You are on page 1of 8

Texto Escaneado por Gilberto Miranda Júnior para o Portal Philosophia –

WWW.portalphilosophia.org
Do Livro:
DARWIN, Charles. A Origem do Homem e a Seleção Sexual. Tradução Eugênio Amado.
Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 2004. – Capítulo V, PP. 108-115.

CAPÍTULO V
DO DESENVOLVIMENTO DAS FACULDADES
INTELECTUAIS E MORAIS DURANTE AS
ERAS PRIMITIVAS E A CIVILIZADA
O progresso dos poderes intelectuais através da seleção natural — Importância da imitação — faculdades sociais e morais — Seu desenvolvimento em âmbito tribal — Até que ponto a seleção natural atua nas nações
civilizadas - Prova de que as nações civilizadas já foram bárbaras.

O

s assuntos a serem discutidos neste capítulo são do maior interesse,
mas creio que os tratei de maneira imperfeita e fragmentária. Wallace,
num admirável artigo ao qual já me referi!, afirma que o homem,
após ter adquirido parte das faculdades morais e intelectuais que o
distinguem dos animais inferiores, teria estado propenso a ter sua estrutura
corporal modificada através da seleção natural, ou por qualquer outro meio,
já que está capacitado, através de suas faculdades mentais, "a conservar
harmonicamente seu corpo inalterado vivendo num universo em constante
mutação".
O ser humano possui grande capacidade de adaptar seus hábitos às novas
condições de vida. Inventa armas, instrumentos e vários estratagemas para
conseguir alimento e defender-se. Quando migra para uma região de clima
mais frio, usa agasalhos, constrói abrigos, produz fogo, com cuja ajuda
cozinha alimentos que, se deixados crus, seriam indigestos. Ajuda seus
companheiros de diversos modos e toma precauções no tocante às possíveis
eventualidades. Já em eras remotas praticou algum tipo de divisão do
trabalho. Os animais inferiores, por outro lado, devem ter sua estrutura
corporal modificada, a fim de sobreviverem sob condições grandemente
alteradas. Têm de se tornar mais fortes, ou adquirir dentes e garras mais
eficazes, para defender-se de novos inimigos, ou diminuir de tamanho para
escapar dos perigos e de serem descobertos. Quando migram para climas frios,
ganham pêlos mais bastos ou alteram sua constituição interna. Se não
conseguem modificar-se, acabam por extinguir-se.
Ocorre coisa bem diferente, como com justiça insiste Wallace, com
relação às faculdades intelectuais e morais do homem. Estas são variáveis, e
temos toda razão de
I

"Antropological Review". mai/1868. p. CLVIII.

