You are on page 1of 18

Curso Constitucional de A a Z – 07.10.

2014
Prof. João Mendes
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula
ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

Histórico nas Constituições Brasileiras

1. Constituição de 1824
1.1. Constituição Política do Império do Brazil (de 25 de Março de 1824)
1.1.1. Influência Francesa
Influência de forma mitigada, já que na França há supremacia do Parlamento,
enquanto no Brasil existiu o Poder moderador.
A interpretação das leis era feita pelo Legislador.
O Juiz não fazia controle de constitucionalidade. Na verdade, o magistrado
atuava apenas como “boca da lei”, devendo somente aplicá-la.
1.1.2. A Assembléia Geral (composta pela Câmara e pelo Senado) deveria
guardar a Constituição.
Art. 15. É da attribuição da Assembléa Geral:
VIII. Fazer Leis, interpreta-las, suspende-las, e rovoga-las.
IX.Velar na guarda da Constituição, e promover o bem geral do Nação.

Não há efetivamente um mecanismo de controle de constitucionalidade,
apenas uma suposta necessidade de zelar pela guarda da Constituição, o que era feito
pelo Poder Legislativo.

1.2. Existência do Poder Moderador (Influência de Benjamin Constant)
Art. 98. O Poder Moderador é a chave de toda a organisação Politica, e é
delegado privativamente ao Imperador, como Chefe Supremo da Nação, e seu
Primeiro Representante, para que incessantemente vele sobre a manutenção
da Independencia, equilibrio, e harmonia dos mais Poderes Politicos.
Art. 99. A Pessoa do Imperador é inviolavel, e Sagrada: Elle não está sujeito a
responsabilidade alguma.
Art. 100. Os seus Titulos são "Imperador Constitucional, e Defensor Perpetuo do
Brazil" e tem o Tratamento de Magestade Imperial.

Na prática, o Poder Moderador era o que detinha a primazia e o controle,
sendo exercido pelo imperador.
O art. 98 retratava a teoria da irresponsabilidade do monarca (the king can do
no wrong).

1
Acesse nosso site: www.cursoenfase.com.br

que elabora uma resolução suspensiva da execução da 1 Por ora.com. não há modelo de controle de constitucionalidade na Constituição de 1824. enfatizam-se somente as quatro inovações trazidas com a Constituição de 1934 e que marcaram a história constitucional brasileira. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. Na Constituição de 1988. 3. Posteriormente. Art 60 . João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. O Poder Judiciário declara a inconstitucionalidade da norma.Curso Constitucional de A a Z – 07. a cláusula de reserva de plenário está positivada no art.Compete aos Juízes ou Tribunais Federais. deliberação ou regulamento.2014 Prof.10.cursoenfase. de qualquer lei ou ato. 2 Acesse nosso site: www. 2. os temas serão objeto de estudo específico e detalhado ao longo do curso.br . Constituição de 1891 Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (de 24 de Fevereiro de 1891) – Influência de Rui Barbosa e americana: controle difuso e concreto Influência do modelo americano. no todo ou em parte.suspender a execução. A rigor. processar e julgar: a) as causas em que alguma das partes fundar a ação. quando hajam sido declarados inconstitucionais pelo Poder Judiciário. 2ª) Resolução Suspensiva do Senado: Art 91 . Constituição de 1934 Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (de 16 de Julho de 1934) Inovações importantes1: 1ª) Reserva de Plenário: Art 179 . ou a defesa. 97. Este fato é comunicado ao Senado Federal. Convém registrar que o primeiro modelo de controle a ser adotado no Brasil é o modelo estadunidense: controle difuso e concreto. em disposição da Constituição federal. trazido por Rui Barbosa. poderão os Tribunais declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato do Poder Público.Só por maioria absoluta de votos da totalidade dos seus Juízes.Compete ao Senado Federal: IV . que foi relator da Constituição de 1981.

