You are on page 1of 12

Andrezza Maiolini

Bruce Eder
Gabriela Assis
Gilberto Francisco da Silva
Juarez Paz Fonseca
Luiz Roberto de Souza
Luiz Augusto Terra
Roseane Gouvêa

Radiação Solar – Câncer de Pele

Poços de Caldas
2015

Professor: Bruno Reis Bastos de Souza Poços de Caldas 2015 Sumário .Radiação Solar – Câncer de Pele Trabalho referente à matéria de Legislação. Segurança e Medicina do Trabalho. e ao Curso de Engenharia de Controle e Automação. da Faculdade Pitágoras Poços de Caldas.

........................06 2........................... seus Sintomas e Tratamentos .............4 Atividades expostas ao risco de doenças .........................Referências Bibliográficas ...........................................NR-15 ........................................ Câncer de Pele..3 Consequências da radiação solar no ser humano ..............................04 2.............................................................13 ....................................................... Conclusão .............................10 4...........................2 Como evitar .......05 2...............................07 3..........................................................................4...........................1 Como identificar .................................................06 2..............05 2..............................................07 3.................................... Radiação Solar .1 Incidência Solar ...................................05 2.1 Introdução ..................................................2 Fototipos de Pele ..............................................1 Adicional de Insalubridade na Exposição Solar............12 5 ..............................................................................................................................10 3..................................................................

Introdução 1. Apresentar atividades expostas ao risco de doenças. Como se sabe. Por isso. nossa única proteção na atmosfera contra os raios ultravioleta está sendo destruída dia a dia pelo homem e sua evolução. a exposição à radiação ultravioleta sem meios adequados de proteção pode ser danosa à pele e à saúde. ocasiona uma variedade de efeitos patológicos. alterações imunológicas e neoplasias. seus sintomas e tratamento. uso adequado de barreiras químicas e/ou físicas. como queimaduras. A radiação ultravioleta da luz solar é crucial para a síntese de vitamina D na pele e em outros aspectos fisiológicos da vida humana.2 Objetivo:    Apresentar a definição de Radiação Solar. Comentar os tipos de câncer causados pela radiação solar. As alterações induzidas pela radiação ultravioleta podem ser atenuadas ou evitadas com o uso de roupas apropriadas. o tipo de doença mais frequente no ambiente de trabalho é o câncer de pele. mudanças de hábitos e cautela no uso de medicamentos fotossensibilizantes. mudanças de pigmentação da pele.4 1. por isso.1 Tema:  Radiação Solar – Câncer de Pele 1. na junção dermo-epidérmica e na derme são características singulares e exclusivas do dano solar. Entretanto. Embora existam vários tipos de doenças causadas pela radiação solar. escolhemos focar nosso trabalho nele. 2. Uma série de alterações estruturais na epiderme. Radiação Solar .

