Plano de Recuperação de Áreas Degradadas

RELEVO Aspectos naturais de Mato-Grosso

Relevo apresenta as irregularidades da superfície terrestre. O território de Mato-Grosso é composto por um relevo de baixas altitudes, dessa forma, grande parte do espaço estadual é plano. No entanto, esse tipo de relevo se divide em três tipos de compostos, chamados de unidade, sendo todos distintos. São eles: Planalto mato-grossense: formação a partir de planaltos cristalinos e chapadões sedimentares, nesse as altitudes podem variar entre 400 a 800 metros em relação ao nível do mar. Esse planalto tem a função de divisor de águas de importantes bacias, tais como Paraguai e alguns rios da bacia do Amazonas. Planalto Arenítico-basáltico: formado pelos dois últimos elementos, podem ser encontrados no sul de Mato-Grosso. Planalto mato-grossense: se estabelece em uma área rebaixada, já no sul do planalto brasileiro se encontra o divisor entre as duas bacias, Paraguai e Amazonas. A partir dessas considerações, as principais elevações (serras) do relevo contido no Estado do Mato Grosso: Serra dos Parecis; Serra Formosa; Serra do Norte; Serra dos Caiabis; Serra dos Apiacás; Serra do Roncador Além das serras citadas, existe outra variação do relevo que são as depressões, desse modo às duas principais são: Depressão do Alto Xingu; Depressão do Médio Araguaia.

CARACTERIZAÇÃO GEOMORFOLÓGICA DA REGIÃO DE ESTUDO

A área estudada se situa nos domínios geológicos do Grupo Cuiabá, pertencente a Faixa Interna de Dobramentos Paraguai, mais precisamente no compartimento geomorfológico denominado "Baixada Cuiabana", Que se caracteriza pelo predomínio dos terrenos sedimentares de baixa altitude. A área estudada localiza-se a nordeste da área urbana de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, latitude 15°34'43"S e longitude 56°04'77"W, fazendo parte da bacia do rio Cuiabá. O índice pluviométrico está em torno de 1470 mm por ano. O relevo de Cuiabá é de baixa amplitude (altitudes de 145 a 250 metros) em relação do nível do mar. O clima tropical quente sub-úmido típico do planalto central, a região de estudo fica na bacia do Coxipó e na sub-bacia do córrego do barbado. No entorno do parque Massairo Okamura, onde esta

situado a área de estudos do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD), se encontra uma região rica em nascentes de corpos d’agua. Por se trata de uma região mais alto em relação o nível do rio que tangeia a cidade de Cuiabá.

O DOMÍNIO GEOAMBIENTAL DEPRESSÃO CUIABANA “Baixada Cuiabana” Caracteriza-se por um conjunto de superfícies aplainadas modeladas na Faixa Dobrada Neoproterozóica do Alto Paraguai. As Superfícies Aplainadas Inumadas, em extensa superfície recoberta por rampas coluviais. Caracteriza-se por terrenos planos a suavemente inclinados e ocorrência de solos profundos e bem drenados. Apresenta moderada suscetibilidade à erosão laminar ou linear (sulcos, ravinas e voçorocas) em relevo plano sobre solos friáveis e permeáveis. Restrito para disposição de resíduos sólidos. A despeito de esta unidade estar embasada pelos arenitos da Formação Furnas e posicionada numa cota ligeiramente mais elevada em relação ao relevo colinoso da Depressão Cuiabana, optou-se por inserir esta unidade no domínio das depressões por estar, topograficamente, em cotas muito mais baixas que as dos planaltos circunvizinhos. Também abrangendo extensa área, correspondente às bacias dos rios Coxipó e Pari e ribeirão Esmeril em áreas a norte e oeste da cidade de Cuiabá. Topografia Topografia é a ciência que estuda todos os acidentes geográficos definindo a situação e a localização deles pode ficar em qualquer área. Tem a importância de determinar analiticamente as medidas de área e perímetro, localização, orientação, variações no relevo, etc. e ainda representá-las graficamente em cartas (ou plantas) topográficas. A topografia é também instrumento fundamental para a implantação (chamadas locações) e acompanhamentos de obras como: projeto viário, edificações, urbanizações (loteamentos), movimento de terra (cubagem de terra), etc.

Parte da topografia que trata dos métodos e instrumentos empregados no estudo e representação do relevo do solo. O estudo do relevo de um terreno consiste na determinação das alturas de seus pontos característicos e definidores da altimetria, relacionados com uma superfície de nível que se toma como elemento de comparação. Altimetria

Parte da topografia que trata dos métodos e instrumentos empregados no estudo e representação do relevo do solo. O estudo do relevo de um terreno consiste na determinação das alturas de seus pontos característicos e definidores da altimetria, relacionados com uma superfície de nível que se toma como elemento de comparação.

Situação Original (Antes dos Danos) Caracterizar o relevo da área antes dos Danos Ambientais (ex: plano; ondulado; suave ondulado; etc.) A Vegetação Predominante: vegetação de cerrado com arbustos, por se tratar de uma área de garimpo toda sua característica foi alterada inclusive o relevo.

Situação Atual (Após os Danos)

Caracterizar o relevo da área após os Danos Ambientais, informando às alterações que tenham sido efetuadas. Mudança de vegetação típica do cerrado; Ocupação da área por construções; Morte de nascentes da região; Erosões; Compactação do solo.

Área do IFMT- BELA VISTA

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful