You are on page 1of 18

NORMAS PARA TRANSFERÊNCIA INTERNA ECA/USP AOS CURSOS DA

ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES
1º PERÍODO LETIVO DE 2016
TRANSFERÊNCIA DE CURSO E HABILITAÇÃO DESTINADA A ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA PRÓPRIA
ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES E DE QUALQUER ÁREA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO,
TENDO EM VISTA A EXISTÊNCIA DE VAGAS SURGIDAS EM CONSEQUÊNCIA DE DESLIGAMENTOS NO
ANO DE 2015.
O processo de transferência de alunos de graduação para os cursos da ECA, para ingresso no 1º
período letivo de 2016, obedecerá as especificações a seguir:
1 – transferência de alunos do curso de Artes Cênicas, de Bacharelado para Licenciatura e vice-versa;
2 – transferência de alunos da ECA, condicionada a exame de habilidades específicas, quando for o caso;
3 – transferência de alunos de cursos de qualquer área de graduação, da Universidade de São Paulo,
condicionada a exame de habilidades específicas, quando for o caso.

As inscrições para alunos de graduação da Escola de Comunicações e Artes e de outras Unidades,
de qualquer área, da Universidade de São Paulo serão permitidas em qualquer semestre dos cursos e deverão
ser feitas no dia 22 de janeiro de 2016, – Serviço de Graduação – prédio 1, 1º andar, sala 113, no horário das 8h
às 13h e das 18h às 20h, mediante a apresentação do original de atestado de matrícula da Unidade de origem do
candidato ou impresso através do júpiterweb.
O atestado de matrícula exigido é indispensável e insubstituível para que seja efetuada a inscrição do
candidato no período especificado.
Não serão aceitas inscrições de alunos que não tenham cursado pelo menos um semestre no
curso de origem.
Os candidatos aceitos preliminarmente para a transferência farão provas de seleção, no dia 03 de
fevereiro de 2016. Quando houver disponibilidade de vagas referente ao Curso do Superior do Audiovisual será
feito apenas a prova de habilidade específica.
Os candidatos deverão verificar a sala onde serão realizadas as provas da habilitação desejada no
Serviço de Graduação, nos respectivos Departamentos ou no site da ECA www.eca.usp.br clicar em graduação,
antes das datas de realização das mesmas.
O calendário e horário das provas são os seguintes:
* Dia 03 de fevereiro de 2016, às 14 horas (provas teóricas para os candidatos aos cursos de
“Biblioteconomia”, “Turismo”, “Comunicação Social” e “Educomunicação”), constantes de questões
relativas às bibliografias indicadas pelos Departamentos.
Locais:
“Biblioteconomia” – Prédio 1, 2º andar
“Educomunicação” – Prédio 1, 2º andar
“Editoração” – Prédio 2
“Jornalismo” – Prédio 2
“Publicidade e Propaganda” – Prédio 3
“Relações Públicas” – Prédio 3
“Turismo” – Prédio 3
* Dia 03 de fevereiro de 2016, às 9 horas (provas teóricas para os candidatos ao curso de “Artes Visuais” e
“Música”), constante de questões relativas às bibliografias indicadas pelo Departamento.
Locais:
“Artes Visuais” – Prédio 5
“Música” – Prédio 6
SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG)
Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443, Prédio 1 – Central
1º Andar, sala 113
Cidade Universitária. 05508-020. São Paulo. SP. Brasil
Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031
www3.eca.usp.br/graduacao | email: gradueca@usp.br

No dia das provas não será permitido o ingresso dos candidatos nas salas de exames após o início fixado. quando for o caso. Locais: “Artes Visuais” – Prédio 5 “Música” – Prédio 6 “Superior do Audiovisual” – Prédio 4 Os resultados obtidos pelos candidatos alunos de graduação da Escola de Comunicações e Artes e de outras Unidades da Universidade de São Paulo serão divulgados no dia 18 de fevereiro de 2016 pelo Serviço de Graduação da ECA. a prova de habilidade específica será eliminatória. no dia 19 de fevereiro de 2016. Serão considerados selecionados os candidatos que obtiverem nota mínima 6. o histórico escolar e os programas das disciplinas aprovadas. As provas terão a duração de no máximo 3 (três) horas cada. Na eventualidade de vagas não preenchidas pelos candidatos aprovados será convocado o próximo candidato selecionado.br . por curso/habilitação e período: VAGAS 3 4 5 2 1 2 3 2 3 5 1 2 8 CURSO/HABILITAÇÃO Artes Visuais – Bacharelado/Licenciatura – Ciclo Básico Biblioteconomia Biblioteconomia Comunicação Social – Editoração Comunicação Social – Jornalismo Comunicação Social – Publicidade e Propaganda Comunicação Social – Publicidade e Propaganda Comunicação Social – Relações Públicas Comunicação Social – Relações Públicas Licenciatura em Educomunicação Música – Bacharelado/Licenciatura – Ciclo Básico Superior do Audiovisual Turismo PERÍODO Diurno Matutino Noturno Matutino Noturno Matutino Noturno Matutino Noturno Noturno Diurno Diurno Noturno Não serão aceitos quaisquer pedidos de revisão ou vistas das provas de seleção indicadas nesta norma. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. As provas serão elaboradas pelas Comissões dos Departamentos dos respectivos cursos. Prédio 1 – Central 1º Andar.0 (seis). SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. adotando-se o critério de classificação da maior nota para a menor no preenchimento das vagas. Caso pretendam solicitar aproveitamento de estudos deverão entregar no mesmo dia da matrícula. As bibliografias serão divulgadas juntamente com este regulamento.usp. Lúcio Martins Rodrigues.br/graduacao | email: gradueca@usp. sala 113 Cidade Universitária. São as seguintes as vagas. devidamente autenticados pela Unidade de origem.eca. SP. o mesmo critério de seleção e classificação dos candidatos aos demais cursos. incluindo um representante do Departamento de Comunicações e Artes (CCA). adotando-se para aqueles considerados APTOS. às 14 horas (provas de habilidades específicas para os candidatos ao curso de “Artes Visuais”. nos mesmos moldes dos exames vestibulares. Para os candidatos aos cursos de “Artes Visuais” e “Música”.* Dia 03 de fevereiro de 2016. 443. São Paulo. Prof. “Música” e “Superior do Audiovisual). 05508-020. Os candidatos selecionados deverão efetuar matrícula no Serviço de Graduação da ECA. Para aproveitamento de créditos em disciplinas optativas livres deverá entregar apenas o Histórico Escolar.