mesmo que tomem Sol juntas (no mesmo período do dia e com a mesma duração de tempo). RUVB (280 – 320nm) causador de queimaduras. Cerca de metade desta energia é emitida como luz visível na parte de frequência mais alta do espectro electromagnético e o restante na do infravermelho próximo e como radiação ultravioleta. A mais famosa classificação dos fototipos cutâneos é a escala Fitzpatrick. por isso. Visíveis (400 – 800nm) percebida através das cores e as Infravermelhas (acima de 800nm) sentidas na forma de calor.2 Fototipos de Pele Cada pessoa reage de forma diferente à exposição solar. Como a energia da radiação solar aumenta com a diminuição do comprimento de ondas a radiação ultravioleta é a mais energética e o principal agente etiológico para doenças oculares e da pele. Ele elaborou sua escala a partir de visualizações empíricas. criada em 1976 pelo dermatologista e diretor do departamento de Dermatologia da Escola de Medicina de Harvard. Fitzpatrick classificou a pele em fototipos a partir da capacidade de cada pessoa em se bronzear sob exposição solar e sua sensibilidade e tendência a ficar vermelhas sob os raios solares. A radiação solar é indispensável para a vida na terra. responsável pelo clima e diversos processos tais como físicos. fazendo-se necessário o uso constante de protetores solares. Sendo a RUV dividida em RUVA (320 – 400nm) que é responsável pelo bronzeamento. eritema. biológicos e biofísicos. em particular aquela que é transmitida sob a forma de radiação electromagnética. e classificou a pele de cada um como sendo potencialmente de uma das seis classificações listadas a seguir (grupo.5 Radiação solar é a designação dada à energia radiante emitida pelo Sol. sendo a maior fonte de energia terrestre. 2. a incidência solar é alta durante grande parte do ano. Fitzpatrick. envelhecimento precoce e responsável pela vitamina D e o RUVC (100 – 280nm) o mais energético usado como germicida. 2. Os raios ultravioleta são mais intensos entre as 10 e 16 horas. Ela pode ser benéfica ou tóxica para a pele humana. A maior parte de seu espectro que chega à Terra é formado predominantemente por radiação Ultravioleta (100 – 400nm) caracterizadas por reações fotoquímicas. Thomas B. O motivo são os fototipos diferentes.2 Incidência Solar O Brasil é um país tropical. que tornam a pele mais ou menos sensível às radiações. período em que as exposições devem ser evitadas. . E com o lançamento do CFC na atmosfera diminui a camada de ozônio e aumenta a incidência de RUVC e RUVB na superfície da terra e consequentemente os índices de doenças relacionadas a eles (OKUNO. A incidência dos raios ultravioletas em latitudes próximos ao equador é bem mais intensa. pigmentação e sensibilidade ao Sol). 2005).

tais como queimaduras. atividades repetitivas. Observaram-se nos trabalhos realizados em ambientes abertos. envelhecimento cutâneo prematuro e cancro da pele. a não ser que se protejam do sol. A sensibilidade à luz solar varia conforme a origem. estudos mostram que tomar sol melhora a imunidade e ajuda a prevenir doenças. mas todo mundo é vulnerável em determinado grau. Algumas atividades estão mais expostas à radiação solar que outras. Os albinos não têm melanina na sua pele. a exposição prévia e a cor da pele.4 Atividades expostas ao risco de doenças Doses altas de radiação podem provocar a morte em poucos minutos. Algumas atividades expostas ao risco de doenças causadas por radiação solar são: . e riscos ergonômicos. Entretanto. o excesso da radiação solar tem efeitos contrários e graves para a saúde.3 Consequências da radiação solar no ser humano Tomar sol é uma prática saudável e milenar. como consequência. frio. são mais resistentes aos efeitos negativos do sol. etc. Os albinos. sendo que esses benefícios são em grande parte devido à produção da vitamina D. Além isso. chuva e radiação não ionizante. desenvolvem cancros da pele ainda muito novos. riscos químicos em algumas situações –utilização de agrotóxicos. As pessoas com vitíligo têm zonas da pele sem melanina e por consequência podem sofrer queimaduras solares graves. Como as pessoas com pele escura têm mais melanina. 2. Pessoas que trabalham em ambientes fechados não sofrem os riscos que outras pessoas que exercem trabalho em ambiente aberto sofrem. não se bronzeiam e até se queimam gravemente com uma breve exposição ao sol. etc . O dano provocado nas camadas mais profundas da pele provoca rugas e uma coloração amarelada. adubos. riscos físicos – como poeira. A radiação solar também torna a pele mais fina e pode induzir o aparecimento de formações pré-cancerosas Os indivíduos expostos durante muito tempo ao sol correm maior risco de contrair cancros da pele. e algumas pessoas exercem atividades em céu aberto o dia inteiro.postura durante o trabalho.6 I – Branca – Sempre queima – Nunca bronzeia – Muito sensível ao Sol II – Branca – Sempre queima – Bronzeia muito pouco – Sensível ao Sol III – Morena clara – Queima (moderadamente)– Bronzeia (moderadamente) – Sensibilidade normal ao Sol IV – Morena moderada – Queima (pouco) – Sempre bronzeia – Sensibilidade normal ao Sol V – Morena escura – Queima (raramente) – Sempre bronzeia – Pouco sensível ao Sol VI – Negra – Nunca queima – Totalmente pigmentada – Insensível ao Sol 2. calor.

