You are on page 1of 39

Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

GUIA DE ESTUDO
PARA O
KITÁB-I-ÍQÁN

(O Livro da Certeza)

Título Original: A Study Guide to the Kitáb-i-Íqán


Copyright  1989, National Spiritual Assembly of the Bahá'ís of the United States
Copyright  1989, Assembleia Espiritual local dos Bahá'ís de Lisboa

Tradução: Marco António Oliveira

2ª Edição, Fevereiro 1994

Assembleia Espiritual local


dos Bahá'ís de Lisboa

Lisboa
1994

Pag. 1
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

SUMÁRIO

SUMÁRIO ............................................................................................................................................2
PREFÁCIO...........................................................................................................................................3
1ª SESSÃO: INTRODUÇÃO AO KITÁB-I-ÍQÁN..............................................................................4
1ª PARTE: QUAL É A HISTÓRIA DOS KITÁB-I-ÍQÁN ? .............................................................................5
2ª PARTE: QUAL É O TEMA DO KITÁB-I-ÍQÁN ? ....................................................................................7
3ª PARTE: PORQUÊ LER O KITÁB-I-ÍQÁN ?.......................................................................................... 10
2ª SESSÃO: A PESQUISA E O PESQUISADOR .............................................................................14
1ª PARTE: PORQUÊ PESQUISAR ?........................................................................................................15
2ª PARTE: A PESQUISA ...................................................................................................................... 16
3ª PARTE: IMAGENS DA PESQUISA .....................................................................................................17
4ª PARTE: TRANSFORMAÇÃO .............................................................................................................18
3ª SESSÃO: OS LIVROS SÃO ABERTOS ....................................................................................... 20
1ª PARTE: PORQUE É QUE OS SIGNIFICADOS DOS TERMOS SIMBÓLICOS ESTÃO VELADOS ...................... 21
2ª PARTE: OS EFEITOS DA ABERTURA DOS LIVROS .............................................................................22
3ª PARTE: OS SIGNIFICADOS SÃO REVELADOS.................................................................................... 24
4ª PARTE: APLICAR OS SIGNIFICADOS ................................................................................................ 26
4ª SESSÃO: EXPLORAR OS PRINCIPAIS TEMAS DO KITÁB-I-ÍQÁN .....................................28
ALGUNS TEMAS PRINCIPAIS DO ÍQÁN ................................................................................................ 29
KITÁB-I-ÍQÁN: CIRCUNSTÂNCIAS DA SUA REVELAÇÃO E SUA IMPORTÂNCIA.............33
CIRCUNSTÂNCIAS DA SUA REVELAÇÃO ............................................................................................. 33
A IMPORTÂNCIA DO KITÁB-I-ÍQÁN ....................................................................................................37

Pag. 2
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

PREFÁCIO

É com uma grande alegria que a Assembleia Espiritual local dos Bahá'ís de Lisboa
publica este Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán. Na verdade, são raros os materiais que
oferecem um plano de estudo sistematizado e acessível para aprofundamento das
Escrituras Bahá'ís.

Esperamos que este Guia estimule a leitura do Kitáb-i-Íqán, e permita uma maior
compreensão de todos os seus temas.

O presente Guia de Estudo foi traduzido e adaptado de um outro publicado no jornal


The American Bahá'í, em Outubro e Novembro de 1989. A grande diferença em relação
ao original, consiste no anexo, uma tradução de parte do livro The Revelation of
Bahá'u'lláh: Baghdád 1853-63, de Adib Taherzadeh, onde se descrevem as
circunstâncias da revelação do Kitáb-i-Íqán e a sua importância.

Gostaríamos de expressar o nosso agradecimento à Bahá'í Publishing Trust dos Estados


Unidos que permitiu a publicação deste Guia, e à Editora George Ronald que autorizou
a publicação do anexo.

A Assembleia Espiritual local


dos Bahá'ís de Lisboa

Pag. 3
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

1ª SESSÃO: INTRODUÇÃO AO KITÁB-I-ÍQÁN

 PREPARAÇÃO DO ESTUDO

Materiais: Guia de Estudo, Kitáb-i-Íqán (2ª Ed., 1977), Orações Bahá'ís (Ed. 1983),
Presença de Deus, caderno ou bloco de apontamentos.

Oração: Orações Bahá'ís, (Ed. 1983), nº 73, pags. 56-57. "Enaltecido seja Teu Nome, ó
Senhor meu Deus! És O venerado por todas as coisas e O que a nenhuma venera..."

Meditação: "Se vieres a Deus com todo o teu ser, e se fores atraído para a luz do Reino
de Deus, e ateado com o fogo do amor de Deus, então verás o que não podes ver hoje, e
compreenderás o significado interior da Palavra de Deus e entenderás completamente os
mistérios contidos nos Livros Sagrados". ('Abdu'l-Bahá, Bahá'í World Faith: Selected
Writings of Bahá'u'lláh and 'Abdu'l-Bahá, 2ª Ed., Wilmette, Ill., Bahá'í Publishing Trust,
1976, pag. 391)

Procedimento: As sessões podem ser usadas para aprofundamento individual ou em


grupo. Quer se esteja a estudar individualmente ou em grupo deve-se começar com uma
oração; depois deve-se ler a meditação em voz alta. Seguidamente deve-se aguardar
alguns minutos de silêncio para reflectir sobre a passagem anterior. Se se está em grupo
deve-se gastar cinco minutos a discutir opiniões e pontos de vista. Pode-se tomar nota
sobre as opiniões e pontos de vista, e sobre questões que surjam nesta ou nas sessões
posteriores. (As linhas no Guia de Estudo apenas sugerem locais para parar e escrever
ou discutir.)

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Estudo: No Kitáb-i-Íqán (pag. 107), Bahá'u'lláh afirma que "em cada era, a leitura das
escrituras e dos livros sagrados não visa outro fim senão o de tornar o leitor capaz de
compreender o seu significado e de desenredar os seus mais íntimos mistérios. De outro
modo, apenas a leitura, sem compreensão, não é de proveito permanente para o
homem". O presente Guia de Estudo permitir-lhe-á obter uma maior compreensão do
Kitáb-i-Íqán, um livro que o Guardião afirmou que "devia ser conhecido a fundo por
todo o Bahá'í". A esperança é tocar o coração bem como a mente; assim, oração,
meditação e acção fazem parte do processo de aprendizagem.

Pag. 4
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

A 1ª Sessão é uma abordagem geral do Kitáb-i-Íqán, em que se analisa a sua história,


riqueza e importância. As restantes três sessões exploram os principais temas do Kitáb-
i-Íqán. Na 2ª Sessão - A Pesquisa e o Pesquisador - é analisada a relação entre a
pesquisa, aquilo que é pesquisado e o pesquisador. Na 3ª Sessão - Os Livros são
Abertos - estuda-se as explicações de Bahá'u'lláh para os termos simbólicos usados nos
livros sagrados. A 4ª Sessão permite explorar mais profundamente um tema da sua
escolha. As referências incluem o número da página e da linha (por exemplo, «6:10-
7:3» significa página 6, linha 10, até página 7, linha 3). Todas as referências são feitas
em função da 2ª edição (1977) em língua portuguesa desta obra.

1ª PARTE: QUAL É A HISTÓRIA DOS KITÁB-I-ÍQÁN ?


(20 minutos)

O Kitáb-i-Íqán foi revelado em Bagdade, a capital do Iraque, em 1862, cerca de um ano


e meio antes de Bahá'u'lláh anunciar publicamente a Sua missão no jardim de Ridván.
Durante o período que anteceder o Seu anúncio, Bahá'u'lláh esteve activamente empe-
nhado na reconstrução da comunidade Bábí e preparando-a para receber a Sua posição
como Aquele que o Báb tinha predito - "Aquele que Deus tornará Manifesto".

Bahá'u'lláh escreveu o Kitáb-i-Íqán como resposta às questões que Lhe foram colocadas
pelo mais velho dos três tios maternos do Báb. O tio, Hájí Mirzá Siyyid Muhammad,
não estava convencido que o seu sobrinho, o Báb, podia ser o Prometido do Islão. Ele
estava interessado nos sinais que deviam acompanhar a prometida Revelação e o modo
do seu cumprimento.

Bahá'u'lláh respondeu às questões de Hájí Mirzá Siyyid Muhammad e dispersou as suas


dúvidas, de modo que Hájí Mirzá Siyyid Muhammad reconheceu, com toda a certeza, a
posição do Báb. Ao escrever o Kitáb-i-Íqán, Bahá'u'lláh também cumpriu a profecia do
Báb de que "Aquele que Deus tornaria Manifesto" completaria o texto do inacabado
Bayán Persa (o Livro do Báb).

As questões foram colocadas segundo quatro temas:

1. O Dia da Ressurreição. Deverá haver uma ressurreição corpórea [física] ? O


mundo está repleto de injustiça. Como é que os justos serão recompensados e
os injustos punidos?

2. O Décimo Segundo Imám [sucessor de Maomé] nasceu numa certa altura e


ainda está vivo. Existem tradições que confirmam esta crença. Como é que se
pode explicar isto?

3. A interpretação dos textos sagrados. Esta Causa não parece estar de acordo
com as crenças mantidas ao longo dos anos. Não se pode ignorar o significado
literal dos textos e escrituras sagradas. Como se explica isto?