br www. FERREIRA.br/appbb/portal/bb/ctr2/index. 443. A forma difícil.). lápis de cor.usp.mac. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av.com. Sites www. apontador de lápis. 2B. São Paulo: Editora Cosac Naify. Lúcio Martins Rodrigues.br www.eca. 1 a 10.br www. 2004. borracha. Jacqueline.com Materiais Para a etapa prática da Prova Específica de Artes Visuais. NAVES. Alberto. 4B. SP. Prédio 1 – Central 1º Andar. Prof. São Paulo: Editora 34. Textos do Trópico de Capricórnio (artigos e ensaios. 2004.org. DUARTE.br www.art. COTRIN. grafite: H. Glória.jsp www. Rodrigo. 05508-020. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. 2006. Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. São Paulo: Companhia das Letras. (org. Paulo Sérgio Duarte.iberecamargo.bb. 1992. São Paulo: Editora Cosac Naify.textos essenciais.googleartproject.br www. AMARAL. Coleção Pensamento Crítico. São Paulo.itaucultural. cola em bastão (cola seca) e 10 imagens recortadas de jornais.). TASSINARI. Cecília (org.pinacoteca. Giulio Carlo. Rio de Janeiro: Fundação Nacional de Arte/Funarte. Rio de Janeiro: Fundação Nacional de Arte/Funarte.org. A trilha da trama e outros textos sobre arte. Escritos de Artistas Anos 60/70. vol. Ensaios sobre arte brasileira. A pintura . FERREIRA. 2006. VALÉRY. Arte moderna. São Paulo: Editora 34.masp.). Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar.usp. 2001.mam. Paul. LICHTENSTEIN. 1996.br www.org. tesoura. Aracy. revistas ou catálogos (no tamanho máximo de uma folha A4). Glória (org.br/graduacao | email: gradueca@usp. Luisa (org. 2006. o candidato deverá trazer lápis.org. São Paulo: Editora Ática.). sala 113 Cidade Universitária. Degas Dança Desenho.br . 6B. 1980-2005). O espaço moderno.BIBLIOGRAFIA ARTES VISUAIS Relação de obras e sites sugeridos para consulta ARGAN. 2003.44.

A.Representação Descritiva I CÓDIGO de catalogação anglo-americano [Anglo American Cataloging Rules].eca.P. DataGramaZero – Revista de Ciência da Informação. 2007. São Paulo: FEBAB/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. 1995. Prédio 1 – Central 1º Andar. p. Análise documentária: a análise da síntese. M. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. Brasília : Briquet de Lemos/Livros. M. São Paulo: Estação Liberdade.eci. jan. 2004. Documentação e Ciência da Informação BURKE. 2a. Yves-François. Atica. Documentação e Ciência da Informação. Brasília: Briquet de Lemos/Livros. R. 1996.. Brasília – DF: Briquet de Lemos Livros. 443. Preparado sob a direção do Joint Steering Committee for Revision of AACR. ed.148-207. 2005.usp. São Paulo. CUNHA.htm. 1123p. Prof. Trad. São Paulo. SP. v.5.org. textos e discursos. Linguagem e persuasão. P. M. Cristina Dotta.php/pci/article/view/54 FONSECA. Perspectivas em Ciência da Informação. CAPURRO. Uma história social do conhecimento. A.Introdução à Análise Documentária BRESSON. In: Bordieu. v.).5. . 1979. M. p. R. E.A. 1996. Estratégias de leitura em documentação. Disponível em http://portaldeperiodicos.br . CITELLI. BRONCKART. ORTEGA.Bibliografias Biblioteconomia CBD0223 ./abr. Introdução à Biblioteconomia. MEY.br/index. 25-34.12. para a lingua portuguesa sob responsabilidade da FEBAB. p. Brasiília. (org. M. Peter. 2004. Disponível em http://dgz. Por um interacionismo sócio-discursivo.7-14. ISBD: origem. 2ª ed. B. n. 05508-020. sala 113 Cidade Universitária. out. de al.S. 2003. n. Práticas de leitura. Edson Nery da. evolução e aceitação. n. CBD0294 . In: Cintra. 2002. p. A leitura e suas dificuldades. São Paulo: EDUC. F.br/graduacao | email: gradueca@usp. IBICT. Introdução à catalogação. Rio de Janeiro : Zahar. ½. 1999 CHARTIEr.ufmg. 2004. Atividade de linguagem. Práticas da leitura. J. CBD0215 .1. 2007. CINTRA. A.12. Lúcio Martins Rodrigues. São Paulo: Estação Liberdade. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação. A Ciência da informação. v. O conceito de informação. Relações históricas entre Biblioteconomia. rev.br/out04/Art_03. HJORLAND. 48-62 LE COADIC.L. et alii.Fundamentos em Biblioteconomia. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3.

