You are on page 1of 8

Estudos no Evangelho de João (18

)
“EU LHES TENHO DADO A TUA PALAVRA....” (Jo 17.1-26) [14]

E) A Unidade e a nossa Responsabilidade:
1) UM ESFORÇO INTENSO E PERSEVERANTE: (EF 4.3)
Paulo diz algo revelador a respeito da unidade cristã: “Esforçando-vos
diligentemente (Spouda/zw) por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”
(Ef 4.3).
1

2

Analisemos um pouco esta palavra: Os verbos spouda/zw e speu/dw, o
3
4
5
substantivo spoudh/, o advérbio spoudai/wj e o adjetivo spoudai=oj significam
“correr”, “apressar-se”, “fazer todo o esforço e empenho possível”, “urgenciar”, “ser
zeloso, diligente”, “esforço” e “aplicação”. Denota uma diligência que se esforça por
fazer todo o possível para alcançar o seu objetivo. O particípio presente aponta na
direção de nossa responsabilidade de mantermos esta atitude constantemente.
Ilustremos com algumas manifestações da igreja que revelam a sua solicitude,
esforço diligente por preservar a unidade:
a) Zelo em socorrer os irmãos:
1) Paulo, preso em Roma pede a Timóteo esta urgência em encontrá-lo:
“Procura (Spouda/zw) vir ter comigo depressa” (2Tm 4.9); “Apressa-te (Spouda/zw) a
vir antes do inverno.....” (2Tm 4.21).
Em outro contexto, havia solicitado o mesmo a Tito: “Quando te enviar Ártemas
ou Tíquico, apressa-te (Spouda/zw) a vir até Nicópolis ao meu encontro. Estou
resolvido a passar o inverno ali” (Tt 3.12).

1

O verbo Spouda/zw, que é bem traduzido por “esforçando-vos diligentemente” (ARA), tem a sua
ênfase enfraquecida em ACR, ARC e BJ, que o traduzem por “procurando”. Spouda/zw ocorre 11
vezes no NT (* Gl 2.10; Ef 4.3; 1Ts 2.17; 2Tm 2.15; 4.9,21; Tt 3.12; Hb 4.11; 2Pe 1.10,15; 3.14).
2
3
4
5

*Lc 2.16; 19.5,6; At 20.16; 22.18; 2Pe 3.12.
* Mc 6.25; Lc 1.39; Rm 12.8,11; 2Co 7.11,12; 8.7,8,16; Hb 6.11; 2Pe 1.5; Jd 3.
*Lc 7.4; Fp 2.28; 2Tm 1.17; Tt 3.13.
* 2Co 8.17,22 (duas vezes).

