You are on page 1of 24

TOPOGRAFIA PARA

ARQUITECTURA

PLANIMETRIA
• ALINHAMENTOS
TOPOGRÁFICO
• MEDIÇÕES DE DISTÂNCIAS
• MEDICÕES ÂNGULARES

Prof. Ronald Vera Gallegos

MEDIÇÃO DE DISTANCIAS COM PASSOS DO PÉ
É um método para medir distancias que é baseada na medição a passos. Para isto é
necessário que cada pessoa calibre sua passo, feito de outra maneira, que conheça qual
é a média do comprimento de sua passo. Este método é utilizado em terrenos de pouca
inclinação.

CALIBRAÇÃO DO PASSO É percorrido um distancia desconhecida (maior a 40m). procede-se a medir a distância percorrida utilizando uma trena de medida e com essa informação cada aluno calculará a distancia média de seu passo ?? + ?? + ?? + ?? ? ?é??? = ? . Terminando a prática. pelo menos duas vezes (2 idas e 2 voltas).

MEDIÇÕES DIRETAS • Aplica-se no alinhamento terreno ao longo do • Trenas B. MEDIÇÕES INDIRETAS • Por médio de outras grandezas com ele relacionada matematicamente: ESTADIMETRIA (TAQUEOMETRIA) • TEODOLITO + MIRA (ESTAÇÃO TOTAL) C. MEDIÇÕES ELETRÔNICAS • Instrumentos que utilizam o comprimento de onda do espetro eletromagnético ou através de dados obtidos por satélites • DISTACIOMETROS .METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS A.

MEDIÇÕES DIRETAS • INSTRUMENTOS : TRENA + BALIZAS + NIVEL DE CANTONEIRA + PIQUETES E ESTACAS .METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS A.

MEDIÇÕES DIRETAS • CUIDADOS • Manutenção do alinhamento a medir • Horizontalidade da trena • Verticalidade da baliza • Tensão uniforme nas extremidades • Precisão das TRENAS .METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS A.

METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS A. MEDIÇÕES DIRETAS Lance único Vários Lances .

METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS B. MEDIÇÕES INDIRETAS • INSTRUMENTO : TEODOLITO + MIRA (OU ESTAÇÃO TOTAL) .

MEDIÇÕES INDIRETAS • ESTADIMETRIA .METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS B.

MEDIÇÕES INDIRETAS • ESTADIMETRIA .METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS B.

• As trenas são de diferentes comprimentos e graduadas de diversos métodos. sendo figuras indeformáveis. permitirão o confeccionamento da planta. verticais e de inclinações. • É um levantamento expedito. que consiste em se medir os alinhamentos componentes do perímetro. servindo também para o processo de avaliação da área. utilizando-se do método direto (trena ou corrente) • Além dos alinhamentos perimétricos.METODOS DE MEDIÇÃO DE DISTÂNCIAS HORIZONTAIS LEVANTAMENTO À TRENA • São utilizadas nos levantamentos para medirem distâncias horizontais. . medem-se linhas internas auxiliares que possibilitaram o desenho da planta • Linhas auxiliares têm a finalidade de demarcar e constituir triângulos que.

Os mais usuais em topografia são : Trenas. estacas testemunhas . nível de mangueira e caderneta de campo. baliza nível de cantoneira . • PRINCIPAIS ACESÓRIOS : Piquetas. . fitas de aço e corrente de agrimensor.MATERIAS UTILIZADOS NA MEDIÇÃO DIRETA • DIASTÍMETROS : Todo e qualquer instrumento destinado à medição direta de distancias .

. • Não apoiar a trena em nada.PROCEDIMENTOS DE USO • Sempre medir do centro de uma baliza até o centro de outra baliza.0 m. • Esticar bem a trena antes da leitura. • Começar pelo ponto mais alto (zero da trena) no terreno. • Conferir a leitura. • Achar à horizontal (menor distância entre duas linhas verticais). • Não fazer trenadas maiores de 20.

PROCEDIMENTOS DE USO .

PROCEDIMENTOS DE USO .

??? ?? = ?. não muito longos e aplicar tensão apropriada às suas extremidades. ? Onde : Cc: comprimento erro catenária. f : flecha. l : comprimento da trena ??? = ??? − (?? . ?? ) DHc: Distancia horizontal correta DHm : Distancia horizontal media Nl : Numero de lances Cc : correção por catenária .FONTE DE ERROS NA MEDIDA : CALIBRAÇÃO DE TRENAS Os fatores influenciadores na fonte de erros na medida com trenas são :  Catenária : É a curvatura do diastímetro que aparece devido ao seu peso e ao comprimento medido. Para evita-la. é necessário utilizar diastimetros leves.

? Onde : Cdv: erro de desvio vertical DN : desnível do terreno l : comprimento da trena .FONTE DE ERROS NA MEDIDA : CALIBRAÇÃO DE TRENAS  Erro devido à verticalidade da baliza : É ocasionado pela inclinação da baliza e provoca o encurtamento ou alongamento do alinhamento que esta sendo medido. ??? ??? = ?. Este erro pode ser evitado com uso do nível de cantoneira.

(T – Ts).0000065). (L) Onde : Ct: mudança no comprimento da trena T : temperatura estimada no momento da medição Ts : temperatura de calibração da trena L : comprimento da trena . Ct = (0. Pode-se corrigido empregando-se a seguinte equação: ?? ??? = .FONTE DE ERROS NA MEDIDA : CALIBRAÇÃO DE TRENAS  Erro de valor nominal (comprimento incorreto do diastímetro): Ocorre quando a trena esta muita esticada. ??? ? Onde : DHc: Distancia horizontal correta la : Comprimento aferido da trena l : comprimento nominal da trena DHm : distancia horizontal medida  Por Variações de Temperatura: As trenas de diferente material variam o seu comprimento de acordo com a temperatura.

??? ? ??? = 20.06 .06m.06m l : 20m DHm : 92. a dilatação foi =0.EXERCICIOS DE APLICAÇÃO EXEMPLO 01 : Uma linha AB foi medida com uma trena de comprimento nominal igual a 20m.06 = 20. 92.396? 20 Dados do problema : DHc: ʔ la : 20+0. Qual é o comprimento da linha ao constatar que a trena encontrava-se dilatada de 6cm. obtendo-se após vários lances o valor de 92. ?? ??? = .12? = 0.396? − 92.12 = 92.12m.276? .12 ???? ????? = 92.

??? Onde : Cc: comprimento erro catenária. ???? . ?? − ?. ?? ) ?(?. l : comprimento da trena ??? = ?. f : flecha. ???? ∶ ? = ?.44m ??? ?? = ?. ? ??? = ??? − (?? . ? ? = ??. para uma distancia medida de 127. Qual o valor da distancia correta. Este erro provoca redução ou ampliação da trena?. ??? = ???. ?)? ?? − ? = ?. ??? = ???.EXERCICIOS DE APLICAÇÃO EXEMPLO 02 : Qual será o erro provocado por uma flecha de 30cm em uma trena de 20m de comprimento?. ?? ∗ ??. ???? ??? = ???. ?? ∗ ?.

EXEMPLOS DE MEDIDAS LINEARES MEDIDA DE LINHAS MISTAS PERPENDICULARIDADE COM TRENA .

EXEMPLOS DE MEDIDAS LINEARES .

EXEMPLOS DE MEDIDAS LINEARES .

EXEMPLOS DE MEDIDAS LINEARES .