O príncipe de Maquiavel e seus leitores. 1990. P. In: Discurso e texto: multiplicidade de sentidos na Ciência da Informação. Prédio 1 – Central 1º Andar. Leitura como processo inferencial num universo cultural-cognitivo. Editora UNESP. Da leitura como produção de sentidos. São Paulo. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. ECO. KLEIMAN. NBR 6028: Resumos. J. 1996. 443. A. p. Ano 4. Nº 5. junho.1. sala 113 Cidade Universitária. ECO. Lector in fabula. 47-66 MARCUSCHI. ECO. Uma investigação sobre o processo de leitura. Práticas da leitura. São Paulo: Martins Fontes. In: Bordieu. U. 1997.br . São Paulo. 1986. São Paulo: Ática. Prof. GOULEMONT. et alii. p. São Paulo: Estação Liberdade. u.Y. 2008. M. 2000. Linguística textual e elaboração de informações documentárias: algumas reflexões. Texto e leitor. 05508-020. Interpretação e Superinterpretação.usp. Campinas: Pontes. Rio de Janeiro: ABNT. São Paulo: Perspectiva. Lúcio Martins Rodrigues.). p. Leitura: Teoria e Prática. 2002 SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. Os limites da Interpretação. 03-16.CORTINA. Aspectos cognitivos da leitura. São Carlos: EduFscar. N. 107-116. Articulação do texto.br/graduacao | email: gradueca@usp.. L. São Paulo: Perspectiva. GUIMARÃES. U (org.eca. SP. A. 1992. 1999. A. KOBASHI. E. V. 1985.

Revista Comunicação & Educação – periódico do Departamento de Comunicações e Artes da Escola de Comunicação da Universidade de São Paulo – São Paulo: CCA/ECA/USP: Vol. Guillermo.br/graduacao | email: gradueca@usp. Educomunicação: recepção midiática. São Paulo: Editora Contexto. Ciência com Consciência. Ismar de Oliveira. 2011.). 2014.br/comueduc SETTON. aprendizagens e cidadania. São Paulo: Coleção Educomunicação. 05508-020. 443. Maria da Graça. Paulinas Editora. Lúcio Martins Rodrigues.br . Educomunicação: construindo uma nova área de conhecimento. CITELLI.Bibliografias Educomunicação APARICI.eca. 15 a 19 – Anos de 2010 a 2014. Comunicação e Educação: a linguagem em movimento. Prof. Adílson. Educomunicação: imagens do professor na mídia. 2014. Prédio 1 – Central 1º Andar. SOARES. São Paulo.usp. São Paulo: Coleção Educomunicação.revistas. Mídia e Educação. Disponível em: http://www. Adilson Odair. 2008. Maria Cristina (orgs. CITELLI. Adilson Odair (org. 2011. Coleção Educomunicação. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. Roberto (org.). MORIN. São Paulo. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. Paulinas Editora. Edgar. Educomunicação: mais além dos 2. São Paulo. SP. Paulinas Editora.). OROZCO GÓMEZ. sala 113 Cidade Universitária. Paulinas Editora. o profissional.usp. COSTA. CITELLI. Paulinas Editora. Coleção Educomunicação. 2001. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av.0. São Paulo: SENAC. Educomunicação: o conceito. a aplicação. 2012. 2010. São Paulo: Coleção Educomunicação.

MCMURTRIE. O livro no Brasil: sua história. 2005. 2005 CALVINO. Petrópolis. Lúcio Martins Rodrigues. Ateliê Editorial. . São Paulo. São Paulo: Cultrix. Laurence. São Paulo: Edusp. e TEZZA.O livro. SP. Brasilia.0. Teoria da literatura: uma introdução. Ítalo. 1997. 443. Alfredo. EAGLETON. Terry. Elementos do Estilo Tipográfico Versão 3. Companhia das Letras. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. Emanuel.br . SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. A. Cosac Naif. A construção do livro. 1969. HALLEWELL. São Paulo: Martins Fontes. BOSI. HANDAEL. Richard. 2001.br/graduacao | email: gradueca@usp. Douglas C. 1986. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2ª ed. FARACO. Prédio 1 – Central 1º Andar. C. Uma história da leitura. INL. 2006. 1993.usp. BRINGHURST Robert. São paulo. História concisa da literatura brasileira.Bibliografias Editoração ARAÚJO. Prática de texto para estudantes universitários. e ampl. 2004. Vozes. SP. São Paulo. sala 113 Cidade Universitária. 43ª ed. O Design do Livro. Fundação Calouste Gulbenkian. 2003 (Coleação Artes do Livro 1) MANGUEL. Lisboa. 05508-020. C. Por que ler os clássicos? SP: Companhia das Letras.eca. rev. Prof.A.