b) independência e coordenação de poderes.A União não intervirá em negócios peculiares aos Estados. I da Constituição brasileira de 1934 trazia os princípios constitucionais sensíveis da época. O art. c) temporariedade das funções eletivas. apesar de buscar inspiração no modelo americano. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. Naquela época. tal situação sofre severas críticas. h) representação das profissões. f) prestação de contas da Administração. (iv) análise da constitucionalidade da lei interventiva pelo STF. 52. Na Constituição de 1988. limitada aos mesmos prazos dos cargos federais correspondentes. 7º . o procedimento da representação interventiva envolvia as seguintes fases: (i) verificar a violação dos princípios constitucionais sensíveis por parte do Estado. e) garantias do Poder Judiciário e do Ministério Público locais. 12.Compete privativamente aos Estados: I . respeitados os seguintes princípios: a) forma republicana representativa. O instituto da resolução suspensiva tem como fundamento a segurança jurídica e a separação de Poderes. e proibida a reeleição de Governadores e Prefeitos para o período imediato. afetando a necessária harmonia entre os três Poderes. que iria determinar a intervenção federal. a resolução suspensiva do Senado está disciplinada no art. (iii) propositura da representação interventiva pelo PGR. e a execução das leis federais. d) autonomia dos Municípios. a intervenção só se efetuará depois que a Corte Suprema.decretar a Constituição e as leis por que se devam reger. norma. o legislador constituinte brasileiro optou por não adotar a tese do precedente vinculante. A resolução suspensiva confere efeito erga omnes à declaração de inconstitucionalidade. 7º. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. O entendimento que prevaleceu à época foi o de que o precedente vinculante poderia tornar o Judiciário brasileiro mais forte do que o Legislativo e o Executivo. mediante provocação do Procurador-Geral da República.Ocorrendo o primeiro caso do nº V. § 2º . 12 .com.cursoenfase.Curso Constitucional de A a Z – 07.br . conforme será visto ao longo do curso. g) possibilidade de reforma constitucional e competência do Poder Legislativo para decretá-la. Art. 7º. do art. salvo: V para assegurar a observância dos princípios constitucionais especificados nas letras a a h . Atualmente.10. 3 Acesse nosso site: www. À época. X. tomar conhecimento da lei que a tenha decretado e lhe declarar a constitucionalidade. 3ª) Representação Interventiva Art. Art. (ii) elaborar lei interventiva.2014 Prof. nº I.

Portanto. O mandado não prejudica as ações petitórias competentes. Neste contexto. Constituição de 1891: Art 72 . devendo ser sempre ouvida a pessoa de direito público interessada. nesse contexto. Trata-se de representação interventiva na qual a finalidade é a declaração de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo.cursoenfase. primeiro é feita a representação interventiva pelo PGR e.10. e não abstrato. poderia ser feita a análise incidental da constitucionalidade da norma. cuida-se de controle concreto. nos termos seguintes: 4 Acesse nosso site: www. a representação interventiva tem procedimento diferente e está disciplinada no art. é elaborado um decreto de intervenção pelo presidente da República. trata-se de controle concentrado e concreto. certo e incontestável. à subsistência. Na Constituição de 1988. Interessante destacar que o surgimento do mandado de segurança teve como origem a chamada doutrina brasileira do habeas corpus. 4ª) Mandado de Segurança Art. Hoje. A finalidade era a de proteger direito líquido e certo do indivíduo e. à segurança individual e à propriedade. somente após a apreciação do STF.2014 Prof. não apenas a liberdade de ir.A Constituição assegura a brasileiros e a estrangeiros residentes no País a inviolabilidade dos direitos concernentes à liberdade.Curso Constitucional de A a Z – 07. O processo será o mesmo do habeas corpus. vir e permanecer. ameaçado ou violado por ato manifestamente inconstitucional ou ilegal de qualquer autoridade.com. A Constituição de 1891 afirmava que o HC era destinado à defesa das liberdades. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. que prevaleceu entre a Constituição de 1891 e a de 1934. à segurança individual e à propriedade.A Constituição assegura a brasileiros e a estrangeiros residentes no País a inviolabilidade dos direitos concernentes à liberdade. e sim uma situação concreta. nos termos seguintes: 33) Dar-se-á mandado de segurança para defesa do direito. Porém. 36. como não se analisa só a lei em tese.br . III. 113 . A Constituição de 1934 foi a primeira Constituição brasileira a prever o mandado de segurança. A criação de uma ação específica no STF com a finalidade de exercer controle de constitucionalidade evidencia forma de controle concentrado. a doutrina brasileira do habeas corpus aduzia que qualquer liberdade poderia ser tutelada pela via do HC. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala.

