You are on page 1of 6

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Instituto de Química - Engenharia Química
Grupo: Berenice Kpocheme, Dominique Castro, Jéssica Coimbra, Sabrina Ianes, Thays Pontes

Química Inorgânica Experimental I
Cobre
15.1 - Ação de ácidos sobre o cobre metálico
Ao se adicionar HNO3, H2SO4 e HCl (soluções concentradas e diluídas)
ao cobre metálico, foram observadas as seguintes reações:

Ao adicionar HNO3:

Ao adicionar ácido nítrico concentrado às raspas de cobre metálico,
observou-se durante o aquecimento o desprendimento de gás marrom e a
solução assumiu uma cor azul.
Reação: 4 HNO3 (aq) + Cu(s) → Cu2+(aq) + 2 NO3-(aq) + 2 H2O

(l)

Quando foi adicionado ácido nítrico diluído às raspas de cobre,
observou-se a mesma reação ocorrida ao se adicionar a solução de HNO 3
concentrada, porém em menor intensidade.
Reação: 8 HNO3 (aq) + 3 Cu(s) → 3 Cu2+(aq) + 6 NO3-(aq) + 2 NO(g) + 4 H2O (l)

Ao adicionar H2SO4:

Após adicionar a solução de H 2SO4 concentrada às raspas de cobre, a
solução assumiu uma coloração parda. Ao se aquecer, o cobre metálico se
desmanchou transformou em um precipitado (pó) cinza e a solução assumiu
uma coloração verde musgo.

Reação: Cu(s)+ 2H2SO4(aq)

CuSO4(aq)+ SO2(g) + 2H2O(l)

Quando foi adicionado H2SO4 diluído ao cobre, ocorreu apenas intensa
evaporação.

Ao adicionar HCl:

Na solução com o HCl concentrado, durante o aquecimento, a solução
que inicialmente era amarela ficou incolor e após o resfriamento voltou a
assumir uma coloração amarelada.
Quando adicionou-se a solução de HCl diluído às raspas de cobre, houve
evaporação durante o aquecimento e não foi observado nada após o
resfriamento da solução.
Podemos explicar a baixa reatividade do cobre devido as maiores
entalpias de sublimação e maiores energias de ionização. Os metais do

Após o aquecimento da mistura. foi adicionada a solução aquosa de NH 3 concentrada (15 mol L-1) até a dissolução do precipitado gelatinoso formado e observouse que a solução que inicialmente possuía uma coloração azul clara. foi adicionado HCL em excesso.2 – Preparação e propriedades do Cu2O: Foi dissolvido 1. não reagem com água nem com ácidos liberando H 2. . foram aquecidos alguns cristais de CuSO4 . Em outro tubo de ensaio. . a solução em 5 partes e observou-se: Ao primeiro tubo. adicionou-se solução de NH 3 (1:1) e após o tubo ser arrolhado e agitado observou-se que o precipitado se diluiu e a solução assumiu uma coloração intensamente azul. 5 H2O (“como você explica mudança de cor?”). Dividiu-se então. o primeiro foi reservado e ao segundo foi adicionado H 2SO4 3 mol L-1. adicionou-se 4mL de NaOH a 20%. assumiu uma coloração azul intensa. foi misturado 3mL de solução de CuSO 4 com o mesmo volume de solução de NaBr 1 mol L -1 . Após lavado. No segundo tubo. o precipitado foi dividido em dois tubos de ensaio. os cristais foram dissolvidos em 5mL de água destilada e observou-se que a solução voltou à sua coloração inicial em função da hidratação do complexo. Assim.4 – Complexos de cobre: Em um tubo de ensaio seco. porém.3 – Preparação e propriedades dos haletos de cobre (I): Ao adicionar HCl 1:1 (6 mol L-1) ao segundo tubo de ensaio do experimento anterior. observou-se que a coloração assumiu uma coloração verde e houve formação de precipitado branco e precipitado pardo. 15.0g de CuSO 4 em 5mL de água destilada e adicionado 0.5g de glicose. a solução assumiu uma coloração azul e formou-se um precipitado vermelho. mas reage com HNO 3 e H2SO4 concentrados.Grupo do Cu possuem valores positivos de E° (potenciais padrão de redução) e se situam abaixo do hidrogênio na série eletroquímica. O cobre não reage com ácidos não oxidantes. A mesma foi agitada e fervida até que observou-se um precipitado vermelho. o que evidenciou a propriedade redutora do Cu+. Ao segundo tubo. Não houve reação no primeiro tubo. Em seguida. Ao primeiro. os cristais assumiram uma coloração mais clara devido a evaporação da água de hidratação. 15. o sobrenadante foi descartado e o precipitado foi lavado três vezes com água destilada. 15. A mistura foi centrifugada. foi obtido um precipitado branco e este foi dividido em dois tubos de ensaio. Depois de aquecido. Assim. no qual o precipitado branco se diluiu e a solução assumiu uma intensa coloração parda. adicionou-se lentamente cristais de Na2SO3 até que a coloração azul desaparecesse. Após o aquecimento.