Ética Pós Moderna.C. São Paulo: Summus.br . J. Realidade: 1966-1968. Bauru : Edusc. Rio de Janeiro: Record. COSTA. CLARK. 1986. A. 1994. KEHL. 2006. São Paulo: Best Seller. A aventura da reportagem. D. CHANTLER.. 1999. BERTRAND. M. S. A arte da reportagem. 1986. São Paulo: ECA/USP. 2a edição. FARO. Para escrever bem. Prédio 1 – Central 1º Andar. São Paulo. São Paulo: Summus. CHAPARRO. São Paulo: Summus. ASSUMPÇÃO. sala 113 Cidade Universitária.R. hostória da TV brasileira em 3 canais. São Paulo: Scritta. M. Ricardo. 1989 FUSER. 1996. CHAGAS. Vol. 1. Prof. O Direito de Comunicar. M. Z. Lúcio Martins Rodrigues. 1994. BAUMAN. Gilberto e KOTSCHO. São Paulo: Brasiliense. São Paulo: Summus. Rio de Janeiro: Mauad/Eduff.br/graduacao | email: gradueca@usp. tempo de reportagem na imprensa brasileira. DIMENSTEIN. I. S. João Batista de. Igor. P. a história contada pelos jornalistas. 05508-020.usp. Alberto. FENAJ. São Paulo: Manole. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. Claude-Jean. Rio de Janeiro: Fenaj. A deontologia das mídias.eca. e HARRIS. Manual Nacional de Assessoria de Imprensa. M. 1988.. 1992. 1997. 1990. H. Um país no ar. SP. Pragmática do Jornalismo. FISCHER. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. As manobras da informação. Campeão de audiência. 443. São Paulo: Paulus. SIMÕES. O. 1996. O Brasil sem retoque (1808-1964).Bibliografias Jornalismo ABREU. DINES. São Paulo:Brasiliense. Walter. 2000. O papel do jornal. Carlos. Tradução de Maria Leonor Loureiro. O & BOCCHINI. 2001. Radiojornalismo.

2010. 1990. 2000 SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. Porto Alegre: Sagra CD Luzzatto. São Paulo: Contexto. 2000. Laurindo. PORCHAT. João.. LAGE. SODRÉ. PENA. 1992. Sebastião. Os mil dias.GREENE. SANTAELLA. MACHADO. MACHADO. 443. As 48 leis do poder. São Paulo: Brasiliense. Lúcio Martins Rodrigues. 1996. São Paulo: Experimento. KUCINSKI. São Paulo: Alegro. E. Arlindo. Manual de radiojornalismo (Jovem Pan). J.. L. São Paulo: Globo. L. São Paulo: Arte e Ciência. SP.br/graduacao | email: gradueca@usp. LINS DA SILVA. C. LOREDO. São Paulo: Paulus. A ilusão especular. Era uma vez . SACCHI. Almanaque da TV: 50 anos de memória e informação. Ricardo. Rogério. 1986. MARCONDES. J. Fotojornalismo. São Paulo: Atica. O discurso filosófico da Modernidade. O escavador de silêncios. A apuração da notícia. 2004. 2005. A Televisão levada a sério. Rio de Janeiro: Rocco. Jornalistas e revolucionários nos tempos da imprensa alternativa. Entrevista: a arte e as histórias dos maiores entrevistados da TV Brasileira. XAVIER. São Paulo: Scritta. A nova televisão. FERRARETO. Robert. 1993. Petrópolis: Vozes. Jornalismo online. História da imprensa no Brasil. KOPPLIN. São Paulo. A reportagem: teoria e técnica da entrevista e pesquisa jornalística. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. Nelson Werneck.usp. 2006. Assessoria de Imprensa: teoria e prática.P.br . Lisboa: Dom Quixote. São Paulo: SENAC. 1998. sala 113 Cidade Universitária. TRAMONTINA. a televisão. HABERMAS. São Paulo: Summus. Rio de Janeiro: Relume-Dumará. 1996. 1992. 2000. Cultura das mídias. Ivan. Petrópolis: Vozes. Lisboa: Letras Contemporâneas. Teoria do Jornalismo. 1997. N.eca. 2001. 1990. Prof. Nelson. A melhor TV do mundo. C.E. L. São Paulo: Brasiliense. PEREIRA JR. 1984. Fotojornalismo brasileiro: realidade e linguagem. C. M. Prédio 1 – Central 1º Andar. HOINEFF. Rio de Janeiro: Record. SOUSA. Arlindo. LEAL FILHO. São Paulo: Martins Fontes. LIMA. Bernardo. Rio de Janeiro: Objetiva. Carlos Eduardo. 2002. SQUIRRA. 1996.. F. 05508-020. 1991.

