA DE CUIABÁ/MT
2016.
DIFERENCIAL: Este curso, além da parte teórica, também compreenderá
a resolução de questões de concursos.

PROGRAMA: Conceitos de auditoria e da pessoa do auditor. Responsabilidade
legal. Ética profissional. Objetivos gerais do auditor independente. Concordância
com os termos do trabalho de auditoria independente. Documentação de
auditoria. Controle de qualidade da auditoria de demonstrações contábeis.
Fraudes e a responsabilidade do auditor. Planejamento da auditoria. Avaliação
das distorções identificadas. Execução dos trabalhos de auditoria. Materialidade
e relevância no planejamento e na execução dos trabalhos de auditoria.
Auditoria de estimativas contábeis. Evidenciação. Amostragem. Utilização de
trabalhos da auditoria interna. Independência nos trabalhos de auditoria.
Relatórios de auditoria. Eventos subsequentes. Normas e procedimentos de
auditoria do IBRACON – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil. Testes.
Uso de trabalhos técnicos de especialistas. Todas as normas brasileiras de
contabilidade vigentes relativas às auditorias interna, externa e pública,
emanadas pelo Conselho Federal de Contabilidade – CFC. Auditoria: normas
brasileiras e internacionais para o exercício da auditoria interna: independência,
competência profissional, âmbito do trabalho, execução do trabalho e
administração do órgão de auditoria interna. Auditoria no setor público federal:
finalidades e objetivos; abrangência de atuação; formas e tipos; normas
relativas à execução dos trabalhos; normas relativas à opinião do auditor;
relatórios e pareceres de auditoria; operacionalidade. Objetivos, técnicas,
procedimentos e planejamento dos trabalhos de auditoria; programas de
auditoria; papéis de trabalho; testes de auditoria; amostragens estatísticas em
auditoria; eventos ou transações subsequentes; revisão analítica; entrevista;
conferência de cálculo; confirmação; interpretação das informações;
observação; procedimentos de auditoria em áreas específicas das
demonstrações contábeis.

1

CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016
Prof. Ted Jefferson

www.thcursos.com.br

PROGRAMA E DATA DE POSTAGEM DAS AULAS: As OITO AULAS deste
curso serão postadas semanalmente conforme cronograma apresentado
a seguir:
AULA

CONTEÚDO
a)

Conceito

e

Aplicação

da

POSTAGEM
Auditoria

Contábil:

Conceitos. Objetivo e finalidade da auditoria. Tipos de
Auditoria.

Auditoria

Interna.

Auditoria

Externa.

AULA 1

Controle Interno. Papéis de Trabalho. b) Objetivos

DEMO

Gerais do Auditor Independente e a Condução da
Auditoria

em

Conformidade

com

as

Normas

Imediata

de

Auditoria. Concordância com os Termos do Trabalho de
Auditoria.
Risco
AULA 2

de

Educação

Auditoria

e

Profissional

Ameaças

à

Independência.

Continuada.

Controle

de

15/02

Qualidade na Auditoria de Demonstrações Financeiras.

AULA 3

AULA 4

AULA 5

AULA 6

AULA 7

Noções de Auditoria Interna. Auditor Interno Versus
Auditor Independente. Controle Interno.
Planejamento da Auditoria. Fraude e Erro. Testes e
Procedimentos de Auditoria.
Amostragem

em

Auditoria.

Documentação

de

Auditoria.
Formas de Opinião do Auditor. Utilização de Outros
Trabalhos.
Continuidade Operacional. Eventos Subsequentes.

15/02

15/02

15/02

22/02

22/02

Representações Formais. Estimativa Contábil. Auditoria
AULA 8

no setor público federal: finalidades e objetivos;
abrangência de atuação; formas e tipos; normas

22/02

relativas à execução dos trabalhos; normas relativas à
2

CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016
www.thcursos.com.br

Prof. Ted Jefferson

opinião do auditor; relatórios e pareceres de auditoria;
operacionalidade.

Sumário
1.

APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR .......................................................................................... 3

2.

INTRODUÇÃO DA MATÉRIA ...................................................................................................... 4

3.

AUDITORIA INDEPENDENTE .................................................................................................... 5

4.

REQUISITOS ÉTICOS RELACIONADOS À AUDITORIA ................................................... 8

5.

BATERIA DE EXERCÍCIOS I .....................................................................................................11

6.

BATERIA DE EXERCÍCIOS I – GABARITO COMENTADO ...............................................24

1. APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR
Sou formado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Rio de Janeiro
(UFRJ), exerço minhas funções públicas no cargo efetivo de Auditor de Controle
Externo do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro. Como
concursando, fui aprovado e nomeado em diversos certames de nível superior,
dentre os quais destacam-se o de Analista do Banco Central e Analista Contador
da FINEP (5º colocado). Ministro aulas de Auditoria e Controle Externo e Interno
em cursos preparatórios do Rio de Janeiro. Para o concurso de AFRFB/2014
elaborei apostila de Auditoria com 100 questões comentadas da banca ESAF
para o Blog “Se Joga, Galera”, escolhido o melhor Blog 2013 na categoria
educação, e publicação de questões comentadas da prova de AFRFB no site do
G1, através do curso Questões de Concursos.
Optei por abordar a apostila de forma bastante objetiva, devido a isto não
pretendo esgotar a matéria, mas explicar a cada aluno como realizar uma boa
prova, ou seja, dar condições para acertar o maior número de questões. Para
isto, darei algumas dicas a fim de revisar a matéria e fixar o assunto.
A apostila contem questões para fixar o conteúdo.
Espero que este material os auxilie na aprovação do Exame de Suficiência
do CFC.
Abraços e bons estudos.
Ted Jefferson

3

CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016
www.thcursos.com.br

Prof. Ted Jefferson

2. INTRODUÇÃO DA MATÉRIA
A Contabilidade para atingir seus objetivos se utiliza das seguintes técnicas:
Auditoria; Escrituração; Demonstrações; Análise de Balanços. [durante a
apostila, utilizarei algumas técnicas de memorização, pois facilita a assimilação
do conteúdo. Neste caso, AEDA]
Portanto, a Auditoria tem natureza de técnica contábil, cujo objetivo é emitir
uma opinião sobre a estrutura de relatório financeiro aplicável. Nasceu da
necessidade de captar recursos de terceiros. A fim de realizar os empréstimos os
investidores necessitavam saber a realidade econômico - financeira das
empresas investidas.
Os conceitos utilizados pela Auditoria Independente, Auditoria Interna e
Auditoria Governamental têm muitas características comuns. Sendo o objetivo
delas a emissão de uma opinião. Na apostila veremos as principais diferenças
entre Auditoria Interna e Auditoria Independente ou Externa.
O termo auditor, a doutrina cita sua origem latina – audire (audição, ouvinte) e
inglesa to audit (examinar, certificar).
No Brasil, a evolução da auditoria esteve relacionada com a instalação de filiais
e subsidiárias de firmas multinacionais, e a exigência dos seus países de origem
de auditarem as demonstrações contábeis.
Com a evolução do mercado de capitais, a criação da Comissão de Valores
Mobiliários – CVM – e da Lei das Sociedades por Ações, a atividade de auditoria
tomou grande impulso.
O Ibracon (Instituto dos Auditores Independentes do Brasil) é a entidade
autorizada a traduzir o Livro Normas Internacionais de Relatório Financeiro
(IFRS), emitidas pelo IASB (International Accounting Standards Board). Com
isso, participou e participa no processo de convergência de normas
internacionais em todos os seus estágios, inclusive na criação do Comitê de
Pronunciamentos Contábeis (CPC) e no desenvolvimento de seus trabalhos. Tem
a missão de Manter a confiança da sociedade na atividade de auditoria
independente e a relevância da atuação profissional, salvaguardando e
promovendo os padrões de excelência em contabilidade e auditoria
independente.
O tema acima não é cobrado com frequência nas provas, apesar de constar em
alguns editais.

4

datas e extensão dos procedimentos de auditoria. Essa mesma Resolução define.com. especificamente. o objetivo da auditoria independente é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. que podem ser necessários para tal investigação. colher as evidências comprobatórias das informações das demonstrações e avaliar essas evidências. avaliar o sistema de controle interno relacionado com a parte contábil e proceder a revisão analítica das contas do ativo. Segundo a NBC TA 200. As demonstrações contábeis sujeitas à auditoria são as da entidade. quando apropriado.thcursos. as NBC PAs são as normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas. As NBC TAs não impõem responsabilidades à administração ou aos responsáveis pela governança e não se sobrepõe às leis e regulamentos que governam as suas responsabilidades. elaboradas pela sua administração. AUDITORIA INDEPENDENTE Segundo a Resolução CFC n° 1. Para atingir esse objetivo o auditor necessita planejar adequadamente seu trabalho. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável. independentemente se causadas por fraude ou erro. com supervisão geral dos responsáveis pela governança. uma vez que a maioria das evidências de auditoria é persuasiva e não conclusiva. as NBC TAs exigem que ele obtenha segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de distorção relevante. Asseguração razoável é um nível elevado de segurança . em todos os aspectos relevantes.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. (Almeida. aos contadores que atuam como auditores independentes. por meio de um relatório de auditoria. receita e despesa. Portanto. Contudo. os responsáveis pela governança têm 5 . sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas. Ted Jefferson 3.298/2010. O objetivo do auditor independente é emitir sua opinião sobre as demonstrações financeiras examinadas. o auditor não recebe poderes legais específicos. que dispõe sobre a Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade. a fim de estabelecer a natureza. A auditoria não é uma investigação oficial de suposto delito. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor. tais como o poder de busca. a auditoria em conformidade com as normas de auditoria é conduzida com base na premissa de que a administração e. Como base para a opinião do auditor.br Prof. 2010). ainda que as NBC TAs são as normas técnicas aplicadas à Auditoria convergentes com as Normas Internacionais de Auditoria Independente emitidas pela IFAC (Federação Internacional de Contadores).não é um nível absoluto de segurança. passivo.

