You are on page 1of 4

Renata Regina Menezes

FICHAMENTO

SOUZA, Jessé. A ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: Editora da UFMG,
2009 (483p.)

INTRODUÇÃO

O “mito nacional” é a forma moderna por excelência para a produção de um sentimento de
“solidariedade coletiva”, ou seja, por um sentimento de que “todos estamos no mesmo
barco” e que, juntos, formamos uma unidade. Sem a construção de um sentimento de
“pertencimento coletivo” desse tipo, não existe nação no sentido moderno, nem sentimento
de compartilhamento de uma mesma história e de um mesmo destino. P. 29
Para o surgimento de uma nação se faz necessário criar um sentimento de comunidade
acima das diferenças presentes na sociedade. É preciso pensar como unidade e ter, ao
mesmo tempo, noção das diferenças com relação às outras culturas. Como mostrado no
trecho "Ser cidadão implica que nosso pertencimento político não se define por laços
restritivos de sangue ou localidade, e sim pela ideia de uma comunidade maior e mais
geral." P.30
"...as construções de identidades coletivas são sempre, também, processos de
“aprendizado coletivo”. Aprender, seja no sentido cognitivo ou no sentido moral (e esses
dois aspectos estão intimamente relacionados), implica sempre um penoso e difícil
processo de vencer nosso ancestral “egoísmo” e “narcisismo”. Ainda que seja perfeitamente
normal e saudável uma preocupação com a própria sobrevivência e com a persecução dos
nossos interesses individuais, todo processo de aprendizado moral, individual ou coletivo,
implica, antes de tudo, a consideração de interesses e de valores que ultrapassam a esfera
individual mais estreita."
P.30
A importância existencial, social e política desse tipo de construção simbólica é, portanto,
fundamental. Ela revela, por assim dizer, o DNA “simbólico” de uma sociedade. Uma
diferença fundamental entre o DNA individual e o coletivo é que o segundo, diferentemente
do primeiro, é “construído” historicamente. P.31
Já nascemos como seres individualistas, crianças que querem tudo para si, na hora que
lhes convém. Para modificar esse tipo de comportamento já impregnado desde os primeiros
momentos de vida se faz uso da memória social. Personagens, monumentos, costumes,

se vejam como construtores e participantes do mesmo projeto nacional. em alguma medida significativa. O Guarani de José de Alencar é um exemplo disso. origem religiosa. apenas esperando para ser acordado e cumprir seu grande destino dentre os grandes povos da terra. e mais. Estamos todos no mesmo barco e devemos ter orgulho do que já construímos uma sociedade que supostamente une com harmonia os opostos. econômica. a língua e suas singularidades. 32 Esse trecho segue a mesma linha de raciocínio do comentário anterior.etc. seja esta baseada em hábitos comuns. P. além dos personagens principais que constituem um mito de criação da nação mesclando o velho e o novo mundo. Uma nação se constitui apenas quando os nacionais se identificam efetivamente. podemos transmitir tradições e costumes. P. a literatura foi de grande importância. 38 A pacificidade brasileira é vista como uma ação comum. O tema da natureza será recorrente no decorrer do século 19 na prosa. as primeiras noções “positivas” acerca da brasilidade. adicionam a memória individual na coletiva. bela e calma. “deitado em berço esplêndido”. P. do que ainda temos que construir. na poesia. costumes compartilhados ou identidade linguística. É preciso desenvolver a consciência de que antes de qualquer diferença regional. vizinhança ou localidade. 34 A língua é um elemento muito importante para o processo de construção de identidade. paulistas ou pernambucanos. P. não se envolver nem criar conflitos é costume de todo cidadão mantendo assim a harmonia na nação. do que nos permite ser brasileiros com orgulho e não com vergonha. como diz nosso hino. porém específica a questão de unidade dentro das regiões de uma mesma nação. buscando encontrar o maior número de pontos em comum para que ambas sejam construídas em conjunto. A nação implica uma generalização de vínculos abstratos que se contrapõem efetivamente aos vínculos concretos estabelecidos por relações de sangue. Nele é mostrado a natureza brasileira. como gaúchos. A noção de comunidade compartilhada é constituída pela lembrança real ou imaginária de uma tradição comum compartilhada. são todos filhos de uma mesma nação. a natureza brasileira vai oferecer uma primeira imagem. Brasil e Portugal. que vai retirar sua razão de ser de um meio natural exuberante. 35 Nesse caminho de construção da identidade. como “brasileiros” e não mais. por exemplo. Na ausência de aspectos positivos da sociedade. dos mais amplos setores e dos diversos grupos sociais com interesses divergentes ou conflitantes. na construção de nossa literatura e nas imagens de grandeza do grande “país do futuro”. Através dela podemos reconhecer nossos iguais. . A tese de Freyre defende precisamente a unidade substancial dos brasileiros num todo unitário e tendencialmente harmônico. A finalidade aqui é criar um terreno de sentimentos e identidades emocionais comuns que permita que todos.