1989. Timothy. Parte I. Vasco.br/graduacao | email: gradueca@usp. tonalidades. NEVES.ed. Pinto/Editor. 2008. SP: Embraform. rítmicas mais recorrentes. Uma breve história da música. LIMA.  Teoria da Música BRISOLLA. 2 volumes. intervalos. tríades.br. Cyro Monteiro. notas auxiliares (notas estranhas ao acorde). análise harmônica. BENWARD.  Percepção Musical BENWARD. RJ: Nova Fronteira. PRINCE. notação musical. 6 ed ampliada e com CD. (d) Educação Musical (somente para os candidatos ao curso de Licenciatura): conhecimentos contemplados na bibliografia específica indicada abaixo. Maria Lúcia e PASCOAL. História Social da Música Popular Brasileira. LIMA. Lúcio Martins Rodrigues. Arnold. Percepção Musical: Leitura cantada à primeira vista. Alexandre. Livro eletrônico: www.eca. Theophilo Augusto. Donald e PALISCA. SP: Ricordi. História da música ocidental. Independente. Série didático-musical. 05508-020. Sérgio. Estrutura tonal: Harmonia. JACCHIERI. Exercícios de teoria musical: uma abordagem prática. Bruce. 2007. sinais de expressão. 2004. Prof. 2008. José Ramos. SCHOENBERG. 4 ed.com. São Paulo: Editora 34. 443. 2006. rítmicas mais recorrentes. História da música no Brasil. HINDEMITH. RJ: Lumiar. 1986. 2002. Gradiva. Hermes Daniel & PINTO. Cadernos de Música da Universidade de Cambridge. Paul. SP: Annablume. tríades. CARR. cadências. 2011. SP: Edusp / Editora da Unicamp. Princípios de harmonia funcional. Roy. São Paulo: EDUSP. claves. (c) Percepção Musical: identificação pela audição de: melodias a uma ou a duas vozes. progressões harmônicas. cadências. Harmonia: uma abordagem prática. 1988. Lisboa. 2000. MARIZ. progressões harmônicas. Música contemporânea brasileira. Série didático-musical. Fundamentos da composição musical. RJ: Contracapa. RJ: Jorge Zahar Ed. Treinamento elementar para músicos. Bruce e KOLOSICK. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. A música moderna: uma história concisa e ilustrada de Debussy a Boulez. São Paulo: Theophilo A. Marisa Ramires e FIGUEIREDO. Maureen. 1997. A arte de ouvir: percepção rítmica. José Maria. PROVA TEÓRICA A Prova Teórica possui peso 2 e será formulada de acordo com o conteúdo da Bibliografia. RJ: Jorge Zahar. intervalos. Marisa Ramires R. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. GRIFFITHS. 2 ed. (b) Teoria da Música: reconhecimento e manipulação de: escalas maiores e menores. terminologia musical. Adamo. SP. São Paulo.cultvox..br . Prédio 1 – Central 1º Andar. 2008. São Paulo: Edusp / Editora da Unicamp. Notas Introdutórias: Exercícios de Teoria Musical. Claude.usp. TINHORÃO. 5. Percepção musical: prática auditiva para músicos.Bibliografias Bacharelado e Licenciatura em Música PROGRAMA 1. Bibliografia:  História Geral da Música BENNETT. GROUT. 2008. PASCOAL. fórmulas de compasso. notas auxiliares mais recorrentes. São Paulo: Ed. 1998. sala 113 Cidade Universitária. modos. Paul. compreendendo os seguintes assuntos: (a) História Geral da Música: conhecimentos contemplados na bibliografia específica indicada abaixo.

pronunciando os nomes das notas. FONTERRADA. O candidato deve tocá-lo com fluência. A apresentação da obra ao vivo ou a entrega de uma gravação são optativas: Avalia a produção artística do candidato. Ernesto Nazareth e Edu Lobo. (b) Reconhecimento auditivo de intervalos e acordes. (d) Leitura à primeira vista ao piano de alguns dos corais de Johann Sebastian Bach. ou Século XX: Avalia a desenvoltura técnica. Bach ou ao dos choros e valsas de Pixinguinha. ao piano. Clássico. 2. S.pdf) SCHAFER. ao instrumento indicado pelo candidato. Gisele et al (coord). sala 113 Cidade Universitária.3. Avalia a desenvoltura técnica. O ouvido pensante. Prédio 1 – Central 1º Andar. Possui peso 2. (acesso ao PDF: http://www. Avalia a capacidade da execução à primeira vista ao piano. S. (c) Leitura à primeira vista. a compreensão e a interpretação musicais. bem como a expressão do conhecimento teórico. Para o Curso de Licenciatura em Música (a) Prova oral: Avalia a compreensão do candidato em relação às questões educacionais musicais. (d) Execução. PROVA PRÁTICA A Prova Prática será realizada individualmente. Possui peso 3. De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação. SP: Ed. através da performance. (b) Leitura à primeira vista cantada de melodias indicadas pela banca examinadora: Avalia a capacidade de execução de linhas melódicas simples através do canto. Para o Curso de Bacharelado em Música com Habilitação em Composição (a) Prova oral: Avalia a compreensão do candidato em relação à carreira. (c) Leitura à primeira vista cantada de melodias indicadas pela banca examinadora: Avalia a capacidade de execução de linhas melódicas simples através do canto.br/graduacao | email: gradueca@usp. (b) Leitura à primeira vista cantada de melodias indicadas pela banca examinadora: Avalia a capacidade de execução de linhas melódicas simples através do canto. levando em consideração seu histórico. Possui peso 1. O candidato deve entoá-las com afinação e fluência. levando em consideração seu histórico. presentes na Bibliografia acima proposta.amusicanaescola. 443. Possui peso 2. A peça escolhida deverá ter um nível compatível ou superior ao das Invenções e Sinfonias de J.com. a compreensão e a interpretação musicais. Possui peso 1. São Paulo. 05508-020. Marisa. 2. 2012. Possui peso 2. Romântico. de uma peça de livre escolha. O candidato deve entoá-las com afinação e fluência. A entrega da partitura da obra à banca é obrigatória. 2.br . Lúcio Martins Rodrigues.1. Possui peso 1. pertencente aos períodos Barroco. (e) Apresentação de uma composição original de sua autoria.2. estilístico e histórico do candidato através da performance. do repertório erudito ou popular. Peirópolis. Possui peso 1. SP: Ed. Unesp. 1991. Música na educação infantil: propostas para a formação integral da criança. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. SP: Allucci & Associados Comunicações. A peça escolhida deverá ter um nível técnico compatível ou superior ao das Invenções e Sinfonias de J. Possui peso 2. 2003. Educação Musical (somente para os candidatos ao curso de Licenciatura) BRITO. c) Execução vocal ou ao instrumento indicado pelo candidato. bem como a expressão do conhecimento teórico. Para o Curso de Bacharelado em Música com Habilitação em Regência (a) Prova oral: Avalia a compreensão do candidato em relação à carreira. Teca Alencar de. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. A Música na Escola. SP: Editora da Unesp. de um fragmento musical apresentado pela banca: Avalia a capacidade da execução à primeira vista ao piano. SP. de uma peça erudita de livre escolha. estilístico e histórico do candidato. JORDÃO. pronunciando os nomes das notas. R. 2005. Bach. Possui peso 3. levando em consideração seu histórico. 2. O candidato deve tocá-lo com fluência.usp. Murray.eca.br/pdf/AMUSICANAESCOLA. pronunciando os nomes das notas. O candidato deve entoá-las com afinação e fluência. de acordo com as especificidades relacionadas a cada curso. Possui peso 1. Possui peso 2. Prof.

