Dentre os ensinamentos transmitidos pela espiritualidade através de Allan Kardec no “Livro

dos Espíritos”, existe a afirmação de que o espírito possui o livre arbítrio. Este ensinamento
ficou entendido como a capacidade que possui o ser encarnado de decidir o que deseja
praticar.
Pela compreensão que foi dada a este ensinamento pelos seres humanos, o homem possui o
direito de praticar o ato que bem entender. Na verdade, este entendimento deu ao ser
encarnado o papel de “senhor do seu destino”. Esta visão, no entanto, conflita com a
realidade do Universo e, principalmente, com os atributos de Deus, como descrito no mesmo
livro.
No primeiro capítulo de “O Livro dos Espíritos”, o próprio Allan Kardec, analisando as
informações trazidas pela espiritualidade, afirma que Deus é “Todo-Poderoso” e que este
poder é um atributo Seu porque “se não tivesse o soberano poder, haveria alguma coisa mais
poderosa ou tão poderosa como Ele; não teria feito todas as coisas e as que não tivesse feito
seriam obras de um outro deus”.
Portanto, se o ser humano possui o livre arbítrio para executar os atos que quiser, é tão
poderoso quanto Deus e se trata de um novo “deus”...
Pelo próprio conhecimento trazido por Kardec, isto não seria possível, pois outro dos
atributos de Deus é ser “único”, para que possa haver “unidade de vistas” e “unidade de
poder” no Universo.
Além do mais, se o ser humano possuísse realmente o livre arbítrio de praticar o ato que
quisesse, jamais seria contrariado. Todos teriam que ter sua vontade imposta sobre os
demais e o caos existiria, pois jamais todos poderiam ser contemplados ao mesmo tempo.
Teríamos um planeta como nos termos da “Torre de Babel” da Gênesis, onde ninguém se
entenderia.
Para que não houvesse o caos, seria necessário que cada um tivesse a consciência do
ferimento que poderia causar ao outro ao impor a sua vontade o que, convenhamos, ainda
não é deste mundo. Para que este fosse um planeta organizado e servisse ao seu propósito
(campo para evolução dos seres) seria preciso, dentro do conceito atual de livre arbítrio, que
todos os seres fossem evoluídos. Aí, para que serviria o planeta de provas e expiações?
Quando um ser humano consegue colocar fim à encarnação de outro ser (assassinato), os
espíritas afirmam que ele assim agiu porque fez mau uso do seu livre arbítrio. Porém
pergunto: onde ficou o livre arbítrio de quem morreu? O ser estava levando a sua vida e não
desejava morrer (livre arbítrio), mas viu o seu direito ferido por outro...
O que aconteceu neste momento? Pode existir um livre arbítrio mais forte do que outro, ou
seja, que seja capaz de impor-se? Neste caso, quem deu este poder para o assassino, se
Deus criou todos os seres iguais, com os mesmos direitos?
Quando uma história se forma antes do ato (motivos que levam ao assassinato), pode-se até
afirmar que aquele que desencarnou teria dado motivos para que houvesse o assassinato.
Mas e quando o assassinato ocorre sem que a vítima sequer conheça o agressor?