108

as pessoas ou as tribos absorvidas por outra tribo acreditam descender dos mesmos antepassados. "Soc. os indivíduos mais sagazes. tão logo os ancestrais do homem se tornaram sociais (o que provavelmente deve ter ocorrido num período bem remoto). embora não exclusivamente. já que sua história em geral é totalmente esquecida pelos que posteriormente passaram a viver em seus territórios. p 294 l09 . nas planícies selvagens da América e nas ilhas isoladas do Pacífico. desde o estado em que se encontra nos animais inferiores até aquele que chegou a atingir no homem. 1860. Por conseguinte. Por conseguinte. pois o homem deve principalmente a elas sua posição preeminente no mundo. os homens da Idade do Bronze foram suplantados por uma raça mais poderosa. ou que a seu respeito podemos deduzir de suas tradições e antigos monumentos. a sua superioridade quanto á técnica. 1861. Morlot. Vaud. p 131). é altamente provável que. Cabe supor que. e. Nos dias de hoje. As tribos que possuem o maior número de pessoas assim dotadas aumentam em número e suplantam as outras. que são produto do intelecto. Depois de certo tempo. nos estados mais precários da sociedade. de mãos maiores. o progresso das facul- 2. e que foram mais hábeis em se defenderem. À medida que a tribo aumenta numericamente e conquista mais vitórias. as tribos residentes num local foram sendo suplantadas por outras. no caso do homem. Indubitavelmente seria bem interessante traçar o desenvolvimento de cada faculdade isolada. conforme observou Sir Henry Maine ("A Lei nos tempos antigo". Vestígios de tribos extintas ou esquecidas têm sido descobertos em diversas regiões civilizadas da Terra. se elas fossem outrora de grande importância para o homem primitivo e para seus ancestrais simiescos. que por sua vez dependem em parte das condições físicas do lugar.acreditar que tendem a ser hereditárias. e elas são bem sucedidas. Sc Nat". principalmente. e este depende em parte da natureza e quantidade do alimento que a tribo tem condições de obter. e esta conclusão é suficiente para o nosso propósito. Podemos ver que. ainda que em grau menor. conquanto em grau bem menor que das técnicas aí praticadas. Na Europa. em razão de suas técnicas. Os números dependem basicamente dos meios de subsistência. mas seu sucesso poderia ser devido também. ela cresce ainda mais pela absorção de outras tribos A estatura e força dos homens de uma tribo também são importantes para seu sucesso. nações civilizadas estão por toda parte suplantando as bárbaras. desde os tempos mais remotos. são os que procriam em maior número. aqueles que inventaram e usaram as melhores armas ou armadilhas. mas faltam-me capacidade e conhecimento para permitir essa tentativa. exceto onde o clima opõe uma barreira mortal. as faculdades intelectuais tenham sido gradualmente aperfeiçoadas através da seleção natural. mostra que. Tudo o que sabemos sobre os selvagens. não pode haver dúvida. Acerca da grande importância das faculdades intelectuais. 3. teriam sido aperfeiçoadas ou transformadas com a ajuda da seleção natural. a julgar pelos punhos de suas espadas.

se tivessem tomado sociais. A fim de que o homem primitivo. da qual somente vemos alguns vestígios nos animais inferiores. fidelidade e coragem. a tribo aumentará em número. mostra que eles aprendem pela experiência. A prática habitual de cada nova técnica deve igualmente. Tais qualidades sociais. juntamente com a razão e a experiência. à p. caso uma delas incluísse um número maior de indivíduos corajosos. por quem certamente nutriam algum tipo de afeição. foram sem dúvida adquiridas pelos ancestrais do homem de maneira similar. as características desejadas pudessem repetir-se entre seus descendentes. essa tribo tenderia a ser mais bem sucedida no combate e derrotar a outra. por meio da preservação dos caracteres e dos cruzamentos dos membros daquela família. Ora. Mesmo que ele não tivesse filhos. e o simples fato mencionado há pouco de que. 196. o simples interesse. ou outro meio qualquer de ataque e defesa. Quando duas tribos de homens primitivos. ou seus ancestrais simiescos. especialmente em se tratando de uma tribo pequena. e todos iriam lucrar com isso. Os macacos são muito propensos a imitar. de forças equivalentes. sempre prontos a alertar os companheiros de algum perigo constatado e a se defender mutuamente. Numa tribo que desse modo se tornou mais numerosa. devem ter-se protegido mutuamente do perigo e se ajudado em caso de defesa ou ataque. a saber: através do princípio de imitação. seus consangúíneos viveriam naquela tribo. Devem ter-se sentido inquietos quando separados de seus camaradas. auxiliada pelo hábito adquirido. bem como os selvagens mais primitivos. ao menos em ligeiro grau.dades intelectuais há de ter sido ajudado e modificado de maneira marcante. os animais param de cair no mesmo tipo de armadilha. uma nova arma. através da seleção natural. espalhar-se-á e haverá de suplantar as outras. sem ajuda de grande poder de raciocínio. isso é. conforme os agricultores tantas vezes já comprovaram4. sempre haveria maior chance do surgimento de outros indivíduos mais capazes e dotados de maior capacidade inventiva. a chance do nascimento de outros por certo mais engenhosos seria ainda maior. batalhavam entre si. Voltemos agora a considerar as faculdades sociais e morais. Se tais indivíduos gerarem fílhos que herdem sua superioridade mental. solidários e fiéis. Se a nova invenção for importante. vivendo na mesma região. sabendo imitar as precauções dos outros. vol II. e. levaria os outros membros do grupo a imitá-lo. reforçar o intelecto. cuja importância fundamental para os animais inferiores não é questionada por quem quer que seja. 110 . Tudo isso implica em algum grau de solidariedade. É fácil imaginar qual não teria sido a importância da fidelidade e da coragem nas incessantes guerras travadas pelos selvagens! A vantagem que soldados disciplinados 4 Forneci vários exemplos em meu livro "Variabilidade dos animais domésticos. passado algum tempo. bastaria isso para que. ostentando indubitavelmente a mesma disposição geral. se algum membro da tribo dotado de maior sagacidade tivesse inventado uma nova armadilha. eles devem ter adquirido os mesmos sentimentos instintivos que impelem outros animais a viver em grupo.