O inverno se aproximava.. servindo ao Senhor” (Rm 12. Muitos o haviam abandonado. 2Co 1. Rm 15. a “capa (. “diligência” e “solicitude” das igrejas de Macedônia.16-17).24. ainda que por um breve período. .7-8). quem o procurou solicitamente quando muitos de seus amigos o haviam abandonado: “Estás ciente de que todos os da Ásia me abandonaram. 1Co 16. contudo. com a nossa atenção e solidariedade. mas para provar.38. pela diligência (spoudh/) de outros. ninguém está além da necessidade de amizade e solidariedade. tendo ele chegado a Roma. A prontidão em socorrer os nossos irmãos revela a nossa unidade.15-18). em especial descrevendo a fraternidade cristã.11). 3) Paulo pede a Tito que encaminhe Zenas e a Apolo.Estudos no Evangelho de João 17 (18) – Rev.11.11). melhor do que eu. Quão bom é podermos contar com nossos amigos e. orientando-o para 6 que nada falte àqueles irmãos: “Encaminha (Prope/mpw) com diligência (spoudai/wj) Zenas. (Ver: 2Co 8. o zelo e cuidado com os irmãos (2Co 8. esta era uma característica costumeira em Tito. sentia falta de seus amigos e discípulos. 21. Paulo recomenda: “No zelo (spoudh/).13). a fim de que não lhes falte coisa alguma” (Tt 3.) bem como os livros. Costa . a sinceridade do vosso amor. na companhia de seus amigos. O encaminhar significa mais do que mostrar o caminho ou. muitas vezes. O Senhor lhe conceda. Ninguém é totalmente insensível às condições climáticas e. Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo. quantos serviços me prestou ele em Éfeso” (2Tm 1. dentre eles cito Fígelo e Hermógenes. 5) Paulo ao enviar Tito a Corinto com o propósito de providenciar as ofertas para os pobres da Judéia. manifestais superabundância.30/11/2009 . porém. quão necessário é que nossos amigos saibam o quanto eles são importantes para nós e que também eles podem contar com a nossa solicitude em aliviar as suas cargas com os nossos recursos.6. porque. me procurou solicitamente (spoudai/wj) até me encontrar. em tudo. sede fervorosos de espírito. o grande apóstolo.16. (spoudh/) e em nosso amor para convosco.5.11). achar misericórdia da parte do Senhor. antes. A Timóteo solicita de modo especial que traga Marcos (2Tm 4. 20. para aquecer a sua alma saudosa. Paulo. Paulo desejava a sua capa para aquecer o seu corpo e os livros. me deu ânimo e nunca se envergonhou das minhas algemas. Aliás.13). o intérprete da lei. de Timóteo e Tito. especialmente os pergaminhos” (2Tm 4.3. E tu sabes. assim também abundeis nesta graça. Tt 3. 3Jo 6. 4) Ainda falando sobre diversos deveres da vida cristã e. Hermisten M. colocar na direção correta.P. não sejais remissos (o)knhro/j = negligentes). A prisão seria menos úmida e nociva.. Não vos falo na forma de mandamento. no entanto Lucas permanecia com ele (2Tm 4. tanto na fé e na palavra como no saber.2 Destacamos aqui a necessidade do companheirismo fraterno. de Corinto e do próprio Tito: “Como. e Apolo. pergaminhos e amigos. e em todo cuidado. pois conheceis a graça 6 Prope/mpw * At 15. 2) Paulo descreve a amizade benfazeja de Onesíforo. suprir as necessidades de alguém para a jornada que tem pela frente. antes. Paulo não pediu aos seus amigos que cuidassem de sua libertação.13. naquele Dia. sentia falta de sua companhia. assim se refere ao “cuidado”.

