Universidade Estadual do Oeste do Paraná- UNIOESTE

Centro de Ciências Sociais e Aplicadas- CCSA

João Pedro dos Santos Venditto

Análise de caso em “A Corporação” –
“Monsanto contra Fox 13”

Foz do Iguaçu
2015

a empresa química solicitou a ocultação e falsificação de algumas das informações. Ele conta também com depoimentos de pessoas envolvidas com corporações. mas o apelo foi desconsiderado e ele e Jane foram demitidos. Entre os vários casos corporativos mencionados. que esclarecem alguns conceitos levantados. e em 2003 houve a proposta de uma indenização de US$ 425 mil para ela e o colega. explicitando os atos ambiciosos. alegando participação forçada em uma prática desonesta. desonestos e até psicopáticos dos mesmos para maximizarem seus lucros e se manterem (e que geralmente trazem prejuízos à sociedade). um exemplifica como as ações corruptas das corporações podem gerar conflito entre setores diferentes do mercado. Steve entrou em contato com a advogada da Fox. mostra o mundo dos grandes grupos que dominam o comércio norteamericano e mundial (do surgimento da ideia de corporação. até os dias de hoje). porém. tendo de rescrever a reportagem 83 vezes para não serem demitidos ou processados. Caroline Forest. cruéis. . atrapalhar suas atuações e trazer danos às vítimas: o caso dos jornalistas Steve Wilson e Jane Akre da WTVT-TV (Fox 13) de Tampa. os juízes decidiram que a acusação de distorção de notícia era infundada e incabível de indenização. Pouco antes de o material ir ao ar. Flórida: ambos fizeram uma reportagem em 1997 a partir de uma denúncia de adulteração do leite dos Estados Unidos (no qual foi encontrado hormônio químico bovino (rBGH)) por parte da Monsanto. reforçam as ações absurdas de fortalecimento das empresas. na época da Revolução Industrial.Análise de caso em “A Corporação” – “Monsanto contra Fox 13” O documentário “A Corporação” (2003). encerrando assim o caso. e não podendo se pronunciar publicamente a respeito dos resultados reais da investigação feita para a reportagem. os jornalistas não acataram o pedido e foram censurados pela companhia química e pela emissora. de Mark Achbar e Jennifer Abbott. e que a falsificação de notícias não era crime. e também mostram casos de vitória sobre o poder corporativo e mudança no contexto social ou comercial do entrevistado. Jane então entrou na Justiça.

pode-se citar sequência na contaminação da população e da natureza por conta da produção/consumo do leite adulterado. o Direito pode garantir a intervenção estatal nestes setores econômicos por meio de políticas que proíbam ou regulamentem o uso de produtos químicos nos alimentos. alienação da sociedade por conta da ocultação/distorção de informações. . é possível perceber alguns aspectos: sobre estrutura mercantil. e efetivem a total liberdade de expressão e transparência. Como consequências e custos sociais. teoria da seleção adversa (ambas as empresas não permitem o acesso total do público a todas as informações envolvidas na produção do leite e na reportagem) e interferência na aquisição de bens privados (a Fox (a mando da Monsanto) exclui dos espectadores o poder de aquisição de informações ao sofrer censura). demandando maior gasto com despesas hospitalares e investimentos para a recuperação da natureza danificada. Além disso. enquanto a Fox vende jornalismo dito “independente” e gera desinformação no público). a Fox e outras empresas televisivas norte-americanas (ABC. sendo um pequeno conjunto de empresas que dominam o setor televisivo do país. a ocultação forçada de informações e a distorção tendenciosa de dados como crimes. por exemplo) se enquadram em um oligopólio. Para prevenir isso. tendo maior controle na fabricação de produtos químicos e insumos agropecuários no país e no mundo em relação a outras marcas. e o aumento dos índices de enfermidades das pessoas e males ao meio ambiente. NBC e CBS. no qual elas impõem barreiras entre si em relação às suas ações no mercado (os jornalistas da Fox comprometem a índole da Monsanto ao tentar divulgar a denúncia. considerando a censura. o conflito entre as empresas gera uma espécie de “concorrência perfeita às avessas”. enquanto a Monsanto pode ser caracterizada como um monopólio. fiscalizem o processo de produção alimentícia e o cumprimento de normas legais no mesmo. Sobre falhas de mercado.Relacionando o caso ao referencial de estrutura e falhas de mercado. notamse externalidades (a Monsanto vende melhor produtividade agropecuária e gera problemas de saúde ou ao meio ambiente. e esta compromete a credibilidade da primeira ao ameaçá-la com um processo e censurar seus jornalistas) e negam a transparência de informações sobre o que ofertam (ocultam detalhes do alimento e da notícia).