6 . por exemplo. Ted Jefferson conhecimento de certas responsabilidades que são fundamentais para a condução da auditoria.com. O auditor independente planeja e executa o trabalho de asseguração com atitude de ceticismo profissional para obter evidência apropriada e suficiente sobre se a informação relativa ao objeto está livre de distorções relevantes. a época e a extensão dos procedimentos de auditoria e ao avaliar os resultados destes. Sendo assim. A manutenção do ceticismo profissional ao longo de toda a auditoria é necessária. • informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações a serem usadas como evidências de auditoria. As práticas contábeis adotadas no Brasil compreendem a legislação societária brasileira. O ceticismo profissional inclui estar alerta. os pronunciamentos. a: • evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas.thcursos. as interpretações e as orientações emitidas pelo CPC homologado pelos órgãos reguladores. desde que atendam à Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das Demonstrações Contábeis emitida pelo CFC e. o risco do trabalho de asseguração. por conseguinte.br Prof. em especial quando determina a natureza. por exemplo. as Normas Brasileiras de Contabilidade. A auditoria das demonstrações contábeis não exime dessas responsabilidades a administração ou os responsáveis pela governança. • uso inadequado de premissas ao determinar a natureza. tal profissional considera a materialidade. • generalização excessiva ao tirar conclusões das observações de auditoria. • condições que possam indicar possível fraude. emitidas pelo CFC. em consonância com as normas contábeis internacionais. É necessária atitude de ceticismo profissional que é a postura que inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria ao longo de todo o trabalho. a época ou a extensão dos procedimentos de obtenção de evidência. Na ausência de disposições específicas. prevalecem as normas emitidas pelo CFC. e práticas adotadas pelas entidades em assuntos não regulados.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. para que o auditor reduza os riscos de: • ignorar circunstâncias não usuais. a quantidade e a qualidade das evidências disponíveis quando o planeja e o executa.

não compensa a sua má qualidade. Além disso. ou seja refere-se à sua relevância e confiabilidade. Além de outras fontes.br Prof. A suficiência e adequação da evidência de auditoria estão inter-relacionadas. A obtenção de mais evidência de auditoria. a recusa da administração em fornecer uma representação solicitada) é utilizada pelo auditor e.thcursos. Ela tem natureza cumulativa e é obtida principalmente a partir dos procedimentos de auditoria realizados durante o curso do trabalho. A adequação da evidência apropriada consiste na medida da qualidade da mesma. A suficiência é a medida da quantidade de evidência de auditoria.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Além disso. A evidência de auditoria abrange informações que suportam e corroboram as afirmações da administração e qualquer informação que contradiga tais afirmações. também constitui evidência de auditoria. A quantidade da evidência de auditoria necessária é afetada pela avaliação do auditor dos riscos de distorção (quanto mais elevados os riscos avaliados. os seus registros contábeis são importantes fontes de evidência de auditoria. As evidências podem ser classificados em 4 tipos: física (observação de pessoas. portanto. maior a probabilidade de que seja exigida mais evidência de auditoria) e também pela qualidade de tal evidência de auditoria (quanto maior a qualidade. como auditorias anteriores (contanto que o auditor tenha determinado se ocorreram mudanças desde a auditoria anterior que possam afetar sua relevância para a atual auditoria – ver NBC TA 315. item 9) ou procedimentos de controle de qualidade da firma de auditoria para aceitação e continuidade de clientes. Contudo. dentro e fora da entidade. ela também pode incluir informações obtidas de outras fontes. documental. comparações e interpretações de dados e informações já existentes. testemunhal e analítica (obtida por meio de análises.com. menos evidência pode ser exigida). locais ou eventos). porém. Ted Jefferson • circunstâncias que sugiram a necessidade de procedimentos de auditoria além dos exigidos pelas NBC TAs. O conceito está relacionado com o aspecto quantitativo das provas obtidas. A evidência de auditoria é necessária para fundamentar a opinião e o relatório do auditor. a ausência de informações (por exemplo. informações que podem ser utilizadas como evidência de auditoria podem ter sido elaboradas com a utilização do trabalho de especialista da administração. em alguns casos. 7 . A suficiência da evidência apropriada consiste na medida da quantidade da evidência de auditoria.

(d) confidencialidade – respeitar o sigilo das informações obtidas em decorrência de relacionamentos profissionais e comerciais e. competência profissional e devido zelo. incluindo sócios e auditores. Segundo a NBC PA 290 o auditor deve manter sigilo em relação às informações obtidas no decorrer de seu trabalho. é de interesse dos diversos usuários da informação produzida e materializada no relatório de auditoria que os membros das equipes e firmas de auditoria. conflito de interesse ou influência indevida de outros afetem o julgamento profissional ou de negócio. Princípios fundamentais são: (a) integridade – ser franco profissionais e comerciais. sejam independentes dos respectivos clientes de auditoria. relevantes para o auditor quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis. legislação e técnicas. Esses princípios estão alinhados com os princípios do Código de Ética do IFAC.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. cujo cumprimento é exigido dos auditores. os princípios fundamentais de ética profissional. nem usar as informações para obtenção de vantagem pessoal ilícita pelo auditor ou por terceiros. objetividade. REQUISITOS ÉTICOS RELACIONADOS À AUDITORIA O auditor deve cumprir as exigências éticas relevantes. O Código de Ética Profissional do Contabilista e as normas profissionais (NBC PAs) mostram como a estrutura conceitual deve ser aplicada em situações específicas.br Prof. a menos que haja algum direito ou dever legal ou profissional de divulgação. ou quando houver 8 .com. No caso de o trabalho de auditoria ser de interesse público. que trata do controle de qualidade para Firmas de Auditoria Independente. no que se refere aos trabalhos de auditoria de demonstrações contábeis. (e) comportamento ou conduta profissional – cumprir as leis e os regulamentos pertinentes e evitar qualquer ação que desacredite a profissão. estão implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01. portanto. não divulgar nenhuma dessas informações a terceiros. inclusive as pertinentes à independência (NBC PA 290). (c) competência profissional e devido zelo – manter o conhecimento e a habilidade profissionais no nível necessário para assegurar que o cliente ou empregador receba serviços profissionais competentes com base em acontecimentos atuais referentes à prática. Esses princípios são: integridade. Ted Jefferson 4. confidencialidade e comportamento ou conduta profissional (ZIO C3).thcursos. ressalvados os casos em que há autorização expressa da entidade auditada. Segundo a NBC TA 200. e agir diligentemente e de acordo com as normas técnicas e profissionais aplicáveis. e honesto em todos os relacionamentos (b) objetividade – não permitir que comportamento tendencioso.

9 . O sigilo profissional deve ser observado na relação entre o auditor e a entidade auditada. ou por solicitação dos órgãos reguladores. A independência do auditor frente à entidade salvaguarda a capacidade do auditor de formar opinião de auditoria sem ser afetado por influências que poderiam comprometer essa opinião. aferirá riscos e incertezas. As evidências podem incluir informações obtidas de outras fontes. o julgamento profissional é necessário. a natureza. Independência de Pensamento é a ausência de influências que o comprometem e a Aparência de Independência consiste em o auditor evitar fatos e circunstâncias de forma que terceiros concluam que a objetividade e o ceticismo estão comprometidos.thcursos. Nesse sentido. por exemplo. e na relação entre auditor e demais terceiros. e extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas. para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável. O Código de Ética Profissional do Contabilista e as normas profissionais (NBC PAs) indicam que a independência compreende uma independência de pensamento (postura mental independente) e a aparência de independência. em particular. tomará decisões sobre aspectos específicos da auditoria e avaliará as consequências de suas decisões. os conceitos sobre a independência devem ser aplicados por auditores para: identificar as ameaças à independência.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. na relação entre os auditores. com isso. assim como os papéis de trabalho. e aplicar salvaguardas. A todo momento. quando necessário. avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de relatório financeiro aplicável da entidade. a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de evidências de auditoria. são da auditoria.avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e apropriada e se algo mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs e. como auditorias anteriores.com. nas decisões sobre: materialidade e risco de auditoria. Ted Jefferson obrigações legais. na relação entre os auditores e os organismos reguladores e fiscalizadores. Segundo a NBC PA 290. pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas pela administração na elaboração das demonstrações contábeis (NBC TA 200).br Prof. ser objetivo e manter postura de ceticismo profissional. ou mediante ordem judicial que o obriguem a fazê-lo. As informações da entidade auditada. o auditor irá estruturar problemas. A independência aprimora a capacidade do auditor de atuar com integridade. avaliar a importância das ameaças à independência identificadas. avaliará alternativas para coleta de informações e evidências. os objetivos gerais do auditor.

