II CICLOS DERIVAS DE MAIO

COM UMA FACA NOS DENTES: Educação, Revolução, Realidade
CAFÉ CONCERTO DA ESMAE, RUA DA ALEGRIA, 503

22 DE MAIO| 2010
“O mais belo espectáculo de horror somos nós. Este rosto com que amamos, com que morremos, não é nosso; nem estas cicatrizes frescas todas as manhãs, nem estas palavras que envelhecem no curto espaço de um dia. (…) Só a custo, perigosamente, os nossos sonhos largam a pele e aparecem à luz diurna e implacável. A nossa miséria vive entre as quatro paredes, cada vez mais apertadas, do nosso desespero. E essa miséria, ela sim verdadeiramente nossa, não encontra maneira de estoirar as paredes. Emparedados, sem possibilidade de comunicação, limitados no nosso ódio e no nosso amor, assim vivemos. Procuramos a saída – a real, a única – e damos com a cabeça nas paredes. Há então os que ganham a ira, os que perdem o amor.” António José Forte Estas segundas derivas propõem-se debater a educação e a revolução. Um binómio nem sempre conjugado e que foi convenientemente separado à nascença. Mas nem sempre foi assim: em todas as revoluções dignas desse nome o amor, o quotidiano, a educação pertenciam às mesmas ondas de choque. Em cada inovação e transformação revolucionárias no campo livre da educação o Estado soube recuperá-las e cedêlas à sua classe e aos seus sequazes. Trata-se, portanto, de inventar caminhos impossíveis de serem recuperáveis, ou seja, de criar situações verdadeiramente irreversíveis. Nos campos da realidade e do quotidiano, pretende-se igualmente transformá-los de modo a criar objectos reconhecíveis pelos deprimidos do mundo inteiro; um modo moderno de superação niilista dos novos cadáveres esquisitos e das nossas máscaras acinzentadas em que nos tornámos. Vamos promover estes e outros debates entre nós, que teimamos em realizá-los. As Derivas de Maio convidam-no e à Suzana Ralha, ao António Alves da Silva, ao Rui Pereira e ao Santiago López-Petit a passar pelo Café Concerto da ESMAE, no dia 22 de Maio, pela manhã e tarde de um sábado. A falarmos e a encontrarmos saídas.

SÁBADO, 22 de Maio «E se a Revolução significasse, antes de tudo, Educação?»
9:30 – Entrega do certificado de presença 9:45 – Abertura Moderação: António Luís Catarino 10:00 – Suzana Ralha Professora 11:30 – António Alves da Silva Professor Debate 12:30 – Intervalo para almoço

Fazer o Pensar e Pensar o Fazer – Como atacar a Realidade?»
Moderação: António Luís Catarino 14:30 – Rui Pereira Jornalista 15:00 – Santiago López-Petit Filósofo. Universidade de Barcelona Debate 16:00 –– Apresentação do livro de Santiago LópezPetit, A Mobilização Global seguido de O EstadoGuerra e Outros Textos. Tradução e Comentários de Rui Pereira. Deriva Editores, 2010 17:00 – Projecção do Filme El Taxista Ful de Jordi Solé (Jo Sol)

DERIVA EDITORES Rua de Santo Ildefonso, nº 85, 5º, sala 2, 4000-468 PORTO, PORTUGAL Inscrições: Telf/Fax 225 365 145, deriva@derivaeditores.pt www.derivaeditores.pt