felizmente. é o tipo menos agressivo.4. causando alterações celulares que podem levar ao câncer. serão consideradas insalubres em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho.  Esportistas . Pessoas que tomaram muito sol ao longo da vida sem proteção adequada têm um risco aumentado para câncer de pele.  Construtores civis.  Carteiros.  Entre outras atividades. que dificilmente invade outros tecidos e causa metástase. seus Sintomas e Tratamentos O câncer da pele é o tipo de tumor mais incidente na população . Câncer de Pele. pescoço e . Essa NR também estabelece os limites de tolerância para a exposição solar.7  Trabalhadores rurais. O carcinoma basocelular apresenta crescimento muito lento. Os três tipos de câncer de pele são:  Carcinoma Basocelular O carcinoma basocelular é o tipo de câncer de pele mais comum. dando origem ao tumor. 3. comuns da pele.  Alpinistas.mas. registrados no Ministério do Trabalho. Qualquer célula que compõe a pele pode originar um câncer.1 Adicional de Insalubridade na Exposição Solar – NR-15 A NR-15 estabelece que as atividades ou operações que exponham o trabalhador a radiações não ionizantes. será feita através de perícia a cargo de Médico do Trabalho ou Engenheiro do Trabalho. constituindo 70% dos casos . Ele leva esse nome por ser um tumor constituído de células basais. Sintomas: O carcinoma basocelular pode apresentar apenas uma aparência levemente diferente da pele normal.cerca de 25% dos cânceres do corpo humano são de pele. sendo mais comum no rosto. 2. concedendo o direito ao adicional de insalubridade para os trabalhadores que exercem atividades expostas ao calor acima dos limites de tolerância estabelecidos. sem a proteção adequada. logo existem diversos tipos de câncer de pele. Quanto mais queimaduras solares a pessoa sofreu durante a vida. Essas células começam a se multiplicar de forma desordenada. maior é o risco dela ter um câncer de pele. É importante destacar que a caracterização e a classificação da insalubridade. segundo as normas do Ministério do Trabalho.  Pescadores. Isso porque a exposição solar desprotegida agride a pele. O câncer de pele é definido pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele.

podendo vazar algum líquido. . apesar de ser o mais grave. ocorrendo em todas as etnias e com maior frequência no sexo masculino. mudanças na pigmentação e perda de elasticidade. Ele apresenta como uma mancha ou caroço (nódulo) que mostra sinais de dano solar na pele. olhos. melanoma lentigioso acral. como enrugamento.8 outras partes que ficam muito expostas ao sol. O carcinoma espinocelular se forma a partir das células epiteliais (ou células escamosas) e do tegumento (todas as camadas da pele e mucosa). Frequentemente. tem cotr avermelhada. como couro cabeludo e orelha. sangra com facilidade. sendo responsável por cerca de 20% dos tumores cutâneos não melanoma. mas sua incidência está aumentando no mundo inteiro. sendo que 70% dos casos ocorrem sobre a cabeça (couro cabeludo e orelha). Há diversos tipos clínicos de melanoma. Embora o câncer de pele seja o mais frequente no Brasil e corresponda a 25% de todos os tumores malignos registrados no país. melanoma maligno disseminado e melanoma maligno lentigo. se parece com uma ferida que não cicatriza.  Carcinoma Espinocelular O carcinoma espinocelular é o segundo tipo mais comum de câncer de pele. Sintomas: As localizações mais comuns para o aparecimento do carcinoma espinocelular são as áreas expostas ao sol. rosa claro. Ele se parece com uma protuberância (nódulo) que tem aparência perolada. membranas mucosas e genitais. bege ou marrom. é um câncer com grande letalidade. são estimados mais de 6 mil novos casos de melanoma por ano. orelhas. Portanto. e 15% desses tumores acometem os membros superiores. pode formar crosta e vazar algum líquido. com descamação e crostas no local. É comum na boca e pode ocorrer também nas membranas mucosas e genitais. Ele apresenta maior capacidade de metástase do que o carcinoma basocelular. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). Um dos tumores mais perigosos. inclusive no cérebro e coração. se parece com uma ferida que não cicatriza  Melanoma O melanoma é tumor maligno originário dos melanócitos (células que produzem pigmento) e ocorre em partes como pele. pode ser branca. como o melanoma nodular. criando metástases. o melanoma representa apenas 4% das neoplasias malignas do órgão. O melanoma cutâneo tem incidência bem inferior aos outros tipos de câncer de pele. trato gastrointestinal. caso não seja retirado com rapidez. Sua evolução é mais agressiva e pode atingir outros órgãos. o carcinoma espinocelular cresce nas áreas mais expostas ao sol. tem aparência mais endurecida. pescoço e dorso das mãos. sendo mais predominante em pacientes a partir da sexta ou sétima década de vida. tem crescimento rápido (em geral meses). o melanoma tem a capacidade de invadir qualquer órgão. como se fosse recoberto de cera.