Pag. 5
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

4. Certos acontecimentos, de acordo com as tradições que nos chegaram dos


Imáns, devem ocorrer no advento do Qá'im [Prometido do Islão]. Alguns
destes foram mencionados, mas nenhum destes ocorreu. Como se explica isto?

(Extraído de BALYUZI, H. M., Bahá'u'lláh: The King of Glory,


Oxford, George Ronald, 1980, pags. 164-165.)

O modo como o Kitáb-i-Íqán foi revelado é, em si, um milagre. Parando apenas para
beber e caminhar, Bahá'u'lláh entoou o texto do Kitáb-i-Íqán no espaço de dois dias e
duas noites, enquanto que o seu amanuense [secretário] registava todas as palavras com
grande rapidez. O original foi transcrito por 'Abdu'lBahá, que tinha então dezoito anos.
Nas margens de algumas páginas, Bahá'u'lláh escreveu, com a Sua própria mão,
correcções e inseriu várias passagens. A cópia original permaneceu na família de Hájí
Mirzá Siyyid Muhammad até 1948, quando foi oferecida a Shoghi Effendi. Este
colocou-a no Edifício dos Arquivos Internacionais Bahá'ís, no Monte Carmelo, em
Haifa, Israel. (Resumo de Dann May)

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Como seriam as questões se fossem colocadas por alguém de origem crista ou


judaica?

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 6
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 Porque é que era importante para Bahá'u'lláh demonstrar a posição do Báb?


_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 SUGESTÕES DE LEITURA

TAHERZADEH, Adib, The Revelation of Bahá'u'lláh: Baghdád 1853-63, Oxford,


George Ronald, 2ª Ed., 1976, pags. 153-59. (Ver Anexo deste Guia de Estudo)

BALYUZI, H. M., Bahá'u'lláh: The King of Glory, Oxford, George Ronald, 1980, pags.
163-165.

2ª PARTE: QUAL É O TEMA DO KITÁB-I-ÍQÁN ?


(30 minutos)

É difícil descrever de uma maneira simples o conteúdo do Kitáb-i-Íqán. Tal como uma
requintada peça de tapeçaria, muitas ideias e temas estão entrelaçados entre si, criando
um trabalho rico, belo e complexo, que pode ser apreciado a muitos níveis. Nesta secção
ser-lhe-á dado uma ampla perspectiva dos "fios" que entraram no "fabrico" do Kitáb-i-
Íqán. A lista que se segue não é, de modo algum, exaustiva. No entanto, espera-se que
proporcione uma estrutura para um estudo posterior e que o leitor possa acrescentar a
lista à medida que continua o estudo do Íqán. Depois de ler as seguintes passagens
deve-se proceder a Actividades de Estudo no final da 2ª parte.

Esta perspectiva geral é recolhida de várias fontes. As quatro questões colocadas pelo
tio do Báb sugerem alguns dos temas do Kitáb-i-Íqán. Shoghi Effendi refere-se ao Íqán
nos seguintes termos:

1. Este Livro "esboça, em linhas gerais, o Grande Plano Redentor de Deus". (Shoghi
Effendi, Presença de Deus, Rio de Janeiro, Editora Bahá'í - Brasil, 1981, pag. 200)

2. "De especial importância é o Livro de Íqán que explica a atitude da Causa em


relação aos profetas de Deus e sua missão na história da sociedade". (De uma carta
escrita em nome de Shoghi Effendi, in The Importance of Deepening Our
Knowledge and Understanding of the Faith, compilação da Casa Universal de
Justiça, Wilmette, Ill., Bahá'í Publishing Trust, 1983, #102, pag. 31)

Pag. 7
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

3. "O Íqán contém as doutrinas básicas da Fé." (De uma carta escrita em nome de
Shoghi Effendi, in The Importance of Deepening... , #97, pag. 30)

4. "O Íqán é o livro mais importante que foi escrito sobre o significado espiritual da
Causa". (Shoghi Effendi, carta datada de 14 de Junho de 1930, in The Light of
Divine Guidance: The Messages of the Guardian of the Bahá'í Faith to the Bahá'ís
of Germany and Austria, Langenhaim, West Germany, National Spiritual
Assembly of the Bahá'ís of Germany, 1985, pag. 37)

5. Em Presença de Deus (pag. 200), Shoghi Effendi indica muitas das principais
ideias que se encontram no Kitáb-i-Íqán: "Num espaço de duzentas páginas":

a) "proclama inequivocamente a existência e a unicidade de um Deus pessoal,


incognoscível, inacessível, fonte de toda a Revelação, eterno, omnisciente,
omnipresente e Todo-Poderoso";
b) "assevera a relatividade da verdade religiosa e a continuidade da
Revelação Divina";
c) "afirma a unidade dos Profetas, a universalidade da sua Mensagem, a
identidade dos seus ensinamentos fundamentais, a santidade das suas
Escrituras, e o carácter duplo das suas posições";
d) "denuncia a cegueira e a perversidade dos sacerdotes e doutores de cada
era";
e) "cita e elucida as passagens alegóricas do Novo Testamento, os versículos
obscuros do Alcorão e as crípticas tradições maometanas que geraram
aqueles mal-entendidos, dúvidas e animosidades que através dos séculos
têm dividido e continuam a dividir os seguidores das principais sistemas
religiosos mundiais":
f) "enumera os requisitos essenciais para que cada um que busca
verdadeiramente possa atingir o objecto da sua busca";
g) "demonstra a validade, a sublimidade e o significado da Revelação do
Báb";
h) "aclama o heroísmo e o desprendimento dos Seus discípulos";
i) "prognostica e profetiza o triunfo mundial da Revelação prometida ao
povo do Bayán";
j) "sustenta a pureza e a inocência da Virgem Maria";
k) "glorifica os Imáms da Fé de Maomé";
l) "celebra o martírio e exalta a soberania espiritual do Imám Hussein";
m) "revela o significado daqueles termos simbólicos, tais como, «Regresso»,
«Ressurreição», «Sêlo dos Profetas» e «Dia do Juízo»";
n) "prenuncia e distingue três etapas da Revelação Divina";
o) "e discorre em termos ardentes sobre as glórias e maravilhas da «Cidade
de Deus» renovada, em intervalos fixos, pela dispensação da Providência,
para orientação, benefício e salvação de toda a espécie humana".

Pag. 8
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

6. Adib Taherzadeh também apresenta um ponto de vista sobre os principais temas


do Kitáb-i-Íqán.
No livro The Revelation of Bahá'u'lláh: Baghdád 1853-63, ele identifica os
seguintes temas na primeira parte (pags. 7-59):

 Motivos para a oposição do homem aos Profetas


 Sinais do Regresso de Cristo
 Interpretação de termos simbólicos que se encontram nos textos sagrados
 Outras razões para a rejeição dos Profetas

Na segunda parte (pags. 63-156), ele identifica os seguintes temas:

 A natureza de Deus e as Manifestações


 A soberania dos Profetas
 O significado dos termos «vida», «morte» e «ressurreição»
 O véu do conhecimento
 Requisitos do verdadeiro pesquisador
 Provas da revelação do Báb
 Antecipação da revelação de Bahá'u'lláh

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Escolha uma ou mais das principais ideias ou temas que foram apresentados e
indique como poderia aplicar este conhecimento.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 9
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 Leia as seguintes passagens do Kitáb-i-Íqán e indique quais as ideias ou temas a


que se referem.

a) 9:7-9:21 d) 135:29-136:23
b) 155:32-156:8 e) 41:13-41:31
c) 132:31-133:6

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 SUGESTÕES DE LEITURA

SHOGHI EFFENDI, A Dispensação de Bahá'u'lláh, 2ª Ed., Rio de Janeiro, Editora


Bahá'í - Brasil, 1985.
 Neste livro, Shoghi Effendi cita excertos do Kitáb-i-Íqán para ilustrar a sua
exposição das verdades fundamentais da Fé Bahá'í. (Ver pags. 28-31)

3ª PARTE: PORQUÊ LER O KITÁB-I-ÍQÁN ?


(30 minutos)

Para os Ocidentais o estilo de escrita do Kitáb-i-Íqán pode parecer algo difícil de


compreender. Muitos dos nomes, exemplos e tradições que Bahá'u'lláh usa como provas
não são familiares para o leitor ocidental médio. Deve-se recordar que o Kitáb-i-Íqán foi
escrito para um muçulmano que tinha perguntas específicas sobre o Báb e que estão
relacionadas com as profecias e tradições muçulmanas. Deste modo, muitos dos
exemplos que Bahá'u'lláh apresenta neste livro provêm do Alcorão - o livro sagrado do
Islão - e das tradições islâmicas. Em muitas ocasiões, porém, Bahá'u'lláh demonstra a
realidade do Báb começando inicialmente por mostrar ao leitor a verdade da sua própria
religião. Ele cita exemplos e provas da história e das escrituras judaicas e cristas. Isto
torna o Kitáb-i-Íqán especialmente valioso como um auxílio no ensino aos Cristãos e
aos Judeus. No final do Kitáb-i-Íqán existe um glossário com nomes e termos pouco
comuns.

Apesar da linguagem do Íqán poder ser desafiadora, pode-se ganhar muito com o seu
estudo. A importância deste livro e os benefícios obtidos com o seu estudo são
explicados nas passagens seguintes.