Sem práticas institucionais e sociais que estimulem e garantam a possibilidade de crítica e a independência de opinião e de ação. A “endogenia de classe”.46 Assim como a identidade nacional é passada à cada indivíduo.. 44 Fato comum em qualquer tipo de sociedade. P. o primeiro deles de modo muito evidente. nem um nem outro tipo de aprendizado. essa falta de ação critica por parte dos cidadãos pode ser considerada como vantagem para aquele que de alguma forma possui mais poder. o fato de as pessoas. transmitem aos filhos. desse modo.as famílias de uma mesma classe social ensinam coisas muito semelhantes aos filhos. Algumas vezes. se casarem dentro de uma mesma classe. ". P. muitas vezes. depois.. valores de uma classe social específica. ao qual estamos dando o nome provocativo de “ralé”. ou seja. Na imensa maioria dos casos lhes falta. ou mais propriamente seu patamar socialmente inferior. é toda uma visão de mundo e de “ser gente” que é peculiar a classe a que pertencem. posto que a maior parte desses pais também não foi a escola ou não teve nenhuma experiência pessoal de sucesso escolar. P. Isso é verdade mesmo em contextos nos quais o conflito e a crítica são as precondições para qualquer ação produtiva como no universo da política e do debate acadêmico e intelectual. todo ele busca passar suas próprias experiências para seus descendentes. em esmagadora maioria. O que os pais. ainda que alguns pais estimulem os filhos a irem a escola. 45 As classes baixas no Brasil. pelo menos. não possuem.O corolário do nosso mito da cordialidade é a aversão a toda forma de explicitação de conflito e de crítica. já famílias que não possuem esse mesmo nível de conhecimento não terão a . que as famílias reproduzem. namorados e. O problema é que não é fácil perceber os modos insidiosos pelos quais as práticas dos poderes dominantes constroem a ilusão de liberdade e igualdade. e é isso que explica que esses filhos de uma mesma classe encontrem amigos. P. Famílias que possuem algum tipo de conhecimento intelectual possivelmente irão ensinar seus filhos a seguirem o mesmo caminho. No sistema... de modo claro e insofismável. da “boca para fora”. não existem indivíduos livres. E não há campo melhor para se desconstruir e criticar as ilusões que reproduzem o poder e o privilégio em todas as suas formas que o universo do senso comum. seja ele aquisitivo ou intelectual. mostra. ou figuras que os substituem. 39 Sem indivíduos capazes de discutir e refletir com autonomia não existe democracia verdadeira. esposas e maridos da mesma classe e comecem todo o processo de novo. a educação segue sendo da mesma forma em boa parte do país. Até os dias atuais. quer tenham consciência disso ou não. os motivos dessa escolha são “cognitivos”. crianças não são levadas a desenvolver um pensamento crítico tornando-se. adultos figurantes dentro da sociedade. na verdade." P. essa junção entre indivíduos de uma mesma classe mostra a provável busca pela afirmação de seus costumes individuais ou comunitários (sendo esse último em escala menor que o da noção nacional) ao obter um casamento com um outro indivíduo que possua o mesmo estilo de vida.42 O povo brasileiro por ter sido "criado" para ter uma essência pacífica acabou perdendo a maior parte de sua noção crítica.

alguns casos em que ao longo da vida os pais ou responsáveis foram adquirindo conhecimentos científicos ou até mesmo empíricos e buscam para seus filhos uma melhoria de vida levando em consideração a que eles mesmos possuíram. salvando-se. . claro.experiência necessária para apresentá-las aos filhos.