sendo subsidiário ao habeas corpus e ao habeas data. b) legislação eleitoral.10.Só por maioria absoluta de votos da totalidade dos seus Juízes poderão os Tribunais declarar a inconstitucionalidade de lei ou de ato do Presidente da República. Atuação do Presidente da República. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala.cursoenfase.3. 5º. f) moeda.Curso Constitucional de A a Z – 07. Portanto. parágrafo único.com. que passaria a ser protegida apenas pelo habeas corpus. LXIX e LXX. e) instituição de monopólios. se o exigirem as necessidades do Estado. Influência polonesa (Constituição polaca) 4. 4. sempre que o indivíduo sofrer ou se achar em iminente perigo de sofrer violência ou coação por ilegalidade ou abuso de poder. Com o advento da Constituição de 1934 foi criado o mandado de segurança para proteger qualquer liberdade.1.2014 Prof.Os decretos-leis para serem expedidos dependem de parecer do Conselho da Economia Nacional. g) empréstimos públicos. expedir decretos-leis sobre as matérias de competência legislativa da União. exceto a liberdade de ir e vir. h) alienação e oneração de bens imóveis da União. excetuadas as seguintes: a) modificações à Constituição. cabia MS quando não coubesse HC. Na Constituição de 1988. c/c 180. § 22 . nas matérias da sua competência consultiva. Art 96 . o mandado de segurança está positivado no art.br . Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. c) orçamento. 5 Acesse nosso site: www.Dar-se-á o habeas corpus . Constituição de 1937 Constituição dos Estados Unidos do Brasil (de 10 de Novembro de 1937) 4. ou seja. 13 c/c 96. Art 13 O Presidente da República. o MS surgiu com caráter subsidiário ao HC. poderá. d) impostos. nos períodos de recesso do Parlamento ou de dissolução da Câmara dos Deputados. Caráter ditatorial 4. Parágrafo único . A doutrina brasileira do habeas corpus teve Rui Barbosa como um de seus principais expoentes e foi encampada pelo STF. art.2.

Se o Congresso Nacional não estivesse reunido. a juízo do Presidente da República. o Presidente da República. poderia tornar sem efeito a decisão judicial.Enquanto não se reunir o Parlamento nacional. mantendo a norma aplicável.No caso de ser declarada a inconstitucionalidade de uma lei que. seja necessária ao bem-estar do povo. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala.2014 Prof.Curso Constitucional de A a Z – 07. Atualmente.br . então o próprio Congresso poderia sustar a decisão do STF e manter a lei. 180 .com.10. ficará sem efeito a decisão do Tribunal. o Presidente da República terá o poder de expedir decretos-leis sobre todas as matérias da competência legislativa da União. O Congresso Nacional poderia tornar sem efeito a decisão do Judiciário que declarou a inconstitucionalidade de uma lei. poderá o Presidente da República submetê-la novamente ao exame do Parlamento: se este a confirmar por dois terços de votos em cada uma das Câmaras. tal posição configura evidente violação à separação de Poderes. por decreto-lei. Conferia ao Presidente da República a prerrogativa para submeter a lei “novamente ao exame do Parlamento”. à promoção ou defesa de interesse nacional de alta monta. se o Congresso entendesse que a declaração de inconstitucionalidade de uma lei pelo STF fosse medida abusiva. Observação: em 2013 foi elaborada uma PEC que ventilava a possibilidade de o Congresso Nacional sustar decisão do STF que considerasse abusiva. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. estabeleceu singular instrumento de controle político das decisões judiciais que declaravam a inconstitucionalidade de uma lei. o Presidente da República poderia expedir decretos-leis.cursoenfase. caso o Legislativo confirmasse a lei “por dois terços de votos em cada uma das 6 Acesse nosso site: www. Na prática. Art. Na prática. de 10 de novembro de 1937. E. Parágrafo único . TCE-PI / Assessor Jurídico / FCC / 2014 A Constituição brasileira.

a decisão do Tribunal ficaria sem efeito.com. em razão de o Parlamento Nacional não ter se reunido durante a vigência da Constituição. de forma geral.cursoenfase. Item Errado. no Brasil. C somente era cabível em face de decisões de inconstitucionalidade proferidas em sede de controle abstrato de normas. não impedindo que outros pronunciamentos judiciais . Resp. A Constituição de 1937 previa revisão pelo Executivo e pelo Legislativo. D teve pouca efetividade. pois. cabendo-lhe. ainda que não fossem expressamente relacionadas no ato presidencial. fato que ficou obstado em virtude da inocorrência do plebiscito sobre a Constituição que deveria anteceder às eleições para os cargos do Poder Legislativo.10. a afastar o diploma legal por ofensa à Constituição. assim. 5. Federal – 2004 48. na evolução histórico constitucional do sistema de controle de constitucionalidade. diferentemente do que ocorre em alguns Estados europeus.inclusive posteriores à confirmação continuassem.2014 Prof. em sede de controle concreto.: B Proc. o uso desse específico mecanismo A somente era cabível ante o regular funcionamento do Parlamento Nacional. somente as decisões judiciais expressamente referidas no ato presidencial teriam seus efeitos cassados. Sob a vigência do regime constitucional inaugurado pela Carta de 1937. Constituição de 1946 7 Acesse nosso site: www. Desde a Constituição de 1891. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. as decisões judiciais que afastavam sua aplicação. pois contrariava o princípio da separação dos poderes e a forma federativa de Estado. E teve sua inconstitucionalidade reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal.Curso Constitucional de A a Z – 07. Câmaras”. B constituiu. ainda que a lei declarada inconstitucional fosse confirmada. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. prerrogativa exclusiva do Presidente da República exercida mediante decreto-lei.br . as decisões do Poder Judiciário sobre a constitucionalidade das leis nunca foram passíveis de revisão pelo Poder Executivo ou pelo Poder Legislativo. promover unilateralmente a confirmação da lei declarada inconstitucional e tornar sem efeito.