Clique aqui para ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJDVJ3eW
Como pode um elemento negativo (bandido) conseguir ferir mortalmente uma criança? O ser
encarnado em corpo infantil pode ainda não estar de posse de todos os direitos materiais
que a idade lhe traz, mas já possui todos os seus direitos espirituais. Assim, esta “criança”
(espírito encarnado) também possui o livre arbítrio como espírito que é e este direito não

os espíritos auxiliaram aquela criança e ao bandido inspirando o pensamento de se encontrarem no mesmo lugar. No entanto.poderá ser menosprezado por outra pessoa. pelas próprias palavras de Kardec nos atributos de Deus (capítulo 1). Tudo isto por ordem de Deus. a pergunta 853 de “O Livro dos Espíritos” é perfeita. conserva seu livre arbítrio”. no mesmo lugar. Quiséramos que nos viessem ajudar por meio de milagres e nós os representamos sempre armados de uma varinha mágica. Sobre o tema “morte fatal” (sem motivo aparente). cometesse o crime. dentro das palavras de Allan Kardec. existem duas questões em “O Livro dos Espíritos” que podem trazer alguma luz sobre o assunto. Não é assim. nem de forma diferente do que Deus tinha conhecimento. dando ao agressor o pensamento de agir de forma a levá-lo ao ato do assassinato. Foi exatamente esta a compreensão que o próprio Allan Kardec chegou e estampou como comentário à pergunta 525: “Imaginamos injustamente que a ação dos espíritos não deve se manifestar senão por fenômenos extraordinários. Tudo obra do acaso. por exemplo. obra do desejo soberano do ser encarnado? Teria surgido. sem se ferir o próprio “O Livro dos Espíritos”. não crendo senão seguir seu próprio impulso. Será que Deus. se isso deve causar o resultado que querem obter. de tal sorte que o homem. se Deus não quisesse que a criança desencarnasse. chamando atenção do bandido sobre alguma coisa que o levaria a cometer o que era necessário: o assassinato.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJDdKigw No exemplo que estamos utilizando. então. apesar de toda sua Onipotência não poderia zelar pela integridade da encarnação que foi criada sob Seus auspícios? Nada poderia fazer para impedir que o ser que habita o corpo infantil não perdesse sua encarnação? São muitas perguntas que não poderiam ser respondias da forma que o são atualmente. A criança que foi “vítima” da agressão de outro ser humano. um novo “deus”. onde a espiritualidade afirma que um espírito benevolente pode inspirar o pensamento de quem está sendo alvo de um projétil . se o Pai sabia que aquela criança teria que morrer através de uma agressão teria que providenciar um agressor e colocar os dois no mesmo momento. Se o livre arbítrio do ato que foi praticado pelos dois (matar e morrer) existisse. por algum motivo. eles provocarão a reunião de duas pessoas que parecerão se reencontrar por acaso. utilizando a sua Onipotência. teria Deus que esperar a criança desejar passar por aquele lugar. Mas. Clique aqui para ler mais: http://www. que o bandido tivesse o desejo de alguma coisa e que. Isto jamais poderia ocorrer senão feriria a Onipotência de Deus. não “morreu” em um momento diferente. Assim. eis porque sua intervenção nos parece oculta e o que se faz com seu concurso nos parece muito natural. eles chamarão a atenção sobre tal ponto. teria como evitar? A resposta também está em “O Livro dos Espíritos” (pergunta 528). Continuemos com o exemplo da criança que teve seu desencarne realizado através do livre arbítrio de outro ser humano (assassinato). Assim. Existem duas informações na resposta: há um momento pré-determinado e um gênero programado para a morte e os dois são de conhecimento de Deus. eles inspirarão a alguém o pensamento de passar por tal lugar. ou melhor. Os espíritas acham que para todas estas perguntas só existe uma resposta: mau uso do livre arbítrio.forumespirita.

Não poderia Deus deixar nas mãos do espírito a capacidade de decidir se provocaria ou não a situação depois de encarnado. Deus causa os acontecimentos para que a felicidade eterna seja alcançada e não para que haja uma satisfação momentânea e fugaz. em se encarnando. pois o véu do esquecimento obscureceria seus valores espirituais influenciando negativamente na prova que teria que passar para a sua elevação. Esta é a Onipotência de Deus: não se subordina ao desejo do ser. mas determinando a cada um o ato que deveria realizar. Assim. ou seja. A Sua ação sempre é uma interferência no comando do ato (pensamento) de cada um e não uma “mágica” que Ele realiza sobre as coisas. “A fatalidade não existe senão por escolha que fez o espírito. mas todas elas operam sobre o espírito e não sobre as coisas materiais. Sua ação é sempre no sentido do desejo soberano do espírito não ser afetado pelo “querer” material do ser humano. Escolhendo. a criança foi assassinada porque pediu para que isto acontecesse como uma prova que a elevasse espiritualmente. pelo próprio ser. guiando-se pelo planejamento da encarnação feito anteriormente pelo espírito. Foi a compreensão do livre arbítrio como independente da vontade de Deus que levou os espíritas a mal compreender a informação passada pela espiritualidade na pergunta 001 do Livro dos Espíritos: “Deus é a causa primeira de todas as coisas”. mas julgaram que entre estas não estivesse incluído o próprio ser humano. de suportar tal ou tal prova. Clique aqui para ler mais: http://www. depois de disparada. a criança morreu porque merecia (positiva ou negativamente) e o bandido também se tornou um assassino pelo mesmo motivo.