Nesta visita ele foi maltratado e insultado. diante de Deus” (2Co 7. vos tornásseis ricos. que.7. mas para que a vossa solicitude (spoudh/) a nosso favor fosse manifesta entre vós. Tito possivelmente foi o seu emissário juntamente com outro irmão (2Co 7. . Tiago. o que o levou a escrever uma carta a qual não temos no Novo Testamento.10-11).12.3 de nosso Senhor Jesus Cristo. que pôs no 7 coração de Tito a mesma solicitude (spoudh/) por amor de vós” (2Co 8. Paulo fez uma visita relâmpago a Corinto – não estando esse fato registrado em Atos..21). Tito que fora o emissário da mesma voltara dizendo que os coríntios haviam se arrependido do mal que fizeram. Paulo partiu ansioso para Trôade. que eram reputados colunas. que indignação. resolve fazer uma viagem relâmpago a Corinto.4.15). segundo Deus. o próprio Timóteo que lá estivera. Stott chamou-me a atenção para as palavras de Markus Barth ao comentar essa passagem: 7 Paulo relembrando o seu encontro com os apóstolos. 12. Costa . A sua aflição era evidente (2Co 2. porque esta não é uma carta angustiada e marcada pelas lágrimas como Paulo diz ter escrito aquela..18). Cefas e João.) Mas graças a Deus. embora vos tenha escrito. trazendo más notícias da Igreja. a destra de comunhão. o que também me esforcei (Spouda/zw) por fazer” (Gl 2.9. e eles. Depois disso Timóteo deve ter regressado da sua viagem. Ali teve grande oportunidade.9-10). Paulo escreve uma carta. objetivando pregar o Evangelho e se encontrar com Tito. a fim de colocar as coisas em ordem. Tito chegou depois de Paulo trazendo boas notícias: A Igreja havia mudado muito apesar de haver uma pequena minoria que permanecia recusando a sua autoridade (2Co 7.1-4).5). não foi por causa do que fez o mal. que zelo. 12.8. Paulo então escreve 2ª Coríntios.5. para que.3.16). que saudades. Portanto. fostes contristados! Que defesa.12. 13. exigindo que o ofensor seja punido (2Co 2. o fato de não encontrá-lo. a qual não chegou aos nossos dias. fez com que Paulo partisse para a Macedônia – provavelmente Filipos ou Tessalônica –. se fez pobre por amor de vós.12). que temor.1-2/1. O que inquietava Paulo era: Como a Igreja recebeu a sua carta?. vemos que Paulo usa esta palavra para se referir ao esforço como o qual devemos nos empenhar por preservar a unidade do Espírito na Igreja.8. Contudo.P. (.8). b) A urgência em corrigir uma injustiça: Pelas evidências que temos.12. a fim de obter informações o mais rápido possível dele. sendo menosprezado pelos falsos apóstolos (2Co 11.5-16). nós a sabemos porque Paulo fala da sua possível terceira viagem (2Co 12. nem por causa do que sofreu o agravo.30/11/2009 .11-12).9. para a circuncisão. pela sua pobreza. diante dos fatos. Notemos que esta carta mencionada não é 1 Coríntios. me estenderam.5-11. 7. 8 Paulo escreveu 1 Coríntios estando em Éfeso (1Co 16. Paulo então. Retomando o texto de Efésios. Hermisten M. Esta viagem não é mencionada por Lucas. cartas de apresentação (2Co 2. enquanto que Lucas só descreve a primeira. diz: “Quando conheceram a graça que me foi dada. falando do zelo daqueles 8 irmãos em corrigirem o mal: “Porque quanto cuidado (spoudh/) não produziu isto mesmo em vós que.14.11). a fim de que nós fôssemos para os gentios. Possivelmente indicando que a carta de Paulo não surtira o efeito desejado e. ele foi insultado (2Co 2. Paulo falou do seu desejo de ir à Corinto (1Co 16. A visita de Paulo foi também frustrada. a mim e a Barnabé. também não obtivera êxito (1Co 16. sendo rico. Parece que estes “apóstolos” condenavam a mensagem cristã e traziam como fonte de sua autoridade.17-3. 7.13.13). recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres. Concluído o trabalho em Éfeso.Estudos no Evangelho de João 17 (18) – Rev. que vindita! Em tudo destes prova de estardes inocentes neste assunto. De volta a Éfeso.