443. a compreensão e a interpretação musicais.br . através da performance. a desenvoltura técnica. I.A. Vivaldi – Gloria RV 589 W.2. Para o Curso de Bacharelado em Música com Habilitação em Canto e Arte Lírica (a) Prova oral: Avalia a compreensão do candidato em relação à carreira. São Paulo. Gluck – Ária: O del mio dolce ardor.93 F. (c3) Uma peça de livre escolha.5. Possui peso 2. Possui peso 1. 05508-020. em Do menor.Canção de câmara brasileira . às suas expensas. pertencente aos períodos Barroco. Monteverdi . Op. estilístico e histórico do candidato através da performance. o potencial. listadas a seguir: Avalia a aptidão. Clássico. levando em consideração seu histórico. Mozart – Réquiem K 626 L. Possui peso 5.Lamento d’Arianna (ciclo coral) A. 2. a serem indicadas pela banca examinadora: Avalia o conhecimento do candidato em relação ao repertório sinfônico.Concerto no 1 para piano e orquestra. - C. (c) Execução das peças indicadas no programa do instrumento escolhido. Op. Romântico. Possui peso 2. W. pronunciando os nomes das notas. A. ou Século XX. (f) Identificação.1. O candidato deve entoá-las com afinação e fluência.4. sala 113 Cidade Universitária. e uma peça de livre escolha. pronunciando os nomes das notas. de trechos de algumas dentre as obras abaixo relacionadas. Possui peso 5. Possui peso 1. Flauta (c1) Cécile Chaminade: Concertino.usp. (c2) W. Avalia a desenvoltura técnica. Oboé (c1) Escolher uma entre as duas obras abaixo relacionadas: SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av.Ária de ópera. John Adams – Lollapaloosa 2. 1. 68 C. in Fá Maior. (b) Leitura à primeira vista cantada de melodias indicadas pela banca examinadora: Avalia a capacidade de execução de linhas melódicas simples através do canto. 1. 2.5. Lúcio Martins Rodrigues. Debussy – Prélude a l’aprés-midi d’un faune. através da audição. de uma peça erudita de livre escolha. Chopin . 107. Op. 2.eca. (b) Leitura à primeira vista cantada de melodias indicadas pela banca examinadora: Avalia a capacidade de execução de linhas melódicas simples através do canto. Brahms – Sinfonia no. levando em consideração seu histórico. van Beethoven – Sinfonia no. Prédio 1 – Central 1º Andar. 313.br/graduacao | email: gradueca@usp. (c) Programa: Execução vocal de duas obras: C. Mozart: Primeiro movimento do Concerto em Sol Maior. a compreensão e a interpretação musicais. em Mi menor.5. ao instrumento indicado pelo candidato. . Op. oratório ou cantata Observação: O candidato deverá comparecer preferivelmente acompanhado por um pianista apto a executar as obras do programa. bem como a expressão do conhecimento teórico. 11 J. SP. que se enquadre nas opções abaixo relacionadas: Avalia a aptidão. estilístico e histórico do candidato. Possui peso 1. estilístico e histórico do candidato através da performance.(e) Execução. Villa-Lobos – Bachianas Brasileiras No. Possui peso 2. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. a compreensão e a interpretação musicais. bem como a expressão do conhecimento teórico. bem como a expressão do conhecimento teórico. a desenvoltura técnica. 8. o potencial. K. Para o Curso de Bacharelado em Música com Habilitação em Instrumento Todos os candidatos ao Curso de Bacharelado em Música com Habilitação em Instrumento realizarão as seguintes atividades: (a) Prova oral: Avalia a compreensão do candidato em relação à carreira. Stravinsky – Petrushka H.Lied ou canção do período Romântico . O candidato deve entoá-las com afinação e fluência. Prof.