Pag. 10
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

Enquanto se lê as passagens seguintes apresentadas sob o título "Benefícios do Estudo


do Kitáb-i-Íqán" (ver página seguinte) pode-se sublinhar as palavras ou frases que
descrevem o Kitáb-i-Íqán; pode-se colocar parêntesis ( ) nas frases que sugerem alguma
acção da nossa parte; pode-se sublinhar com dois traços as passagens que descrevem os
benefícios do estudo do Íqán. Nessa secção está incluída um passagem como exemplo.

 POSIÇÃO DO KITÁB-I-ÍQÁN

"Primeiro entre os inestimáveis tesouros produzidos pelo oceano encapelado da


Revelação de Bahá'u'lláh, encontra-se o Kitáb-i-Íqán... Um modelo de prosa persa, de
um estilo simultaneamente original, puro, vigoroso e notavelmente lúcido, incisivo na
sua argumentação e inigualável e irresistível na sua eloquência, este livro, expondo em
linhas gerais o Grande Plano Redentor de Deus, ocupa um lugar único em relação a
qualquer outra obra de toda a literatura Bahá'í, com excepção do Kitáb-i-Aqdas, o Livro
Mais Sagrado de Bahá'u'lláh. Revelado nas vésperas da declaração da Sua Missão,
apresentou à humanidade o «Vinho Especial Selado», cujo sêlo é de «almíscar»,
quebrou os «sêlos» do «Livro» a que Daniel se referiu e patenteou o significado das
«palavras» destinadas a ficarem «fechadas» até ao «tempo do fim»".

(Shoghi Effendi, Presença de Deus, pags. 199-200)

"Bem se pode asseverar que, de todos os livros revelados pelo Autor da Revelação
Bahá'í, este Livro por si só, tendo eliminado as barreiras de longa existência que, de um
modo tão insuperável, vinham separando as grandes religiões do mundo, tem
estabelecido uma base ampla e inatacável para a completa e permanente reconciliação
de seus seguidores".

(Idem, pag. 201)

"Até o Kitáb-i-Íqán ter sido revelado as missões de todos os Profetas de Deus, o


propósito das Suas Revelações e o verdadeiro significado das Suas palavras tinham
ficado por revelar. Com a revelação deste livro, o significado das «palavras» que
segundo Daniel estavam «fechadas e seladas até ao tempo do fim» tornou-se evidente.
O «sêlo» que a Providência, por milhares de anos, havia colocado sobre os Livros
Sagrados de todas as religiões, foi removido".

(Taherzadeh, The Revelation of Bahá'u'lláh: Baghdád, pags. 160-161; ver anexo)

Pag. 11
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 BENEFÍCIOS DO ESTUDO DO KITÁB-I-ÍQÁN

"Se ponderásseis essas explicações no coração, só por um instante, haveríeis


seguramente de encontrar descerrados diante de vossa face os portais do entendimento e
contemplaríeis todo o conhecimento com seus mistérios desvendados ante os vossos
olhos".

(Bahá'u'lláh, Kitáb-i-Íqán, pag. 36)

"... todas as Escrituras e seus mistérios estão condensados neste breve relato, tanto que,
se alguém ponderasse um pouco no coração, descobriria, de tudo o que foi dito, os
mistérios das Palavras de Deus, e compreenderia o significado de qualquer coisa
manifestada por esse Rei ideal".

(Idem, pag. 145)

"Os Livros Sagrados estão cheios de alusões a esta nova dispensação. No Livro de Íqán,
Bahá'u'lláh apresenta a directriz e explica algumas das mais importantes passagens, na
esperança de que os amigos continuem (o estudo das Sagradas Escrituras por eles
próprios) e (desvendem os mistérios que aí se encontram).

O povo, não conseguindo compreender o significado dos símbolos e verdade dos


Versículos Sagrados, pensa que estes são mitos e sonhos irrealizáveis. É (dever dos
amigos) que foram dotados por Bahá'u'lláh com o poder do discernimento (estudar estes
Livros Sagrados), (reflectir sobre as suas passagens) e (ensinar ao desanimado povo da
terra os mistérios que estes contêm)".

(De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi, in Importance of Deepening, #91, pag. 28)

"Deveis formar aulas de estudo e ler os livros importantes que foram publicados,
especialmente o Íqán, que contém as doutrinas básicas da Fé. Aquele que ponderar
sobre esse livro e compreender integralmente os seus significados obterá um claro
entendimento das antigas escrituras e apreciará a verdadeira missão do Báb e de
Bahá'u'lláh".

(De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi, in Importance of Deepening, #97, pag. 30)

"Shoghi Effendi espera que você faça todos os esforços para aprofundar o seu
conhecimento da literatura do Movimento, até estar plenamente familiarizado com o seu
espírito e suas doutrinas. A não ser que obtenha ideias firmes, você nunca poderá
ensinar os outros nem prestar um verdadeiro serviço à promulgação da Fé. De
importância especial, é o Livro de Íqán, que explica a atitude da Causa em relação aos
profetas de Deus e sua missão na história da sociedade".

(De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi, in Importance of Deepening, #102, pag. 31)

Pag. 12
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

"Ele aprova plenamente a ideia de realizar aulas de estudo, pois quanto mais os amigos
aprofundarem o seu conhecimento dos ensinamentos mais firmes e constantes eles se
tornarão e mais determinado será o seu apoio às instituições da Fé. Livros como o Íqán,
Respostas a Algumas Perguntas [Esplendor da Verdade] e The Dawn-Breakers
deveriam ser conhecidos a fundo por todos os Bahá'ís; deviam ler estes livros várias
vezes. Os dois primeiros livros revelar-lhes-ão o significado desta revelação divina,
assim como a unidade de todos os Profetas de antanho. O último livro mostra como a Fé
foi anunciada no mundo e como os seus primeiros aderentes enfrentaram heroicamente
o martírio e o sofrimento no seu desejo de estabelecer a Causa por todo o mundo".

(De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi, in Importance of Deepening, #106, pág. 33)

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Elabore uma lista com os benefícios obtidos com o estudo do Kitáb-i-Íqán.


_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 Escreva uma pequena carta à sua comunidade Bahá'í encorajando os crentes a


estudar o Kitáb-i-Íqán. Não se esqueça de incluir uma frase sobre a sua
importância e sobre os benefícios que podem ser obtidos através do seu estudo.
Isto pode ser feito em pequenos grupos ou individualmente. Se se estiver em
pequenos grupos deve-se partilhar as cartas quando estas estiverem concluídas.
Actividades alternativas poderão ser desenhar cartazes ou planear uma campanha
de divulgação do Kitáb-i-Íqán, tudo sempre com o mesmo objectivo: encorajar
outras pessoas a estudar o Íqán.

**********

Preparação da 2ª Sessão - A Pesquisa e o Pesquisador: Ler e meditar sobre as


passagens 7:1-9:6 e 118:21-122:16. Reflectir sobre aquilo que o pesquisador procura, o
propósito da pesquisa, a condição do pesquisador, e as consequências de reunir os requi-
sitos.

Pag. 13
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

2ª SESSÃO: A PESQUISA E O PESQUISADOR

 PREPARAÇÃO DO ESTUDO

Materiais: Guia de Estudo, Kitáb-i-Íqán (2ª Ed., 1977), Orações Bahá'ís (Ed. 1983),
Selecção dos Escritos de Bahá'u'lláh, caderno ou bloco de apontamentos.

Oração: Orações Bahá'ís, (Ed. 1983), nº 69, pags. 54-55. "Faz firmes nossos passos em
Teu caminho, ó Senhor ..."

Meditação: "Deus deu ao homem a capacidade da investigação com a qual ele pode ver
e reconhecer a verdade. Ele dotou o homem com ouvidos para que ele possa ouvir a
mensagem da realidade e conferiu-lhe o dom da razão com o qual ele pode descobrir
coisas por ele próprio. Este é o seu dote e equipamento para a investigação da realidade.
O homem não foi feito para ver a realidade através dos olhos de outro, ouvir através dos
ouvidos de outro, ou compreender com o cérebro de outro. Cada criatura humana tem
dons, poderes e responsabilidades individuais no plano criativo de Deus". ('Abdu'l-Bahá,
The Promulgation of Universal Peace, Ed. 1982, pag. 293)

Procedimento: Quer se esteja em só ou em grupo deve-se começar com uma oração.


Depois deve-se ler a meditação em voz alta. Deve-se aguardar alguns momentos em
silêncio para meditar sobre o texto anterior. Se se está em grupo, devem-se gastar cinco
minutos para discutir opiniões e pontos de vista.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Estudo: Nesta Sessão será feito um estudo sobre a necessidade de pesquisar, descrição
de Bahá'u'lláh sobre aquilo que é pesquisado, requisitos do indivíduo que pesquisa,
obstáculos para encontrar o que é pretendido, e as consequências de participar ou não na
pesquisa.

O tio do Báb desejava conhecer, com toda a segurança, se o Báb preenchia plenamente
os requisitos necessários para poder ser o Prometido do Islão. Ao expor as provas da
posição do Báb, Bahá'u'lláh apresenta o alcançar da certeza como algo que está sob o
controle do indivíduo que deseja conhecer Deus. Certas condições, no coração e na
mente do pesquisador, podem influenciar fortemente o processo de pesquisa.

Pag. 14
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

1ª PARTE: PORQUÊ PESQUISAR ?