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJDhJoZn O destino de cada um está escrito antes da encarnação.para que ele se desvie. um ensinamento que Deus deu a cada um para que pudessem evoluir. Ele “dirige” os atos do ser humano dando-lhe o pensamento de agir de determinada forma. Pode ainda. ele se faz uma espécie de destino que é a conseqüência mesma da posição em que se encontra”. para alterar a sua situação espiritual. Foi aceita esta informação para as “coisas”. pois. como um ser merece se transformar em um assassino? Será que Deus “escolhe” ao acaso alguém para ser o “bandido” e outro para ser “mocinho”? “O Livro dos Espíritos” (pergunta 851) explica esta situação perfeitamente. Desta forma. Quando Deus comanda um ato de um ser encarnado Ele se preocupa em “dar a cada um segundo suas obras” e não o faz como castigo ou pena. Deus comandou todos os acontecimentos do planeta para que a própria escolha do espírito acontecesse. Deus pode agir de diversas formas. portanto. tem todos os seus atos causados por Deus para que a Justiça e o Amor permaneçam no planeta. . O que nunca poderia ser feito é alterar-se o caminho da bala. Deus assume o comando dos atos e promove todos os acontecimentos para que o desejo do espírito seja atendido. ela o seguiria inexoravelmente. Assim. O ser encarnado. mas submete-o ao Seu desejo. para este fim. de acordo com as provas que quer fazer para a sua evolução. ofuscar o bandido para que ele aponte não mirando bem. Mas. ou seja. Deus não salvaria a criança alterando o traçado do projétil. Para os dois isto foi um ato de amor. mas como uma oportunidade para que esse ser evolua espiritualmente.

Mas. mas este é exercido de duas formas: a primeira. pois quando um ser busca apenas a sua satisfação individual fere a felicidade do próximo. ninguém se torna um bandido de um dia para o outro. pois nem poderia agir desta forma. na hora da montagem do planejamento da encarnação e a segunda já na carne. é sempre senhor de ceder ou resistir”. encontramos o seguinte texto: “Falo das provas físicas. Que me desculpem os espíritas. Assim. A estes chamamos de negativos. conservando o seu livre arbítrio sobre o bem e o mal. ou seja. Só o que fiz foi retirar da interpretação do mesmo texto a soberba do ser humano. Na verdade. que objetivem a felicidade individual. depois da informação de que o destino é escrito por cada espírito antes da encarnação. de onde virão as culpas? De volta à pergunta 851. Transformar-se em um assassino é conseqüência de ter cedido a primeira tentação que o tornou talvez num ladrão. “torcendo” para que cada um mantivesse a sua escolha para que a evolução do Universo acontecesse. Todo espírito tem o livre arbítrio como ensinado. Allan Kardec cita a expiação. A este processo. Clique aqui para ler mais: http://www.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJDnX6Bm . será que ele também pediu para se tornar um criminoso? Entre os objetivos da reencarnação citados na pergunta 132 do mesmo livro. se torna um assassino. o espírito.forumespirita. Como “bem”. entendemos todos os sentimentos que possam ferir os outros. se todos cumprem apenas o pré-determinado sob o comando de Deus. No entanto. Como “mal”.. Deus providencia outra prova para que ele “aprenda” a amar. às provas que se submete. entendemos o ensinamento de Cristo (o amor) que chamaremos de sentimento positivo. ou seja. como por diversas vezes alertado também em “O Livro dos Espíritos”. porque o que é prova moral e tentações. Além do livre arbítrio de escrever o seu destino. Esta nova prova também terá o caráter de expiação. o ser vai se “afundando” paulatinamente no crime ao longo de suas existências. Todas as afirmações que fiz neste trabalho foram baseadas em respostas dadas pelo Espírito da Verdade a Allan Kardec e constam de “O Livro dos Espíritos”. mas seres guiados por Deus dentro do livre arbítrio de cada um como espíritos que são e não como seres humanos. quando o ser escolherá ceder ou não às tentações materiais. Deus dá a cada um o direito de reagir sentimentalmente (bem ou mal) às tentações. Deus deu àquele espírito o “papel” de assassino para expiar faltas anteriores.. remir a culpa.Quanto ao assassino. que nada mais são do que seres universais obscurecidos pelo véu do esquecimento do mundo espiritual. chamamos de “livre arbítrio sentimental”. Cada vez que o espírito cede a uma tentação (utiliza sentimentos negativos). Desta forma não existe vítima ou criminoso. sofrer conseqüências de atos anteriores. quando uma situação ocorre na vida de uma pessoa (prova comandada por Deus) o espírito tem o livre arbítrio de amá-la ou de rejeitá-la utilizando-se de sentimentos que privilegiem seus conceitos. O livre arbítrio do ato quebraria toda esta interação dos elementos do universo e colocaria Deus na situação de espectador dos acontecimentos. até que um dia. obra do Pentateuco básico do espiritismo. mas não estou ensinando nada novo. ou seja. que não podendo ser Deus quer exercer a Sua função de ser causador dos acontecimentos.