com. Espera-se que a necessidade do auditor não considerar uma exigência relevante surja apenas quando a exigência for a execução de um procedimento específico e. com isso. e • necessidade de que a auditoria seja conduzida dentro de um período de tempo razoável e a um custo razoável. a maior parte das evidências de auditoria que propiciam ao auditor obter suas conclusões e nas quais baseia a sua opinião são persuasivas ao invés de conclusivas. Em circunstâncias excepcionais. para obter segurança razoável. possibilitar a ele obter conclusões razoáveis e nelas basear a sua opinião. Em tais circunstâncias. Isso porque uma auditoria tem limitações inerentes.br Prof. não pode obter segurança absoluta de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante devido a fraude ou erro. o auditor pode julgar necessário não considerar uma exigência relevante em uma NBC TA. Se. ele deve documentar como os procedimentos alternativos de auditoria executados cumprem a finalidade desse requisito. 10 . Ted Jefferson O auditor não é obrigado e não pode reduzir o risco de auditoria a zero. As limitações inerentes de uma auditoria originam-se da: • natureza das informações contábeis. portanto. Segundo a NBC TA 200. o auditor deve executar procedimentos de auditoria alternativos para cumprir o objetivo dessa exigência. • natureza dos procedimentos de auditoria. e as razões para o não atendimento. o auditor julgar necessário não atender um requisito relevante de uma norma. o auditor deve obter evidência de auditoria apropriada e suficiente para reduzir o risco de auditoria a um nível baixo aceitável e. esse procedimento seria ineficaz no cumprimento do objetivo da exigência.thcursos. nas circunstâncias específicas da auditoria. como resultado. em circunstâncias excepcionais. e.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. e.

CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. b) 2. Ted Jefferson 5. especificamente para aqueles que atuam como auditores independentes. 2 – (FCC/SEFAZ-SP – APOFP/2010) As normas brasileiras que estabelecem os preceitos de conduta para o exercício profissional. são estruturadas como: a) b) c) d) e) NBC NBC NBC NBC NBC TI PI TA PA TP 11 .3.br Prof.com. A sequência CORRETA é: a) 1.1. (1) Integridade (2) Objetividade (3) Comportamento Profissional ( ) Obrigação de ser direto e honesto em todos os relacionamentos profissionais e comerciais. BATERIA DE EXERCÍCIOS I 1 – (CFC/BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS/1º-2015) Com base na NBC PG 100 – Aplicação Geral aos Profissionais da Contabilidade. c) 2.thcursos.2. d) 3. ( ) Obrigação de não comprometer seu julgamento profissional ou do negócio em decorrência de comportamento tendencioso.1.3. ( ) Obrigação de cumprir as leis e os regulamentos pertinentes e evitar qualquer ação que o profissional da contabilidade sabe ou deveria saber possa desacreditar a profissão.2.1. relacione os princípios éticos elencados na primeira coluna às respectivas descrições na segunda coluna e. assinale a opção CORRETA.3. em seguida.

thcursos.com. A auditoria das demonstrações contábeis constitui o conjunto de procedimentos técnicos que têm por objetivo a emissão de parecer sobre a sua adequação. COLUNA I 1. observações. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. Uberaba-MG/Analista em Auditoria/Ciências Contábeis/2011) Numere a COLUNA II de acordo com a COLUNA I relacionando os grupos de normas de auditoria com as normas a eles referentes. por meio de inspeções. Normas relativas à execução do trabalho 3.br Prof. entrevistas e confirmações. indique se a alternativa está correta. 5 – (FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) De acordo com o Conselho Federal de Contabilidade. ( ) Deve-se obter material de evidência suficiente e adequado. mantendo-a nas atitudes e na aparência. ( ) Deve-se buscar desenvolver relatórios que apresentem dados exatos e fidedignos. A) (3) (2) (1) B) (1) (2) (3) C) (1) (3) (2) D) (3) (1) (2) 4 – (FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Consoante o Conselho Federal de Contabilidade (CFC). 12 . Normas relativas ao parecer COLUNA II ( ) Os auditores não devem ter sua independência prejudicada. imediata e oportuna. indique se a alternativa está correta. Normas Profissionais 2. de forma objetiva. Assinale a alternativa que apresenta a sequência de números CORRETA. em todos os aspectos relevantes. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Ted Jefferson 3 – (Pref. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas.

CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. prevalecem as normas emitidas pelo Corecon. materialidade e riscos de auditoria. indique se a alternativa está correta. b) Aplicar salvaguardas. A independência do auditor frente à entidade salvaguarda a capacidade do auditor de formar opinião de auditoria sem ser afetado por influências que poderiam comprometer essa opinião. O Código de Ética Profissional do Contabilista e as normas profissionais descrevem a independência como abrangendo postura mental independente e independência na aparência. 13 . para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável. (E) Comportamento profissional. Ted Jefferson consoante os Princípios Fundamentais de Contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade e.br Prof. Na ausência de disposições específicas.thcursos. 8 .(FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Em consonância com o Conselho Federal de Contabilidade. No caso de trabalho de auditoria ser de interesse público e. EXCETO para: a) Identificar ameaças à independência. é requerido que os independentes de pensamento ou de de auditoria. ser objetivo e manter postura de ceticismo profissional. portanto. (B) Formalidade. Os conceitos sobre auditores. a legislação específica. (A) Integridade. d) Determinar o grau de relevância. quando necessário. exige-se que o auditor seja independente da entidade sujeita a auditoria.com. portanto. exigido pelo Código de Ética Profissional do Contabilista e pelas normas profissionais do CFC. 7 – (CFC/2012) Trabalhos de auditoria são consideradas como de interesse do membros da equipe de auditoria sejam aparência em relação aos clientes independência devem ser aplicados pelos sobre informações contábeis históricas público. 6 – (FGV/Auditor da Receita Estadual – AP/2010) A NBC TA 200 enumera os princípios éticos profissionais a serem seguidos por um auditor. A independência aprimora a capacidade do auditor de atuar com integridade. (C) Competência. c) Avaliar a importância das ameaças identificadas. no que for pertinente. (D) Confidencialidade. Assinale a alternativa que não apresenta um desses princípios.

confidencialidade. (E) subjetividade. prudência e comportamento profissional. Dentre tais princípios estão: a) b) c) d) prudência. 10 . sigilo profissional e competência profissional. a evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas ou informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações a serem usadas como evidências de auditoria. (D) integralidade. confidencialidade e Integridade. O julgamento profissional não é necessário. subjetividade.br 9 .com. por exemplo. 14 .CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 Prof. Ted Jefferson www. 11 – (FCC/INFRAERO/2011) De acordo com as Normas Técnicas de Auditoria Independente. é princípio fundamental de ética profissional a (A) interação com o auditado. integridade e comportamento profissional. indique se a alternativa está correta.(FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Em consonância com o Conselho Federal de Contabilidade. Esses princípios estão relacionados nas NBC PA. indique se a alternativa está correta. em particular. O julgamento profissional é essencial para a condução apropriada da auditoria. 12 – (FACAPE/PETROLINA-PE/AUDITOR-FISCAL/2011) Implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista estão os princípios fundamentais da ética profissional a serem observados pelos auditores. (C) parcialidade. O ceticismo profissional não inclui estar alerta. Isso porque a interpretação das exigências éticas e profissionais relevantes.thcursos. (B) objetividade. das normas de auditoria e as decisões informadas requeridas ao longo de toda a auditoria não podem ser feitas sem a aplicação do conhecimento e experiência relevantes para os fatos e circunstâncias. confidencialidade. nas decisões sobre materialidade e risco de auditoria.(FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Em consonância com o Conselho Federal de Contabilidade.

thcursos.br Prof. deixando as incertezas sem registrar. a objetividade ou o ceticismo profissional estejam comprometidos. 14 – (CESPE/TCU/2008) As revelações acerca das demonstrações contábeis têm relação com as informações a que o auditor tem acesso pelo trabalho realizado. d) Utilizar – se de salvaguardas apropriadas para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável para realizar o trabalho de asseguração. b) Evitar circunstâncias significativas a ponto de um terceiro possa concluir que a integridade. dando divulgações dessas informações nas situações em que a lei ou normas de auditoria permitam. desde que o usuário não seja induzido a conclusões errôneas e prejudiciais ao seu próprio interesse. c) Guardar informações que sejam consideradas pela legislação societária relevantes para o mercado acionário. o auditor pode deixar de revelar informações. d) Aplicar procedimentos contábeis que melhorem os valores dos ativos e reconheça somente as exigibilidades.com. conforme as normas de auditoria do CFC é: a) Não possuir vínculos com pessoas da entidade auditada e nem interesse econômico ou financeiro na entidade. c) Ter um postura que permita expressar opinião sem ser afetado por influências que comprometam o julgamento profissional.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. disponibilizando mediante ordem judicial. e) Evitar fatos e circunstâncias que afetem a aparência de independência e manter uma postura que permita a independência de pensamento. 15 – (FUNCAB/Pref. Desse modo. Anápolis/Auditor Fiscal/2012) A alternativa que melhor abrange o conceito de independência do auditor. b) Divulgar negócios estratégicos da empresa para permitir que os acionistas e demais interessados do mercado saibam como os negócios estão sendo conduzidos. e) Manter sigilo profissional das informações a que tiver acesso. 15 . 16 – (FCC/TRF/2011) É prática do auditor guardar sigilo das informações que obteve para realização da auditoria das demonstrações contábeis. permitindo à pessoa agir com integridade e exercer objetividade e ceticismo profissional. muitas vezes privilegiadas em razão da confidencialidade a ele conferida pela empresa sob auditoria. Ted Jefferson 13 – ( FCC/Câmara dos Deputados/2007) Considera-se conduta(s) ética(s) do auditor com relação a seu trabalho: a) Utilizar informações obtidas na realização do trabalho de auditoria para decidir o momento de comprar ações da empresa na bolsa de valores.