envolvendo a sua vontade. Hermisten M.4. [Para um estudo mais detalhado. 9 Markus Barth.23). Não somente pressa e paixão. 2Pe 2. Vol. diz: “Mas.4. 428.30/11/2009 .9.. acorrentado com duas cadeias. 2Pe 2. a sua razão. os lançaram no cárcere. A iniciativa é sua! Faça-o agora! Seja sincero! Você deve fazê-lo! Estou 9 sendo sério! Estas são as implicações do versículo 3”.]. Ephesians.4. “conservar”. ou uma diligência temperada por uma velocidade bem deliberada.. “guardar”. estava guardado (thre/w) no cárcere. “Festo. ver: Hermisten M.21). São Paulo. 37ss. II. preso. Lucas assim narra o episódio da prisão de Pedro: “Pedro. guardar com um propósito ou por um tempo determinado (At 25. o seu sentimento. havendo Paulo apelado para que ficasse em custódia (thre/w) para o julgamento de César. Concluindo este tópico. Garden City. como também um esforço total do homem integral está em mira.21. e sentinelas à porta guardavam (thre/w) o cárcere” (At 12.23). Relatando a situação de Paulo e Silas presos.3) a) O Sentido de “Preservar”: A palavra traduzida por “preservar” é thre/w tem o sentido de guardar com um propósito ou por um tempo determinado (At 25. O quê? b) “A Unidade do Espírito”: (Ef 4. além desta tradução tem o sentido de “deter”.Quando Herodes estava para apresentá-lo. uma atitude de ‘vamos ver como fica’. é gerada pelo Espírito.17. preservar a unidade do Espírito. A idéia é de manter seguro.P.9. indicando que a unidade cristã procede. mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele. Lucas diz: “E. Paulo acrescenta: “Do Espírito”. 3. preservar. tratando-o com indulgência e não impedindo que os seus próprios o servissem” (At 24. “proteger”.7). ordenei que o acusado continuasse detido (thre/w) até que eu o enviasse a César” (At 25.17. (The Anchor Bible). partiria para lá” (At 25.4 “Dificilmente se pode traduzir com exatidão a urgência contida no verbo grego subjacente. preso. e que ele mesmo.7).Estudos no Evangelho de João 17 (18) – Rev. o quietismo. O modo imperativo do particípio que se acha no texto grego exclui a passividade.4. orienta o Centurião no que se refere a Paulo: “E mandou ao centurião que conservasse a Paulo detido (thre/w). 10 Thre/w.3) Conforme vimos. devemos notar que é esta palavra que Paulo associa com o esforço diligente: esforçai-vos diligentemente por conservar. “reservar”. a sua força física. Costa . 3. “observar”. e a sua atitude total. O Caminhar dos Vocacionados de Deus. .1Pe 1. p.21.. Costa. respondeu achar-se Paulo detido (thre/w) em Cesaréia. pois. porém. naquela mesma noite. segurar. 2002. 2) PRESERVAR A UNIDADE DO ESPÍRITO: (EF 4.4). 1974. Félix. muito em breve. A 10 idéia é de manter seguro. ordenando ao carcereiro que os guardasse (thre/w) com toda a segurança” (At 16.1Pe 1. p. Pedro dormia entre dois soldados. Festo narrando ao rei Agripa o ocorrido com Paulo. depois de lhes darem muitos açoites. New York: Doubleday & Company.5-6).P. Paulo nos exorta a fazer todo o esforço possível para conservar.