solo. van Beethoven: Sonata para trompa e piano.9. Ketting. Melodious Etudes for Trombone. A. Corelli.usp.Sinfonia No. -Wagner . G. Guilmant: Morceau Symphonique. Neruda. 3º movimento . 2. 2. G. (c3) Escolher um solo entre as peças abaixo: -Barat/Smith. J.P.Claro Clarone. retirado de algum trecho abaixo: -Mahler . Prédio 1 – Central 1º Andar.6. 443. 2.8.W. 2. N.Sinfonia No..5. Mozart: Primeiro movimento do Concerto n. G. Balay.Abertura dos Mestres Cantores . 60 Selected Studies. Famous Method. 4 para trompa e orquestra. Thome: Fantasy. Lúcio Martins Rodrigues.3. Torelli.Sinfonia No.eca. . Haydn: Primeiro movimento do Concerto em Dó Maior. Purcell.Concerto para Clarinete e Cordas (com cadência). . sala 113 Cidade Universitária. Telemann. A. J. . . (c2) Uma peça de livre escolha. Mozart: Primeiro movimento do Concerto n.Hommages para clarinete solo (escolher um dos estudos). J. F. volume1. E. Hindemith: Sonata. 5. Enesco.Bela Kovács .W. SP. 3 para trompa e orquestra. (c3) Uma peça de livre escolha.Sonata para Clarinete Baixo solo.5. (c2) Uma obra selecionada entre os seguintes compositores: Osvaldo Lacerda.br/graduacao | email: gradueca@usp. (c2) Harald Genzmer.A. -Wagner . (c2) Uma peça de livre escolha.Ronaldo Miranda . Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3.7.F. (c3) Escolher uma entre as três obras abaixo relacionadas: . -Bruckner . Goedicke: Concert Study. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. 1. 2.moderado. Fagote (c1) W. -Kopprasch. Haydn. .J. Prof. (c2) Uma peça de livre escolha. P. O.Cavalgada das Valkirias. (edição para Trompete.5. Hummel. (c2) Aaron Copland .br .5. . livro 1.segunda peça das 3 peças para clarinete solo.5. Clarone (Clarinete Baixo) (c1) Gilberto Mendes .L. H. Introduction and Dance. 191. J. G. Mozart: Primeiro movimento do Concerto em Dó Maior. Bozza. (c2) Escolher um trecho orquestral. 2. 05508-020. . Barat. Ibert. KV622.Lúdica para clarinete solo.W. Tuba (c1) Escolher um estudo dentro dos métodos abaixo: -Blazevich. 7. Clarinete (c1) W A Mozart . primeiro movimento .5.4. Trompete (c1) Escolher uma entre as três obras abaixo relacionadas: . -Prokofiev . -Arban. Mozart: Primeiro movimento do Concerto em Si b Maior.5. Trombone (c1) A.Concerto para Clarinete e Orquestra em lá maior.5. Trompa (c1) Escolher uma entre as três obras abaixo relacionadas: . K. 70 Advanced Etudes. G.Igor Stravinsky .letra J-L. (c2) Uma peça de livre escolha. A. A. São Paulo. Ropartz. -Rochut. 2. Trombone ou Tuba). A.

Violino (c1) R. Kreutzer: Estudo n. 5 (Ponteado Nordestino).-Curnow.5. .5. Percussão (c1) Morris Goldenberg: Farfel´s Gavotte do livro 12 Progressive Solos for Snare Drum. 3.14. em Lá menor.12. . (c2) Primeiro movimento de um Concerto. (c3) Uma peça de livre escolha. . executada ao órgão. 2. em Sol Maior. Fernando Sor (exceto Minueto Op. 11 nº 4). 22. Mario Castelnuovo-Tedesco. 2. Violoncelo (c1) C. em Sol Maior. Prof. (c2) Uma peça de livre escolha. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. Concertino. Prédio 1 – Central 1º Andar. Piano (c1) J. S.G.br/graduacao | email: gradueca@usp. (c2) F. em Lá Maior. .G. Obs. Federico Moreno Torroba. Haydn: Concerto em Dó Maior.5. 05508-020. S.W.16. (c2) Um movimento em andamento vivo de Sonata de Haydn. Haydn: Concerto em Sol Maior. SP. São Paulo. Vibrafone. Sonata for Tuba and Piano. 443. dos 10 Études Mélodiques. 3 para violoncelo).J. Six Studies in English Folk Song. 57. a escolher entre: . 5.11. Giulio Regondi. Op. Xilofone) com duas ou quatro baquetas. Saint-Saëns: O Cisne.usp. . Francisco Tárrega.13. de I.eca. -Vaughan Williams. Mozart: Concerto n. A. Mozart ou Beethoven. 2.17. A. executado ao piano. Manuel Ponce. B. (c3) Uma peça de livre escolha.W. Lúcio Martins Rodrigues. Viotti: Concerto n. Mozart: Concerto n. em Ré Maior. A. Alexandre Tansman. com cadenza. Galamian.5. em Mi Maior (dos 42 Estudos).br .W. (c3) Leitura à primeira vista ao teclado (duas baquetas) de peça indicada pela banca examinadora 2.10. B. Napoleón Coste. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. -Frackenphol.5. 2. Órgão (c1) Um movimento em andamento vivo de Sonata de Haydn. (c3) Uma peça de livre escolha. 2. Viola (c1) J. Mozart ou Beethoven. sala 113 Cidade Universitária. A. Agustín Barrios. 2. Mozart: Concerto n. Viotti: Concerto n. Bach: Um Prelúdio e Fuga do Cravo Bem Temperado. Bach: Prelúdio da Suíte n. Heitor Villa-Lobos. 4. (c4) Leitura à primeira vista ao piano de peça indicada pela banca examinadora.5. 2. 3. Guerra-Peixe: Prelúdio n. Joaquín Turina. Mauro Giuliani. (c2) Uma peça de livre escolha para teclados (Marimba. 1. volume I ou II. em Dó Maior (transcrição da Suíte n. Kummer: Estudo n. Abel Carlevaro e Leo Brouwer. (c2) Uma peça de livre escolha. (c2) Uma peça de livre escolha. Viola Brasileira (c1) C.5. .5.15. Violão (c1) Fernando Sor: Minueto Op.J.: Numeração de acordo com a edição International Music. 23. 11 nº 4 (c2) Uma obra selecionada dentre os seguintes compositores: Dionísio Aguado. 8.