pode-se afirmar que ele deve ser observado nas seguintes circunstâncias: I . para que sejam tomadas as providências necessárias à sua eliminação. b) aplicar as salvaguardas adequadas. 18 – (ESAF/CVM/2010) Visando manter a qualidade e a credibilidade do seu trabalho.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. IV . o auditor deve tomar a seguinte providência: a) comunicar a direção da entidade auditada.br Prof. e) eliminar as ameaças mediante comunicação aos responsáveis pela governança da entidade auditada e fazer constar tais providências no seu parecer. d) documentar as ameaças e comunicá-las aos órgãos de supervisão e controle do setor em que atua a entidade auditada. documentando-as. Postura mental independente. Confidencialidade das informações. Subjetividade na aplicação de procedimentos. III . 19 – (UFSC-AUDITOR/2011) Analise as afirmativas a seguir. Assinale a alternativa CORRETA. III e IV estão corretas. Sobre o sigilo profissional. A ( ) Todas as afirmativas estão corretas. c) propor aos responsáveis pela entidade de auditoria a supressão das ameaças mediante acordo entre as entidades. II . Ted Jefferson 17 – (FCC/TRT – 4ª/Analista Judiciário/2011) Não corresponde a um princípio fundamental da conduta ética do auditor: a) b) c) d) e) Integridade dos trabalhos executados.na relação entre os auditores. para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável.thcursos. Competência técnica nas análises e avaliações. ao identificar ameaças que possam comprometer a sua independência. B ( ) Apenas as afirmativas II.na relação entre o auditor e demais terceiros.com. 16 .na relação entre o auditor e a entidade auditada.na relação entre os auditores e os organismos reguladores e fiscalizadores.

II e IV estão corretas.(FCC/SEFAZ-PE/2014) – O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. (B) da auditoria interna. 17 . No relatório do auditor independente deve constar que a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil é de responsabilidade: (A) do controle interno. o auditor deve apoiar-se em fatos e evidências que permitam o convencimento razoável da realidade ou a veracidade dos fatos. E ( ) Apenas as afirmativas I. c) Competência e zelo profissional.br Prof. permitindo a emissão de opinião em bases consistentes. D ( ) Apenas as afirmativas I. d) Comportamento e conduta profissional.thcursos.com.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. b) Confidencialidade. e) Objetividade. 22. II e III estão corretas. Essa norma relativa à pessoa do auditor é reconhecida como (A) imparcialidade (B) independência (C) objetividade (D) soberania (E) subjetividade 21 – (ESAF/CVM/2010) Assinale a opção que indica uma exceção aos princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o auditor na condução de trabalhos de auditoria das demonstrações contábeis. Ted Jefferson C ( ) Apenas as afirmativas I. documentos ou situações examinadas. a) Independência técnica. 20 – (Cesgranrio/Seplag-BA/Auditor/2011) Na execução de suas atividades. III e IV estão corretas.

à exceção de um. (D) A avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de relatório financeiro aplicável da entidade. Assinale-o. (E) da administração.thcursos. o auditor para obter segurança razoável e reduzir o risco de auditoria a um nível baixo aceitável e possibilitar alcançar conclusões razoáveis e nelas basear a sua opinião deve: (A) elaborar os papeis de trabalho de acordo com os procedimentos de auditoria. Ted Jefferson (C) dos acionistas majoritários. a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de evidências de auditoria.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. (E) A extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas. (E) avaliar o controle interno.br Prof. por exemplo.(FGV/ISS-RECIFE/2014) O reconhecimento pelo auditor de que existem circunstâncias que podem causar distorção relevante nas demonstrações 18 . o julgamento profissional é necessário para a tomada de decisões nos assuntos a seguir. 25 . (A) A subjetividade e as evidências de auditoria para cumprimento das metas de resultados operacionais e financeiros da empresa.(FCC/SEFAZ-PE/2014) – Contratado para realizar auditoria nas demonstrações contábeis da empresa Queijos Coalho S/A. (C) planejar os trabalhos de auditoria tomando por base o resultado de auditorias anteriores. 23 . (D) do departamento de contabilidade. (D) realizar a auditoria de acordo com os procedimentos definidos.com. (B) obter evidência de auditoria apropriada e suficiente. (C) As evidências de auditoria obtidas são suficientes e apropriadas ou se algo mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs. 24 . pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas pela administração na elaboração das demonstrações contábeis.(ACI-PE/2014) De acordo com a NBC TA 200. (B) A natureza.

à condição que possa indicar fraude. (B) perfil investigativo do auditor. (E) ética profissional do auditor. (C) cumplicidade do auditado com a auditoria. Ted Jefferson contábeis revela o requisito ético relacionado à auditoria de demonstrações contábeis. por exemplo.br Prof. (E) finalidade social da instituição auditada. (D) condução apropriada. Uma das fontes de limitação inerentes a uma auditoria é a (A) capacidade técnica do auditor.(FCC/TCE-RS/2014) Nenhuma auditoria pode garantir segurança absoluta de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção. 19 . 26 . (D) necessidade de que seja realizada num período de tempo razoável. (E) conformidade legal. (C) capacidade de percepção do auditor. denominado: (A) julgamento profissional.thcursos. (D) ceticismo profissional do auditor. como informações que coloquem em dúvida a confiabilidade de documentos e respostas. Esse estado é denominado (A) alerta constante por parte do auditor.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www.(FCC/TCE-RS/2014) O auditor está sujeito às exigências éticas e deve sempre estar alerta. (B) idade média dos registros contábeis. (B) evidência funcional. (C) ceticismo profissional.com. 27 .

definem auditoria como um exame analítico e pericial das operações contábeis. em conformidade com as NAT TCE.com. em conformidade com as NAT TCE. 29 – (SEFAZ/RS/2014) De acordo com a NBC TA 200. (B) controlar os procedimentos contábeis para evitar que informações de interesse da instituição auditada sejam divulgados.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro. o _______________ é a postura que inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas.br Prof. (D) estabelecer metodologia para ação integrada de todos os setores da instituição auditada. (C) aumentar o grau de confiança das demonstrações contábeis por parte dos usuários. (E) apurar e consolidar irregularidades contábeis em relatório para subsidiar eventual investigação de ilícitos administrativos e penais. Esta declaração identifica a auditoria (A) operacional. 20 . o objetivo da auditoria é (A) levantar informações suficientes e adequadas que permitam comparar as metas fixadas com os resultados alcançados.(FCC/TCE – RS/2014) O objetivo de uma auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. Nos termos da NBC TA 200. em todos os aspectos relevantes. A alternativa que preenche corretamente a lacuna do trecho acima é: A) plano de trabalho B) ceticismo profissional C) relacionamento com o cliente D) auditor interno E) trabalho conjunto 30 . Ted Jefferson 28 .(FCC/TCE-RS/2014) Os manuais. desde o início até o balanço. (B) governamental. devido a erro ou fraude.thcursos. e uma avaliação crítica das evidências de auditoria. de uma maneira geral.

CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. julgamento profissional e confidencialidade.thcursos. conduta profissional e julgamento profissional. portanto. 31 – (FGV/ISS-CUIABÁ/2014) De acordo com o Código de Ética Profissional do Contabilista e da NBC PA 01. Segundo a NBC TA 200. (C) capacidade. 33 – (SEFAZ/RS/2014) A elaboração e a adequada apresentação das demonstrações contábeis. (E) de regularidade. (E) imparcialidade. (C) Integridade. (B) confiança.com. Ted Jefferson (C) governamental. (B) Competência. de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil.br Prof. assinale a opção que indica princípios fundamentais de ética profissional quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis. Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria. em conformidade com as NAG TCU. exige-se que o auditor seja independente da entidade sujeita à auditoria. (A) Integridade. (D) Conhecimento. objetividade e comportamento profissional. em conformidade com as NAG TCU. confidencialidade e ceticismo profissional. (E) Ceticismo profissional. (D) integridade. a independência aprimora a capacidade do auditor de atuar com (A) confiabilidade. (D) independente. exigido pelo Código de Ética Profissional do Contabilista e pelas normas profissionais do CFC. zelo profissional e objetividade. em conformidade com as NBC TA. 32 – (FGV/ISS-CUIABÁ/2014) No caso de o trabalho de auditoria ser de interesse público e. e com os controles internos que foram determinados como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção 21 .

22 . A esse respeito.thcursos. independentemente responsabilidade: se causada por fraude ou erro. (C) para condições que não apresentem indícios de fraude. C) Do conselho fiscal. (C) O ceticismo inclui a consideração da suficiência e da adequação das evidências obtidas quando não há indícios de risco de fraude.com. 34 – (AUDITOR DE CONTROLE INTERNO NA ESPECIALIDADE DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO/DF/2014) Ao tratar dos objetivos gerais do auditor independente e da condução da auditoria em conformidade com normas de auditoria.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. D) Da assembleia dos acionistas. (B) à conveniência de adotar procedimentos não exigidos pelas normas convencionais de auditoria. E) Da administração da Companhia. importa estar alerta (A) a evidências de auditoria que reforcem outras evidências obtidas. ao longo dos trabalhos. 35 – (AUDITOR DE CONTROLE INTERNO FINANÇAS E CONTROLE/DF/2014) O ceticismo profissional é necessário para a avaliação crítica das evidências de auditoria. é A) Dos auditores independentes. o Conselho Federal de Contabilidade menciona como necessária a manutenção do ceticismo profissional ao longo de toda a auditoria. B) Dos órgãos reguladores. assinale a alternativa correta. Nesse sentido.br Prof. (A) A manutenção do ceticismo. (D) no sentido de reduzir os riscos por ignorar circunstâncias usuais. (B) O ceticismo requer vigilância a evidências que estejam em conformidade com outras evidências obtidas. Ted Jefferson relevante. é necessária para reduzir os riscos de generalização excessiva das conclusões resultantes das observações de auditoria. (E) e generalizar as conclusões acerca de todas as observações colhidas durante a realização dos trabalhos de auditoria.