ou quando uma lesão antiga tiver algum tipo de modificação. Tratamento: O tratamento para os três tipos de câncer de pele é a cirurgia para retirada do tumor. farmacêutica e metalúrgica.minas e fundições de arsênico. Há outras situações em que a cirurgia somente pode não ser suficiente para a retirada total do tumor. enquanto outras podem ter apenas uma ou duas características incomuns. algumas pessoas podem não ter indicação para cirurgia .exposição à radiação solar (pescadores e agricultores) e na indústria. mineiros de urânio. Por isso. É importante procurar um médico sempre que notar uma nova lesão. incluir coceira. Entretanto.9 Sintomas: Os primeiros sinais e sintomas de melanoma são frequentemente:  Uma mudança em uma mancha ou pinta existente  O desenvolvimento de uma nova mancha ou pinta bem pigmentada ou de aparência incomum em sua pele  Outras mudanças suspeitas podem sangramento e a não cicatrização da área.no geral idosos com alguma comorbidade ou pessoas acamadas.490 mulheres (2014)  Número de mortes: 2. fundições de cobre. alcatrão.1 Como identificar Algumas doenças podem mostrar todas as alterações citadas. e trabalhos expostos a asfalto. o médico pode indicar outros tratamentos para erradicação câncer. Câncer de Pele nas Empresas  radiação ultravioleta . como a Excisão cirúrgica (ressecção).241 homens e 980 mulheres (2014). Terapia fotodinâmica. Crioterapia. Radioterapia. que tem dificuldade de locomoção.  arsênico . ceras de parafinas e óleos lubrificantes.221.680 homens e 81. produção de pesticidas.170. Dados Estatisticos:  Estimativa de novos casos: 154. piche. Cirurgia de Mohs. sendo 1. Pomadas imunomoduladoras. Existe uma regra didática para os pacientes. produção de pigmentos de tintas e. ou que o comportamento deste possa pedir outras medidas.  óleos minerais ou xistosos. qualquer novo sinal na pele ou mudança em uma pinta/mancha que já existia deve servir de alerta para procurar um dermatologista. curtumes. Curetagem e eletrocoagulação. chamada ABCD. Se apresentarem diferenças deve ser investigado . como regra geral.  radiação ionizante . Nesses casos. comichão.operadores de equipamentos de raio X.coquerias (siderurgia). Laser de CO2. zinco e chumbo. cujo objetivo é reconhecer um câncer de pele em seu estágio inicial:  Assimetria: imagine uma divisão no meio da pinta e verifique se os dois lados são iguais. 3. nas indústrias eletrônicas.  hidrocarbonetos policíclicos aromáticos . sendo 72.

