You are on page 1of 5

Raiva

Ter um dia de fúria é normal - e a culpa é do seu lado mais primitivo, que pode transformar uma
pequena faísca em uma enorme explosão
Quanto mais queremos algo, mais raivosos ficamos se impedidos. São as amídalas entrando em
ação. Os sentimentos raivosos nascem nessas estruturas que se localizam em uma primitiva
parte do cérebro. Suas respostas a uma ameaça são reguladas pelo córtex, no lobo frontal,
região de funções mais complexas. É ele quem escolhe se vamos argumentar, xingar ou bater capacidade que nos diferencia dos animais, incapazes de ponderar.

Descontrole total
Se você for do tipo pavio curto, a razão pode estar no cérebro - e na genética.
São também os genes que desempenham papel importante nos níveis de certos
neurotransmissores, como a serotonina e a dopamina - ambos envolvidos na agressividade. A
serotonina pode influenciar naquela conversinha entre as amídalas e o córtex pré-frontal que
controlaria a raiva, diz a cientista.
Por isso, ficamos irritados quando estamos com fome ou cansados - nessas situações, ocorre
uma flutuação dos níveis de serotonina. Em um estudo da Universidade de Cambridge,
descobriu-se que quem tem uma tendência natural a se comportar agressivamente tem a
comunicação ainda mais fraca entre as duas partes do cérebro após a redução do
neurotransmissor - ou seja, fica mais difícil para o córtex segurar a raiva primitiva gerada pelas
amídalas. Essa comunicação deficiente faz com que, em vez de respirar, ponderar e contar até
10, o sujeito se deixe dominar pela fúria.
Acha que a briga entre aqueles dois marmanjos começou por ter "muita testosterona junta"?
Partes do cérebro envolvidas na raiva são realmente sensíveis a hormônios como esse,porém
pesquisadores afirmam que a testosterona pode ser capaz de agravar uma tendência agressiva já
em andamento, mas não é a origem de um comportamento agressivo.
Cérebros e corpos femininos e masculinos respondem basicamente da mesma maneira quando
as amídalas decidem virar a chave para o modo raiva. Homens tendem a ter atitudes mais
violentas do que mulheres, mas circunstâncias diferentes podem levar a diferentes tipos de
agressão, todo mês as mulheres têm o equilíbrio mental desafiado pela tensão pré-menstrual
(TPM). De novo, a serotonina tem seu papel. "Fatores hormonais provocam alteração da
concentração da serotonina e, por isso, o humor passa a variar de acordo com essa oscilação.

caso precisemos lutar. Dentes Ficam à mostra . alguns descrevem perda da visão periférica. Quando a progesterona está alta. ela destrói a serotonina mais rapidamente.o que faz a fronte parecer maior e protege a visão. Um dia de fúria O ataque de raiva costuma durar não mais de 15 minutos. O sangue vai mais para as mãos do que para as pernas . Ainda bem.não está completamente desenvolvido até o fim da adolescência. crianças e adolescentes perdem o controle mais facilmente porque o lobo frontal responsável pela tomada de decisão de atacar ou recuar . se partirmos para a briga. e a sua falta causa os sintomas da TPM . . Em momentos de raiva intensa. suor. o que serviria para diferenciar o rosto masculino do feminino ou infantil. No cérebro Hipotálamo Responsável pelas respostas fisiológicas: coração disparado. Em geral. Conforme ficamos mais maduros.pela mesma razão dos macacos: mostrar ao inimigo que somos capazes de morder. que servirá de "combustível" para órgãos e músculos. e não para correr.Quando o estrogênio está alto.e a fúria feminina que parece vir de lugar nenhum. Sobrancelhas A testa se franze e os olhos ficam menores . a possibilidade de termos ataques de cólera diminui consideravelmente. indicando grandes níveis de testosterona.o que permite maior entrada de oxigênio. rosto vermelho. o neurotransmissor permanece mais tempo no organismo. lembra Ewbank. Mas muitas coisas acontecem no cérebro e no corpo Narinas Elas se abrem . Mandíbula A região fica cerrada.nos preparando para lutar.