os quais foram posteriormente publicados em separatas. o que por certo haverá de reforçar seu sentimento de solidariedade. Por conseguinte. Uma tribo que possua essas qualidades em alto grau tenderá a espalhar-se e subjugar as outras. com freqüência morreram antes de deixar descendentes que herdassem sua natureza nobre.têm sobre hordas indisciplinadas provém principalmente da confiança que cada qual deposita em seus camaradas. mas com o decorrer do tempo deverá por seu turno. na mesma medida em que qualquer forma de governo é sempre melhor que nenhuma. É extremamente duvidoso que os descendentes de pais mais solidários e benevolentes. Pode-se perguntar. certamente haverá de receber algum tipo de ajuda como forma de retribuição. Mas há um outro estímulo que concorre ainda mais ponderavelmente para o desenvolvimento das virtudes sociais: o louvor ou a censura do próximo. Aqueles que. 1/4/1868 e I/7/I869. porém. e como teria sido alcançado o padrão de excelência. a julgar pela lição da História. como Bagehot mostrou5. quando os hábitos são seguidos durante muitas gerações. são devidos primariamente. nada se pode realizar. as qualidades sociais e morais tenderão lentamente a progredir e espalhar-se pelo mundo afora. conforme tantas vezes já se constatou entre os selvagens. Assim. que. seriam mais numerosos que os dos pais egoístas e pérfidos dessa mesma tribo. numerosos indivíduos vieram a tornar-se dotados dessas qualidades sociais e morais. antes não hesitariam em sacrificar a própria vida. tendem a tornar-se hereditários. à medida que os poderes de raciocínio e previdência dos indivíduos vão-se aperfeiçoando. Em primeiro lugar. se porventura ajudar seus companheiros. ou daqueles que foram mais leais a seus camaradas. como resultado da sobrevivência dos mais aptos. ele poderá adquirir o hábito de ajudar seus companheiros e de executar ações generosas. Os bravos que não receiam seguir para a frente de batalha ou arriscar a vida de peito aberto correm maior risco de morrer que os outros. possa ser aumentado através da seleção natural. como vimos num capítulo 5 Conferir uma série de artigos «obre Física e Política na "Fortnoghtly Review". possui um valor imenso. edições de nov/1867. parece pouco possível (tendo em mente que não estamos tratando aqui da vitória de uma tribo sobre outra) que o número de homens dotados de tais virtudes. Embora as circunstâncias que levam a um aumento do número de homens assim dotados sejam complexas demais para que as acompanhemos claramente. e onde não existe coesão. como é que. Por esse motivo um tanto mesquinho. podemos esquematízar alguns de seus prováveis passos. aquele que confere o primeiro impulso às nobres ações. ser superada por alguma outra tribo ainda mais bem dotada do que ela. assim como o ato de externar nosso elogio ou nossa censura. 111 . ou que o padrão de excelência do caráter individual. a trair seus camaradas. cada qual irá aprender. dentro do âmbito de uma tribo. Pessoas egoístas e propensas a rixas não podem coexistir juntas. ou seja. com base em sua experiência. Ademais. A obediência. A satisfação sentida pela aprovação e o medo da condenação.