como algumas já citadas nesse trabalho. especialmente pretas. Nossa pele não tem sensor para sentir o impacto dos raios ultravioletas como existe para os raios infravermelhos. preferivelmente coloridas. são menos transparentes à UVB e à UVA e.2 Como evitar Atualmente.  A intensidade dos raios UVA e UVB eritmogênicos do sol que atingem a Terra é maior entre as 11 horas da manhã e 2 horas da tarde. o nariz e o queixo. Quando aplicados apropriadamente. são excelentes. por isso. Roupas escuras. nylon e dacron. . os bloqueadores solares químicos e físicos modificam as propriedades ópticas da pele e previnem os efeitos deletérios das radiações UVA e UVB. Nem todas as pessoas do mundo têm o mesmo risco para o desenvolvimento de câncer de pele e envelhecimento precoce. Materiais sintéticos como poliester. etc. 3. Chapéus e guarda-sóis são de muita ajuda em minimizar o dano à pele e ao couro cabeludo. Roupas justas. Chapéus de aba larga protegem as orelhas. podem ser pouco confortáveis. tendem a diminuir a quantidade de penetração de UVR na pele. A proteção contra os efeitos adversos da UVR na pele deve incluir a prevenção de várias doenças.  O uso regular de protetores solares é importante para a prevenção de dermatoheliose e o câncer de pele. serrilhada. não uniforme  Cor: verificar se há várias cores misturadas em uma mesma pinta ou mancha  Diâmetro: veja se a pinta ou mancha está crescendo progressivamente. são:  O tipo de roupa pode servir como filtro solar contra a penetração da UVR. por isso. Algumas medidas de obter a proteção contra a radiação solar. Assim. é muito importante proteger o nosso corpo dos efeitos indesejáveis da exposição solar. são mais protetores. mas absorvem a luz e a radiação infravermelha e.10  Bordas irregulares: verifique se a borda está irregular. O uso de óculos de sol apropriados é muito importante. A cor da pele pode influenciar muito neste fator. evitar os raios solares entre 10 da manhã e 3 da tarde é a única maneira efetiva para reduzir o risco da exposição prolongada a esses raios.

ela também pode ser muito tóxica. vidros refletores de UVA em nossas casas. . E assim percebemos como somos vulneráveis a termos sérios problemas devido a um fator natural. seja por trabalho ou por lazer. caso não se tome os devidos cuidados quanto à dose de radiação solar recebida. estes efeitos trazem benefícios ao ser humano. e que o país situa-se numa zona de alta incidência de raios ultravioleta. Conclusão Após esta revisão sobre a exposição solar concluímos que o Sol é essencial para a vida na Terra e seus efeitos sobre o homem dependem das características individuais da pele exposta. nada mais previsível do que a alta ocorrência de doenças.11 6. Porém. estímulo à produção de melanina com consequente bronzeamento da pele dentre outros. Considerando que grande parte da população brasileira se expõe muito ao sol e de forma descuidada. a radiação solar também pode causar prejuízos ao organismo. automóveis e outras medidas que estão surgindo para nossa maior proteção. Embora a radiação da luz solar seja crucial para a síntese de vitamina D na pele e em outros aspectos fisiológicos da vida humana. Por isso. devemos alterar nossos hábitos de exposição solar com o uso diário de filtros solares.

2005. Juliana. 30.Abraão.  OKUNO. Emico. 1998. Protetores solares. Editora Livraria da Fisica. Radiação ultravioleta: características e efeitos. 2007. p.12 7. Marcos Antonio. ENGLISH. n. 1. 153. VILELA. Marian Rosaly. 2011.  Sociedade Brasileira de Dermatologia  Instituto Nacional do Câncer (INCA) . Riscos à Saúde da Radiação Ultravioleta. Robert. Patricia. Maria Apparecida Constantino.  JUCHEM. Julio. CORREA. WINOGRON. Marcos. DAVOLOS. Química Nova. HOCHBERG. v. Saiba como evitar as principais enfermidades que atingem os trabalhadores da construção civil. ARDENGHY. Referências Bibliográficas  FLOR.  NAKAMURA. J.