(20 minutos)

Para compreender porque é que necessário pesquisar deve-se ler Selecção do Escritos de
Bahá'u'lláh, secção XXIX, pags. 53-55. Seguidamente deve-se ler o primeiro parágrafo
do Íqán. Neste parágrafo, Bahá'u'lláh diz-nos para santificarmos as nossas almas de
modo a que possamos alcançar a posição que Deus nos destinou. Depois devem ser
lidas as seguintes passagens, que nos dão mais indicações sobre essa posição:

"Imploro-Te por Teu Nome, o qual jamais foi reconhecido devidamente, e cuja
significação nenhuma alma sondou..."

(Bahá'u'lláh, Orações Bahá'ís, Ed., 1983, nº 35, pag. 33)

"A quinta-essência do conhecimento [a mais conhecedora das conhecedoras] é incapaz


de compreender a Tua natureza..."

(Bahá'u'lláh, Prayers and Meditations, pag. 222)

"Quem afirmar que Te conheceu, em virtude de tal afirmação, terá dado testemunho da
sua própria ignorância; e de quem acreditar que Te alcançou, todos os átomos da terra
darão testemunho da sua incapacidade e proclamarão o seu falhanço" (Idem, pag. 123)

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Explique com palavras suas o princípio da separação e da distinção.


_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 15
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 Qual é a posição que Deus nos destinou?


_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 Será que alguma vez atingiremos plenamente essa posição?


_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

2ª PARTE: A PESQUISA
(30-40 minutos)

Para compreender melhor a pesquisa feita pela alma, fazer um quadro (semelhante ao
seguinte) que se possa preencher à medida que se lê as seguintes passagens do Kitáb-i-
Íqán:

7:1-7:23 8:24-9:6 30:19-30:28


45:3-45:11 68:3-68:21 75:17-76:2
76:29-77:9 106:16-106:20 118:21-122:16

OBJECTO DA COMO CONSEQUÊNCIAS


PESQUISA PESQUISAR OBSTÁCULOS RECOMPENSAS DE NÃO
PESQUISAR

Pag. 16
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

3ª PARTE: IMAGENS DA PESQUISA


(15 minutos)

Bahá'u'lláh utiliza uma série de imagens verbais para descrever a pesquisa e aquilo que
é pesquisado. Por exemplo, no Íqán, Ele descreve o processo de pesquisa como "dar um
passo... no caminho que conduz ao conhecimento do Ancião dos Dias" (pag. 118). Ele
descreve o objecto da nossa pesquisa como "a orla do oceano da verdadeira
compreensão" (pag. 7). Bahá'u'lláh usa imagens que nos são familiares para nos ajudar a
ver as semelhanças entre o mundo físico e a realidade espiritual.

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

Voltando ao quadro anterior escolha uma ou mais imagens para examinar. Pense
durante alguns minutos na(s) imagem(s). O que é que lhe vem à mente quando pensa
na(s) imagem(s)? Por exemplo, que aspecto tem "o caminho que conduz ao
conhecimento do Ancião dos Dias"? Porque é que Bahá'u'lláh usaria a imagem de um
caminho para descrever o processo? Se estiver a trabalhar em grupo, partilhe os seus
pontos de vista.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 17
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

4ª PARTE: TRANSFORMAÇÃO
(15 minutos)

Palmilhar o caminho da pesquisa exige mudanças de comportamento. A transformação


pessoal exige um compromisso constante e por toda a vida que permita avaliar e alterar
o nosso comportamento.

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Do quadro anterior escolha, para si, um ou dois requisitos de Bahá'u'lláh para o


verdadeiro pesquisador. Como é que você pode obter estes requisitos?

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 Tente imaginar ocasiões específicas em que você utilizará este novo


comportamento, e imagine como o apresentaria. Bahá'u'lláh por exemplo, afirma
que "deve apagar da tábua do seu coração o último traço de orgulho e vã glória".
Quando é que você se sente mais orgulhoso? Imagine-se agora nessa situação, pen-
sando e agindo de um modo diferente, concentrando-se nas boas qualidades dos
outros em vez de pensar nas suas.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 18
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 Faça um quadro como o que se segue, e utilize-o para completar o exercício. Se


desejar descreva as suas escolhas para o grupo

REQUISITOS OPORTUNIDADES PARA COMO É QUE EU IREI


PRATICAR PRATICAR

 SUGESTÕES DE LEITURA

BAHÁ'U'LLÁH, Os Sete Vales, in Revelação Bahá'í, Rio de Janeiro, Editora Bahá'í -


Brasil, 2ª Ed., pags. 99-123
 Nesta obra Bahá'u'lláh descreve o caminho que as almas seguem para atingir a
presença de Deus. O Vale da Busca (pags. 101-103) aplica-se particularmente à 4ª
parte desta sessão.

**********

Preparação da 3ª Sessão - Os Livros são Abertos: Se é verdade que os livros sagrados


referem o Dia da Ressurreição, os significados destes estão velados, ou selados, até um
momento específico. As sugestões seguintes prepará-lo-ão para estudar as explicações
dadas por Bahá'u'lláh para os símbolos que surgem nos livros sagrados sobre o tão
esperado Dia da Ressurreição.
1. Ver nos materiais da 1ª Sessão e ler novamente as questões do tio do Báb, Hájí
Mirzá Siyyid Muhammad, especificamente as questões 1 e 3.
2. Ver a definição de «Ressurreição» num dicionário.
3. Falar com alguns amigos e familiares sobre a compreensão que eles têm da
expressão «Dia da Ressurreição».

Pag. 19
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

3ª SESSÃO: OS LIVROS SÃO ABERTOS

 PREPARAÇÃO DO ESTUDO

Materiais: Guia de Estudo, Kitáb-i-Íqán (2ª Ed., 1977), Orações Bahá'ís (Ed. 1983),
Bíblia, caderno ou bloco de apontamentos.

Oração: Orações Bahá'ís (Ed. 1983), nº 124, pag. 88. "Cria em mim um coração puro, ó
meu Deus ..."

Meditação: "Se limpasses o espelho de teu coração, tirando-lhe o pó da malícia,


compreenderias o sentido dos termos simbólicos revelados pelo Verbo de Deus que a
tudo abarca, tornado manifesto em cada Dispensação, e descobririas os mistérios do
conhecimento divino". (Bahá'u'lláh, Kitáb-i-Íqán, pag. 45)

Procedimento: As sessões podem ser usadas para aprofundamento individual ou em


grupo. Quer se esteja só ou em grupo deve-se começar com uma oração; depois deve-se
ler a meditação em voz alta e aguardar alguns minutos de silêncio para meditar sobre
essa passagem. Se se estiver em grupo deve-se gastar cerca de cinco minutos a discutir
opiniões e pontos de vista.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Estudo: Todos os livros sagrados afirmam que os sinais, símbolos e alusões que neles
se encontram foram fechados e selados até ao «tempo do fim» (Daniel 12:4) quando o
«Dia da Ressurreição» surgir (Bahá'u'lláh, Kitáb-i-Íqán, pag. 90). Até essa ocasião,
ninguém compreenderia o seu significado. Com o advento da Revelação de Bahá'u'lláh,
chegou o Dia da Ressurreição. De acordo com Shoghi Effendi, Bahá'u'lláh no Kitáb-i-
Íqán "«quebrou» os «sêlos» do «Livro» e revelou o significado das «palavras»
destinadas a permanecer «fechadas» até ao «tempo do fim». Shoghi Effendi também
afirma que o Íqán revela o significado daqueles termos simbólicos como «Regresso»,
«Ressurreição», «Sêlo dos Profetas» e «Dia do Juízo». (Presença de Deus, pag. 200)

Nesta Sessão estudaremos alguns termos que foram fechados e aplicaremos os seus
significados a excertos de vários textos sagrados.

Pag. 20
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

1ª PARTE: PORQUE É QUE OS SIGNIFICADOS DOS TERMOS SIMBÓLICOS


ESTÃO VELADOS
(15 minutos)

Muitas afirmações nos Livros Sagrados explicam porque é que os significados mais
profundos dos textos estão encobertos por sinais, símbolos e alusões (referências
indirectas a outras tradições ou escrituras). Leiam-se as seguintes passagens:

Kitáb-i-Íqán, 34:7-34:13, 49:6-49:14, 51:33-52:19, 155:9-156:8


Daniel, 12:4-10
João, 8:47, 16:12-13
Mateus, 13:10-17

ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Porque é que os manifestantes utilizam sinais, símbolos e alusões para encobrir os


significados mais profundos dos livros sagrados?

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 Como é que esses motivos se relacionam com o princípio da separação e da


distinção discutido na 2ª Sessão?

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________
 SUGESTÕES DE LEITURA

'ABDU'L-BAHÁ, O Esplendor da Verdade (Respostas a Algumas Perguntas), comp. e


trad. Laura Clifford Barnes, Rio de Janeiro, Editora Bahá'í - Brasil, 4ª Ed. 1979, pags.
48-55.
 Neste livro, 'Abdu'l-Bahá refere-se especificamente à profecia no Livro de Daniel.

Pag. 21
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

2ª PARTE: OS EFEITOS DA ABERTURA DOS LIVROS


(15 minutos)

A abertura dos Livros foi um acontecimento há muito esperado e de grandes


consequências. Para perceber alguns efeitos deste acontecimento, deve-se ler as
seguintes passagens das Escrituras Bahá'ís; seguidamente deve-se realizar Actividades
de Estudo.