FOGO BRANDO A irritação seria um "primeiro grau" da raiva. mas uma forma negativa é a que motiva o bullying e o preconceito. mas quebra o que estiver ao redor.e quando ela vira um problema LABAREDAS DESCONTROLADAS O grau máximo vem com desejo de destruição. gritos) são as primeiras da lista. a raiva não leva a piores consequências.Amídalas Avaliam a reação de acordo com o que foi visto ou ouvido e decidem se você vai ficar com medo ou com raiva. Córtex pré-frontal Corrige possíveis erros e determina nossa reação. e o ponto extremo seria matar alguém como expressão do ódio. Esquentadinho ou em chamas? A ira é um pecado de diferentes graduações. FOGO ALTO O irado pode não agredir alguém. aquela que surge quando. As respostas mais primitivas (socos. FOGO MÉDIO Neste estágio. As mais complexas. você defende com maior ênfase seu ponto de vista. são as últimas. em uma conversa. PODE SER SAUDÁVEL? . como se irritar com várias pessoas diferentes ao longo do dia. Veja até que ponto pode chegar a fúria . influenciadas por questões morais. ALERTA VERMELHO A raiva passa a ser excessiva quando episódios ocorrem repetitivamente.

com.sem ela. tonturas. fala Neves Neto. essas "descargas" de raiva podem acarretar doenças mais graves. Isso sem contar os prejuízos no convívio social e o isolamento que o sentimento pode acarretar. literalmente. Como quase sempre as coisas não saem da forma como a pessoa gostaria. a mente e principalmente as relações. afastando as pessoas que ama de perto de si.A raiva saudável é aquela que nos torna capazes de protestar e nos autoafirmar . "Explosões" A raiva pode começar com uma simples irritação e se transformar em fúria. "Os hormônios por trás da raiva podem se transformar em gatilhos para um infarto cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC)". caso ocorram com muita frequência e intensidade além do aceitável. diz Carvalho. . inquietação e até insônia. "Raiva excessiva maltrata o corpo. que leva indivíduos a ingerirem desenfreadamente comida. Atitudes como inflexibilidade. Fonte: http://super. É como se o corpo. cita a psicóloga. exigência e impaciência transformam o indivíduo em alguém mais raivoso que os demais. seríamos ou muito submissos ou muito explosivos. ela cega". "A forma de se encarar os problemas e adversidade na vida tem relação com o sentir raiva". ela se sente frustrada. "É necessário fazer uma reestruturação cognitiva para que seus pensamentos e crenças de vida possam ser trabalhados e assim ter uma melhora". impedir a comunicação afetiva e a escuta atenta.abril. uma vez que alguém constantemente raivoso se torna desagradável. A raiva também pode levar à obesidade. pelos arrepiados.br/comportamento/raiva Sentir raiva excessiva e de forma constante pode trazer diversos males ao indivíduo ao longo do tempo. Literalmente. se não for controlada ou canalizada corretamente. insegura e ameaçada. A raiva provoca uma descarga de adrenalina muito grande no organismo. alerta Neves Filho. O maior ou menor potencial para se ter este sentimento tem bastante ligação com a personalidade de cada pessoa e com a maneira como ela encara a vida. "Podem surgir problemas como cansaço físico excessivo. falta de memória e problemas gastrointestinais". É responsável por destruir casamentos. já que está por trás do transtorno do comer compulsivo. se preparasse para o ataque. e se torna alvo fácil da raiva. explica a psicóloga. sudorese. perfeccionismo. e leva a alterações fisiológicas como aumento da pressão e dos batimentos cardíacos. vertigens. Ao longo do tempo. tremores.

estão repletas de proteínas chamadas receptores de glicocorticoides. continua ela. sejam de órgãos ou de tecidos. deixando-o calmo novamente. Então o coração acelera e o corpo recebe mais oxigênio. realmente impulsivas.megacurioso.com. tomadas de decisões rápidas são feitas. deixando o preparando para lutar ou fugir se for necessário.br/corpo-humano/67279-o-que-acontece-com-o-seu-corpoquando-voce-esta-estressado. Somente depois de algumas horas as substâncias do seu corpo são normalizadas. Expressar a raiva de forma violenta. "O ‘explodir’ geralmente ocorre com pessoas agressivas e muitas vezes com transtorno de personalidade". a adrenalina e outras substâncias químicas entram na corrente sanguínea e viajam pelo corpo.Junto com o estresse do dia a dia. ainda que todo dia vejamos na TV e no noticiário exemplos desse tipo. no entanto. "O problema normalmente se dá quando a pessoa perde controle desse estado emocional e começa a reagir intensamente ao sentimento". Quase todas as nossas células. que combinam com o cortisol e liberam muito mais açúcar no sangue. fala Carvalho. não é considerado um comportamento normal.uol. Fonte: http://noticias.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2013/01/12/sentir-raiva-comfrequencia-pode-prejudicar-a-sua-saude-veja-dicas-para-fugir-deste-sentimento.htm . Daí para agressões físicas ou verbais é um passo.htm O corpo bem mais alerta Quando o cortisol. FONTE(S)  POPSCI Fonte: http://www. nós começamos a sentir os efeitos do estresse nas situações de perigo.com. Nessas situações. diz a médica. "O estresse aumenta ainda mais a irritabilidade e os ataques de raiva podem ser mais intensos". essa raiva pode ser potencializada e transformar a pessoa em uma bomba-relógio prestes a explodir.