(E) A crença de que os responsáveis pela auditada sejam honestos permite evidências menos que persuasivas na obtenção de segurança razoável. (E) executar o procedimento. I – A evidência de auditoria é necessária para fundamentar a opinião e o relatório do auditor.thcursos. o auditor concluir que determinado procedimento estabelecido por uma NBC TA será ineficaz no cumprimento do objetivo dessa exigência. III – A suficiência e a adequação da evidência da auditoria estão interrelacionadas. a partir dos procedimentos de auditoria realizados durante o curso do trabalho.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. 36 .(CFC/BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS/2º-2014) Com relação à Evidência de Auditoria apropriada e suficiente. assinale a opção CORRETA. principalmente. Se. (B) executar procedimento alternativo. julgue os itens abaixo como Verdadeiro (V) ou Falsos (F) e. uma vez que é obrigatório. 37 . A obtenção de mais evidência de auditoria compensa a sua má qualidade.br Prof. Ela tem natureza cumulativa e é obtida. conforme a NBC TA 500 – Evidência em Auditoria. durante os trabalhos de auditoria. A sequência CORRETA é: a) FFF b) VFV c) VVF d) VVV 23 . (D) interromper imediatamente a auditoria.com. (C) comunicar o fato ao Conselho Federal de Contabili dade. II – Obtém-se segurança razoável quando o auditor obtiver evidência de auditoria apropriada e suficiente para a redução do risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo. Ted Jefferson (D) O auditor deve sempre duvidar de registros e desconfiar de documentos tidos como genuínos. deverá (A) alterar o escopo da auditoria.(FCC/TCE-RS/2014) As NBC TAs − Normas Brasileiras de Contabilidade TAs são escritas no contexto da auditoria de demonstrações contábeis executada por um auditor. em seguida.

Ted Jefferson www. BATERIA DE EXERCÍCIOS I – GABARITO COMENTADO 1 – (CFC/BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS/1º-2015) Com base na NBC PG 100 – Aplicação Geral aos Profissionais da Contabilidade. relacione os princípios éticos elencados na primeira coluna às respectivas descrições na segunda coluna e.com. assinale a opção CORRETA.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 Prof. em seguida.1.3. b) 2. c) 2. ( ) Obrigação de não comprometer seu julgamento profissional ou do negócio em decorrência de comportamento tendencioso. ( ) Obrigação de cumprir as leis e os regulamentos pertinentes e evitar qualquer ação que o profissional da contabilidade sabe ou deveria saber possa desacreditar a profissão.3. 24 .3.br 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 A D C C E B D C E E GABARITO 11 B 21 A 12 B 22 E 13 E 23 B 14 C 24 A 15 E 25 C 16 C 26 D 17 D 27 D 18 B 28 C 19 A 29 B 20 C 30 D 31 32 33 34 35 36 37 A D E B A B C 6.thcursos. A sequência CORRETA é: a) 1.2. (1) Integridade (2) Objetividade (3) Comportamento Profissional ( ) Obrigação de ser direto e honesto em todos os relacionamentos profissionais e comerciais.1.

Essa mesma Resolução define. conflito de interesse ou influência indevida de outros afetem o julgamento profissional ou de negócio. que dispõe sobre a Estrutura das Normas Brasileiras de Contabilidade. 3 – (Pref. aos contadores que atuam como auditores independentes – Profissional da Auditoria Independente. ainda que as NBC TAs são as normas técnicas aplicadas à Auditoria convergentes com as Normas Internacionais de Auditoria Independente emitidas pela IFAC(Federação Internacional de Contadores). Objetividade – não permitir que comportamento tendencioso.br Prof.thcursos. especificamente para aqueles que atuam como auditores independentes. 2 – (FCC/SEFAZ-SP – APOFP/2010) As normas brasileiras que estabelecem os preceitos de conduta para o exercício profissional. GABARITO: A COMENTÁRIO: ITEM 100. são estruturadas como: a) NBC TI b) NBC PI c) NBC TA d) NBC PA e) NBC TP GABARITO: D COMENTÁRIO: Segundo a Resolução CFC n° 1. Comportamento profissional – cumprir as leis e os regulamentos pertinentes e evitar qualquer ação que desacredite a profissão. COLUNA I 25 .1.2.5 da NBC TG 100 O profissional da contabilidade deve cumprir os seguintes princípios éticos: Integridade – ser franco e honesto em todos os relacionamentos profissionais e comerciais. especificamente.298/2010.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. as NBC PAs são as normas Brasileiras de Contabilidade aplicadas. Ted Jefferson d) 3. Uberaba-MG/Analista em Auditoria/Ciências Contábeis/2011) Numere a COLUNA II de acordo com a COLUNA I relacionando os grupos de normas de auditoria com as normas a eles referentes.com.

Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas. 4 – (FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Consoante o Conselho Federal de Contabilidade (CFC).thcursos. Normas relativas à execução do trabalho 3. ( ) Deve-se buscar desenvolver relatórios que apresentem dados exatos e fidedignos. indique se a alternativa está correta. Normas Profissionais 2. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. de forma objetiva. GABARITO: Certa 26 .com. por meio de inspeções. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável. Assinale a alternativa que apresenta a sequência de números CORRETA. mantendo-a nas atitudes e na aparência. 3 – As Normas relativas ao parecer falam dos relatórios do auditor independente. Ted Jefferson 1. entrevistas e confirmações. ( ) Deve-se obter material de evidência suficiente e adequado. observações. em todos os aspectos relevantes.br Prof. 2 – As Normas relativas à execução do trabalho falam das técnicas utilizadas pelo profissional da Auditoria Independente. imediata e oportuna. Normas relativas ao parecer COLUNA II ( ) Os auditores não devem ter sua independência prejudicada. A) (3) (2) (1) B) (1) (2) (3) C) (1) (3) (2) D) (3) (1) (2) GABARITO: C COMENTÁRIO: 1 – As Normas Profissionais falam dos Auditores Independentes.

GABARITO: Errada COMENTÁRIO: Prevalecem as normas emitidas pelo CFC.br Prof. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. 6 – (FGV/Auditor da Receita Estadual – AP/2010) A NBC TA 200 enumera os princípios éticos profissionais a serem seguidos por um auditor. a legislação específica.thcursos. indique se a alternativa está correta. Assinale a alternativa que não apresenta um desses princípios. (E) Comportamento profissional. (D) Confidencialidade. Ted Jefferson COMENTÁRIO: NBC TA 200. A auditoria das demonstrações contábeis constitui o conjunto de procedimentos técnicos que têm por objetivo a emissão de parecer sobre a sua adequação. No caso da maioria das estruturas conceituais para fins gerais. (B) Formalidade. 27 . consoante os Princípios Fundamentais de Contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade e. em conformidade com a estrutura de relatório financeiro. em todos os aspectos relevantes. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável. em todos os aspectos relevantes. A auditoria conduzida em conformidade com as normas de auditoria e exigências éticas relevantes capacita o auditor a formar essa opinião.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas.com. (C) Competência. essa opinião expressa se as demonstrações contábeis estão apresentadas adequadamente. 5 – (FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) De acordo com o Conselho Federal de Contabilidade. prevalecem as normas emitidas pelo Corecon. no que for pertinente. Na ausência de disposições específicas. objetivos gerais do auditor independente. (A) Integridade.

8 . avaliar a importância das ameaças à independência identificadas. objetividade.br Prof. O Código de Ética Profissional do Contabilista e as normas profissionais descrevem a independência como abrangendo postura mental independente e independência na aparência. materialidade e riscos de auditoria. e aplicar salvaguardas. 28 . 7 – (CFC/2012) Trabalhos de auditoria são consideradas como de interesse do membros da equipe de auditoria sejam aparência em relação aos clientes independência devem ser aplicados pelos a) b) c) d) sobre informações contábeis históricas público. Os conceitos sobre auditores. ser objetivo e manter postura de ceticismo profissional. indique se a alternativa está correta. quando necessário. Determinar o grau de relevância. para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável. A independência do auditor frente à entidade salvaguarda a capacidade do auditor de formar opinião de auditoria sem ser afetado por influências que poderiam comprometer essa opinião. é requerido que os independentes de pensamento ou de de auditoria. portanto.thcursos. quando necessário.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. EXCETO para: Identificar ameaças à independência. No caso de trabalho de auditoria ser de interesse público e. GABARITO: D COMENTÁRIO: Segundo a NBC PA 290. Aplicar salvaguardas. para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável. Avaliar a importância das ameaças identificadas. competência e zelo profissional. Ted Jefferson GABARITO: B COMENTÁRIO: Princípios éticos: integridade.(FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Em consonância com o Conselho Federal de Contabilidade.com. A independência aprimora a capacidade do auditor de atuar com integridade. exige-se que o auditor seja independente da entidade sujeita a auditoria. portanto. exigido pelo Código de Ética Profissional do Contabilista e pelas normas profissionais do CFC. confidencialidade e comportamento ou conduta profissional. os conceitos sobre a independência devem ser aplicados por auditores para: identificar as ameaças à independência.