10.cursoenfase. Adiante. Conforme visto. será decretada a intervenção. Parágrafo único . Os principais elementos da Constituição de 1946 são a imposição de declaração de inconstitucionalidade da representação interventiva e a instituição da representação de inconstitucionalidade. alguns doutrinadores passaram a chamar a representação interventiva de ADI interventiva.com.A intervenção será decretada por lei federal nos casos dos nº s VI e VII do artigo anterior. mas concreto porque era analisada uma situação concreta. a exemplo do que já acontecia na Constituição de 1934. Com Legitimidade Exclusiva do PGR. Na Representação Interventiva.3. e.2014 Prof. EC n. a representação interventiva surgiu com a Constituição de 1934. Restaura modelo de 34. com legitimidade exclusiva do PGR. (iii) STF declara a inconstitucionalidade do ato. 16/65 – Instituição da Representação de Inconstitucionalidade – RI (controle abstrato).No caso do nº VII. Tal situação perdurou até o advento da EC n. 5. Ocorre que este instituto foi remodelado com a Constituição de 1946. 5. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. Constituição de 1946. se este a declarar. Ruptura com o Estado Novo. A partir da Constituição de 1946 passou a ser necessária a declaração de inconstitucionalidade do ato na representação interventiva. o que inaugurou o controle abstrato no Brasil. impõe a declaração de inconstitucionalidade do ato.5.2. (iv) decreto de intervenção.Curso Constitucional de A a Z – 07. conforme passa a ser demonstrado no próximo tópico.1. e não apenas a lei em tese. Importante ressaltar que a representação interventiva da Constituição de 1946. é exemplo de controle concentrado e concreto. O procedimento agora seguia as seguintes fases: (i) verificação do ato que viola a Constituição e que enseja a intervenção federal. De fato. 5. Art 8º . João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. o ato argüido de inconstitucionalidade será submetido pelo Procurador-Geral da República ao exame do Supremo Tribunal Federal. 16/65. Redemocratização. Constituição dos Estados Unidos do Brasil (de 18 de Setembro de 1946) 5. Por este motivo.br . é controle concentrado porque exercido somente no STF. 8 Acesse nosso site: www. (ii) PGR questiona o ato via representação interventiva.

ao contrário da situação anterior.. Logo. o surgimento do controle abstrato no ordenamento jurídica brasileiro. Neste aspecto. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. o surgimento histórico do controle abstrato no Brasil está mais ligado a uma finalidade de concentração de poder e de domínio abusivo do que propriamente a um mecanismo democrático de controle. agora sim. trazendo. em tese. De fato. 101. Nesta perspectiva. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala.10.. A legitimidade para a propositura da representação de inconstitucionalidade era exclusiva do Procurador Geral da República. Observe-se que o golpe militar ocorreu em 1964 e a EC nº 16. TRF .br . 16/65. permitindo uma maior ingerência do regime militar sobre o Judiciário. o PGR só iria propor a representação de inconstitucionalidade quando fosse de interesse da União. Em que pesem as críticas. f .com. inciso I [trata da competência do STF]. federal ou estadual.4ª Reg. também tinha função de defesa da União. Alguns doutrinadores entendem que os militares optaram por criar a representação de inconstitucionalidade para concentrar no STF o controle. i e k do art. fato é que a representação de inconstitucionalidade inaugura o controle abstrato no direito brasileiro. a EC n. 16/65 instituiu a representação de inconstitucionalidade. ao criar o controle abstrato via representação de inconstitucionalidade. subordinado ao Presidente da República. o controle abstrato. – Juiz Federal – 2014 9 Acesse nosso site: www. Art. os militares pensaram na possibilidade de que é mais fácil controlar um único órgão do que controlar vários. O principal avanço da Constituição de 1946 ocorre mediante a EC n. que institui a representação de inconstitucionalidade. Na prática. trazendo o controle abstrato porque visava somente o questionamento da norma em tese. na época.cursoenfase.Curso Constitucional de A a Z – 07. Portanto. pelo menos inicialmente. O STF entendeu que existia relativa autonomia do PGR para propor representação de inconstitucionalidade. via representação de inconstitucionalidade. ocorreu em 1965. passam a ter a seguinte redação: (.) k) a representação contra inconstitucionalidade de lei ou ato de natureza normativa.2014 Prof. mesmo estando. que instituiu a representação de inconstitucionalidade. a crítica é feita no sentido de que o PGR. 2º As alíneas c . encaminhada pelo Procurador-Geral da República. apresenta feição mais ditatorial do que democrática.