pela interação com outros testa os seus sentimentos (valores morais). devemos nos aprofundar um pouco no mecanismo atraves do qual esta programação nos acompanha durante a encarnação. Aliás. mais explicitas neste aspecto. (Ver itens 525 e seguintes). na sua maioria.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJE6xM2i E o ego nos mostra a cada instante a pergunta para o instante e as duas respostas possíveis.forumespirita. a certa e a errada. onde cada um exerce um papel atraves do qual. nisto consiste o seu livre arbítrio. Veja que me refiro a respostas interiores. sempre perturbada: não é somente a dor que produz contrariedades. de certo e de errado. onde os espíritos interagem A consequencia é que os programas de um grupo de pessoas esta interligado. Deus prepara provas (acontecimentos materiais). faz parte do ensinamento de outras fontes.O espírito define seu genero de provas . E nós.sentimentos). 866. bem como as suas respostas. Comprendamos o ego apenas por este aspecto neste momento. assim se um do grupo pudesse alterar algo no mundo externo (os acontecimentos) estaria afetando a programação dos demais deste grupo. Eles vêem muito bem a futilidade das vossas grandezas e dos vossos prazeres. provas e missões . Assim. Para comprender melhor esta impossibilidade.forumespirita. as provas que lhes sejam mais frutuosas. a vida mais feliz é sempre agitada. " . No estado errante. exercendo o livre arbítrio da escolha. criamos uma 'fatalidade. Sempre a . Então.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJDzDMeN Quando o espírito se prepara para a encarnação e após a definição do genero de provas (sempre morais . o número de infortunados ultrapassa de muito o dos felizes do mundo. a fatalidade que parece presidir aos destinos do homem na vida material seria também resultado do nosso livre arbítrio? Tu mesmo escolheste a tua prova: quanto mais rude ela for. Porque certo e errado? Porque nós ao escolhermos um determinado sentimento para ser testado. Esta programação da existencia encarnada é 'arquivada' em um agregado do espírito que denomina-se 'ego'. Clique aqui para ler mais: http://www. visto que os Espíritos procuram. Clique aqui para ler mais: http://www. uma espécie de destino' (LE) que são os acontecimentos da existencia. Os que passam a vida na abundância e no bem-estar são Espíritos covardes. O que vou escrever a seguir não está no LE ou na DE. E também estão definidas as perguntas que a cada momento devemos responder frente a cada uma das inúmeras vicissitudes diárias. se melhor a suportas. mais te elevas. E o acaso inexiste na obra divina. antes de nova existência corpórea.258.O genero de provas inclue expiações. O sujeito que nos guia pelo caminho da vida e que tudo sabe. morais. optamos por uma e com isto acertamos ou erramos em uma das inumeras questões da prova (prova. que permanecem estacionários. sentimentais e não ações no mundo exterior. O ego é como se fosse um arquivo de computador onde todas as passagens da peça que encenamos no teatro da vida estão definidas. ou o palco do teatro da vida.Deus prepara as provas para cada um. o Espírito tem consciência e previsão do que lhe vai acontecer durante a vida? Ele mesmo escolhe o gênero de provas que deseja sofrer. expiação ou missão) que nos propuzemos a passar ou sofrer. Mas há algo mais a considerar neste papel do ego.