O julgamento profissional é essencial para a condução apropriada da auditoria. GABARITO: Errada COMENTÁRIO: Julgamento profissional é necessário nas decisões sobre materialidade e risco de auditoria. exigido pelo Código de Ética Profissional do Contabilista e pelas normas profissionais do CFC.(FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Em consonância com o Conselho Federal de Contabilidade. Ted Jefferson GABARITO: Correta COMENTÁRIO: Item A16 da NBC TA 200. 9 . por exemplo. sempre. No caso de trabalho de auditoria ser de interesse público e.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www.thcursos. indique se a alternativa está correta. O ceticismo profissional não inclui estar alerta. das normas de auditoria e as decisões informadas requeridas ao longo de toda a auditoria não podem ser feitas sem a aplicação do conhecimento e experiência relevantes para os fatos e circunstâncias. 10 . 29 . nas decisões sobre materialidade e risco de auditoria. O julgamento profissional não é necessário. GABARITO: Errada COMENTÁRIO: Ceticismo = Mente alerta e questionadora. A independência do auditor frente à entidade salvaguarda a capacidade do auditor de formar opinião de auditoria sem ser afetado por influências que poderiam comprometer essa opinião. Isso porque a interpretação das exigências éticas e profissionais relevantes. ser objetivo e manter postura de ceticismo profissional. portanto.br Prof. indique se a alternativa está correta. A independência aprimora a capacidade do auditor de atuar com integridade.(FGV/Auditor Fiscal – SEFAZ-RJ/2011) Em consonância com o Conselho Federal de Contabilidade. em particular. se exige que o auditor seja independente da entidade sujeita a auditoria. a evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas ou informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações a serem usadas como evidências de auditoria. O Código de Ética Profissional do Contabilista e as normas profissionais descrevem a independência como abrangendo postura mental independente e independência na aparência.com.

sigilo profissional e competência profissional. cujo cumprimento é exigido dos auditores.br Prof. Esses princípios estão em linha com os princípios do Código de Ética do IFAC. é princípio fundamental de ética profissional a (A) interação com o auditado. GABARITO: B COMENTÁRIO: ITEM A15 da NBC TA 200. (C) parcialidade.com.thcursos. integridade e comportamento profissional. confidencialidade. (B) objetividade. O Código de Ética Profissional do Contabilista e as normas profissionais do CFC relacionadas mostram como a estrutura conceitual deve ser aplicada em situações específicas. Objetividade. Os princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o auditor quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis estão implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01. 12 – (FACAPE/PETROLINA-PE/AUDITOR-FISCAL/2011) Implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista estão os princípios fundamentais da ética profissional a serem observados pelos auditores. exemplos de situações onde não há salvaguardas disponíveis para tratar as ameaças.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Esses princípios estão relacionados nas NBC PA. Ted Jefferson 11 – (FCC/INFRAERO/2011) De acordo com as Normas Técnicas de Auditoria Independente. que trata do controle de qualidade. (E) subjetividade. Dentre tais princípios estão: a) b) prudência. Esses princípios são: (a) (b) (c) (d) (e) Integridade. (D) integralidade. Fornecem exemplos de salvaguardas que podem ser apropriadas para tratar das ameaças ao cumprimento dos princípios fundamentais e fornece. Confidencialidade. Competência e zelo profissional. 30 . também. e Comportamento (ou conduta) profissional.

Guardar informações que sejam consideradas pela legislação societária relevantes para o mercado acionário. GABARITO: B COMENTÁRIO: Esses princípios são: integridade.br c) d) Prof. deixando as incertezas sem registrar. desde que o usuário não seja induzido a conclusões errôneas e prejudiciais ao seu próprio interesse. disponibilizando mediante ordem judicial. 31 . Aplicar procedimentos contábeis que melhorem os valores dos ativos e reconheça somente as exigibilidades.com. muitas vezes privilegiadas em razão da confidencialidade a ele conferida pela empresa sob auditoria. e comportamento ou conduta profissional. GABARITO: E COMENTÁRIO: O auditor deve manter sigilo em relação às informações obtidas no decorrer de seu trabalho. competência e zelo profissional. Ted Jefferson subjetividade. Manter sigilo profissional das informações a que tiver acesso. confidencialidade e Integridade. prudência e comportamento profissional. Divulgar negócios estratégicos da empresa para permitir que os acionistas e demais interessados do mercado saibam como os negócios estão sendo conduzidos. o auditor pode deixar de revelar informações. 13 – (FCC/Câmara dos Deputados/2007) Considera-se conduta(s) ética(s) do auditor com relação a seu trabalho: a) b) c) d) e) Utilizar informações obtidas na realização do trabalho de auditoria para decidir o momento de comprar ações da empresa na bolsa de valores. Desse modo. 14 – (CESPE/TCU/2008) As revelações acerca das demonstrações contábeis têm relação com as informações a que o auditor tem acesso pelo trabalho realizado. ressalvados os casos em que há autorização expressa da entidade auditada ou quando houver obrigações legais ou mediante ordem judicial que o obriguem a fazê-lo. confidencialidade. confidencialidade.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. objetividade.thcursos.

br Prof. (b) aparência de independência – evitar fatos e circunstâncias que sejam tão significativos a ponto de que um terceiro com experiência.thcursos. a objetividade ou o ceticismo profissional estejam comprometidos. GABARITO: E COMENTÁRIO: Independência é: (a) independência de pensamento – postura mental que permite a apresentação de conclusão que não sofra efeitos de influências que comprometam o julgamento profissional. ressalvados os casos em que há autorização expressa da entidade auditada ou quando houver obrigações legais ou mediante ordem judicial que o obriguem a fazê-lo. a objetividade ou o ceticismo profissional da firma. conhecimento e bom senso provavelmente concluiria. Evitar fatos e circunstâncias que afetem a aparência de independência e manter uma postura que permita a independência de pensamento. que a integridade.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Anápolis/Auditor Fiscal/2012) A alternativa que melhor abrange o conceito de independência do auditor. 15 – (FUNCAB/Pref. Ter um postura que permita expressar opinião sem ser afetado por influências que comprometam o julgamento profissional. conforme as normas de auditoria do CFC é: a) b) c) d) e) Não possuir vínculos com pessoas da entidade auditada e nem interesse econômico ou financeiro na entidade. Utilizar – se de salvaguardas apropriadas para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável para realizar o trabalho de asseguração.com. pesando todos os fatos e circunstâncias específicas. permitindo à pessoa agir com integridade e exercer objetividade e ceticismo profissional. ou de membro da equipe de auditoria ou asseguração seriam comprometidos. Evitar circunstâncias significativas a ponto de um terceiro possa concluir que a integridade. Ted Jefferson GABARITO: Certa COMENTÁRIO: O auditor deve manter sigilo em relação às informações obtidas no decorrer de seu trabalho. permitindo que a pessoa atue com integridade e exerça objetividade e ceticismo profissional. 32 .

33 . GABARITO: D COMENTÁRIO: O auditor tem de atuar com objetividade e não com subjetividade. para que sejam tomadas as providências necessárias à sua eliminação. Confidencialidade das informações. documentando-as. b) aplicar as salvaguardas adequadas. Postura mental independente.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. GABARITO: Certa COMENTÁRIO: O auditor deve manter sigilo em relação às informações obtidas no decorrer de seu trabalho. ressalvados os casos em que há autorização expressa da entidade auditada ou quando houver obrigações legais ou mediante ordem judicial que o obriguem a fazê-lo. c) propor aos responsáveis pela entidade de auditoria a supressão das ameaças mediante acordo entre as entidades.thcursos. Ted Jefferson 16 – (FCC/TRF/2011) É prática do auditor guardar sigilo das informações que obteve para realização da auditoria das demonstrações contábeis. o auditor deve tomar a seguinte providência: a) comunicar a direção da entidade auditada. Subjetividade na aplicação de procedimentos. 18 – (ESAF/CVM/2010) Visando manter a qualidade e a credibilidade do seu trabalho. para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável.com.br Prof. dando divulgações dessas informações nas situações em que a lei ou normas de auditoria permitam. Competência técnica nas análises e avaliações. ao identificar ameaças que possam comprometer a sua independência. 17 – (FCC/TRT – 4ª/Analista Judiciário/2011) Não corresponde a um princípio fundamental da conduta ética do auditor: a) b) c) d) e) Integridade dos trabalhos executados. d) documentar as ameaças e comunicá-las aos órgãos de supervisão e controle do setor em que atua a entidade auditada.