assim como gostarias de que o próximo agisse com relação a ti" — eis aí a pedra basilar da moralidade. nutrem o sentimento de glória. e pelo seu extremo cuidado quanto à aparência pessoal e ao uso de adornos. provavelmente não seria exagerado afirmar que. movido não por algum sentimento profundo e instintivo. se tivesse falhado num dever que considera sagrado? Podemos concluir. Não obstante. que foi sem dúvida adquirido originalmente. tais hábitos não teriam o menor sentido. serviria ao bem de todos. e também Sir John Lubbock confessa não saber de nenhum exemplo passível de atestá-lo6.precedente. embora possamos muitas vezes sentir vergonha ou experimentar um sentimento de contrição por ofensas menores. p 265 7. Eles certamente sentem vergonha quando quebram suas próprias regras: todavia. Os selvagens. pelo costume que têm de se gabar vaidosamente. não há quem possa dizer qual seria a extensão de seu remorso. ainda que o esconda. poderia. ao instinto de solidariedade. levando-os a realizar gestos nobres em decorrência do sentimento de admiração. e ficam constrangidos com a censura. 1870. O selvagem que prefere sacrificar a vida a trair sua tribo. só com seu exemplo. Com efeito. reprovando a que lhes parecesse má. ou as confissões em leito de morte feitas aos sacerdotes. "Faze o bem ao próximo. que o homem primitivo. será que não sentiria remorso no íntimo de seu coração. no decurso de seu desenvolvimento. É óbvio que os indivíduos da tribo aprovariam a conduta que. Desse modo. é coisa que ignoramos. Um indivíduo que tenha sacrificado sua vida pelo bem do próximo. duvido se muitos de nós já alguma vez testemunhamos efetivamente um caso de remorso. passado a ser impelidos ou contidos pelo elogio ou pela censura de seus companheiros. Com o desenvolvimento da experiência e da razão. Wallace apresenta alguns exemplos em sua obra "Contribuições à teoria da seleção natural". num período bastante remoto. ou que prefere ir preso a quebrar a palavra7. caso eles não sentissem respeito pela opinião de seus camaradas. Assim. através da seleção natural. poderá ele fazer a sua tribo um bem maior do que o faria pelo simples fato de gerar filhos que talvez herdassem seu caráter heróico. as virtudes que produzem satisfa6. provocar esse mesmo desejo nos seus camaradas. "Origem da civilização". 112 . portanto. como aliás o foram todos os outros instintos. deve ter sido extremamente importante para o homem o amor ao elogio e o horror à censura. deve ter sido influenciado pelo elogio e censura de seus companheiros. segundo seu entendimento. o homem passa a prever as mais remotas conseqüências de suas ações. mas tão-somente pelo desejo de glória. se varrermos de nossas mentes todos os casos apresentados em romances e peças teatrais. Por conseguinte. desde os tempos remotos. Mas sabe-se que até mesmo os cães apreciam o encorajamento e o elogio. como o demonstram claramente pelo fato de preservarem os troféus de suas proezas. Em que período remoto teriam os ancestrais do homem. Surpreendeu-me não ter podido registrar qualquer evidência desse sentimento entre os selvagens. mesmo os mais primitivos.