D Emenda Constitucional nº 7/77. por modificação operada na Constituição Federal de 1946. O controle de constitucionalidade na modalidade concentrada foi introduzido no Brasil pela: A Constituição Federal de 1934. com a redação da EC n. por inconstitucionalidade ou para interpretação de lei ou ato normativo federal ou estadual. sem. Constituição de 67/69 Constituição da República Federativa do Brasil de 1967. Possibilidade de Liminar em Representação do PGR 6. B Constituição Federal de 1891.1. O sistema judicial de controle de constitucionalidade brasileiro foi alterado pela Emenda n. 119.2. E Emenda Constitucional nº 16/65. a partir daí.2. (Ambas Corretas) 6.2. contudo. Compete ao Supremo Tribunal Federal: l) a representação do Procurador-Geral da República.10.com. O sistema judicial de controle de constitucionalidade brasileiro até a introdução do controle concentrado. IV. Representação Interpretativa EC n. Resp. C Constituição Federal de 1988.: E VUNESP – 2012 – TJ/MG – Juiz III. abandonar a fiscalização judicial difusa. uma vez que introduziu o controle judicial abstrato. sendo que. seguia o modelo norte-americano.br .1.cursoenfase. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.2014 Prof.Curso Constitucional de A a Z – 07.2. 10 Acesse nosso site: www. recepcionou a concepção “austríaco-kelseniana”.º 16/65 à Constituição Federal brasileira de 1946. p) o pedido de medida cautelar nas representações oferecidas pelo ProcuradorGeral da República. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. Art. 7/1977. 6. EC 7/77: 6. 1/69. Manutenção do Modelo de Controle até então vigente 6.

de 2004) V o Governador de Estado ou do Distrito Federal.1.cursoenfase.a Mesa da Câmara dos Deputados. IV a Mesa de Assembléia Legislativa ou da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Portanto. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. em tese. A Constituição de 1988 trouxe diversas inovações e avanços em termos de controle de constitucionalidade.partido político com representação no Congresso Nacional. Um dois mais importantes avanços trazidos com a Constituição de 1988 foi a ampliação da legitimidade ativa da ação direita de inconstitucionalidade. De fato. A representação de inconstitucionalidade já existia antes de 1988. VII . Ampliação significativa da legitimidade ativa da ADI – art. 7. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. Atualmente. VIII . se não fosse do interesse da União. 7.Curso Constitucional de A a Z – 07.br . Na prática.a Mesa do Senado Federal. 103. III . sem a necessidade de uma ação específica. 103. IX . havia proeminência do difuso concreto. Ainda que híbrido ou eclético. o PGR somente iria propor a representação de inconstitucionalidade naquilo que coincidisse com os interesses da União. de 2004) I . o modelo brasileiro de controle de constitucionalidade era misto: difuso concreto americano e concentrado abstrato austríaco. A contrario sensu.com.10. II . mas a legitimidade ativa era exclusiva do PGR.2014 Prof. antes de 1988 o PGR exercia função típica de Ministério Público e também de defensor dos interesses da União.o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Art. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. na própria ADI há a possibilidade de pedir interpretação conforme a Constituição.o Procurador-Geral da República. Podem propor a ação direta de inconstitucionalidade e a ação declaratória de constitucionalidade: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. CRFB. A representação interpretativa não existe hoje e nem precisaria existir.confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. de 2004) VI . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. Constituição de 1988 Constituição da República Federativa do Brasil de 5 de Outubro de 1988. o PGR não iria propor RI. 11 Acesse nosso site: www.o Presidente da República.