Ted Jefferson e) eliminar as ameaças mediante comunicação aos responsáveis pela governança da entidade auditada e fazer constar tais providências no seu parecer. e aplicar salvaguardas. os conceitos sobre a independência devem ser aplicados por auditores para: identificar as ameaças à independência. C ( ) Apenas as afirmativas I. IV . GABARITO: B COMENTÁRIO: Segundo a NBC PA 290. GABARITO: A COMENTÁRIO: O sigilo profissional deve ser observado na relação entre o auditor e a entidade auditada. na relação entre os auditores e os organismos reguladores e fiscalizadores. quando necessário. Sobre o sigilo profissional. pode-se afirmar que ele deve ser observado nas seguintes circunstâncias: I .CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. B ( ) Apenas as afirmativas II. avaliar a importância das ameaças à independência identificadas. Assinale a alternativa CORRETA.na relação entre o auditor e a entidade auditada.com. III e IV estão corretas. III e IV estão corretas.br Prof. II e IV estão corretas. e na relação entre auditor e demais terceiros. II e III estão corretas.na relação entre o auditor e demais terceiros. II . III . 34 . E ( ) Apenas as afirmativas I. na relação entre os auditores.na relação entre os auditores e os organismos reguladores e fiscalizadores. A ( ) Todas as afirmativas estão corretas. para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável.na relação entre os auditores.thcursos. D ( ) Apenas as afirmativas I. 19 – (UFSC-AUDITOR/2011) Analise as afirmativas a seguir.

conflito de interesse ou influência indevida de outros afetem o julgamento profissional ou de negócio.br Prof. estão implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista e na 35 . Essa norma relativa à pessoa do auditor é reconhecida como (A) imparcialidade (B) independência (C) objetividade (D) soberania (E) subjetividade GABARITO: C COMENTÁRIO: Objetividade – não permitir que comportamento tendencioso. e) Objetividade. GABARITO: A COMENTÁRIO: Segundo a NBC TA 200.com. Permitindo o convencimento razoável da realidade ou da veracidade dos fatos. documentos ou situações examinadas. Ted Jefferson 20 – (Cesgranrio/Seplag-BA/Auditor/2011) Na execução de suas atividades.thcursos. a) Independência técnica. os princípios fundamentais de ética profissional. b) Confidencialidade. 21 – (ESAF/CVM/2010) Assinale a opção que indica uma exceção aos princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o auditor na condução de trabalhos de auditoria das demonstrações contábeis. permitindo a emissão de opinião em bases consistentes. relevantes para o auditor quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. c) Competência e zelo profissional. d) Comportamento e conduta profissional. documentos ou situações examinadas. o auditor deve apoiar-se em fatos e evidências que permitam o convencimento razoável da realidade ou a veracidade dos fatos.

com. GABARITO: E COMENTÁRIO: O relatório do auditor independente deve descrever a responsabilidade da administração pela elaboração das demonstrações contábeis.(FCC/SEFAZ-PE/2014) – Contratado para realizar auditoria nas demonstrações contábeis da empresa Queijos Coalho S/A. objetividade. Esses princípios são: integridade. 23 .thcursos. (C) dos acionistas majoritários. e comportamento ou conduta profissional. (C) planejar os trabalhos de auditoria tomando por base o resultado de auditorias anteriores. Ted Jefferson NBC PA 01. competência e zelo profissional.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Esses princípios estão alinhados com os princípios do Código de Ética do IFAC. (D) do departamento de contabilidade. independentemente se causadas por fraude ou erro. cujo cumprimento é exigido dos auditores. que trata do controle de qualidade para Firmas de Auditoria Independente. o auditor para obter segurança razoável e reduzir o risco de auditoria a um nível baixo aceitável e possibilitar alcançar conclusões razoáveis e nelas basear a sua opinião deve: (A) elaborar os papeis de trabalho de acordo com os procedimentos de auditoria.(FCC/SEFAZ-PE/2014) – O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. (B) da auditoria interna. 22.br Prof. 36 . confidencialidade. No relatório do auditor independente deve constar que a elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil é de responsabilidade: (A) do controle interno. (B) obter evidência de auditoria apropriada e suficiente. (D) realizar a auditoria de acordo com os procedimentos definidos. (E) da administração. A descrição deve incluir uma explicação de que a administração é responsável pela elaboração das demonstrações contábeis de acordo com a estrutura de relatório financeiro aplicável e pelos controles internos que a administração determinar serem necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis que não apresentem distorção relevante.

37 . o julgamento profissional é necessário.thcursos. o auditor deve obter evidência de auditoria apropriada e suficiente para reduzir o risco de auditoria a um nível baixo aceitável e. a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de evidências de auditoria. GABARITO: A COMENTÁRIO: Segundo a NBC TA 200. 24 . (B) A natureza. a natureza. Assinale-o. avaliar se foi obtida evidência de auditoria suficiente e apropriada e se algo mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs e. (E) A extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas. (D) A avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de relatório financeiro aplicável da entidade. por exemplo. pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas pela administração na elaboração das demonstrações contábeis. com isso. para obter segurança razoável.com. nas decisões sobre:    materialidade e risco de auditoria. à exceção de um. o julgamento profissional é necessário para a tomada de decisões nos assuntos a seguir.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. possibilitar a ele obter conclusões razoáveis e nelas basear a sua opinião. GABARITO: B COMENTÁRIO: Segundo a NBC TA 200. (A) A subjetividade e as evidências de auditoria para cumprimento das metas de resultados operacionais e financeiros da empresa. com isso. em particular. os objetivos gerais do auditor. Ted Jefferson (E) avaliar o controle interno. (C) As evidências de auditoria obtidas são suficientes e apropriadas ou se algo mais precisa ser feito para que sejam cumpridos os objetivos das NBC TAs.br Prof. a época e a extensão dos procedimentos de auditoria aplicados para o cumprimento das exigências das normas de auditoria e a coleta de evidências de auditoria.(FGV/ACI-PE/2014) De acordo com a NBC TA 200.

extração de conclusões baseadas nas evidências de auditoria obtidas. (C) ceticismo profissional.(FCC/TCE-RS/2014) O auditor está sujeito às exigências éticas e deve sempre estar alerta. (B) perfil investigativo do auditor. (C) capacidade de percepção do auditor.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Ted Jefferson avaliação das opiniões da administração na aplicação da estrutura de relatório financeiro aplicável da entidade. pois o auditor leva em conta a materialidade e não a subjetividade. Esse estado é denominado (A) alerta constante por parte do auditor. (D) ceticismo profissional do auditor. (E) conformidade legal. (E) ética profissional do auditor. Dessa forma. (B) evidência funcional.thcursos. a letra A está errada. pela avaliação da razoabilidade das estimativas feitas pela administração na elaboração das demonstrações contábeis. Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria. como informações que coloquem em dúvida a confiabilidade de documentos e respostas. GABARITO: C COMENTÁRIO: Segundo a NBC TA 200.br   Prof. à condição que possa indicar fraude. por exemplo. 26 . GABARITO: D 38 . (D) condução apropriada. por exemplo.(FGV/ISS-RECIFE/2014) O reconhecimento pelo auditor de que existem circunstâncias que podem causar distorção relevante nas demonstrações contábeis revela o requisito ético relacionado à auditoria de demonstrações contábeis. 25 .com. denominado: (A) julgamento profissional.

definem auditoria como um exame analítico e pericial das operações contábeis. (C) cumplicidade do auditado com a auditoria. GABARITO: D COMENTÁRIO: Segundo o item A45 da NBC TA 200. Uma das fontes de limitação inerentes a uma auditoria é a (A) capacidade técnica do auditor. e • necessidade de que a auditoria seja conduzida dentro de um período de tempo razoável e a um custo razoável. (B) idade média dos registros contábeis. 39 . desde o início até o balanço.br Prof. (D) necessidade de que seja realizada num período de tempo razoável. (E) finalidade social da instituição auditada. (B) controlar os procedimentos contábeis para evitar que informações de interesse da instituição auditada sejam divulgados.com. Concordo com o gabarito. Concordo com o gabarito. Ted Jefferson COMENTÁRIO: Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria. 28 . de uma maneira geral.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Nos termos da NBC TA 200. o objetivo da auditoria é (A) levantar informações suficientes e adequadas que permitam comparar as metas fixadas com os resultados alcançados.(FCC/TCE-RS/2014) Os manuais.thcursos. 27 . as limitações inerentes de uma auditoria originam-se da: • natureza das informações contábeis. • natureza dos procedimentos de auditoria.(FCC/TCE-RS/2014) Nenhuma auditoria pode garantir segurança absoluta de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção.

o _______________ é a postura que inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção. devido a erro ou fraude.com. o objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso inclui questionar evidências de auditoria contraditórias e a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações e outras informações obtidas junto à administração e aos responsáveis pela governança. (D) estabelecer metodologia para ação integrada de todos os setores da instituição auditada.thcursos. 30 . Ted Jefferson (C) aumentar o grau de confiança das demonstrações contábeis por parte dos usuários. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável. 29 – (SEFAZ/RS/2014) De acordo com a NBC TA 200. (E) apurar e consolidar irregularidades contábeis em relatório para subsidiar eventual investigação de ilícitos administrativos e penais. GABARITO: C COMENTÁRIO: Segundo o item 3 da NBC TA 200. em todos os aspectos relevantes. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas. e uma avaliação crítica das evidências de auditoria. A alternativa que preenche corretamente a lacuna do trecho acima é: A) plano de trabalho B) ceticismo profissional C) relacionamento com o cliente D) auditor interno E) trabalho conjunto GABARITO: B COMENTÁRIO: Segundo o item A20 da NBC TA 200. o ceticismo profissional é necessário para a avaliação crítica das evidências de auditoria.br Prof.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Isso é alcançado mediante a expressão de 40 .(FCC/TCE – RS/2014) O objetivo de uma auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários.

confidencialidade e ceticismo profissional. julgamento profissional e confidencialidade. em conformidade com as NAT TCE. (C) governamental. em conformidade com as NBC TA. (E) de regularidade. 31 – (FGV/ISS-CUIABÁ/2014) De acordo com o Código de Ética Profissional do Contabilista e da NBC PA 01. norma técnica de auditoria independente. Os princípios fundamentais de ética profissional relevantes para o auditor quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis estão implícitos no Código de Ética Profissional do Contabilista e na NBC PA 01. assinale a opção que indica princípios fundamentais de ética profissional quando da condução de auditoria de demonstrações contábeis. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro. em conformidade com as NAT TCE. em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável. em todos os aspectos relevantes.thcursos. GABARITO: A COMENTÁRIO: ZIO C3 ITEM A15 da NBC TA 200. que trata do controle de qualidade. zelo profissional e objetividade. (E) Ceticismo profissional.com. (B) governamental. (B) Competência. em todos os aspectos relevantes. (A) Integridade. GABARITO: D COMENTÁRIO: Segundo a NBC TA 200. (D) Conhecimento.br Prof. em conformidade com as NAG TCU. o objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. (C) Integridade. Esses princípios estão em linha com os princípios do 41 .CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas. Esta declaração identifica a auditoria (A) operacional. Ted Jefferson uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas. objetividade e comportamento profissional. (D) independente. conduta profissional e julgamento profissional. em conformidade com as NAG TCU.