28. muito em breve.4/Jo 19. São Paulo: Novo Século. Esta palavra tem também uma implicação ética. tem a sua ênfase enfraquecida em ACR. depois de lhes darem muitos açoites. é recomendado que aquele que lidera (preside). ARC e BJ. “conservar”.21).5 Jesus Cristo diz ao Pai que transmitiu a Sua glória aos seus discípulos para estes 11 fossem “aperfeiçoados (tele/iow) na unidade” (Jo 17. 12. Leiamos mais uma vez o que Paulo escreveu aos efésios: “Esforçando-vos 15 16 diligentemente (Spouda/zw) por preservar (thre/w) a unidade do Espírito no 11 A palavra tem o sentido de “cumprir”.3. Crescendo no Espírito.9.16) e. ordenando ao carcereiro que os guardasse (thre/w) com toda a segurança” (At 16. 3. 3.28 ).Estudos no Evangelho de João 17 (18) – Rev. A idéia é de manter seguro. 2Pe 1.15.9.32). 2Co 8. 16 Thre/w. 157]. 2006 (Certeza Espiritual: Vol.4. “proteger”.7.18). Paulo. orienta o Centurião no que se refere a Paulo: “E mandou ao centurião que conservasse a Paulo detido (thre/w).28).7). 2Pe 2. Depois. “observar”. 4. seja guardada. Lloyd-Jones.M. mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele. preso em Roma pede a Timóteo esta urgência em encontrá-lo (2Tm 4. Hb 4. Spouda/zw ocorre 11 vezes no NT (* Gl 2. Por sua vez.P. mas. Festo narrando ao rei Agripa o . “aplicação”.23).9. 4. 5. Ele já se referira ao Pai dizendo: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.3). sim. e que ele mesmo. 14 “O que Ele pede em oração aqui é que esta união.11. “consumar” (Jo 17.30). vendo Jesus que tudo já estava consumado (tele/iow).17.17. A Verdadeira Vida Cristã.1Pe 1. além desta tradução tem o sentido de “deter”.11-12). 2000. por exemplo. guardar com um propósito ou por um tempo determinado (At 25. 1Ts 2.8.12). 2Tm 2.12). “urgenciar”. “reservar”.23). Relatando a situação de Paulo e Silas presos. “A ajuda mútua que as diferentes partes do corpo oferecem umas às outras.22). Judas revela o mesmo ao escrever a sua epístola (Jd 3).18). os lançaram no cárcere. p. disse: Tenho sede” (Jo 19. Pedro demonstrou esta mesma diligência em ensinar o Evangelho às Igrejas (2Pe 1.17. “perfeição” (Fp 3. que já existe. Tg 2. que o traduzem por “procurando”.23.21. 39. A unidade da Igreja é uma realidade em Cristo.15. respondeu achar-se Paulo detido (thre/w) em Cesaréia. 13.Quando Herodes estava para apresentá-lo. “terminar” (Lc 2. cuja negativa seria cruel”. visto que está associada. Jesus Cristo na Oração Sacerdotal ora para que a unidade cristã já existente seja aperfeiçoada (Jo 17. “perfeito” (Hb 7. tratando-o com indulgência e não impedindo que os seus próprios o servissem” (At 24. partiria para lá” (At 25. que é bem traduzido por “esforçando-vos diligentemente” (ARA). “esforço”. pois. 10. At 19.22). 1Jo2. Costa . naquela mesma noite. Félix. “completar” (At 20.30/11/2009 .14. para se cumprir a Escritura. Hermisten M. em outro contexto.12. estava guardado (thre/w) no cárcere. tendo o Pai e Filho como modelo (Jo 17. “Festo.9.36).34.43.12. solicita o mesmo a Tito (Tt 3. “ser zeloso. entretanto.21. Nesta oração Jesus Cristo usara este verbo (tele/iow) para descrever a concretização de 12 Sua missão (Jo 17.23). diligente”. para que fossem aperfeiçoados na condição de um. 9. “realizar” (Jo 4. zelo) (Rm 12.4.28. Lucas diz: “E. 7. Pedro dormia entre dois soldados. tendo o sentido de “correr”.10.8). 13 João Calvino. ao zelo em socorrer a outros irmãos (Gl 2.28. “fazer todo o esforço e empenho possível”. cabe à Igreja preservá-la mediante um comportamento fundamentado nos princípios bíblicos. ao esforço que os crentes devem despender em manter a unidade (Ef 4.15).5-6). em corrigir uma injustiça (2Co 7. Na realidade. 19. e sentinelas à porta guardavam (thre/w) o cárcere” (At 12. 1Jo 4. São Paulo: Publicações Evangélicas Selecionadas.10.2214 23).9.11. preso.24).10. Spouda/zw denota uma diligência que se esforça por fazer todo o possível para alcançar o seu objetivo.40. “guardar”.4.14). p. 13 como algo lógico e normal. Hb 2. não é considerada pela lei da natureza como um favor. 15 Spouda/zw. deve fazê-lo com empenho (diligência. acorrentado com duas cadeias. seja continuada e seja preservada por Seu Pai” [D. 5. Ef 4.4).1. 4). “aperfeiçoar”/”tornar perfeito”/”aperfeiçoado” (2Co 12. Tt 3. Lucas assim narra o episódio da prisão de Pedro: “Pedro.5. porém.10.19. 12 “Depois.9. “apressar-se”.