net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJEB32yH Ninguem tem condiçao de alterar o universo material. pois elas são . agradável. alternativamente. agradaveis e desagradaveis. ou seja estuda as materias morais. Se a utilizarmos para responder a pergunta do instante. atraves de toda a cadeia de espiritos. quando é apenas um dos elementos do teatro exercendo um papel que nosso ego denomina de 'ofensor'? E que. centelha. Por exemplo. Neste momento fecham-se os livros (pictorico). não é novidade alguma. suas carências materiais e abundâncias. o erro. o espirito diz. E cabe-lhe. ele é o nosso tentador. Compete a Deus. seu corpo que ve espelhado a sua frente. Clique aqui para ler mais: http://www. Chamamos a estas situações pré-estabelecidas de "carma de vidas passadas".resposta errada é a mais simples. na qual as vontades de cada espírito são rigorosamente observadas e onde se lhe dá inumeras oportunidades de provar-se e testar-se não existem acasos. ignorando o ego. onde começa o ego e onde inicia-se o corpo fisico. Tudo o que o LE nos ensina é o processo de elevação moral dos espíritos em suas diferentes formas de manifestação. E me pergunto. criar os acontecimentos que permitam a este espírito vivenciar a "avareza" em um ou mais de seus aspectos. a família à qual irá pertencer. Mas o homem ainda se confunde com seu espirito e seu pensamento. Ou. Esta a razão para tentarmos não ouvir o ego. a vida real. Desta forma cre que tudo o que acontece tem uma razão material. E o espírito vai vivenciar "na carne". base da justiça terrena. senão utilizar nossa capacidade em responder corretamente? Porque se todos os acontecimentos nos são colocados por Deus.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJEG2yCE No Livro da Vida constam os "acontecimentos" determinantes da "vida" de um espírito na carne: ali está afixado o seu dia de nascimento. Este palco é construido e continuamente alterado para propiciar as provas solicitadas. e é para isto que existe. provas e missões) que o elevarão. sua "saúde" física e as doenças que põem limites à sua ação. Para o espirito. se nesta perfeição. passa uma temporada (algumas décadas. ele também vai a 'escola' (sei lá como é isto. menos trabalhosa e é a primeira que nos fica evidenciada. Deus é o programador de todos os acontecimentos. Dentro desta absoluta perfeição que é a obra divina. seus empregos. amigos íntimos.casamento e prole. erramos. o que mais nos resta a fazer. Clique aqui para ler mais: http://www. Então. pois Deus é a única causa de todos eles. como espírito. encarnado. tome-o apenas pictoricamente). não sabendo bem onde termina o espirito. namoros. O que irá acontecer e como vai acontecer desconheçe. a única aprendizagem é a moral ou sentimental. todas as sensações e sentimentos conflitantes que geram e derivam da avareza. Tudo isto estabelecido de tal forma que o espírito possa utilizar-se dessas situações e executar os trabalhos (expiações. E isto já é do conhecimento humano desde os evangelhos. o que para o espírito pode equivaler a alguns dias para nós) estudando um aspecto moral. como dizemos na terra. juventude e maturidade. quando encarnados. porque insistimos em considerar o 'outro' um ofensor. Após o estudo. onde a vontade soberana do espirito determina os acontecimentos pelos quais vai se provar e onde as perguntas e respostas de cada instante estão programadas. E por esta razão as leis humanas sempre julgaram o ato ou a ação.forumespirita. os acontecimentos de sua infância. Apenas mais um teste. E programa uma encarnação onde vai provar-se no quesito "avareza". afastam-se os mestres (real) e o espírito é convidado a provar para si mesmo que aprendeu.forumespirita. palco de suas provas. apenas dizer "eu sei que esta é a minha prova" e não deixar-se levar pelo sentimento e avareza. sua profissão. o sucesso de sua carreira e o seu círculo social. todo feliz "eu sei o que é a avareza". devemos compreender como um teste. a avareza por exemplo. culpar a Deus por todos os nossos infortunios.