A independência do auditor frente à entidade salvaguarda a capacidade do auditor de formar opinião de auditoria sem ser afetado por influências que poderiam comprometer essa opinião. a independência aprimora a capacidade do auditor de atuar com (A) confiabilidade. Segundo a NBC TA 200. Competência e zelo profissional. Esses princípios são: (a) (b) (c) (d) (e) Integridade.com. ser objetivo e manter postura de ceticismo profissional. exigido pelo Código de Ética Profissional do Contabilista e pelas normas profissionais do CFC. 42 .thcursos. exigido pelo Código de Ética Profissional do Contabilista e pelas normas profissionais do CFC. Objetividade. A independência aprimora a capacidade do auditor de atuar com integridade. (E) imparcialidade. (B) confiança. Confidencialidade. Objetivos Gerais do Auditor Independente e a Condução da Auditoria em Conformidade com Normas de Auditoria.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. Ted Jefferson Código de Ética do IFAC. exige-se que o auditor seja independente da entidade sujeita à auditoria. O Código de Ética Profissional do Contabilista e as normas profissionais descrevem a independência como abrangendo postura mental independente e independência na aparência. GABARITO: D COMENTÁRIO: A16. (D) integridade. portanto. portanto. (C) capacidade. 32 – (FGV/ISS-CUIABÁ/2014) No caso de o trabalho de auditoria ser de interesse público e. cujo cumprimento é exigido dos auditores. No caso de trabalho de auditoria ser de interesse público e. se exige que o auditor seja independente da entidade sujeita a auditoria. e Comportamento (ou conduta) profissional.br Prof.

(D) no sentido de reduzir os riscos por ignorar circunstâncias usuais. é responsabilidade: A) Dos auditores independentes. independentemente se causada por fraude ou erro. (B) à conveniência de adotar procedimentos não exigidos pelas normas convencionais de auditoria. C) Do conselho fiscal. B) Dos órgãos reguladores. quando apropriado.br Prof. Nesse sentido.thcursos. (C) para condições que não apresentem indícios de fraude. importa estar alerta (A) a evidências de auditoria que reforcem outras evidências obtidas. Ted Jefferson 33 – (SEFAZ/RS/2014) A elaboração e a adequada apresentação das demonstrações contábeis. dentre outras normas. A NBC TA 200.com.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. D) Da assembleia dos acionistas. dos responsáveis pela governança. 34 – (AUDITOR DE CONTROLE INTERNO NA ESPECIALIDADE DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO/DF/2014) Ao tratar dos objetivos gerais do auditor independente e da condução da auditoria em conformidade com normas de auditoria. GABARITO: B 43 . GABARITO: E COMENTÁRIO: Questão bastante batida. E) Da administração da Companhia. mas que sempre aparece nas provas. o Conselho Federal de Contabilidade menciona como necessária a manutenção do ceticismo profissional ao longo de toda a auditoria. e com os controles internos que foram determinados como necessários para permitir a elaboração de demonstrações contábeis livres de distorção relevante. estabelece que a responsabilidade pela elaboração e apresentação adequada das demonstrações contábeis é da administração e. de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. (E) e generalizar as conclusões acerca de todas as observações colhidas durante a realização dos trabalhos de auditoria.

ao longo dos trabalhos. 35 – (AUDITOR DE CONTROLE INTERNO FINANÇAS E CONTROLE/DF/2014) O ceticismo profissional é necessário para a avaliação crítica das evidências de auditoria. a: • evidências de auditoria que contradigam outras evidências obtidas. (C) O ceticismo inclui a consideração da suficiência e da adequação das evidências obtidas quando não há indícios de risco de fraude. (E) A crença de que os responsáveis pela auditada sejam honestos permite evidências menos que persuasivas na obtenção de segurança razoável. GABARITO: A COMENTÁRIO: ITEM A19 da NBC TA 200. A esse respeito. (D) O auditor deve sempre duvidar de registros e desconfiar de documentos tidos como genuínos. A manutenção do ceticismo profissional ao longo de toda a auditoria é necessária. • condições que possam indicar possível fraude.br Prof. (B) O ceticismo requer vigilância a evidências que estejam em conformidade com outras evidências obtidas. o ceticismo profissional inclui estar alerta. para que o auditor reduza os riscos de: 44 .CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. por exemplo. a única alternativa correta é a que diz que o auditor deve estar alerta à conveniência de adotar procedimentos não exigidos pelas normas convencionais de auditoria. Segundo o item A18 da NBC TA 200. Ted Jefferson COMENTÁRIO: A questão aborda o tema Ceticismo Profissional. • circunstâncias que sugiram a necessidade de procedimentos de auditoria além dos exigidos pelas NBC TAs. (A) A manutenção do ceticismo. Dessa forma. por exemplo. assinale a alternativa correta. • informações que coloquem em dúvida a confiabilidade dos documentos e respostas a indagações a serem usadas como evidências de auditoria.thcursos. é necessária para reduzir os riscos de generalização excessiva das conclusões resultantes das observações de auditoria.com.

julgue os itens abaixo como Verdadeiro (V) ou Falsos (F) e. Se.thcursos. a época e a extensão dos procedimentos de auditoria e ao avaliar os resultados destes. principalmente. • uso inadequado de premissas ao determinar a natureza. em seguida. 45 . II – Obtém-se segurança razoável quando o auditor obtiver evidência de auditoria apropriada e suficiente para a redução do risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo.(FCC/TCE-RS/2014) As NBC TAs − Normas Brasileiras de Contabilidade TAs são escritas no contexto da auditoria de demonstrações contábeis executada por um auditor. (D) interromper imediatamente a auditoria. I – A evidência de auditoria é necessária para fundamentar a opinião e o relatório do auditor. Ela tem natureza cumulativa e é obtida. assinale a opção CORRETA.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. deverá (A) alterar o escopo da auditoria.br • Prof. • generalização excessiva ao tirar conclusões das observações de auditoria. Concordo com o gabarito. uma vez que é obrigatório. o auditor concluir que determinado procedimento estabelecido por uma NBC TA será ineficaz no cumprimento do objetivo dessa exigência. (E) executar o procedimento.(CFC/BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS/2º-2014) Com relação à Evidência de Auditoria apropriada e suficiente.com. Ted Jefferson ignorar circunstâncias não usuais. o auditor deve executar procedimentos de auditoria alternativos para cumprir o objetivo dessa exigência. em circunstâncias excepcionais. a partir dos procedimentos de auditoria realizados durante o curso do trabalho. Em tais circunstâncias. 37 . GABARITO: B COMENTÁRIO: Segundo item 23 da NBC TA 200. durante os trabalhos de auditoria. conforme a NBC TA 500 – Evidência em Auditoria. o auditor pode julgar necessário não considerar uma exigência relevante em uma NBC TA. (B) executar procedimento alternativo. (C) comunicar o fato ao Conselho Federal de Contabilidade. 36 .

III) ERRADA. Como explicado na NBC TA 200. ITEM A1 da NBC TA 500.CURSO EM PDF – AUDITORIA – ISS CUIABÁ 2016 www. o risco de que o auditor expresse uma opinião não apropriada quando as demonstrações contábeis apresentam distorção relevante) a um nível aceitavelmente baixo. não compensa a sua má qualidade. A obtenção de mais evidência de auditoria compensa a sua má qualidade. a obtenção de mais evidência de auditoria. A suficiência e adequação da evidência de auditoria estão inter-relacionadas. Ted Jefferson III – A suficiência e a adequação da evidência da auditoria estão interrelacionadas. Porém. ITEM A3 da NBC TA 500. Ela tem natureza cumulativa e é obtida principalmente a partir dos procedimentos de auditoria realizados durante o curso do trabalho. item 5.br Prof.thcursos. A evidência de auditoria é necessária para fundamentar a opinião e o relatório do auditor. ITEM A4 da NBC TA 500. II) CERTA.com. A sequência CORRETA é: a) FFF b) VFV c) VVF d) VVV GABARITO: C COMENTÁRIO: I) CERTA. obtém-se segurança razoável quando o auditor obtiver evidência de auditoria apropriada e suficiente para a redução do risco de auditoria (isto é. 46 .