p. a elevação desse padrão e o aumento do número de homens dotados de caráter nobre certamente haverão de acarretar uma enorme vantagem para essa tribo em relação a outra. tribos suplantaram tribos. até que. foi condicionado por profundos sentimentos religiosos. 8. Entretanto. tem sempre se mostrado altamente improdutiva. Sír Henry Maine. "A Lei nos temos antigos". Muitos selvagens estão ainda hoje na mesma condição em que se encontravam quando de seu descobrimento. Maine8. Já a vida nômade. seja através das vastas planícies. chegando eventualmente a se tornar sagradas. estamos acostumados a encarar o progresso como a regra geral da sociedade humana. e o mesmo se pode dizer dos orientais de hoje em dia. nos tempos passados. mais tarde. num claro exemplo do que constituiria a seleção natural. e confirmado pela instrução e pelo hábito.. é muito difícil encontrar a explicação dos motivos que teriam levado uma determinada tribo. de fidelidade. de coragem e de solidariedade. mas a História não dá respaldo a tal idéia.ção pessoal. Mas já se observou muitas vezes que um clima frio pode ser altamente favorável. embora um alto padrão de moralidade forneça pequena ou nula vantagem a cada indivíduo e a seus filhos sobre os outros homens de uma tribo. Não podemos nos esquecer de que. como já vimos. a castidade. consulte-se a "Fortnightly Review" de 1/4/1868. 113 . eram inteiramente desdenhadas. 1861. etc. das densas florestas dos trópicos. os esquimós fizeram várias invenções engenhosas. um padrão de moralidade e um certo número de homens bem dotados tendem a se instalar e crescer em toda parte. De acordo com outra alta autoridade. 22. senão mesmo indispensável. à implantação da indústria e ao desenvolvimento das artes. e como a moralidade é um dos elementos ponderáveis desse sucesso. as quais. passam a ser estimuladas. lembrando apenas que nosso senso moral ou consciência teve sua origem remota nos instintos sociais. de obediência. Em todos os tempos e em todo o mundo. em tempos mais recentes. Pressionados pela necessidade. passou a ser guiado em grande parte pela aprovação do próximo. ou ao longo dos extensos e ermos litorais. todos sempre prontos a se ajudarem entre si e a se sacrificarem pelo bem comum. Os antigos não pensavam assim. Como Bagehot notou. e regido pela razão e pelo interesse pessoal. p. mas seu clima é rigoroso demais para permitir um progresso contínuo. e não outra a galgar os degraus do sucesso e da civilização. "a maioria da Humanidade jamais demonstrou a mínima partícula de desejo de reforçar essas instituições civis ". demasiado complexas para que se permita seu acompanhamento. 452. Não preciso repetir o que já foi dito num capítulo precedente acerca desse assunto altamente complexo. Para conferir as observações de Bafehot. tais como a temperança. seria vitoriosa sobre a maior parte das outras tribos. Não há dúvida de que uma tribo que possuísse muitos indivíduos dotados em alto grau do senso de patriotismo. centenas de anos atrás. O progresso parece depender do concurso simultâneo de muitas condições favoráveis.

