You are on page 1of 3

AS GRANDES NAVEGAÇÕES

Apresentação: As grandes navegações marcaram um período da História
européia no qual os horizontes se alargaram enormemente. Dentre outros eventos,
nessa época, encontrou-se o fim do continente africano e entrou-se em
contato com civilizações do Oriente e do Extremo Oriente. No século XVI,
uma expedição espanhola liderada pelo português Fernão de Magalhães
comprovaria que a terra é redonda, através da viagem de circunavegação. No
entanto, não se deve perder de vista o sentido maior dessa expansão
marítima para os europeus: obter riquezas.

Transição da Idade Média à Idade Moderna
A Idade Média – espaço temporal compreendido entre os séculos V ao XV –, na
Europa, foi marcada pelo sistema feudal de produção. O período é dividido em
Alta Idade Média e Baixa Idade Média.

Alta Idade média (séc. V-XI)
Época na qual a Europa ocidental sofreu sucessivas invasões dos povos
germânicos (também chamados ―bárbaros). Essas invasões, ocorridas entre os
séculos IV e V, contribuíram para a decadência do antigo Império Romano e
foram responsáveis por profundas alterações políticas, sociais, e culturais.
Além disso, durante o século VIII, houve também a dominação dos povos
árabe-muçulmanos, que ocuparam até o século XV a Península Ibérica.
Organização política - Poder político descentralizado, distribuídos entre o rei,
os membros da nobreza e o alto clero. Cada feudo constituía uma unidade
política autônoma baseada, governada pelo senhor feudal.
Economia - Essencialmente agrária fundamentada na agricultura de subsistência
sem grandes excedentes para comercialização. A terra era considerada a
principal fonte de riqueza. Em conseqüência das crises geradas pelas
invasões e pela ocupação do mar Mediterrâneo pelos árabe-muçulmanos,
ocorreu no período o quase desaparecimento das atividades comerciais e do
uso da moeda.
Sociedade - Era basicamente rural e estamental com funções bem definidas
para os seus três principais grupos sociais. O clero, que cuidava da fé; a nobreza,
responsável pela defesa do território; e os camponeses ou servos, que
trabalhavam a terra.
Cultura – Pode dizer que a sociedade medieval era teocêntrica, ou seja, essa
sociedade concebia Deus como centro do universo e a razão de todas as
coisas. Dessa forma, a Igreja determinava os modos de pensar e de viver das
pessoas e os fenômenos naturais eram explicados pela fé. ,

A Baixa Idade Media (séc. XII-XV)

lorestas derrubadas. Em seguida. Portugal parte em direção às ilhas atlânticas e ao continente africano. resultando no aumento da produção e da produtividade. ainda que lentamente. A população cresceu e. Da crise do feudalismo. o capitalista. surgiriam os elementos que formaram um novo sistema. conseqüentemente. ou nas cercanias de castelos. Esse país viria a descobrir a América em 1492. Outros grupos se juntavam nas encruzilhadas das estradas. reabriria o comércio e a navegação mediterrânea entre a Europa Ocidental e o Oriente Médio. Uma outra solução foi incorporar boa parte dos marginalizados às Cruzadas que. metais preciosos). A expansão marítima teve início em 1415 com a conquista de Ceuta (cidade muçulmana no Norte da África) e atendia aos interesses da nobreza e da burguesia.A pressão demográfica levou à transformação do feudalismo. Com o fim das grandes invasões. Foi a origem de muitos burgos (cidades fortificadas medievais).Resultado de diversos processos históricos. dirigindo-se a Jerusalém. cujas características são produção para mercado. que alcançava status social mais elevado e algum poder político. pântanos drenados. que estabelecia uma linha imaginária passando. O feudalismo. O desenvolvimento mercantil criou uma nova forma de riqueza. A pressão demográfica levou à transformação do feudalismo. Interesses religiosos: defesa da igreja católica. Tratado de Tordesilhas . aumento de produção e produtividade. de 1494. Começava a sua desintegração. expansão do território. a partir do século XI. A formação dos burgos. baseada na acumulação monetária. divindindo o Novo Mundo em duas . sem proprietários. beneficiando o grupo social emergente. Portugal passou a ser a primeira nação moderna a expandir seus limites por meio das grandes navegações. a burguesia (classe dos comerciantes). houve um reflorescimento do comércio na Europa ocidental. exploração de recursos naturais (princ. acelerou a crise do feudalismo. divulgação do catolicismo. A questão foi resolvida com o Tratado de Tordesilhas. Parte do excedente populacional abandonou os feudos e ocupou terras incultas. quando se iniciou sua crise e declínio. formando pequenas vilas. passou a haver uma relativa paz no continente europeu. a produção agrícola teve de ser ampliada para atender uma demanda maior. manteve-se vigoroso na parte ocidental do Velho Continente até o século XI. mão-deobra livre e preocupação com o lucro. Com a entrada dos espanhóis no ciclo das grandes navegações.O segundo país europeu a se expandir para o Atlântico foi a Espanha (unificada em 1469). estimulando o renascimento comercial e urbano. instrumentos grícolas aperfeiçoados. Interesses económicos: controlo de rotas comerciais. a 370 léguas a Oeste das ilhas de Cabo Verde. criou-se um conflito diplomático entre Espanha e Portugal pela posse das terras conquistadas e a conquistar. Campos foram mais bem aproveitados. sistema dominante na Europa na Idade Média. Expansão Mercantil Europeia Com o incentivo da coroa.

região . O comércio indiano. as restantes pertenciam à Espanha. desenvolvendo ali um importante comércio. As terras ao leste desse meridiano seriam de Portugal.partes. outra para a Espanha. Desde o início. Em 1498. Encontrou minas de ouro e prata na África. uma para Portugal. descobriu o Caminho para as Índias. Portugal conheceu grande sucesso na expansão marítima.