"Este servo repartirá agora contigo uma gota do oceano insondável das verdades
entesouradas nessas sagradas palavras, a fim de que os corações discernentes possam,
talvez, compreender todas as alusões e implicações contidas nas palavras dos Mani-
festantes da Santidade, de modo que a inexcedível majestade da Palavra de Deus não os
impeça de atingir o oceano dos Seus nomes e atributos, nem os prive de reconhecer a
Lâmpada de Deus, que é a sede da revelação de Sua glorificada Essência".

(Bahá'u'lláh, Kitáb-i-Íqán, pag. 22)

"Assim, temos iluminado o céu das palavras com o Sol da sabedoria e compreensão,
para que teu coração encontre paz, e tu sejas um dos que voaram com as asas da certeza,
para o céu do amor de seu Senhor, o Todo-Misericordioso".

(Idem, pag. 41)

"Invoco o testemunho de Deus! É revelado aquilo que, desde a eternidade, estivera


entesourado no conhecimento de Deus, o Conhecedor do visível e do invisível. Felizes
os olhos que vêem o Semblante de Deus, Senhor de toda a existência, e feliz a face que
se lhe vira"

(Bahá'u'lláh, citado por Shoghi Effendi, O Advento da Justiça Divina, pag. 118)

"A Revelação, de que Bahá'u'lláh é a fonte e o centro, não anula nenhuma das religiões
que a precederam, nem tenta, no mínimo grau, distorcer as suas características ou
menosprezar o seu valor. Repudia toda a intenção de minorar qualquer dos Profetas do
passado, ou de desbastar as verdades eternas dos seus ensinamentos. Não pode, de
modo algum, entrar em conflito com o espírito que anima as suas pretensões, nem
pretende corroer as bases do compromisso de cada homem para com a sua causa. O seu
declarado propósito principal é permitir a cada aderente destas Fés, obter uma plena
compreensão da religião com que ele se identifica, e adquirir uma compreensão mais
clara do seu propósito".

(Shoghi Effendi, The World Order of Bahá'u'lláh, pags. 57-58)

"Bem se pode asseverar que, de todos os livros revelados pelo Autor da Revelação
Bahá'í, este Livro por si só, tendo eliminado as barreiras de longa existência que, de um
modo tão insuperável, vinham separando as grandes religiões do mundo, tem

Pag. 22
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

estabelecido uma base ampla e inatacável para a completa e permanente reconciliação


de seus seguidores".

(Shoghi Effendi, Presença de Deus, pag. 201)

ACTIVIDADES DE ESTUDO

1. Quais são os efeitos, sobre os indivíduos e sobre o mundo, provocados pela


abertura dos Livros Sagrados?

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

2. De que modo a abertura dos livros sagrados pode servir a missão de Bahá'u'lláh de
criar unidade mundial?

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 23
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

3ª PARTE: OS SIGNIFICADOS SÃO REVELADOS


(60 minutos)

Encontram-se muitas referências simbólicas, sinais e alusões nos livros sagrados do


passado que apontam para a revelação de Bahá'u'lláh. De facto, Bahá'u'lláh proclama-Se
como "Aquele que a língua de Isaías exaltou, Aquele com Cujo nome tanto a Tora como
o Evangelho se adornaram" (Bahá'u'lláh, A Proclamação de Bahá'u'lláh aos Reis e
Lideres do Mundo, 2ª Ed., pag. 41)

Saber e compreender os significados dos símbolos, sinais e alusões nos livros sagrados
permitir-nos-á uma maior eficiência no nosso trabalho de ensino da Fé. Bahá'u'lláh
guiou Hájí Mirzá Siyyid Muhammad à verdade da posição do Báb, ajudando-o a com-
preender melhor o significado de certas passagens simbólicas do Alcorão. Em várias
ocasiões, Bahá'u'lláh afirma que o verdadeiro significado dos símbolos é muito diferente
do significado entendido pelas pessoas comuns ou exposto pelo clero. Na 3ª e 4ª partes
desta Sessão criaremos o nosso próprio glossário de alguns dos símbolos que
Bahá'u'lláh utilizou, e teremos oportunidade de o aplicar a excertos de vários textos
sagrados.

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Na preparação da 3ª Sessão foi-lhe pedido para definir «ressurreição» e falar com


alguns amigos e familiares para saber o que eles entendem por «Dia da
Ressurreição». Discuta ou analise as respostas que obteve.

 Faça um glossário de alguns dos muitos sinais e símbolos explicados no Kitáb-i-


Íqán. Veja cada uma das palavras da seguinte lista de termos usados no Íqán e
elabore as respectivas definições. Tente memorizar as definições de modo a que
quando estiver a ensinar a Fé se possa recordar delas facilmente. Se estiver a
trabalhar em grupo, divida os termos por indivíduos ou pequenos grupos, que
possam relatar as suas definições para todas as pessoas.

a) opressão: 22:14-24:30, 29:31-30:3

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

b) sol, lua, estrelas: 24:31-30:10, 41:32-41:36

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 24
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

c) núvens: 46:25-49:5, 44:10-44:25

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

d) escuridão, trevas: 24:6-24:14, 26:23-27:10, 29:18-30:10, 120:24-120:30

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

e) céu: 31:10-31:32, 41:13-41:31, 43:22-45:11

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

f) chamado/toque de trombeta: 74:26-74:29, 120:30-121:9

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

g) vida, viver, nascer, ressurreição, regresso, levantar, despertar: 73:5-73:14,


74:27-74:29, 75:17-77:9, 90:1-90:30 94:24-95:9, 99:1-99:20, 105:17-105:20,
120:30-120:34, 30:5-30:10

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

h) morte, morrer: 73:8-73:10, 75:17-77:9

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

i) túmulo, sepulcros, leitos, sono: 74:29-74:33, 76:29-76:31 21:6-21:8, 59:5-59:10,


17:5-17:11, 139:28-139:32

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 25
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 SUGESTÕES DE LEITURA

'ABDU'L-BAHÁ, O Esplendor da Verdade (Respostas a Algumas Perguntas), comp. e


trad. Laura Clifford Barnes, Rio de Janeiro, Editora Bahá'í - Brasil, 4ª Ed. 1979,
capítulos. 23, 26 e 33.

Selecção dos Escritos do Báb, comp. Dep. Pesquisa da Casa Universal de Justiça, Rio
de Janeiro, Editora Bahá'í- Brasil, 1978, pags. 84-85, 111-112.

4ª PARTE: APLICAR OS SIGNIFICADOS


(30 minutos)

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

Seguidamente apresentam-se alguns excertos de vários livros sagrados que contêm


termos simbólicos que acabámos de estudar. Leia esses excertos e, à luz das
interpretações de Bahá'u'lláh, explique o seu significado como se estivesse a falar para
uma pessoa que pesquisa a verdade. Que outras passagens conhece que utilizem estes
símbolos?

"Quando os céus se romperem, quando as estrelas se dispersarem, quando os oceano


misturarem as suas águas, quando os túmulos forem revolvidos, a alma conhecerá os
seus actos antigos e recentes". (Alcorão, 82:1-5)

_________________________________________________________________

"E logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as
estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas" (Mateus 24:29)

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

"E olhei, e eis uma nuvem branca, e assentado sobre a nuvem, um semelhante ao Filho
do Homem, que tinha sobre a sua cabeça uma coroa de ouro, e na sua mão uma foice
afiada" (Apocalipse 14:14)

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 26
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

"Porque as estrelas dos céus e os astros não deixarão de brilhar a sua luz; o sol
escurecerá ao nascer, e a lua não fará resplandecer a sua luz". (Isaías 13:10)

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

"Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão
a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão Não vos maravilheis disto; porque
vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz. E os que fizeram
o bem sairão para a ressurreição da vida; e os que fizeram o mal para a ressurreição da
condenação". (João 5:25, 28-29)

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

"Porque o mesmo Senhor descerá do céu, com alarido, e com voz de arcanjo, e com a
trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os
que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles, nas núvens, a encontrar o
Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns
aos outros com estas palavras". (I aos Tessalonicenses 4:16-18)

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

"Já se ergueu o brado e o povo saiu das sepulturas, levantando-se e olhando ao seu redor.
Alguns apressaram-se a atingir a corte do Deus de Misericórdia, outros cairam sobre as
suas faces no fogo do inferno, enquanto que outros ainda se perdem na sua
perplexidade". (Bahá'u'lláh, Selecção dos Escritos de Bahá'u'lláh, sec. XVII, pags. 36-
37)

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

**********

Preparação da 4ª Sessão - Explorar os Principais Temas do Kitáb-i-Íqán: Na próxima


Sessão ser-lhe-á dado a escolher um grande tema ou ideia do Íqán para explorar em
profundidade. Veja os materiais da 1ª Sessão e leia novamente a 2ª parte (Qual é o
Tema do Kitáb-i-Íqán?)

Pag. 27
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

4ª SESSÃO: EXPLORAR OS PRINCIPAIS TEMAS


DO KITÁB-I-ÍQÁN

 PREPARAÇÃO DO ESTUDO

Materiais: Guia de Estudo, Kitáb-i-Íqán (2ª Ed., 1977), Orações Bahá'í (Ed. 1983),
Bíblia, A Dispensação de Bahá'u'lláh, caderno ou bloco de apontamentos.