1870. Seja como for. de moradia fixa e a união de várias famílias sob as ordens de um chefe eram os requisitos indispensáveis para o estabelecimento da civilização. dificilmente haveria alguém tão ignorante que incentivasse. Entre os selvagens. p353.. descobri que a posse de uma propriedade. enquanto que os sobreviventes exibem geralmente uma saúde vigorosa. conforme mostramos. O cirurgião pode sufocar seu sentimento enquanto realiza 9. e instituindo leis de assistência aos pobres. conforme demonstrei em outra obra. Ray Lankester. ou mesmo permitisse. p 128 Considerações semelhantes já haviam sido publicadas no "Australasian" de 11/7/1867 Vali-me de várias idéias defendidas por esses autores. set/1868. e por E. É surpreendente como um simples descuido ou uma providência mal tomada pode acarretar a degeneração de uma raça doméstica! Com efeito. Até que ponto a seleção natural atua nas nações civilizadas — Nestes últimos capítulos tenho considerado o progresso alcançado pelo homem a partir de uma condição semi-humana até alcançar o estado atual dos nossos selvagens. mesmo se tal atitude nos fosse ditada pela razão pura e simples. o cruzamento de seus piores exemplares. que sem ela teriam sucumbido à varíola. originalmente adquirido como parte dos instintos sociais. mais terno e mais amplamente difundido. Penso que seria útil acrescentar a seguir algumas considerações acerca da atuação da seleção natural sobre as nações civilizadas. "Fraser´s Magazine". construindo asilos para os deficientes mentais. sem prejudicar a parte mais nobre de nossa natureza. e anteriormente por Wallace e Galton10. sendo que nossos médicos lançam mão de todos os seus recursos para salvar as vidas de qualquer semelhante que esteja em risco de morrer. Journal of Medical Science" de fev/1860. 10 "O gênio hereditário". no "Dublim Q. A maioria de minhas observações foi extraída desses três autores. fazemos o possível para combater o processo de eliminação. pp 132-140. mas subseqüentemente tornado. Foi também discutido no "(Q. Tampouco poderíamos tolher nossa solidariedade. costuma resultar de acidentes fortuitos. os aleijados. Devido a coisas como essa. por Lawson Tait. à p 152. 114 . R.. 1870. tais como a queda das sementes de uma árvore frutífera num monte de detritos e a subseqüente produção de uma variedade excepcional. até o presente ainda não se encontrou a resposta para a questão relativa ao início do processo de civilização. homens civilizados. Esse assunto foi habilmente discutido por W. os doentes. em sua "Longevidade comparada". A ajuda que nos sentimos impelidos a prestar aos desassistidos decorre de maneira casual do instinto de solidariedade. Já no que se refere a nós outros. Esse artigo parece ter impressionado várias pessoas e dado origem aos dois notáveis ensaios e uma réplica publicados no "Spectator" de 3/10 e 17/10 de 1868. salvo no que se refere ao homem. os indivíduos fracos de corpo ou de mente são logo eliminados. os membros fracos das sociedades civilizadas acabam por propagar seu tipo. e a adoção dessa prática.Quando estudei os selvagens da Terra do Fogo. Ninguém que tenha empreendido o cruzamento de animais domésticos duvida de que tal atitude pode ser altamente prejudicial à raça do homem. Journal of Medical Science" de 1869. Greg9. Há razão para se acreditar que a vacinação em massa tenha preservado milhares de pessoas de constituição fraca. Tais hábitos decorrem quase sempre da prática de se cultivar o solo.

portalphilosophia. mesmo tendo em vista um benefício eventual. – Capítulo V. . se negligenciarmos intencionalmente os fracos e desvalidos. o homem acumula propriedades e as lega a seus filhos. impedindo que os membros mais débeis e inferiores da sociedade se casem de maneira tão liberada quanto os sadios. O acúmulo moderado de riquezas não interfere com o processo de seleção. talvez até mesmo essencial. o que me parece constituir antes uma esperança que uma possibilidade real. Quando um pobre enriquece. porém. já que a eles compete a totalidade do trabalho intelectual. o que não nos impede de termos consciência da necessidade de criar algum tipo de obstáculo à sua propagação. sentir-nos-emos muito mal. e é principalmente através do seu poder que as raças civilizadas se espalham e continuam até hoje estendendo seu raio de influência. uma vez que. os habitantes desses países não largam simultaneamente na corrida rumo ao sucesso. de modo que os mais habilitados física e mentalmente acabam saindo-se melhor. A presença de uma plêiade de homens instruídos que não precisam trabalhar para conseguir o pão de cada dia é importante para uma nação. Daí aceitarmos sem queixa os indubitavelmente maus efeitos da sobrevivência e reprodução dos fracos. Tradução Eugênio Amado. 115 Texto Escaneado por Gilberto Miranda Júnior para o Portal Philosophia – WWW. Charles. pois sabe que está agindo para o bem do paciente. impondo-se pouco a pouco às raças inferiores. PP. nós.org Do Livro: DARWIN. seus filhos empreendem negócios ou assumem profissões nas quais há bastante competição.uma operação. A Origem do Homem e a Seleção Sexual. 2004. Esse obstáculo pode ir-se tornando cada vez maior. Desse modo. 108-115. Belo Horizonte: Editora Itatiaia. até transformar-se numa efetiva proibição ao casamento e procriação dos fracos de corpo ou mente. se não houvesse concentrações de capital. isso sem mencionar outros benefícios. Em todos os países civilizados. sobre o qual se assenta o progresso material. as artes não poderiam desenvolver-se. Mas isso longe está de constituir um mal implacável.