9. 15.40. acorrentar. 1Co 7. nunca o esqueçam. a fim de sermos encorajados a amar. Fm 1.2.27.14). 2Tm 2.3).3).M. “prender”. A idéia expressa neste substantivo. É indubitável que a nós ocorrido com Paulo. é a de unir.6 vínculo (Su/ndesmoj) da paz” (Ef 4. envolve a unidade com as cordas do amor.8. diz: “Devemos apressar-nos a fazer alguma coisa. Não devemos permitir que a “unidade do Espírito” seja abalada em nosso relacionamento. 36-37).9. 20 Lloyd-Jones interpretando o emprego de Spouda/zw no texto. No texto de Efésios. Cl 19 3. “junto com” e desmo/j. At 23. 1992.21). a palavra é de/smioj. ou alguns atrativos pessoais.12.19. exortando-nos à amar os nossos irmãos: “Há tanta rabugice em quase todos esses indivíduos que.16. etc. 23. Os ricos invejam uns aos outros. Ele é constituído de duas palavras su/n. mostrem grande interesse e solicitude com respeito a unidade que existe entre vocês. 25. O próprio tempo verbal de “esforçando-vos”. porém. “amarrar”.16. A menos que haja similaridade em nossos hábitos. “junto com” e de/w. Costa .14). (*At 8.P. expressão muito utilizada por Lucas e pelo próprio Paulo para falar de suas prisões. manter as coisas ligadas.18) e no amor de Cristo (Jo 13. 27.14.Estudos no Evangelho de João 17 (18) – Rev. Acima de tudo mais. A Unidade Cristã. antes que odiar.25. Calvino escreve. ao mesmo tempo.2. LloydJones. diz: “Mas. Fp 1.14). 17 Su/ndesmoj.30/11/2009 . a expressar solicitude . 3.). “algemas” (Lc 13. a falta de tolerância.17. (Spouda/zw) (particípio presente). Exposição de Efésios.23.‘esforçando-vos para guardar’. de bom grado fariam para si suas próprias igrejas. “cadeia”. será muitíssimo difícil manter uma perene comunhão entre nós. “prisão”. “A paz promove a perpetuação da 18 unidade”. 19 “Acima de tudo isto. sem esmorecimento. ou vantagens que nos unam. p.1). São Paulo: Casa Editora Presbiteriana. Lc 13.13. prender. sejam diligentes quanto a isto. pois. esteja o amor. Ef 4. etc.7.29. .11. Em ambos os textos.3. o substantivo (Su/ndesmoj) é composto de su/n. estando em seu poder. diz o apóstolo. porquanto se torna difícil acomodarem-se aos modos das demais pessoas.). p.13.19. que é o vínculo (su/ndesmoj) da perfeição (teleio/thj)” (Cl 3. 21. Torna-se urgente que abracemos com fraternal benevolência àqueles que nos são ligados por uma fé comum. ligar. 17 O verbo sunde/w ocorre uma única vez no NT (Hb 13. Jo 19. 18 William Hendriksen. amarrar. Do mesmo modo.1) e “prisioneiro do Senhor” (Ef 4. algemar. “casar” (Mt 12. Hermisten M. (Ef 4. Essa advertência. A paz enlaça. ordenei que o acusado continuasse detido (thre/w) até que eu o enviasse a César” (At 25. Paulo já empregara a expressão para si. Ver: At 16. At 9.33. havendo Paulo apelado para que ficasse em custódia (thre/w) para o julgamento de César. como “prisioneiro de Cristo Jesus” (Ef 3. 230.14. e raramente se encontra um entre cem que acredite que os pobres são também dignos de ser chamados e incluídos entre seus irmãos.17). A unidade é obra do Espírito. 16.2-3).18.31. Cl 2. “algemar”. se torna mais que necessária a todos nós. mas cabe a nós viver a sua plenitude no vínculo da paz (Rm 12. apresenta o 20 conceito de um esforço contínuo. acima de todas as outras coisas. como cristãos nesta vocação para a qual vocês foram chamados.17. seja esta a coisa principal da sua vida. “atar”.29. 2Tm 1. apressem-se a fazer isto.” (D. e não nos separarmos daqueles a quem Deus nos uniu. Rm 7. a mostrar grande interesse. 28. Comentando sobre o egoísmo humano que gera divisões na Igreja e. (Vd.34-35.