Oração: Orações Bahá'ís, (Ed. 1983), nº 74, pag. 57. "Todo o louvor a Ti, ó meu Deus
que és a origem de toda a glória e majestade..."

Meditação: "Se essas pessoas - somente por amor a Deus e sem outro desejo que Seu
beneplácito - ponderassem no coração os versículos do Livro, haveriam de encontrar,
certamente, tudo o que buscavam" (Bahá'u'lláh, Kitáb-i-Íqán, pag. 107).

Procedimento: As sessões podem ser usadas para aprofundamento individual ou em


grupo. Quer se esteja só ou em grupo deve-se começar com uma oração; depois deve-se
ler a meditação em voz alta e aguardar alguns minutos de silêncio para meditar sobre
essa passagem. Se se estiver em grupo deve-se gastar cerca de cinco minutos a discutir
opiniões e pontos de vista.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Estudo: Estudar os mistérios que se encontram no Kitáb-i-Íqán é um projecto que dura


toda a vida. As primeiras três sessões foram apenas um começo. Nesta 4ª Sessão vamos
voltar aos principais temas que foram identificados na 1ª Sessão, e elaborar o nosso
próprio plano de estudo para o futuro.

Pag. 28
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

ALGUNS TEMAS PRINCIPAIS DO ÍQÁN

 DEUS

1. "A existência e a unicidade de um Deus pessoal, incognoscível, inacessível, fonte


de toda a Revelação, eterno, omnisciente, omnipresente e Todo-Poderoso" é
inequivocamente proclamada. (Shoghi Effendi, Presença de Deus, pag. 200)

Ver as seguintes passagens do Kitáb-i-Íqán (as referências incluem o número da


página e o número da linha; por exemplo, «63:1-67:13» significa página 63, linha
1, até página 67, linha 13):

63:1-67:13 13:29-13:33 79:11-79:18


103:28-104:8 87:7-90:9 72:29-73:14
35:27-36:20 105:30-106:29

 OS MANIFESTANTES DE DEUS

2. A relatividade da verdade religiosa e a continuidade da revelação divina é


sustentada.

Ver Kitáb-i-Íqán:

67:14-68:2 69:15-69:26 109:7-110:19


112:4-112:19 86:1-87:9

Ver também Shoghi Effendi, A Dispensação de Bahá'u'lláh, 29:5-35:29.

3. A unidade dos Profetas de Deus e a universalidade das Suas mensagens é afirmada.

Ver Kitáb-i-Íqán:

64:17-65:12 66:29-68:2 89:17-90:9


95:10-96:21 99:21-99:26 100:15-102:6
110:15-111:31 112:4-102:6 38:29-39:10
17:12-18:13 75:17-75:32 76:23-76:25
88:1-88:3 90:10-90:11 15:16-15:19

4. A natureza dos Profetas de Deus e Sua soberania inerente é explicada.

63:1-63:21 64:24-65:12 66:29-68:2


109:7-111:31 112:3-112:19 82:23-82:32
68:22-69:10 71:1-73:8 78:28-80:1

Pag. 29
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 A RESPOSTA DA HUMANIDADE AOS MANIFESTANTES DE DEUS

5. Os motivos para a oposição da humanidade aos Profetas de Deus são explicados.

Ver Kitáb-i-Íqán:

9:7-9:21 7:1-8:23 12:32-16:28


68:3-68:21 20:25-22:4 48:8-49:5
51:33-54:2 35:27-39:32 130:25-131:22
102:7-103:19 15:14-15:32 129:1-132:2

6. A validade da revelação do Báb é demonstrada (estas provas aplicam-se a todos os


Manifestantes de Deus)

Ver Kitáb-i-Íqán:

132:18-133:6 135:29-139:32 141:4-142:16


142:30-144:34 144:29-151:6

(são citadas provas da tradição islâmica)

 ACTIVIDADES DE ESTUDO

 Em grupo ou individualmente escolha um dos três grandes temas para explorar


mais profundamente.

 Formule questões sobre o tema que escolheu. Isto pode ser feito em grupo ou
individualmente. Esta actividade prepara-lo-á para receber nova informação e
centralizará o seu estudo. Também lhe facilitará a procura de informação quando
necessitar dela novamente. Por exemplo, sobre o tema DEUS, poder-se-ão colocar
as seguintes questões:

 O que é que significa unicidade de Deus?


 O que é que significa um Deus pessoal?
 O que é que significa "inacessível"?
 Porque é que Deus é inacessível e incognoscível?
 Para quem é que Deus é inacessível?
 etc....

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 30
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 Leia, silenciosamente ou em voz alta, todas as passagens do Kitáb-i-Íqán que


correspondem ao tema que escolheu. Os membros de um grupo podem ler todas as
passagens individualmente, ou podem dividir as leituras entre si, partilhando,
posteriormente o que aprenderam.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 À medida que lê, procure respostas para as suas questões. Pense também em novas
questões a que as passagens podem responder. Se está a estudar em grupo, tente
chegar a uma conclusão sobre as respostas. Será útil, para um estudo posterior,
escrever as perguntas e as respostas.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

Pag. 31
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

 Que tipo de questões, que possam ser respondidas pelo seu estudo, poderá colocar
uma pessoa que investiga a verdade? Como será a sua resposta a essas perguntas?
Este último passo prepara-o(a) para a acção e ajuda-o(a) a resumir aquilo que
aprendeu.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 Repita os pontos 1 até 5 para outro dos temas apresentados anteriormente ou para
um tema à sua escolha. Se escolher um tema, no ponto 3 terá de procurar as
passagens do livro que lhe estão associadas.

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

_________________________________________________________________

 SUGESTÕES DE LEITURA

MIRZÁ ABU'L FAD'L, The Bahá'í Proofs, trad. Ali-Kuli Khan, facs. ed. 1929,
Wilmette, Ill., Bahá'í Publishing Trust, 1983.

Pag. 32
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

KITÁB-I-ÍQÁN: CIRCUNSTÂNCIAS DA SUA


REVELAÇÃO E SUA IMPORTÂNCIA

por Adib Taherzadeh

traduzido e adaptado da obra The Revelation of Bahá'u'lláh, vol. I

CIRCUNSTÂNCIAS DA SUA REVELAÇÃO

De entre todas as Escrituras de Bahá'u'lláh, o Kitáb-i-Íqán (O Livro da Certeza) é o de


maior importância, com excepção do Kitáb-i-Aqdas (O Livro Mais Sagrado). Foi
revelado em Bagdade, cerca de dois anos antes de Sua Declaração, em honra de Hájí
Mirzá Siyyid Muhammad, o tio materno do Báb.

O Báb tinha três tios maternos. O primeiro a abraçar a Sua Fé foi Hájí Mirzá Siyyid 'Ali,
conhecido por Khál-i-A'zam (O Maior Tio). Foi ele que tratou do Báb, e após o
falecimento de Seu pai, foi responsável pela Sua educação.

Hájí Mirzá Siyyid 'Ali tomou conhecimento das qualidades espirituais e poderes sobre-
humanos que o seu Sobrinho manifestava desde tenra idade. Ele reconheceu
prontamente a posição do Báb e tornou-se um crente fervoroso quando conheceu as
Suas pretensões. De facto, após as Letras da Vida, ele foi a primeira pessoa em Shíráz a
reconhecer a origem divina da Mensagem do Báb. Desde então, ele devotou
inteiramente a sua vida à promoção da recém-nascida Fé e à protecção do seu jovem
fundador. Alguns meses após o martírio do Báb, ele foi preso, e por recusar negar a sua
fé, foi martirizado publicamente. Ele foi um dos Sete Mártires de Teerão.

O tio mais velho, Hájí Mirzá Siyyid Muhammad, se bem que plenamente conhecedor
das salientes qualidades do seu Sobrinho, não se converteu à Sua Fé até ter conhecido
Bahá'u'lláh em Bagdade e ter recebido o Kitáb-i-Íqán em resposta às suas questões. O
terceiro tio era Hájí Mirzá Hasan-'Alí.

Durante alguns anos Hájí Mirzá Siyyid Muhammad dirigiu os seus negócios como
mercador, longe de casa, em Bushir, em associação com o seu irmão Hájí Mirzá Siyyid
'Ali e o seu Sobrinho, o Báb. Quando estes dois partiram para Shíráz, ele continuou o
seu trabalho, e ainda estava em Bushir quando o Báb declarou a Sua Missão aos Seus
primeiros discípulos. Mais tarde, o Báb, quando fez a Sua peregrinação a Meca passou
por Bushir, e ficou em casa de Hájí Mirzá Siyyid Muhammad. Alguns meses mais tarde,
na viagem de regresso a Shíráz, o Báb passou de novo em casa de Seu tio. Foi durante
estas visitas que Hájí Mirzá Siyyid Muhammad testemunhou uma transformação no
espírito do Báb, e escreveu sobre isso à sua mãe e irmã (a mãe do Báb) nestas palavras:

Pag. 33
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

...Sua eminência Jináb-i-Hájí1 chegou em segurança e eu estou grato por


passar o meu tempo na Sua presença. Parece-me aconselhável que Ele deva
ficar em Bushir durante algum tempo; mas estejam certas que Ele em breve
partirá para casa... Em verdade, a Sua alma bondosa é fonte de felicidade
para o povo deste mundo e do próximo. Ele honra-nos a todos. 2

No entanto, apesar destes comentários e da sua infalível admiração e respeito pelo Báb,
Hájí Mirzá Syyid Muhammad não reconheceu a Sua posição durante muitos anos e
permaneceu desligado da Sua Causa.