adicionou-se 1mL de solução de glicose e a mistura foi agitada. Ao quarto tubo. Adicionando solução de NH3 (1:1).  KCl: KCl + AgNO3 (diluída) → K NO3 + AgCl Observou-se formação de um precipitado branco. . Em seguida. KBr e KI. 1mL de solução 0. observou-se formação de um precipitado pardo que logo se solubilizou. foi colocado a cada tubo 1mL de solução diluída de AgNO 3 (0.Reação: CuSO4(aq. A solução foi aquecida em banho maria a 80°C e observou-se a formação do espelho de prata no vidro de relógio. Em seguida. que faz mudar a energia de ligação.)+ 4NH3(aq) [Cu(NH3)4]2+(aq)+SO42-(aq) Ao segundo tubo. Ao terceiro tubo. foi adicionada solução saturada de NaBr e foi observado.1 – Propriedade oxidante da prata (I): Colocou-se em um vidro de relógio.2 – Solubilidade dos haletos de prata: Foi colocado em quatro tubos de ensaio. 16 – Prata: 16. desengordurado com potassa alcoólica. cerca de 1mL de solução de AgNO 3 a 10% . atingindo assim outra faixa do visível e consequentemente mudando a cor correspondente refletida. 16. respectivamente.  KI: KI + AgNO3 (diluída) → K NO3 + AgI Observou-se formação de um precipitado amarelo. logo nas primeiras gotas a formação de um precipitado castanho-avermelhado escuro. adicionou-se etilenodiamina e observou-se que a coloração da solução passou de azul claro para roxo.1 mol L-1)e foram observadas as seguintes reações:  KBr: KBr + AgNO3 (diluída) → K NO3 + AgBr Observou-se formação de um precipitado amarelo esverdeado. Essas mudanças de cor podem ser explicadas pela mudança do ligante na estrutura do complexo. KCl.5 mol L-1 de KF. foi adicionado solução aquosa de HCl concentrado ( 12 mol L-1) e observou-se que a coloração da solução passou de azul claro à verde claro.

Adicionando Na2S2O3 no precipitado de KI continuou sem ocorrer solubilização. Os precipitados obtidos foram divididos em duas frações. 17 – Zinco: 17. observou-se:  KBr : o precipitado assumiu uma coloração lilás. KI: AgI + NH3 → [Ag(NH3)2]+ + Io precipitado não se solubilizou. KCl: AgCl + NH3 → [Ag(NH3)2]+ + Clsolubilização do precipitado branco.  KI: nada ocorreu. . Aos haletos expostos ao ar. Por fim. é possível concluir que KI é insolúvel em NH 3. a primeira fração foi exposta ao ar e à segunda foi adicionado 2mL de solução NH 3 (1:1).1 – Propriedades redutoras do zinco: Para testar as propriedades redutoras do zinco foram feitas as seguintes reações:  Zinco metálico (granulado) + HCl: Sem aquecimento. KF: KF + AgNO3 (diluída) → K NO3 + AgF Não houve formação de precipitado. foi aproximado um palito de fósforo em chama à extremidade contendo a solução e foi observada uma pequena explosão devido ao gás hidrogênio desprendido da reação abaixo: Reação: Zn + 2 HCl → ZnCl2 + H2  Zinco metálico (granulado) + NaOH: Mesmo quando a mistura foi aquecida. não houve reação. foi possível observar:    KBr : AgBr + NH3 → [Ag(NH3)2]+ + Brsolubilização do precipitado amarelo esverdeado.  KCl: nada ocorreu. Sendo assim.

Assim. formando zincatos tais como [Zn(OH)4]2. Reação: Zn(NO3)2 + ZnCO3→ ZnO + CO2 + NO Ao se estudar o comportamento do ZnO em água. respectivamente.. O Zn(OH)2 se dissolve em um excesso de álcalis formando zincatos e também se dissolve em excesso de amônio.2 – Obtenção e propriedades ácido-base do óxido de zinco: Preparou-se ZnO por decomposição térmica de Zn(NO 3)2 e de ZnCO3. Reação: 2 HCl + ZnO → ZnCl2 + H2O  ZnO em NaOH: insolúvel. aos dois primeiros tubos foram adicionadas. Reação: ZnO(s) + 2NaOH(aq) → Na2ZnO2(s) + H2O(l) O ZnO é anfótero e se dissolve em ácidos. observou-se:  ZnO em água: parcialmente solúvel. e em álcalis. soluções de HCl 4 mol L -1 e NaOH 6 mol L-1 e ao terceiro tubo foi adicionada solução de NH 3 (1:1).) + H2O(l)  Zn(OH)2 + NaOH : o precipitado se solubilizou. Reação: Zn (OH)2(s)+ HCl(aq) → ZnCl2(aq.  Zn(OH)2 + NH3 : não houve solubilização do precipitado. A adição de álcalis a uma solução aquosa de Zn2+ leva inicialmente à formação de um precipitado branco gelatinoso de Zn(OH) 2 . observando-se o aparecimento de uma coloração amarelada no sólido durante no aquecimento e desprendimento de um gás de coloração marrom/parda. em uma solução de HCl 4 mol L-1 e em uma solução de NaOH 6 mol L-1 com aquecimento. foram observadas as seguintes reações:  Zn(OH)2 + HCl : o precipitado se solubilizou. (H2O)]. formando complexos amina. . Reação: ZnO(s) + H2O(l) → Zn(OH)2(s) (segundo a explicação da Bere é insoluvel)  ZnO em HCl: totalmente solúvel . 17. foi adicionado uma solução de NaOH 3 mol L -1 e observou-se a formação de um precipitado gelatinoso: Reação: ZnSO4 + 2 NaOH → Zn(OH)2 + Na2SO4 O precipitado foi dividido em três tubos de ensaio.17.e [Zn(OH)3 . que se dissolve num excesso de álcalis formando zincatos. formando sais.3 – Obtenção e propriedades hidróxido de zinco: Em um tubo de ensaio que contendo 4mL de solução de ZnSO 4 .

Quando o Zn(OH)2 é tratado com H2O2 forma-se um peróxido de composição variável. .