You are on page 1of 5

Fabio – B

Embriologia
A embriogênese é o processo através do qual o embrião é formado e se
desenvolve.

Pode ser resumido em três fases:


Segmentação
Gastrulação
Organogênese

*sendo as duas primeiras etapas em alguns aspectos semelhantes, porém,


se diferenciam quase que totalmente da organogênese que difere muito
com cada grupo de animal.

-TIPOS DE OVOS:

Oligolécitos:

*Possuem pouco vitelo, com distribuição uniforme.


* O núcleo é quase central.

Ocorrência em: Esponjas, celenterados, asquelmintes, equinodermos e


mamíferos placentários.

Heterolécitos:

*Possuem média quantidade de vitelo, concentrado no pólo vegetativo.


*O núcleo é periférico

Ocorrência em: Platelmintos, anelídeos, moluscos, anfíbios.

Teolécitos:
*Possuem grande quantidade de vitelo, concentrado no centro do pólo
vegetativo.
*O núcleo é periférico.

Ocorrência em: Centrópodes (polvos),peixes, répteis, aves e mamíferos


como ornitorrinco.

Centrolécitos:

*Possuem grande quantidade de vitelo, concentrado no centro da célula,


junto do núcleo, que é central

Ocorrência em: Artrópodes (insetos, crustáceos, aracnídeos e miriápodes).

Fases da embriogênese:

Segmentação ou Clivagem: são as sucessivas divisões que ocorrem no


zigoto após a fecundação. O ritmo das mitoses depende da quantidade e
distribuição do vitelo no ovo. (de modo geral, é mais lento na região onde
existe maior quantidade de vitelo, que corresponde ao pólo vegetativo).
*A região onde se localiza o núcleo do zigoto corresponde o pólo animal.
Cada célula resultante desse processo denomina-se blastômero. A medida
que as mitoses sucedem os blastômeros diminuem de tamanho, tornando
suas 16, 32 ou mais células juntas a formarem um embrião com tamanho
igual ao zigoto inicial.
*O aspecto do embrião, após sucessivas divisões é o de uma pequena
amora; é o primeiro estágio embrionário e recebe o nome de mórula.
TIPOS DE CLIVAGEM:

Clivagem Holoblástica (total) igual:


Nos oligolécitos (mamíferos), as primeiras clivagens ocorrem em toda
extensão do ovo, formando blastômeros aproximadamente de mesmo
tamanho.

Clivagem Holoblástica (total) desigual:


Nos ovos heterolécitos (anfíbios) as primeiras clivagens também dividem
completamente o ovo.
*Devido à distribuição desigual de vitelo, porém, formam-se blastômeros
maiores e ricos em vitelo, os macrômeros (ele não citou esse nome que eu
me lembre, mas não custa ficar atento) e blastômeros menores, os
micrômeros (o mesmo vale pra esse nome, no qual creio que não foi citado).

Clivagem meroblástica (parcial) Discoidal:


Nos ovos telolécitos (répteis, aves, alguns peixes, mamíferos ovíparos) o
ovo não chega a se dividir completamente, AS clivagens acontecem apenas
na região ocupada pelo núcleo e pelas estruturas citoplasmáticas do ovo.
Assim, sobre a massa de vitelo não-dividida, forma-se uma calota de células
pequenas e sem vitelo, o disco germinativo, que origina o embrião.

Clivagem meroblástica (parcial) Superficial:


Nos ovos centrolécitos (insetos) por conta do citoplasma envolver o vitelo,
apenas o núcleo sofre divisões inicialmente, produzindo um cenócito. Que
em seguida migram para ocorrer a celularização de cada núcleo. Depois
disso, núcleo e citoplasma dividem-se mais algumas vezes e essas células
ficam, assim como o citoplasma, em volta do vitelo.
*diferente das outras segmentações, nessa não há a formação de mórula.

• Maior quantidade de vitelo significa maior resistência à clivagem. Se


a clivagem for incompleta, o embrião forma-se como um disco de
células, na superfície da massa de vitelo. Na clivagem completa, os
sulcos de clivagem dividem completamente a massa do ovo. Os
blastômeros no pólo animal são menores,e os do pólo vegetal são
maiores.
Gastrulação:
A gastrulação compreende o processo de transformação da blástula em
gástrula, estágio embrionário que se caracteriza pela formação dos
folhetos germinativos ou embrionários. A gástrula caracteriza-se por
apresentar uma cavidade, o arquêntero, ou intestino primitivo.
A blástula sofre invaginação até originar o arquêntero - “intestino
primitivo”, a mesentoderma, a ectoderma e o blastóporo (abertura da
cavidade: ânus = deuterostômio ou boca = protostômio).
Após um tempo ocorrem alterações, que terminam com o aparecimento
da mesoderme (formada pela mesentoderme, que origina também a
endoderme), do celoma e do sistema nervoso.
Nos cordados, a notocorda, que serve de eixo de sustentação do tubo
neural..

Organogênese:
Compreende-se pela formação nêurula = sistema nervoso. O tubo
neural forma-se a partir da ectoderma do embrião e é sustentado
pela notocorda (que surgiu da parte superior do arquêntero). Na
maioria dos cordadeos a notocorda origina a coluna vertebral.

ANEXOS EMBRIONÁRIOS:

Saco Vitelínico
Anexo presente em embriões de todos os vertebrados, sendo especialmente
desenvolvido nos peixes, répteis e aves. Corresponde a uma estrutura em
forma de saco ligada a região ventral do embrião. Sua principal função é
armazenar reservas nutritivas. Nos mamíferos placentários é
reduzida, visto que a nutrição ocorre via placentária. Nesses, é responsável
pela produção das hemácias.

Âmnio
É uma fina membrana que delimita uma bolsa repleta de líquido - o líquido
amniótico que tem a responsabilidade de evitar o ressecamento do embrião
e proteger contra choques mecânicos. O âmnio representa uma
importante adaptação dos répteis. Esse anexo permitiu aos répteis avançar
em terras secas, e independência da água para a reprodução.

Alantóide
Surge de uma invaginação da parte posterior do intestino do embrião. Nos
répteis e aves funciona como órgão da respiração e da excreção.
Absorve os minerais presente nas cascas dos ovos, promovendo a partir daí
a formação do esqueleto. Esse processo facilita o rompimento da casca por
ocasião do nascimento. Nos mamíferos associa-se ao cório para formar a
placenta e o cordão umbilical.

Cório
Película delgada que envolve (protege) os outros anexos embrionários.
Tem função respiratória em aves e répteis. Nos mamíferos vai formar as
vilosidades coriônicas, que formará mucosa uterina, participando junto com
o alantóide para a formação da placenta.

Placenta
É uma estrutura de origem mista, exclusiva dos mamíferos. Permite a troca
de substâncias entre o organismo materno e o fetal. Nos primeiros
meses de gestação, a placenta trabalha produzindo hormônios, além de
substâncias de defesa, nutrição, respiração e excreção. Na espécie humana
é eliminada durante o parto.

Tudo ocorre na seguinte ordem:


Ovo > mórula > blástula > glástula> nêurula> embrião > feto =
nascimento.