cursoenfase. Fenômeno da Abstrativização / Objetivação (Objetivização)2 O controle abstrato apresenta um processo de natureza objetiva. o PGR goza de autonomia funcional diferenciada e ampliada e não tem mais a função de defesa dos interesses da União. O processo objetivo é aquele em que se verifica a ausência de interesses subjetivos (direitos subjetivos). Some-se a isso o fenômeno dos “processos de massa”. o controle concentrado abstrato também se torna extremamente importante. O instituto passou a ser muito mais utilizado do que no passado. refletindo a necessidade de criação de mecanismos que permitam soluções uniformes e que atinjam um número maior de pessoas. Ademais. Afinal. que ganha maior relevância.10. há cada vez mais questões jurídicas substancialmente semelhantes atingindo uma massa de pessoas. A CF 1988 amplia o rol de legitimados. A utilização do controle abstrato via ADI é hoje muito maior do que fora antes de 1988. Interesse subjetivo é aquele titularizado por indivíduos. O alargamento da legitimidade ativa redunda no alargamento da utilização do controle concentrado abstrato. isto é. isto é. sendo possível vislumbrar algumas centenas de possíveis legitimados ativos para propositura da ADI. a solução jurídica dada pelo STF tem efeitos gerais para todos e vinculante para o poder público. existem dois fenômenos que se somam: (i) o alargamento do rol de legitimados da ADI. Direito subjetivo é o poder jurídico de exigir algo de alguém. enquanto o locatário tem o direito subjetivo de exigir a entrega da coisa. Exemplo prático de processo subjetivo é o contrato de locação.com. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. em que o locador tem o direito subjetivo de exigir prestação. Hoje o PGR pode propor ADI com mais independência do que antes. ao longo do curso. O rol do art. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. as decisões tem efeito erga omnes e vinculante. 12 Acesse nosso site: www. 103 é bastante amplo. 2 O tema será aprofundado no momento oportuno. o que implica maior utilização do controle concentrado abstrato.br . e (ii) a necessidade de pensar soluções jurídicas para problemas jurídicos de maior alcance. Estas questões demandam análises menos singularizadas e mais coletivizadas. Em suma.2014 Prof.Curso Constitucional de A a Z – 07. Este aspecto leva a certa inversão na relação de proeminência e o controle abstrato passa a ter maior relevância do que o difuso concreto. Além dos processos coletivos.

e enfoque. Neste contexto. e não só na relação processual. não há interesses subjetivos no controle abstrato.com. analise as relações do fenômeno com outras modalidades de controle constitucional e com procedimentos decisórios vinculativos. 13 Acesse nosso site: www. é consequência por causa da maior necessidade de encontrar mecanismos que permitam soluções jurídicas mais abrangentes. O alargamento do controle abstrato reflete no alargamento da jurisdição constitucional. motivo pelo qual se trata de processo objetivo. Como consequência há o próprio reforço da jurisdição constitucional. ao mesmo tempo. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. A repercussão geral no recurso extraordinário reflete a demonstração de que a questão jurídica transcende os interesses subjetivos das partes no processo singular. Exemplos: modulação dos efeitos temporais. causa e consequência. É causa porque reforça o fenômeno de abstrativização. A abstrativização é a proeminência dada ao controle abstrato. explicite o conceito desse fenômeno. Em seu texto. Cuida-se de característica menos subjetiva e mais objetiva. que passa a ter efeitos vinculantes) e o instituto da repercussão geral no recurso extraordinário (necessidade de demonstração de que a questão transcende os interesses subjetivos). súmula vinculante (decisões emanadas no controle concreto.Curso Constitucional de A a Z – 07. A ampliação significativa da legitimidade ativa da ADI é. ao final.br . isto é. com foco no conteúdo do tema jurídico. o que revela a proeminência do controle. que passa a ter caráter geral e vinculante. apresente exemplos. como a súmula vinculante e a repercussão geral. o que gera influência sobre o concreto.cursoenfase. em processos de natureza subjetiva em que o STF já consolida entendimento em súmula. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. amicus curiae. abstrativização e objetivização são sinônimos. Assim é que vários aspectos e elementos do controle abstrato são repercutidos e passam a influenciar o controle concreto. TRF 5ª Região – 2011 – Prova Discursiva Discorra sobre o fenômeno da objetivação. as consequências de todas essas novidades para a aplicação jurisdicional da Constituição Federal. Um dos fatores que contribuem para o fenômeno da abstrativização é a ampliação significativa da legitimidade ativa para propositura da ADI. a norma é analisada fora de caso concreto subjetivo. O controle abstrato visa à análise da constitucionalidade da norma em tese.10. A súmula vinculante representa a conversão de entendimento jurídico próprio do processo subjetivo.2014 Prof. Portanto. objetivização ou abstrativização do controle difuso de constitucionalidade pelo Supremo Tribunal Federal.