Fica mais fácil compreender esta verdade universal compreendendo o “ciclo da vida”.Por exemplo. esta pessoa já o magoou”. “526 . Clique aqui para ler mais: http://www. Entretanto. o ser humano dirá para si: mesmo: “cuidado. olfato. audição.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJEZuiF4 É este pensamento que servirá de base para o ato que será praticado. portanto. são os espíritos que fazem a escada quebrar para cumprir o destino do homem?” . o cumprimento do Livro da Vida não assegura a felicidade nos acontecimentos apenas porque o espírito está passando por eles: para que isto aconteça. o ser humano não tem condições de nelas interferir. Estas situações não poderão ser alteradas. uma história que é o pensamento do “ser humano”. mas porque ele reflete o sentimento que o espírito sentiu. além de terem sido traçadas com a interseção do próprio espírito. é necessário que o espírito consiga colocar em prática o amor universal. Portanto. se a prova é sentir o amor. Somente o Autor Intelectual da prova pode escrever as questões.influenciadas diretamente pelos feitos do espírito em outras encarnações. No primeiro caso do nosso exemplo. Mas Deus não manda este pensamento porque quer que o ser humano não goste da outra pessoa. entretanto. este ser humano foi reprovado naquela questão e nova questão terá que ser “respondida”. um homem deve perecer: ele sobe em uma escada. Deus escreve a cada segundo na vida do ser humano as questões que o espírito terá de responder com amor ou sem amor. A vida do “ser humano” é uma prova para o espírito que habita a carne e. etc Com base neste sentimento Deus comanda.forumespirita. pois seria o aluno determinando a questão da prova. Clique aqui para ler mais: http://www. amizade. Por isto. não é do espírito. sabor e tato). a escada se quebra e o homem se mata. pois. Isto fica bem claro com este texto do Livro dos Espíritos de Allan Kardec.. de acordo com a essência que o espírito nutre no momento. Este pensamento. através de seus auxiliares espirituais. Por exemplo: quando a visão forma a imagem de uma pessoa que um dia nos causou algum problema. todas as coisas que acontecem materialmente não passam de questões desta prova. Ciclo da vida: sentir / pensar / agir Sempre que alguma percepção penetra pelos sentidos do corpo físico (visão. mas sim uma intuição que Deus manda a ele. que também será intuído por Deus ao espírito. são as necessárias para alcançar o patamar de evolução ao qual o espírito se propôs. Desta forma. certamente escolheremos a desconfiança para servir de base para o pensamento. o espírito escolhe um sentimento para reagir a ela.forumespirita.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJEVoesP Todo ato do ser humano é comandado por Deus na sua forma. Diferente será o sentimento se a pessoa sempre houver sido nossa amiga: neste caso sentiremos carinho.

através do qual podemos então afirmar que o espírito tem todos os seus passos conduzidos por outros espíritos enviados de Deus. No exemplo que citas. instituiu para si uma espécie de destino.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJEjDM6p “851 – Haverá fatalidade nos acontecimentos da vida conforme ao sentido que se dá a este vocábulo? Quer dizer: todos os acontecimentos são predeterminados? E. não na sua forma. o Espírito. Se estava no destino desse homem perecer dessa maneira. mas depois passa a desejar a “riqueza material” (satisfação. durante a vivencia dos acontecimentos carnais o espírito tem o livre arbítrio do sentimento (“Falo das provas físicas. ou seja.“É bem verdade que os espíritos têm uma ação sobre a matéria. Falo das provas físicas. de acordo com as respostas às perguntas anteriores. Quando o espírito vivencia a consciência de que é o ser humano seu objetivo é outro. No entanto. a resposta a questões anteriores na prova chamada vida. que vem a ser do livre arbítrio? A fatalidade existe unicamente pela escolha que o Espírito fez. Depois de que encarna (ligase ao personagem de tal forma que passa a ter a consciência de que é ele) é impossível alterar tudo o que foi previsto para aquela vida. para que se cumpra o destino de cada um. prazer). o Espírito. ao encarnar. porém. Denunc Clique aqui para ler mais: http://www. Portanto. as questões são escritas a cada momento pelo espírito. Dá-se.forumespirita. é sempre senhor de ceder ou resistir”). Escolhendo-a. o livre arbítrio do ato é exercido antes da “vida”. O livre arbítrio do ato é exercido antes da encarnação quando o espírito pede as suas provas. Resumindo estas duas informações podemos dizer que o espírito ligado a um ser humano tem dois livres arbítrios: um para o ato e outro para o sentimento com o qual vivencia o ato. fazendo surgir no momento oportuno um acontecimento inesperado e contrário a essas leis. que é a conseqüência mesma da posição em que vem a achar-se colocado. . pois pelo que toca às provas morais e às tentações. neste caso. escreve a história que o personagem que irá ligar-se vai viver. é sempre senhor de ceder ou resistir”. mas na sua essência. mas para o cumprimento das leis da Natureza e não para as derrogar. A questão do porque o espírito não pode alterar a existência pré-programada do ser humano também está em “O Livro dos Espíritos”: “O desejo que então alimenta pode influir na escolha que venha a fazer. Antes ele era movido pela intenção de elevar-se espiritualmente (adquirir bens celestes).” As perguntas 527 e 528 expressam ainda melhor este pensamento. que como Espírito livre. dependendo da intenção que o anime. desta ou daquela prova para sofrer. Este destino nada mais é do que o merecimento do espírito. quase sempre vê as coisas de modo diferente” . Portanto. a escada se rompe porque ela estava carcomida ou não bastante forte para suportar o peso do homem. conservando o seu livre arbítrio quanto ao bem e ao mal. conservando o seu livre arbítrio quanto ao bem e ao mal. antes da encarnação. e sua morte terá lugar por um efeito natural sem que seja necessário um milagre para isso. pois pelo que toca às provas morais e às tentações. eles lhe inspirarão o pensamento de subir por essa escada que deverá se romper sob seu peso.