M. até onde cada um tiver o poder e a vocação. Costa . temos aqui 21 22 João Calvino. Desta forma. Calvino fala de seu esforço por manter a paz – o que nem sempre tem sido possível –. p. Exposição de Hebreus. isto é. Lloyd-Jones. Não é necessário dizer o quanto tenho lutado para remover toda e qualquer ocasião geradora de tumultos até agora. que este amor. tomar prudente cuidado para que a verdadeira religião possa novamente readquirir uma posição sã. 24 D.: ABUB/APLIC. A gravidade e conforto de nossa situação. Vol. 24. Richardson. na vinda do Seu Filho amado para morrer pelos pecadores (Jo 3.16/Jo 17. é vossa incumbência. GO. ou para desacostumar-nos 21 dela de maneira furtiva”. mas não somos do mundo. estimula seus irmãos a não ultrapassarem determinados limites.3. A unidade da Igreja revela ao mundo o fato de que Deus nos ama como ama ao Seu Filho unigênito e. Tt 3. 147ss. 1966. 2005 (Certeza Espiritual: Vol.A. 286-287. a Igreja é o testemunho histórico do amor de Deus.Estudos no Evangelho de João 17 (18) – Rev. São Paulo: Publicações Evangélicas Selecionadas. Seguros Mesmo no Mundo. 2000. O Sinal do Cristão. seja para arrebatar-nos da Igreja.P. aponta para a severidade da nossa condição. 23 F. p. mesmo nas vésperas de sua 24 crucificação. a não ser que o mundo veja alguma realidade na 23 unidade de cristãos verdadeiros”. Considerações Pontuais: 1. 1. De fato.5. se revelou de forma insofismável.. que as reivindicações de Jesus sejam verdadeiras.25). p. João Calvino. O Profeta Daniel: 1-6. São Paulo: ASTE. e que o cristianismo seja verdadeiro. Vd.7 compete cultivar a unidade da forma a mais séria.5) se constitui num incômodo para a sociedade que vive tão intensamente de aparência. amados irmãos. ao mesmo tempo. 1975. 272-273. na Dedicatória de seu comentário do Profeta Daniel.30/11/2009 .. julgo ser em decorrência de meu cuidado que 22 pessoas particulares ainda não passaram dos limites”. Hermisten M. A. comentando sobre a nossa responsabilidade. Em 19 de agosto de 1561. (Hb 10. . Introdução à Teologia do Novo Testamento. também. Schaeffer. Goiânia. Vivemos num ambiente hostil. 1997. 2). A intercessão de Cristo em nosso favor. p. São Paulo: Paracletos. p. São Paulo: Parakletos. 26. A nossa presença como resultante de nosso novo nascimento (Jo 3. Estamos no mundo. Clamo aos anjos e a vós para testemunhardes diante do supremo juiz que não é de minha responsabilidade que o progresso do reino de Cristo não tenha sido calmo e inofensivo. porque Satanás está bem alerta. diz: “Não podemos esperar que o mundo creia que o Pai mandou o Filho. e. Contudo. Francis Schaeffer (1912-1984).21-23). Escreve: “Mais ainda.

7. A Palavra de Deus revela-nos Quem é Deus e o que Ele fez. A Palavra de Deus é para ser vivenciada: guardada em nosso coração. Devemos nos esforçar por preservar a unidade da Igreja na verdade de Cristo. vivenciando-a em amor. O nosso compromisso primeiro é com Deus e com a Sua Palavra. 5. 8.20-21). 9. e a esperança dos aflitos não se há de frustrar perpetuamente” (Sl 9. nos comprometendo mutuamente em nos ajudar a fim de que possamos amadurecer em nossa fé para a glória de Deus. Hermisten M. 6. O Estudo da Palavra de Deus deve ter como objetivo fundamental. nos conduzir a Ele em reverência e adoração. Os crentes são santos em santificação: devemos estudar a Palavra rogando a Deus o discernimento necessário para entendê-la e praticá-la. 10. Cabe a nós proclamar a Palavra de Deus. 3. 2.8 um grande conforto. anunciando-a com fidelidade (Jo 17.30/11/2009 . nós não somos do mundo. A Palavra de Deus é a verdade real e verdadeira para todas as épocas e circunstâncias de nossa vida. Rev. O Senhor cuida de nós. Fomos chamados e capacitados por Deus para usar destes recursos no serviço do Reino.Estudos no Evangelho de João 17 (18) – Rev. Hermisten Maia Pereira da Costa . 30 de novembro de 2009. 4. a fim de que possamos cada vez mais nos aproximar do ideal de santidade proposto por Deus ao Seu povo. Ele jamais se esquece do seu povo: “Pois o necessitado não será para sempre esquecido. Costa . 18.P.18). São Paulo.