3. pú (atual 102. será apreciada pelo Supremo Tribunal Federal.5.2014 Prof. LXXI .4.2. embora a CRFB/88 inove prevendo o MS Coletivo) A CF 1988 é a primeira a prever o MS coletivo. em se tratando de órgão administrativo. cabendo-lhe: I . Art. Compete ao Supremo Tribunal Federal. Controle das Omissões: ADO e Mandado de Injunção CRFB.º A arguição de descumprimento de preceito fundamental. Art.4. § 1. 103.1.br .processar e julgar. precipuamente. CRFB. § 1° e Lei 9882/99) CRFB. Art. Ampliação dos Remédios Constitucionais 7. para fazê-lo em trinta dias. 7. Art. Reclamação Constitucional CRFB. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala.4. 102. A arguição de descumprimento de preceito fundamental é criação do constituinte originário. A EC 3/93 apenas renumerou o parágrafo único em parágrafo primeiro. originariamente: l) a reclamação para a preservação de sua competência e garantia da autoridade de suas decisões A reclamação foi levada ao plano constitucional em 1988.4. 5º. Habeas Data e Mandado de Injunção (criados) 7. na forma da lei. decorrente desta Constituição. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.Declarada a inconstitucionalidade por omissão de medida para tornar efetiva norma constitucional. 7.10. será dada ciência ao Poder competente para a adoção das providências necessárias e. § 2º . mas já existia antes no plano infraconstitucional.2.conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade. HC e MS (já existentes. 102. Ação Civil Pública e Ação Popular (alargadas) A lesividade à moralidade passa a ser objeto da ação popular.3. 14 Acesse nosso site: www. 7. Criação da ADPF – art.cursoenfase. 102. 7.Curso Constitucional de A a Z – 07. 7. à soberania e à cidadania. a guarda da Constituição.com.

br . III.Curso Constitucional de A a Z – 07. iii. 7. Item Errado. EC 3/93: criação da ADC CRFB. a guarda da Constituição. Ausência de Mecanismo de Controle (1824) ii. com primazia para o concreto/difuso (a partir da EC 16/65). Sistema de Controle Concreto e Difuso (1891).cursoenfase. d c/c art. A declaração de constitucionalidade não foi prevista no texto originário da Constituição de 1988. 7. (Redação dada pela EC nº 3. de 1993) Adv. §3º C) Atualização do Rol de Legitimados Ativos – art.processar e julgar. precipuamente. 103. 102. EC 45/04 A) Súmula Vinculante – art. III e revogação do inciso IV) 8. Compete ao Supremo Tribunal Federal. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. 109. §5º E) Alteração da Competência do STJ para o STF em certos casos de RE (art.2014 Prof. Síntese da Evolução no Direito Brasileiro i. b) e Representação Interventiva (art. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. Influência do modelo americano. A criação das declarações de constitucionalidade e de inconstitucionalidade por omissão e a ampliação da legitimação para propositura das ações diretas de inconstitucionalidade foram inovações implementadas com a promulgação da Constituição de 1988 no sistema brasileiro de controle de constitucionalidade. Humanos) – art. cabendo-lhe: I . originariamente: a) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal ou estadual e a ação declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal. 102. tendo sido implementada apenas com a EC 3/93. IV e V D) Incidente de Deslocamento da Competência (Federalização das Graves Violações de Dir. Sistema Misto/Eclético/Híbrido (concreto/difuso e concentrado/abstrato). 36. 103-A B) Repercussão Geral do RE – art.com.6. 15 Acesse nosso site: www. 105.10. 102. Art.7. III. da União – 2006 67.