Mais tarde, os martírios do Báb e Seu ilustre tio, em 1850, trouxeram imensa dor e
choque a todos os membros da família. A mãe do Báb, Fátimih-Bagum, não podia mais
suportar viver na sua casa em Shíráz, e mudou-se para o Iraque, para a cidade de
Karbilá, perto do Túmulo do Iman Hussayn. Até ao momento da chegada de Bahá'u'lláh
ao Iraque, após o seu encarceramento no Síyáh-Chál, e até Ele ter estabelecido contacto
consigo, ela não estava consciente da Mensagem do Báb. Foi Bahá'u'lláh que deu
instruções a Hájí Siyyid Javád-i-Karbilá'i3, um dos mais distintos primeiros discípulos
do Báb, acompanhado de uma devotada crente, a esposa de um certo Shaykh 'Abdu'l-
Majíd-i-Shírází, para se encontrarem com a mãe do Báb e lhe demonstrarem a verdade
da Missão do seu ilustre Filho. Este contacto estabelecido por Bahá'u'lláh teve uma
maravilhosa resposta. A sua alma reanimou-se e a glória da nova Fé de Deus fundada
pelo Báb revelou-se perante os seus olhos. Mais tarde ela reconheceu a posição de
Bahá'u'lláh, abraçou a Sua Fé e nela permaneceu firme até ao fim da sua vida.

Se bem que vários parentes do Báb, incluindo a Sua esposa tivessem aceitado a Fé
durante os primeiros anos do Seu Ministério, e milhares de seguidores tivessem dado as
suas vidas no Seu caminho, Hájí Mirzá Siyyid Muhammad não estava de modo algum
convencido de que o Báb, seu Sobrinho, pudesse ser o Prometido do Islão. Vários
crentes tentaram dissipar as suas dúvidas, mas os seus esforços não tiveram efeito. Hájí
Mirzá Habíbu''lláh, um Afnán que era um dos vigilantes da casa do Báb em Shíráz,
registou o seguinte relato de seu pai Aqá Mirzá Núru'd-Din, um seguidor do Báb, sobre
uma série de discussões que ele travou com Hájí Mirzá Siyyid Muhammad. Estas
discussões parecem ter sido o ponto de viragem na vida espiritual do tio do Báb.

...Durante as nossas primeiras discussões Hájí Mirzá Siyyid Muhammad


manteve uma atitude negativa e repudiava qualquer prova ou argumento que
eu lhe expusesse. Estas discussões duraram várias reuniões. Uma vez, quando
eu falava sobre a Fé, com grande fervor e convicção, ele voltou-se para mim e
estupefacto exclamou: "Você está realmente a dizer que o meu Sobrinho é o
prometido Qá'im?" Quando eu reafirmei a minha crença de que Ele era, Hájí
Mirzá Siyyid Muhammad ficou perplexo e comentou que tudo isto era muito
estranho. Começou, então, a meditar e perdeu-se nos seus pensamentos. Ao
vê-lo assim num estado tão reflectivo não pude deixar de rir. Ele perguntou-
me porque ria, mas porque isso podia ter nele um reflexo negativo, fiquei
relutante a responder. No entanto, ele insistia e eu disse-lhe: "O seu ponto de
vista de que o seu Sobrinho não pode ser o Qa'im é semelhante à objecção de

1 O Báb é referido como Hájí devido à Sua peregrinação a Meca


2 Khánidán-i-Afnan, pag. 25-26
3 Um eminente clérigo muito instruído que se tornou um devotado seguidor do Báb no primeiro ano da
Sua Declaração, e mais tarde reconheceu a posição de Bahá'u'lláh e abraçou a Sua Fé.

Pag. 34
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

Abú-Lahab4. Ele também dizia «Como é possível que o meu sobrinho se


tenha tornado um profeta?». Mas Maomé era o verdadeiro Profeta de Deus.
Agora compete-lhe a si investigar esta Causa. Você deve estar muito
orgulhoso por o Sol da Verdade ter despontado na sua família e a Luz tenha
brilhado na sua casa. Não se esconda dela e não fique admirado, pois Deus
pode fazer do seu Sobrinho o Prometido do Islão. Fique certo que Deus nunca
tem as mãos atadas".

Hájí Mirzá Siyyid Muhammad convenceu-se com estas palavras. Disse: "Isto é
uma resposta irrefutável. Agora que hei-de fazer?" Sugeri-lhe que ele podia ir,
como peregrino, visitar os Santos Sepulcros5, no Iraque, onde poderia visitar
também a sua irmã (mãe do Báb), que aí vivia desde o martírio do seu filho, e
depois seguir para Bagdade, alcançar a presença de Bahá'u'lláh, colocar-Lhe as
suas questões e apresentar-Lhe as suas dificuldades. Instiguei-o a prosseguir a
sua busca e a confiar em Deus. Expressei a esperança de que os véus que o
impediam agora de ver a verdade pudessem ser retirados dos seus olhos, e que
ele pudesse alcançar a verdadeira Fé de Deus... Ele concordou com a minha
sugestão e disse sentia no seu coração que este era o rumo a tomar. Hájí Mirzá
Siyyid Muhammad escreveu então ao seu irmão mais novo, Hájí Mirzá Hasan-
'Ali, que era comerciante em Yazd, pondo-o ao corrente dos seus planos de
visitar os Sepulcros e a irmã, e convidou-o a juntar-se a ele na viagem. Hájí
Mirzá Hasan-'Ali pediu ao irmão que o aguardasse em Shíráz Viajaram os dois
para o Iraque, passando por Bushir. Hájí Mirzá Siyyid Muhammad, no entanto,
não deu a conhecer o verdadeiro propósito da sua viagem até terem chegado a
Bagdade. Aí ele informou o seu irmão que o primeiro objectivo da sua viagem
ao Iraque era investigar a autenticidade da Fé, e depois visitar os Sepulcros e a
mãe do Báb. Convidou o seu irmão a permanecer em Bagdade durante um
curto período de modo que os dois pudessem alcançar a presença de
Bahá'u'lláh e depois prosseguir viagem e visitar os Sepulcros.

Ao ouvir isto Hájí Mirzá Hasan-'Ali ficou furioso, e se bem que fosse mais
novo, falou rudemente para o irmão.

Avisou que em nenhumas circunstâncias se associaria com ele nestes assuntos,


e que não queria ouvir falar sobre a Fé. Nesse mesmo dia deixou Bagdade6.

Quando isto aconteceu, Hájí Mirzá Siyyid Muhammad decidiu acompanhar o seu irmão
aos Sepulcros. Foi no seu regresso a Bagdade que ele foi levado à casa de Bahá'u'lláh,
onde, sózinho, alcançou a Sua presença. Isto ocorreu em 1862 (1278 A.H.).

O amanuense de Bahá'u'lláh, Mirzá Aqá Ján descreveu as circunstâncias que levaram à


revelação do Kitáb-i-Íqán, numa epístola dirigida a Shaykh 'Abdu'l-Majíd-i-Shírází. Diz
ele que, um dia, Hájí Siyyid Javád-i-Karbilá'í foi ter com Bahá'u'lláh e informou-O que
os dois tios do Báb, tendo visitado os Santos Sepulcros em Najaf e Karbilá, estavam
agora em Bagdade e em breve retornariam a casa. Tendo averiguado que Hájí Siyyid
Javád não havia falado da Fé com eles, Bahá'u'lláh admoestou-o delicadamente por ele

4 Um tio de Maomé que não reconheceu a Sua posição de Profeta e que O hostilizou
5 Alguns dos Imáms do Islão Xiita, incluindo o Imám Husayn estão sepultados em Karbilá, Najaf,
Kázimayn e Sámmarrá.
6 Khánidán-i-Afnan, pags. 32-35.

Pag. 35
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

não estar envolvido no ensino da Causa. Deu-lhe, então, instruções para convidar os
dois irmãos a vir à Sua presença.

No dia seguinte Hájí Siyyid Javád chegou com o tio do Báb. Hájí Mirzá Siyyid
Muhammad. O irmão mais novo não veio. As palavras de Bahá'u'lláh elevaram e
submergiram o tio do Báb logo que ele se sentou na Sua presença. No final ele suplicou
a Bahá'u'lláh que clarificasse a verdade da Mensagem do Báb, tendo em mente que, no
seu ponto de vista, algumas tradições do Islão sobre o prometido Qa'im, aparentemente,
não haviam sido cumpridas pelo seu Sobrinho. A isto Bahá'u'lláh consentiu prontamente.
Mandou-o ir para casa e fazer, após considerar cuidadosamente, fazer uma lista de todas
as questões que o confundiam e todas as tradições sobre as quais ele tinha dúvidas, e
que trouxesse estas a Ele.

No dia seguinte Hájí Mirzá Siyyid Muhammad chegou com as suas questões. No espaço
de dois dias e duas noites, o Kitáb-i-Íqán, uma longa epístola (com mais de duzentas
páginas) abordando todas as suas questões, foi revelada por Bahá'u'lláh. Nos primeiros
dias este livro era conhecido por Risáliy-i-Khál (Epístola ao Tio), mas mais tarde
Bahá'u'lláh designou-o por Kitáb-i-Íqán.