Deus se ocupa com todos os seres que criou. para chegar a essa perfeição. de causa. mas utilizado no seu sentido espiritual. Mas. para outros é uma missão. 569 . apenas um instrumento de que Deus se serve para a realização de seus desígnios 663 .Quando se está liberto da matéria. 584 – É.forumespirita. do qual Ele se serve para que tudo à sua volta atinja os objetivos aos quais se destina. 963 .Vossas provas estão nas mãos de Deus. 78 .o próprio homem é um instrumento nas mãos de Deus.(espírito) DETERMINISMO quer dizer "a total impossibilidade de agir fora de um programa" e isto tambem temos. é destituído de valor.(os espíritos) São sua criação e submissos à Sua vontade 266 . mas apenas no nivel sentimental. 692 . mas no nivel fisico (ser humano) Clique aqui para ler mais: http://www. 529 – O que Deus quer deve acontecer 532 . a ilusão cessa e a forma de pensar é outra.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJEvw0Xh A unidade de pensamento. sem cuja permissão nada se faz 536 – Tudo tem uma razão de ser e nada acontece sem a permissão de Deus. na maioria das vezes. Clique aqui para ler mais: http://www. O espírito que vive o “bem” é aquele que ama a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo e aquele que opta pelo “mal” é aquele que ama a si mesmo acima de tudo. de Deus é incompatível com a diversidade das aptidões individuais. Nada. A encarnação tem também um outro objetivo: dar ao Espírito condições de cumprir sua parte na obra . devem sofrer todas as tribulações da existência corporal: é a expiação.net/fe/artigos-espiritas/livre-arbitrio5517/#ixzz2EJEp9Eyd Resumindo : LIVRE ARBÍTRIO quer dizer "absoluta independência para decidir sem qualquer limitação" e isto nós possuimos.O “bem” e o “mal” aqui não está voltado para o ato em si.forumespirita. por mais pequeninos que sejam.Há males que estão nos desígnios da Providência 535 – Agradecei a Deus. 132 Qual é o objetivo da encarnação dos Espíritos? – A Lei de Deus lhes impõe a encarnação com o objetivo de fazê-los chegar à perfeição. para a sua bondade.Os Espíritos executam as vontades de Deus e não podeis penetrar nos seus desígnios. Para uns é uma expiação.

o que vos parece um mal é um bem. concorrendo para a obra geral. Para realizá-la é que." Clique aqui para ler mais: http://www.net/fe/o-livro-dos-espiritos/se-deus-e-amore-justica-porque-os-homens-sofrem/60/#ixzz2FKecUr5n . Esforçai-vos por sair. pelo pensamento. diminuirá para vós a importância da vida material que. Muitas vezes. única existência verdadeira. se vos apresentará como simples incidente. da vossa acanhada esfera e. no entanto. qualquer que seja o nome que o homem lhe queira dar. no curso infinito da vossa existência espiritual.forumespirita. ele próprio se adianta. à medida que vos elevardes. que o conjunto do grande todo não o apreendem os vossos sentidos obtusos. sob esse ponto de vista. ensinando-lhe falsos princípios. toma um corpo em harmonia com a matéria essencial desse mundo para executar aí. nesse caso. são as vossas faculdades. as determinações de Deus. maior deve ser a causa primária. essa inteligência tem ela mesma uma causa e. "Se alguns daqueles que pretenderam instruir o homem na lei de Deus algumas vezes o desviaram. Muitos anunciaram como leis divinas o que eram apenas leis humanas criadas para servir às paixões e dominar os homens.da criação. Tão limitadas. foi por se deixarem dominar por sentimentos muito materiais e por ter confundido as leis que regem as condições da vida da alma com as do corpo. de modo que. quanto mais grandioso for o que ela realize. Quaisquer que sejam os prodígios realizados pela inteligência humana. em cada mundo. Habituai-vos a não censurar o que não podeis compreender e crede que Deus é justo em todas as coisas. É essa inteligência superior que é a causa primária de todas as coisas.