Propaganda de A a Z: como usar a propaganda para construir marcas e empresas de sucesso. São Paulo: Cengage Learning. História da propaganda brasileira: dos fatos à linguagem) e 5 (José Carlos Carreira. Lúcio Martins Rodrigues. Capítulos 4 (Vander Casaqui.usp. e PEREZ.br/graduacao | email: gradueca@usp.Bibliografias Publicidade e Propaganda BARBOSA. Clotilde (orgs). Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. São Paulo: Ática. Avanços e aplicações.S. Nelly. Rafael. Prédio 1 – Central 1º Andar. 443. Aspectos complementares da comunicação integrada de marketing. Gino. CARVALHO. 2002. Terence. Propaganda e Promoção. SHIMP. 1997. 1998. Mitsuru H. Gestão de Marketing e Comunicação. Rio de Janeiro: Campus. Porto Alegre: Bookman. sala 113 Cidade Universitária.br .Comunicação do Marketing SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. (Capítulo 17 . Publicidade a Linguagem da Sedução . Prof. SAMPAIO. 2007. Capítulo 2 "O processo de comunicação de marketing" YANAZE. (Capítulo 1" Visão geral da comunicação integrada de marketing". São Paulo. 1991. Da estratégia do anunciante à comunicação publicitária: o caminho do significado) GIACOMINI FILHO. São Paulo: Summus. Hiperpublicidade I. Fundamentos e interfaces. São Paulo: Saraiva. 05508-020.eca. 2007. SP. I. Consumidor Versus Propaganda.

DI FELICE. Relações Públicas na Construção da Responsabilidade Histórica e no Resgate da Memória Institucional das Organizações. Tudo é comunicação. Margarida M. Krohling (org). 1997. São Paulo: Summus: 2003. São Paulo: Summus. São Caetano do Sul: Difusão. São Caetano do Sul. > 2008.Bibliografias Relações Públicas KUNSCH. São Paulo: 3º edição. 05508-020. Massimo. Krohling. .NASSAR. 1995.NASSAR. Difusão. São Caetano do Sul. São Paulo. Paulo. São Paulo: 2º edição atualizada. sala 113 Cidade Universitária. Prédio 1 – Central 1º Andar. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. ampliada e atualizada). Roberto Porto. Relações públicas e modernidade: novos paradigmas na comunicação organizacional. Margarida M. Obtendo resultados com relações públicas. Planejamento de relações públicas na comunicação integrada .usp. 2006. São Paulo: Lazuli. 2009.eca. Summus. Margarida M. Relações Públicas: função política. Gaudêncio. 443. Os fundamentos de relações públicas e da comunicação. Tratado de comunicação organizacional e política. Torquato. 1995. 2007. Prof. Philip. SIMÕES. Lúcio Martins Rodrigues. Margarida M. Krohling (org) Gestão estratégica em comunicação organizacinal e relações públicas. Do Público para as redes. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. LESLY.4ª ed (revista. 2008. 2002 . Krohling.br/graduacao | email: gradueca@usp. Difusão Editora. São Paulo: Pioneira. KUNSCH. Paulo.br . São Paulo : Pioneira Thomson Learning. Thompson Learning. . KUNSCH. KUNSCH. SP.

et al. K. Prédio 1 – Central 1º Andar.T.br/graduacao | email: gradueca@usp. SOLHA.) Agência de Viagens e Turismo: práticas de mercado. TELES. M.). SOLHA. K. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. Rio de Janeiro: Campos-Elsevier. Porto Alegre: Bookman. et al. Lúcio Martins Rodrigues. Turismo no Percurso do Tempo.br . Turismo e Meio Ambiente. Mario Carlo. REJOWSKI. Rio de Janiro: Campos-Elsevier. D. Debora Cordeiro (org. São Paulo. Planejamento Turístico: teoria e prática. Barueri: Manole. 2011. São Paulo: Aleph. Rio de Janeiro: Campos-Elsevier. 05508-020.T . 2003 TELES.. SP. 2007. Chris. RUSCHMANN. Fundamentos Geográficos do Turismo. Planejamento Turístico. Barueri: Manole.usp. 2008 BRAGA. Turismo uma Visão Empresarial.Bibliografias Turismo BENI. Reinaldo Miranda de Sá. Reinaldo Miranda de Sá (org. SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. Análise Estrutural do Turismo. Debora Cordeiro. Prof. 2005. 2009. 2005 RUSCHMANN. D. BRAGA. 2007 COOPER. 443. 3a Edição. Rio de Janeiro: Campos-Elsevier.eca. sala 113 Cidade Universitária. 2002. . Turismo: princípios e práticas. São Paulo: SENAC.

São Paulo. A TV levada a sério. 05508-020. Brasiliense. Brasiliense. 443. XAVIER. Prédio 1 – Central 1º Andar. O Discurso Cinematográfico. Robert. A Linguagem Cinematográfica. Brasil Fone: +55 11 3091-4026 – 3091-4031 www3. Lúcio Martins Rodrigues. O que é Cinema.Bibliografias Audiovisual BERNARDET. sala 113 Cidade Universitária. MARTIN. 2003. MCKEE. Story: Substância.usp. Arlindo. Ismail. São Paulo: Senac 2000. estilo e os princípios da escrita de roteiro. São Paulo. estrutura.br/graduacao | email: gradueca@usp. capítulos 1 e 2 SERVIÇO DE GRADUAÇÃO (SG) Av. Marcel. Jean-Claude.eca. 2005. 2006. Curitiba.br . Arte e Letra. SP. 1980 MACHADO. Paz e Terra. Prof. Rio de Janeiro. São Paulo.