Min. sobretudo da legislação tributária e matérias próximas. a meu ver. que a convivência entre o sistema difuso e o sistema concentrado “não se faz sem uma permanente tensão dialética na qual.cursoenfase. sobretudo nos processos de massa. pela grande maioria dos países democráticos. 1. 69. na dinâmica da legislação. b) o controle abstrato permite que um grupo restrito de pessoas impugne uma determinada norma. Sistema Misto/Eclético/Híbrido (concreto/difuso e concentrado/abstrato). A EC 16/65 traz a representação de inconstitucionalidade.Curso Constitucional de A a Z – 07.10. 2005. Moreira Alves. 16 Acesse nosso site: www. ao maior descrédito da Justiça. pode-se afirmar que a) o controle difuso caracteriza-se por possibilitar a um número amplo de interessados impugnar a constitucionalidade de uma norma perante um único tribunal. progressivamente. com primazia para o concentrado/abstrato (a partir da Const. acima de qualquer possibilidade de sua ampliação e. porque reduzidos a uma só questão de direito”. Questões diversas CESPE – TRF/5ª Região. ao estrangulamento da máquina judiciária. desde que fundamentado em um caso concreto. na ADC no 1 (ADC 1/DF. 9. Item errado ESAF – Receita Federal – Auditor Fiscal – 2012 O controle de constitucionalidade das leis é um dos mais importantes instrumentos da manutenção da supremacia da Constituição. j. pela sua total incapacidade de responder à demanda de centenas de milhares de processos rigorosamente idênticos.br . A Constituição de 1988 inaugurou o sistema de controle de constitucionalidade abstrato de normas. com algumas variações.12.6. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. DJU 16.com. Rel. perante qualquer tribunal.2014 Prof. Com relação ao controle de constitucionalidade. inaugurando o controle abstrato no Brasil. iv.93. Por essa razão é adotado.95). porquanto as constituições anteriores apenas previam o controle difuso realizado incidenter tantum. de 1988) Sepúlveda Pertence. levará se não se criam mecanismos eficazes de decisão relativamente rápida e uniforme. a experiência tem demonstrado que será inevitável o reforço do sistema concentrado. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. a cada ano. na multiplicidade de processos a que inevitavelmente.

A Constituição da República de 1824. e) o controle difuso é fruto de construção jurisprudencial da Suprema Corte dos Estados Unidos. essa concepção mudou radicalmente. também conhecida como Constituição de Weimar.X. que. poderia submetê-la novamente à apreciação do Parlamento. traduzindo esse pensamento.com. (errado)3 A Constituição da República de 1937. embora alguns autores defendam que decisões anteriores já indicavam a possibilidade de o Judiciário declarar uma norma contrária à Constituição. os doutrinadores brasileiros da época. e nenhum outro. um complexo sistema de controle jurisdicional de constitucionalidade. Nesse sentido. e o Brasil possui. da União – 2002 QUESTÃO 3 .2014 Prof. por influência dos franceses. 52. c) o controle concentrado decorre de construção normativa de Hans Kelsen e a primeira Constituição a incorporá-lo foi a Constituição Alemã de 1919. julgue os itens que se seguem. No decorrer dos quase 180 anos que se seguiram. pregavam a supremacia da lei e do legislador. apesar de prever em seu texto quorum especial dos tribunais para a declaração de inconstitucionalidade.10. quando declarado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF).br . entre as quais a competência do Senado Federal ou da Câmara dos Deputados para suspender a execução. tinha o direito de interpretar as leis. CF. consagrou princípio autoritário segundo o qual. suas vontades e seus fins. 17 Acesse nosso site: www. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. no caso de uma lei ser declarada inconstitucional. uma vez que a competência é privativa do Senado Federal. não contemplava a possibilidade do controle judicial de constitucionalidade das leis.Curso Constitucional de A a Z – 07. deliberação ou regulamento.: E Adv. no todo ou em parte. (correto) 3 O erro está em apontar a competência da Câmara dos Deputados para a edição de resolução suspensiva.cursoenfase. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. conforme art. se o presidente da República a considerasse necessária ao bem-estar social ou à proteção de interesse nacional relevante. A Constituição da República de 1934 introduziu mudanças significativas no sistema de controle de constitucionalidade das leis. Resp. naquele momento histórico. atualmente. ensinavam que apenas o Poder Legislativo. A respeito da evolução histórica desse controle no Brasil. de qualquer lei ou ato. d) o Brasil adota o controle difuso e o abstrato desde a Constituição Federal de 1891. emprestando-lhe efeito erga omnes.

com.cursoenfase. (correto) O controle abstrato da constitucionalidade de normas mediante a representação de inconstitucionalidade de lei ou de ato normativo foi instituído no Brasil pela Constituição da República de 1967. pelo STF. da inconstitucionalidade do ato argüido. A Constituição da República de 1946 ampliou as hipóteses de representação de inconstitucionalidade. (errado) 18 Acesse nosso site: www. João Mendes O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da aula ministrada pelo professor em sala. Recomenda-se a complementação do estudo em livros doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais. manteve a titularidade da representação com o procurador-geral da República e subordinou a intervenção à declaração.10.br .Curso Constitucional de A a Z – 07. prevista inicialmente na Constituição da República de 1934.2014 Prof.