Entre os documentos conservados pela família dos Afnán estão as questões que Hájí
Mirzá Siyyid Muhammad colocou a Bahá'u'lláh. Estão escritas pela sua mão, em duas
folhas e sob quatro títulos, todas lidando com a vinda do prometido Qa'im. A
sinceridade do tio do Báb em procurar a verdade é evidente nas suas questões.
Repetidamente ele suplica a Bahá'u'lláh que disperse as suas dúvidas para que o seu
coração possa estar seguro e ele possa adquirir fé e certeza absoluta na Causa do Báb.

Hájí Siyyid Muhammad ficou tão afectado pelo seu encontro com Bahá'u'lláh, que
escreveu imediatamente uma carta ao seu filho, Hájí Mirzá Muhammad-Taqí, em que
dizia:

...Alcancei a presença de Sua Honra Bahá (que a paz esteja sobre Ele)
desejava que pudesses ter estado presente! Ele tratou-me com o máximo
afecto e favor, e atenciosamente pediu-me para ficar durante a noite. É uma
verdade absoluta que a privação da Sua magnânime presença é uma penosa
perda. Que Deus me conceda o privilégio de alcançar a Sua presença
perpetuamente7

O Kitáb-i-Íqán dispersou todas as dúvidas de Hájí Mirzá Siyyid Muhammad guardava


em mente. Como resultado da leitura deste livro, ele atingiu um estado de certeza e
reconheceu a posição do Báb. No seu testamento, alguns anos mais tarde, ele declara a
sua fé, reconhecendo a autenticidade das Mensagens do Báb e Bahá'u'lláh,
identificando-se como um seguidor destas gémeas Manifestantes de Deus.

Quanto a Hájí Mirzá Hasan-'Ali, o tio mais novo do Báb, ele regressou a Yazd sem ter
conhecido Bahá'u'lláh. Alguns anos mais tarde, todavia, através dos esforços da sua
jovem esposa, ele também aceitou a Fé e permaneceu constante durante a sua vida.

7 Khánidán-i-Afnan, pag. 42-43.

Pag. 36
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

De facto, toda a família do Báb, incluindo a Sua mãe, a Sua esposa, Seus tios e
descendentes (chamados Afnán) abraçaram a Fé. Isto foi profetizado pelo próprio Báb,
pois Ele disse que Deus através da Sua magnificência guiaria toda a Sua família a
reconhecer a verdade da Sua Causa.

A cópia original do Kitáb-i-Íqán, que Hájí Mirzá Siyyid Muhammad recebeu, foi
transcrita por 'Abdu'l-Bahá, que tinha então dezoito anos. Nas margens de algumas
páginas Bahá'u'lláh fez algumas correcções pela Sua própria mão, quase no final do
livro, escreveu esta passagem:

No meio de todas elas, Nós mantivemo-Nos firmes, a vida na mão,


inteiramente resignados à Sua vontade; para que talvez, através da
benevolência de Deus e Sua graça, esta Letra8 revelada e manifesta possa
oferecer a vida em holocausto no caminho do Ponto Primaz9, a mais excelsa
Palavra. Por Aquele a Cujo mando o Espírito falou, Nós não nos
haveríamos detido nesta cidade, nem por um momento mais, se não fosse por
causa desse anelo de Nossa alma. "Testemunha suficiente para Nós é
Deus".10

Durante muitos anos a cópia original do Kitáb-i-Íqán permaneceu com a família de Hájí
Mirzá Siyyid Muhammad, até que em 1948, a sua bisneta, Fátimih Khánum-i-Afnan, a
ofereceu a Shoghi Effendi, o Guardião da Fé. Chegou-lhe às mãos alguns anos mais
tarde, e foi colocada no Edifício dos Arquivos Internacionais Bahá'ís, no Monte
Carmelo.

A IMPORTÂNCIA DO KITÁB-I-ÍQÁN

Talvez se possa dizer que o Kitáb-i-Íqán era mais divulgado entre os primeiros crentes
na Pérsia do que qualquer outra Escritura de Bahá'u'lláh. Nesses dias a única maneira de
tornar as Sagradas Escrituras disponíveis aos amigos, era transcrevendo-as. As novas
Epístolas chegavam e os crentes estavam muito ansiosos para fazerem cópias para si.
Cópias de várias Epístolas foram frequentemente reunidas e encadernadas. Existem
muitos destes volumes escritos à mão, contendo compilações das Epístolas do Báb, de
Bahá'u'lláh e 'Abdu'l-Bahá, na posse de famílias Bahá'ís, que as herdaram dos seus
antepassados e para os quais eram muito preciosas.

Existiam alguns indivíduos na Pérsia cuja ocupação a tempo inteiro era transcrever as
Escrituras, e os crentes obtinham as suas cópias através deles. O Kitáb-i-Íqán foi uma
das obras que manteve estes homens a transcrever durante muitos anos, para poder
satisfazer os pedidos.

Do ponto de vista literário o Kitáb-i-Íqán pode ser visto como um proeminente trabalho
da literatura Persa. Shoghi Effendi, o Guardião da Fé, que traduziu este livro, de um
modo soberbo, para inglês, descreveu-o nestas palavras:

8 Bahá'u'lláh.
9 O Báb.
10 Kitáb-i-Íqán, pag. 153.

Pag. 37
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

Primeiro entre os inestimáveis tesouros produzidos pelo oceano encapelado


da Revelação de Bahá'u'lláh, encontra-se o Kitáb-i-Íqán... Um modelo de
prosa persa, de um estilo simultaneamente original, puro, vigoroso e
notavelmente lúcido, incisivo na sua argumentação e inigualável e irresistível
na sua eloquência, este livro, expondo em linhas gerais o Grande Plano
Redentor de Deus, ocupa um lugar único em relação a qualquer outra obra de
toda a literatura Bahá'í, com excepção do Kitáb-i-Aqdas, o Livro Mais
Sagrado de Bahá'u'lláh.11

Até o Kitáb-i-Íqán ter sido revelado, as missões de todos os Profetas de Deus, o


propósito das Suas Revelações e o verdadeiro significado das Suas palavras tinham
ficado por revelar. Com a revelação deste livro, o significado das «palavras» que
segundo Daniel estavam «fechadas e seladas até ao tempo do fim»12 tornaram-se
evidentes. O «sêlo» que a Providência, por milhares de anos, havia colocado sobre os
Livros Sagrados de todas as religiões, foi removido.

O Kitáb-i-Íqán é o melhor exemplo de como ensinar a Causa de Deus. Em vez de


explicar de uma vez as provas da autenticidade da Mensagem do Báb, Bahá'u'lláh fala
primeiro sobre outros Profetas, retrata Suas vidas e Seus sofrimentos, demonstra a
verdade das Suas Missões e descreve aspectos comuns das Suas Religiões. Deste modo
Ele leva o leitor à compreensão da verdade da sua própria religião e habilita-o a
reconhecer a realidade do seu próprio Profeta. Tendo construído esta sólida fundação,
Ele, no final do livro, fala do Báb e Sua Mensagem e aplica a esta nova Revelação os
critérios que aplicou para verificar a veracidade de outros Profetas.

Uma vez que todos os Manifestantes de Deus derivam a Sua autoridade da mesma
Fonte, é então possível conhecer o mais recente Manifestante se se conhece as
qualidades e atributos de Um que tenha aparecido numa idade posterior.

A grande maioria dos seguidores das religiões mundiais, todavia, é ensinada a acreditar
apenas num Mensageiro de Deus. Se por um lado são sinceros na sua crença de que a
sua religião é verdadeira e tem origem divina, por outro, frequentemente não
reconhecem a realidade do seu Profeta. Existe uma grande diferença entre conhecer a
sua religião e conhecer a realidade do Fundador da sua Fé. Por exemplo, um homem
pode possuir um pedaço de ouro e saber quanto ele é precioso, e no entanto, ser incapaz
de distinguir o ouro do bronze. Este homem falhará ao reconhecer um novo pedaço de
ouro se o vir.

Assim é a humanidade de hoje. Mas se alguém reconhecer a realidade do Fundador da


sua própria religião, não terá dificuldade em reconhecer Bahá'u'lláh como Manifestante
de Deus para esta era.

O Kitáb-i-Íqán habilitou um vasto número de pessoas de variadas origens a


compreender a verdade da sua religião, o primeiro passo para acreditar em Bahá'u'lláh.
Este livro derramou grande esplendor sobre os Livros Sagrados das Dispensações
passadas. Iniciou a construção de uma sólida fundação da definitiva unidade de todas as

11 Shoghi Effendi, Presença de Deus, pags. 199-200.


12 Daniel, 12:9

Pag. 38
Guia de Estudo para o Kitáb-i-Íqán

religiões do passado. Tem servido como uma chave com a qual os seguidores de
Bahá'u'lláh têm aberto as portas do conhecimento até agora oculto ao homem. Tem-se
tornado uma fonte de inspiração para estudiosos Bahá'ís e professores que desde então
têm escrito livros provando a autenticidade da Mensagem de Bahá'u'lláh por provas
racionais e intelectuais ou pela interpretação das Sagradas Escrituras do passado. De
facto, este livro deu uma nova visão aos Bahá'ís, ajudando-os a descobrir os mistérios
da religião e ensinar a sua Fé com grande percepção e conhecimento.

Pag. 39